Templates by BIGtheme NET
Home » Author Archives: Antonio Pacheco

Author Archives: Antonio Pacheco

Fornos de Algodres apresentou serviço de recolha de materiais “Porta a Porta”

Teve lugar no salão nobre do Município de Fornos de Algodres, a apresentação do novo serviço de recolha de materiais recicláveis.

Estiveram presentes Manuel Fonseca, Presidente da Câmara, Bruno Costa, Vereador do Ambiente, Nuno Heitor e João Silva, para além dos muitos comerciantes que responderam afirmativamente ao repto.

Este novo serviço consiste em recolher vidro, papel/cartão e plástico, pelo facto de se verificar que os contentores dos resíduos, em certas zonas contêm grandes quantidades de materiais passíveis de reciclagem e estavam a ir para tratamento indiferenciado.

Desta forma foi uma ação destinada a comerciantes deste concelho, uma ação da Resiestrela, que proporciona um melhor ambiente e uma diminuição de custos para o município.

Assim a viatura da Resiestrela vai passar uma vez por semana, neste caso à quarta-feira, a partir do início de março, em Fornos de Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo, Mêda e Almeida.

 

Colocação de 25 caixas-ninho no Parque Polis na Guarda

Na próxima terça-feira, dia 26 de fevereiro, a partir das 14h, o Núcleo Regional da Guarda irá colocar no Parque Polis, na Guarda, 25 caixas-ninho com o objetivo de proporcionar uma zona de nidificação e de abrigo para as aves que as utilizam. A iniciativa contará com a presença de alunos da Escola Básica da Sequeira e da Escola Beatriz Ângelo. As caixas foram construídas por utentes do estabelecimento prisional da Guarda e a atividade contou também com o apoio da empresa Transdev.

Algumas dicas e curiosidades sobre as caixas-ninhos.

A importância das caixas-ninho é cada vez maior fundamentalmente por 2 razões. Por um lado é mais fácil estudar as aves  se conseguir determinar com precisão onde está localizado o respetivo ninho. Com uma caixa-ninho ocupada essa tarefa está resolvida sem que se corram riscos com a procura do ninho que deve ser sempre evitada. Qualquer perturbação pode provocar o abandono do ninho pelas aves. Por outro lado os buracos nas árvores, ou mesmo em construções humanas, são cada vez mais raros, porque as árvores mais velhas são cortadas e as construções modernas são demasiado herméticas para as aves.

Ao construirmos e colocarmos à disposição estes suportes para nidificação e abrigo, estamos portanto, a prestar uma grande ajuda às aves, que de outra forma, se vão afastando dos locais à medida que vão deixando de ter condições para se reproduzirem. Ora, como na sua esmagadora maioria, as espécies que utilizam caixas-ninho são consumidores secundários ou predadores, o seu desaparecimento provoca desequilíbrios ecológicos.

As caixas-ninho devem ser colocadas durante o inverno e deste modo as aves habituam-se à sua presença e algumas adotam-nas como abrigo. Deve-se procurar que a entrada não fique diretamente virada para o sol e por isso a caixa-ninho deve ser fixada com uma ligeira inclinação para a frente. Nunca devem ser utilizados pregos para a fixação das caixas nas árvores. E as cordas ou arames devem ficar separados do tronco por pequenas tábuas em forma de cunha, para que não se prejudique o crescimento das árvores.

Todos os anos, durante o outono, deve fazer-se a limpeza das caixas. Nessa altura é interessante fazer-se o registo dos materiais utilizados no ninho, como musgos, penas, pelos, etc.

Por:Quercus

Sílvia Rebelo e Ana Borges no 26ºAlgarve Cup

Vai ter lugar mais uma edição do Algarve Cup, a 26ªedição, em Futebol Feminino, entre os dias 27 de fevereiro e 6 de março.Por sua vez Portugal, recorde-se, está inserido no Grupo D, juntamente com Suécia e Suíça.

Assim Sílvia Rebelo e Ana Borges foram novamente convocadas para esta edição.

AC Milan: Mónica Mendes
At. Madrid: Dolores Silva
Levante UD SAD: Jéssica Silva
SL Benfica: Sílvia Rebelo
SC Sand: Andreia Norton
SC Braga: Ágata Pimenta, Diana Gomes, Matilde Fidalgo, Rute Costa, Vanessa Marques
Sporting SAD: Ana Borges, Ana Capeta, Carole, Carolina Mendes, Diana Silva, Inês Pereira, Joana Martins, Patrícia Morais, Tatiana Pinto
Bayer Leverkusen: Ana Leite
Valadares Gaia: Cláudia Lima
Wolfsburg: Cláudia Neto
Saint-Maur: Rafaela Lopes

Por:FPF

Bombeiros de Pinhel celebram parceria com Adega Cooperativa de Pinhel

  Foi assinada uma parceria entre a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pinhel e a Adega Cooperativa de Pinhel.
Desta forma ao  comprar uma Boxe de vinho D.Manuel l tinto de 3 litros, passa a ajudar a Associação Humanitária dos Bombeiros de Pinhel, onde por cada boxe de 3 Litros vendida a Adega Cooperativa de Pinhel faz um donativo de 0,50 cêntimos, aos soldados da Paz da cidade Falcão.

Guarda recebe Torneio internacional masculino Sub-16

O Torneio de Desenvolvimento Masculino de Futebol de Sub-16 vai ser organizado no distrito da Guarda, pela Associação de futebol da Guarda, assim anunciou a Federação Portuguesa de Futebol.

O evento vai contar com a participação da Seleção Nacional de Portugal e de mais três Seleções de outros países. A competição vai ser disputada no distrito da Guarda entre os dias 10 e 14 de maio.

Com esta atribuição a AFG e a FPF vão realizar no distrito da Guarda uma das mais importantes competições de Futebol de Sub 16.

Por:AFG

Município de Nelas integra projeto intermunicipal da Rota dos Moinhos de Portugal, anunciado vencedor na Sessão de encerramento do ALA+T em Castelo Branco

Decorreu durante o dia desta quarta-feira, no Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco, a apresentação dos projetos finais do ALA+T , Programa Nacional de Qualificação da Administração Local Autárquica Para Turismo, promovido pelo IPDT – Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo com o apoio do Turismo de Portugal. O programa ALA+T pretendeu dotar os técnicos superiores e dirigentes da Administração Local Autárquica com competências específicas e transversais, indispensáveis para o desenvolvimento do setor do Turismo. Do lote de oradores fizeram parte Ana Mendes Godinho – Secretária de Estado do Turismo, Luís Correia – Presidente CM Castelo Branco, António Jorge Costa – Presidente IPDT e Luís Araújo, Presidente do Turismo de Portugal.

O  Presidente da Câmara de Nelas,Borges da Silva, o Vice-presidente e o Vereador do Turismo, estiveram presentes a apoiar os seus 3 colaboradores, que conjuntamente com os municípios de Águeda, Albergaria a Velha, Sever do Vouga e Vagos apresentaram o projeto Portuguese Mills – Rota dos Moinhos de Portugal de forma a ser implementado uma rota temática em torno dos moinhos de diferentes tipologias nestes municípios e na Região Centro e restante território nacional em fases posteriores.

Foram 19 os grupos de trabalho intermunicipais de 90 municípios, que perante uma vasta plateia deram a conhecer os seus projetos inovadores, do qual a Rota dos Moinhos de Portugal faz parte do lote dos 3 vencedores finais.

Nelas tem já uma forte tradição no seu património molinológico tendo já em implementação um Percurso Pedestre de Pequena Rota que incide sobre esta temática de valorização dos moinhos de água em funcionamento que envolve práticas ancestrais do saber-fazer.

Já no dia 7 de Abril com a celebração do Dia Nacional dos Moinhos, no Município de Nelas vai ser potenciada a cultura imaterial em torno deste tema central que combate também a sazonalidade turística.

Por:Mun.Nelas

Comunidades Intermunicipais cumprem apesar de afastadas dos cidadãos

Investigação da Universidade de Aveiro

Seis anos depois da aprovação do estatuto das entidades intermunicipais, um estudo da Universidade de Aveiro (UA) sugere que as comunidades intermunicipais “cumpriram amplamente o seu objetivo” de aproximar municípios com vistas à resolução de problemas comuns. No entanto, por concretizar, estão as expectativas das comunidades intermunicipais que há seis anos julgavam quer iriam conseguir mais financiamentos do que aqueles que até agora conseguiram. Às comunidades intermunicipais falta ainda envolver outros atores regionais e cidadãos.

O estudo parte de um inquérito às comunidades intermunicipais do território continental, incluindo as Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, nas quais todos os 278 concelhos se encontram representados.

“As associações intermunicipais cumpriram amplamente o objetivo de estimular a aprendizagem mútua entre municípios e de permitir aos municípios obter ganhos de escala, isto é, os municípios passaram a cooperar para resolver problemas que ultrapassam as fronteiras dos municípios individuais”, aponta a investigadora Patrícia Silva, politóloga e investigadora do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território (DCSPT) e da  Unidade de Investigação Governança, Competitividade e Políticas Públicas (GOVCOOP) da UA.

A autora do trabalho, a par de Filipe Teles e Joana Ferreira, também da UA, diz que “esta capacidade de cooperar – e até a vontade expressa de alargar formas de cooperação intermunicipal a outras arenas – sugere sinais muito positivos”, sobretudo quando se pensa que “o contexto português foi durante muito tempo caracterizado por rivalidades entre os municípios, com escassa vontade de cooperar e que, em larga medida, a pertença às comunidades intermunicipais foi imposta aos municípios”.

 Exceções à regra

A única exceção a este cenário parece ser a perceção quanto à capacidade de as associações obterem fundos comunitários. Se, por um lado, descreve Patrícia Silva, “tal pode estar relacionado com as elevadas expectativas (e necessidade!) dos municípios relativamente à diversificação das fontes de financiamento para assegurar os projetos municipais e intermunicipais”, por outro lado “a obtenção de fundos depende muito da capacidade de interação com outros níveis de governação e, naturalmente, das oportunidades de financiamento”. Por isso, sublinha a investigadora, “não se trata de uma dimensão que dependa exclusivamente do compromisso dos municípios para com os projetos intermunicipais”.

A investigação chama ainda a atenção para as questões de legitimidade das comunidades intermunicipais que “é indireta, na medida em que os membros e, naturalmente, o presidente não são escolhidos diretamente pelos cidadãos”. Os eleitores escolhem ‘apenas’ os representantes dos municípios nas Eleições Autárquicas e são estes que estão representados na assembleia intermunicipal e no conselho executivo das Comunidades intermunicipais. Pelo menos parcialmente, aponta Patrícia Silva, “esta questão ajuda a explicar o pouco interesse dos cidadãos relativamente às atividades das Comunidades intermunicipais”.

A única exceção identificada é o caso das empresas da região que “têm revelado maior interesse pelas atividades das comunidades do que revelam pelas atividades dos seus municípios”.

Para além das questões de legitimidade que o estudo refere, “esta incapacidade de envolver outros atores pode limitar a capacidade das comunidades intermunicipais de mobilizar outros recursos e outras competências e capacidades que as regiões têm”. Além disso, “a capacidade de envolver e de obter consensos com outros atores (políticos, empresariais, da academia, etc.) também poderia ser uma forma de evitar a duplicação de funções e, muitas vezes, de estruturas”.

O trabalho do DCSPT da UA procurou analisar a capacidade de governação das comunidades intermunicipais, considerando  cinco dimensões específicas: âmbito de cooperação (motivos para a cooperação e áreas de intervenção); o compromisso dos municípios e o seu contributo para os objetivos da comunidade; a sua arquitetura (em termos de número de funcionários e financiamento), democracia (a forma como as comunidades se relacionam com os cidadãos e com outros atores regionais) e estabilidade  (considerando a perceção dos benefícios da cooperação, a capacidade de tomada de decisões e a vontade expressa dos municípios de alargar o âmbito de cooperação a outras áreas).

Por:Univ.Aveiro

1000 árvores autóctones plantadas em Gouveia

No passado domingo, decorreu a ação de reflorestação “Verde Puro”, promovida pelo Município de Gouveia e pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE), na zona do Mondeguinho (Nascente do Rio Mondego).

Contou com a colaboração do ICNF, I.P. (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas) e dos Baldios de Mangualde da Serra, tendo sido plantadas pelos voluntários  cerca de 1000 árvores autóctones.

Por:MG

GNR- Operação “A violência não é uma opção” – Resultados

A Guarda Nacional Republicana, entre os dias 10 e 15 de fevereiro, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário, realizou um conjunto de ações de sensibilização direcionadas para a população em geral, e às pessoas mais vulneráveis em particular, nomeadamente crianças, jovens e idosos, cujo objetivo foi alertar a comunidade para a necessidade de evitar comportamentos violentos.

A violência pode ser infligida de várias formas, desde a agressão física, psicológica, emocional e sexual, podendo mesmo considerar-se a negligência e o abandono como atos violentos de omissão de auxílio. As agressões físicas, os atos de vandalismo, o uso de armas, os furtos e os roubos encabeçam a lista de comportamentos que revelam maior preocupação.

No âmbito desta operação foram empenhados 860 militares e realizadas um total de 548 ações de sensibilização, onde a GNR privilegiou o contacto pessoal em residências, em espaços públicos e privados e, principalmente, junto da comunidade escolar, tendo abordado os seguintes temas:

·         Violência entre Pares;

·         Violência Doméstica;

·         Violência no Desporto;

·         Violência no Namoro;

·         Violência Contra Idosos.

Com estas ações de sensibilização, a GNR pretendeu transmitir uma mensagem de preocupação com este tipo de criminalidade e do comprometimento em contribuir para a erradicar ou minimizar, criando um clima de confiança e de empatia na população e aumentando o sentimento de segurança

JMV Fornos em segundo no Festival de Música da JMV

Recentemente realizou-se mais uma edição do Festival da Canção JMV. E assim 9 anos depois a JMV de Fornos de Algodres participou e o resultado não poderia ter sido melhor, um mais que merecido 2° lugar.

Desta vez, a Região Centro arrecadou os lugares e prémios de destaque neste evento musical.
No final os jovens fornenses mostravam-se satisfeitos pelo resultado alcançado.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar