Templates by BIGtheme NET
Home » Fornos de Algodres (page 5)

Fornos de Algodres

Resultados e Classificação do Campeonato Distrital 1ªDivisão AF Guarda 3ªjornada

 

Gouveia -Estrela Almeida-7-1

Vila Franca Naves-Soito-1-1

SC Celoricense -AD Fornos de Algodres-1-1

SC Mêda -Vila Cortez Mondego-1-0

Vila Nova Foz Côa -GD Trancoso-0-1

SC Vilar Formoso -Aguiar da Beira-2-1

Manteigas- Os Vilanovenses-3-0

 

Classificação: 1º- SC Mêda- 9

2º- GD Trancoso-9

3º-  Manteigas- 9

4º-Soito-7

5º-AD Fornos de Algodres-7

6º- Vila Cortez Mondego-6

7º-SC Vilar Formoso-3

8º- Gouveia- 3

9º- Aguiar da Beira- 3

10º- Vila Nova Foz Côa- 3

11º- SC Celoricense-1

12º- Vila Franca Naves-1

13º- Os Vilanovenses-0

14º-Estrela Almeida-0

GNR- Atividade operacional das últimas 12 horas

 

 A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sexta-feira e as 08h00 de hoje, sábado, que visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras, registando-se os seguintes dados operacionais:

 

  1. Detenções: 17 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • 12 por condução sob o efeito do álcool;
  • Um por condução sem habilitação legal;
  • Um por tráfico estupefacientes;
  • Um por posse ilegal de arma.

 

  1. Apreensões:
  • 28 doses de haxixe;
  • Oito doses de heroína.

 

  1. Trânsito:

Fiscalização: 484 infrações detetadas, destacando-se:

  • 121 por excesso de velocidade;
  • 48 por infrações relacionadas com tacógrafos;
  • 34 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 20 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 19 relacionadas com iluminação e sinalização;
  • 16 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;
  • 12 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • Nove por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

 

Sinistralidade: 32 acidentes registados, destacando-se:

  • 02 feridos graves;
  • 06 feridos leves.

Avisos e Liturgia do 29º Domingo Comum (Ano C)

a)      Nos Domingos anteriores, meditámos em questões muito importantes e fundamentais para as nossas comunidades paroquiais: a fé, a gratuidade e a gratidão. Hoje, temos um tema que se integra muito bem neste conjunto: a nossa oração. O que é rezar? Devemos pedir a Deus aquilo que Ele já sabe? Devemos só pedir a satisfação das nossas necessidades, como o fizeram os dez leprosos do pretérito domingo, ou reclamar justiça como a viúva deste Domingo? Porventura, a oração não deverá ser, como reflectimos nestes últimos Domingos, a expressão profunda da nossa fé, ou do nosso desejo de que o Reino de Deus se instaure definitivamente entre nós? Será que basta somente aceitar livre, grata e serenamente a vida e o amor que Deus nos concede? Apesar de tantas questões, tenhamos em conta o seguinte: a nossa oração é eficaz? Serve para alguma coisa? Alguém ouve as nossas orações? Será que sabemos o que devemos pedir na oração? Quantas vezes dirigimos a nossa prece a Deus somente com as nossas necessidades individuais, os nossos pequenos problemas? Quantas vezes as nossas orações não são mais que uma apresentação encoberta dos nossos egoísmos?

 

b)      A parábola deste Domingo centra-se na fé, na confiança e na persistência daquela viúva que espera convicta de que alcançará a justiça a que tinha direito. Este deve ser o sentido da nossa oração. Não precisamos de recordar a Deus o que Ele tem de fazer, mas confirmar a nossa fé e a nossa esperança de que o seu projecto (a sua justiça) se concretizará. Por isso, rezamos. Rezamos não para que Deus se recorde de nós, mas para que nós não esqueçamos o que Ele quer fazer através de nós. Por isso, não podemos ter uma visão “pobre” da oração, afirmando que rezar é somente pedir. Rezar é recordar. Por isso, devemos fazer “sempre” e “sem desanimar”. No evangelho deste domingo, Jesus une a oração à fé e questiona-se no fim do texto se no futuro haverá gente que reze: “quando voltar o Filho do homem, encontrará fé sobre a terra?

20-10-2019

c)       Mas, há algo muito importante a não esquecer. Hoje, como sempre, no evangelho, Jesus não apresenta Deus como um juiz sem dó nem piedade, mas como um Pai. Deus é o oposto do juiz que adia as decisões por preguiça e por negligência. Deus está sempre pronto para fazer justiça aos seus eleitos. Deus não é um juiz que procede, porque acredita na causa justa, mas porque deseja uma vida tranquila. A justiça de Deus não é a justiça limitada dos homens, mas é amor. Concluindo: Jesus convida-nos a viver por amor e não por justiça. O conselho de Jesus, expresso no evangelho deste domingo, é “orar sempre sem desanimar”.

 

d)      Às nossas comunidades cristãs que se reúnem ao Domingo para rezar na celebração da Eucaristia, é conveniente recordar a importância da oração em comunidade. Pode servir de exemplo a imagem de Moisés, na primeira leitura, despojando-a de toda a conotação bélica. Moisés, no cimo do monte, já não aguentava os braços levantados para Deus, devido ao cansaço e à idade. Aarão e Hur tiveram que lhe segurar as mãos. Se retirarmos o contexto da batalha ou se falarmos das imensas batalhas que temos com o nosso mundo (e não com alguém que queremos aniquilar), é uma bela imagem daquilo que poderemos fazer em comunidade, ou seja, ajudando-nos uns aos outros também ajudar-nos-emos nas nossas orações. Assim, não há uma verdadeira oração sem amor, sem os outros, sem a comunidade.

 

e)       Ao falarmos da oração, não podemos esquecer que deve ser acompanhada pelo testemunho da fé que todos somos convidados a dar nas nossas comunidades. A oração deve ser sempre acompanhada do nosso gesto solidário e comprometido.

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano C - Tempo Comum - 29º Domingo - Boletim Dominical

Fornos de Algodres: Sensibilização das crianças para cuidar do ambiente

Teve lugar recentemente uma ação de sensibilização ambiental nas Escolas Básicas do 1ºCiclo no concelho de Fornos de Algodres.

Deste modo,  o ano hidrológico teve início a 1 de outubro e termina a 30 de setembro, face a isso, Bruno Costa, vereador do Município de Fornos de Algodres deslocou-se às Escolas de Figueiró da Granja e Fornos de Algodres, para dar ênfase para a  importância que os alunos têm no dia- a- dia e a influência que exercem na família e amigos. A mudança de atitudes que se começam a constatar no  Concelho, tem por base a Educação Ambiental na Escola e no trabalho de todos os professores.

Para incentivar as  crianças a terem ainda melhores práticas ambientais, foi entregue um “kit ambiental” composto por: um EcoSaco; uma EcoGarrafa, um EcoJogo e três EcoAutocolantes.

AF Guarda- Resultados do Distrital Iniciados-Ronda 1

Teve lugar a ronda inicial do distrital de iniciados (Juniores C) da AF Guarda, com seguintes resultados:
Núcleo Desp. Social-Sc Vilar Formoso-2-1
SC Mêda-  Foz Côa-16-0
Seia Fc-UD Os Pinhelenses-4-1
AD Fornos Algodres- GD Trancoso-2-4
Sc Celoricense-Gcr Casal Cinza-3-5
Guarda Unida- ED Gouveia-2-2

Atividade turística no Centro de Portugal em crescimento

Agosto de 2019 foi o melhor mês de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal, tanto em número de dormidas e hóspedes, como nos proveitos hoteleiros. Números dados hoje a conhecer pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, relativos a agosto, mostram igualmente que a procura da região continua a crescer acima da média nacional.

No total de dormidas, o mês de agosto de 2019, em comparação com o mesmo mês de 2018, aumentou cerca de 3% no Centro de Portugal: verificaram-se 1.028.850 dormidas em agosto de 2018 e estas foram 1.060.101 no mesmo mês de 2019, num crescimento de 31.251 dormidas. Este aumento de 3% superou a média nacional, que subiu 2,6%.

A subida foi mais notória entre os visitantes nacionais, cujas dormidas cresceram 5,2%, para 608.904, entre agosto de 2018 e agosto de 2019. Uma demonstração de que o Centro de Portugal é um destino que reúne a preferência de cada vez mais residentes no nosso país. As dormidas com origem no estrangeiro estabilizaram: foram 451.197 em agosto de 2019, face a 450.102 no mesmo mês do ano passado.

No indicador do número de hóspedes, o Centro de Portugal cresceu 3,8%. Em agosto de 2018 tinham sido registados 519.899 hóspedes na região; em agosto de 2019 foram 539.611.

Outro indicador que merece grande destaque é o dos proveitos da atividade hoteleira. Estes subiram de 51,7 milhões para 54,4 milhões de euros (mais 5,2%) entre agosto de 2018 e agosto de 2019. São mais 2,7 milhões de euros que as unidades hoteleiras do Centro de Portugal ganharam no oitavo mês do ano.

Estes números, claramente positivos, consolidam a tendência dos últimos meses e anos: o destino Centro de Portugal é cada vez mais uma escolha preferencial ao longo de todo o ano.

                          Resultados acumulados de janeiro a agosto de 2019 são claramente positivos
Se consideramos o conjunto acumulado do ano, de janeiro a agosto de 2019, os números do Centro de Portugal são também muito positivos, deixando antever que este vai ser o melhor ano de sempre para o turismo na região.

Assim, entre janeiro e agosto, as dormidas aumentaram 4,7% em relação ao mesmo período do ano passado (enquanto a média nacional subiu 3,9%). Neste período, as dormidas dos visitantes nacionais na região subiram 6,5% e as dos estrangeiros cresceram 2,6%. O número de hóspedes progrediu 5,9% e os proveitos melhoraram 6,8%.

Parque infantil nasce na requalificação de Fornos Gare

Foi recentemente construído em Fornos Gare, um novo parque infantil, esta obra integrada na requalificação desta zona da vila de Fornos de Algodres, onde anteriormente já tinha sido requalificada a fonte , o tanque e Ecopontos muito úteis para esta comunidade.

Digamos que esta zona já foi um dos ex- libris da vila, pela muita população que ali morava e pelo comércio que esta zona detinha perto da Estação da CP.

Agora muitas requalificações são necessárias para esta zona da vila possa ganhar muita vida , uma vez que muitas casas degradadas se encontram por ali e os proprietários deviam olhar para esta zona com olhos mais futuristas e de desenvolvimento turístico.

Esta foi uma obra executada pela Freguesia de Fornos com o apoio do Município local.

Simulacro de queda de uma aeronave no limite dos concelhos de Fornos e Penalva

   Uma manhã agitada, no limite do concelho de Fornos de Algodres (Matança) e concelho de Penalva do Castelo (Antas), no passado dia 15 de outubro, com a realização de um simulacro de uma queda de uma aeronave.

Uma situação que apesar de ser um ensaio, envolveu a Força Aérea Portuguesa, Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres, Proteção Civil Municipal e GNR.

O objetivo deste simulacro consistia em testar o tempo que a Força Aérea demorava a localizar a aeronave, também o tempo de demora das forças de socorro, dado se tratar de um local de difícil acesso.

Posto isto, a Força Aérea pela via aérea teve um avião a localizar e a busca foi feita por meios terrestres pelos bombeiros, que procederam  ao chegar ao local à estabilização da vítima, e prestaram os cuidados necessários para a ocorrência.

Uma das vítimas em estado muito grave foi helitransportada a outra vítima grave foi transportada de ambulância, para o hospital.

Esta foi uma intervenção com balanço positivo, que serviu para colocar em alerta e em ação todos meios necessários para um acidente desta envergadura.

Esta iniciativa foi da responsabilidade da Força Aérea, juntamente com os Bombeiros e Proteção Civil Municipal de Fornos de Algodres.

 

João Fernandes (Jovi Team) já campeão e Marcelo Lopes (Team Lucrofusão) perto do título

Alguns anos depois a maior competição de trial 4×4 regressou ao distrito de Viseu. O Alto da Portela, em Leomil (Moimenta da Beira) presenteou os participantes na 5ª etapa do Campeonato Portugal de Trial 4×4 com os Calhaus do Demo – assim era conhecido antigamente este espaço – um monte agreste de dificuldades naturais e muito técnicas.

Cláudio Ferreira (Auto Higino) começou 2019 em grande com uma vitória em Valongo. Seguiram-se vários azares em Mação e Vila Nova de Famalicão. Em Bragança conseguiu a vitória na classe Super Proto, mas não em Absoluto. Em Moimenta da Beira venceu nas duas frentes e voltou a intrometer-se na luta pelo título.

Marcelo Lopes (Team Lucrofusão) continua a ficar muito perto da vitória em termos absolutos. A jogar em casa chegou a andar muito tempo na frente, mas deixou escapar a vitória maior. Ficou em primeiro lugar da Classe Proto, que agora lidera.

Em Extreme, Carlos Gomes (Team Rafael e Gomes) voltou às vitórias com mais 6 voltas do que o adversário direto Nuno Matos (Auto Bernardo Capitcho Team).

Na classe de Promoção João Fernandes (Jovi Team) entrou em pista a saber que precisava apenas de cumprir o tempo regulamentar para se sagrar campeão. Mal o piloto sabia, no arranque deste CPT4x4, que se ia sagrar campeão nacional em casa.

Mais um campeão encontrado. Na classe UTV/Buggy Carlos Martins e João Pinto (Reciclapeças) fizeram a festa em Moimenta da Beira.

Francisco Fonseca (Team Urbano&Urbano) foi o vencedor na classe Fun, com o excelente registo de 15 voltas à pista.

O CPT4x4 2019 termina, à semelhança do que é hábito, no concelho de Paredes. A 6.ª e derradeira etapa está marcada para 17 de Novembro.

Classe Absoluto

1.º Cláudio Ferreira – Crawler Mercedes – 22 voltas

2.º Marcelo Lopes – Toyota Land Cruiser 250 – 22 voltas

3.º António Henriques – Proto XS5 – 20 voltas

 

Classe Proto

1.º Marcelo Lopes – Toyota Land Cruiser 250 – 22 voltas

2.º António Henriques – Proto XS5 – 20 voltas

3.º Luís Bacelo – Nissan Patrol – 17 voltas

 

Classe Super Proto

1.º Cláudio Ferreira – Crawler Mercedes – 22 voltas

2.º Adriano Santos – Crawler BJ40 – 20 voltas

3.º Laurindo Mendonça – Jimny Proto Crawler – 14 voltas

 

Classe Extreme

1.º Carlos Gomes – Nissan Proto – 23 voltas

2.º Nuno Matos – Land Rover Defender 110 – 17 voltas

3.º Bruno Bastos – Nissan Patrol Y 60 – 14 voltas

 

Classe Promoção

1.º João Fernandes – Nissan Patrol – 12 voltas

 

Classe UTV/Buggy

1.º Carlos Martins – Bombardier Can-Am Maverick – 13 voltas

 

Classe Fun

1.º Francisco Fonseca – Nissan Patrol 260 – 15 voltas

2.º Emanuel Mendes – Nissan patrol – 13 voltas

3.º Tiago Costa – Nissan Patrol m –12 voltas

Foto:CPT4X4

 

GNR- Operação Floresta Segura 2019 – Ponto de situação

A Guarda Nacional Republicana (GNR) vem realizando, desde o dia 15 de janeiro e até ao dia 6 de dezembro, em todo o Território Nacional, a operação “Floresta Segura 2019”, através do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) e da Unidade de Emergência, Proteção e Socorro (UEPS), a qual integra várias fases, desde o planeamento e execução de ações de sensibilização e de fiscalização, no que diz respeito às faixas de gestão de combustível, até ao reforço de patrulhamento e vigilância, para prevenir comportamentos de risco, assim como detetar e combater incêndios rurais, com a finalidade degarantir a segurança das populações e do seu património e salvaguardar o tecido florestal nacional.

Desde o dia 15 de janeiro, até ao dia 10 de outubro, data em que terminou o período crítico do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios, a GNR já realizou cerca de 6 200 ações de sensibilização, alcançando mais de 122 mil pessoas, com o objetivo de alertar para a importância de um conjunto de procedimentos preventivos a adotar, nomeadamente, sobre o uso do fogo, a limpeza e remoção de matos e a manutenção das faixas de gestão de combustível. Estas ações privilegiaram o contacto pessoal, através de iniciativas em sala, dirigidas a autarcas, produtores florestais, comunidade escolar, agricultores, associações e população em geral.

A Guarda continuará a levar a cabo ações de rua e porta-a-porta, tendo já sido efetuadas, só este ano, cerca de 50 700 patrulhas e percorridos mais de 3,3 milhões quilómetros, com o empenhamento de militares do SEPNA, da UEPS e dos Postos Territoriais.

Relativamente à fiscalização, a mesma vem incidindo sobre as situações identificadas no levantamento efetuado numa primeira fase, tendo a GNR elaborado 6 337 autos de notícia por contraordenação, devido à falta de gestão de combustível (limpeza de terrenos), nos termos do art.º 15 do Decreto-lei n.º 124/2006, de 28 de junho. A acrescentar a estas infrações, a Guarda registou ainda 854 autos de notícia por contraordenação por incumprimentos das normas para a realização de queimas e queimadas, nos termos dos art.º 27 e 28, do mesmo diploma.

Desde o arranque da operação, até ao dia 10 de outubro, a GNR registou 6 014 crimes de incêndio florestal, tendo resultado na detenção de 54 pessoas e na identificação de outras 535.

Saliente-se, ainda, o facto de que 26 % dos primeiros e segundos alertas por incêndio terem sido dados pela Rede Nacional de Postos de Vigia da GNR, permitindo desta forma dar uma resposta mais célere e eficaz no combate aos incêndios.

A proteção de pessoas e bens, no âmbito dos incêndios rurais, vai continuar a assumir-se como uma das prioridades da GNR, sustentada numa atuação preventiva, com o envolvimento de toda a população e demais entidades públicas e privadas, facto que permitiu, em 2018, comparativamente com 2017, reduzir em 40% as ocorrências de incêndio e a área ardida em mais de 92%.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar