Templates by BIGtheme NET
Home » Religião (page 30)

Religião

Festas de N. Sra. da Graça 2010-Fornos de Algodres

21, 22 e 23 de Agosto de 2010

  Sábado, 21 de Agosto
  10h30 – IV Torneio “Fornos de Algodres” de Paintball
18h30 – Procissão com a imagem de N. Sra. da Graça da Capela para a Igreja da
               Misericórdia
20h00 – Abertura do Recinto das Festas – Mercado Municipal
21h30 – Animação – Baile com “LUA CHEIA
23h30 – “TRIO ODEMIRA” ao vivo
00h30 – “LUA CHEIA” – Parte II
02h30 – Caipirinha Party com “DJ NEOTYPE
  Domingo, 22 de Agosto
  10h30 – Saudação à Vila pela “Batuta da Alegria
11h00 – Missa seguida de Procissão – Igreja da Misericórdia
15h30 – Animação – Mercado Municipal
– Grupo de Cantares da Casa de Pessoal da C.M.F.A.
– Rancho Folclórico
– Grupo Típico “Os Capelenses”
19h30 – Abertura do Recinto das Festas – Mercado Municipal
21h30 – Animação – Baile com “LUA CHEIA
23h30 – “AMAURY RIBEIRO” ao vivo
00h30 – “LUA CHEIA” – Parte II
  Segunda-feira, 23 de Agosto
 
18h00 – Recondução da Imagem de N. Sra. da Graça da Igreja da Misericórdia para a
              Capela – Missa Campal
21h00 – Momento musical – Escola de Música da A.H.B.V.F.A.
21h30 – Animação – Baile com “K5

Conversa com Jose miranda ao Guarda.pt

O maior drama do concelho de Fornos de Algodres é mesmo o desemprego no feminino. Para o autarca a única saída é o turismo. Nesse sentido estão em curso alguns projectos para dinamizar economicamente o concelho. O património arqueológico, a gastronomia e o Queijo da Serra são algumas das apostas.
P – Quais são os problemas principais com que se debate o concelho?
R – O maior problema com que se debate o concelho é o desemprego, principalmente o desemprego feminino. Por isso, a autarquia está a fazer de tudo, não só com parcerias para a zona industrial mas também com estratégias do seu desenvolvimento, no sentido de colmatar esta grande lacuna que o concelho tem, porque em relação a infra-estruturas o concelho já está bem equipado. Agora o que precisamos é de sustentar o concelho numa economia mais desenvolvida. E neste momento são poucas as empresas que dão emprego no nosso concelho, para além da Câmara e das instituições particulares de solidariedade social, a economia quase não existe….com a crise que existe também na agricultura… Portanto vamos ver se o Plano de Desenvolvimento Rural que vai ser implementado pelo governo com os apoios dos fundos comunitários, se também aí no domínio da agricultura serão criados alguns postos de trabalho. Agora esse é o grande drama e é para aí que todos os esforços do município estão virados.
P – Que projectos pretende implementar para lançar a dinamização económica do município?
R – O concelho não tem outra saída a não ser o Turismo. Mas para nós termos um Turismo de qualidade e que traga mais-valias ao concelho precisamos em primeiro lugar de infra-estruturas de qualidade. Já temos uma, em parceria com o Inatel. Está em construção um Centro de Estágios com quartos, em parceria com um privado, que poderá ter também um SPA e, eventualmente, umas termas que é um sonho da autarquia. E depois pequenos projectos na área da restauração e do artesanato, com privados. Também temos uma zona industrial nova, na qual não queremos cometer os mesmos erros do passado. Há um projecto que estabelecemos com uma empresa de Ovar, mas que está apenas no seu início, que é uma empresa de construção de “painéis -sandwich”. Portanto, temos uma área enorme na zona industrial que está ao dispor dos empresários, mas que também está em legalização. Não queremos proceder à venda de qualquer lote sem termos a zona devidamente legalizada para não cometermos os mesmos erros que cometemos no passado.
P – Em termos culturais, o município está bem equipado? Esta área é importante para a autarquia?
R – Também. Em termos culturais nós temos aquilo que é indispensável para um município com 5 a 6 mil pessoas. Temos aquilo que é indispensável em termos de infra-estruturas. Como é o caso do Centro Cultural e dos espaços culturais que existem na Escola E.B. 2,3 e na Instituição Particular de Solidariedade Social de Fornos. Temos três auditórios só na sede do concelho. Temos uma área museológica muito interessante na área da arqueologia, que está a sofrer amplas modificações e requalificações. Temos também um Espaço Internet e uma Biblioteca em construção, mas a actual é um espaço altamente activo e interage com as escolas no âmbito da leitura. Enfim, estas três áreas – Internet, Biblioteca e Museu –, em sintonia permanente com a área escolar, têm feito um trabalho extraordinário com os recursos que a autarquia tem, não é possível fazer mais e melhor. Nós queremos melhorar aquilo que temos, mas os recursos são pouco. No entanto, acho que em função daquilo que possuímos temos desenvolvido um trabalho extraordinário nessa área.
P – O sector turístico é uma aposta deste executivo?
R- O meu grande sonho era haver duas unidades hoteleiras. Uma já esta feita, em parceria com o Inatel. Tem cerca de 40 quartos, piscina, e é uma infra-estrutura que envolveu muitos recursos do município em fundos comunitários e está a funcionar em pleno! Entretanto está em construção esta unidade hoteleira que pretendia ser, inicialmente, um Centro de Estágio, mas poderá ser também um lugar termal se os estudos que apontam para aí se vierem a confirmar. E depois temos pequenos projectos na área da restauração, na área museológica, na área do artesanato, mas com parcerias com privados, que também pretendemos implementar. Este é um dos municípios mais pequenos no distrito, mas apesar disso nós temos feito o que é possível, com o apoio dos particulares e das instituições.
P – O que é que Fornos de Algodres pode oferecer a quem visita a região que lhe permita distinguir-se?
R – Pode oferecer muita coisa, desde um património arquitectónico extraordinário, um património natural maravilhoso e depois também uma gastronomia que é muito típica daqui, para além do queijo da Serra. Nós estamos a trabalhar para melhorar esta oferta e portanto o que pretendemos é que este património seja visitado por mais gente. E para isso a estratégia do município é criar condições para que as pessoas fiquem aqui mais do que umas horas.
P – Qual a “prenda” que gostaria de receber para a autarquia?
R – Eu tenho um sonho para o município antes de sair. Eu já não vou candidatar-me mais porque a lei não o permite. Mas estou a trabalhar num grande projecto para aproveitar aquele espaço que era do Seminário, em conjunto com a Igreja. Há um Seminário antigo com um terreno com 50 hectares e nós estamos a trabalhar no sentido de implementar ali um grande projecto de dimensão regional que crie emprego, que crie riqueza no concelho e na região. Ainda é um “segredo guardado a sete chaves”! Estamos a trabalhar nele com uma empresa francesa. Vamos ver se o mesmo terá o financiamento que o investidor deseja. É um projecto inovador e de grande envergadura. Assim, esperemos que o AICEP e o governo acarinhem este projecto. Para o município será um grande projecto de impacto regional!
Fonte: in Guarda.pt

Baile Finalistas, noite inesquecível

Os finalistas da escola EB 2,3 de Fornos de Algodres organizaram o seu baile de gala, uma noite ainda assim agradável graças ao isolamento do recinto, onde o mercado municipal se engalanou para a festa, e o publico aderiu em massa para ver os filhos deste concelho numa noite inesquecível nas suas vidas. Era natural a grande pressão nervosa dos jovens finalistas que tentavam assim desta maneira que nada falhasse. Tudo se iniciou ao meio da manhã, com a eucaristia celebrada na Igreja paroquial, onde foram homenageados todos os finalistas, seguindo-se o almoço. Mas alguns deles deixaram as suas famílias a almoçar e foram até Foz côa disputar pelo Desportivo de Gouveia um jogo que lhe deu o título de campeões distritais de juniores, ora a alegria era ainda maior. À noite, para além da expectativa de ver os fatos, foi possível apreciar a maneira como estes jovens se esforçaram para dançar bem a valsa, que é sempre uma imagem de marca nestas noites de gala, onde se saíram muito bem. De dizer ainda que os estudantes finalistas da EB 2,3 de Fornos de Algodres conseguiram o seu objectivo, e vão agora preparar-se para a viagem de finalistas ao sul de Espanha. Um prémio justo para o trabalho desempenhado durante estes anos de trabalho António Pacheco

Baile Finalistas em Fornos

vai realizar-se já no dia 20 de março,sabado, mais uma edição do baile de finalistas da escola EB 2e3 de Fornos, no mercado municipal, pelas 21h, mas o ponto alto é a eucaristia ás 12horas, na igreja paroquial.
um amomento alto na vida destes jovens.

Dia de S. Valentim

As comemorações de 14 de Fevereiro, , como dia dos namorados, têm várias explicações possíveis, umas de tradição cristã, outras de tradição romana, pagã.
A Igreja Católica reconhece três santos com o nome Valentim, mas o santo dos namorados parece ter vivido no século III da nossa era, em Roma, tendo morrido como mártir em 270. Em 496, o papa Gelásio reservou o dia 14 de Fevereiro ao culto de S. Valentim.
Valentim era um sacerdote cristão contemporâneo do imperador Cláudio II. Cláudio queria constituir um exército romano grande e forte; não conseguindo levar muitos romanos a alistarem-se, acreditou que tal sucedia porque os homens não se dispunham a abandonar as suas mulheres e famílias para partirem para a guerra. E a solução que encontrou, foi proibir os casamentos dos jovens! Valentim ter-se-á revoltado contra a ordem imperial e, ajudado por S. Mário, terá casado muitos pares em segredo. Quando foi descoberto, foi preso, torturado e decapitado a 14 de Fevereiro.

Festas de N. Sra. da Graça 2009

De 21 a 24 de Agosto de 2009

Sexta-feira, 21

19.00h – Abertura do Recinto – Mercado Municipal

21.30h – Animação – Baile “K5”

Sábado, 22

14.00h – V Torneio de Paintball “Fornos de Algodres”

18.00h – Saudação à Vila de Fornos de Algodres pela Sociedade Musical Filarmónica Harmonia de S. Pedro do Sul

18.30h – Procissão com a imagem de N. Sr.a da Graça da Capela para a Igreja da Misericórdia

20.00h – Abertura do Recinto – Mercado Municipal

21.00h – Concerto – Sociedade Musical Filarmónica Harmonia de S. Pedro do Sul

22.00h – Animação – Baile “Lua Cheia”

00.00h – Serenata de Fado de Coimbra – Tertúlia do Fado de Coimbra

01.00h – Lua Cheia – Parte II

Domingo, 23

10.30h – Saudação à Vila de Fornos de Algodres pela Sociedade Musical Estrela da Beira – Santa Marinha – Seia

11.00h – Missa seguida de Procissão – Igreja da Misericórdia

15.00h – Saudação à Vila pelos Bombos do Barco – Covilhã

15.30h – Animação – Mercado Municipal

– Rancho Folclórico de Gouveia

– Grupo de Música Popular “Os Capelenses” – Fornos de Algodres

– Associação de Bombos de S. Sebastião – Barco – Covilhã

19.30h – Abertura do Recinto – Mercado Municipal

21.30h – Animação – Baile com o grupo “Amanhecer”

23.00h – A Moda no Mercado – Passagem de Modelos

23.30h – TOY ao Vivo

01.00h – “Amanhecer” – Parte II

Segunda-feira, 24

18.00h – Saudação à Vila de Fornos pela Sociedade Musical Filermónica Harmonia de S. Pedro do Sul

18.30h – Recondução da Imagem de N. Sr.a da Graça da Igreja da Misericórdia para a Capela – Missa Campal

21.00h – Animação – Baile “K5”

Bodas de Ouro em Fornos

Sem dúvida que nos dia que correm, um casal atingir os cinquenta anos de casamento, é sempre um momento de grande alegria, pois cada vez mais se torna uma raridade, mas isso deve-se à vida social de hoje ser um pouco diferente do antigamente.

Neste passado domingo, 24 de Maio, António da Costa Silva e Maria Emília Silva, na Igreja Paroquial de Fornos de Algodres, renovaram os seus votos de casamento, celebrando as Bodas de Ouro, ou melhor dizendo, ultrapassaram a segunda fase de um casamento de sucesso. O casal, apesar de atingir esta data, ainda mantém uma postura bastante jovem, e como é normal, viu-se a alegria que estava nos rostos das filhas, genros, netos e netas, que felicitaram bastante o casal, assim como outros familiares que também estiveram presentes a homenagear este casal por esta façanha.

Assim é sempre com alegria e grande festividade que se saúda um casal que atinge esta marca histórica, a quem se renovam as maiores felicidades.

Por: António Pacheco-Nova Guarda

Baile Finalistas com boa moldura humana


Foi assim que os finalistas da escola EB 2,3 de Fornos de Algodres, organizaram o seu baile de gala, pois ainda assim o tempo acabaria por estar favorável, uma noite primaveril, onde o mercado municipal se engalanou e desta forma também o publico aderiu em massa para ver os filhos deste concelho realizarem assim mais uma noite inesquecível nas suas vidas, era natural a grande pressão nervosa dos jovens finalistas que tentavam assim desta maneira que nada falhasse.
Mas tudo se iniciou ao meio da manha com a eucaristia celebrada na Igreja paroquial, onde foram homenageados todos os finalistas e assim se seguiu o almoço e então á noite, para alem da expectativa de ver os fatos, também apreciar a maneira como estes jovens se esforçaram para dançar bem a valsa que assim é sempre uma imagem de marca nestas noites de gala e desta feita se saíram muito bem.
De dizer ainda, que conseguiram assim o seu objectivo e também vão agora preparar para a viagem de finalistas ao sul de Espanha.

Susana Félix apresenta “Pulsação” no TMG

A cantora e compositora reúne neste disco os temas com mais destaque na sua carreira.
No Sábado, dia 31 de Janeiro, às 21h30, Susana Félix, a voz feminina da pop nacional apresenta-se no Grande Auditório com o espectáculo “Pulsação”. Susana Félix estreou-se no final da década de 90 com o álbum Um Pouco Mais. Oito anos depois, a cantora Pop resolveu passar em revista a sua carreira e acaba de editar uma colectânea intitulada “Pulsação”. Um disco que reúne os temas que mais destaque têm tido na carreira de Susana Félix. “Mais Olhos (que barriga)”, “Flutuo”, “Fintar a Pulsação”, “Amanhecer” e “(Bem) Na Minha Alma”, são alguns dos temas interpretados neste concerto. Em palco, acompanham Susana Félix, Alexandre Frazão, na bateria, Massimo Cavalli no baixo e contrabaixo, Nuno Rafael nas guitarras, Renato Jr. nas teclas e o Trio de Metais constituído por João Cabrita, Jorge Ribeiro e João Marques. A vida artística de Susana Félix começou bem cedo. Nasceu em Torres Vedras em 1975 e apaixonada música desde sempre, dedicou-se ao canto bem cedo, e em 1988 com apenas 12 anos vence a Grande Noite do Fado, no Coliseu dos Recreios de Lisboa. De 1989 a 1994 fez teatro amador na sua terra natal. Em 1998 é convidada pela editora Valentim de Carvalho para gravar o seu primeiro disco a solo, ainda neste ano começa a compor e inicia as gravações do referido disco. Em 1999 lança-se em nome próprio com o álbum “Um Pouco Mais”, um sucesso de vendas que levou aos tops nacionais temas como “Mais olhos que Barriga” e “Um Lugar Encantado”. Lança o seu segundo álbum de originais “Rosa e Vermelho” em 2002 e parte para uma nova digressão pelo país. O ano de 2005 foi dedicado á composição, pré-produção, e gravação do seu terceiro álbum de originais “Índigo”. O referido disco foi editado no inicio de 2006 com a produção e os arranjos a cargo da própria Susana Félix e de Renato Jr, para além da composição musical que a Susana assina desde o seu primeiro trabalho a solo, neste disco a cantora e compositora assina também a maioria das letras.
in Guarda.pt
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar