Templates by BIGtheme NET
Início » Fornos de Algodres (Pagina 30)

Fornos de Algodres

Dia do Trabalhador-1 de maio

1 de maio é o Dia do Trabalhador, data que tem origem a primeira manifestação de 500 mil trabalhadores nas ruas de Chicago, e numa greve geral em todos os Estados Unidos, em 1886.

Três anos depois, em 1891, o Congresso Operário Internacional convocou, em França, uma manifestação anual, em homenagem às lutas sindicais de Chicago. A primeira acabou com 10 mortos, em consequência da intervenção policial.

 Foram os factos históricos que transformaram o 1 de maio no Dia do Trabalhador. Até 1886, os trabalhadores jamais pensaram exigir os seus direitos, apenas trabalhavam.

Em Portugal, os trabalhadores assinalaram o 1.º de Maio logo em 1890, o primeiro ano da sua realização internacional. Mas as ações do Dia do Trabalhador limitavam-se inicialmente a alguns piqueniques de confraternização, com discursos pelo meio, e a algumas romagens aos cemitérios em homenagem aos operários e ativistas caídos na luta pelos seus direitos laborais.

Com as alterações qualitativas assumidas pelo sindicalismo português no fim da Monarquia, ao longo da I República transformou-se num sindicalismo reivindicativo, consolidado e ampliado. O 1.º de Maio adquiriu também características de ação de massas.

Até que, em 1919, após algumas das mais gloriosas lutas do sindicalismo e dos trabalhadores portugueses, foi conquistada e consagrada na lei a jornada de oito horas para os trabalhadores do comércio e da indústria.

Mesmo no Estado Novo, os portugueses souberam tornear os obstáculos do regime à expressão das liberdades. As greves e as manifestações realizadas em 1962, um ano após o início da guerra colonial em Angola, são provavelmente as mais relevantes e carregadas de simbolismo.

Nesse período, apesar das proibições e da repressão, houve manifestações dos pescadores, dos corticeiros, dos telefonistas, dos bancários, dos trabalhadores da Carris e da CUF. No dia 1 de Maio, em Lisboa, manifestaram-se 100 000 pessoas, no Porto 20 000 e em Setúbal, 5000.

Ficarão como marco indelével na história do operariado português, as revoltas dos assalariados agrícolas dos campos do Alentejo, com o grande impulso no 1.º de Maio de 62.

Mais de 200 mil operários agrícolas, que até então trabalhavam de sol a sol, participaram nas greves realizadas e impuseram aos agrários e ao governo de Salazar a jornada de oito horas de trabalho diário.

Claro que o 1.º de Maio mais extraordinário realizado até hoje, em Portugal, com direito a destaque certo na história, foi o que se realizou oito dias depois do 25 de Abril de 1974..

Por:PT-Euronews

Programa de Intervenção Preventiva do MTSSS (testes Covid-19) promovido pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

Em comunicado enviado, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social está a desenvolver o Programa
de Intervenção Preventiva em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas e Lares Residenciais, entretanto alargado ao Serviço de Apoio Domiciliário e às Unidades de Cuidados Continuados Integrados. O programa consiste na realização de testes com a metodologia RT-PCR para detetar o SARS-CoV-2, em articulação com o Ministério da
Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com o Ministério da Saúde e com o Ministério daCoesão Territorial.
No âmbito deste programa, que testa os funcionários das instituições, assim como os utentes que tenham sintomas, já foram realizados mais de 36.000 testes, em 1350 instituições com Respostas Sociais de ERPI (lar de idosos), Lar Residencial, Serviço de Apoio Domiciliário e Unidades de Cuidados Continuados Integrados.
O objetivo é conseguir testar, progressivamente, todas as instituições do continente, onde não haja foco de infeção e em que desenvolvam as respostas sociais referidas.
Este programa, que começou a 30 de março, conta, atualmente, com 18 parceiros, entre
Universidades, Institutos Politécnicos, hospitais e laboratórios, certificados pelo INSA e tem
uma capacidade diária contratualizada de 5000 testes.
A operacionalização do programa é concretizada em estreita articulação com as comunidades intermunicipais, as autoridades de saúde locais, os centros distritais do Instituto da Segurança Social, IP e com os Secretários de Estado que asseguram a coordenação regional do combate à pandemia.
Nos concelhos que integram a CIMBSE – Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, a realização dos testes teve início no passado dia 10 de abril e, até este momento, foram testados 1962 colaboradores, em 65 instituições, estando programada a realização de mais 2370 testes, em 110 instituições, nas próximas duas semanas.
Os profissionais das Respostas Sociais Creche e Centro de Atividades Ocupacionais serão, igualmente, testados, antes da reabertura das suas atividades.

Queijo de cabra curado(Queijaria Artesanal Serras do Mondego) recebe medalha de Ouro a nível Nacional

Teve lugar um concurso a nível nacional em Santarém, onde o CNEMA-Centro de Exposições e Mercados Agrícolas e a Qualifica/oriGIn Portugal elegeram  os melhores produtos tradicionais em Portugal  e  promoveram os diversos produtos nos  concursos.

Deste modo, a Queijaria Artesanal Serras do Mondego de Ana Patrícia Martins da Matança, Fornos de Algodres, foi contemplada com a Medalha de Ouro, na categoria de queijos curados tradicionais.

Desta forma, o Queijo Picante da Beira Baixa produzido pela Queijaria Lourenço, de Vila Velha de Rodão, ganhou o prémio Melhor dos Melhores no 10º Concurso Nacional de Queijos Curados Tradicionais Portugueses que o CNEMA realizou em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal .

Recorde-se que o objectivo principal do Concurso foi premiar, promover, valorizar e divulgar os genuínos Queijos Curados Tradicionais Portugueses, alguns deles já com Nomes Qualificados.

Assim no 10º Concurso Nacional de Queijos curados Tradicionais Portugueses  a Medalha de Ouro foi para o Queijo de cabra curado  das Serras do Mondego – Queijaria Artesanal de Ana Patrícia Perregil Martins.

Leite cru, sal e cardo. Sangue, suor e lágrimas assim se faz este produto agora galardoado a nível nacional.
Segundo a produtora Ana Patrícia Martins refere:“Ainda que indirectamente estes são, também, os ingredientes do nosso trabalho. O esforço e o empenho, a luta e as pequenas batalhas interiores, os sonhos e as metas traçadas são diariamente postos à prova, e nesta fase ainda mais. Mas, felizmente, são também recompensados. E que bem recompensados foram este ano! Não só pela medalha de ouro, mas, acima de tudo, pelos nossos clientes e amigos”. A produtora mostrou-se radiante dizendo:”Porque, não desfazendo o orgulho enorme que é receber uma medalha de ouro num concurso como este, são os pequenos elogios, os sorrisos, as partilhas, o apoio e os comentários daqueles com que nos relacionamos, próximos ou distantes, que fazem realmente valer a pena todo o trabalho que fazemos!
A eles o nosso obrigado. A eles dedicamos, também, este reconhecimento nacional. Por eles estamos aqui todos os dias, mesmo quando as forças já faltam. Sem eles não seríamos ouro, não seríamos bronze… não seríamos nós”.

 

Fumeiro D´Amaral (Fornos de Algodres)vence 4 medalhas a nível Nacional

Teve lugar um concurso a nível nacional em Santarém, onde o CNEMA-Centro de Exposições e Mercados Agrícolas  e a Qualifica/oriGIn Portugal  elegeram os melhores produtos tradicionais em Portugal ,  promovendo os diversos produtos nos  concursos.

Destacamos a empresa sediada em Fornos de Algodres,  Fumeiro D´Amaral com quatro medalhas(1 de ouro, 2 de prata e 1 de bronze.)Assim, no X Concurso Nacional de Ensacados Portugueses – Medalha de Ouro- Paio do Lombo;

X Concurso Nacional de Enchidos Portugueses- Medalha de Prata- Chouriça de Carne;

X Concurso  Nacional de Enchidos Portugueses- Medalha de Bronze- Morcela;

V Concurso  Nacional de Alheiras Portuguesas- Medalha de Prata- Urtigueira.

Deste modo deixamos aqui um testemunho de Fernanda Amaral, Proprietária do Fumeiro D´Amaral, depois desta conquista importante para o concelho fornense e para a região: “São estas coisas que nos fazem acreditar, lutar, trabalhar e AGRADECER! Agradecer pela força de cada dia, pelo apoio de todos os que nos querem bem, por todas as pessoas importantes que ELE colocou no nosso caminho. Agradecer a todos os nossos fornecedores, pois eles sabem como foi duro no início. Agradecer, acima de tudo, a todos os nossos clientes, pois sem eles tudo isto seria impossível. Agradecer os valores transmitidos pelos nossos antepassados que tanta saudade deixaram e que neste momento devem estar muito orgulhosos”.
 Com muita emoção e orgulho enaltece a produtora:”Estas 4 medalhas representam muitas horas, muitas noites, muitos fins de semana sem descanso mas, quando trabalhamos com amor, tudo vem em nossa direção.
Sei que não agradamos a toda a gente nem tal coisa pretendemos, queremos apenas continuar a fazer o que melhor sabemos, conseguimos e tanto gostamos.
Muito obrigado a todos os envo
lvidos nesta nossa ‘loucura”‘!

Deixamos agora uma resanha dos premiados em geral:

10º Concurso Nacional de Ensacados Tradicionais Portugueses Premiados 2020

O Paio da Pá produzido pela empresa Servipal, de Pernes, ganhou o prémio Melhor dos Melhores no 10º Concurso Nacional de Ensacados Tradicionais Portugueses que o CNEMA realizou em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal. Fumeiro D’Amaral Medalha de Ouro- Paio do Lombo

10º Concurso Nacional de Enchidos Tradicionais Portugueses

A Morcela de Arroz produzida pelo Fumeiro Tradicional da Região dos Templários, de Tomar, ganhou o prémio Melhor dos Melhores no 10º Concurso Nacional de Enchidos Tradicionais Portugueses.Fumeiro D’Amaral Medalha de Prata Chouriça de Carne, Fumeiro D’Amaral Medalha de Bronze Morcela

5º Concurso Nacional de Alheiras Tradicionais Portuguesas Premiados 2020

A “Alheira de Caça” produzida pelo Fumeiro Flor de Sal, de Carregal do Sal, obteve a distinção “Melhor dos Melhores” no 5º Concurso Nacional de Alheiras Tradicionais Portuguesas que o CNEMA realizou em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal – que assumiu a respetiva Direção – no passado dia 18 de fevereiro.

Fumeiro D’Amaral arrecadou a Medalha de Prata  Urtigueira

 

 

 

 

Covid-19-Município de Fornos de Algodres aprova 20 medidas de Apoio Social e Empresarial com programa “Fornos – Por Todos Nós

Face a situação de emergência de saúde pública devido à doença da COVID-19, o Município de Fornos de Algodres, liderado por Manuel Fonseca, aprovou nesta quarta-feira,dia 29 abril, em reunião de Câmara Extraordinária, por unanimidade, o regulamento que aprova 20 medidas de apoio social e empresarial.
O programa que teve parecer positivo do Fundo de Apoio Municipal (FAM), intitulado “Fornos – Por Todos Nós [COVID-19]”, tem um impacto financeiro de aproximadamente 250.000€ e contempla um conjunto de medidas extraordinárias em diversas matérias, visando a proteção dos munícipes, das famílias com alunos no Agrupamento de Escolas e das empresas com sede fiscal no concelho.
Este programa pretende abranger diversas áreas, tendo como principal objetivo assegurar os rendimentos das famílias, os postos de trabalho do concelho e a igualdade nas condições de acesso ao ensino. As 20 medidas são as seguintes:

1. Simplificar, alargar e reforçar do ponto de vista orçamental o Plano Municipal de Emergência Social, passando o mesmo a dar resposta às famílias, empresas e alunos do Agrupamento de Escolas;

2. Criar o Programa “Uma Escola para Todos” em que é atribuído a título de empréstimo, até 31 de julho de 2020, um equipamento portátil e um acesso de internet aos alunos do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, conforme lista rececionada via Agrupamento;

3. Criar o Programa de Apoio Alimentar aos Alunos do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres em que é atribuído, um apoio financeiro para as famílias suportarem as despesas com a alimentação dos alunos do 1.º, 2.º, 3.º e 4.º escalão do abono de família;

4. Isenção total das tarifas da Água, Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos para as IPSS e empresas do Concelho, nos meses de abril, maio e junho;

5. 50% de descontos nas tarifas da Água, Saneamento para todas as Juntas de Freguesia e Famílias do Concelho, nos meses de abril, maio e junho;

6. Suspensão dos cortes de fornecimento de água e autorização para pagamento em prestações até 6 meses;

7. Isenção total até dezembro de 2020 das taxas municipais: publicidade, esplanadas e similares, feiras e mercados;

8. Simplificar o Programa de Apoio aos Ovinicultores, disponibilizando as verbas até 15 de maio de 2020, sem necessidade de candidatura presencial;

9. Ajuda na comercialização aos produtores de Queijo de Ovelha Curado e Queijo Serra da Estrela, através da plataforma “O Bom Sabor da Serra” – www.obomsabordaserra.pt

10. Atribuir um apoio financeiro a todas as empresas com sede fiscal no concelho que estejam em layoff ou que tenham tido quebras superiores a 30% no volume de negócios em relação ao mês homólogo do ano anterior, por força do diploma que decretou o estado de emergência;

11. Suspender o pagamento das rendas até junho de 2020 aos residentes das habitações sociais do município;

12. Transferir 50% do valor total em orçamento para as Juntas de Freguesia, considerando a base de 2019;

13. Isenção do pagamento de rendas comerciais dos estabelecimentos municipais encerradas ou com quebras de volume de negócios superiores a 30% em relação ao mês homólogo do ano anterior, até 30 de junho de 2020;

14. Criação de uma bolsa de colaboradores para Apoio ao reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde – COVID-19;

15. Criar um Programa de Apoio à realização de testes COVID-19 de modo a cobrir as necessidades de realização de testes COVID-19, sempre que a comissão Municipal de Proteção Civil o considere pertinente;

16. Apoiar os órgãos de comunicação social locais, através da inserção de publicidade institucional até junho e 2020;

17. Transferir de imediato para os alunos beneficiários do Ensino Superior, a totalidade das verbas a que têm direito ao abrigo do programa de bolsas de estudo;

18. Transferir de verbas para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, com respostas sociais ativas, de modo a assegurar a sua sustentabilidade financeira, e a qualidade da resposta junto da população idosa;

19. Simplificar o programa de Apoio à Natalidade, através da transferência imediata dos montantes a que têm direito os beneficiários do programa que o tenham solicitado;

20. Antecipar a atribuição do subsídio à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres.

Com este pacote de medidas o Município pretende ajudar a reduzir os impactes negativos que a pandemia da COVID-19 trouxe ao nosso Concelho.

Campanha: Construa o seu Laço Azul

 

Uma vez que, grande parte da comunidade ainda está em confinamento obrigatório por causa da COVID-19, decorre uma campanha de sensibilização para a problemática em parceria com a CPCJ de Fornos de Algodres.
O Desafio consiste em construírem um Laço Azul, utilizando os materiais que entenderem até ao final do mês dia 30 de abril e o colocarem na sua janela ou varanda e que publiquem de seguida na página do Facebook do CLDS 4G  Servir Fornos de Algodres ou da CPCJ Fornos de Algodres.

Acidente de viação tira vida a professora do AE Fornos de Algodres

ACIDENTE PROVOCA UMA VÍTIMA MORTAL NA A25
Teve lugar na A 25, na manhã desta segunda feira, no troço Mangualde – Fornos, mais concretamente, junto ao nó para Fornos de Algodres, um acidente de viação, segundo as informações obtidas, foi uma mulher a vítima mortal deste acidente de viação, que resultou de um despiste.
A vítima mortal era da zona de S. Pedro do Sul, distrito de Viseu, professora no Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres . Os bombeiros tudo fizeram para tentar salvar a vítima em causa, mas acabou por não resistir.

Liturgia do 3º Domingo da Páscoa – Ano A

 

Os quatros evangelistas terminam os seus textos com um conjunto de narrações, habitualmente chamadas de “aparições”. O texto do evangelho deste Domingo é conhecido como a aparição de Jesus aos discípulos de Emaús, uma aldeia muito perto de Jerusalém, para onde se dirigiam estes dois discípulos que viveram a paixão e a morte de Jesus. Pedro, porém, diz: “Mas Deus ressuscitou-O, livrando-O dos laços da morte” (primeira leitura); “a nossa fé a nossa esperança estejam em Deus” (segunda leitura). Podemos fazer uma leitura catequética destes textos, tendo como base a própria celebração da Eucaristia.

Muitas vezes, a missa é vista como um acessório na vida do cristão. Tantas vezes, a assembleia reunida é mais espectadora do que participante. Há pessoas que vêm somente para cumprir o preceito. Porém, o texto do evangelho diz-nos que Jesus caminha connosco. Não é um acessório, não somos espectadores, caminhamos com Jesus pelo caminho da vida, feito de esperanças e de sofrimentos. É sugestiva a imagem do caminho. Toda a Igreja faz caminho com Jesus, apesar dos nossos olhos, devido ao cansaço e ao desânimo, não O reconhecerem. Mas caminhamos, porque só a sua presença e a sua companhia pode abrir-nos os olhos, reconhecendo-O na Eucaristia e nos pobres.

Na missa, as leituras bíblicas ocupam um lugar importante, apesar de algumas vezes não serem bem proclamadas e não se dar muita atenção quando são escutadas. Também podemos não estar preparados para conseguir captar o seu sentido. Há algumas pessoas que dizem que andamos a ler sempre o mesmo! Que podemos fazer para que a experiência dos discípulos de Emaús seja também a nossa? “Não ardia cá dentro o nosso coração, quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?”. Este texto recorda-nos como, no tempo de Neemias, o povo escutava com lágrimas nos olhos os textos da Escritura (Ne 8,9). E nós, como escutamos esta Palavra de Deus?

26-04-2020

Na missa, nunca faltam as oferendas do pão e do vinho, através das quais fazemos memória das palavras e dos gestos de Jesus na Última Ceia, na vigília da sua paixão e morte. A fracção do pão é o nome mais antigo da missa. Este gesto ainda o mantemos um pouco antes da comunhão. O texto de Lucas deste domingo diz-nos claramente: “E quando se pôs à mesa, tomou o pão, recitou a bênção, partiu-o e entregou-lho. Nesse momento abriram-se-lhe os olhos e reconheceram-no. Mas Ele desapareceu da sua presença”. Não são palavras mágicas, mas as palavras que nos convidam a abrir os olhos da fé e a reconhecer a presença do Ressuscitado entre nós.

Há que viver a vida, fazendo a experiência dos discípulos de Emaús: encontrar Jesus, fazer o caminho da vida com Ele, escutar a sua palavra até arder no nosso coração, partilhar a mesa. “Eles partiram imediatamente de regresso a Jerusalém”, onde professaram a fé no Ressuscitado: “Na verdade, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão”. Que Ele continue a dar-nos entusiasmo para a missão. Por isso, façamos, hoje, o pedido dos discípulos de Emaús: “Fica connosco, Senhor!”.

 

«Não vos esqueçais da hospitalidade» (Hb 13,1)

 

Dois dos discípulos caminhavam juntos. Eles não acreditavam, e, no entanto, falavam sobre o Senhor. De repente Este apareceu-lhes, mas sob uns traços que não lhes permitiam reconhecê-Lo. Convidam-no para partilhar da sua pousada, como é costume entre viajantes. Põem a mesa, apresentam os alimentos, e descobrem Deus, que não tinham ainda reconhecido na explicação das Escrituras, na fracção do pão. Não foi, portanto, ao escutarem os preceitos de Deus que foram iluminados, mas ao cumpri-los: «Não são os que ouvem a Lei que são justos diante de Deus, mas os que praticam a Lei é que serão justificados» (Rm 2,13). Se quisermos compreender o que ouvimos, apressemo-nos a pôr em prática o que conseguimos perceber. O Senhor não foi reconhecido enquanto falava; Ele dignou-Se manifestar-Se quando Lhe ofereceram de comer.

Ponhamos, pois, amor no exercício da hospitalidade, queridos irmãos; pratiquemos de coração a caridade. Diz Paulo sobre este assunto: «Que permaneça a caridade fraterna. Não vos esqueçais da hospitalidade, pois, graças a ela, alguns, sem o saberem, hospedaram anjos» (Hb 13,1; Gn 18,1ss). Também Pedro diz: «Exercei a hospitalidade uns para com os outros, sem queixas» (1Pd 4,9). E a própria Verdade nos declara: «Era peregrino e recolhestes-Me». «Sempre que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, a Mim mesmo o fizestes» (Mt 25,35.40). Apesar disto, somos tão preguiçosos diante da graça da hospitalidade! Avaliemos, irmãos, a grandeza desta virtude. Recebamos Cristo à nossa mesa, para que possamos ser recebidos no seu festim eterno. Demos agora a nossa hospitalidade a Cristo que no estrangeiro está, para que no dia do julgamento não sejamos como estrangeiros que Ele não sabe de onde vêm (Lc 13,25), mas sejamos irmãos que em seu Reino recebe. (São Gregório Magno, c. 540-604, papa, doutor da Igreja, Homilia 23)

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano A - Tempo Pascal - 3º Domingo da Páscoa II

Esgalhada Trail Team participou em evento solidário online a favor de Unidades hospitalares

Com a restrição por parte da Covid-19, o desporto ao ar livre está cancelado, mas um grupo de amigos decidiu organizar um evento a nível nacional on line denominado Kilómetros em casa.

Assim a adesão foi enorme por todo Portugal, dado que reverteu a favor do Hospital de S. João – Porto e Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa – Penafiel, a participação do atleta podia ser a correr, andar, remar , nadar ou pedalar, foi permitido usar  passadeiras, bicicletas, elípticas e remos para a realização da prova.
O objetivo foi que cada um fizesse o maior número kms  nas 4 horas de prova, no espaço confinado à  residência / casa. O valor de inscrição era um donativo.

Assim o Esgalhada Trail Team participou com oito atletas fazendo 80 kms de corrida no total , tendo iniciado às 8 h até às 12 h . Desta forma , foi uma participação muito positiva para a equipa de Fornos de Algodres , que ajudou numa causa nobre, em prol das Unidades hospitalares.

Em suma, participaram 2847 atletas que rendeu um donativo de 32301 euros, superando o objetivo que se propunham que era de 30 mil euros.

Uma iniciativa que as direções da Unidades hospitalares comtempladas vieram agradecer publicamente à organização e a todos os participantes nesta enorme manifestação de solidariedade.

Campanha de Promoção Online de Queijo dos Pequenos Produtores de Fornos de Algodres

3 Queijos de ovelha curados por apenas 39 euros em www.obomsabordaserra.pt

Face ao cancelamento da 41.ª Feira do Queijo Serra da Estrela, o Município de Fornos de Algodres integrou na sua plataforma online “O Bom Sabor da Serra”, todos os pequenos produtores de Queijo do Concelho de Fornos e Algodres.

Face a esta face difícil, a autarquia decidiu apoiar os pequenos produtores de queijo no escoamento deste produto, depois das grandes quebras de vendas devido ao cancelamento.

Em plena articulação com os pequenos produtores do Concelho, foi lançada na passada semana uma campanha promocional onde 3 Queijos de Ovelha Curado custam apenas 39€. O objetivo desta campanha é efetuar o escoamento de 500 queijos de ovelha curado. Com a campanha já em execução há uma semana, só já restam 250 Queijos, que se encontram em câmaras de cura.

Apela assim a autarquia, a todos aqueles que são apreciadores do melhor queijo do mundo, que apoiem os pequenos produtores com a aquisição destes produtos, a partir de casa, através da plataforma online, fazendo que a economia destes pequenos produtores continue a funcionar.

O Executivo Municipal de Fornos de Algodres, pretende com este mecanismo dar uma resposta célere para os problemas que a COVID-19 trouxe ao Concelho de Fornos de Algodres.

A promoção está disponível em www.obomsabordaserra.pt