Templates by BIGtheme NET
Início » Guarda

Guarda

Novas tabelas de IRS divulgadas

Já são conhecidas as novas tabelas de retenção na fonte de IRS constam de um despacho assinado pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e refletem o “alívio fiscal” anunciado pelo Governo no Orçamento do Estado para 2021. De acordo com o Executivo, as novas taxas garantem às famílias portuguesas uma liquidez adicional de 200 milhões de euros, ao longo do próximo ano.

Assim , o Ministério das Finanças divulgou simulações que refletem o impacto das novas taxas nos rendimentos dos portugueses. “Disponibilizam-se algumas simulações que permitem identificar os valores de poupança para diferentes agregados e rendimentos”, salienta o gabinete de João Leão, em comunicado.

Por exemplo, um solteiro, sem dependentes e com um salário de 685 euros via retido, em 2020, 0,1% do seu rendimento todos os meses, isto é, 0,69 euros. Em 2021, passará a ficar isento de retenção na fonte, o que representará um “ganho” no conjunto do ano de 9,59 euros (14 vezes os tais 69 cêntimos).

Deste modo, o patamar mínimo a partir do qual os rendimentos são taxados subirá em 2021 de 659 euros para 686 euros, acomodando anunciado aumento do salário mínimo e o reforço extraordinário das pensões mais baixas previsto no Orçamento do Estado para 2021.

Pinhel de Natal até 6 de janeiro

E porque apesar de todas as limitações e de todas as contingências, o Natal é Natal,
tempo de esperança e de partilha, o Município de Pinhel vai organizar um conjunto
de iniciativas que obedecerão a todas as regras em vigor, podendo contudo ser
reequacionadas, consoante a evolução da situação epidemiológica do país e do concelho.
O “Pinhel de Natal” tem luz, através das iluminações natalícias
acenderam no passado dia 30, mas também o tradicional “Carrossel Parisiense”, este
ano instalado no “Bosque Encantado” (Parque Municipal da Trincheira), música de vários
géneros e outras animações com destaque para a “Chegada do Pai Natal” (dia 20 de
dezembro), o “Desfile de Mascotes” (dia 21), a Banda Itinerante Os Ajudantes do Pai Natal
(dias 22 e 23), culminando com a tradicional “Fogueira de Natal”, que começará a arder dia 24 de
dezembro, às 17.00h.

Programação:

Carrossel Parisiense
– 1 de dezembro a 6 de janeiro,
no Parque Municipal da Trincheira
(com acesso gratuito, sujeito ao
cumprimento das regras preconizadas pela autoridades de Saúde).
Recital de Natal com Vítor de Sousa (poesia) e Yan Mikirtumov (piano)
– 12 de dezembro (sábado), às 21.00h,
no Cineteatro São Luís.
Um dos mais acarinhados atores portugueses, Vítor de
Sousa, declama poemas natalícios de Fernando Pessoa,
Ary dos Santos, Bocage, António Gedeão, Miguel Torga,Eugénio de Andrade, Natália Correia, David Mourão-Ferreira, Manuel Alegre, José Régio… em diálogo musical com piano que interpreta repertório natalício: carols, tradicionais e clássicos do Natal.
Pais Natal Motards
– 18 de dezembro (sexta-feira), ao longo do dia, a circularem pelo concelho.
Organização: Motoclube Falcões da Estrada, com o apoio do Município de Pinhel.
Concerto Lírico de Natal
– 19 de dezembro (sábado), às 21.00h, na Igreja
de São Luís.
Um concerto em que a música se encarregará de apresentar belos contos de Natal portugueses.

Um convite para ouvir o tenor Paulo Lapa, a Meio-Soprano Patrícia Quinta, o ator Daniel Rocha e o Ensemble Protagonista.

Chegada do Pai Natal
– 20 de dezembro (domingo), às 16.00h, em
local a definir, seguida de desfile até ao “Bosque
Encantado” (Parque Municipal da Trincheira).
Desfile de Mascotes
– 21 de dezembro (segunda-feira), às 16.00h,
com início na zona das Escolas, passagem pela
Rua da República, seguindo até ao “Bosque
Encantado” (Parque Municipal da Trincheira).
Banda Itinerante Os Ajudantes do Pai Natal
– 22 e 23 de dezembro (terça e quarta-feira), ao longo do dia, passando sobretudo pelas
zonas de comércio tradicional.
Fogueira de Natal Motard
– 24 de dezembro (quinta-feira), a partir das 17.00h, junto à Igreja de Santo António.
Organização: Motoclube Falcões da Estrada, com o apoio do Município de Pinhel.

Figueira de Castelo Rodrigo recebeu terceiro debate do ciclo “Conversas: Guarda2027”.

 

A relação entre a produção/consumo cultural e uma territorialidade alargada foi o mote do terceiro debate do ciclo “Conversas: Guarda2027”.

A sessão, programada para Figueira de Castelo Rodrigo mas realizada em formato webinar por causa dos constrangimentos da COVID19, juntou na tarde de 26 de novembro programadores da Guarda2027, agentes culturais e público em geral a debater “A importância da mobilidade, coesão social e territorial na cultura”.

A mobilidade dificulta a criação e fruição cultural? Em que medida as pontes construídas entre residentes constroem um sentimento de pertença e dão coesão e força a uma proposta de candidatura com escala regional?, foram algumas das questões que mereceram reflexão e discussão, numa região em que a mobilidade física depende em muito da mobilidade automóvel privada.

O envolvimento da população (e da Escola) foi assumido como um dos fatores fundamentais para o sucesso da Guarda2027.  Elisabete Bárbara, professora e diretora do Agrupamento de Escolas de Aguiar da Beira, defendeu-o, testemunhando com a participação dos seus alunos no Concurso BI2047, cujo resultado designou os mandatários da juventude da Guarda2027, “peças-chave importantes numa estratégia de implicar os cidadãos no caminho a percorrer, numa abertura ao exterior do projeto e, por isso, nas estratégias de visibilidade que é preciso adotar”, referiu. Na mesma linha, Victor Afonso, programador da Guarda2027, salientou a importância de “sensibilizar, mobilizar e envolver os cidadãos no trabalho de longa duração que é a formação de públicos”.

Caminhar para uma verdadeira coesão social e territorial implica uma “mudança de paradigma onde a cultura é um bem essencial que gera riqueza e tem de chegar a todos”, defendeu Lara Seixo Rodrigues, programadora da Guarda2027. Para conseguir essa coesão, é crucial fixar pessoas (defendeu Tiago Sami Pereira, programador da Guarda2027) e “trazer pessoas qualificadas, tal como tem conseguido por exemplo o Fundão”, rematou Pedro Almeida responsável na região de uma multinacional pelo acolhimento de talento.

No ar, ficaram dois desafios. José Luis González Prada, da Fundación Rey Afonso Henriques, propôs reforçar o carácter trans-fronteiriço da candidatura e José Luís Martins (programador da guarda2027) defendeu a utilização dos sentimentos e afetos para a criação artística.

A quarta e última sessão das “Conversas:Guarda2027” acontece no dia 10 de novembro de 2020 e fará a conclusão deste ciclo com um debate presencial no Teatro Municipal da Guarda. Serão apresentados os resultados preliminares do inquérito sociológico à população dos 17 municípios da Guarda2027 e os contributos recolhidos durante o processo de reflexão promovido por esta iniciativa.

Falecimento de Eduardo Lourenço decretado Luto Municipal pela Câmara da Guarda

A Câmara Municipal determinou, em expressão de justa homenagem, ao Senhor Professor Dr. Eduardo Lourenço de Faria, Luto Municipal, por um dia, que se cumprirá, quarta feira, dia 2 de dezembro de 2020, com correspondente colocação da Bandeira do Município a meia haste.

Voto de Pesar Pelo Falecimento do Eduardo Lourenço

A Câmara Municipal da Guarda manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento de Eduardo Lourenço de Faria, que nos deixou, hoje, dia 1 de dezembro de 2020, aos 97 anos.

Eduardo Lourenço nasceu em São Pedro de Rio Seco (Almeida), a 23 de maio de 1923.

Frequentou o Liceu da Guarda e cursou Ciências Histórico-Filosóficas na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde lecionou como professor assistente até 1953, assumindo desde então uma atitude crítica e um pensamento autónomo.

A partir de 1954, lecionou em universidades estrangeiras nas cidades de Hamburgo, Heidelberg, Montpellier, São Salvador da Baía, Grenoble e Nice, onde se aposentou em 1988, ficando a viver na região. Fixou residência em Vence até 2013, altura em que, após a morte da esposa, Annie Salomon de Faria, regressou a Portugal.

Atento à realidade portuguesa, participou, na vida política do país através da obra escrita e até no apoio a figuras e candidaturas políticas, apesar do seu afastamento.

A produção ensaística de Eduardo Lourenço, abrangendo diversas áreas, da literatura e da arte aos acontecimentos políticos contemporâneos, tornou-se um fenómeno singular na cultura portuguesa, orientada por uma constante argumentação personalista, que se traduziu em mais de 40 livros e inúmeros artigos, prefácios, críticas e recensões. As suas Obras Completas têm vindo a ser editadas pela Fundação Calouste Gulbenkian .

Expoente máximo do ensaísmo literário e cultural contemporâneo, Eduardo Lourenço foi unanimemente reconhecido no meio universitário com quatro Doutoramentos Honoris Causa e no meio cultural e social com a atribuição de vários prémios nacionais e internacionais, para além de condecorações do Estado Português, Francês e Espanhol, e de inúmeras homenagens.

Através do desafio da criação, na Guarda, em 1999, de um Instituto da Civilização Ibérica que unisse as duas Universidades mais antigas da Península (Coimbra e Salamanca), Eduardo Lourenço retornou simbolicamente à sua cidade como Diretor Honorífico do Centro de Estudos Ibéricos e como patrono da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, inaugurada em 2018 e que conta com grande parte do seu acervo literário.

O Presidente Câmara Municipal da Guarda, Carlos Alberto Chaves Monteiro, no âmbito das competências que lhes são conferidas pelo n.º 3 do artigo 35.º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, determina em expressão de justa homenagem, ao Senhor Professor Dr. Eduardo Lourenço de Faria, Luto Municipal, por um dia, que se cumprirá, quarta feira, dia 2 de dezembro de 2020, com correspondente colocação da Bandeira do Município a meia haste.

Enquanto Presidente da Câmara Municipal da Guarda, na convicção de que interpreto, fielmente, o sentimento de todos os Guardenses, determino o cumprimento de 1 dia de Luto Municipal, gesto que simbolicamente visa enaltecer um dos ilustres nomes da nossa Cidade, salientou, Carlos Chaves Monteiro.

 

 

 

Distrital do PSD Guarda critica Deputados do PS de votarem contra redução das Portagens

Em comunicado a Distrital do PSD da Guarda, informa que na conferência de
imprensa, se falou sobre a aprovação da proposta que o PSD apresentou em sede do
Orçamento de Estado que vai permitir a redução da taxa das portagens em
50% para todos os veículos de combustão e em 75% para veículos
elétricos, nas ex-SCUTS, A23 e A25.
Para os social democratas do distrito da Guarda, esta redução de 50% é uma
justa compensação para estes territórios de baixa densidade, porque o
Governo beneficiou as grandes áreas metropolitanas com a redução dos
passes sociais, sem que beneficiasse, da mesma forma, estes territórios do
interior.
Pelas mãos do PSD, fez-se agora um pouco de justiça para com os cidadãos
do interior e para com as empresas aqui sediadas. O PSD passou das palavras
aos atos e num ato de coragem conseguiu aquilo que mais nenhum partido
tinha conseguido nos últimos 10 anos, desde que foram introduzidas as
portagens nas ex-SCUTS, referem os social democratas.
Para Carlos Condesso, Presidente da Distrital, “esta redução de 50% nas
portagens vem beneficiar milhares de cidadãos e contribui fortemente para
aliviar os custos de contexto para as empresas, que, a partir do próximo ano,
verão as suas despesas com a utilização destas estradas reduzir para metade.
Esta medida também vem ajudar, e muito, o turismo no interior e todo este
setor. Os valores que estão em vigor são altamente penalizadores e têm
trazido danos avultados à nossa região”, frisa.
Para o Presidente da Distrital, neste processo, esteve muito mal o Governo e,
mais ainda, os deputados eleitos pelo PS ao terem votado contra esta
proposta.

“Com esta posição e esta atitude não terão perdão por parte dos cidadãos do
distrito. Por cá iludem os cidadãos com juras de amor, por lá, pelo Parlamento,
onde é a sério, abandonam quem os elegeu”, refere.
Para Carlos Condesso, o que os deputados do PS do distrito fizeram “foi
um ato de traição para com os cidadãos do distrito e de todo o interior do
país. Deviam pedir desculpa e fazerem um ato de contrição por cederem
aos interesses do partido”, afirmou ainda o líder da Distrital da Guarda do
PSD.
A redução das portagens em 50% nas ex-SCUT, como a A23 e a A25, a
partir de janeiro “não é nenhum drama orçamental, mas um benefício
enorme para quem vive e trabalha no interior do país”, considera Carlos
Peixoto, deputado do PSD.
O eleito pelo círculo da Guarda referiu ainda que esta aprovação é “um
momento histórico” para o interior.
“Agora é possível reduzir as portagens, porque no ano passado o Governo
beneficiou as Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, com apoios para a
redução dos passes sociais. Este é um benefício de compensação para as
regiões do interior de forma a incentivar a mobilidade e o uso do transporte
individual porque aqui não há transportes públicos”, justificou Carlos Peixoto.
A Distrital do PSD refere também que a Ministra da Coesão Territorial ficou mal
neste processo, “pois o máximo que tinha conseguido relativamente às
portagens, foram umas migalhas. Foi poucochinho!” Aprovar um desconto de
25%, só a partir da 8.ª passagem, é atirar areia para os olhos dos portugueses.
“O facto de não ter ido mais longe, como a própria afirmou, só prova a falta de
peso político no Governo e que o seu ministério se verga aos interesses do
litoral e das grandes áreas urbanas”, concluem.

Câmara da Guarda vai distribuir 1500 testes às IPSS

Desde o início da atual pandemia que a Câmara da Guarda tem implementado diversas medidas de prevenção e proteção da epidemia SARS-CoV-2, dando cumprimento a todas as orientações das entidades competentes, nomeadamente a Direção Geral de Saúde.  Conscientes das dificuldades que este ano particularmente desafiante a nível coletivo nos coloca a todos, no âmbito dos planos de contingência COVID-19 adotados, a autarquia da Guarda quer continuar a estar na linha da frente na proteção dos mais vulneráveis, particularmente da população mais idosa. Por tudo isto, a Câmara vai distribuir 1500 testes a 44 instituições particulares de solidariedade social, Centros de Dia, Lares e organismos do concelho da Guarda que prestem serviços e cuidados individualizados e personalizados a pessoas que por motivos de doença, deficiência ou outro impedimento não possam assegurar, temporariamente ou permanentemente, a satisfação das necessidades básicas e /ou as atividades da vida diária.

O Município da Guarda pretende, com esta iniciativa, potenciar o rastreio das equipas de funcionários(as), nos próximos três meses, procurando assim mitigar a propagação do vírus nessas instituições e proteger a comunidade residente.

Alterações ao Código da Estrada estão a chegar

O Conselho de Ministros aprovou recentemente a alteração ao Código da Estrada, no âmbito da transposição para o quadro jurídico interno da Diretiva europeia sobre cartas de condução.

As alterações abrangem também quatro diplomas complementares do Código da Estrada, nomeadamente o Regulamento da Habilitação Legal para Conduzir (RHLC) e o Decreto-Lei 317/94, que estabelece o registo individual do condutor.

As novas medidas correspondem a uma política pública de promoção da segurança rodoviária e de diminuição da sinistralidade nas estradas, conforme consta do programa do Governo.

Além das alterações relacionadas com o reforço da segurança rodoviária e da fiscalização, há outras que visam a desmaterialização e simplificação processuais da documentação envolvida.

Algumas das principais alterações ao Código da Estrada agora aprovadas são:

A) Em matéria de segurança rodoviária:

  1. Duplicação do valor das coimas por utilização de telemóvel ao volante, que aumentam dos atuais 120€ a 600€ para os 250€ a 1250€. Por ser uma infração grave, há também perda de três pontos na carta de condução;
  2. Consagrada a proibição de aparcamento e pernoita de autocaravanas fora dos locais autorizados;
  3. Obrigatoriedade de instalação e utilização de arcos de proteção em veículos lentos (tratores, máquinas agrícolas ou florestais e industriais). O seu incumprimento fica sujeito a uma coima de 120 € a 600 €.
  4. Equiparação, a bicicletas, das trotinetas elétricas que atinjam uma velocidade máxima até 25 km/hora ou potência máxima contínua até 0,25 kW. As que atingem velocidades superiores a esses limites ficam sujeitas a coimas de 60€ a 300€, caso circulem em desrespeito pelas respetivas características técnicas e regime de circulação aplicáveis;
  5. Veículos usados na formação específica dos condutores dos veículos de polícia e dos veículos afetos à prestação de socorro ou de serviço urgente de interesse público passam a estar abrangidos pelas regras de uso dos avisadores sonoros e luminosos especiais;
  6. Os condutores de veículos TVDE passam a estar equiparados aos dos táxis em matéria de sanções por condução sob o efeito do álcool ou drogas.

B) Em matéria de desmaterialização processual:

  1. É consagrada a possibilidade de uso de cartas de condução digitais, em termos a definir por portaria dos ministros da Administração Interna e dos Transportes;
  2. Possibilidade de apresentação dos documentos em formato digital;
  3. São admitidas notificações em processos contraordenacionais por via eletrónica, nos casos de adesão voluntária à morada única digital;
  4. Desmaterialização do certificado de avaliação psicológica;
  5. Comunicação eletrónica entre as Forças e Serviços de Segurança e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, para efeitos de participação contraordenacional e registo estatístico.

C) Em matéria de simplificação processual:

  1. Concentração de todas as categorias de veículos na carta de condução, permitindo eliminar as licenças para conduzir tratores e máquinas agrícolas ou florestais na via pública;
  2. Dispensa do levantamento dos autos de contraordenação para os condutores de veículos em missão urgente de prestação de socorro ou de interesse público;
  3. Permissão para os condutores poderem reaver as cartas de condução que deixaram caducar, condicionada à realização de provas de exame ou frequência de ações de formação.

D) Em matéria de reforço da fiscalização:

  1. Alteração do modo de acesso da GNR e da PSP ao Registo Individual do Condutor.
  2. É atribuída competência fiscalizadora à GNR, PSP, Polícia Marítima e municípios, para atuarem fora das vias públicas e áreas protegidas em situações de pernoita e aparcamento de autocaravanas ou rulotes fora dos locais autorizados para o efeito.

Filmes do Turismo Centro de Portugal distinguidos em Cannes

Os filmes “A Vida é Agora” e “Chegou o Tempo” estão entre os finalistas da competição na categoria “Filmes de Turismo”.

Dois filmes promocionais do Turismo Centro de Portugal foram distinguidos na 11.ª edição dos Cannes Corporate Media & TV Awards, um dos mais importantes festivais internacionais de filmes promocionais, que decorreu de forma virtual na cidade francesa.

Os filmes “A Vida é Agora” e “Chegou o Tempo” mereceram a honra de integrar a curta lista de 14 finalistas na categoria “Filmes de Turismo”. Desta forma, suplantaram muitos outros filmes concorrentes, provenientes de todo o mundo, que não chegaram a esta fase da competição.

Estas distinções, num festival tão emblemático como é o de Cannes, tem um significado muito especial para o Turismo Centro de Portugal. Os dois filmes finalistas foram realizados em plena primeira fase da pandemia e na sua base está uma mensagem de esperança em dias melhores: a esperança de que o pesadelo que estamos a viver vai passar e que o Centro de Portugal está preparado para receber os visitantes de braços abertos”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal. “Dedico estas distinções aos milhares de portugueses que dedicam a sua vida à atividade do turismo, entre empresários, trabalhadores e associações, que tudo estão a fazer para ultrapassar uma fase tão difícil, acrescenta.

O filme “Chegou o Tempo” inseriu-se numa campanha lançada pelo TCP em maio, que teve como objetivo mostrar aos portugueses que o Centro de Portugal é o destino mais indicado para ultrapassar os dias difíceis do confinamento a que estiveram sujeitos: um destino mais seguro, mais autêntico, mais pessoal e mais sustentável. Pode ver o filme “Chegou o Tempo” nesta ligação: https://youtu.be/f2Ueu6Goa48.

Antes desta distinção, “Chegou o Tempo” já tinha conquistado um Silver Award no 11.º Festival Internacional de Filmes de Turismo de Amorgos, Grécia, e um segundo lugar no Festival Terres, em Espanha.

“A Vida é Agora”, gerado em plena pandemia, é um sinal de esperança e renascimento. Pode vê-lo nesta ligação: https://youtu.be/j1J5Lif0Rmw.

O filme foi apresentado no início do verão e venceu já prémios importantes: foi galardoado com o Grande Prémio da competição nacional do ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, em Viseu; ainda no mesmo festival, venceu o 1.º lugar na categoria Responsabilidade Social, o 1.º lugar na categoria “Destinos – Regiões”, ambos na competição nacional, e o 2.º lugar na categoria “Destinos – Regiões”, na competição internacional; e foi contemplado ainda com o 1.º lugar na categoria “Destinos Turísticos – Região”, no 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga”, Letónia; e com o prémio “White Acacia” no SILAFEST – 12.º Festival Internacional de Filmes de Turismo e Ecologia, Sérvia.

Guarda-821 anos-Inauguração do elevador panorâmico e Requalificação da Torre dos Ferreiros

A cidade mais alta comemora o seu Feriado Municipal e os 821 anos de atribuição do Foral pelo rei D. Sancho I à cidade, onde o dia algo cinzento iniciou com o hastear das bandeiras, seguida da sessão evocativa ao dia festivo, presidida pelo Presidente da Câmara, Carlos Chaves Monteiro.

Foi entregue uma medalha de Mérito Municipal  ao presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social, Lino Maia, uma  homenagem a todas as IPSS do concelho da Guarda.

Seguiu-se a inauguração do elevador panorâmico e Requalificação da Torre dos Ferreiros. 

Esta obra foi um  investimento na ordem dos 570 mil euros. O equipamento permite uma visão de 360º da Guarda e arredores. Esta intervenção está inserida no projeto de ‘Requalificação do eixo central da Guarda’ e tem como objetivo tornar a cidade mais atrativa para turistas e residentes dinamizando simultaneamente a economia local.

Guarda investe 4,1 milhões de euros em medidas sanitárias de prevenção e combate à COVID-19

Recentemente foi apresentado o
Orçamento e Grandes Opções do Plano da
Câmara Municipal da Guarda para 2021
–na reunião de Câmara pelo seu
presidente, Carlos Chaves Monteiro –
prevê mais de 4,1 milhões de euros para
apoiar as medidas sanitárias de prevenção
e combate à COVID-19, para combater os
efeitos sociais da pandemia e para ajudar as empresas locais a ultrapassarem a crise económica.
«Fruto do trabalho de equilíbrio financeiro dos últimos anos, ao qual estive diretamente
ligado, a Câmara da Guarda pode hoje responder de forma musculada à crise sanitária, social e
económica que a pandemia da COVID-19 colocou ao concelho e à cidade”, afirma Carlos
Chaves Monteiro. «Este Orçamento para 2021 tem três prioridades: apoiar quem trabalha
diretamente com doentes, a começar pelas IPSS; combater os danos que a crise social está a
causar nas famílias economicamente mais frágeis; e apoiar as pequenas e médias empresas
que operam no concelho, assim como aqueles com as quais estamos a negociar para que cá se
instalem».
O Orçamento para 2021 prevê receitas e despesas no montante global de 51.180.152 euros.
Neste montante incluem-se 475 mil euros de apoios para a criação líquida de empregos, assim
como 450 mil euros de incentivos ao investimento. A este montante soma-se 1,3 milhões para
a 2ª fase de ampliação da Plataforma Logística, assim como um investimento de 400 mil euros
no Mercado de São Miguel e mais 150 mil euros para intervir no espaço da feira. Acrescem
ainda as isenções de taxas, as quais se traduzem numa perda de receita da ordem dos 100 mil
euros.
«Vamos também manter ou acentuar as reduções ao IMI Familiar, ao IMI e à taxa fixa do IRS, o
que equivale a uma perda de receitas na ordem dos 800 mil euros, dinheiro esse que se
traduzirá diretamente num aumento do rendimento disponível das famílias da Guarda em
2021», afirma Carlos Chaves Monteiro. A este montante deverá somar-se cerca de 200 mil
euros, o custo da redução na cobrança de água às famílias.

Para apoios diretos ao combate sanitário à COVID-19, a Câmara da Guarda conta com 250 mil
euros no seu orçamento para 2021. Esta verba inclui o pagamento de testes COVID durante
três meses às IPSS do concelho que não estavam abrangidas pelos apoios do Estado para o
efeito.
No total, estas parcelas compõem a verba global de 4 milhões e 125 mil euros de apoio diretos
e indiretos para que as famílias, e também as empresas da Guarda, enfrentem os efeitos
sanitários, sociais e económicos da pandemia da COVID-19.
«A urgência imposta pela pandemia sanitária não elimina e tão pouco condiciona a visão do
Executivo de projetar o futuro deste território e das gentes que o definem», afirma Carlos
Chaves Monteiro, citando a introdução do Orçamento e Grandes Opções do Plano hoje
apresentado. «Pensar e agir para lá da pandemia é a nossa obrigação e uma exigência
permanente, pelo que “decretamos” a promoção e captação de investimento estratégico que
potencie o desenvolvimento sustentável e inteligente na Guarda e a reforce como uma nova
centralidade de interior de Portugal e da fronteira com Espanha», conclui.

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar