Templates by BIGtheme NET
Home » Celorico da Beira (page 74)

Celorico da Beira

Município de Celorico da Beira promove recolha de presentes de Natal

 

A
iniciativa decorre até ao dia 20 de dezembro com o objetivo de
proporcionar a todas as crianças do concelho um Natal “mais feliz e
sorridente”.
O
Município de Celorico da Beira está a realizar, até ao dia 20 de
dezembro, uma campanha de recolha de presentes, intitulada “Deixe um
Sorriso”/”Natal Solidário”/”Natal + Feliz”, com o objetivo de
proporcionar a todas as crianças do concelho um Natal “mais feliz e
sorridente”. Os interessados em participar apenas têm de entregar um
brinquedo, novo ou usado, no Gabinete de Ação Social da Câmara
Municipal, das 9 às 18 horas, de segunda a sexta-feira. “Os brinquedos
serão distribuídos pelas crianças mais carenciadas do concelho, que, de
outra forma, não terão a alegria de receber um brinquedo neste Natal”,
refere a autarquia de Celorico da Beira.

fonte:Lusa

REN leva gás natural a Gouveia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira

A REN – Redes Energéticas Nacionais
anunciou hoje que concluiu a primeira fase do terceiro gasoduto de
interligação entre Portugal e Espanha, que permitirá aos concelhos de
Gouveia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira o acesso ao gás natural.

Em causa está a primeira fase da terceira interligação a Espanha
(Zamora) do gasoduto que liga Mangualde, Celorico e Guarda, que
representa um investimento de cerca de 40 milhões de euros e que
“permite desde já o acesso ao gás natural por parte dos concelhos de
Gouveia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira”, refere a REN em
comunicado.

Ao mesmo tempo, este projeto “reforça a segurança do abastecimento do
país, ao fechar em anel os gasodutos Monforte – Guarda e Cantanhede –
Mangualde”, segundo a mesma fonte.

A segunda fase deste gasoduto, que passa por cinco concelhos e 23
freguesias, ligará a rede portuguesa à espanhola através de Zamora,
reforçando a integração de Portugal na rede transeuropeia de gás.

O presidente executivo da REN, Rui Cartaxo, afirma, citado no
comunicado, que a “terceira interligação a Espanha é uma etapa
importante da criação do mercado ibérico de gás natural”.

Como medida de compensação para a concretização deste projeto, a REN
plantou cerca de 28000 árvores (azinheiras, carvalhos e freixos), numa
área de 25 hectares, na zona do Parque Natural da Serra da Estrela,
entre outras ações.

Atualmente, Portugal tem duas portas de entrada de gás – o terminal de
Sines e o gasoduto que vai até Campo Maior, onde se faz a ligação a
Espanha e ao gasoduto Magrebe Europa.
fonte:Lusa

Festival das Sopas 2014-Uniao de Freguesias de Juncais, Vila Soeiro e Vila Ruiva vencedores

 a sopa vencedora

Neste passado domingo teve lugar na localidade de S.Paio, Gouveia, mais uma edição do festival das sopas e mais uma vez uma enchente de pessoas que anualmente vão assim participando , uns com barraquinhas outros a tentar vencer prémios com as respetivas sopas que vão a concurso para se habilitar a diversos prêmios, sob a presidência de júri do prestigiado Cozinheiro a nivel nacional Hernani Ermida que claro juntamente com a restante equipa de juri provaram todas as sopas para chegar a um consenso, onde estiveram a concurso 23 qualidades de sopa.

Este dia é de grande festa conta com bastante animação musical e claro conta com gentes oriundas de diversos concelhos : Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Manteigas e Seia, que
fazem parte da área de intervenção da ADRUSE – Associação de
Desenvolvimento Rural da Serra da Estrela, entidade promotora do evento, que mais uma vez esteve á altura , pois uma boa organização segundo se apurou perante os visitantes presentes.

imensa gente

A decisão do júri era complicada, mas o concelho de Fornos de algodres, mais uma vez a ver a sopa de aveludado de abóbora com norça e mimos de perdiz da agora Uniao de Freguesias de Juncais, Vila Soeiro e Vila Ruiva presenteada com a vitória.
Mas houve outros premios para outros escalões como mencionamos abaixo.
É já um evento que ano após ano se realiza nas instalações da Adega Cooperativa de S.Paio.

Por:Antonio Pacheco

uma grande festa

 GRANDE PRÉMIO – MELHOR SOPA DO FESTIVAL

Aveludado de Abóbora com Norça e Mimos de Perdiz
União das Freguesias de Juncais, Vila Ruiva e Vila Soeiro do Chão

1º ESCALÃO – SOPA DE CASTANHAS
1º Lugar – Sopa de S. Martinho
Maria Ascensão Marques Mendes Martinho
2º Lugar – Sopa de Castanhas com Fumeiro, Frutos Secos e Ervas Aromáticas da Serra da Estrela
Serviço de Emprego e Formação Profissional de Seia
3º Lugar – Sopa de Borrego com Castanhas
Rancho Folclórico de Gouveia

2º ESCALÃO – OUTRO TIPO DE SOPAS
1º Lugar – Sopa da Avó dos Vitor´s
Escola Superior de Turismo e Hotelaria – IPG
2º Lugar – Canja de Borrego à Confraria
Confraria do Borrego
3º Lugar – Sopa de Grão da Bisavó Conceição
Hugo Miguel da Silva Gomes

3º ESCALÃO – PROFISSIONAIS DE RESTAURAÇÃO
1º Lugar – Sopa de S. Martinho da Serra
O Páteo das Galinhas – Espaço Gastronómico da CSA da Beira
2º Lugar – Sopa de Galo com Míscaros
Restaurante Toca do Lagarto
3º Lugar – Sopa de Frango do Campo
Family Cantigas – Atividades Hoteleiras e Turísticas, Lda.

MELHOR DECORAÇÃO DE STAND
Sopa da Avó dos Vitor´s
Escola Superior de Turismo e Hotelaria – IPG

 

Vítor Pereira disponível para liderar CIM das Beiras e Serra da Estrela

 

Novo edil da Câmara da Covilhã deve ser candidato contra Álvaro Amaro (Guarda) e Paulo Fernandes (Fundão).

Antevê-se
uma disputa a três na corrida pela presidência da novel Comunidade
Intermunicipal (CIM) das Beiras e Serra da Estrela, entidade que vai
integrar 15 concelhos dos distritos da Guarda e de Castelo Branco.
Álvaro Amaro e Paulo Fernandes, autarcas da Guarda e do Fundão, já
tinham manifestado vontade de serem candidatos, mas Vítor Pereira, novo
presidente do município da Covilhã, também está disponível para liderar
aquele órgão. No final da primeira reunião do novo executivo
covilhanense, Vítor Pereira considerou que «estas questões não se
resolvem com afirmações públicas de candidatura», mas sim «em diálogo
profícuo com os parceiros da CIM», defendendo que a Covilhã, «sem
sobranceria e sem querer suscitar animosidade com quem quer que seja,
tem um papel fundamental em todo este processo, tem tido um papel
importante na Comurbeiras e vai tê-lo certamente» na nova CIM. Deste
modo, o autarca garantiu aos jornalistas que «obviamente» não descarta a
possibilidade de também ser candidato, o que considera um «desafio
aliciante e importante na perspetiva do desenvolvimento regional». O
edil confessa-se um «fervoroso adepto da cooperação intermunicipal», daí
que, uma vez eleito presidente da Câmara da Covilhã, dispõe agora da
«oportunidade de pôr em prática esse meu entendimento e penso que é
chegada a hora de dar corpo a essa vontade de cooperar com os nossos
municípios vizinhos e que integram a CIM das Beiras e Serra da Estrela».
De resto, o presidente da Câmara da Covilhã considera que o facto de
ser candidato não irá criar animosidade com o concelho do Fundão,
sustentando que a nova Comunidade tem «vários órgãos», dois
vice-presidentes e que seria «redutor banalizar a importância da
Comunidade à problemática da sede ou da presidência ou
vice-presidência». Para Vítor Pereira, «o mais importante é o que todos
nós, com lealdade e solidariedade, podemos fazer em termos de
cooperação, tendo sempre em vista a coesão territorial e o
desenvolvimento económico e social sustentado da região». O edil advoga
que esta deve ser a prioridade que «mais nos deve preocupar, mais do que
propriamente os cargos em si» e «estou certo que a problemática do
cargo será ultrapassada no âmbito deste espírito». A criação da CIM das
Beiras e Serra da Estrela foi aprovada em março deste ano quando a
Assembleia da República votou o novo mapa de organização territorial que
faz coincidir as CIM com as sub-regiões NUT III. Os 12 concelhos da
Comurbeiras unem-se assim aos três da Serra da Estrela para formar a CIM
das Beiras e Serra da Estrela, que passa a ser constituída pelos
municípios de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de
Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão Gouveia, Guarda, Manteigas,
Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso. A sua população rondará os 236
mil habitantes.
Covilhã quer organismo com «autonomia» no turismo
Após a reunião do executivo, Vítor
Pereira mostrou-se contra a extinção do Polo de Turismo da Serra da
Estrela e considerou que «o turismo deve ser concebido de uma forma mais
vasta e que não se defende a marca Serra da Estrela com uma
“delegaçãozinha” na Guarda». Recorde-se que no seu discurso de tomada de
posse, Álvaro Amaro, novo presidente da Câmara da Guarda, anunciou que a
cidade vai acolher uma delegação da Serra da Estrela da entidade
regional da Turismo do Centro. O autarca covilhanense realça que a
região de turismo mais antiga do país, com 57 anos, estava sediada na
cidade, defendendo que «devemos continuar a lutar no sentido de que essa
região se mantenha e estamos esperançados que no futuro regresse à
Covilhã e à região um polo, um organismo que tenha autonomia e que não
seja uma pequena “extensãozinha” da Turismo do Centro. Vítor Pereira
considera que se está a assistir à «”litoralização” do turismo» e que a
região «defende-se com um organismo que a valorize, que tenha autonomia e
que não seja um mero representante de uma forma muito diluída de um
organismo tão vasto e tão litoralizado que acolhe mais de 100
municípios». De resto, o edil critica a «lógica» de se fazer coincidir
as delegações com as capitais de distrito, «uma figura obsoleta,
anacrónica do ponto de vista jurídico-administrativo» e que «não é boa
ideia porque estão a relegar para segundo plano municípios como o da
Covilhã com a importância e a projeção que sempre teve no domínio do
turismo». O presidente do município teme que, à semelhança do que já
sucedeu com a ex-Região dos Templários, em Tomar, também os funcionários
do extinto Polo da Serra da Estrela venham a ser despedidos.

Manuel Fonseca,Presidente do municipio de Fornos de Algodres promete “todos os esforços” para manter tribunal

 

Manuel
Fonseca Presidente do municipio, prometeu hoje “envidar todos os esforços” para que o
tribunal local continue a funcionar e a servir a população do concelho.
“Vou
envidar todos os esforços para ver o que é possível fazer [para manter o
tribunal aberto]”, disse Manuel Fonseca à agência Lusa. O presidente da
autarquia de Fornos de Algodres reagiu com “repúdio” ao possível fecho
do tribunal, alegando que o concelho ficará “sem um serviço que neste
momento serve as populações”. A confirmar-se o fecho, será “mais um
serviço público que sai” do município localizado no interior do país,
apontou. A última proposta do Ministério da Justiça para a Reforma
Judiciária, a que a Lusa teve acesso na terça-feira, mantém a extinção
de quase meia centena de tribunais com algumas alterações dos concelhos
visados e a substituição por mais secções de proximidade. O documento
aponta para a extinção de 47 tribunais, menos dois do que a proposta
conhecida há um ano, um número que contempla os que encerram
definitivamente e aqueles que serão substituídos por secções de
proximidade. Comparando com a proposta anunciada há um ano, o número de
tribunais a encerrar passa de 26 para 22 e o número de secções de
proximidade aumenta de 23 para 25. No distrito da Guarda, está previsto o
encerramento dos tribunais de Fornos de Algodres e de Mêda. O autarca
de Fornos de Algodres disse hoje à Lusa que não compreende a decisão do
Governo em encerrar o tribunal local, por ocupar um edifício que foi
inaugurado em 1997. “É um edifício novo, tem todas as valências e todas
as condições para continuar a funcionar e isso não foi levado em
consideração pela tutela”, lamentou. Manuel Fonseca vaticina que o
encerramento do tribunal “vai ser mau” para o seu município, “tendo em
conta que a população que existe é idosa”, tem falta de recursos
económicos e a rede de transportes públicos para outros concelhos
“também não é famosa”. “Vamos reagir de imediato, no sentido de ver o
que se passa, porque as populações não podem ser tratadas da forma como,
neste momento, estão a ser tratadas [pelo poder central]”, assegurou.
Manuel Fonseca lembrou ainda que na década de 1930 os habitantes do
concelho opuseram-se à saída da sede da comarca para Celorico da Beira,
admitindo que possam agora voltar a protestar pela manutenção do
tribunal. “Tendo em conta o facto de eu ser presidente da Câmara,
estarei sempre ao lado da população na defesa daquilo que eu entendo que
não deve fechar”, concluiu.

PS/Guarda indignado com possivel fecho de 10 repartições de finanças no distrito da Guarda

PS/Guarda considera lamentável possível fecho de repartições de finanças

De acordo com o mapa da alegada reorganização dos serviços de
finanças, divulgado hoje pelo jornal Diário de Notícias, vão encerrar no
distrito da Guarda as repartições de Aguiar da Beira, Almeida, Celorico
da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Manteigas,
Mêda, Pinhel, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa.

A confirmar-se a notícia, ficam apenas em funcionamento as repartições de finanças de Guarda, Seia, Gouveia e Sabugal.
fonte:Lusa

Autarquias 13-Os novos presidentes camara no distrito da Guarda

Distrito da Guarda – Assim ficou resultado das eleições
 Meda- Anselmo Sousa – PS

Aguiar da Beira: Joaquim António Marques Bonifácio (INDEP)
Almeida: António Baptista Ribeiro (PSD/CDS)
Celorico da Beira: José Francisco Gomes Monteiro (PS)

Fig Castelo Rodrigo: Paulo José Gomes Langrouva (PS)
Fornos de Algodres: António Manuel Pina Fonseca (PS)
Gouveia: Luis Tadeu (PSD/CDS)
Guarda: Álvaro Amaro (PSD/CDS)
Manteigas: José Manuel Custódia Biscaia (PSD)
Mêda:
Pinhel: Rui Manuel Saraiva Ventura (PSD/CDS)
Sabugal: António dos Santos Robalo (PSD/CDS)
Seia: Carlos Filipe Camelo Miranda de Figueiredo (PS)
Trancoso: Almícar José Nunes Salvador (PS)
Vila Nova de Foz Coa: Gustavo de Sousa Duarte (PSD)

Totais finais em Celorico da Beira

vitória de José Monteiro–PS

2013
2009
% votos
eleitos
votos
% votos
eleitos
PS  52,50 %
3
2951
53,20 %
3
PSD 41,22 %
2
2317
21,27 %
1
CDU 1,39 %
78
0,64 %
PTP  0,66 %
37
Brancos 2,05 %
115
1,05 %
Nulos  2,19 %
123
1,72 %
Abstenção  35,06 %
16
30,49 %
fonte:expresso

Simpósio Internacional sobre as regiões Serranas da Hispânia Romana

Fonte: Guarda Digital

 

De
26 a 28 de Setembro, vai decorrer na Guarda e Linhares da Beira, o
Simpósio Internacional Sociedade, Cultura e Economia das Regiões
Serranas da Hispânia Romana.
Este
encontro irá contar com a participação de diversos investigadores,
portugueses e estrangeiros, visando promover a reflexão e o debate sobre
a problemática da Romanização das regiões de Montanha da Península
Ibérica nas suas diversas vertentes. O Simpósio pretende não só fomentar
o diálogo entre investigadores, mas também promover a divulgação da
informação mais atualizada resultante das investigações mais recentes
sobre a romanização em zonas de montanha e sobre o seu lugar no âmbito
mais geral da Romanização da Hispânia. O evento tem organização conjunta
entre a Universidade de Coimbra, o Centro de Estudos Ibéricos, a Câmara
Municipal da Guarda, a Câmara Municipal de Celorico da Beira, a Agência
para a Promoção da Guarda e a Associação de Desenvolvimento, Estudo e
Defesa do Património da Beira Interior.
fonte:A Guarda

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar