Templates by BIGtheme NET
Home » Fornos de Algodres

Fornos de Algodres

Junta de Freguesia da Matança vai limpando os seus terrenos

As limpezas das florestas são muito necessárias e face a isso, muito se tem alertado para que os proprietários limpem os seus terrenos, sobretudo os que circundam as habitações.

Para dar um exemplo positivo, a Junta de Freguesia vai limpando todos os seus terrenos que lhes são pertença, conhecidos como “Baldios”,deixando um bom exemplo para que todos os moradores também o façam.

Para que não aconteça algo idêntico a 2017, todos devem procurar limpar o mais possível para que em caso de incêndio seja mais fácil a sua extinção.

Foto:JFM

Workshop sobre “Mindfulness e gestão de emoções no contexto do desemprego”

Decorreu o Workshop sobre “Mindfulness e gestão de emoções no contexto do desemprego”, na manhã desta terça-feira nas instalações do Centro Cultural Dr. António Menano em Fornos de Algodres, uma palestra da organização do CLDS 3G e da responsabilidade da Psicóloga, natural do concelho fornense, Dr.ª Carla Andrade. Em duas horas foi possível verificar que o trabalho constante na atenção plena – o Mindfulness – pode ser uma ferramenta importante na obtenção dos objetivos, tais como o alcance de um emprego e na gestão das emoções daí subjacentes.

Por:CLDS

Turismo Centro de Portugal vai estar na BTL 18

O Turismo Centro de Portugal vai ter o seu stand do Turismo Centro Portugal – Destino Convidado BTL 2018, na FIL, em Lisboa, de 28 fevereiro a 4 de março.
Durante os cinco dias em que dura a mais importante feira de turismo do país, o Turismo do Centro será protagonista de várias iniciativas, que decorrerão no seu stand. Além dos momentos de animação e de divulgação, a cargo das comunidades intermunicipais, empresas e instituições da região, permitimo-nos destacar as apresentações de projetos estruturantes, como são o “Portugal Outdoor Alliance” (dia 28/02); a estratégia de promoção da Região de Turismo EUROACE (dia 1/03); o Festival Internacional de Filmes ART&TUR 2018 (dia 1/03); o projeto Lugares Património Mundial (dia 2/03); ou o projeto CREATOUR (dia 2/03), entre outros. Destacamos também a assinatura do protocolo de colaboração entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional e o Turismo Centro de Portugal, no dia 1/03.

Assumirão igualmente grande importância, noutros espaços, a assinatura do protocolo TCP/APAVT “Turismo Centro de Portugal – Destino convidado APAVT 2018”, no stand da APAVT (dia 28/02); uma receção a hosted buyers, no BTL Village (dia 28/02); a apresentação da edição da revista “Up”, da TAP, de homenagem a Aveiro, no stand da TAP (dia 1/03); ou a iniciativa Meet Up Coimbra, no BTL Village (dia 1/03).

Pode descarregar a programação final e completa do stand do Turismo do Centro, que ocupa uma área nobre da Bolsa de Turismo de Lisboa, neste link:

Programação (em formato pdf)

Por:TC

Carlos Felipe Camelo novo Presidente da CIM Beiras e Serra da Estrela

Manuel Fonseca e Rui Ventura Vice-Presidentes

Após  a reunião da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, foi eleito novo elenco que vai presidir nos próximos dois anos a esta Comunidade.

Assim, Carlos Felipe Camelo, autarca de Seia , é o novo Presidente  deste organismo, terá como vice-presidentes, Manuel Fonseca, autarca de Fornos de Algodres e Rui Ventura, autarca de Pinhel.

Assim fazem parte desta comunidade 15 municípios desta região.

FPF- Resultados do Campeonato de Portugal-21ªjornada

 

Jornada 21

Gafanha- Sourense 3-1

Mortágua- Anadia  0-3

Sertanense- Águeda 0-0

Lusitano FCV- Marinhense 1-2

Águias do Moradal- Benfica C.Branco 4-1

Ferreira de Aves- Fornos de Algodres 2-1

AD Nogueirense- Marítimo B  2-0

U.Leiria- ARC Oleiros 2-0

Fonte:Zerozero

AFG-Soito e Casal de Cinza lideram taça distrital futsal

Disputou-se mais uma ronda na Taça distrital de futsal na AFGuarda, com  o Penaverdense a golear em Foz coa e o Casal de cinza suar para levar de vencida a turma da Mêda.

No Grupo B, o Soito lidera e venceu o CDC Pinheiro por oito bolas sem resposta, já o Vale Amoreira suou para derrotar as Lameirinhas.

Grupo A
Foz Côa 2-13 Penaverdense
GD Meda 5-6 Casal Cinza
Classificação:
1º Casal Cinza 15
2º Penaverdense 13
3º GD Meda 7
4º Foz Côa 0

Grupo B
Soito 8-0 Pinheiro
Lameirinhas 4-6 Vale Amoreira
Classificação:
1º Soito 13
2º Vale Amoreira 9
3º Lameirinhas 7
4º CDC Pinheiro 6

Prioridades das Freguesias em relação às limpezas das florestas

Assim aqui fica as freguesias com prioridade de primeira e segunda, no que toca à limpeza de florestas, nesta região, numa lista recentemente pelo JN.

Assim em Fornos de Algodres:1ªprioridade;Algodres, Matança, Casal Vasco, Figueiró da Granja, Muxagata e União Freg Cortiço e Vila Chã; 2ªprioridade-Infias e União Freg.Sobral Pichorro e Fuinhas.

Trancoso-1ªprioridade- Castanheira, Cogula, Guilheiro, Moreira de Rei, Palhais, Póvoa do Concelho, Reboleiro, Rio de Mel, Tamanhos, União das freguesias de Torre do Terrenho, Sebadelhe da Serra e Terrenho, União das freguesias de Trancoso (São Pedro e Santa Maria) e Souto Maior, União das freguesias de Vale do Seixo e Vila Garcia,União das freguesias de Vilares e Carnicães.

2ªprioridade- União das freguesias de Vila Franca das Naves e Fetal, Cótimos.

Aguiar da Beira-1ªprioridade;Cortiçada, Dornelas, Eirado,Forninhos, Pena Verde, Pinheiro,  União das freguesias de Aguiar da Beira e Coruche, União das freguesias de Sequeiros e Gradiz, União das freguesias de Souto de Aguiar da Beira e Valverde

 

 

 

Liturgia do 1ºdomingo da Quaresma, Ano B

Como acontece em todo o Ano Litúrgico, os textos evangélicos dos cinco domingos da Quaresma terão sempre como figura central a pessoa de Jesus. Neste domingo e no próximo, refletiremos sobre as tentações e a transfiguração, dois momentos marcantes da vida de Jesus. Nos outros três domingos, ser-nos-ão apresentados outros momentos, salientando Jesus como Messias e Salvador: a expulsão dos comerciantes do Templo; o Filho de Homem não veio para condenar o mundo, mas para o salvar; e a necessidade de morrer, como o grão de trigo, para dar fruto. É importante ter uma visão global das mensagens que estes textos evangélicos nos querem comunicar na sucessão dos domingos da Quaresma deste ano.
Na primeira leitura, do livro do Génesis, encontramos a narração da aliança de Deus com Noé, salvo das águas do dilúvio. Segundo as primeiras páginas da Bíblia, Deus criou tudo maravilhosamente, mas a humanidade foi infiel e pecou. Por isso, no início da narração do dilúvio, afirma-se que Deus viu que a maldade era grande sobre a Terra. E quando o ser humano se afasta de Deus, há “dilúvio”, ou seja, há desgraça. Pelo facto de Deus ser bondoso e misericordioso, renova a aliança com a família de Noé e deixa o arco-íris, como sinal desta renovação. O que significa o símbolo do arco-íris? Que Deus é amigo e salvador da humanidade, que o Céu está ligado à Terra e que Deus perdoa sempre e concede-nos novas oportunidades. Na segunda leitura, S. Pedro diz-nos que Cristo morreu para reconciliar a humanidade com Deus. Tal como Deus, no tempo de Noé, salvou os justos de morrer afogados, esperando com paciência, enquanto se construía a arca, assim também Cristo salva-nos através das águas do batismo. Uma é a água que destrói, outra é a água que salva. O batismo faz-nos participar da vida, da morte e da ressurreição de Cristo e abre-nos o caminho para uma vida nova.

18-02-2018

Como é tradicional no primeiro domingo da Quaresma, o texto do evangelho fala-nos das tentações que temos no decorrer da nossa vida e que também Jesus fez esta experiência na sua vida. Mas o texto deste ano, que é do evangelista Marcos, não descreve as três tentações clássicas, mas limita-se somente a afirmar que “o Espírito Santo impeliu Jesus para o deserto, onde esteve quarenta dias, e foi tentado por Satanás”. O deserto, como figura bíblica, tem um duplo significado. Por um lado, é o lugar para onde Deus leva o seu povo depois de o libertar da escravidão do Egipto e acompanha-o durante quarenta anos. Por outro lado, o deserto é também o lugar onde Deus põe à prova o seu povo que, tantas vezes, lhe foi infiel. Assim, Jesus é levado ao deserto para vencer as tentações que poderiam ser obstáculos para realizar a missão que Deus lhe confiou.
Hoje, como sempre, não é fácil ser cristão comprometido. Todos somos confrontados com muitas tentações e nem sempre somos fiéis. Todos os dias, pedimos a Deus que não nos deixe cair na tentação, mas somos fracos. Hoje, quais são as tentações que podem prejudicar a nossa vida e o nosso testemunho de cristãos? São três: o individualismo, a crise de identidade e o pouco entusiasmo. Hoje, existe um certo complexo de inferioridade que nos leva a relativizar ou a esconder a nossa identidade cristã e as nossas convicções; há uma perda de entusiasmo missionário, um cansaço, uma saturação e, sobretudo, uma falta de alegria evangelizadora. Hoje, como sentimos bem a tentação da insegurança, do desânimo e, por vezes, do desespero! É muito importante aceitar o convite de “fazer deserto” na nossa vida, ou seja, que cada um se encontre com Deus para caminhar com Ele para a terra prometida.
Como vencer as tentações? Não podemos fugir às tentações, temos de saber conviver com elas, ou seja, com as diversas formas de mal que hoje existem. A resposta está na última frase do texto do evangelho deste domingo. “Arrependei-vos e acreditai no Evangelho”. Faz a experiência de deserto na tua vida: reza, reflete interiormente na vida e na Palavra de Deus, faz silêncio interior, reconcilia-te com Deus e com os irmãos. Assim, iremos encontrar o remédio e as forças para vencer todas as tentações e celebrar dignamente o mistério desta Páscoa, para que possamos um dia passar à Páscoa eterna.

UPAB

AFGuarda- Sorteio dos 1/4 finais da Taça de Honra

Teve lugar na sede da AF Guarda, o sorteio dos quartos de final da Taça de Honra da AFGuarda , com  jogos interessantes.

Assim ficam quadros dos jogos  a decorrer em 4 de março  deste Torneio:

  • Gouveia- Aguiar da beira
  • Celoricenses-Sabugal
  • Mêda – Manteigas
  • G.Figueirense-S.Romão

 

Turismo evoluiu favoravelmente no Centro de Portugal

O ano de 2017 foi o melhor de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal. Os resultados preliminares, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), dão conta de um crescimento consolidado da região em todos os indicadores analisados; dormidas, hóspedes e proveitos da atividade.

De acordo com os dados do INE, entre janeiro e dezembro de 2017, registaram-se 5.654.683 dormidas no Centro de Portugal, o que representa um crescimento de 14,52% em relação ao total de 2016, que tinha sido de 4.937.900. Estes números, no entanto, pecam por defeito, uma vez que estes dados preliminares não incluem todos os alojamentos turísticos, deixando de fora o turismo de habitação, o turismo em espaço rural e o alojamento local – unidades que assumem um peso muito grande nas opções de quem visita esta região.

Para se perceber melhor o impacto destes alojamentos no Centro de Portugal, atente-se nas contas de 2016. Quando se juntaram as dormidas provenientes de turismo de habitação, turismo em espaço rural e alojamento local aos números do INE desse ano, obteve-se um total de cerca de 5,6 milhões. Desta forma, pode afirmar-se com segurança que, relativamente aos números de 2017, depois de somados os números dos alojamentos alternativos, o número de dormidas no Centro de Portugal terá ultrapassado largamente os 6 milhões.

Para se ter uma ideia mais clara do que representa este crescimento, veja-se os números do INE das dormidas no Centro de Portugal nos cinco anos anteriores: 2012 – 3,76 milhões; 2013 – 3,73 milhões; 2014 – 4,14 milhões; 2015 – 4,50 milhões; 2016 – 4,94 milhões.

Estes resultados enchem-nos de satisfação e de esperança num futuro dourado para o turismo no Centro de Portugal. Não é por acaso que esta região bateu todos os recordes de visitantes, dormidas e proveitos no ano em que mais foi atingida pela tragédia dos incêndios. Os empresários do turismo no Centro de Portugal são resilientes e, juntamente com as entidades públicas, têm conseguido dar a conhecer as potencialidades da região como destino, especialmente a nível internacional”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal e da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal.

“Esta é uma região que reúne as condições ideais para ser um destino atrativo, devido à sua grande diversidade de recursos turísticos e possibilidades de visita. É um território singular, único e ao mesmo tempo diversificado, capaz de atrair o turista mais curioso e exigente. Os diferentes atores do território sabem-no melhor do que ninguém. A região tem vindo a aumentar e a requalificar a sua oferta de alojamento, a aposta na promoção tem sido ganha, e os resultados estão à vista”, acrescenta.

Centro de Portugal cresceu o dobro da média nacional

Refira-se ainda que, em 2017, as dormidas no país aumentaram em média 7,35%. Ou seja, metade do crescimento registado no Centro de Portugal. Além do Centro de Portugal (+14,52%), o incremento de dormidas no ano passado foi também muito expressivo nos Açores (+15,80%) e Alentejo (+11,72%) e menor nas restantes regiões: Lisboa (+8,68%), Porto e Norte (+7,95%), Algarve (+5,33%) e Madeira (+1,90%). Isto significa, sem qualquer dúvida, que os visitantes estão a procurar cada vez mais as regiões menos presentes nos roteiros tradicionais: Centro, Alentejo e Açores.

O mercado internacional continua a ser o grande impulsionador do crescimento turístico do Centro de Portugal. No ano de 2017, segundo os dados preliminares do INE, as dormidas de estrangeiros aumentaram 29,5%, para 2.756.042 (tinham sido 2.128.259 em 2016). Comparativamente, a média nacional de crescimento de dormidas de estrangeiros foi de 8,6% em 2016. Os maiores aumentos de dormidas de não residentes aconteceram no Centro (+29,5%), Alentejo (+15,9%) e Açores (+13,8%).

A procura do Centro de Portugal por parte de cidadãos nacionais também continua a aumentar de forma sustentada, embora a um ritmo substancialmente inferior. Em 2017, segundo estes dados, registaram-se na região 2.898.641 dormidas de visitantes nacionais, mais 3,2% que em 2016.

Os restantes indicadores registados pelo INE são também muito positivos para o Centro de Portugal. É o caso do total de hóspedes, que entre 2016 e 2017 subiu 13,2%, para 3.197.488.

O notável crescimento nas dormidas e nos hóspedes reflete-se, naturalmente, de forma muito positiva nas receitas. Em 2017, registou-se um substancial desenvolvimento dos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, em comparação com 2016: os proveitos globais dispararam 19,4% e ultrapassaram os 272 milhões de euros. Assim como no rendimento médio por quarto disponível, que subiu 20,3% entre 2016 e 2017. Dados extremamente promissores, em especial para os empresários que investem no turismo da região!

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar