Templates by BIGtheme NET
Home » Saúde (page 30)

Saúde

Artigo de opinião:Será que tenho Alzheimer?

alzeMais um colaborador em artigos de opinião, o fornense Pedro Oliveira,possui um blog sobre saúde (afetivamente.blogspot.pt,  Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Atualmente interno de Psiquiatria no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Docente da cadeira de psicofarmacologia no mestrado em Saúde Mental da Escola de Enfermagem de Coimbra. A frequentar uma pós-graduação em Terapia Familiar.

Será que tenho Alzheimer?

Certamente que já se deparou com a preocupação de algum amigo ou familiar em ter Alzheimer. A tão mal fadada doença “descoberta” pelo senhor que lhe deu nome há cerca de 100 anos, teima em não ter cura, nem tão pouco um tratamento eficaz. Por essa razão, muitas pessoas que experienciam certos esquecimentos como onde puseram as chaves do carro, o código do multibanco, as datas de aniversários, o nome de determinada pessoa, pensam logo na terrível hipótese “Será que tenho Alzheimer?”. Como se não bastasse, esses pensamentos ocorrem mais frequentemente em alturas em que a pessoa anda mais desanimada ou ansiosa.

Acontece que a depressão e a ansiedade podem muitas vezes imitar os sintomas da demência de Alzheimer, tornando a questão num círculo vicioso. A pessoa ansiosa/deprimida esquece-se, como está deprimida pensa de maneira mais negativa e acha que tem Alzheimer, levando a mais ansiedade e consequentemente, mais esquecimentos. Esta associação é tão comum que levou alguns autores a chamá-la de “Pseudo-demência”. Felizmente, ao contrário da verdadeira, esta demência tem um tratamento eficaz podendo mesmo falar-se em cura.

Embora semelhantes, há algumas pistas que ajudam a distinguir as duas, como ilustra a tabela seguinte:

  Depressão Demência
Início Súbito com possível fator precipitante Insidioso
Curso Flutuante Lento e progressivo
Memória Melhor do que a autoavaliação Pior que a autoavaliação
Humor Deprimido Variável
Quando testada Respostas tipo “não sei”, “não sou capaz” Habitualmente esforça-se por responder
Reação do doente Hipervalorização dos défices “estou muito mal” Desvaloriza os défices
Resposta ao tratamento antidepressivo Boa com restabelecimento da memória Sem resposta

Água da rede pública adequada ao consumo humano em Penalva

aguaA Câmara Municipal de Penalva do Castelo comunica que a qualidade da água do sistema de distribuição da rede pública está adequada ao consumo humano de acordo com o estipulado no Decreto-Lei n.º306/07 de 27 de Agosto.
A água distribuída na rede pública é captada, tratada e controlada através de um controlo operacional diário e submetida a centenas de análises anuais, em laboratório acreditado. Os resultados obtidos são controlados pela Autoridade de Saúde (Delegado de Saúde), bem como pela entidade reguladora do setor – ERSAR.
A autarquia tem realizado um conjunto de ações e esforços visando a melhoria da qualidade da água fornecida aos munícipes.
Nesse sentido e no seguimento da entrada em funcionamento da primeira Estação de Tratamento de Água (ETA), procedeu recentemente à limpeza e desinfeção das condutas de água e reservatórios pertencentes à Zona de Abastecimento do rio Dão, algo que nunca tinha sido efetuado.
A tubagem da habitação, pode afetar a qualidade da água, devido à sua antiguidade, pelo que aconselhamos os proprietários/utilizadores a reverem as condições da mesma.
Os resultados trimestrais do controlo analítico efetuado à água para consumo humano, podem ser consultados no sítio do Município de Penalva do Castelo |cm-penalvadocastelo.pt .

Por:Mun.PC

Artigo de opinião: Desmitificando a Terapia da Fala

terapia_da_falaJá alguma vez ouviu falar na Terapia da Fala? Já precisou de ter Terapia da Fala?
Muitos são os mitos por detrás desta profissão e poucas são as pessoas que sabem ao certo a função de um Terapeuta da Fala.
Em Portugal, a Terapia da Fala existe há mais de 50 anos, mas não tem sido muito divulgada. Criou-se e enraizou-se a ideia de que este profissional ensina as “crianças a falar”, que só serve para os “gagos” ou para os “surdos”. Assim, estas publicações, surgem no sentido de desmistificar o conceito de que este profissional intervém apenas na fala das crianças e adultos.
O Terapeuta da Fala é o profissional de saúde responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico e tratamento da comunicação humana, onde se destaca a comunicação não-verbal, funções relacionadas com a fala e compressão/expressão da linguagem oral e/ou escrita, mas também da deglutição.
Sabia que:
– Desde o nascimento que o Terapeuta da Fala tem um papel fundamental para o desenvolvimento do bebé? Os cuidados podem ser prestados ao nível da amamentação, alimentação e comunicação entre os bebés e os pais/cuidadores.
– Nas crianças em idade pré-escolar, a sua intervenção se foca na promoção das competências linguísticas, vocais e de comunicação, bem como na intervenção nestas perturbações?
– Em crianças e jovens em idade escolar exerce um papel crucial na intervenção das perturbações da leitura e escrita, na potencialização da comunicação e na gaguez?
– Na idade adulta, o seu foco de intervenção é maioritariamente em perturbações adquiridas, patologias vocais e de deglutição, alterações fisiológicas na estrutura orofacial que limitam a funcionalidade dos órgão articulatórios? E que ainda tem um papel preponderante na promoção das competências da comunicação e qualidade vocal?
Não é necessário ter um problema ou uma doença para procurar um Terapeuta da Fala, nem existe uma idade definida para consultar um especialista nesta área. Neste sentido, uma observação feita atempadamente é tanto mais favorável, quanto mais precocemente for iniciada a intervenção terapêutica.

Foto:Primus.pt

Por:Ana Carolina Marques-APSCDFA

Cuidados a ter com “escaravelho da palmeira”

EVITE PROBLEMAS PARA O ECOSSISTEMA E PARA A SAÚDE PÚBLICA

 

Consciente dos problemas para o ecossistema e para a saúde pública que o “escaravelho da palmeira” pode causar, a Câmara Municipal de Mangualde alerta para os principais sintomas a detetar e para as principais formas de o combater.

 O “escaravelho da palmeira”, também conhecido como “escaravelho vermelho”, ataca diversas espécies de palmeiras provocando estragos importantes que podem conduzir à sua morte. Alguns dos sintomas que nos permitem detetar a eventual presença do inseto são: folíolos roídos e desiguais, em particular nas folhas centrais – aspeto serrilhado, folhas centrais pendentes, facilmente destacáveis, orifícios e galerias na base das folhas, também visíveis na zona de corte das podas, presença de larvas e/ou casulos com pupas ou adultos na base das folhas, coroa desguarnecida de folhas jovens no topo, coroa com aspeto achatado pelo descaimento das folhas centrais – aspeto chapéu-de-chuva aberto.

Se estes sintomas se verificarem é urgente tomar medidas. Assim, no caso das palmeiras muito infestadas ou mortas deverá proceder-se ao abate e destruição da mesma. Contudo, deverá ser tratada com produto homologado antes do corte para evitar dispersão dos adultos no momento do abate. Este tratamento pode ser dispensado se o abate for efetuado entre Novembro e Fevereiro. Após eliminação das folhas, cortar a coroa e o espique até não se observarem galerias da praga na zona de corte, aplicar pasta cicatrizante com ação inseticida na zona de corte do espique, recolher todos os materiais e resíduos (p.e. – casulos) resultantes do abate, destruir no local por queima, trituração ou aterro a pelo menos 2 metros de profundidade. Na impossibilidade de destruir no local, o transporte deve ser efetuado em camião fechado ou coberto com lona

ou rede que evite a dispersão de insetos, devendo a destruição (queima, trituração ou aterro) decorrer com a maior brevidade possível.

No caso das palmeiras com sintomas leves ou pouco infestadas deverá efetuar uma poda sanitária e tratamentos fitossanitários, de forma a eliminar todas as folhas que apresentem orifícios ou galerias provocadas pela atividade das larvas e proceder à limpeza de toda a parte afetada da palmeira até chegar aos tecidos sãos, tendo o cuidado de não danificar o gomo apical.

 

Por fim, no caso das palmeiras sem sintomas visíveis, deverão ser aplicadas medidas culturais preventivas e, se houver risco fitossanitário, tratamentos fitossanitários. A poda deverá ser feita entre novembro e fevereiro.

Podar só as folhas secas, evitando podas excessivas (tipo “ananás”), deverá efetuar cortes lisos e não lascados, destruir por queima, trituração ou enterramento os resíduos resultantes da poda. Se necessário o corte de folhas verdes, proteger a superfície de corte com pasta cicatrizante com ação inseticida. Se localizadas nas proximidades de exemplares atacados, efetuar tratamentos fitossanitários.

Por:Mun.Mangualde

 

Emprego:Hospital da CUF Viseu continua a recrutar pessoal

Medical team isolated in white

A abertura do Hospital CUF Viseu enquadra-se na estratégia do grupo José de Mello Saúde de expansão no território nacional, fazendo chegar a diversas áreas geográficas a experiência e a qualidade clínica da rede CUF.

Com uma localização estratégica, este possibilitará o acesso a serviços de saúde de excelência por parte dos viseenses e de todos quantos habitam os 24 concelhos do distrito.

Este hospital generalista, que oferece todo o tipo de cuidados de saúde, continua a ter abertas candidaturas de emprego.

Para se candidatar a um emprego em Viseu ou em outros hospitais do grupo pode fazê-lo através da página eletrónica José de Mello Saúde ou a partir do Site do Hospital CUF Viseu.

http://www.cufviseu.pt/Content/Trabalhe+connosco

http://www.josedemellosaude.pt/…/Pessoas+e…/Recrutamento/183

Por:BMPC

ANPC homenageou Bombeiros que faleceram em 2015

dia prote civil Decorreu esta terça-feira, na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil, a cerimónia evocativa do 1 de março, Dia da Proteção Civil, presidida pela Senhora Ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.
O Dia da Proteção Civil é  um momento de celebração de alcance nacional e internacional e defende como ideia central a necessidade de convocar todos os cidadãos – famílias, escolas, comunicação social, empresas, universidades – todas as comunidades e agentes de um território, para esta causa pública que é a proteção perante o acidente e a catástrofe.
E porque a proteção civil se faz desta capacidade de ligar serviços, recursos, saberes e competências, foi feita homenagem a duas entidades de absoluto relevo para a condução da nossa missão – o Instituto Português do Mar e da Atmosfera e o Instituto Nacional de Emergência Médica.
No contexto da cerimónia foram ainda recordados os bombeiros – Francisco Martins, dos BV de Fornos de Algodres
e José Joaquim Moreira, do BV de Carcavelos e S. D. de Rana, que perderam a vida em serviço (em 2015), com a entrega aos seus familiares da Medalha de Mérito de Proteção e Socorro, operacionais cuja coragem e entrega, em muito contribuíram para a segurança e bem-estar dos seus concidadãos. A homenagem estendeu-se ao elemento da Força Especial de Bombeiros, Telmo Lopes, que integrava ainda o BV de Pernes e cuja morte igualmente precoce , surpreendeu a todos, dando-se nota pública da sua conduta anprprofissional exemplar, de entrega e dedicação à causa dos bombeiros e da proteção civil.

fotos: ANPC/JMV

Por:ANPC

AD Fornos de Algodres inicia aulas de Zumba a 29 de fevereiro

A  Associaçãozumba Desportiva de Fornos de Algodres vai agora também debruçar-se numa outra vertente de modalidades, isto é ,  Zumba, onde decerto vai captar ainda mais o público feminino que é um verdadeiro fã desta modalidade.

Desta forma, as aulas vão iniciar-se já esta 2ªfeira, nas instalações da Casa do Povo de Fornos de Algodres, pelas 19h10 e claro abertas a todas as idades.

Vai funcionar depois com duas aulas semanais, esta é uma forma de libertar todo o stress acumulado ao longo do dia e poder chegar a casa a sorrir.

Por:António Pacheco

Esclarecimento sobre o uso não profissional de Produtos Fitofarmacêuticos

fitoOs utilizadores não profissionais («Utilizador não profissional»: o público em geral a quem é permitido manusear e aplicar produtos fitofarmacêuticos em ambiente doméstico), não necessitam de formação e podem adquirir produtos que estão identificados no sítio da DGAV em Produtos Fitofarmacêuticos: Lista dos Produtos Fitofarmacêuticos Autorizados para uso Não Profissional.

Caso pretendam utilizar produtos de uso profissional (que dispõem da frase: “Este produto destina-se a ser utilizado por agricultores e outros aplicadores de produtos fitofarmacêuticos.”), então terão que ter formação obrigatória que os habilitem para obtenção de cartão de aplicador e neste caso aplica-se a Lei 26/2013.

Ainda, para melhor esclarecimento, informamos que a Lei n.º 26/2013 de 11 de abril, regula as atividades de distribuição, venda e aplicação de produtos fitofarmacêuticos para uso profissional e resulta da transposição da Diretiva n.º 2009/128/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 21 de outubro. Esta Diretiva tem por objetivo uma utilização sustentável dos pesticidas, através da redução dos riscos e efeitos da sua utilização na saúde humana e no ambiente, promovendo o recurso à proteção integrada e a técnicas alternativas, designadamente não químicas, aos produtos fitofarmacêuticos.
De acordo com a Lei 26/2013 e relativamente à obrigatoriedade da formação, esta dependerá dos produtos fitofarmacêuticos em questão.
Os produtos fitofarmacêuticos dividem-se em 2 grupos:

  • Produtos fitofarmacêuticos de uso profissional, que são todos aqueles que dispõem da frase: “Este produto destina-se a ser utilizado por agricultores e outros aplicadores de produtos fitofarmacêuticos.” Todos aqueles que pretendam aplicar produtos fitofarmacêuticos de uso profissional, devem dispor de certificado da ação de formação em Aplicação de produtos fitofarmacêuticos, até 26 de novembro de 2015.
  • Produtos fitofarmacêuticos de uso não profissional – A utilização destes produtos aplica-se em ambiente doméstico – plantas de interior, hortas e jardins familiares. Neste caso a formação não é obrigatória.

No caso de utilizador de produtos fitofarmacêuticos de uso profissional a formação é obrigatória.

Por:Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento rural

foto:GC

Workshop gratuito para futuros pais em Mangualde

unnamedDecorrerá em Mangualde no próximo dia 20 de fevereiro, sábado, na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, um Workshop gratuito para futuros pais, onde serão abordadas várias temáticas relacionadas com a ‘Preparação para a Parentalidade’. A formação tem como objetivo informar, sensibilizar e ultrapassar dificuldades relacionadas com a maternidade. O momento contará com a presença de vários especialistas em saúde materna e obstetrícia do Centro de Saúde de Mangualde e decorrerá entre as 16h00 e as 18h00. Este encontro é organizado pelo Guia Mamãs & Bebés, em parceria com a Câmara Municipal de Mangualde, a BebéCord e a Bebé4D.

A primeira temática será sobre ‘Trabalho de parto’, onde uma enfermeira especialista em saúde materna e obstetrícia irá abordar questões como: sinais e alertas; estratégias no alívio da dor; e respiração, posturas e relaxamento. Segue-se a temática ‘Criopreservação das células estaminais’, onde a BebéCord irá refletir sobre o que são as células estaminais, a diferença entre o sangue e o tecido do cordão umbilical e a aplicações terapêuticas. Serão entregues kits de amostra.

INSCRIÇÕES

Inscrições em www.mamasebebes.pt, workshop@mamasebebes.pt, T. 935 726 691.

GUIA MAMÃS & BEBÉS

O Guia Mamãs & Bebés é um manual de acompanhamento a grávidas e recém mamãs (com bebés até 1 ano), escrito pela Associação Portuguesa de Nutricionistas, Associação para a Promoção da Segurança Infantil, Enfermeiras Especialistas em Saúde Materna, Direção Geral de Saúde e Plano Nacional de Leitura.

É distribuído gratuitamente nos hospitais, centros de saúde, lojas de puericultura, consultórios de obstetrícia e pediatria e centros de ecografias.

Por:Mun.Mangualde

conferência: “Toxicodependências – Estigmas e representações sociais em Seia

conf seiaDecorreu esta tarde no Auditório da Casa Municipal da Cultura de Seia a conferência: “Toxicodependências – Estigmas e representações sociais”, com os oradores João Curto, Psiquiatra e Diretor da Unidade de Desabituação de Coimbra e António Ferreira, Médico de Saúde Pública e Ex-Diretor do CAT da Guarda.
Organizada pelo Projeto Alavanca, da Associação de Beneficência do Sabugueiro, a conferência contou com cerca de 120 participantes, entre alunos, diretores, técnicos e responsáveis de escolas e outras entidades do concelho.

O Projecto ALAVANCA é um projecto de reinserção social na área das dependências, nos concelhos de Seia e Gouveia, promovido pela Associação do Sabugueiro e financiado pelo SICAD – Serviço de Intervenção nos Comportamentos aditivos e dependências.

Iniciou-se em 2009 e daí para cá tem vindo a desenvolver os seus objetivos principais, sobretudo na Sensibilização e encaminhamento dos indivíduos em acompanhamento para tratamento da sua dependência.

Presta apoio Psicossocial aos utentes, através de visitas domiciliares, colmatando falha de rede de transportes públicos destes concelhos e dificuldade de deslocação aos serviços centrais.

Paralelamente, dinamiza várias acções que possibilitam uma área de atuação mais ampla.
De forma a combater o estigma e o preconceito social que está associado a dependentes alcoólicos e toxicodependentes, o projecto alavanca organizou em Dezembro uma conferência sobre “Dependência Alcoólica, desconstruindo mitos. Prevenir a desinserção e potenciar a integração”, com Ana Feijão, coordenadora da unidade de alcoologia de Coimbra, e que na altura contou com 170 participantes, entre estudantes, diretores, técnico de IPSS e outras entidades e escolas.

Por:CMCS

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar