Templates by BIGtheme NET
Home » Seia (page 65)

Seia

Diocese da Guarda quer definir roteiros de turismo religioso

Fonte: Guarda Digital

 

Está em curso a inventariação de todo o património de arte cristã.
A
Diocese da Guarda tem em curso a inventariação de todo o património de
arte cristã de forma a definir roteiros de turismo religioso. D. Manuel
Felício explicou ao Jornal A GUARDA que «este trabalho
insere-se já nas preocupações gerais de colaborarmos com o turismo
religioso, no exercício do que chamamos pastoral do turismo». Nesse
sentido, o Bispo da Guarda diz que está a decorrer, a bom ritmo, «a
inventariação do património de arte cristã espalhado por toda a
diocese», que pretende «fazer a apresentação com qualidade deste valioso
património», estando em estudo as formas de articulação com o museu de
arte sacra da Diocese. É também objetivo da Diocese da Guarda «definir
roteiros de turismo religioso» de forma a «facilitar ao máximo a
acessibilidade aos mesmos, quer divulgando-os, quer preparando pessoas
que sejam capazes de fazer falar este valioso património». D. Manuel
Felício considera que o património de arte cristã «está a interessar
cada vez mais visitantes». Para o Cónego Eugénio Sério, coordenador do
Departamento Diocesano do Património Cultural, na Diocese da Guarda são
locais de grande afluência de romeiros as seguintes festas: «Senhora da
Póvoa (Vale da Senhora da Póvoa), Senhora da Ajuda (Malhada Sorda),
Senhora do Incenso (Penamacor), Santa Eufémia (Paranhos – Seia), Senhora
das Dores (Paul – Covilhã), Santa Luzia (Castelejo – Fundão), Senhora
da Alagoa (Argomil – Pinhel), Senhor do Calvário (Gouveia); Senhora da
Fresta (Trancoso), Senhora da Graça (Sabugal e Manteigas); Santa Maria
de Aguiar (Figueira de Castelo Rodrigo); Senhora do Monte (Cerdeira),
Senhor da Barca (Almeida), Senhor Bom Jesus (Famalicão da Serra –
Guarda)». Numa altura em que tanto se fala do turismo de ambiente, a
Diocese da Guarda tem locais de culto privilegiados em termos
paisagísticos. O Cónego Eugénio Sério destaca «a Capela de Nossa senhora
em Manteigas, o Cristo da Serra da Marofa em Figueira de Castelo
Rodrigo; a Senhora da Guia em Loriga – Seia; a Senhora do Ar na Torre –
Serra da Estrela, e a Senhora do Desterro em São Romão – Seia». Neste
ponto, Joana Pereira, formada em História da Arte e que colabora com a
Diocese, aponta mais dois lugares que considera fantásticos: «A Senhora
do Campo, em Almendra e a Capela de S. Gabriel, em Castelo Melhor, ambas
no arciprestado de Figueira de Castelo Rodrigo». No tocante à criação
de roteiro de turismo religioso, Joana Pereira adiantou ao jornal A GUARDA
que «a Diocese tem potencialidades para avançar com a Rota do Azulejo, a
Rota dos Frescos, a Rota do Gótico, a Rota do Barroco, entre outras».

fonte:Jornal A Guarda

Associações criam Conselho Empresarial da Região das Beiras e da Serra da Estrela

Nove associações empresariais e comerciais dos
distritos da Guarda e de Castelo Branco estão envolvidas no projecto de
criação de um Conselho Empresarial da Região das Beiras e da Serra da
Estrela. Segundo Rogério Hilário, presidente da Associação Industrial e
Comercial do Concelho do Fundão, o futuro Conselho Empresarial da Região
das Beiras e Serra da Estrela, terá como objectivo a definição de “uma
estratégia colectiva e organizada” para a área da nova Comunidade
Intermunicipal que abrange 15 municípios daquela região.

“Já estamos a
trabalhar não só naquilo que é uma estratégia para a região, mas para
as nossas empresas”, referiu o responsável na Guarda, durante um
jantar/debate com o tema “Beiras e Serra da Estrela – um desafio novo”,
organizado pelo NERGA – Associação Empresarial da Região da Guarda, onde
o projecto do Conselho Empresarial foi anunciado. Rogério Hilário
adiantou que o projecto, que envolve nove associações empresariais e
comerciais dos distritos da Guarda e de Castelo Branco, deverá ser
formalizado “em finais de Abril, princípios de maio”.
Pedro Tavares,
presidente do NERGA, considera que o projecto pretende “mostrar a toda a
região” a necessidade de os agentes económicos estarem unidos e em
sintonia.
“Nos temos que nos unir. Nós somos poucos e, desunidos, não
vamos a lado nenhum”, observou, destacando a importância do jantar que
reuniu, nas instalações daquela Associação Empresarial, cerca de 300
empresários, autarcas e políticos locais.
Durante a sessão, foi
destacada a importância da nova Comunidade Intermunicipal que resulta da
fusão das Comunidades Intermunicipais da Serra da Estrela e
Comurbeiras, abrangendo os concelhos de Guarda, Gouveia, Manteigas,
Meda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso, Almeida, Belmonte, Gouveia,
Covilhã, Fundão, Celorico da Beira e Fornos de Algodres.
O presidente
da Câmara Municipal da Covilhã e presidente da Comurbeiras, Carlos
Pinto, lembrou que está a ser preparado “um plano de desenvolvimento”
para a futura região das Beiras e da Serra da Estrela.
Já o autarca
de Gouveia, Álvaro Amaro, que também dirige a Comunidade da Serra da
Estrela, desejou que a futura Comunidade Intermunicipal “tenha a sede na
cidade da Guarda”
fonte:terras da beira

CISE promove workshop de culinária com ervas

 

O
Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE), com sede em Seia,
vai organizar, no dia 23 de março, a partir das 10 horas, um workshop
sobre cozinhar com ervas.
O
workshop tem como objetivos sensibilizar os participantes para a
necessidade de diminuir a utilização do açúcar, sal e gorduras na
cozinha e para as inúmeras possibilidades de substituição desses
ingredientes por ervas ou condimentos preparados a partir delas, bem
como para a necessidade de tornar a cozinha mais atrativa, apostando na
utilização de ervas e de novas práticas de confeção de alimentos. A
participação na ação custa 12 euros e está sujeita a inscrição prévia,
adianta o CISE.

Museu do Pão abre nova ala temática e pedagógica que custou meio milhão de euros

O
Museu do Pão, em Seia, investiu mais de meio milhão de euros na criação
de uma nova ala temática e pedagógica vocacionada para o público
infanto-juvenil, aumentando a oferta turística da região. O novo espaço,
com mais de 250 m2,
«vem recriar um universo de fantasia e magia, onde
se recua ao tempo em que a Serra da Estrela se apelidava de Montes
Hermínios e, segundo alguns, um local por onde terá andado o guerreiro
lusitano Viriato».
fonte:Terras da beira

Festa regional do queijo da serra com casa cheia

Este ano teve lugar, em Fornos de Algodres, a terceira edição desta feira regional de Queijo da serra, onde a organização é conjunta entre Fornos de Algodres, Seia e Gouveia, com casa cheia.
Assim no Sábado, tiveram lugar as cerimónias de geminação da localidade francesa de Sainte Consorce- Lyon (França) e a localidade de Fornos de Algodres, assim como também a tomada de posse da nova direção dos BV Fornos de Algodres, onde também foi apadrinhada pelos bombeiros franceses, assim também homenageados por esta localidade.

Depois à noite era a hora de Cantar o Fado, uma verdadeira bandeira do nosso Portugal, para que os convidados franceses pudessem ouvir esta maravilha, que foi apresentada pela Escola Velha de Gouveia que assim deslumbrou a plateia do centro cultural.
O Domingo foi assim de mau tempo, pois a chuva deu um ar da sua graça, o início das atividades culturais foi assim com a arruada da Batuta D´Alegria  de Fornos de Algodres, onde depois se seguiu também a animação de alguns grupos oriundos dos três concelhos no palco do mercado municipal, Grupo de Concertinas de Paranhos da Beira, grupos de cantares da Muxagata e da Casa do Pessoal do município fornense,Filarmónica Amizade,Orquestra dos BV Fornos de Algodres, Grupo Típico “Os Capelenses”, e dos Ranchos Folclóricos de Paranhos da Beira, Nespereira, Figueiró da Granja, e da Universidade Sénior de Fornos de Algodres, também inserido no programa decorreu a Maratona de BTT organizada pelos bombeiros fornenses, que teve grande adesão de ciclistas.
Pelo meio da manhã destaque para as preleções dos três autarcas envolvidos e também do Secretário de Estado da Administração Interna Dr Silva Peneda, onde todos enalteceram o valor do queijo da serra como sendo uma bandeira desta região, com grande qualidade.
Ainda teve lugar a prova do queijo da serra, ao longo das barraquinhas do mercado e também uma nota positiva, a  as associações dos diversos locais a fazerem -se representar para se divulgarem e também mostrarem diversos produtos regionais de qualidade.
Assim apesar do frio e da chuva, os visitantes compareceram em massa de várias partes do nosso Portugal, um dia de grande festa de homenagens aos pastores e queijeiras da nossa região, que sem dúvida merecia honras televisivas, pois é um produto muito representativo em Portugal e no estrangeiro.

Autarquias 2013 já mexem

Assim o tempo vai passando e as autarquias 2013 começam a mexer e os candidatos vão aparecendo, assim no distrito da Guarda, tudo se vai encaixando aos poucos.
Na Guarda:
PS- Jose Igreja
Independente- Baltazar Lopes
PSD-???
Celorico da Beira
PS-José Monteiro
PSD-Manuel Portugal

Fornos de Algodres –
PSD-??
PS-Manuel Fonseca
PP-??
Almeida- 
PSD-Antonio Ribeiro

PS-??
Figueira C.Rodrigo
PSD-Antonio Edmundo
PS-Paulo Langrouva
Manteigas
PS-Esmeraldo Carvalhinho
PSD- Jose Manuel Biscaia
Seia
PS-Felipe Camelo
PSD-Albano Figueiredo
Gouveia
PSD-??
PS-??
Sabugal
PSD-Antonio Robalo
PS-Antonio Vaz
Trancoso
PSD-João Rodrigues
PS-Amilcar Salvador
VN Foz Coa
PSD-Gustavo Duarte
PS-Fernado Girão
Pinhel
PS-Jose Tome
PSD-Rui Ventura

Câmara de Seia estuda recurso aos tribunais para travar reorganização administrativa

A Câmara de Seia anunciou hoje que está a estudar a
possibilidade de impugnar juridicamente a aplicação da lei da
reorganização administrativa, que prevê a eliminação de oito das actuais
29 freguesias do concelho.
O presidente da autarquia, Carlos Filipe
Camelo, disse hoje à agência Lusa que o assunto está a ser analisado
após uma reunião realizada na quarta-feira com as juntas de freguesia do
município “que foram alvo da união” e um advogado.
“Estamos a
analisar qual é a melhor forma de interpormos a acção judicial. É
natural que até segunda-feira já se possa saber como iremos avançar”,
disse.

Indicou que a Câmara patrocinará a acção de todas as juntas de
freguesia do concelho, embora tal decisão não invalide “que as próprias
freguesias, individualmente, não possam agir”.
O autarca deu o caso
da freguesia de Cabeça, que “também já está a intentar” contra a lei da
reorganização administrativa do território das freguesias promulgada
este mês pelo Presidente da República.
A autarquia de Seia lembra, em
comunicado hoje emitido, que, de acordo com a lei, serão extintas oito
freguesias do concelho que serão agregadas e darão origem às juntas de
Seia/São Romão/Lapa dos Dinheiros, Cabeça/Vide, Carragosela/Várzea de
Meruge, Sameice/Santa Eulália, São Martinho/Santa Marinha
Folhadosa/Torroselo e Lajes/Tourais.
“A posição da Câmara Municipal é
solidária com a pronúncia da Assembleia Municipal que, em tempo
próprio, rejeitou toda e qualquer proposta de agregação de freguesias,
defendendo a manutenção do actual mapa administrativo concelhio,
constituído por 29 freguesias, em conformidade com a vontade expressa
das várias Assembleias de Freguesia, que comungam da rejeição deste
diploma”, recorda.
A autarquia reafirma que a lei “é injusta,
inadequada e não respeita a autonomia do poder local e a vontade das
populações”, prometendo desencadear “todos os meios legais” para que não
seja aplicada.
Carlos Filipe Camelo considera que a extinção de
freguesias significa uma “regressão no tempo, a ausência de leitura e
interpretação de dinâmicas territoriais, o abandono de políticas de
proximidade, a diminuição de eficiência e um aumento de custos para as
gentes e territórios afectados, sendo a sua aplicação da exclusiva
responsabilidade do Governo”.
Quando questionado sobre o facto de os
tribunais administrativos estarem a rejeitar providências cautelares
interpostas pelas freguesias para tentarem suspender a proposta de
reorganização administrativa, alegando que não podem interferir no
processo de produção legislativa, respondeu que a Câmara de Seia também
está sujeita a isso.
“Os tribunais administrativos têm feito uma
análise dos processos, dizendo que serão mais questões políticas que
estão na base [dos litígios] e, neste momento, também essas situações
estão a ser equacionadas” pela autarquia, concluiu.
fonte:terras da beira 

Seia constrói centro de operações de socorro no aeródromo

Enviado por
Sérgio Cipriano 
cma seiaCâmara de Seia está a investir 711 mil euros na construção de um Centro Municipal de Operações de Socorro (CMOS), no aeródromo municipal, para melhorar a operacionalidade dos agentes de proteção civil que utilizam aquela infraestrutura.
A construção do edifício, iniciada no
final de 2012, integra a primeira fase do Plano de Desenvolvimento do
Aeródromo de Seia, que pretende melhorar as condições dos meios de
emergência e socorro instalados no concelho e permitir a sua utilização
pela aviação civil.

Segundo uma nota da autarquia presidida
por Carlos Filipe Camelo, o imóvel do CMOS, que também servirá de base
de operações de meios de socorro e emergência, terá uma zona destinada
aos elementos da proteção civil, com gabinetes de trabalho, uma sala de
comunicações, uma sala de reuniões, salas para pilotos e copilotos,
camaratas femininas e masculinas e uma área técnica, entre outras.
A zona de apoio à aviação civil e ao
funcionamento do aeródromo terá, entre outras áreas, uma sala de
passageiros, salas de direção e movimento de operações, um espaço para
arrecadação de bagagens, um restaurante/bar e um espaço para instalação
de bombeiros que garantem a segurança no aeródromo.
A autarquia de Seia assinala que a
concentração de todos os meios da proteção civil e de primeira
intervenção no mesmo local, no futuro edifício do CMOS, “permitirá dar
uma resposta mais rápida, articulada, coordenada e eficaz a todas as
situações de emergência no concelho”.
Esclarece que o espaço ficará dotado de
uma central comum de comunicações e com um sistema integrado de gestão
de meios, “o que permitirá otimizar a gestão da informação, promovendo a
eficácia dos serviços, racionalização de custos de operações,
comunicação por meios eletrónicos e maior facilidade e celeridade na
tomada de decisões operacionais e estratégicas das operações de proteção
civil e socorro”.
A Câmara aponta que as obras em curso,
comparticipadas em 85% por fundos comunitários, também irão permitir
concretizar a certificação do aeródromo e abri-lo à aviação civil,
“nomeadamente para voos de carreira, turísticos ou empresariais”.
Refere que aquela infraestrutura é a
única pista de aviação existente no distrito da Guarda, daí que, após a
conclusão do investimento, o concelho de Seia fique dotado “de uma
estrutura única na região centro capaz de fazer a diferença para
eventuais investidores ou turistas”.
O aeródromo de Seia, localizado na zona
de Pinhanços, está certificado para utilização pelos meios aéreos da
proteção civil e envolvidos no combate aos incêndios florestais.

Fonte: AsBeiras

Feira Regional do Queijo da Serra da Estrela realiza-se este ano no município de Fornos de Algodres

 

A terceira edição desta iniciativa irá decorrer em Fornos de Algodres, nos dias 9 e 10 de fevereiro.

A Feira Regional do Queijo da Serra da Estrela realiza-se este ano no município de Fornos de Algodres nos dias 9 e 10 de fevereiro. O certame contará com provas de queijo, mostra do cão da Serra da Estrela, mostra de ovinos, artesanato, exposição e venda de produtos locais, animação de rua, recriações etnográficas, jornadas técnicas, entre outras iniciativas. A Feira Regional do Queijo Serra da Estrela representa um patamar de articulação supramunicipal entre os municípios de Fornos de Algodres, Gouveia e Seia, no âmbito da comunidade intermunicipal da Serra da Estrela, com ganhos de escala e sinergias para promover oQueijo Serra da Estrela através de um certame que é uma imagem de marcada região.A Feira Regional do Queijo Serra da Estrela pretende fomentar a notoriedade do Queijo Serra da Estrela, salvaguardar a sua preservação enquanto produto endógeno regional e valorizar e dinamizar o valor do Queijo da Serra da Estrela e seus agentes diretos. Os municípios pretendem igualmente reforçar o incentivo e a valorização da certificação do Queijo Serra da Estrela e criar através das parcerias intermunicipais formas objetivas de promoção da região e da Serra da Estrela. Os três municípios pretendem, através desta união de esforços, promover o potencial dos territórios aproveitando todos os seus recursos endógenos para promover um grande certame regional que ganhe afirmação nacional e internacional. A Feira Regional do Queijo Serra da Estrela
visa ainda promover a cultura e as tradições locais numa perspetiva de afirmação regional e de valorização da atratividade turística numa época de forte procura do destino turístico Serra da Estrela.

fonte:Guarda Digital

Governo aprovou Portaria de incentivo à contratação de desempregados com mais de 45 anos

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social,
Pedro Mota Soares, anunciou hoje que o Governo aprovou uma Portaria que
incentiva as empresas e as instituições sociais na contratação de
desempregados com mais de 45 anos.
A medida legislada esta semana
pelo Governo “faz uma dispensa de 100 por cento da Taxa Social Única
(TSU) para todas as empresas e as instituições sociais que contratem
desempregados com mais de 45 anos de idade”, declarou o ministro aos
jornalistas, durante uma visita ao concelho de Seia.

Pedro Mota
Soares referiu que o objectivo é “combater também o desemprego de longa
duração” e “dar oportunidade a trabalhadores com mais idade” de
regressarem ao mercado de trabalho.
“Nesse sentido, medidas como
estas, que permitem uma redução de 100 por cento da TSU ao longo de um
ano para a contratação de desempregados com mais de 45 anos, será,
certamente, um estímulo para podermos minorar este drama do desemprego”,
vaticinou o titular da pasta da Solidariedade e da Segurança Social.
Durante
o discurso proferido no salão nobre da Câmara Municipal de Seia, onde
foi recebido pelo executivo municipal, Pedro Mota Soares reconheceu a
importância das instituições sociais, assinalando que, no interior do
país, são “muitas vezes” os “maiores empregadores da região, à frente do
próprio Estado”.
Apontou que o sector da economia social “emprega
hoje cerca de 250 mil pessoas e tem capacidade de crescer, mesmo num
tempo de dificuldades”.
Pedro Mota Soares referiu que o actual
Governo está a construir, a nível nacional, “uma malha de solidariedade
que serve para prevenir a exclusão social”, assumindo que, em momentos
difíceis como os actuais, “a protecção social existe” e “chega sempre a
quem dela mais precisa”.
O ministro assumiu que as instituições
sociais, os dirigentes e os trabalhadores permitem “que Portugal
atravesse as dificuldades com outro alento e com outra força”, lembrando
que, com a estratégia traçada pelo actual Governo, o país assiste “à
construção de um novo paradigma de resposta social”.
O presidente da
Câmara Municipal de Seia, Carlos Filipe Camelo, alertou o governante
para as várias fragilidades sociais do seu concelho, localizado na
região da Serra da Estrela, destacando o envelhecimento da população, o
despovoamento do território, o desemprego e o isolamento.
Referiu que
a “política de complementaridade” entre as instituições locais “tem
sido relevante” para ultrapassar os problemas, mas lamentou que
candidaturas a projectos relacionados com o combate à violência do
género e ao insucesso escolar não tenham “vingado”.
Na deslocação ao
concelho de Seia, o ministro da Solidariedade e da Segurança Social
também visitou a Fundação Aurora Borges que apoia cerca de 250 pessoas e
está a construir um Lar Residencial e Centro de Actividades
Ocupacionais.
fonte;terras da beira 
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar