Templates by BIGtheme NET
Home » Religião (page 2)

Religião

Diocese de Viseu:Mensagem de Páscoa do Bispo D.Ilidio Leandro

Este é o autêntico e solene anúncio da Páscoa. Com estas ou semelhantes palavras: a mesma notícia, a mesma certeza e a mesma realidade. Tudo o resto – seja o que for – é sinal, transmissão, consequência ou eco desta verdade, ainda que alguns desconheçam a fonte e a razão de tudo o que se faça ou se diga.

A Celebração e a Procissão da Morte e do Enterro do Senhor e a Solene Vigília Pascal são a Matriz de toda a alegria cantada, vivida, proclamada e anunciada na Páscoa e na Visita Pascal que se saboreia de tantas formas e que se transmite, universalmente, sem qualquer excepção.

Não é porque o Facto aconteceu há cerca de 2000 anos que se lhe tira a verdade, a originalidade ou a novidade. A Páscoa tornou-se Acontecimento, sempre a acontecer e a celebrar-se na Eucaristia. Esta é renovação da Páscoa, tornada nova e feita realidade verdadeira, até ao fim dos tempos. Não fora assim e a Salvação era limitada, factual e circunstancial, localizada no espaço e no tempo. Mas, também na Páscoa, o tempo é mais largo e maior que o espaço, pois chega a cada hoje, ainda que o espaço seja, mesmo e também, universal localizada no espaço e no tempo. Mas, também na Páscoa, o tempo é mais largo e maior que o espaço, pois chega a cada hoje, ainda que o espaço seja, mesmo e também, universal.

É com estas circunstâncias e nesta riqueza celebrativa, oferecidas pela Páscoa de Jesus Cristo, que eu me dirijo a todas e a todos – cristãos e pessoas de boa vontade da Igreja de Viseu. A cada pessoa desejo uma Feliz e Santa Páscoa. Que a Vida de Jesus brote da Cruz Vitoriosa, onde a morte deu lugar à vida, para todos e para sempre.

Jesus Cristo Ressuscitou e está vivo! Feliz Páscoa! Aleluia! Aleluia!

Liturgia e avisos Domingo de Ramos -Unidade Pastoral Fornos de Algodres e Aguiar da Beira

DOMINGO DE RAMOS

 Iniciamos a Semana Santa, imitando a multidão que aclamava Jesus na cidade santa de Jerusalém: “Hossana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito o reino que vem, o reino do nosso pai David! Hossana nas alturas!”. Muitos estenderam as suas capas no caminho por onde Jesus ia passar e cortaram ramos de verdura para o aclamar e acolher. Isto contrasta com a traição e tristeza que ocorrerão naquela mesma cidade passados poucos dias. E perguntamos: Porquê e como é possível fazer tanto mal a quem só fez tanto bem? Jesus viveu para os outros, sem poder e sem violência, tendo como única arma o amor! Como foi possível? O texto mais importante deste dia é a narração da Paixão, segundo o evangelista S. Marcos. Desta narração, fixemo-nos nas palavras impressionantes de Jesus na cruz: “Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonastes?”. Estas palavras expressam o drama que acontece no monte do Calvário. Resumem as horas da paixão de Jesus e também a sua vida. Na narração da Paixão, segundo S. Marcos, estas são as únicas palavras de Jesus na cruz. 25-03-2018
Ano B - Tempo Quaresma - Domingo de Ramos - Boletim Dominical

Este evangelista, ao contrário dos outros três, descreve-nos Jesus muito só e sentindo-se sozinho; um Jesus que, pouco a pouco, se vai desprendendo daqueles que tinha junto de si; alguns foram contra Ele e os que O apoiavam fugiram ou esconderam-se. Todos olham para Ele como um coitado, um desgraçado, um maldito. É horrível: praticamente ninguém manifesta compreensão ou reconhecimento para com um justo, agora objecto de desprezo, de maldade, de injustiça. Ridicularizado, até Jesus cala-se e aceita. Nesta solidão, foi despojado da sua roupa. O evangelista diz-nos: “repartiram entre si as suas vestes, tirando-as à sorte, para verem o que levaria cada um”. Jesus não está somente despojado das suas vestes e das pessoas, mas também sente-se despojado de Deus. O Seu Pai parece que não está e, por isso, clamou com voz forte: “Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonastes?”.

Estas palavras de Jesus resumem os clamores de todos os homens e mulheres. No monte do Calvário, na cruz, estão todos os gritos de desespero, de angústia, de tribulação e de sofrimento da humanidade. Jesus clama por todos os homens e mulheres, porque Ele é a expressão da humanidade sofredora. Quantas vezes já tivemos vontade de dizer estas palavras de Jesus com aquilo que nos acontece na vida? Quantas vezes já fizemos a experiência do “abandono” de Deus, parece que, às vezes, Ele não está e não nos ouve! Quantas vezes já pedimos e gritámos a Deus que oiça os nossos pedidos e esteja connosco nas tribulações?

Mas, perante esta situação desesperada e sofredora de Jesus, há uma brisa de esperança, há uma intuição de vida e há uma confissão de fé. Perante todo o drama do Calvário, o centurião romano, testemunha de todo este sofrimento, profere uma frase que marca tudo o que aconteceu: “Na verdade, este homem era Filho de Deus”. De certeza que disse estas palavras sem pensar, não estava consciente do que estava a dizer, mas expressavam o sentimento de muitas pessoas naquela hora e naquele lugar. No início da vida pública de Jesus, Pedro já tinha confessado que Jesus era o Filho de Deus; os apóstolos sabiam que aquele que os tinha chamado nas margens do lago da Galileia era alguém excepcional; tantas pessoas deram conta que Jesus de Nazaré era alguém diferente. O povo dizia que Jesus falava com “autoridade”, mas no momento da morte é o centurião, um pagão, que faz a confissão de fé. É a confissão da Igreja, é a afirmação fundamental da nossa fé: “Na verdade, este homem era Filho de Deus”. Confessar Jesus como Filho de Deus. Mas não podemos esquecer algo muito importante que completa a frase do centurião. Jesus foi julgado, condenado, morto. Sujeitou-se a tudo porquê? Porque Jesus morreu por nós, deu a vida pelos nossos pecados, morreu para nos salvar.

Neste Domingo de Ramos, com o qual iniciamos a Semana Santa, duas coisas tornam-se muito evidentes: Jesus reza com um sentimento atribulado: “Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonastes?”, e, com o centurião, também nós, que contemplamos a sua morte gloriosa, afirmamos: “Na verdade, este homem era Filho de Deus”. Que estas palavras estejam na nossa oração desta semana para podermos celebrar com toda a solenidade a Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Projeto de Dinamização Turística do Património Monumental na cidade de Mangualde

Realiza-se esta quinta-feira, dia 22 de março, a cerimónia da assinatura dos contratos de financiamento do Projeto de Dinamização Turística do Património Monumental na cidade de Mangualde – Candidatura ao Valorizar – Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, na Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, para reabilitação da Igreja de Misericórdia, Largo da Misericórdia, Rua do Colégio e criação do novo Centro Municipal de acolhimento ao visitante, entre a Câmara Municipal de Mangualde e a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde

 O momento, que decorrerá pelas 12h45, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, contará com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde, José Tomás, e do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo.

 

UCC da Misericórdia de Mangualde celebrou 6 anos

A Unidade de Cuidados Continuados Integrados da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde celebrou, na passada quarta-feira, dia 14 de Março, o seu sexto aniversário.

Um dia de celebração, marcado por um momento de festa, onde se cantaram os parabéns e se partilhou a alegria pela existência da Unidade, reforçando a importância da missão de Cuidar do Outro, com carinho, respeito e responsabilidade.

Por:SCMM

Tradições da Quaresma/Páscoa recriadas em Aguiar da Beira

Cerca de 150 Pessoas da comunidade vão recriar hábitos e saberes de fé do concelho, dia 18 de março, às 15 horas, no centro cultural de Aguiar da Beira.
Os participantes das Oficinas das Tradições – 60 Mais Social Clube do CLDS 3G Aguiar no Coração – vão recriar alguns dos rituais católicos vividos no Concelho de Aguiar da Beira pelas celebrações da Quaresma e da Páscoa.
Tradições como a quarta- feira de cinzas, bênção dos ramos, encomendação das almas, passagens da via sacra, terço dos homens, enterro do senhor ou a visita pascal vão ser apresentadas por 150 “atores” à comunidade, durante a tarde de domingo, no auditório do Centro Cultural de Aguiar da Beira.
Os saberes e as tradições quaresmais e pascais têm vindo a ser preparadas nas Oficinas das Tradições, que decorrem semanalmente em várias freguesias do concelho e abertas à população em geral.
O encontro será um grande momento de demonstração cultural, promovendo o conhecimento e convívio entre gerações, recuperando hábitos culturais e reforçando laços sociais e níveis de participação.
A atividade enquadra-se na ação 60 Mais Social Clube, do CLDS 3G Aguiar no Coração, que pretende integrar os cidadãos seniores de modo a estimular a sua participação e (re)integração na sociedade e nas dinâmicas do concelho reforçando o envelhecimento ativo e a autonomia dos seniores, bem como a elevação da sua autoestima e do seu sentimento de utilidade para os outros e para a sociedade.
“Aguiar no Coração – Rede Positiva para o Desenvolvimento Social de Aguiar da Beira” é um Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS 3G), cuja Entidade Coordenadora Local de Parceria e executora é o Centro Social Paroquial de Dornelas e a entidade financiadora é o POISE – Programa Operacional da Inclusão Social e Emprego e o Governo de Portugal, por via do Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

Por:AGC

AF Viseu- Resultados e classificação da divisão de honra

Nova ronda da divisão de honra visiense com a turma do Lamego a vencer fora de portas o Resende por duas bolas a uma e lidera isolado.

Moimenta da Beira – Penalva Castelo -1-1
Paivense – Vouzelenses -5-1
Carregal do Sal – Lamelas-2-2

Resende – SC Lamego -0-2
Silgueiros -Sampedrense -0-0
Nespereira – Molelos -0-0
Castro Daire – Mangualde-2-0

Classificação após 20 jornadas

1 SC Lamego —–44
2 Sampedrense –42
3 Sátão                   36
4 Penalva Castelo 36
5 Castro Daire      34
6 M. da Beira       33
7 Paivense            31
8 Lamelas           30
9 C.. do Sal         25
10 Nespereira    24
11 Silgueiros      23
12 Resende        23
13 Molelos      18
14 GDC Roriz 16
15 Vouzelenses 15
16 Mangualde 5

Via-Sacra em Pinhel a 30 de março

A Via-Sacra tem sempre uma forte participação da comunidade, esta encenação  é um dos eventos de cariz religioso que atrai mais gente a Pinhel.

“A Nossa e a Tua Cruz” é o tema que está a ser trabalhado e que, no dia 30 de março, Sexta-feira Santa, irá percorrer as ruas da Cidade de Pinhel, lembrando os passos de Jesus Cristo a caminho da sua morte e ressurreição.

Por:Mun.Pinhel

Fornense Maria Teresa Maia Gonzalez lança novo livro

A Fundação AIS e a escritora Maria Teresa Maia Gonzalez vão efetuar o  lançamento do livro «A Tua Dor Dói-me – A Compaixão Cristã», Lisboa, no próximo dia 13 de março, ás 18h.
Com a apresentação de Frei Hermínio Araújo, OFM, sacerdote franciscano, membro da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, Capelão da Clínica Psiquiátrica de São José, Assistente Espiritual e Religioso do Hospital do Mar.

Esta obra trata o dom da compaixão, através de reflexões sobre as vidas de homens e mulheres que escolheram livremente seguir Jesus até às últimas consequências e que deixaram marcas indeléveis de compaixão. Foram vidas que tocaram e continuam a tocar a vida de muitos.

“Conforme Ele próprio disse, se vivermos a compaixão, faremos, também nós, milagres. Sim, milagres. Talvez não visíveis de imediato. Talvez não entendidos como tal. Mas eu creio firmemente que, quando nos aproximamos de um ser humano em sofrimento para, desinteressadamente, o acolher e confortar, dão-se sempre milagres.”

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
Av. Marquês de Tomar, Lisboa (Sala Cónego Abranches)
Dia 13 de Março pelas 18h

Por:Fund. AIS

AFG-Soito e Casal de Cinza lideram taça distrital futsal

Disputou-se mais uma ronda na Taça distrital de futsal na AFGuarda, com  o Penaverdense a golear em Foz coa e o Casal de cinza suar para levar de vencida a turma da Mêda.

No Grupo B, o Soito lidera e venceu o CDC Pinheiro por oito bolas sem resposta, já o Vale Amoreira suou para derrotar as Lameirinhas.

Grupo A
Foz Côa 2-13 Penaverdense
GD Meda 5-6 Casal Cinza
Classificação:
1º Casal Cinza 15
2º Penaverdense 13
3º GD Meda 7
4º Foz Côa 0

Grupo B
Soito 8-0 Pinheiro
Lameirinhas 4-6 Vale Amoreira
Classificação:
1º Soito 13
2º Vale Amoreira 9
3º Lameirinhas 7
4º CDC Pinheiro 6

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar