Templates by BIGtheme NET
Home » Mangualde (page 10)

Mangualde

Groupe PSA de Mangualde retoma atividade brevemente

O Centro de Produção de Mangualde do Groupe PSA está pronto para retomar a
atividade, graças à implementação de medidas sanitárias reforçadas, partilhadas
com a Comissão de Trabalhadores.
O protocolo de medidas sanitárias reforçadas do Groupe PSA está totalmente
implementado no Centro de Produção de Mangualde e a sua implementação foi
auditada.
Este dispositivo, elaborado com o apoio dos Serviços Médicos, coloca a unidade de
Mangualde num nível muito elevado de proteção dos colaboradores no seu local de
trabalho, em conformidade com as normas estabelecidas.
Administração e Comissão de Trabalhadores validaram que todas as medidas
sanitárias internas previstas no protocolo estão já aplicadas.
A implementação do protocolo reforçado de medidas sanitárias permitirá a retoma da
atividade e contribui para assegurar a continuidade do Centro de Produção.
O relançamento da atividade será definido no contexto de diálogo social com a
representação dos trabalhadores, tendo em conta a evolução da situação comercial.

Desde o início da crise sanitária originada pelo Covid-19, a prioridade do Groupe PSA tem sido
proteger os seus colaboradores e preservar a sustentabilidade da empresa. Para proteger a
saúde dos seus colaboradores, o Groupe PSA e os seus serviços médicos centrais definiram
um protocolo de medidas sanitárias reforçadas. Durante o período em que suspendeu a
atividade, o Centro de Produção de Mangualde colocou em prática este protocolo, que foi
previamente partilhado com as autoridades regionais de Saúde e a Inspeção do Trabalho e
enriquecido com a contribuição dos elementos da Comissão de Trabalhadores, e submetido a
uma auditoria para avaliar a sua perfeita implementação.
Este protocolo engloba mais de 100 medidas que abrangem todas as atividades do Grupo, a
nível industrial, administrativo e de Investigação e Desenvolvimento. A título de exemplo, o
protocolo desenvolvido para as instalações industriais prevê o controlo de temperatura em
complemento da automonitorização de sintomas, aprovisionamento de equipamentos de
proteção individual (EPI) e Kits de proteção e higiene sanitária para colaboradores, motoristas
e visitantes essenciais, elaboração de plano de contingência partilhado com os representantes
dos trabalhadores, redefinição de fluxos internos, marcações no solo para manutenção de
distâncias de segurança, reforço dos perímetros de higiene, formação e conselhos essenciais
de higiene e saúde, constituição de sala de isolamento, formação de pilotos para
acompanhamento do protocolo de segurança e de saúde em cada área de produção e gestão
da fábrica, etc.
Após visitas de avaliação e verificação no terreno, foi validado e confirmado conjuntamente
entre a Direção, o Serviço de Prevenção e a Comissão de Trabalhadores que todas as
medidas definidas no protocolo estão já implementadas.

 

Biblioteca Municipal de Mangualde promove momentos de leitura em casa da comunidade

Projeto «Estamos contigo» volta a fazer chegar a cultura a casa dos mangualdenses.

As circunstâncias atuais de isolamento social devido ao Coronavírus, obrigaram a Biblioteca Municipal de Mangualde a encerrar as suas portas e a repensar os seus serviços, de forma a manter-se próxima dos seus utilizadores. Assim, no dia 24 de março, foi lançado o projeto “Estamos Contigo”, utilizando o Facebook para promover diversas atividades que vão desde momentos de leitura, horas do conto, sugestões de leitura, rubricas de História Local e desafios, entre outros, promovendo desta forma os seus diversos recursos.

Assim, e no âmbito deste projeto, a Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves continua esta política de proximidade e de luta contra o isolamento, começando a partir de hoje a efetuar empréstimo e entregas de livros ao domicílio a todos aqueles que, por motivos de confinamento social e impossibilidade de se deslocarem, não têm acesso à informação e aos documentos.

Os leitores da Biblioteca Municipal de Mangualde poderão fazer a requisição das obras pretendidas em sua casa, partindo da consulta do catálogo da Biblioteca Municipal disponível em https://catalogobmm.cmmangualde.pt/

A requisição das obras, no máximo de 4, deverá ser efetuada através do telefone 232 619 880 ou através do email biblioteca@cmmangualde.pt. O leitor deve informar: o nome da(s) obra(s) pretendida(s), nº de leitor/nome completo, contacto telefónico e morada completa onde os documentos devem ser entregues. Estes serão contactados posteriormente por um colaborador da Biblioteca para combinar o dia, hora e local da entrega dos documentos requisitados.

Para os não leitores, a Biblioteca solicita o envio por email dos dados necessários à sua inscrição: nome completo; nº CC; data nascimento; morada completa; contacto telefónico e de email. Após efetuada a inscrição poderão proceder à requisição das obras.

Todos os procedimentos deste processo cumprirão todas as regras de segurança que a situação impõe.

Estudo:Portugueses adaptam-se à vida com restrições

Na semana em que Portugal entra oficialmente na fase de mitigação do Covid-19 (transmissão comunitária do vírus) e no momento em que os Portugueses começam a viver com restrições, assistimos a um decréscimo nas vendas. A quarta edição do Barómetro semanal da Nielsen sobre o impacto da pandemia regista, para a semana 13 (23 a 29 de março de 2020), vendas na ordem dos 206 milhões de euros, uma quebra de 6% face ao período homólogo (menos 12,5 milhões de euros) e de 12% comparativamente à semana anterior.

Por oposição a esta diminuição, o e-Commerce continua a registar ganhos em termos de ocasiões de compra (+77%) e de captação de lares (+75%). Conduzidos pelo contexto atual, os consumidores parecem mais recetivos à facilidade e comodidade de realizarem as suas compras através de plataformas digitais.

O período em análise integra um salto no número de casos confirmados de infeção por Covid-19 em território nacional. Portugal entra assim na quinta das seis etapas identificadas pela Nielsen – #5 Vida com restrições.

Produtos alimentares crescem com permanência em casa

 Nesta semana 13, os Produtos Alimentares crescem, contrariando a quebra generalizada verificada no retalho alimentar. Os Frescos apresentam um decréscimo, mas este é inferior à média do total do mercado.

“O facto de os portugueses estarem agora confinados nas suas casas altera alguns dos seus hábitos e rotinas diárias. No caso da Alimentação, muitas das refeições passaram a ser confecionadas e consumidas em casa. Tomar o pequeno-almoço e o lanche em casa e fazer petiscos e sobremesas levou a um forte dinamismo de algumas categorias, que surgem agora no topo dos maiores crescimentos, como as Bebidas Quentes (+38%) e as Sobremesas/Doces (+30%)”, explica Marta Teotónio Pereira, Client Consultant Senior da Nielsen.

Os Portugueses parecem mais propícios a cozinhar em casa, algo que é também patente no facto de o retalho alimentar perder neste período mais de 70% em Take-Away/Cafetaria face à semana homóloga.

Entre os Frescos, apesar dos decréscimos em algumas categorias, há segmentos que evidenciam uma tendência contrária e que se destacam pelo forte crescimento devido a dois fatores: defender o sistema imunitário e cozinhar mais em casa.

Mantém-se também a preocupação com a higiene, saúde e limpeza do lar, registando-se crescimentos significativos em Acessórios de Limpeza (+44%), Limpeza do Lar (+20%), Cuidados de Saúde (+9%), entre outras categorias.

Neste contexto, as categorias com maiores quebras refletem bem que os Portugueses se mantêm em casa, entre as quais se destacam os Produtos Solares (-85%), os Produtos para Calçado (-52%) e os Perfumes (-51%).

“A evolução das categorias de FMCG não deixa dúvidas de que os portugueses se mantêm em casa e que se estão a adaptar à vida em quarentena, procurando já produtos que os fazem sentir melhor em casa. Será interessante acompanhar tendência das próximas semanas que, para além de continuar a refletir a vida em quarentena, dará indicações sobre a tendência da Páscoa em 2020.

Com as escolas fechadas, as férias da Páscoa são passadas em casa. No retalho alimentar, o crescimento das vendas da semana anterior à Páscoa (este ano é a semana 14) já reflete os preparativos dos festejos que, em Portugal, passa muito pela reunião da família alargada à volta da mesa.

Com o agravamento da limitação à circulação no período da Páscoa, este ano todos sabemos que foi diferente. Com alguns sinais de menos – menos reuniões familiares, menos saídas dos centros urbanos e menos ofertas – mas também com alguns sinais mais – mais mesas de Páscoa e mais refeições em casa”, comenta Marta Teotónio Pereira.

Por:Nielsen

Portal Quinhentista de Pinheiro de Tavares em destaque

A campanha «Mangualde, o nosso património!», que voltou a ser quinzenal, destaca nesta segunda quinzena de abril o Portal Quinhentista de Pinheiro de Tavares. Promovida pela autarquia, esta campanha tem como objetivo aproximar a população do património mangualdense do mais belo que existe no concelho.

 A aldeia de Pinheiro de Tavares, da freguesia de São João da Fresta, é rica em vestígios arqueológicos que são a evidência científica que aquele lugar foi, desde muito cedo, escolhido pelo homem para aí assentar modos e formas de vida. São inúmeras as pegadas da ocupação romana – várias lápides ainda ali existentes, reaproveitadas na construção das casas -, cerâmicas de origem romana, elementos arquitectónicos, mas, também, no aglomerado da localidade, podemos ver um vão de porta quinhentista, ou seja, do século XVI. De arestas chanfradas, quer nos umbrais quer na torça, a dimensão do portal é pequena. Não percebemos se a casa que hoje compreende o portal é a original – com as naturais e necessárias alterações e adaptações -, ou se o portal foi para ali, algures no tempo, transladado, vindo de outra casa vizinha, ou apenas destacado nalgum momento de remodelação da casa. Atesta, de qualquer das formas, uma permanência humana nestas paragens, ao longo do século XVI.

A ilação histórica mais interessante deste dado da arqueologia da arquitectura não é tanto dar solução à questão levantada, mas fundamentalmente concluir da continuidade de povoamento da localidade. Isto é, os vestígios romanos e o portal quinhentista deixam, de alguma forma, perceber a continuidade de povoamento naquelas paragens, com seguimento até aos dias de hoje, apesar do hiato de vestígios entre os dois períodos históricos (não por que não existam, mas tão só porque não os distinguimos ou não nos temos interessado por eles e, por isso, entram na categoria de “invisíveis”).

Terão sido a pastorícia de gado ovino e caprino e o fabrico secularmente artesanal de queijo as bases da economia, suficientemente fortes para ali fixarem pessoas ao longo da História. Ainda hoje, essas actividades são ali as mais evidentes.

Admitindo, então, em Pinheiro, um processo histórico de continuidade de povoamento, a realidade dos dias de hoje é a inevitável disrupção desse processo, bem como noutras vizinhas localidades das antigas Terras de Tavares. Dramática e irremediavelmente.

Coordenadas geográficas: 40º 37.947’N; 7º 34.043’O

António Tavares, Gabinete de Gestão e Programação do Património Cultural da CMM

 Com esta campanha todos ficam mais próximos do vasto esplendor patrimonial do nosso concelho. Nesse sentido, continua a ser colocada, nos meios digitais do município, a informação sobre o monumento/património apresentado.

Foram já vários os bens patrimoniais destacados por esta campanha nos últimos anos. A título de exemplo, Já foram destacados os Refrigerantes Condestável de Abrunhosa do Mato, os Bordados de Tibaldinho, a Casa dos Condes de Mangualde, a Fonte de Ricardina, vestígios arqueológicos ao tempo do Império Romano em Pinheiro de Tavares, a Capela de São Domingos de Ançada, a Carvalha, a Capela de Santo António em Mesquitela, a Fundação de Nossa Senhora da Saúde de Cunha Alta, os símbolos maçónicos e o Solar de Santa Eufémia. Mais recentemente, estiveram em destaque o Santuário de Santa Luzia, em Freixiosa; a Casa de Darei, na aldeia de Darei, freguesia de Mangualde, a Igreja Matriz de Várzea de Tavares, a Calçada Romana de Mourilhe; a Igreja de São Pedro de Cunha Alta; e a Capela de São Sebastião, em Santiago de Cassurrães, a Alminha de Tabosa, a Capela de São Domingos de Vila Mendo, o Pontão da Amieira, em Quintela de Azurara, o Depósito da Cruz da Mata e a “Senhora da Graça, ou do Alqueve – Fortaleza de Deus?”.

 

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios assinalado em Mangualde

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios é assinalado a 18 de abril, sendo que este ano o lema é “Património Partilhado – Culturas partilhadas, património partilhado, responsabilidade partilhada”. Assim, a Câmara Municipal de Mangualde, através do gabinete de Arqueologia e Gestão do Património Cultural, associa-se, como tem vindo anualmente a fazer, a estas comemorações.

Nesse sentido, a Câmara Municipal de Mangualde lança o desafio a todos os munícipes a enviarem uma fotografia de um bem do património cultural do concelho de Mangualde até 30 de abril. O bem é de escolha livre e tanto pode ser a igreja local de uma aldeia, como uma ponte de pedra sobre um ribeiro, ou uma paisagem excecional que necessite de ser preservada. Será aquilo que a pessoa entenda que é património.

A fotografia deve ser enviada até 30 de abril, com a identificação do bem, localização e autor da fotografia para o mail antonio.tavares@cmmangualde.pt

As fotografias serão depois partilhadas no Facebook e no site do Município, com possível exposição presencial após esta fase pandémica da Covid-19.

Mesmo estando em casa, todos podemos celebrar o nosso património.

 DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi instituído em 18 de abril de 1982 pelo ICOMOS e aprovado pela UNESCO no ano seguinte. A partir de então, esta data comemorativa tem vindo a oferecer a oportunidade de aumentar a consciência pública relativamente à diversidade do património e aos esforços necessários para o proteger e conservar, permitindo, ainda, chamar a atenção para a sua vulnerabilidade. Representando um momento anual de celebração da diversidade patrimonial, pretende-se que o dia 18 de abril funcione como um marco comemorativo do património nacional, mas que celebre, também, a solidariedade internacional em torno da salvaguarda e da valorização do património de todo o mundo.

 

 

FPF vai apoiar com 4,7 milhões de euros o futebol e futsal distrital

A FPF em comunicado revelou dar apoio às associações distritais, ao criar um fundo de apoio, assim reuniu-se com todas as associações, por teleconferência, para análise do impacto da pandemia COVID-19 no futebol sénior não-profissional.

No seguimento da mesma, a Direção da FPF vai dar às associações e aos clubes de futebol e futsal das competições nacionais não-profissionais de seniores masculinos e femininos, no valor de 4,7 milhões de euros.

As regras de acesso ao fundo serão conhecidas em breve e o objetivo da iniciativa é garantir que os clubes cumprem com os compromissos estabelecidos para esta época com jogadores e treinadores.

A FPF reforçará também a sua participação no Fundo de Garantia Salarial e manterá com o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol e a Associação Nacional de Treinadores de Futebol monitorização permanente da situação dos jogadores que competem nas provas nacionais não-profissionais seniores e dos treinadores que exercem atividade nestas competições.

Assim Fernando Gomes, Presidente da FPF, explicou o alcance da medida em declarações ao fpf.pt: “Desde o início da pandemia que temos procurado ajudar quer a sociedade civil quer a família do futebol. Tendo como primeira prioridade a saúde e a segurança, sabemos que temos o dever e a obrigação estatutárias de ajudar as nossas associações e clubes a encontrarem soluções financeiras para estes tempos tão complicados. Decidimos assim, após um diálogo construtivo com os sócios da FPF, acrescentar ao milhão de euros disponibilizado anteriormente um novo fundo, de 4,7 milhões de euros, para auxiliar associações e clubes. Fazemo-lo com a clara consciência de que não resolveremos todos os problemas que enfrentamos, mas também dando um claro sinal de que esta é uma batalha que travaremos em conjunto e de que é urgente cumprir os compromissos com treinadores e jogadores.”

Por sua vez, Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores, congratula-se com esta intervenção social da FPF e assinala: “O Campeonato de Portugal é uma competição que tem vivido acima das suas possibilidades. Há muita precariedade e desresponsabilização. A decisão do cancelamento da competição era inevitável. O que pedimos ao Presidente da Federação é que não deixasse ninguém à sua sorte, dependente dos dirigentes e da situação económica dos clubes, que em muitos casos, é muito grave. A prioridade devem ser os jogadores, as equipas técnicas e os funcionários.”

O José Pereira, presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, aplaudiu a iniciativa da FPF, assinalando tratar-se de “uma diligência que se encaixa no pacote de medidas que a Federação tem vindo a implementar para fazer face às dificuldades que decorrem da situação em que vivemos. A FPF está atenta aos problemas que têm surgido e procura soluções para os resolver, ou pelo menos, atenuar. Este fundo salvaguarda alguns clubes, que terão mais dificuldades em cumprir as suas obrigações, e assim sendo, salvaguarda também todos os seus funcionários, incluindo treinadores”.

Este fundo de apoio agora criado sucede à linha de crédito de 1 milhão de euros que a FPF abriu a 19 de março, também destinada aos clubes não profissionais de futebol e de futsal.

A FPF também já tinha tomado a medida de suspender as custas e multas dos processos disciplinares para aliviar a tesouraria dos clubes nesta situação de emergência provocada pela pandemia COVID-19.

fonte:FPF

MAI- PSP eGNR continuam na sensibilização, vigilância e fiscalização junto da comunidade

Foram detidas 74 pessoas por crime de desobediência, das quais 21 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 32 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, 9 por desobediência ao encerramento de estabelecimentos, 1 por resistência e 11 por violação da cerca sanitária de Ovar.
No mesmo período, foram encerrados 248 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.
Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 2 de abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.
O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da COVID-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo Estado de Emergência.

AF Guarda- Competições distritais seniores concluídas

Em comunicado, a AF Guarda informou a conclusão de todas as provas distritais seniores, a exemplo do que a FPF fez nos Nacionais.

Face a isso,  não serão atribuídos campeões ou vencedores das provas, sendo que no Campeonato da Primeira Divisão Distrital de Futebol também não haverá descidas.

Informa também que entende que continuam a não estar reunidas as condições de saúde pública para que os clubes possam treinar e competir em segurança. Por outro lado, vigora em Portugal o Estado de Emergência, pelo menos, até ao dia 17 de abril, sendo possível a sua prorrogação, sendo imprevisível antever quando e se tais condições de saúde pública estarão reunidas ainda durante esta época desportiva.

Acrescenta ainda que a principal preocupação é saúde dos  praticantes e da restante família.

Pode ler-se também que,o  “principal objetivo das suas provas e campeonatos, será sempre a promoção da prática desportiva e a formação cívica dos nossos praticantes, num contexto desportivo e de valorização do trabalho de equipa”. Assim, entende a Associação que “é necessário acabar com a ansiedade e permitir, a todos que possam, programarem a sua vida mais próxima e futura, onde se inclui a desportiva”. Nesse  sentido a AF Guarda tomou a medida de cancelar, com efeitos imediatos, toda a competição Distrital ainda não concluída, relativa à época desportiva 2019/2020, sem haver lugar a subidas e descidas e sem designação de campeões.

A FPF continuará a estudar com as associações distritais e regionais os moldes em que decorrerão as competições nacionais não-profissionais na época 2020/21. Sob o ponto de vista económico, a AF Guarda, igualmente, está a diligenciar junto da FPF no sentido de angariar eventuais apoios financeiros para a época desportiva 2020/2021, tendo em conta a difícil realidade económica, que se perspetiva pouco favorável para todos.

Fonte:AFG

 

Doentes devem ir às consultas e tratamentos urgentes alerta a secção Centro da Ordem dos Médicos

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos faz um apelo para que ninguém deixe de recorrer aos cuidados de saúde, recomendando aos doentes com doenças crónicas ou casos súbitos e complexos para que continuem a ir às consultas e aos tratamentos médicos.

O apelo surge na sequência dos receios que a população enfrenta face à Covid-19 mas o presidente da Secção Regional do Centro ressalta que nas unidades de saúde, quer nos cuidados de saúde primários quer nas unidades hospitalares, existem circuitos bem organizados para atender os doentes sem sintomatologia Covid-19. “A vida de um doente com a Covid-19 tem o mesmo valor que a vida de um doente sem a Covid-19. Em caso de doença, não podemos recear. Temos de procurar respostas quando estivermos doentes”, diz Carlos Cortes.

O especialista faz este alerta para quem está debilitado e com algum tipo de restrição para que recorra à linha SNS 24 (808 24 24 24), de modo a que se encontrem as melhores respostas clínicas. Sublinha ainda que ninguém deve evitar de recorrer às urgências em caso de situação grave.

Outros apelos: Um deles é dirigido também às grávidas, para quem a vigilância de rotina (que inclui a ida às consultas, a realização de ecografias, a realização de análises e outros exames) é fundamental.

Há muitas situações em que não se deve evitar de ir ou adiar tratamentos”, refere Carlos Cortes, “designadamente as doenças do foro cardiovascular e oncológico”, alertando para o perigo de poderem vir a existir muitas mortes devido ao adiamento e cancelamento de consultas e outros atos médicos.

“Temos de evitar que o pós Covid-19 seja dramático. Há vidas para salvar por causa desta infeção pandémica, mas há outras a salvar com inúmeras patologias, como os doentes oncológicos ou os transplantados”, alerta Carlos Cortes.

 

 

 

GNR atenta à proteção das vítimas mais vulneráveis

No contexto atual de pandemia COVID-19, e em complemento de todas as ações que vêm sendo desencadeadas por todo o seu dispositivo, no sentido de garantir o cumprimento das normas decretadas pelo Estado de Emergência, a Guarda Nacional Republicana tem estado particularmente atenta à evolução de determinados fenómenos criminais, visando sobretudo proteger os mais vulneráveis, como os idosos que vivem sozinhos, ou isolados ou sozinhos e isolados e as vítimas de violência doméstica.
Nesse sentido, no mês de março de 2020, a Guarda registou 938 denúncias por violência doméstica (menos 26% do que em período homólogo de 2019 – e não como, por lapso, foi hoje referido na Conferência de Imprensa conjunta, a que alude o comunicado em anexo), tendo detido 76 suspeitos e apreendido 97 armas (dados provisórios). Ainda assim, conscientes que o período de maior isolamento social pode suscitar um desfasamento mais acentuado entre o número de denúncias e o número de crimes praticados, a GNR, através dos Núcleos de Investigação a Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE), tem intensificado os contactos com as vítimas identificadas, no sentido de promover, se necessário for, um ajustamento das medidas de proteção das vítimas. A GNR recorda que se trata de um crime público, pelo que qualquer pessoa pode denunciar, devendo ser privilegiado o recurso ao Sistema de Queixa Eletrónica (https://queixaselectronicas.mai.gov.pt/).
De igual modo, a Guarda tem reforçado as ações junto dos idosos, sobretudo dos cerca de 41 mil que, durante a Operação Censos Sénior 2019, foram sinalizados como vivendo sozinhos ou isolados ou sozinhos e isolados, procurando contribuir para a prestação de um necessário apoio social e para a sensibilização face à tendência para o aumento do número de crimes de burla (467, durante o mês de março de 2020, o que corresponde um aumento de 52%, face ao período homólogo de 2019), que incidem sobretudo sobre a população mais vulnerável, como é o caso dos idosos.
Ainda neste âmbito, realça-se que está em fase de implementação o Programa 65 Longe+Perto, o qual visa, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC), em primeira linha, a promoção do contacto telefónico com todo os idosos sinalizados, procurando identificar situações que, por força da fase de maior isolamento social, justifiquem uma abordagem ao nível psicológico, para a qual serão disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da GNR, numa segunda linha de apoio.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar