Templates by BIGtheme NET
Home » Trancoso (page 4)

Trancoso

Obras da estrada “Ramal de Guilheiro” em fase de conclusão

Com o decorrer dos tempos, as requalificações das estradas vão surgindo, um pouco pelo concelho de Trancoso, para que a segurança rodoviária seja maior, assim na estrada “Ramal de Guilheiro” , as obras de requalificação estão em fase de conclusão.

O custo total da empreitada que incluiu arranjo das bermas, colocação de tapete betuminoso e sinalização horizontal foi de 111.734,60 € (c/ IVA), sendo 91.970,90 € da responsabilidade da Câmara Municipal de Trancoso, cabendo à Câmara Municipal de Sernancelhe o valor remanescente de 19.763,70 €.

Realça-se aqui  a estreita colaboração das duas Autarquias vizinhas na realização conjunta deste investimento.

Foto:Mun.Trancoso

Novo projeto do Escape Livre estimula economia através do TT

As condicionantes da atualidade não permitem a realização das habituais aventuras com grandes grupos. Mas porque todos merecem uma pausa em natureza, é tempo para uma aventura com toda a segurança e exclusividade. Tempo de voltar a ser feliz. Tempo de conexão e de voltar a sentir a liberdade. Em julho e agosto, o Clube Escape Livre avança para uma novidade: aventuras de todo terreno turístico e lazer, com duração de dois dias, de cariz mais intimista e familiar e com limite de 18 pessoas por passeio. Está lançado o projeto “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres”. A apresentação do projeto decorreu esta manhã, no Museu do Côa.

A área de influência do Escape Livre estabelece-se desde a serra da Estrela ao Douro, passando pelas Aldeias Históricas, e será neste âmbito que esta nova ação será desenvolvida, embora por fases. O objetivo é voltar a proporcionar experiências e descobertas que foram travadas nos últimos meses pela pandemia por Covid-19. Cumprindo agora todas as medidas de segurança, higienização e distanciamento, o Clube Escape Livre oferece a oportunidade de voltar a desfrutar de todo património natural, paisagístico, histórico e cultural que a região da Guarda oferece.

Nesta fase piloto, o tema das gravuras do Côa foi o escolhido para proporcionar dois dias de descoberta, com um programa que parte do Longroiva Hotel & Termal SPA (onde também decorre o alojamento), e contempla os trilhos todo terreno, a visita à Adega e Quinta Vale d’Aldeia, e chegada à Canada do Inferno. Segue-se um percurso por caiaque, pelo leito tranquilo do rio Côa até ao núcleo de arte rupestre do Fariseu, e com observação da mais recente gravura encontrada, em abril, que se estima ser a maior do mundo dentro do seu género ao ar livre. O almoço com vista para o Douro no Museu do Côa e a visita à Quinta da Ervamoira completam o programa.

História, paisagem, vinhos e gastronomia podem, assim, ser descobertos por pequenos grupos de pessoas, preferencialmente famílias, cumprindo todas as regras em vigor no âmbito da atual pandemia, e para as quais também o setor da hotelaria e restauração está preparado.
Para além disso, tratam-se de eventos que, desenvolvidos maioritariamente ao ar livre ou dentro de cada viatura, permitem desfrutar de todas as características da região com toda a segurança e à-vontade.

A apresentação do projeto decorreu no Museu do Côa, um dos parceiros, e contou com a presença de Isabel Ferreira, Secretária de Estado da Valorização do Interior, em representação da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. Estiveram também presentes os presidentes
de Câmara da Mêda, Anselmo Sousa, e de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte.

Na ocasião, a governante realçou que “A valorização começa com os atores locais e com os autarcas que têm um papel muto importante nestes territórios e depois com todas as dinâmicas que se instalam no Interior”. Isabel Ferreira parabenizou os parceiros do projeto e afirmou que “O que temos aqui hoje com o Escape Livre configura os quatro eixos centrais do Programa de Valorização do Interior (do Governo), que começa precisamente com a valorização dos recursos endógenos”.

Bruno Navarro, presidente da Fundação Côa Parque, considera: “É um projeto que saudamos.
Em boa hora o Escape Livre teve esta ideia que adotámos imediatamente, porque ela está perfeitamente alinhada com a nossa estratégia para o território. Os nossos recursos endógenos são divulgados a partir desse projeto que desenvolvemos em parceria com o Clube Escape Livre e acho que está condenado ao sucesso, porque junta duas instituições, a Fundação Côa Parque com uma dimensão nacional e internacional, e o Escape Livre, com um histórico de colaboração e presença no território verdadeiramente notável e que nos dá todas as garantias que será um evento de altíssimo nível, e é isso que queremos oferecer aos nossos visitantes”.

Para Luis Celínio, presidente do Clube Escape Livre, “Depois destes meses de confinamento, uma vez encontrada a abertura legal que permite o regresso a alguma normalidade, as pessoas merecem voltar a sentir a sensação de liberdade e anseiam desfrutar de algumas alegrias e prazeres da vida, e este evento permite faze-lo com as atuais medidas de segurança sanitária. Na ótica da economia, é urgente voltar a apostar na divulgação da região, a dinamizar o turismo e reativar o mercado. Por isso, o Clube Escape Livre quer continuar a apostar no que melhor sabe fazer que é a organização de eventos que conduzam os aventureiros a estas experiências magníficas, com a garantia que são cumpridas todas as
normas exigidas pelas autoridades, e também pelo selo Clean &Safe, recebido recentemente do Turismo de Portugal.”

Os passeios “Nos Caminhos das Gravuras Rupestres” decorrem nos dias 20/21, 22/23 e 24/25 de julho, e nos dias 8/9, 10/11 e 12/13 de agosto. As inscrições são feitas através do email escapelivre@escapelivre.com, e consideradas por ordem de chegada. O preço por pessoa, em julho, é de 158€ | Crianças 4-10 anos – 74€ | Crianças 0-3 anos – grátis (em agosto, os valores são 165€ e 78€) e inclui alojamento, refeições e visitas.

A Finiclasse, concessionário Mercedes-Benz na Guarda e Viseu, associa-se com as suas viaturas Mercedes-Benz, a este projeto de retoma da economia local.

 

PSD solicita ao Governo apoios extraordinários para os agricultores

Em comunicado, o PSD solicita apoios para os agricultores devido à queda de granizo resultante da trovoada forte nas regiões do Norte e Centro do país arruinaram as culturas anuais e permanentes nos sectores da fruticultura e viticultura e, nalguns casos, comprometeram a produção agrícola em 2020 e nos anos seguintes.

Nesse sentido, os deputados do PSD acabam de entregar no Parlamento um projeto de resolução que recomenda ao Governo que “disponibilize apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola”.

Na iniciativa, o PSD sublinha que “este fenómeno climatérico veio agravar ainda mais as produções de prunóideas (ameixeiras, cerejeiras, pessegueiros, damasqueiros) em 2020, que já registavam quebras de produção (toneladas) face a média dos anos anteriores, e na cereja foi superior a 70%”. No caso das pomóideas (culturas de pomos, como maçãs, peras e nêsperas) e da vinha “sofreram igualmente prejuízos ao nível do fruto, embora não maturado, comprometendo as suas produções agrícolas nos meses de verão, bem como as explorações de frutos de baga (mirtilo)”.

O PSD lembra que o temporal de domingo “destruiu ainda as hortícolas em explorações pequenas e familiares, representando um problema grave na economia local e um risco para o território, mais exposto ao abandono, à falta de coesão territorial e à perda de biodiversidade ambiental”.

Recorde-se que o ano de 2020 tem sido também caraterizado por um conjunto de novos desafios com implicações no sector do agroalimentar, como “as alterações profundas que a pandemia, causada pela covid-19, provocou ao nível da oferta e procura de certos alimentos, a par de novas e exigentes condicionantes no sistema produtivo e na incerteza quanto ao investimento futuro”.

“Perante a gravidade das situações causadas pela destruição climatérica e as consequências futuras na economia das regiões, o grupo parlamentar do PSD considera que o Governo deve acompanhar e avaliar os melhores instrumentos financeiros e administrativos disponíveis para intervir, no sentido de minorar os impactos sociais e económicos a nível territorial e nacional. O PSD, defensor de um sistema de seguros agrícolas adequados às inúmeras produções e tipo de explorações, considera que os fenómenos climatéricos como este devem motivar a política pública a reforçar os instrumentos nacionais e comunitários (ao nível do PDR 2020 e do futuro QCA) que promovam a adesão ao sistema de seguros agrícolas e fundos mutualistas, tornando-os mais universais e consequentemente mais atrativos para os agentes”, referem.

No projeto de resolução, o PSD defende, além do apuramento exaustivo dos prejuízos causados pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro, a possibilidade de o Governo “criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie”.

Os deputados social-democratas propõem ainda medidas de caráter “fiscal”, nomeadamente a isenção de contribuições para a Segurança Social “durante um determinado período de tempo” para estes agricultores e a captação de “instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente adequados à realidade nacional” no âmbito das negociações da Política Agrícola Comum (PAC).

O PSD recomenda:

  1. Proceda de forma célere a um levantamento exaustivo dos prejuízos causado pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro do país, nas diversas produções agrícolas;
  2. Avalie e estude a possibilidade de declarar a situação de calamidade pública para as principais regiões afetadas pela tempestade e consequentemente mobilize os instrumentos necessários;
  3. Disponibilize um apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola e a apoiar a reposição do potencial produtivo, através dos atuais programas comunitários em vigor (PDR 2020), nomeadamente nas medidas 6.2.1. e 6.2.2. (prevenção de calamidade e catástrofes naturais e reposição do potencial produtivo);
  4. Pondere a possibilidade de criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie que tenham de repor o potencial produtivo;
  5. Avalie a possibilidade de isentar os produtores agrícolas afetados na totalidade do seu rendimento agrícola por esta intempérie de contribuições para a Segurança Social durante um determinado período de tempo;
  6. Defenda no âmbito das negociações da PAC instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente e adequados à realidade nacional.

Contentores subterrâneos requalificados no Município de Trancoso

Esta semana, já iniciaram os trabalhos de reparação/requalificação dos 12 contentores subterrâneos instalados na cidade de Trancoso,

Com a reabilitação dos referidos sistemas de deposição de resíduos, o Município de Trancoso tenta recuperar as características técnicas e estéticas dos equipamentos, aumentando desta forma a longevidade de uma eficiente utilização.
Durante o decorrer dos trabalhos, os utilizadores têm ao dispor contentores de superfície, o que permitirá manter a recolha de resíduos nos locais habituais.

Para uma melhoria das condições de salubridade e limpeza urbana, apelamos ao correto acondicionamento de resíduos, solicitando que sejam sempre colocados em sacos devidamente fechados.

Foto: Mun.Trancoso

AHRESP faz inquérito às empresas do alojamento turístico e da restauração e bebidas

A AHRESP realizou mais um Inquérito às empresas do alojamento turístico e da restauração e bebidas. O Inquérito decorreu entre 31 de maio e 3 de junho de 2020, tendo obtido 1.510 respostas válidas.

Aqui ficam as principais conclusões  no setor de Restauração e Bebidas:

-Reabertura- 36% das empresas de Restauração não reabriram a 18 de maio

-Faturação

  • 45% das empresas que reabriram têm registado uma faturação média abaixo dos 10%;
  • Quase 60% das empresas perspetivam faturar até 10.000€ em junho;
  • 36% das empresas ponderam avançar para insolvência
  • Lay-off
  • 21% das empresas ainda não tinham recebido o apoio da Segurança Social referente ao primeiro pedido de lay-off;
  • 62% das empresas não vão conseguir pagar salários em junho, se não tiverem apoio do lay-off no mês corrente.
  • -Salários e Emprego
  • 16% das empresas não conseguiram pagar salários em maio;
  • 18% do setor da restauração não vão conseguir manter os postos de trabalho até ao final do ano.
  • Apoios Financeiros
  • 33% das empresas que recorreram a financiamento e têm o processo aprovado, referiram ainda não ter o dinheiro disponível;
  • 28% das empresas não conseguiram aceder ao Programa ADAPTAR porque as candidaturas já estavam encerradas.

Principais conclusões – Alojamento Turístico:

  1. Reabertura
  • 70% do setor do alojamento encerrou por culpa da COVID-19.

 

  1. Faturação
  • Mais de 43% das empresas não conseguem perspetivar qualquer volume de faturação nos meses de junho a setembro;
  • 30% das empresas esperam uma taxa de ocupação máxima de 25% para os meses da época alta (julho a setembro);
  • 18% das empresas ponderam avançar para insolvência.
  1. Lay-off
  • 30% das empresas não tinham recebido o apoio da Segurança Social referente ao primeiro pedido de lay-off;
  • 50% das empresas do alojamento turístico que vão prorrogar o lay-off até junho não vão conseguir pagar salários neste mês se não tiverem apoio do lay-off.
  1. Salários e Emprego
  • 32% das empresas não conseguiram pagar salários em maio;
  • 14% do alojamento turístico não vão conseguir manter os postos de trabalho até ao final do ano.
  1. Apoios Financeiros
  • 35% das empresas que recorreram a financiamento e têm o processo aprovado ainda não têm o dinheiro disponível;
  • 18% do alojamento turístico não conseguiram aceder ao Programa ADAPTAR porque as candidaturas já estavam encerradas. Consulte o Site

Clean & Safe Restauração – O Turismo de Portugal, em parceria com a AHRESP, organizou um Programa de formação on-line do Selo “Clean & Safe” que tem neste momento três horários disponíveis entre os dias 4 e 5 e junho. O objetivo é contribuir para a implementação dos procedimentos que as empresas deverão assegurar para garantir que a sua atividade é realizada nas melhores condições de limpeza e higiene, gerando confiança nos colaboradores e nos clientes. Consulte o Site AHRESP.

 Clean & Safe Açores – A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da Direção Regional do Turismo, anunciou a abertura das inscrições para adesão ao selo “Clean & Safe Açores”, cuja atribuição tem por base o Manual de Boas Práticas COVID-19, disponibilizado por módulos temáticos, e que incorpora contributos dados pela AHRESP. Consulte o Site AHRESP.

 Portugal distinguido pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) – Portugal foi um dos primeiros cinco destinos turísticos a receber o “Selo de Segurança Global” do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), que reconhece destinos e empresas pelas medidas implementadas para proteger a saúde dos viajantes e colaboradores. Os restantes destinos turísticos com este selo atribuído foram a Arábia Saudita, Barcelona, Cancún, e Sevilha. Consulte o Site AHRESP.

 Turismo Centro de Portugal – O filme “A Vida é Agora”, inserido na campanha de promoção que a Turismo Centro de Portugal tem em curso, foi reconhecido como um dos melhores filmes a concurso no 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga”, que decorreu em Riga, capital da Letónia. O filme, produzido pela Slideshow para a Turismo Centro de Portugal, foi o grande vencedor na categoria ‘Destinos Turísticos – Região’. Consulte o Site AHRESP.

 

Livro de Reclamações físico – Os estabelecimentos voltam a ter de facultar ao cliente o livro de reclamações em formato físico e cumprir os prazos de envio do original da folha de reclamação, terminada que foi a suspensão destas obrigações. Consulte o Site AHRESP.

 

 

Medidas AHRESP

 Programa de Capitalização para Empresas do Canal HORECA – Face aos resultados obtidos pela AHRESP no inquérito lançado no dia 31 de maio para a Restauração, Bebidas e Alojamento Turístico, é urgente que sejam atendidas as medidas que foram apresentadas ao Governo no passado dia 18 de maio, intitulado Programa de Capitalização para Empresas do Canal HORECA. Com esse programa, procura-se obter a viabilidade das empresas e salvaguardar a manutenção dos postos de trabalho.

Salientam-se algumas das propostas:

  • Um novo regime de lay-off simplificado para a manutenção do emprego;
  • Aplicação da taxa reduzida de IVA para os Serviços de Alimentação e Bebidas (6% no Continente, 5% na Madeira, 4% nos Açores);
  • Isenção da TSU devida pelo empregador;
  • Redução das rendas não habitacionais.

Várias outras propostas podem ser consultadas no Site AHRESP.

 Reforço Urgente do “Programa ADAPTAR”- A AHRESP defende um reforço urgente do Programa ADAPTAR, que só está disponível para as regiões Centro, Alentejo e Algarve. Com a suspensão a 25 de maio das candidaturas ao ADAPTAR MICROEMPRESAS (a nível nacional) e ao ADAPTAR PME nas Regiões de Lisboa e Norte. Este apoio é da maior relevância para as nossas micro e PME, de modo a garantir a aquisição implementação das medidas adequadas para um funcionamento em segurança, como se exige. Consulte o Site AHRESP.

 

 

Artur Batista e Amadeu Poço na corrida à liderança da AF Guarda

Eleições na AF Guarda em julho

A Associação de Futebol da Guarda vai a votos , já no próximo mês de julho e para tal, desta vez segundo apuramos, existem dois candidatos para a liderança da instituição, Amadeu Poço e Artur Batista.

Assim , Amadeu Poço atual presidente, no cargo já há largos anos, quer continuar a liderar o seu projeto, por sua vez, Artur Batista, atual vice- presidente, foi  o secretário geral desta AF Guarda, mas segundo apurámos vai encabeçar uma equipa e um projeto de aposta na renovação com grandes melhoramentos do futebol distrital da Guarda.

Uma equipa muito jovem com elementos que têm provas dadas e outros mais velhos mas com um historial de grande orgulho para o distrito.

Assim , para já podemos avançar que , Artur Batista vai ser candidato à liderança da direção, levando consigo, alguns nomes sonantes do futebol distrital, para a Assembleia Geral, Carlos Gonçalves e no Conselho Disciplina, vai estar Jacinto Dias.

Depois para o conselho de arbitragem, Fábio Cardoso que tem feito ao longo dos anos um grande trabalho juntamente com todos os árbitros jovens, candidata-se  agora assumir a presidência , tendo a seu lado, um leque de jovens árbitros que terminaram a carreira , mas que querem continuar a desenvolver a arbitragem distrital, aqui honra seja feita a Fábio Cardoso, que nos últimos anos andou sempre no terreno ao lado dos árbitros.

Já Amadeu Poço aposta na direção em alguns elementos da atual direção e pelo que apuramos no Conselho de arbitragem o nome apontado para liderar é Daniel Soares que outros tempos andou em patamares de renome e inclusive passou pela arbitragem da Guarda, mas nos últimos tempos tem estado arredado da arbitragem.

Muito ainda por desvendar nesta corrida ao cadeirão da AF Guarda, alguns novidades vão surgir nos próximos dias também.

 

 

 

“A Vida é Agora” filme do Turismo Centro Portugal reconhecido em Riga

O filme “A Vida é Agora”, inserido na campanha de promoção que o Turismo Centro de Portugal tem atualmente em curso, acabou de ser reconhecido como um dos melhores filmes a concurso no 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga”, que decorreu em Riga, capital da Letónia. O filme, produzido pela Slideshow para o Turismo Centro de Portugal, foi o grande vencedor na categoria “Destinos Turísticos – Região”.

O novo filme foi apresentado, em estreia, numa televisão portuguesa e nas plataformas de comunicação do Turismo Centro de Portugal.

A mensagem de “A Vida é Agora” é de esperança e de renascimento. O mundo despertou em 2020 para uma nova realidade, imposta pela pandemia Covid-19. O filme pretende, de forma leve, original e divertida, assinalar o ressurgir de uma nova etapa da humanidade. Com otimismo, com alegria, com vontade, mas sobretudo, em segurança.

É também uma homenagem a todos os que foram os verdadeiros heróis nesta pandemia, num elogio à resiliência dos profissionais de saúde e de todos os portugueses – os que continuaram a trabalhar e aos que ficaram em casa –, num esforço comum para que fosse possível superar esta crise sanitária de contornos mundiais.

Ao mesmo tempo, recorrendo a metáforas e a muito simbolismo, o filme promove alguns dos principais ativos turísticos do Centro de Portugal.

Este é um filme diferente. A estreia estava inicialmente prevista para a Bolsa de Turismo de Lisboa 2020, que não se realizou, mas a verdade é que a mensagem de esperança e de otimismo que está na base do filme ganhou um alcance totalmente novo com a crise que enfrentamos. É um filme que nos mostra que a vida continua, apesar de todas as dificuldades, pelo que está perfeitamente alinhado com os tempos que vivemos, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

“Estamos orgulhosos da mensagem do filme e muito satisfeitos com este prémio que conquistou em Riga. Temos a certeza de que será a primeira de muitas distinções”, acrescenta.

“A Vida é Agora” é um novo momento da campanha de esperança lançada pelo Turismo Centro de Portugal no início da fase aguda da pandemia. Uma campanha que já resultou nos filmes “Haverá Tempo”, “Juntos Construímos o Futuro” (este realizado com contributos de viajantes na região) e “Chegou o Tempo”, entre outras iniciativas, e que tem como objetivo posicionar o Centro de Portugal como um destino seguro, a visitar no próximo verão.

O 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga” realizou-se este ano sem a participação física dos competidores, devido à situação internacional. Os vencedores, entre os 305 filmes a concurso, oriundos de 45 países, foram anunciados online, no site do certame.

Pode ver o filme “A Vida é Agora”, realizado por Simão Lopes e Tiago Cardoso, nesta ligação: https://youtu.be/j1J5Lif0Rmw.

Covid-19: Retrospetiva do consumo em tempos de pandemia, segundo a Nielsen

Terminou, no dia 4 de maio, o período de confinamento em Portugal. Entrando agora numa nova fase destes tempos tão particulares, a Nielsen desenvolveu, no seu relatório semanal, uma visão diferente e mais macro daquilo que têm sido as grandes tendências em tempos de COVID-19. Como se comportou o consumo FMCG em Portugal nas fases Pré-Covid (semanas 1 a 8), Armazenamento (semanas 9 a 11) e Quarentena (semanas 12 a 18)?

  • Bens de Grande Consumo cresceram com o impacto da COVID-19
  • Diferentes categorias dinamizam cada um dos períodos
  • Portugueses mostram capacidade de adaptação entre cada fase
  • Após o desconfinamento, portugueses armazenam e o consumo cresce 17%

Segundo a análise da Nielsen, e de uma forma geral, a pandemia COVID-19 veio trazer crescimento no setor dos Bens de Grande Consumo em Portugal. Houve nitidamente um período de Armazenamento, entre 24 de fevereiro e 15 de março, em que o mercado cresceu 31% sobre o período homólogo de 2019. Nas semanas de Quarentena, entre 16 de março e 3 de maio, o crescimento foi de 9%.

 

 

 

 

 

 

Enquanto no período pré-COVID todas as categorias cresciam sensivelmente ao mesmo ritmo, detetámos diferentes comportamentos nas etapas posteriores.

Armazenamento – A preparação da despensa dos portugueses

Durante a fase de Armazenamento, foram as categorias de Higiene Pessoal e do Lar (+37%) e de Alimentação (+35%) as que apresentaram maior dinamismo.

Em Higiene, o crescimento do papel higiénico, que mereceu mesmo algum destaque noticioso, não deixou dúvidas quanto à necessidade dos portugueses de se abastecerem previamente. Esta categoria cresceu 87% durante todo o período de Armazenamento. Destacam-se também, nesta fase, os Acessórios de Limpeza (+54%) e os Rolos, Guardanapos e Lenços (+54%).

No setor da Alimentação, destacam-se claramente os produtos de maior durabilidade, como é o caso das Conservas (+102%), dos Produtos Básicos (+89%) e dos Congelados (+44%).

No que diz respeito aos produtos Frescos, os portugueses não quiseram que faltassem produtos a que estão habituados à mesa, exemplo da Carne, do Peixe e das Frutas & Legumes, que, neste período de Armazenamento, cresceram, respetivamente, 30%, 26% e 18%.

As Bebidas Não-Alcoólicas (+16%) cresceram no período de Armazenamento (influenciadas pela preocupação em ter água em casa). Não há dúvida de que os portugueses prepararam a sua despensa no sentido de enfrentar as necessidades associadas à permanência em casa.

 

 

 

 

 

Quarentena – A tentativa de manter a normalidade possível

No período de Quarentena, com todo o consumo a ser realizado em casa, é na Alimentação que se verifica o maior dinamismo (+14%). As Bebidas Quentes, onde se inclui o Café, ocuparam um lugar de relevo desta fase, com um crescimento de 52%. Embora com menos destaque, continua a notar-se uma preocupação dos consumidores por manter a sua despensa recheada, com um dinamismo de 33% nos Produtos Básicos, de 29% nos Congelados e de 28% nas Conservas.

Quando ficam em casa, é evidente a preocupação dos consumidores com a limpeza (+62% em Acessórios de Limpeza) e com a embalagem e conservação de alimentos (+43% em produtos para este efeito). Por outro lado, com os portugueses confinados nas suas casas, notam-se decréscimos acentuados em categorias como Produtos Solares (-88%), Produtos para Calçado (-46%), Perfumes (-37%) e Maquilhagem (-29%).

Nos Frescos, a tendência é de quebra durante a Quarentena. Registaram-se, no entanto, crescimentos nas Frutas & Legumes (+10%) e no Talho (+6%). O Take Away & Cafetaria do retalho alimentar, que apresentava o maior dinamismo no período pré-COVID, inverteu a tendência na quarentena (-68%).

 

 

 

 

 

Diferentes tipologias de loja para necessidades distintas

Se é pelas lojas maiores que os portugueses optam no momento de armazenar, na vida em quarentena a proximidade ganha visibilidade, possibilitando deslocações mais próximas de casa e de menor duração.

 

 

 

 

 

 

Face à evolução do consumo desde que se começaram a sentir os efeitos desta pandemia, “é notória uma adaptação dos consumidores às distintas necessidades que esta nova realidade impôs nas suas vidas e rotinas. Os dados analisados pela Nielsen mostram uma tentativa de responder a novas exigências, quer no momento de assegurar uma despensa recheada que permitisse enfrentar o confinamento, quer na compra de produtos que tornassem mais fácil a permanência prolongada em casa”, explica Inês Pimentel, Client Consultant da Nielsen.

“A procura por diferentes tipologias de canais de retalho evidencia que o consumidor possui uma capacidade para ajustar os seus hábitos e adotar novas rotinas quando tal se revela indispensável. Lojas de maior e de menor dimensão adquirem um papel específico quando se trata de suprir determinadas necessidades e em distintas fases neste longo processo de confinamento e restrições.

As próximas semanas trarão, certamente, novidades. A possibilidade de voltar a uma rotina mais aproximada à realidade pré-COVID, com maior liberdade de movimentos, significará também mais liberdade para os consumidores realizarem as suas compras, e o fim de algumas exigências modificará o aspeto da sua cesta”, conclui.

 Após a quarentena, os portugueses armazenam e cresce o consumo

Terminado o período de Quarentena, a décima edição do Barómetro Covid-19 da Nielsen revela o impacto do novo Coronavírus no mercado dos Bens de Grande Consumo na semana 19 (4 a 10 de maio), marcada pelo início de uma nova fase: Viver uma Nova Normalidade.

No período em que se dá início ao processo de desconfinamento, com a reabertura do pequeno comércio, os produtos FMCG registaram um crescimento de 17% comparativamente à semana homóloga, totalizando 187 milhões de euros.

 

 

 

 

 

Nesta semana 19, os portugueses voltaram a armazenar e todas as categorias apresentaram crescimentos. Alimentação (20%), Bebidas (18%), Higiene Pessoal e do Lar (9%) e comida e acessórios para cães e gatos (6%) registaram incrementos de vendas comparativamente à semana homóloga.

 

PSD Guarda vai a votos a 27 de junho

Foi já divulgada a convocatória do ato eleitoral para a Mesa da Assembleia de Secção e Comissão Política de Secção da Guarda, do PSD.

O ato eleitoral encontra-se agendado para , sábado dia 27 de Junho entre as 11h e as 19h e terá lugar, como habitualmente, na sede do PSD da cidade mais alta.

As listas candidatas deverão ser entregues ao Presidente da Mesa da Assembleia de Secção até às 24h do terceiro dia anterior ao ato eleitoral.

Serra da Estrela, um destino em estado puro, visite-nos!!!!

Está em curso uma Campanha promocional turística dinamizada pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela , no sentido de atrair turistas a toda a comunidade. Este é o slogan que vai chegar a todos, por todo lado.

“Estamos prontos! Este Verão viaje para longe das filas, dos semáforos, das multidões. Este Verão aproveite o melhor que a natureza tem para lhe dar, sem ter que esperar pela sua vez. Com uma das zonas verdes mais vastas do país, a Serra da Estrela é um destino em estado puro, onde há lugar reservado para todos aqueles que nos queiram visitar”.

 Se estiver a organizar as suas férias ou fim de semana, planeie uma fuga da cidade, uma escapadinha romântica, uma viagem familiar à natureza, ou um encontro com a cultura, a Serra da Estrela é o lugar para se estar nesta época do ano.

Depois dos meses conturbados que se viveram, as férias precisam ser perfeitas. Chegou o tempo. Esta é a altura de descobrir a melhor e mais bonita paisagem portuguesa.

É na Serra da Estrela que pode encontrar a montanha mais alta de Portugal Continental. Marcada pela natureza, beleza paisagística, desníveis montanhosos, rotas, rios e vales glaciares, onde os 1993 metros de altitude nos colocam mais perto do céu, do paraíso possível na Terra.

E a serra não é só a serra. Nunca é. É a soma de todos os territórios que a rodeiam, sustentam e engrandecem, que permitem uma experiência inesquecível e completa, repleta de sensações e sabores, cultura e história, natureza e aventura, saúde e bem-estar no seu estado mais puro.

Aceda ao website: www.visiteserradaestrela.com, conheça os  roteiros e tenha acesso às promoções pois chegou o tempo de planear as suas férias cá dentro!

São muitos os motivos para visitar a Serra da Estrela: No  site pode escolher um dos Roteiros Sensações e Sabores, que o leva durante 3 dias pelos municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Celorico da Beira, Trancoso e Pinhel. Inicie a sua aventura, em Fornos de Algodres, a aprender a confecionar o pão de urtigas. Almoce em Folgosinho, onde pode degustar um magnífico cabrito assado no forno e contemplar a deslumbrante paisagem do vale médio do Mondego. No dia seguinte, explore a Aldeia Histórica de Linhares da Beira, com o seu esplendoroso castelo (monumento nacional), e passe pelo Solar do Queijo da Serra da Estrela para saborear o verdadeiro queijo. Termine o dia em Trancoso, a percorrer o Centro Histórico, que reúne um imponente conjunto de muralhas e um Castelo milenar. O terceiro dia é destinado a experienciar o magnífico vinho produzido pelas gentes de Pinhel.

Puro de Sensações e Sabores

A natureza, aliada ao melhor e mais puro que a terra nos dá, faz das Beiras e Serra da Estrela uma região que se distingue do país pela sua gastronomia. Que região se pode gabar de ter um pouco de tudo, com qualidade reconhecida? O pão e o azeite (no nosso site pode conhecer a Rota do Azeite – da azeitona ao líquido dourado que nos aquece a comida e o corpo) a amêndoa, a castanha, a cereja (o Verão é vermelho da cereja do Fundão), a maçã, o pêssego, o cabrito e o borrego assados, os enchidos, o queijo (chegou a hora de conhecer e provar os melhores DOP do mundo), o requeijão (que deve aliar a um bom doce de abóbora – um segredo que podemos deixar escapar) e os vinhos da Beira Interior, Dão e Douro.

Há uma iguaria para todos os gostos. E se quiser saber mais, existem diversos espaços museológicos e interpretativos, como é o caso do Museu do Pão, Queijo e Azeite, que permitem ir mais além na experiência de saborear.

 

Puro de Cultura e História

As históricas Aldeias de Portugal, Aldeias do Xisto, Aldeias de Montanha, Castelos, Espaços Museológicos e Culturais, Rede de Judiarias e Património material e imaterial de matriz cristã são parte de uma oferta rica em autenticidade, ruralidade, identidade e tradição.

Este Verão, pode aproveitar e fazer a Rota dos Castelos. Comece o itinerário pelas aldeias de Castelo Mendo e Castelo Bom, até parar na Aldeia Histórica de Almeida. Na saída, Castelo Rodrigo acompanha-o no seu caminho para visitar a aldeia cor de barro. Chega a Pinhel, perca-se ali, começando por Cidadelhe.

Não pode deixar de visitar a Sé Catedral da Guarda e a terra natal de Pedro Álvares Cabral. O navegador e explorador português que descobriu oficialmente o Brasil partiu verdadeiramente de Belmonte. A vila medieval, de herança judaica dos últimos judeus sefarditas em Portugal, está lá quase intacta para o receber.

Puro de Natureza e Aventura

Os recursos naturais e paisagísticos, como o Parque Natural da Serra da Estrela (onde tem 25 lagoas para uma paragem refrescante), a reserva Natural da Malcata, a paisagem protegida da Serra da Gardunha, o Parque Natural do Douro Internacional, o Parque Ecológico de Gouveia, um espaço interativo onde se sente a natureza, e onde se aprende a respeitar o ambiente.

Se procura algo mais relaxante, ou algo mais intenso, este é o sítio.

Por um lado, as experiências específicas de baixa intensidade física, que permitam contemplar, desfrutar e conhecer a natureza a as suas paisagens idílicas.

Por outro, é o destino certo para realizar atividade de desporto e aventura em contextos únicos de beleza natural e sustentabilidade. A diversidade e magnitude dos recursos naturais permitem à nossa região estar aqui nas quatro estações do ano à sua espera. São poucas as regiões que assim são! Aproveite. São muitos os roteiros que pode fazer.

Puro em Saúde e Bem Estar

As férias sempre serviram para recarregar baterias. A preocupação com a saúde e bem-estar tem vindo, no entanto, a aumentar. Adotar um estilo de vida saudável começa aqui.

Nas Beiras e Serra da Estrela encontra um vasto conjunto de SPAs – alguns deles ligados às estâncias Termais – de excelente qualidade, vocacionados para o relaxamento do corpo e da alma. O ambiente puro e de paz que aqui se vive, a tranquilidade sublime das nossas gentes e ambientes são o plano de fuga perfeito ao stress do quotidiano. Deixe-se encantar pelos SPAs do Fundão, Seia e Fornos de Algodres, as massagens e banhos quentes na Covilhã, as estâncias termais de Manteigas e Sabugal e os tratamentos relaxantes de Belmonte e Mêda.

Este território tem todas as condições para a prática do climatismo devido aos recursos naturais, a qualidade do ar e ambiente. A vida em estado puro proporcionando um microclima com propriedades curativas, benéficas e favoráveis à recuperação e melhoria de certas doenças e patologias.

Se é para descansar, considere um dos nossos Roteiro Saúde e Bem-estar nos concelhos da Covilhã, Manteigas e Fundão, durante 3 dias, disponível no site. Encontre o equilíbrio com uma experiência de yoga no Natura Glamping. Caminhe pelo Jardim Botânico de Montanha e revigore o corpo e espírito no SPA Termas de Manteigas.

Sentir e Viver a Serra da Estrela – um destino em estado puro – é trazido até si pela Comunidade Intermunicipal da Beiras e Serra da Estrela. Esta associação de âmbito territorial visa a realização de interesses comuns aos 15 municípios que nele estão integrados: Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Gouveia, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.

Ainda encontre promoções até 30% na reserva de alojamentos e restaurantes.

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar