Templates by BIGtheme NET
Home » Religião (page 4)

Religião

Olga Marques não se recandidata e Marisa Fonseca avança no Departamento das Mulheres Socialistas

Em ano de eleições para Distrital da Guarda, no Partido Socialista, o Departamento das Mulheres Socialistas também vai a votos e a líder atual Olga Marques, decidiu por livre vontade, não se recandidatar, depois de doze anos a liderar o Departamento.

Assim para já é conhecida uma  candidata a avançar, Marisa Fonseca vai assim a votos no próximo dia 9 de Março, o mesmo dia que também será conhecido o novo líder da Federação Distrital Socialista entre Alexandre Lote, Pedro Fonseca e José Luis Cabral.

Comandante Distrital da GNR visitou Misericórdia de Mangualde

A Misericórdia de Mangualde recebeu nesta quarta-feira, a visita do Comandante Distrital da Guarda Nacional Republica, Coronel Vitor Manuel Guerra Rodrigues e do comandante do Destacamento de Mangualde, Capitão Hugo de Albuquerque Neves Campos.
A visita teve início com a receção do Coronel Vitor Rodrigues pelo provedor, José Tomás, a que seguiu uma reunião de trabalho com a Diretora Geral e as diretoras técnicas das valências da Misericórdia.
Após a reunião, o provedor conduziu as entidades numa visita guiada às instalações, onde assinou o livro de visitas e que culminou com o almoço no refeitório de utentes do Lar Nossa Senhora do Amparo.

Por:SCMM

Misericórdia de Mangualde recebe apoio do Fundo Rainha D. Leonor

Na passada segunda-feira, dia 15 de Janeiro, a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde formalizou a assinatura do contrato de financiamento, a fundo perdido, de 100.000,00€, com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.
Este financiamento resulta da aprovação de uma candidatura apresentada ao Fundo Rainha D. Leonor, que irá apoiar cerca de 50% do total de investimento necessário, para implementação dos projetos segurança contra incêndios do Lar Nossa Senhora do Amparo (LNSA) e reabilitação do jardim da creche e do Lar.
A Cerimónia decorreu na Sala do Brasão do museu de S. Roque, em Lisboa, com a presença das 29 misericórdias apoiadas, representadas pelos seus provedores e demais mesários, concelho de gestão do Fundo, presidente da UMP, Manuel de Lemos, acompanhado pelos membros do secretariado nacional e o provedor da Misericórdia de Lisboa, Edmundo Martinho.
A Misericórdia de Lisboa, através do Fundo Rainha Dona Leonor, vai apoiar mais 29 misericórdias de todo o país, em projetos na área social e de recuperação do património. Ao todo, trata-se de um investimento de 4.996.696,28 euros, beneficiando centenas de pessoas.
A Misericórdia de Mangualde fez-se representar nesta sessão pelo seu provedor, José Tomás, acompanhado pela vice-provedora, Isabel Couto.
O provedor, José Tomás, salientou:“esta abertura da Misericórdia de Lisboa para apoiar outras misericórdias é de facto uma magnífica ideia, e só temos que estar muito orgulhosos por sermos parte deste processo, e por podermos beneficiar deste Fundo para a implementação dos nossos projetos. Esta é a segunda candidatura aprovada no espaço de um ano e aguardamos, com otimismo, a aprovação em breve de mais uma candidatura ao fundo de valorização turística do interior, neste caso para a reabilitação do complexo da Igreja da Misericórdia e outras que estão a ser preparadas”.
Na sequência da aprovação desta candidatura, a Misericórdia de Mangualde irá lançar, ainda este mês, o procedimento para adjudicação das obras de implementação das medidas de segurança contra incêndios do Lar N. Sr.ª do Amparo e reabilitação do jardim da Creche e do Lar.

Por:Misericórdia de Mangualde

Avisos e liturgia UP Aguiar da Beira e UP Fornos de Algodres

II Domingo do Tempo Comum

O autor desta reflexão deixa claro que o chamamento é sempre uma
iniciativa de Deus, o qual vem ao encontro do homem e chama-o pelo nome. Ao homem é pedido que se coloque numa atitude de total disponibilidade para escutar a voz e os desafios de Deus. Na segunda leitura, Paulo convida os cristãos de Corinto a viverem de
forma coerente com o chamamento que Deus lhes fez. No crente que vive em comunhão com Cristo deve manifestar-se sempre a vida nova de Deus.

14-01-2018
Aplicado ao domínio da vivência da sexualidade – um dos campos onde as falhas dos cristãos de Corinto eram
mais notórias – isto significa que certas atitudes e hábitos desordenados devem ser totalmente banidos da vida do cristão.
O Evangelho deste Domingo diz-nos, antes de mais, o que é ser cristão… A identidade cristã não está na simples pertença jurídica a uma instituição chamada “Igreja”, nem na recepção de determinados sacramentos, nem na militância em certos
movimentos eclesiais, nem na observância de certas regras de comportamento dito “cristão”… O cristão é, simplesmente, aquele que acolheu o chamamento de Deus para seguir Jesus Cristo. O que é, em concreto, seguir Jesus? É ver n’Ele o Messias libertador
com uma proposta de vida verdadeira e eterna, aceitar tornar-se seu discípulo, segui-l’O no caminho do amor, da entrega, da doação da vida, aceitar o desafio de entrar na sua casa e de viver em comunhão com Ele.
O nosso texto sugere também que essa adesão só pode ser radical e absoluta, sem meias tintas nem hesitações. Os dois primeiros discípulos não discutiram o “ordenado” que iam ganhar, se a aventura tinha futuro ou se estava condenada ao fracasso, se o abandono de um mestre para seguir outro representava uma promoção ou uma despromoção, se o que deixavam para trás era importante ou não era importante; simplesmente “seguiram Jesus”, sem garantias, sem condições, sem explicações supérfluas, sem “seguros de vida”, sem se preocuparem em salvaguardar o futuro se a aventura não desse certo. A aventura da vocação é sempre um salto, decidido e sereno, para os braços de Deus. A história da vocação de André e do outro discípulo (despertos
por João Baptista para a presença do Messias) mostra, ainda, a importância do papel dos irmãos da nossa comunidade na nossa própria descoberta de Jesus.

Ano B - Tempo Comum - 2º Domingo - Boletim Dominical
A comunidade ajuda-nos a tomar consciência desse Jesus que passa e aponta-nos o caminho do
seguimento. Os desafios de Deus ecoam, tantas vezes, na nossa vida através dos irmãos que nos rodeiam, das suas indicações, da partilha que eles fazem connosco e que dispõe o nosso coração para reconhecer Jesus e para O seguir. É na escuta dos nossos irmãos
que encontramos, tantas vezes, as propostas que o próprio Deus nos apresenta.

O encontro com Jesus nunca é um caminho fechado, pessoal e sem consequências comunitárias… Mas é um caminho que tem de me levar ao encontro dos irmãos e que deve tornar-se, em qualquer tempo e em qualquer circunstância, anúncio e testemunho.
Quem experimenta a vida e a liberdade que Cristo oferece, não pode calar essa descoberta; mas deve sentir a necessidade de a partilhar com os outros, a fim de que também eles possam encontrar o verdadeiro sentido para a sua existência. “Encontrámos
o Messias” deve ser o anúncio jubiloso de quem fez uma verdadeira experiência de vida nova e verdadeira e anseia por levar os irmãos a uma descoberta semelhante.

Cantar ao Menino foi em Gradiz (Aguiar da Beira)

Um pouco por toda a parte neste fim de semana se cantaram as janeiras, em Gradiz, no concelho de Aguiar da Beira, este domingo, cantaram ao menino, numa tarde bem animada.

Desta forma diversos grupos oriundos de vários pontos do concelho, entoaram diversas canções, nesta homenagem ao menino Jesus, na Igreja Nossa Sra. das Neves, na localidade de Gradiz.

No final, houve um lance convívio para todos, onde não faltou um bolo alusivo ao evento, presenteado pela União de Freguesias de Sequeiros e Gradiz.

Uma tarde de Dia de Reis animada!

Por:AP Fotos:Raízes da Terra

 

Epifania do Senhor- Avisos e liturgia

Nestes últimos dias, refletimos e contemplámos alguns momentos do nascimento de Jesus. Ficou bem expressa a ideia de que Deus cumpre todas as suas promessas. O Messias esperado é o próprio Filho de Deus. Agora, Deus manifesta-se de uma forma diferente à que estávamos habituados nos textos do Antigo Testamento. Já não se manifesta com poder e força, mas aparece pobre, humilde e indefeso. As primeiras pessoas que fizeram a experiência desta nova e surpreendente manifestação de Deus foram os pastores. Algo de novo está a acontecer nos planos de Deus!
Qual a grande novidade deste dia, expressa nos textos bíblicos? O povo eleito, o povo de Israel, vai deixar de ser o depositário privilegiado do pacto com Deus. Toda a humanidade é o grande objetivo do amor de Deus. Deus quer derramar a sua infinita misericórdia em todos os homens e mulheres. Esta é a melhor prenda que Deus coloca aos nossos pés. Os Magos do Oriente colocam aos pés do Menino Jesus três prendas: ouro, incenso e mirra. Deus coloca aos nossos pés a salvação, o amor e a misericórdia.
Mas, na primeira leitura, Isaías coloca a centralidade da sua profecia na cidade de Jerusalém. Onde está, então, a universalidade do amor de Deus? Isaías não pode abandonar a centralidade da cidade de Jerusalém, porque para ela caminharão todas as nações. Todas as riquezas das nações que chegarão a Jerusalém serão somente um reconhecimento da glória do Senhor que já desponta: “Levanta-te, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor. Todos se reúnem e vêm ao teu encontro. Afluirão a ti os tesouros do mar e a ti virão ter as riquezas das nações”. Na figura do Menino Jesus, torna-se clara a autêntica grandeza de Deus. Esta Jerusalém, radiante de alegria, já não é somente a cidade, mas toda a humanidade e toda a Igreja. A Igreja não espera que se coloque aos seus pés bens materiais, ou seja, prendas, mas anuncia apaixonadamente a grandeza do amor de Deus por toda a humanidade.
Por isso, S. Paulo, na segunda leitura, confirma a profecia de Isaías, afirmando: “os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho”. Esta é a mensagem principal desta solenidade e deste dia. Apesar das fraquezas da humanidade, Jesus veio para todos: socorrerá o pobre e o miserável, terá compaixão dos fracos e defenderá a vida dos oprimidos.
Assim, compreendemos melhor as figuras dos Magos do Oriente e quem representam. Em primeiro lugar, eles representam todos os povos que se ajoelham perante a debilidade da grandeza do Filho de Deus. A ninguém se pode impedir de caminhar para Deus. Deixemos o Espírito Santo moldar o interior de cada um. Todos somos responsáveis de não esconder a maravilhosa decisão de Deus de nos enviar o seu próprio Filho. Em segundo lugar, os Magos do Oriente comprometem-nos em ações concretas. 1) Também nos devemos colocar, cheios de fé, perante este Menino Deus e oferecer-lhe o melhor dos nossos sentimentos e das nossas capacidades; 2) Como os Magos, devemos procurar Jesus e perguntar por Ele nas nossas vidas; 3) os Magos desafiam-nos a aprofundar a nossa fé, meditando o Evangelho; 4) os Magos motivam-nos à oração. “Regressaram às suas terras por outro caminho”, ou seja, é na oração que se amadurece, ao calor de Deus, as melhores decisões para a vida; 5) os Magos ensinam-nos a regressar à nossa vida com um espírito novo.
Confortados pelo Menino Deus, poderemos transformar o mundo, cuidar dos nossos irmãos mais próximos, levar a luz de Deus aos “Herodes” de hoje (aqueles que andam nas “trevas” e não acreditam em nada) e o amor de Deus aos nossos irmãos, através da simplicidade e descrição das nossas palavras e das nossas ações.07-01-2018

Por:UPAB

foto:Acidigital

Mensagem de Ano Novo – D. Ilídio Pinto Leandro – Bispo de Viseu

Neste início de novo ano 2018, deixamos a mensagem do Bispo da Diocese de Viseu, D.Ilidio Leandro.

“Todos gostamos muito do Natal. O Natal é a celebração do nascimento de Jesus que quis viver connosco e ensinar-nos a viver como irmãos e a construirmos um Mundo Novo de paz, de fraternidade, de justiça, de verdade e de amor.

Celebrar o início de 2018 é acreditar que o Mundo Novo com estes valores é possível e é fazer tudo o que cada um de nós pode para que assim aconteça.

Sabemos que no ano de 2018 há muitas pessoas que acreditam nisto e vão fazer algum esforço para que este Mundo Novo do Natal seja uma realidade. Será mais fácil e será mesmo possível se tu, eu e os outros acreditarmos também. Eu acredito. E tu – acreditas mesmo? Se acreditas, de verdade – e queres fazer esforço, vamos – tu e eu – viver assim e convidar outros a que vivam, também, assim.

Jesus aceitou fazer o Seu Natal e dar-nos, a todos, esta prenda para que este Mundo Novo seja possível. Vamos dar esta prenda a Jesus e vamos ajudá-l’O, a sério, para que este sonho se torne realidade?

Então, vamos começar por viver os valores do Natal de Jesus em cada um de nós. Depois, não nos esqueçamos de os viver com a nossa Família. O nosso lugar de estudo e de trabalho poderá tornar-se um belo Presépio. E os meus amigos e vizinhos vão notar que eu vivo, realmente, os valores do Natal e 2018 será mesmo e de verdade, um Ano Bom.

Queres experimentar comigo, também? Então, comecemos hoje e um 2018 muito feliz!”

Feliz Ano 2018

Desejamos um Bom Ano 2018, a todos anunciantes, assinantes, leitores e amigos.

 

Casa cheia na tertúlia Museu à noite em Pinhel

O Museu à Noite de dezembro, com casa cheia, teve lugar na noite de quinta feira na Casa do Povo, da freguesia de Lameiras e pretendeu lembrar e homenagear as tradições de Natal do nosso concelho, como a Ceia de Natal, a Fogueira, a Missa do Galo, o beijar do menino Jesus ou o Presépio.

Para abordar a temática um convidado: o Reitor do Seminário Maior Interdiocesano de São José, em Braga, Pe. Paulo Figueiró, natural da diocese da Guarda.

A recebê-lo e a dar as boas vindas a todos esteve presente a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Daniela Capelo, que sublinhou a importância de manter bem vivas estas tradições de Natal.

No final todos os presentes foram convidados a degustar a “Mesa de Natal”, que contou com a participação das Juntas de Freguesia do concelho que, deste modo, deram a conhecer as suas tradições gastronómicas e o que de melhor se faz em cada uma.

Por:Mun.Pinhel

Oração para a Ceia de Natal

Nesta noite de Consoada deixamos a todos um bom Jantar, mas antes deixamos a oração para ler antes da Ceia de Natal.

Oração para a Ceia de Natal

 Ó Jesus, Menino Deus,

hoje nascido em Belém:

faz resplandecer a tua Luz, sem par,

sobre todos os que habitam esta casa,

e sobre todos os que já habitaram

e sobre todos os que nela hão-de entrar!

 

À tua Luz, congregados,

para esta Ceia, sem igual,

nós te pedimos, maravilhados:

entra, ó Jesus, nesta casa,

para que não fique escura e vazia

do fruto bendito da tua alegria!

 

Senta-te agora à nossa mesa,

ocupa o lugar principal!

És tu a Luz, o Sal,

o fermento e o Pão,

a doçura e a ternura

da nossa vida , em comunhão,

nesta noite santa de Natal!

 

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar