Templates by BIGtheme NET
Início » Desporto

Desporto

Seleção AA Feminina- Ana Borges e Sílvia Rebelo titulares no triunfo frente à Escócia

A Seleção Feminina Nacional AA  venceu em Larnaca ,a Escócia por duas bolas a zero, com Ana Borges e Sílvia Rebelo titulares uma vez mais no xadrez de Francisco Neto, na oitava e última jornada do Grupo E de apuramento para o Euro-2022

Uma vitória muito importante para a turma lusa , num encontro bastante interessante com os golos lusos a serem apontados por Ana Capeta (27′) e  Fátima Pinto (90+2′),que agora vai esperar pelo sorteio do Play off a ter lugar no próximo dia 5 de março.

Para além de Portugal estarão presentes no play-off as seleções de Rússia, Ucrânia e Irlanda do Norte. As estas seleções poderão juntar-se Itália, Suíça, Polónia e/ou República Checa. O play-off será disputado em duas mãos, entre 5 e 13 de abril.

A Equipa das Quinas, que procura a segunda participação na fase final do Europeu, depois da estreia em 2017, falhou a qualificação direta para o Euro na visita à Finlândia, onde sofreu um golo no último minuto dos descontos, enquanto a Escócia ficou afastada do Campeonato da Europa em novembro de 2020, quando perdeu com a armada lusa por 1-0.

No final da partida , o selecionador Francisco Neto referiu com satisfação (Site:FPF)que: “Foi a resposta de um grupo que não poderia apurar-se, mas deu uma resposta incrível. Se calhar, não foi o melhor jogo, não tivemos tanta bola, mas elas foram guerreiras, sempre disponíveis. Estou muito orgulhoso do que elas fizeram. Ganhámos duas vezes à equipa do pote 1 [Escócia]. Acredito que em abril [nos ‘play-offs’] vamos alcançar os nossos objetivos”.

Fotos:FPF

Associações de Futebol reagem em conjunto ao comunicado do Governo

O Governo colocou em consulta pública o já esperado e desejado Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com um valor de 13.900 milhões de Euros em subvenções, que vai permitir a realização de reformas estruturantes, centrado em três grandes áreas temáticas: reforço da resiliência económica, transição climática e digital, sendo considerado o instrumento fundamental para o desenvolvimento de Portugal na atual década.

Após a análise do documento, as Associações Distritais e Regionais de Futebol (ADR´s) deliberaram em reunião realizada em 20 de fevereiro de 2021, o seguinte documento, que por sua vez foi enviado, ao Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Dr. Fernando Gomes, ao Secretário de Estado da Juventude e Desporto, Dr. João Paulo Rebelo e ao Secretário de Estado do Planeamento, Eng. Ricardo Pinheiro.

Atendendo que:

a. Se tem verificado um grande empenhamento de todo o tecido desportivo nacional (Clubes Associações Distritais e Regionais de modalidade, Federações, COP, CPP, CDP e Autarquias Locais) na promoção da atividade física e principalmente do desporto, com resultados excelentes ao longo de muitas épocas desportivas, que tem proporcionado um cada vez maior reconhecimento internacional do país;

b. O setor do Desporto tem sofrido um enorme impacto com o aparecimento da pandemia Covid – 19, provocado pela falta de público e a paralisação da atividade dos escalões de formação, proveniente do deliberado em sucessivos Estados de Emergência, pelo Senhor Presidente da República e a sua regulamentação pelo Governo, com a agravante de não ter existido até ao momento qualquer apoio governamental;

c. Em relação à prática desportiva regular estão associados um conjunto muito vasto e variado de outros setores importantes da economia portuguesa, que, por esta via, também estarão a ser penalizados;

d. Os graves efeitos da pandemia já estão a provocar um deficiente rendimento desportivo generalizado dos cerca de 600.000 atletas federados inscritos na época anterior, com exceção dos atletas olímpicos e profissionais, tendo em conta a longa paragem das respetivas competições (2 épocas);

e. As várias organizações internacionais, das quais destacamos o Parlamento Europeu, que recentemente aprovou uma Resolução (B9 – 0115/2021, de 4 de fevereiro), em que recomendam aos Estados a inclusão nos seus planos de recuperação pós-Covid-19 a promoção do desporto, como forma de melhorar as políticas públicas de intervenção na população;

f. A prática desportiva regular é essencial para a saúde dos cidadãos, pelo que é uma estratégia transversal a várias áreas que não podemos desprezar em tempos como os que vivemos, sendo válido, tanto para o desporto sénior, como para o desporto praticado pelos escalões de formação, como um garante da defesa da saúde pública;

g. De uma forma inesperada, ao não se verificar a presença do desporto no PRR, estamos a comprometer a evolução desportiva de milhares de praticantes, que aspiram chegar ao topo da pirâmide desportiva. Algo que terá reflexo na qualidade e competitividade das nossas Seleções Nacionais e dos nossos clubes de topo, ou seja, vamos comprometer o desígnio nacional que a todos nos uniu de uma forma gratificante nos últimos anos;

h. No documento “Estratégia Portugal 2030” é indicado que o incentivo da prática da atividade física, através do fomento do desporto e da formação desportiva em todo o ciclo de vida, é uma estratégia prioritária intersetorial para promover a Saúde dos cidadãos, a par da minimização dos fatores de risco, da alimentação saudável e da educação;

i. O documento também não valoriza a disciplina de Educação Física ao nível da Escolaridade Obrigatória e do Desporto Escolar;

j. Em Portugal (2019) existiam cerca de 2,2 milhões de pobres, registando-se nas crianças o elo mais fraco, com o valor de 22,3% (com maior impacto na faixa etária dos 12-17 anos). E são precisamente as crianças que têm sido impedidas de praticar desporto, sendo, por isso, fundamental e urgente a implementação de estratégias transversais onde se insere o desporto.

As Associações Distritais e Regionais de Futebol não compreendem o critério aprovado e, por esta via, manifestam o seu descontentamento, já que nos causa estranheza o facto do desporto não se encontrar contemplado em tão importante documento, considerado fundamental para o desenvolvimento de Portugal durante a atual década.

Esta nossa posição baseia-se no facto de, na realidade, esta decisão colocar em causa, de uma forma decisiva, a sobrevivência da já debilitada atividade de muitas centenas de clubes e, assim, assistirmos ao progressivo colapsar do tecido associativo desportivo do nosso País, com todas as consequências dramáticas que isso implicará em termos de coesão territorial da nossa sociedade.

Os Clubes filiados nas Associações Distritais e Regionais de Futebol são os responsáveis pela realização de milhares de jogos semanais, movimentando várias dezenas de milhar de cidadãos, que proporcionam uma atividade semanal ao longo do ano, sendo considerado um setor de atividade económica com grande capacidade de atrair investimento e uma boa fonte de receita fiscal para o Estado.

Assim, tendo em conta o referido anteriormente, as Associações Distritais e Regionais de Futebol solicitam ao Governo que seja tomado em consideração toda esta situação, já que as competições distritais assumem um papel de relevo no desenvolvimento desportivo, mas também social e económico das regiões e do país.

A este propósito não podemos deixar de aproveitar este momento para referir que com a não inclusão do desporto no PRR se perde uma excelente oportunidade para:

1. Efetuar a Reabilitação e Modernização das instalações desportivas existentes nos Clubes, Associações Distritais e Regionais de modalidade, Federações e Centros de Alto Rendimento;
2. Elaborar um Plano de Infraestruturas Desportivas inovador adequado à atual realidade das necessidades da população;
3. Elaborar um Plano de Revitalização Financeira dos Clubes, ADR´s e Federações, onde se incluirá a formação de agentes desportivos.
Por último, e tendo em consideração o atrás exposto, apelamos à consideração do Governo para que a prática desportiva dos escalões de formação e dos seniores possa vir ainda a ser enquadrada em parte, no âmbito de alguma das dimensões apresentadas, como é o exemplo da Transição Digital, com os programas de formação de jovens e de adultos aprovados.

 

Associações Culturais e Desportivas recebem apoio da Câmara da Guarda

Apesar da conjuntura pandémica, em que grande parte das associações e coletividades têm as suas atividades suspensas ou muito reduzidas, o Município da Guarda, vai atribuir apoios financeiros no valor de 213. 207€ a Associações Culturais e Desportivas do Concelho da Guarda. A proposta recentemente aprovada na reunião do executivo municipal.

Tendo em conta o contributo do associativismo para a estratégia de desenvolvimento socioeconómico do concelho e, como forma de incentivo perante o momento difícil que se vive, a autarquia atribui apoios de 50% do valor concedido no ano anterior, independentemente da concretização ou não das atividades propostas pelas associações. De salientar que fica condicionado o valor relativo ao 2º semestre a uma eventual reavaliação e nova proposta, caso as condições de saúde permitam o retomar das atividades.

A atribuição destes subsídios do município às associações do concelho é feita no âmbito do Regulamento Municipal de Atribuição de Apoios.

 

 

 

Prémio Solidário TBM ajuda instituições do concelho da Guarda

O Clube Escape Livre criou o Prémio Solidário Transportes Bernardo Marques, em 2014, que representa a componente solidária do projeto Cápsula do Tempo Guarda 2050, vai ter, este ano, a sua 8.ª edição

A 28 de abril, Dia Mundial do Sorriso, ficará a conhecer-se a entidade que se junta ao Refugio Ana Luísa, ao Centro Cultural e Social do Marmeleiro, à Associação Para a Promoção Social Cultural e Ambiental de Avelãs de Ambom, ao Centro de Apoio à Vida/NASCER da Caritas Diocesana da Guarda, ao Centro Paroquial Nossa Senhora da Conceição da Castanheira, ao Centro de Dia de Pousade da Liga de Amigos de Pousade e à Casa da Sagrada Família, na lista de distinguidos pelo prémio, que tem o apoio da empresa de Transpores Bernardo Marques, sedeada na Guarda.

Nessa data assinalar-se-á, também, o primeiro momento de mais um aniversário da Cápsula do Tempo Guarda 2050, cujo programa prosseguirá no dia 1 de julho.

As IPSS do concelho da Guarda podem apresentar a sua candidatura, por email ou via CTT, ao Clube Escape Livre, até 10 de abril, com a indicação do projeto ou necessidade que os 1 000 € (mil euros) poderiam ajudar a colmatar. Após a receção das candidaturas, o júri constituído pelos parceiros da Cápsula do Tempo – Clube Escape Livre, Instituto Politécnico da Guarda, Rádio Altitude, e Transportes Bernardo Marques – selecionam o projeto vencedor.

Luís Celínio, Presidente do Clube Escape Livre, salienta que acreditamos que, pelo segundo ano consecutivo, devido à pandemia, este prémio seja uma ajuda ainda maior às instituições sempre tão carentes de apoio. Daí os parceiros da Cápsula do Tempo, nomeadamente a empresa de Transportes Bernardo Marques, quererem continuar com esta acção solidária”.

AD Fornos de Algodres na Taça de Portugal-Época 80/81

Medideira tremeu com os fornenses

Recuamos à temporada de 1980/81, com a AD Fornos de Algodres a mostrar o seu valor na 3ªDivisão Nacional e na Taça de Portugal, onde fez tremer o Amora, uma equipa a militar na época na 1ªDivisão Nacional.

Deste modo, nesta temporada, o Nacional da 3ªDivisão não correu tão bem, mas na Taça de Portugal o brilho foi grande, defrontando grandes equipas nacionais.

Assim, na ronda inaugural da prova rainha, 1/128 finais, a turma fornense defrontou o Sp. Covilhã, com o desaire a surgir e face a isso, numa partida em que os leões da serra foram mais fortes, mas os fornenses pela boa réplica que mostraram na verdade mereciam ter chegado ao prolongamento.

Para os leões da serra, marcaram aos 24´e 29´, digamos que foi repentino e na segunda parte, a turma fornense foi mais forte e Paulo Menano a reduzir aos 80´.

Seguiu-se uma repescagem na prova rainha, com a turma fornense a receber o Niza e Benfica e aqui o Estádio Dr. Moreira da Cruz foi talismã, dado que, aconteceu um triunfo por duas bolas a uma.

Seguiu-se nova ronda e desta vez, em sorteio calhou, o Amora FC, uma equipa da 1ªDivisão Nacional, orientado por Mourinho, pai de José Mourinho, com jogadores que seguiram para carreiras de destaque nos grandes portugueses, ora ia ser “David contra Golias”, mas os fornenses não se intimidaram.

O Nacional da 3ªDivisão não corria da melhor maneira, pois o plantel tinha sofrido algumas saídas em relação à temporada anterior.

Os fornenses rumaram ao sul com vontade de vencer, pois a taça era boa oportunidade de estes jogadores mostrarem o seu valor, muitos foram os fornenses residentes na área de Lisboa se deslocaram à Medideira para ver a sua equipa e se juntarem à claque que foi da Serra da Estrela.

Uma partida jogada no campo da Medideira, com Augusto Bailão da AF Lisboa, auxiliado por Raúl Ferreira e Carlos Jesus.

Por sua vez, o Amora apresentou: Torres, Hélder, Figueiredo, José Mendes, Peixoto, Pinto, Francisco Mário (Cruz, 76´), Arnaldo(c), Pereirinha (Coutinho, 62´), Jorge Silva e Diamantino.

Treinador: Félix Mourinho

AD Fornos de Algodres: Sobral, M.Duarte, Toninho, Cunha, Mourilhe, Verdelhos, José António, Puskas(Pinto,62´), Paulo Menano, Alfredo e Paquete(Matias, 80´).

Treinador: Bento Couceiro

Golos: Puskas, 10´; Jorge Silva,30´; Paulo Menano,57´; Figueiredo, 60´; Jorge Silva, 73´; Coutinho, 75´;

Duas vezes na frente e reta final a decair

Uma entrada forte dos serranos, com o Amora a dar um pouco de espaço, pois pensou ser fácil, mas os fornenses, abriram o ativo aos 10´com Puskas a iniciar o sonho que quase era realidade, na verdade, o Fornos teve bons momentos de futebol.

Jorge Silva a mostrar a qualidade e assim a empatar a partida, mas os visitantes não baixaram os braços e mostraram empenho, levando a igualdade para a segunda parte.

Após o reatamento, os fornenses voltaram à carga, com o segundo golo a surgir por Paulo Menano, aos 57´, voltando a passar para frente do marcador.

O Amora a reagir de imediato, com a igualdade aos 60´por Figueiredo, os fornenses tentaram equilibrar, mas na verdade, foram os locais a ampliar.

Chegaram mais dois golos para os visitantes, com Jorge Silva e Coutinho a fechar a conta, onde o Fornos deu a sua réplica mostrando mais valor.

Em suma, um bom árbitro, numa partida onde a turma fornense mostrou trabalho e empenho, com a meia surpresa a acontecer, dado que, a turma fornense conseguiu enervar o Amora.

Núcleo de Estudantes organizou evento doando as receitas ao IPO de Coimbra

O Núcleo de Estudantes de Ciências do Desporto e Educação Física da Associação Académica de Coimbra – NECDEF-AAC – decidiu doar parte do valor obtido em inscrições relativas à Formação Específica “O Jogo de Futsal”, realizada via e-learning, no passado mês de Dezembro de 2020, e que contou com cerca de 130 participantes.

A Formação Específica foi certificada e creditada com créditos UEFA e IPDJ, bem como possuiu um painel de oradores com enorme reconhecimento quer a nível nacional, como internacional (Jorge Braz, Joel Rocha, Marquinhos Xavier, Bruno Travassos, João Freitas Pinto, etc).

Desta forma, sendo o NECDEF-AAC uma associação sem fins lucrativos, que tem como principal função a representação de toda a comunidade estudantil da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, deliberou a doação de uma parte do valor total realizado com inscrições a uma instituição de solidariedade, neste caso ao IPO – Coimbra, por ser uma instituição de enorme respeito, ajudando e contribuindo diariamente com todos aqueles que necessitam, bem como por ter parte ativa no processo de evolução e desenvolvimento da medicina.

Para além disso, acreditamos que estejamos a percorrer o caminho correto, servindo de exemplo a todos os nossos colegas e estudantes da academia.

Segundo o Presidente do NECDEF/AAC Diogo Salgado Braz, a ”vontade de contribuir e ajudar boas causas, motivou-mos a fornecer ao IPO de Coimbra, uma maquia que, enquanto Núcleo de Estudantes (instituição sem fins lucrativos), acreditamos que seja uma boa ajuda tanto para o IPO de Coimbra, assim como para todos aqueles que, em situações débeis, ajudam”.

A Presidente do Conselho de Administração afirmou: “Este donativo reveste de uma enorme importância, desde logo porque é um testemunho de um gesto de solidariedade por parte da comunidade estudantil do Núcleo de Estudantes da Desporto e Educação Física da AAC. A AAC é uma casa que se norteia por princípios muito importantes, que eu também presenciei, quando fui estudante da Universidade der Coimbra, nomeadamente, o da solidariedade, numa instituição como a do IPO de Coimbra em que faz parte do seu ADN, na sua prestação de cuidados ter a possibilidade através deste gesto podermos servir melhor os nossos doentes, que é o nosso principal foco, é muito gratificante.”

 

A cerimónia de entrega do valor contou com a presença do Presidente do Núcleo do NECDEF/AAC, Diogo Salgado Braz e do IPO de Coimbra esteve presente a Presidente do Conselho de Administração, Dr.ª Margarida Ornelas.

Recordar é viver-1988/89 – Taça de Portugal-S. Romão-E. Amadora-0-3

Como recordar é viver, aproveitamos a paragem de confinamento, para trazermos aos mais velhos, uma recordação e aos mais novos que possam saber como era o futebol distrital nesta região quando havia aldeias e vilas com muita gente.

Assim neste distrito da Guarda, muitas são as equipas que têm feito história na prova rainha, claro que, diante dos grandes, a tarefa é sempre complicada devido ao desnível de orçamentos, qualidade dos plantéis, mas é sempre uma boa experiência e a nível de receita nesses tempos atrás dava uma boa fatia para complementar o orçamento.

Assim foi uma grande tarde de futebol que todos os presentes no Estádio Nossa Senhora da Conceição viveram, foi uma casa cheia, com cerca de 5 mil pessoas, era altura que ao domingo à tarde toda a gente ia ao futebol. Estávamos em 11 de janeiro de 1989, a contar para a 4ºeliminatória, isto é, uma temporada antes de os homens da Reboleira terem conquistado a Taça.

Golo antes do intervalo estragou tática

Uma primeira parte com os serranos a utilizar um esquema tático interessante, com Martins, “o patrão”, mas a fazer valer a sua experiência, juntamente com os jovens do setor iam anulando os dianteiros tricolores.

No setor atacante, Nelito, Hélder e seus pares lá iam criando oportunidades e surgiram sempre em ataque rápido, mas eis que ao cair do pano da 1ªparte, surge o golo tricolor com Nélson Borges a emendar combinação com N´Kama, após canto.

A segunda parte, trouxe uma equipa serrana mais balançada para o ataque e vai daí, Jaime muito ativo e já com Basaúla em campo, chega o segundo golo, em jogada rápida do ataque tricolor.

A partir daqui tudo, se complicou, com uma grande penalidade, fruto de corte com a mão de Laranjo, quando a bola ia para as redes serranas.
Para transformar o castigo máximo, Duílio, central experiente, atira certeiro e sem possibilidade de defesa do Keeper Vítor Esteves.

Participação digna dos serranos

Digamos que com três a zero, foi o golpe para os serranos que tudo fizeram para segurar o empate, mas, a grande experiência da turma de João Alves, conduziu ao triunfo.

Uma partida arbitrada por Francisco Caroço, onde o S. Romão era orientado pelo Liberalino Almeida e o Est.Amadora pelo técnico João Alves.
Deste modo, a turma do S. Romão alinhou com: Vítor Esteves, Martins, Laranjo, Inácio, Paulo Fontes, Filipe, Carlos Santos, Américo, Nelito, Hélder e Israel.

Jogaram ainda: Félix e Borrego
E. Amadora: Hugo, Rui Neves, Duílio, Rebelo, Caetano, Nito, Jaime Cerqueira, Nélson Borges, N´Kama e Coelho.
Jogaram ainda: Basaúla e Pedro Xavier.
Golos: Nélson Borges, 45, Basaúla,58´, Duílio,79´
Em suma, uma grande participação do S.Romão, um feito que poucas equipas podem dizer o mesmo, porque foram três triunfos e sucumbiram contra uma equipa que acabou na 9ºposição da Liga principal. Os serranos detinham um bom leque de atletas que naquela altura tinham imensa qualidade.

Fazemos uma homenagem sentida a Paulo Fontes que recentemente faleceu, mas depois, Nelito que foi e ainda é uma figura de grande destaque no historial da equipa.
Borrego que nesta altura estava a dar os primeiros passos de sénior e que veio a ter bons desempenhos, onde hoje é um treinador conceituado, na zona da grande Lisboa.
Carlos Santos, um símbolo da serra da Estrela onde defendeu muitos emblemas, Inácio que se destacou no Lusitano e mais tarde no Fornos de Algodres, entre outros.
Liberalino que passou de jogador a treinador e aqui iniciou uma carreira de técnico de sucesso por muitos clubes, sobretudo na cidade mais alta.
Uma tarde de sonho para recordar sempre, este leque de bons atletas que despontam na região.

Programa “Escape Livre” celebra 48 anos

O dia 13 de fevereiro de 1973, foi o pontapé de saída,  quando a Rádio Altitude colocou no ar a primeira
emissão do programa “Escape Livre”, que festeja o 48º aniversário no Dia Mundial da Rádio.
O programa, que começou por ter a duração de 13 minutos, partiu da iniciativa de Luís Celínio, ainda hoje o seu responsável, passou 16 anos, de 1989 a 2006, na Rádio F e aumentou o tempo de emissão para os 60 minutos.
Viu passar pela equipa inúmeras pessoas, desde Francisco Carvalho, Carlos Bento, Mário
Sucena, Luís Ribeirinho, Isabel Coelho, Jorge Antunes, João Lopes, contando atualmente
com Pinto Moreira.
Em 1986, por proposta do então presidente da Câmara Municipal da Guarda, Abílio Curto, o realizador do programa e o programa receberam a medalha da cidade e um louvor gravado
em ata.
A indústria automóvel, a segurança e a competição foram e continuam a ser os temas abordados ao longo dos milhares de emissões transmitidas. O sucesso do programa,
verdadeiro embaixador da Guarda, levou à criação do Clube Escape Livre, cujas
organizações têm contribuído para divulgar o património do concelho e de outras regiões do
país, uma vez que o êxito das suas iniciativas o levou a explorar outros recantos do país.
Atualmente transmitido às quintas-feiras, com a duração de uma hora depois do noticiário das
18H na Rádio Altitude, e com reposição ao sábado, a edição desta semana, entre outros
temas, recorda sons originais do Programa de 24 de julho 1986, como o passeio surpresa
Escape Livre / Rádio Altitude, o circuito de Vila do Conde ou a decisão da Câmara Municipal
que atribuiu a primeira de muitas distinções que o Escape Livre tem recebido ao longo dos
anos.

Fornos por todos nós – Novo pacote de medidas


Aprovado novo pacote de medidas à economia local – Fornos – Por todos Nós (2.ª Fase)

Considerando a situação pandémica vivida no Concelho de Fornos de Algodres em virtude da Covid-19 e aos seus impactos negativos na economia local, o Executivo Municipal de Fornos de Algodres aprovou, por unanimidade, em reunião de câmara ordinária de 12/02/2021 ”Programa “Fornos – Por Todos Nós [2.ª Fase]”. 

Este novo programa tem alocado um pacote financeiro de 360 mil euros e, à semelhança do pacote de medidas da 1.ª Fase, será direcionado às Famílias, Empresas, IPSS e restantes entidades sediadas no Concelho de Fornos de Algodres, em total cumprimento com o regulamento aprovado. 

regulamento que deverá ser consultado no site do Município de Fornos de Algodres – AQUI – contempla 28 medidas de apoio, tendo por base o apoio às entidades do Concelho, à proteção dos rendimentos, à educação e ao setor da Solidariedade. 

  1. Simplificação e alargamento do âmbito de aplicação e Reforço do Orçamento do Programa de Emergência Social; 
  2. A implementação do Projeto “Uma Escola para Todos”; 
  3. Programa de Apoio Alimentar aos Alunos do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres; 
  4. Isenção de 100% das Tarifas de Água, Saneamento e Resíduos Sólidos Urbanos para as IPSS e Empresas; 
  5. Isenção de 100% nas tarifas da água e saneamento para Juntas de Freguesia e famílias do Concelho;
  6. A suspensão dos cortes de fornecimento de água e autorização para pagamento em prestações até 6 meses; 
  7. Isenção total até dezembro de 2021 de algumas taxas municipais; 
  8. A simplificação do Programa de Apoio aos Ovinicultores; 
  9. A implementação de um Programa de Promoção dos Produtos Endógenos em especial do Queijo Serra da Estrela; 
  10. Programa de Apoio às Empresas com sede fiscal no concelho em Layoff, ou com quebras superiores a 30% no volume de negócios por força do diploma que decretou o estado de emergência 
  11. A suspensão do pagamento das rendas até 30 de abril aos residentes das habitações sociais do município; 
  12. A simplificação e imediata transferência das verbas dos Acordos de Execução com as Juntas de Freguesia; 
  13. A isenção do pagamento de rendas comerciais dos estabelecimentos municipais encerrados ou com quebras superiores a 30% no volume de negócios por força do diploma que decretou o estado de emergência; 
  14. Programa de Reforço de Recursos Humanos das Equipas Municipais; 
  15. Programa de Apoio à realização de testes COVID 19; 
  16. Programa de Apoio aos Órgãos de Comunicação Social Locais; 
  17. Simplificação do Programa Bolsas de Estudo para Alunos do Ensino Superior; 
  18. Programa de Apoio às Instituições de 1ª Linha no combate à pandemia COVID 19; 
  19. Simplificação do Programa de Apoio à Natalidade; 
  20. Atribuir de imediato um subsídio à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres; 
  21. Autorização para o alargamento do espaço destinado a esplanada por forma a manter o número de lugares sentados dos estabelecimentos. 
  22. Isenção do pagamento de parquímetros no concelho de Fornos de Algodres; 
  23. Programa de disponibilização de Alojamento COVID19; 
  24. Apoio a Instituições com respostas de Serviço de Apoio Domiciliário Comprometido; 
  25. Linha Verde COVID19; 
  26. Implementação do Programa Rede Solidária do Medicamento; 
  27. Programa de Apoio Alimentar às Instituições de 1ª Linha no combate à pandemia do COVID19; 
  28. Programa de Recolha de Resíduos em Entidades com surtos Ativos. 

 Importa destacar que estes apoios e isenções que resultam em aumento de despesa e perdas de receita municipaltendo tido parecer positivo do Fundo de Apoio Municipal (FAM)pelo que não colocam em causa a sustentabilidade económica e financeira da Câmara Municipal. 

AF Guarda- Esclarece ponto de situação aos clubes

Em comunicado emitido nesta sexta-feira , pela direção da Associação de Futebol da Guarda  com alguns pontos sobre o atual e futuro panorama do futebol e futsal distrital, aos clubes filiados, depois da  reunião entre as Associações Distritais e a Federação Portuguesa de Futebol.

Assim, e segundo a comunicação, está definido o seguinte:

  • Prevê-se o regresso das provas de formação durante o mês de abril, e neste sentido o período de inscrições de atletas que terminaria a 28 de fevereiro será prorrogado;
  • Os Campeonatos Distritais interrompidos, serão retomados no final de março/inicio de abril, não havendo, no entanto, por parte da DGS informações ainda sobre a permissão de entrada de público nos estádios.
  •  Todos os clubes que tenham iniciado as suas provas e que foram obrigados a pararem as suas competições nos diversos Campeonatos, serão apoiados pela Federação Portuguesa de Futebol, que irá distribuir uma verba de cerca de 2,2 Milhões de Euros por todos os clubes dos campeonatos distritais de todo o país. A verba a atribuir será creditada aquando da retoma das provas.
  • A FPF ainda não tem conhecimento de um eventual apoio por parte do Governo, que a existir, reforçará a ajuda aos clubes.

A AF Guarda informa ainda que continua “a acompanhar todos os desenvolvimentos e a transmiti-los aos nossos filiados.”