Templates by BIGtheme NET
Home » Seia

Seia

Na 25ª edição do CineEco , “Injustiça” é o grande vencedor

O documentário americano de Cynthia Wade e Sasha Friedlander, Injustiça (Grit), da competição Internacional Longas, é o vencedor do “Grande Prémio Ambiente” do CineEco 2019, que decorreu em Seia de 12 a 19 de Outubro. O storytelling emotivo do filme sobre o ativismo de uma jovem contra uma multinacional indonésia, sobrevivente de um tsunami de lama tóxica que enterrou 16 aldeias em Java Oriental, conquistou o júri do Festival que, este ano, destacou a Emergência Climática como um dos seus temas centrais. Ainda no panorama internacional de longas-metragens mereceram destaque documentários sobre temáticas transversais e atuais sobre a ação do Homem no meio-ambiente. O “Grande Prémio Antropologia Ambiental – Liberty Seguros foi conquistado por Reator Perdido (Lost Reator), documentário alemão sobre um grupo de pessoas que vivem numa dimensão de tempo pós-Chernobyl paredes-meias com uma Central de Energia Nuclear que nunca chegou a funcionar.

Já o Prémio Educação Ambiental – Associação Mares Navegados foi atribuído a Genesis 2.0, um filme-documentário sobre manipulação genética, tecnologia e criação na busca do “ouro branco” nos limites mais remotos da Sibéria.

O júri do CineEco atribui ainda três Menções Honrosas, aos filmes “O Herói das Ovelhas” (Sheep Hero) de Ton van Zantvoort, documentário que acompanha Stijn, um pastor tradicional forçado a inovar num mundo neoliberal, facto que entra em conflito com a sua visão idealista da vida; “Sonhando um Lugar” o primeiro filme de longa duração de Alfonso Kint, um relato sobre uma família que se reinventou num lugar, numa aldeia sonhada; e ainda a “Walden” de Daniel Zimmermann, documentário no qual o realizador suíço constata o absurdo de um dos princípios económicos que definem o mundo globalizado.

De entre os 80 filmes de mais de 20 países a Concurso na 25ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela destacaram-se ainda no Prémio Internacional Curtas Metragens – Turistrela, o filme de animação em stop montion feito com argila intitulado “Pacha Lama Somos Nós: A Cerimónia para Pachamama”. “O Senhor Kubota” e a sua busca pela imortalidade conquistou o “Prémio Televisão”.

“Hálito Azul” de Rodrigo Areias conseguiu arrecadar o “Prémio Camacho Costa Lusofonia” e, no Panorama Regional, o documentário “Pagar a Promessa” de Tiago Cerveira levou o “Prémio Panorama Regional Lusofonia”.

Em ano de Bodas de Prata, entre os dias 12 e 19 de outubro passaram pelas salas do Festival mais de 6.000 espetadores, para além de diretores de festivais de cinema ambiente, realizadores e profissionais de várias áreas.

Foi uma semana dedicada ao melhor do que se faz ao nível da cinematografia de temática ambiental nacional e internacional que contou com a presença, em Seia, de cerca de 40 realizadores de vários países. A edição comemorativa do Festival de Seia conseguiu agregar, uma vez mais, uma vasta oferta de atividades paralelas como as eco-talks, as oficinas de educação ambiental, uma residência artística audiovisual e chamou até si a centralidade do debate internacional sobre as questões ligadas à Emergência Climática e Educação Ambiental, no II Fórum Internacional de Festivais de Cinema Ambiente.

O CineEco prova ser um Festival de resistência. Estes 25 anos representam para o Município de Seia uma afirmação do seu papel no âmbito da promoção da Educação para o Ambiente e promoção turística, bem patente no número crescente de público e participantes nacionais e internacionais que todos os anos visitam e por cá ficam durante a semana do Festival”, concretiza Mário Branquinho.

O CineEco fecha as portas no grande ecrã em Seia, mas entra em itinerância ao longo deste ano nas suas extensões por todo o país, incluindo Madeira e Açores, “prova de que este Festival tem conquistado um número crescente de públicos de várias idades sendo um polo aglutinador de cinema e educação ambiental no País, tendo no CineEco o seu mediador comum”, ressalva o diretor do Festival.

O Festival Internacional de Cinema Ambiental regressa a Seia, em 2020, entre os dias 10 a 17 outubro

Atividade turística no Centro de Portugal em crescimento

Agosto de 2019 foi o melhor mês de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal, tanto em número de dormidas e hóspedes, como nos proveitos hoteleiros. Números dados hoje a conhecer pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, relativos a agosto, mostram igualmente que a procura da região continua a crescer acima da média nacional.

No total de dormidas, o mês de agosto de 2019, em comparação com o mesmo mês de 2018, aumentou cerca de 3% no Centro de Portugal: verificaram-se 1.028.850 dormidas em agosto de 2018 e estas foram 1.060.101 no mesmo mês de 2019, num crescimento de 31.251 dormidas. Este aumento de 3% superou a média nacional, que subiu 2,6%.

A subida foi mais notória entre os visitantes nacionais, cujas dormidas cresceram 5,2%, para 608.904, entre agosto de 2018 e agosto de 2019. Uma demonstração de que o Centro de Portugal é um destino que reúne a preferência de cada vez mais residentes no nosso país. As dormidas com origem no estrangeiro estabilizaram: foram 451.197 em agosto de 2019, face a 450.102 no mesmo mês do ano passado.

No indicador do número de hóspedes, o Centro de Portugal cresceu 3,8%. Em agosto de 2018 tinham sido registados 519.899 hóspedes na região; em agosto de 2019 foram 539.611.

Outro indicador que merece grande destaque é o dos proveitos da atividade hoteleira. Estes subiram de 51,7 milhões para 54,4 milhões de euros (mais 5,2%) entre agosto de 2018 e agosto de 2019. São mais 2,7 milhões de euros que as unidades hoteleiras do Centro de Portugal ganharam no oitavo mês do ano.

Estes números, claramente positivos, consolidam a tendência dos últimos meses e anos: o destino Centro de Portugal é cada vez mais uma escolha preferencial ao longo de todo o ano.

                          Resultados acumulados de janeiro a agosto de 2019 são claramente positivos
Se consideramos o conjunto acumulado do ano, de janeiro a agosto de 2019, os números do Centro de Portugal são também muito positivos, deixando antever que este vai ser o melhor ano de sempre para o turismo na região.

Assim, entre janeiro e agosto, as dormidas aumentaram 4,7% em relação ao mesmo período do ano passado (enquanto a média nacional subiu 3,9%). Neste período, as dormidas dos visitantes nacionais na região subiram 6,5% e as dos estrangeiros cresceram 2,6%. O número de hóspedes progrediu 5,9% e os proveitos melhoraram 6,8%.

Feminino- Taça Portugal- Seia FC- AD Estação-7-0

O Municipal de Seia recebeu na tarde de domingo, a partida relativa à primeira ronda da Taça de *Portugal Feminina, com a turma senense a cilindrar a AD Estação da Covilhã, por sete bolas a zero.

Uma partida que se revestiu de muito equilíbrio em toda a 1ªparte com a s senenses sempre a tentar o golo mas a surgir apenas aos 26´, por intermédio da transformação de uma grande Penalidade , que Inês Silva rematou certeiro e abriu o ativo.

Em cima do intervalo, nova jogada das senenses e surge Inês Gomes a fazer o dois a zero para festa das senenses.

A segunda parte trouxe aí sim a festa do golo, com Jéssica Silva a fazer dois golos, aos 50′ e 71´, seguiu-se Beatriz Furtado a bisar também nesta partida, aos 73´e 76´e por fim , Jéssica Silva a fazer o seu hat-trick, fechando a contagem, carimbando desta forma , a passagem à segunda eliminatória.

Em suma, um Seia FC ,muito forte que vai certamente dar nas vistas quer na prova rainha quer na série do seu campeonato.

 

Seia acolhe II Fórum Internacional de Festivais de Cinema de Ambiente (FIFCA)

O II Fórum Internacional de Festivais de Cinema de Ambiente (FIFCA) vai acontecer este ano em Seia.

A conferência acontece dia 12 de outubro, sábado, às 09h30, no mesmo dia em que também arranca oficialmente a grande festa do Cinema Ambiental, o CineEco, na Casa da Cultura de Seia às 21h30.
Todas as atenções centram-se ao longo do dia 12 (sábado), neste que é um dos grandes eventos paralelos do CineEco. O Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) será o centro do debate internacional sobre a educação territorial e ambiental através do cinema, a emergência climática e sobre o papel das novas gerações nas alterações do clima. A cerimónia de abertura acontece às 09h30 com a presença dos representantes das entidades oficiais. Pelo CISE vão assegurar presença vários cineastas, documentaristas, diretores de Festivais de Cinema Ambiental, jornalistas, ativistas, profissionais de várias áreas da cultura à educação, estudantes e população em geral interessada.
Depois do sucesso do ano passado, “o Fórum consolida Seia como a cidade que chama até si a centralidade do debate internacional, além de acentuar a importância dos festivais de cinema ambiental na consciencialização e na educação das populações”, sublinha o diretor do CineEco, Mário Branquinho.
De destacar a presença do fotógrafo e ativista norte-americano, Timothy Bouldry. Viaja pelo mundo a fotografar as lixeiras e a ‘colecionar’ histórias verdadeiramente marcantes sobre os recolectores de lixo e de ‘tesouros’ que outros escolhem deitar fora. Através do Right Path Project 501c3, Bouldry tem vindo a encontrar soluções para a mudança de vida de algumas das pessoas que fotografa e se cruza nas lixeiras, quer seja na “La Chureca”, Nicarágua, ou no bairro de Escuintla na Guatemala, no Uganda, na Índia, Honduras ou em campos de refugiados sírios. De relevar ainda o regresso a Portugal da documentarista e jornalista Bárbara Veiga. A autora do livro “7 anos, em 7 mares” já cruzou oceanos, atuou em causas socio-ambientais em mais de 80 países e visitou as mais inóspitas paragens em todo o mundo. Veiga dedica a sua vida a trabalhar em causas ambientais para Greenpeace, Sea Shepherd e Avaaz.
Na conferência do dia 12 assegura igualmente presença de Kalyanee Mam, realizadora da curta-metragem vencedora da 6ª edição do GFN Award, “Mundo Perdido” (“Lost World”), anunciado em setembro na apresentação oficial do CineEco.
O Fórum conta com 2 painéis de debate: o painel da manhã será moderado por Francisco Teixeira da Agência Portuguesa do Ambiente e o da tarde por Helena Freitas, do Centro de Ecologia Funcional, cátedra UNESCO em Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável. Estão ainda confirmadas as intervenções de Eleonora Izunsa, membro da direção da GFN e co-diretora do Festival de Cinema Ambiental- Cinema Planeta do México; Bruno Manique do Centro Portugal Film Comission; Norberto Santos, coordenador do Grupo de Turismo, Património e Território – CEGOT da Universidade de Coimbra; Paula Sobral, presidente da Associação Portuguesa de Lixo Marinho; Francisco Ferreira, presidente da Associação ZERO e da FCT-NOVA.
A participação no Fórum é gratuita. Qualquer interessado deverá apenas efetuar a pré-inscrição no site oficial do CineEco. Os dias 13 e 14 de outubro serão respetivamente dedicados, em exclusivo, a um passeio turístico para convidados do CineEco e membros da rede de Festivais de Cinema Ambiente e à Assembleia Geral da GFN.
Refira-se que, a II edição do Fórum Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela conta com o apoio à organização da ZERO Associação Sistema Terrestre Sustentável e do Centro de Ecologia Funcional (CEF).
O Festival CineEco inclui nesta sua edição comemorativa dos 25 anos uma Seleção Oficial de 80 filmes, de 20 países, que abordam questões inerentes ao Ambiente e à Emergência Climática, uma reflexão geral sobre o impacto da ação do Homem na Terra. O CineEco acontece entre os dias 12 e 19 de outubro e continua a ser um evento gratuito e, este ano, volta a contar com uma vasta programação paralela a reter.
A organização do Festival deu ênfase ao elevado potencial de networking que existe durante toda a semana. Desta feita, além de exposições, instalações artísticas indoor e outdoor, um cine-concerto, workshops e oficinas de educação ambiental, Residências artísticas, provas de vinho e de gastronomia local, estão asseguradas as Eco-talks, pontos de encontro e discussão para troca de experiências, oportunidades e contactos entre profissionais especializados nas áreas do “Ambiente” e do “Audiovisual”, realizadores, diretores de cinema e participantes em geral. Também a iniciativa Escolas no CineEco regressa este ano. Crianças e jovens, desde o pré-escolar até ao ensino secundário e profissional, terão a oportunidade de visualizar filmes e conversar com alguns dos mais de 30 realizadores e diretores presentes nesta 25ª edição do Festival.

Master de Pesca Intermunicipal do Mondego na Ratoeira

cartaz_master_pesca

Vai realizar-se  nos dias 12 e 13 de outubro, o MASTER DE PESCA INTERMUNICIPAL DO MONDEGO. Este evento é organizado pela Equipa de Pesca de Aldeia Viçosa, com o apoio das autarquias locais, Juntas de Freguesia de Aldeia Viçosa e da Ratoeira, e Municípios da Guarda e de Celorico da Beira.

A competição desenrolar-se-á na Pista de Pesca da Ratoeira, Celorico da Beira. A entrega de prémios e sessão de encerramento ocorrerão no Salão Cultural de Aldeia Viçosa, Guarda, com a presença dos responsáveis pelas autarquias. O objetivo passa por promover a atividade e a região, assim como dinamizar a pesca desportiva na nossa região. Recordamos que há duas equipas federadas no Distrito da Guarda a competir nas competições a nível nacional, com bons resultados, Folhadosa (Seia) e Aldeia Viçosa (Guarda). Prevê-se a participação de pescadores vindos de vários pontos do país.

A inscrição tem um custo de 50,00€ e inclui a participação na competição, jantar e lanche convívio, degustação de produtos locais, entre outras ofertas. Além dos prémios monetários, haverá troféus para todos os participantes. As inscrições são limitadas ao número de lugares na pista de pesca da Ratoeira (55).

Responsável: César Vinhó 960433725
Responsável Aldeia Viçosa / Guarda: Luís Prata 969345024
Responsável Ratoeira / Celorico da Beira: Joaquim Abreu 962415997

Legislativas 19- Abstenção pode passar os 50%

Após o fecho das urnas, surgem os primeiros números da noite , apesar de ser uma sondagem, neste caso, o valor da Abstenção ronda entre os 47,5% e os 51,5%.

Tudo isto pode indicar que os candidatos não foram de certa forma convincentes no que toca a fazer mover as pessoas a votar.

este é um indicador que algo tem de ser alterado no futuro para o próximo ato eleitoral.

Seia FC e Fundação Laura Santos conhecem adversários na taça de Portugal

Teve lugar na Cidade do futebol em Lisboa, o sorteio da 1ª eliminatória da prova rainha em futebol feminino.

As equipas do distrito da Guarda com destino diferente.

Boavista FC – Fundação Laura Santos
Seia Futebol Clube -AD Estação

Esta ronda inicial joga-se a 13 de outubro.

Turismo na região Centro em crescimento

O turismo na região centro do País continua a crescer e segundo os dados do INE, o mês de julho foi favorável.

Julho foi um mês muito positivo para a atividade turística no Centro de Portugal. Os números do INE – Instituto Nacional de Estatística, dados hoje a conhecer, indicam um crescimento muito significativo, comparativamente ao mês de julho de 2018.
O crescimento é muito evidente nas receitas. De acordo com o INE, os proveitos totais nos estabelecimentos de alojamento turístico subiram de 37,7 milhões para 39,5 milhões de euros (mais 4,7%), entre julho de 2018 e julho de 2019. Uma subida que ganha ainda mais expressão se analisados os proveitos totais entre janeiro e julho: nos primeiros sete meses do ano, os estabelecimentos de alojamento turístico registaram proveitos 7,71% superiores aos do mesmo período do ano passado, de 171,8 para 185,1 milhões de euros.

A nível das dormidas, o destaque em julho de 2019 vai para as dormidas de visitantes nacionais, que cresceram 4,4%, em relação a julho de 2018: de 389,7 mil para 406,8 mil. De janeiro a julho, este indicador aumentou 7,71%, de 1,96 milhões para 2,09 milhões de dormidas de visitantes nacionais, o que mostra que os residentes no resto do país continuam a escolher o Centro de Portugal como destino. As dormidas totais subiram em julho 0,7% e no acumulado entre janeiro e julho, subiram 5,12% — acima da média nacional, que cresceu 4,22%.

No indicador do número de hóspedes, o Centro de Portugal cresceu 2,7% entre julho de 2018 e julho de 2019 – e 6,3% no acumulado do ano. Em julho de 2018 tinham sido contabilizados 392,7 mil hóspedes na região; em julho de 2019 foram 403,5 mil.

André Domingues vence no Sabugal e conquista amarela na Volta a Portugal de Juniores

Fornense Carlos Jorge ficou em 77º na etapa e sobe na geral para o 78º

A etapa mais longa para esta categoria etária, ficou marcada por múltiplos ataques, sob calor intenso. Mas a temperatura de corrida só aqueceu verdadeiramente nos últimos 30 quilómetros, após a primeira passagem pela meta.

Depois de passar no Sabugal, André Domingues resolveu atacar, a 25 quilómetros da chegada. Foi uma movimentação que apanhou desprevenidos os rivais, que esperavam o ataque do leiriense apenas na montanha de segunda categoria de Águas Belas, a 8,3 quilómetros do final.

André Domingues foi sempre em progressão, deixando para trás os outros ciclistas que seguiam adiantados, até se isolar, definitivamente, na subida de Águas Belas. Nessa altura, o camisola amarela, João Carvalho, ficou sem ajuda dos colegas de equipa da Bairrada, porque Diogo Narciso e João Silva furaram na aproximação à montanha e atrasaram-se.

O corredor da Escola de Ciclismo Bruno Neves não deu hipótese à concorrência, ganhando tempo ao pelotão até à chegada, o mesmo acontecendo com Martín Gil (Giménez Ganga/Primoti/Tocobike) e de Steven Bayona (Ingeniería de Vías/Monsalud), segundo e terceiro, a 48 segundos. O grupo do camisola amarela chegou a 1m15s do vencedor do dia.

Com estas diferenças, André Domingues, que iniciou a etapa a 29 segundos da camisola amarela, arrebatou o símbolo da liderança. Está agora na dianteira da geral, com 39 segundos de vantagem sobre o colombiano Steven Bayona e com 56 segundos à melhor sobre João Carvalho.

O belga Tijs Verstappen (Maes CT Blabbeek) mantém o primeiro lugar na geral por pontos e o colombiano Steven Bayona assumiu a primazia entre os juniores de primeiro ano. A Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact ascendeu ao topo da geral coletiva.

Domingo vai ser o dia de todas as decisões na Volta a Portugal de Juniores. O pelotão vai encontrar a etapa mais dura, 112,1 quilómetros entre Fornos de Algodres (12h00) e Seia (15h00). A meta coincide com um prémio de montanha de terceira categoria, que será antecedida pelas subidas pontuáveis de Chã de Tavares (Km 6,9), Paranhos da Beira (Km 46,5), Gouveia (km 75,2), Seia (passagem na meta, km 93,6), Catraia (km 104,2).

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar