Templates by BIGtheme NET
Home » Religião (page 20)

Religião

14 artistas plásticos retrataram na tela 14 Obras da Misericórdia

14aARTISTAS PLÁSTICOS PINTARAM AS 14 OBRAS DA MISERICÓRDIA NA SANTA CASA DE MANGUALDE
No âmbito do Ano Jubilar que estamos a viver desde o dia 8 de Dezembro do pretérito ano, a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde convidou 14 artistas plásticos para retractarem, em tela, a sua visão artística das 14 Obras da Misericórdia.
Os Artistas reuniram-se hoje na Misericórdia de Mangualde para pintar ao vivo e concluir as obras. Aqui fica o resultado do trabalho produzido com a falta das obras do Pedro Albuquerque, que não pode estar presente por motivos de doença.
As obras produzidas irão ilustrar uma publicação que está a ser preparada pela Diocese de Viseu em parceria com as 14 Santas Casas da Misericórdia da Diocese, a qual será distribuída em todas as paróquias do Distrito no Domingo
14de Ramos. Estas obras constituem uma exposição itinerante que irá estar presente em todos os territórios onde se encontram sedeadas as 14 Misericórdias da Diocese.
 Um agradecimento aos Artistas participantes. Luis Duro; Nelson Santos; Pedro Marques; Pedro Albuquerque; Licínia Portugal; Paulo Medeiros; Aires dos Santos; Alice Piloto; Ana Ferreira; Rui Costa; Lena Jorge.

Por:ISCMM

Páscoa 2016 em Mangualde

pascoa mangA Páscoa em Mangualde será revestida de uma programação diversificada e especificamente pensada para esta época do ano. De 12 a 27 de março a Semana Santa será sentida no concelho através de várias iniciativas, desde «Amentar das Almas», «Via Sacra», concerto de estreia ibérica «A Paixão de Cristo», entre outras. A programação «Páscoa em Mangualde 2016» é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Mangualde e da Paróquia de Mangualde, com a parceria da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde e o Grupo Cultural e Recreativo de Santo Amaro de Azurara.

Assim, no dia 12 de março, pelas 21h00, terá lugar o «Amentar das almas» no Largo da Igreja da Misericórdia, com atuação do Grupo de Cantares de Santo Amaro de Azurara, Grupo de Cantares RF de Penacova, Grupo de Cantares de Ínsua – Penalva do Castelo, Grupo de Cantares de Quaresma – Monfortinho, Idanha-a-Nova, a Banda Filarmónica de Abrunhosa-a-Velha, Banda Filarmónica de Lobelhe, Banda Filarmónica de Vila Cova de Tavares e a Banda Filarmónica de Tibaldinho. Dia 13 de março decorrerá a «Via Sacra» pelas 16h30, no Monte Senhora do Castelo. Pelas 17h30 realiza-se o Concerto de Música de Câmara na Ermida com o Conservatório Azeredo Perdigão – Viseu.

O Domingo de Ramos é assinalado no dia 20 de março, com a Bênção dos Ramos pelas 10h00, seguida de Procissão e Missa Solene na Igreja Nossa Senhora do Desterro (Capela do Rebelo). No dia 24 de março realizar-se-á a Missa da Ceia do Senhor pelas 21h00, na Igreja Paroquial de Mangualde. A 25 de março, pelas 17h00, terá lugar a Celebração da Paixão do Senhor, seguida de Procissão do Enterro do Senhor. Pelas 21h00 tem lugar a «Via Sacra», na cidade de Mangualde, pelos Escuteiros de Mangualde e pelos Escuteiros de Ranhados, Viseu, com o seguinte percurso: Igreja Nossa Senhora do Desterro (Capela do Rebelo) até à Igreja Paroquial de Mangualde. No Domingo de Páscoa, que se assinala a 27 de março, pelas 11h00, terá lugar a Missa Solene na Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde.

 ESTREIA IBÉRICA: «A PAIXÃO DE CRISTO» DE JÓZEF ELSNER

O Concerto de Páscoa em Mangualde é uma estreia ibérica. «A PAIXÃO DE CRISTO» de Józef Elsner terá lugar no dia 19 de março, pelas 21h15, na Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde, e conta com as participações da Orquestra Filarmonia das Beiras e do Coro da Sé Catedral do Porto.

PROGRAMA «Páscoa em Mangualde 2016»—12 a 27 de março

12 de março

21h00 | Amentar das Almas

Largo da Igreja da Misericórdia

Grupo de Cantares de Santo Amaro de Azurara; Grupo de Cantares RF de Penacova; Grupo de Cantares de Ínsua,

Penalva do Castelo; Grupo de Cantares de Quaresma – Monfortinho, Idanha-a-Nova.

Banda Filarmónica de Abrunhosa-a-Velha; Banda Filarmónica de Lobelhe; Banda Filarmónica de Vila Cova de Tavares; Banda Filarmónica de Tibaldinho.

 

13 de março

16h30 | Via Sacra

Monte Senhora do Castelo

17h30 | Concerto de Música de Câmara na Ermida

Segue-se à Via Sacra. Conservatório Azeredo Perdigão – Viseu

 

19 de março

21h15 | A Paixão de Cristo

Igreja Paroquial de Mangualde

Orquestra Filarmonia das Beiras e Coro da Sé Catedral do Porto

 

20 de março

Domingo de Ramos

10h00 | Bênção dos Ramos

Seguida de Procissão e Missa Solene

Igreja Nossa Senhora do Desterro (Capela do Rebelo)

 

24 de março

21h00 | Missa da Ceia do Senhor

Igreja Paroquial de Mangualde

 

25 de março

17h00 | Celebração da Paixão do Senhor

Seguida de Procissão do Enterro do Senhor

21h00 | Via Sacra

Na cidade de Mangualde, pelos Escuteiros de Mangualde e pelos Escuteiros de Ranhados, Viseu

Percurso: Igreja Nossa Senhora do Desterro (Capela do Rebelo) até à Igreja Paroquial de Mangualde

 

26 de março

21h30 | Vigília Pascal

 

27 de março

Domingo de Páscoa

11h00 | Missa Solene

Igreja do Complexo Paroquial de Mangualde

Por:Mun.Mangualde

2ºDomingo da Quaresma e Avisos da Semana da Unid.Past.Fornos de Algodres

User comments

O relato da transfiguração de Jesus, mais do que uma crónica fotográfica de acontecimentos, é uma página de teologia; aí, apresenta-se uma catequese sobre Jesus, o Filho amado de Deus, que através da cruz concretiza um projecto de vida.
O episódio está cheio de referências ao Antigo Testamento. O “monte” situa-nos num contexto de revelação (é “no monte” que Deus Se revela e que faz aliança com o seu Povo); a “mudança” do rosto e as vestes de brancura resplandecente recordam o resplendor de Moisés, ao descer do Sinai (cf. Ex 34,29); a nuvem indica a presença de Deus conduzindo o seu Povo através do deserto (cf. Ex 40,35; Nm 9,18.22;10,34).
Moisés e Elias representam a Lei e os Profetas (que anunciam Jesus e que permitem entender Jesus); além disso, são personagens que, de acordo com a catequese judaica, deviam aparecer no “dia do Senhor”, quando se manifestasse a salvação definitiva (cf. Dt 18,15-18; Mal 3,22-23). Eles falam com Jesus sobre a sua “morte” (“exodon” – “partida”) que ia dar-se em Jerusalém. A palavra usada por Lucas situa-nos no contexto do “êxodo”: a morte próxima de Jesus é, pois, vista por Lucas como uma morte libertadora, que trará o Povo de Deus da terra da escravidão para a terra da liberdade.
A mensagem fundamental é, portanto, esta: Jesus é o Filho amado de Deus, através de quem o Pai oferece aos homens uma proposta de aliança e de libertação. O Antigo Testamento (Lei e Profetas) e as figuras de Moisés e Elias apontam para Jesus e anunciam a salvação definitiva que, n’Ele, irá acontecer. Essa libertação definitiva dar-se-á na cruz, quando Jesus cumprir integralmente o seu destino de entrega, de dom, de amor total. É esse o “novo êxodo”, o dia da libertação definitiva do Povo de Deus.
E o “sono” dos discípulos e as “tendas”? O “sono” é simbólico: os discípulos “dormem” porque não querem entender que a “glória” do Messias tenha de passar pela experiência da cruz e da entrega da vida; a construção das “tendas” (alusão à “festa das tendas”, em que se celebrava o tempo do êxodo, quando o Povo de Deus habitou em “tendas, no deserto?) parece significar que os discípulos queriam deter-se nesse momento de revelação gloriosa, de festa, ignorando o destino de sofrimento de Jesus.

Por:Portal Dehonianos

1ºdomingo da Quaresma-Ano C

O orgulho, o egoísmo, a auto-suficiência também levam o homem a prescindir de Deus

Estamos no começo da atividade pública de Jesus. Ele acabou de ser batizado por João Baptista e recebeu o Espírito para a missão (cf. Lc 3,21-22). Agora, confronta-se com uma proposta de atuação messiânica que pretende subverter a proposta do Pai.
Também aqui não estamos diante de uma reportagem histórica, feita por um jornalista que presenciou o desafio entre Jesus e o diabo, algures no deserto… Estamos, sim, diante de uma página de catequese, cujo objetivo é ensinar-nos que Jesus, como nós, sentiu a mordedura das tentações. Ele também sentiu a tentação de prescindir de Deus e de seguir um caminho humano de êxitos, de aplausos, de poder e de riqueza; no entanto, Ele soube dizer não a todas essas propostas que O afastavam do plano do Pai.

MENSAGEM

Lucas (como já o havia feito Mateus) vai apresentar a catequese sobre as opções de Jesus, em três episódios ou “parábolas”. O relato constrói-se em torno de um diálogo em que tanto o diabo como Jesus citam a Escritura em apoio da sua opinião.
A primeira “parábola” sugere que Jesus poderia ter optado por um caminho de facilidade e de riqueza, utilizando a sua divindade para resolver qualquer necessidade material… No entanto, Jesus sabia que “nem só de pão vive o homem” e que o caminho do Pai não passa pela acumulação egoísta de bens. A resposta de Jesus cita Dt 8,3, sugerindo que o seu alimento – a sua prioridade – é a Palavra do Pai.
A segunda “parábola” sugere que Jesus poderia ter escolhido um caminho de poder, de domínio, de prepotência, ao jeito dos grandes da terra. No entanto, Jesus sabe que esses esquemas são diabólicos e que não entram nos planos do Pai; por isso, citando Dt 6,13, diz que só o Pai é o seu “absoluto” e que não se deve adorar mais nada: adorar o poder que corrompe e escraviza não tem nada a ver com o projeto de Deus.
A terceira “parábola” sugere que Jesus poderia ter construído um caminho de êxito fácil, mostrando o seu poder através de gestos espetaculares e sendo admirado e aclamado pelas multidões (sempre dispostas a deixarem-se fascinar pelo “show” mediático dos super-heróis). Jesus responde a esta proposta citando Dt 6,16, que manda “não tentar” o Senhor Deus: aqui, “tentar” significa “não utilizar os dons de Deus ou a bondade de Deus com um fim egoísta e interesseiro”.
Apresentam-se, portanto, diante de Jesus, dois caminhos. De um lado, está a proposta do diabo: que Jesus realize o seu papel na história da salvação como um Messias triunfante, ao jeito dos homens. Do outro, está a escolha de Jesus: um caminho de obediência ao Pai e de serviço aos homens, que elimina qualquer concepção do messianismo como poder.

ATUALIZAÇÃO

Refletir sobre as seguintes coordenadas:

• Frente a frente estão, hoje, a lógica de Deus e a lógica dos homens. A catequese que o Evangelho nos apresenta neste primeiro Domingo da Quaresma ensina que Jesus pautou cada uma das suas escolhas pela lógica de Deus. E nós, cristãos, seguidores de Jesus? É essa a nossa lógica, também?

• Deixar-se conduzir pela tentação dos bens materiais, do acumular mais e mais, do olhar apenas para o seu próprio conforto e comodidade, do fechar-se à partilha e às necessidades dos outros, é seguir o caminho de Jesus? Pagar salários de miséria aos operários e malbaratar fortunas em noitadas de jogo ou em coisas supérfluas (enquanto os irmãos, ao lado, gemem a sua miséria), é seguir o caminho de Jesus?

• Dentro de cada pessoa, existe o impulso de dominar, de ter autoridade, de prevalecer sobre os outros. Por isso – às vezes na Igreja – os pobres, os débeis, os humildes têm de suportar atitudes de prepotência, de autoritarismo, de intolerância, de abuso. A catequese de hoje sugere que este “caminho” é diabólico e não tem nada a ver com o serviço simples e humilde que Jesus propôs nas suas palavras e nos seus gestos.

• Podemos, também, ceder à tentação de usar Deus ou os dons de Deus para brilhar, para dar espetáculo, para levar os outros a admirar-nos e a bater-nos palmas. A isto Jesus responde de forma determinada: não utilizarás Deus em proveito da tua vaidade e do teu êxito pessoal.

Por:Portal dos Dehonianos

Fase da Quaresma se inicia esta quarta-feira de cinzas

igrejaA Páscoa é celebrada no domingo após a primeira lua cheia que se siga ao equinócio da primavera, no hemisfério norte, pelo que o carnaval acontece entre 3 de fevereiro e 9 de março, sempre 47 dias antes.
A Igreja viria a alterar e adaptar práticas pré-cristãs, relacionando o período carnavalesco com a Quaresma: uma prática penitencial preparatória à Páscoa, com jejum começou a definir-se a partir de meados do século II; por volta do século IV, o período quaresmal caracterizava-se como tempo de penitência e renovação interior para toda a Igreja, por meio do jejum e da abstinência.
Tertuliano, São Cipriano, São Clemente de Alexandria e o Papa Inocêncio II contestaram fortemente o carnaval, mas no ano 590 a Igreja Católica aprova que se realizem festejos que consistiam em desfiles e espetáculos de caráter cómico.
No séc. XV, o Papa Paulo II contribuiu para a evolução do Carnaval, imprimindo uma mudança estética ao introduzir o baile de máscaras, quando permitiu que, em frente ao seu palácio, se realizasse o carnaval romano, com corridas de cavalos, carros alegóricos, corridas de corcundas, lançamento de ovos, água e farinha e outras manifestações populares.
Sobre a origem da palavra Carnaval não há unanimidade entre os estudiosos, mas as hipóteses “carne vale” (adeus carne) ou de “carne levamen” (supressão da carne) remetem para o início do período da Quaresma.
A própria designação de entrudo, ainda muito utilizada, vem do latim ‘introitus’ e apresenta o significado de dar entrada, começo, em relação a esse tempo litúrgico.
A Quaresma, que este ano se inicia a 10 de fevereiro, com a celebração de Quarta-feira de Cinzas, é um período de 40 dias, excetuando os domingos, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.
Nos primeiros séculos, apenas cumpriam o rito da imposição da cinza os grupos de penitentes ou pecadores que queriam receber a reconciliação no final da Quaresma, na Quinta-feira Santa.
A partir do século XI, o Papa Urbano II estendeu este rito a todos os cristãos no princípio da Quaresma.
Na Liturgia, este tempo é marcado por paramentos e vestes roxas, pela omissão do ‘Glória’ e do ‘Aleluia’ na celebração da Missa.

Por Diocese de Viseu

Bênção dos Bebés e das Crianças em Mangualde

                                       Ambiente jovem

0bença    No dia 2 de fevereiro às 18h00, na Igreja Paroquial de Mangualde, dia da Apresentação do Senhor realizou-se o rito da bênção dos bebés e das crianças.
Um ritual trazido para a Paróquia de Mangualde pelo Rev. Cónego Jorge Seixas e que de ano para ano o número de crianças vem aumentando significativamente nesta cerimónia, apesar da baixa de natalidade que se verifica no país.
Esta cerimónia realiza-se 40 dias após o Natal e já faz parte da agenda de muitos pais, avós ou outros familiares que neste dia os acompanham à celebração.
As crianças foram recebidas no átrio da Igreja pelo Rev. Cónego Jorge Seixas que deu início à celebração acompanhado do Sr. Manuel Vaz – Diácon
0bençãoo Permanente.
Com grande alegria as crianças seguravam numa vela pequenina e cantavam com todo o entusiasmo: “Esta luz pequenina, vou deixá-la brilhar …”
De seguida entraram na Igreja com a vela acesa e o Rev. Cónego explicou o significado do Dia da Apresentação do Senhor, Dia da Senhora das Candeias, porque Dela nasceu a luz de todos os povos.
Uma missa um pouco diferente do habitual, com o movimentar de dezenas de crianças e bebés que rodearam o Rev. Cónego Seixas que na homilia os chamou atenção para o seu verdadeiro Amigo – Jesus. Ele está sempre connosco.
Salientou que estavam ali para pedirem a Jesus a sua bênção, para que os proteja, bem como aos seus pais. Ele é nosso amigo e ensina-nos a pôr os pés nos bons caminhos e a portarmo-nos bem…
No momento próprio, foi feito o rito da bênção das crianças e seguidamente a bênção dos bebés um a um.
O Grupo Clave Jovem da Paróquia animou a celebração.

Por:Paróquia de Mangualde

D.Nuno Almeida ordenado Bispo e segue para Braga

A tarde deste domingoIMG_6893 foi de grande alegria na Diocese de Viseu, dado que D.Nuno Almeida, foi ordenado Bispo.
Um orgulho que todos os seus paroquianos e familiares e amigos sentiam ao ver alguém especial se tornar um dos que contribuem em grande para levar a palavra de Deus.
Uma grande multidão aplaudiu e sentiu grande alegria na Sé de Viseu, onde a cerimónia foi presidida pelo Bispo D.Ilídio, ladeado de D.Jorge Ortiga e D.António Marto entre outros.

D.Nuno Almeida no final era um homem feliz e pronto para iniciar esta tarefa que lhe foi confiada. IMG_6910

Por:António Pacheco

Fotos:SP/FP

Tomada de Posse do Padre Jorge Luis em Fornos de Algodres

Este domingo, 3 de janeiro foi de festa na Unidade Pastoral de Fornos de Algodres, dado que um novo Pároco foi apresentado, neste caso Padre Jorge Luis.


Desta forma, uma grande moldura humana para receber o novo Pároco, na Igreja matriz da vila fornense, com o Arcipreste Padre Nuno Azevedo que foi recentemente empossado, foi quem veio apresentar desta maneira, o Padre Jorge Luis que vai agora durante os próximos seis anos celebrar e dirigir as 11 paróquias da Unidade Pastoral, juntamente com o Diácono Carlos.Assim sendo, com a saída do agora D.Nuno Almeida que vai ser ordenado Bispo Auxiliar de Braga, no próximo dia 31 de janeiro, era necessário alguém.Também fica a nota que a unidade Pastoral vai organizar um almoço de despedida do D.Nuno já no próximo domingo, 10 de janeiro no Seminário S.José em princípio.

Mais um dia de alegria para estas gentes fornenses que agora tem novo Pároco e no seu discurso, foi notório otimismo de tudo correr bem e claro solicitou o apoio de toda a gente para tudo poder funcionar da melhor maneira.

Contou com a presença do Presidente do Município de Fornos de Algodres, Dr.Manuel Fonseca, o Presidente da Freguesia de Fornos de Algodres, Prof.António Gomes, Provedor da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres, Luis Miguel Ginja e Comandante dos BV Fornos, José António Pereira.

Um dia muito importante para a Unidade Pastoral de Fornos de Algodres.

Por:António Pacheco

Pe. Jorge Luís Gomes Lopes é o novo Pároco da Unidade Pastoral de Fornos de Algodres

O próximo domingo, dia 3 de janeiro vai ser mais um dia importante para a Unidade Pastoral de Fornos de Algodres, vai receber um novo Pároco, dado que depois da nomeação do Padre Nuno Almeida para Bispo Auxiliar da Diocese de Braga, ficou apenas com o Diácono Carlos e um Padre que veio auxiliar.

Assim sendo, vem o Pe. Jorge Luís Gomes Lopes, que vai ser empossado já este domingo e apresentado aos seus paroquianos, onde se espera que possa elaborar um belo trabalho como o fizeram os seus antecessores.

Desta forma, poderá chegar um outro padre para o ajudar nesta missão, ou então esperar pela ordenação presbiteral do Diácono Carlos.

Por:António Pacheco

Festa de Natal na ISCMFA

natal iscmfa   Este sábado, 19 de dezembro foi de grande festa na Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres, com a celebração da Festa de Natal.

Tudo se iniciou com a Eucaristia celebrada pelo D.Nuno Almeida, que está de partidnatal iscmfa1a também para a Diocese de Braga para ser Bispo Auxiliar e animada pelo Grupo Coral da Igreja da Misericórdia fornense, com uma sala cheia.

Seguiu um natal iscmfa2momento musical com o Lino e seus Pupilos que deram alegria e até alguns ainda deram um pezinho de dança, com a chegada do Pai Natal era hora de todos receberem a sua prendinha.

Uma grande festa onde era notória a alegria dos utentes e deste modo, todos colaboraram para tornar este momento único para estas pessoas.

Para finalizar a noite, um jantar convívio entre todos os colaboradores  da ISCMFA.natal iscmfa3

Um dia diferente nesta casa , onde se viveram momentos de grande felicidade, ao que o Provedor Luís Miguel Ginja se mostrava muito feliz por este dia ter sido tão rico e agradeceu a todos quantos tornaram possível este dia de grande significado na vida destes utentes que merecem todo carinho.

Por:António Pacheco

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar