Templates by BIGtheme NET
Home » Serra

Serra

Plataforma sobre restaurantes e outro comércio local em Mangualde

Está disponível uma plataforma com informação georreferenciada sobre os estabelecimentos comerciais e outros serviços que estão abertos no concelho durante o período em que vigora o Estado de Emergência. Esta plataforma, permite a consulta por tipo de estabelecimento, por freguesia, morada ou nome do estabelecimento, numa iniciativa da Câmara Municipal de Mangualde, em parceria com as Juntas de Freguesia e a Associação Empresarial de Mangualde.

Mapa aqui:https://www.cmmangualde.pt/servicos-e-estabelecimentos-abertos/

Com a capacidade de funcionamento em dispositivos fixos ou móveis, a plataforma estará em permanente atualização. Para o efeito, está disponível na página do município, um formulário de adesão dirigido aos comerciantes que pretendam registar o seu negócio. No caso de ser detetada alguma informação incorreta, os contributos deverão ser enviados para o endereço eletrónico do gabinete de sistemas de informação geográfica sig@cmmangualde.pt.

Recorda-se que só estão disponíveis os estabelecimentos e os serviços que estejam a operar no cumprimento estrito da legislação aplicável, nomeadamente o Decreto n.º 2-A/2020 de 20 de março, nomeadamente, os serviços de primeira necessidade ou considerados essenciais.

Covid-19-AHRESP realizou inquérito às empresas

Foi realizado um inquérito no âmbito do COVID-19 às empresas:

do alojamento turístico e da restauração e bebidas. Principais conclusões:
• Cerca de 75% das empresas refere que estão encerradas;
• 1/3 das empresas não conseguiu pagar salários em março;
• Cerca de 50% das empresas vão avançar para o lay-off;
• Das empresas que vão avançar para lay-off, 70% refere que não conseguem pagar salários em abril se a Segurança Social não entregar o apoio a tempo;
• Cerca de 77% das empresas não recorreram a apoios financeiros;
• Das 23% empresas que o fizeram, a linha de apoio do Turismo de Portugal foi a mais referenciada (56%);
• Cerca de 58% das empresas refere que as linhas de apoio financeiro não são adequadas às necessidades das empresas, e indicam apoios a fundo perdido e isenção de impostos como as principais soluções para apoiar o tecido empresarial;
• 80% das empresas estima zero vendas em abril e maio;
Para ver inquérito na íntegra consulte o Site AHRESP: https://ahresp.com/2020/04/conclusoes-do-inquerito/

Deslocações de trabalhadores na Páscoa – Para que seja possível circular fora do concelho de residência permanente entre 9 a 13 de abril, é necessária uma declaração. AHRESP disponibiliza minutas.

Mapas de Férias –Conselho de Ministros aprovou medidas excecionais, entre as quais a possibilidade do mapa de férias dos trabalhadores ser aprovado e afixado até 10 dias após o termo do estado de emergência.

Suspensão de admissão de hóspedes na Madeira

Sobre as medidas apresentadas pela AHRESP:

Apoio a Fundo Perdido às Empresas – Urgência reforçada pelos exemplos que têm sido reportados de operações bloqueadas ou recusadas pelo Sistema Bancário/Sociedades de Garantia Mútua.

Lay-off – Apoio efetuado através da Segurança Social nos 2/3 da remuneração ilíquida do trabalhador deve ser de 90%.

Campanha “Todos por Todos – Porque os doentes oncológicos vão precisar mais de si” da LPCC

O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC) lança a campanha de angariação de fundos “Todos por Todos – Porque os doentes oncológicos vão precisar mais de si”, com o objetivo de adquirir mais bem alimentares, bem como equipamentos hospitalares e de proteção individual, a serem entregues ao IPO de Coimbra, outras Unidades Hospitalares, Centros de Saúde, lares e residências de idosos de toda a região centro, enquanto decorrer esta fase crítica. Logo que os aspetos logísticos estejam mais normalizados, a LPCC.NRC quer reforçar o apoio aos doentes oncológicos e suas famílias (diretamente ou através de estruturas locais de apoio).
Para o presidente do Núcleo Regional do Centro da LPCC, Vítor Rodrigues: “ao proteger os profissionais de saúde estamos a proteger os doentes oncológicos e seus familiares. A AJUDA DE TODOS É FUNDAMENTAL PARA REFORÇAR O APOIO”.
Esta angariação é apenas parte do processo total em marcha. Dá continuidade ao plano estruturado de ação que a LPCC.NRC tem em curso para a Região Centro, cujo esforço orçamental chegou, até ao momento, aos 145 mil euros de aquisição de materiais e bens. Alguns foram já entregues, outros já encomendados e outros o serão à medida que forem sendo identificados e haja disponibilidade no mercado.
De momento, a campanha “Todos por Todos – Porque os doentes oncológicos vão precisar mais de si” já angariou mais de 23 mil euros. Arranca com o apoio da empresa Pereira & Santos – Cash & Carry que atribuiu o donativo inicial de 22.323,20 euros. A título simbólico, os membros da Direção do Núcleo Regional do Centro da LPCC (QUE SÃO VOLUNTÁRIOS) contribuíram também com um donativo GLOBAL de 700€.
Os contributos para esta campanha podem continuar a ser feitos através da página www.ligacontracancro.pt/tpt. Os donativos devem ser efetuados através da conta solidária: IBAN: PT50 0035 0528 00022158130 64 ou endereçando donativos em espécie (contactos para o efeito: 239 487 490 ou 918 539 741).

Misericórdias de Trancoso e Fornos de Algodres colocam Unidades Móveis de Saúde ao dispor da ULS Guarda

Face à pandemia Covid-19, a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela solicitou o esforço dos Municípios, que em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia dos seus concelhos reunissem esforços.

Assim a Santa Casa da Misericórdia de Trancoso e de Fornos de Algodres, já disponibilizaram as suas unidades móveis de saúde à ULS da Guarda, para rastreamento da Covid-19.

 

PAN requer audição do MAI sobre as medidas de prevenção da época de incêndios florestais

Em comunicado, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza anunciou que requereu uma audição urgente, por videoconferência, do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, com vista a apurar quais são as medidas e meios que estão previstos para preparar a época de maior risco de incêndios florestais, particularmente no atual exigente contexto de surto epidemiológico de Covid-19. Uma das preocupações do PAN prende-se com o facto de o Governo ter decidido adiar o prazo para que os proprietários procedam à limpeza dos terrenos, mas também com a necessidade de assegurar a melhor coordenação e gestão dos recursos humanos e materiais, de modo a que se possa garantir em simultâneo um combate eficaz à propagação da Covid-19 e aos incêndios florestais.

“Pretendemos com esta audição que o ministro da Administração Interna venha prestar ao Parlamento e aos cidadãos todos os esclarecimentos sobre como se está a preparar o país para prevenir épocas de incêndios com a gravidade como aquela a que, infelizmente, temos vivido nos últimos anos”, explica a líder parlamentar e deputada do PAN, Inês de Sousa Real. “A última coisa de que o país precisa neste momento é de duas crises em simultâneo: a Covid-19 e os incêndios”, remata.

O PAN pretende, por conseguinte, garantir que, tanto quanto possível, esteja definida atempadamente uma estratégia coerente e integrada, com uma clara definição de competências e dos meios atuantes no terreno na fase de prevenção e de combate aos fogos florestais, um flagelo, que no quadro das alterações climáticas, tem devastado, em particular nos anos mais recente, povoações, valores naturais e habitats com elevado estatuto de proteção, feito centenas de vítimas humanas e não-humanas.

No âmbito da Operação Floresta Segura 2020, a GNR registou 23.468 incumprimentos na limpeza de terrenos nas 1.124 freguesias prioritárias e instaurou 225 autos de contraordenação por queimadas e queimas de sobrantes, até ao passado dia 15 de março. Devido ao estado de emergência, e de acordo com esta fonte, encontram-se suspensas, desde 12 de março, as ações de sensibilização e todas as ações que impliquem a concentração de pessoas.

Em 2019, de acordo o último relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que disponibiliza ainda apenas os dados provisórios  – os quais ficam aquém dos números da GNR -, entre 1 de janeiro e 16 de outubro do ano passado, registaram-se 10.841 incêndios rurais que resultaram em 41.622 hectares (ha) de área ardida.

Mangualde lança “Estamos juntas/os – Linha de Apoio Social ao Voluntariado”

A Câmara Municipal de Mangualde lançou uma nova plataforma : Estamos juntas/os – Linha de Apoio Social ao Voluntariado” é uma iniciativa  para ajudar quem mais sente o impacto do COVID-19, limitando as suas vidas. Tem como principal objetivo dar resposta a esta nova realidade, com base em ações de voluntariado e de solidariedade, para apoiar quem mais precisa.

“O país vive um momento delicado, devido ao surto de doença por Coronavírus SARS-COV-2, agente causal da COVID-19. Numa altura em que o medo, as limitações e o isolamento social imperam, a vontade de ajudar o próximo deve sobressair. O voluntariado é, assim, uma via para quem quer dar esse apoio e para quem promove esse suporte”, explica o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira.

Trata-se de uma Plataforma online de Apoio ao Voluntariado e funciona como um elo de ligação entre a oferta e a procura de oportunidades de voluntariado, apoiando o recrutamento de voluntários e o seu enquadramento.

O primeiro passo é o preenchimento do formulário aqui

A candidatura vai diretamente para a coordenação de voluntários/as da Rede Social de Mangualde, que analisa a candidatura e encaminha para a área de interesse do candidato.

Os voluntários deverão ter as seguintes características: maior de 18 anos e inferior a 50 anos; capacidade empática; responsável; comunicativo; capacidade de iniciativa; capacidade de trabalhar em equipa; disponibilidade para exercer no mínimo 4 horas semanais; e não podem pertencer aos considerados grupos de risco.

Os voluntários têm direito a receber apoio no enquadramento, seguro de voluntário e equipamento individual de proteção.

Novos casos no Distrito da Guarda

Celorico com mais 1 caso

Aos poucos o distrito da Guarda vai tendo novos casos, em Celorico da Beira , surgiu mais um caso, na localidade de Fornotelheiro, em Pinhel são 14 casos já confirmados, Gouveia passa a ter 12, Seia tem 4, Trancoso tem 9, Almeida tem 7, a Guarda com 4 e Foz côa tem 76.

Depois ainda existe um leque de Concelhos que não apresenta casos.

Estado de Emergência renovado até 17 de abril

O Estado de Emergência foi renovado e clarifica a restrição ao direito de resistência e abrange a área da educação, prevendo a imposição de aulas à distância.
O Presidente da República, Marcelo Ribeiro de Sousa, colocou de forma clara estas duas alterações, com mais 15 dias, que vai funcionar até ao final do dia 17 de abril.
Logo como se pode ler num dos artigos do diploma: “Fica impedido todo e qualquer ato de resistência ativa ou passiva exclusivamente dirigido às ordens legítimas emanadas pelas autoridades públicas competentes em execução do presente estado de emergência, podendo incorrer os seus autores, nos termos da lei, em crime de desobediência”.
No distrito da Guarda, já existem mais de uma centena de casos confirmados, um pouco por todos os concelhos.

Uma das medidas que vão estar a vigorar é que de  quinta-feira Santa até segunda-feira de Páscoa, a circulação em Portugal vai estar limitada ao concelho de residência. Sendo de preferência sozinho, seja a pé ou de carro.

Medidas de Prevenção e Contenção (COVID-19) nos Serviços Municipais de Aguiar da Beira

Face ao agravamento da pandemia covid-19, o Município de Aguiar da Beira decidiu assim:
-Suspensão do funcionamento de todas as atividades e eventos nos seguintes edifícios municipais:
-Suspensão de todo o atendimento presencial ao público nos seguintes edifícios municipais:
-Suspensão da realização de quaisquer feiras, mercados ou eventos organizados ou autorizados pelo Município de Aguiar da Beira
-Suspensão do serviço de leitura, cobrança e faturação do serviço de abastecimento de água, sendo o consumo debitado apenas quando as atuais circunstancias se encontrem ultrapassadas
-Dispensa aos trabalhadores do Município de efetuar o registo de controlo de assiduidade por sistema biométrico, sendo o mesmo efetuado manualmente
-Determinar que os trabalhadores do Município trabalhem em turnos com horários desencontrados
-Determinar que os trabalhadores do Município com funções administrativas em que seja tecnicamente possível possam efetuar o serviço em regime de teletrabalho
__________________________________________________________________________

Covid-19- Nerga alberga segundo centro de testes na Guarda

A Unidade Local de Saúde da Guarda em parceria com NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda, colocaram a funcionar o Segundo Centro de Testes COVID -19 na área de abrangência da ULS da Guarda.
A este Centro de Testes ao COVID19 (Drive Thru) têm apenas acesso pessoas sinalizadas através do SNS24, ADC – Comunidade ou com contacto prévio expresso da Unidade de Saúde Pública da ULS da Guarda/ DGS. O teste não é efetuado a quem não preencher este requisito.
São regras fundamentais de segurança para acesso a este Centro:
– Acesso através da entrada devidamente sinalizada;
– Não sair do veículo, uma vez que, o teste é efetuado com as pessoas no interior dos veículos;
– Não poderá deslocar-se para fora da zona limitada ao Centro de Testes, por questões de segurança.
A ULS da Guarda fica agradecida pela disponibilidade e empenho do NERGA na cedência de instalações.

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar