Templates by BIGtheme NET
Home » Guarda (page 2)

Guarda

Ações de Sensibilização sobre Violência no Meio Escolar em Pinhel

Um conjunto de ações de sensibilização que pretendem abordar o problema da Violência no Meio Escolar, numa iniciativa do Municipio de Pinhel, iniciaram recentemente.

Dirigidas aos alunos do 4º, 5º e 6º ano do Agrupamento de Escolas de Pinhel, as ações estão a ser realizadas pelo Núcleo Escola Segura do Destacamento Territorial da GNR de Pinhel, com a colaboração da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Pinhel.

O que é a violência escolar, que tipos de violência existem, quais as causas da violência no meio escolar, quem são as principais vítimas, quais as consequências para vítimas e agressores e, sobretudo, o que podemos fazer para prevenir a violência na escola são algumas das questões abordadas nestas sessões.

Por:MP

Doces são tema das 7 Maravilhas® em 2019

Candidaturas decorrem até 7 de março. Uma candidatura pode incluir 7 doces.
Catarina Furtado e José Carlos Malato voltam a ser os embaixadores do projeto, enquanto anfitriões das três Galas a emitir no prime time da RTP1 e na RTP Internacional.
Este ano o formato reinventa-se, com Grande Júri, eliminatórias distritais, duas semifinais e uma Grande Final a 7 de setembro.
Depois de eleitas as 7 Maravilhas à Mesa® em 2018, que privilegiou gastronomia, vinhos, azeites e roteiros, chegou a vez de adoçar a boca aos portugueses e colocar em votação das 7 Maravilhas Doces de Portugal®. O tema de 2019 já tem candidaturas abertas, em que pela primeira vez é possível incluir 7 candidatos numa só proposta.
 
As 7 Maravilhas Doces de Portugal foram lançadas hoje, pelas 16h, na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa. O projeto foi apresentado por Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas, e o formato televisivo por José Fragoso, Diretor da RTP1 e RTP Internacional. Catarina Furtado e José Carlos Malato, apresentadores da RTP, estiveram presentes enquanto embaixadores das eleições 7 Maravilhas. Gonçalo Reis, presidente do Conselho de Administração da RTP, esteve também presente neste evento. Contou-se ainda com a presença de representantes dos Apoios Institucionais do projeto, nomeadamente Antero Jacinto, Presidente do Grupo de Setor da Restauração Tradicional, Ana Paula Pais, Diretora Coordenadora de Formação do Turismo de Portugal e de Miguel Freitas, Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural.
As categorias a concurso são: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação. As candidaturas terminam a 7 de março e são realizadas online, no site oficial das 7 Maravilhas. A grande aposta deste ano é na Inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local. A tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderantes.
 
A oitava edição das 7 Maravilhas em Portugal® volta a reinventar-se e este ano os candidatos são votados por cada um dos 18 distrito e duas regiões autónomas, com 20 programas de daytime em direto a realizar nos meses de julho e agosto. Haverá nesta fase 7 candidatos por distrito e regiões autónomas, num total de 140 doces candidatos, sendo que de cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.
Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela da repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas.
Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Catarina Furtado e José Carlos Malato voltam a ser os anfitriões e embaixadores das 7 Maravilhas, apresentando as três Galas (duas semifinais e uma Grande Final). Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.
 
A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®

II edição da ExpoPesca em Aldeia Viçosa

Aldeia Viçosa volta a estar em movimento, depois da brilhante  1ª edição, a Junta Freguesia  vai organizar com a sua Equipa de Pesca a II edição da ExpoPesca no próximo fim de semana, dias 16 e 17 de fevereiro.
Trata-se de um evento que vai trazer as últimas novidades para a pesca até ao interior. Na edição anterior houve um expositor e este ano a atividade conta com três grandes empresas expositoras nacionais. Para além da exposição de artigos de pesca, haverá diversas atividades: animação musical, workshops, venda de produtos regionais, exposição de fotografias, etc.
O momento alto do evento será no domingo dia 17 de fevereiro, com a apresentação da Equipa de Pesca de Aldeia Viçosa que vai representar o concelho da Guarda nos campeonatos nacionais.
A ExpoPesca abre portas no sábado às 15 horas e encerra no domingo às 18H00.
Trata-se da maior exposição (exclusivamente) de Pesca da região centro.

Design e produtos endógenos são tema da “Conversa de Café”

Café Concerto na Guarda acolhe

Decorre nesta sexta-feira, dia 15 de fevereiro, a segunda “Conversa de Café” no âmbito do ciclo promovido pela Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027. Desta vez, a troca de ideias andará à volta do tema “Design e produtos endógenos: da tradição à inovação” e acontece no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda, às 21h30, com entrada livre.
Participam na conversa António Cruz Rodrigues (professor e investigador), Miguel Gigante (designer de moda), Ana Almeida (criadora), Guida Rolo (produtora cultural), Francisco Afonso (mentor do projeto New Hand Lab) e Sérgio Lemos (designer).

Recorde-se que esta iniciativa vem no âmbito da série “Conversa de Café” que a Comissão Executiva da Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura e a Câmara Municipal da Guarda estão a organizar até 26 de abril de 2019, no âmbito da candidatura. Este ciclo de conversas tem como objetivo a promover a participação e o envolvimento da comunidade em geral na discussão pública e reflexão dos temas que integram o conteúdo da estratégia e proposta de programa da Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027.

Sobre os participantes desta conversa

António Cruz Rodrigues
Doutorado em Design pela IADE-Creative University, Mestre em Design Industrial pela Scuola Politecnica di Design de Milão, Licenciado em Design Industrial pelo IADE – Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing. Diretor do Mestrado em Design e Professor investigador na ULHT – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Professor visitante de: Scuola Politecnica di Design de Milão, Itália; Università IUAV di Venezia, Itália; Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil; Faculdade Nordeste, Brasil; Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Brasil; Chiba University, Japão. Fundador, CEO e diretor criativo da Modus Design, Portugal. Participação em Conferências em Universidades Internacionais, Associações Empresariais, Centros Tecnológicos e Organismos Institucionais, em Portugal, Itália e Brasil. Artista-fotografo, investigador da imagem enquanto veículo de referência e inferência da sociedade.

Miguel Gigante
Criador de moda, sediado na cidade da Covilhã, que só trabalha com burel, a lã utilizada pelos pastores da Serra da Estrela. A sua marca inclui uma vasta gama de criações: casacos, coberturas de mobiliário, candeeiros, malas, almofadas, alfinetes de lapela e chapéus. Nasceu na Covilhã no seio de uma família que trabalhava na indústria dos lanifícios, pelo que o mundo da lã desde sempre o fascinou. Estudou todo o processo de produção da lã: o desenho, o molde, o corte e o projeto. Abriu a primeira loja em 1992, na Covilhã. Um ano mais tarde, começou a vender as suas coleções em Portugal, Espanha, França, Alemanha e Itália. Trabalha agora no New Hand Lab, na Covilhã, e criou a primeira coleção com o selo das Aldeias Históricas de Portugal. Artesão e ao mesmo tempo visionário, cria a partir do burel, com As Aldeias Históricas lançou o primeiro produto da Marca na indústria da moda. Aldeias Históricas de Portugal by Miguel Gigante é um produto com valor histórico e criativo.
Ana Almeida
Inventora de histórias. Reconta as lendas dos recantos da Beira, recortando personagens em figuras que cantam. Da imaginação que traz nos dedos e da destreza que leva na alma, as suas formas nascem, crescem, vivem e, às vezes, morrem, porque as histórias também terminam. Ana Almeida cria figuras, concebe texturas, imagina cores. Há quem lhes chame bonecos, ela prefere chamar-lhes gente de outro existir. Gente com rostos e gestos, corpos e sorrisos, e histórias por contar. Como Geppetto, Ana Almeida recruta nos materiais inertes o exército de seres viventes que a rodeiam. Se o que lhes dá vida existe já, as suas vidas estão ainda por inventar.


Guida Rolo
É produtora cultural. Organiza sensações, promove liberdades, divulga criações. Ela faz, o artista sonha, a obra aparece. Quis que a “Floresta Negra” fosse toda uma, que a imagem unisse, e já não se parasse. Estudou Gestão de Património, foi produtora de teatro e gestora de conta de publicidade. A sua paleta é a lista telefónica, a sua organização é uma sinfonia, com momentos de allegro e tempos de adagio, o seu trabalho é um poema modernista sem pontos finais. Guida Rolo propõe-se potencializar, divulgar e comercializar as obras de arte, com a mesma ilusão dos seus criadores, com menos temores do que Abraão, com mais ambição do que o irmão de Van Gogh.


Francisco Afonso
É o impulsionador do projeto New Hand Lab, o gatilho da intervenção. Sonhador, cavalheiro e afável, a sua arte é a vontade de fazer e boa vontade de aceitar.
Francisco Afonso vive nas paredes da fábrica. O seu património são os espaços que conhece de lés-a-lés, de máquinas a degraus, entre rolos e colunas, cheios de sonhos perdidos e esperanças reencontradas.  Francisco Afonso oferece ao público o seu chão, mas foi aos artistas que entregou a alma.

Sérgio Lemos
Nasceu no Porto. É licenciado em Design pela Esad Matosinhos (1996), pós-graduado em Design Industrial pela Glasgow Scholl of Art. Fez mestrado e doutoramento em Design na Universidade de Aveiro, onde foi docente no curso de Design. Atualmente é Professor Auxiliar Convidado no curso de design da Universidade da Madeira. Realizou soluções gráficas e produtos; festivais culturais e exposições que envolveram instituições públicas, empresas e comunidades artesanais. Desenvolveu um projeto artístico com a Fiskars (Fiskars Air, Finlândia 2011). Criou a marca e produz, em oficina própria, uma linha de artefactos em madeira chamados Darga crafts (Serra d’Arga 2009). Atualmente, quer os seus projetos em design, quer as suas atividades de ensino e investigação centram-se no tema da sustentabilidade e responsabilidade social, na procura de soluções baseadas nas relações entre o design, o craft e as formas e sistemas da natureza.

PSD Guarda lançou comunicado sobre projeto das portagens

O CIRCO SOCIALISTA COM AS PORTAGENS

A Comissão Politica do PSD Guarda deixou em comunicado:O que se votou na passada 6ª feira na AR não foi a abolição ou a redução das portagens.

Foi uma recomendação ao Governo para que o fizesse, o que é abissalmente diferente.

Se o Governo, mesmo depois da decisão da AR nesse sentido, não aceitasse fazê-lo (e não aceita), nenhuma consequência ocorreria e tudo ficaria e fica como está.

O PS votou CONTRA essa eliminação ou diminuição. Mas para não ficar mal na fotografia, mandou meia dúzia de deputados seus votar a favor, desrespeitando-os. Um fingimento, um truque e um engano que não se pode levar a bem. Esse irrelevante e manhoso voto não mudava nada, pois nunca venceria o esmagadoramente maioritário voto contra da restante bancada do PS, já previamente decidida a manter as portagens. Enfim, artifícios e cinismos da política do ‘século passado’ para ludibriar incautos. O maior embuste é que esses deputados, como todos os do PCP e do BE, mentores destas iniciativas, foram os mesmos que há dois meses votaram favoravelmente o Orçamento de Estado que prevê, nem mais nem menos, as receitas das portagens que agora, hipocritamente e sem pudor, fingem querer acabar. O mais deplorável é que esses deputados socialistas se prestaram ao triste papel de se irem revezando no apoio intermitente às propostas comunistas apenas em função da relação que estas têm com os distritos por onde foram eleitos. Isto é, os deputados do PS eleitos pela Guarda simulam que acham bem que se acabe com as portagens na A23 e na A25, mas acham que se devem manter na A24. Já os de Vila Real, entendem que podem acabar na A24, mas que devem continuar na A23 e na A25. Que vergonha! Que golpe na coerência e na justiça territorial. Para consumo local, estas balelas podem fazer rebentar alguns foguetes. Para o país e para a política séria, são lastimáveis. O PSD não quis ficar associado a este circo e absteve-se nessa votação. Isto porque só o Governo que gere os nossos recursos sabe ao certo se pode ou não abdicar das receitas destas taxas. Se a esquerda quer mesmo acabar com as portagens que o faça. Com coragem e sem cinismos ou ilusionismos. Tem esse dever, está no poder e sabe as linhas com que se coze. Não há partido nenhum que queira pôr o povo a ter despesa só porque sim. Quem passou pelo Governo sabe que o ‘país da Troika’ não suportava prescindir dessa receita das portagens logo após os desmandos ‘socratistas’ e socialistas. A alternativa passaria por cortar mais nos salários e nas pensões, o que seria ainda mais penoso. O princípio é que quem usa, paga. Deve é pagar muito, mas muito, menos do que paga atualmente. Este é um princípio correto, ainda que politicamente incómodo. A verdade pode doer, mas é preferível ao truque, ao malabarismo e à mentira.

Por:CPPSD Guarda

GNR Guarda- Atividade diária

Gouveia – Detido por violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE), hoje, dia 11 de fevereiro, deteve um homem com 73 anos, por violência doméstica, no concelho de Gouveia.

No âmbito de uma investigação por crime de violência doméstica, em que o suspeitoagredia física e psicologicamente a sua esposa, foi dado cumprimento a um mandado de detenção e a um mandado de busca domiciliária, que resultou na apreensão do seguinte material:

·         150 munições;

·         Uma pistola;

·         Uma arma de ar comprimido;

·         Uma faca de abertura automática.

O suspeito vai permanecer detido nas instalações da GNR até ser presente amanhã, dia 21 de fevereiro, ao Tribunal Judicial de Gouveia, para aplicação das medidas de coação.

Guarda- Queimas devem ser comunicadas à autarquia

 A Câmara Municipal da Guarda informa todos os cidadãos que, no âmbito do Decreto-Lei n.º 14/2019, de 21 de janeiro, fora do período crítico e quando o índice de risco de incêndio não seja de nível muito elevado ou máximo, a queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, bem como a que decorra de exigências fitossanitárias de cumprimento obrigatório, está sujeita a comunicação prévia à autarquia.

A comunicação prévia de realização de queima, deverá ser efetuada por via telefónica através do contacto: 271 220 713 ou através do acesso à plataforma on line: https://fogos.icnf.pt/InfoQueimasQueimadas/.
A queima executada sem comunicação prévia à autarquia, é considerado uso de fogo intencional, estando por isso sujeito a coimas.

Queimas de Sobrantes, como fazer em segurança?
Faça vários montes de pequena dimensão.
Afaste o amontoado de sobrantes a queimar de pastos, silvados, matos ou árvores.
Abra uma faixa de limpeza sem vegetação à volta dos sobrantes a queimar.
Molhe a faixa de limpeza antes de iniciar a queima.
Tenha um recipiente com água ou uma mangueira junto ao local.
Queime os sobrantes pouco a pouco.
Não abandone a queima, mantenha-se vigilante. Se saltar alguma faúlha apague de imediato.
Queime até ficarem apenas as cinzas, e assegure-se que antes de abandonar o local não existe fumo a sair das cinzas.

Para mais informações, contacte o Gabinete Técnico Florestal da Câmara da Guarda:  271 220 713 ou gtf@mun-guarda.pt

AF Guarda- Resultados da 2ªDivisão

Decorreu a 11ªronda do distrital secundário da AF Guarda, com o líder Vila Franca das Naves a golear em casa os Castelos por quatro bolas a zero.

O Foz Coa viajou à Guarda e venceu a turma local e deu um passo importante rumo á subida.

Pala-Nespereira-0-2

Freixo Numão –Casal Cinza-2-0

Vila Franca Naves-Os Castelos-4-0

Guarda FC- Foz Côa-1-4

 

Classificação:

1º VF Naves- 25

2º Foz Côa-19

3º Freixo N.-17

4º Nespereira- 14

5º Paços Serra- 13

6º Guarda DFC- 12

7º Pala- 9

8º Castelos- 6

9º Casal Cinza- 4

Caminho Português de Santiago promovido

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal (ERTCP) saúda de forma muito positiva o Decreto-Lei aprovado pelo Conselho de Ministros, que regula a promoção do Caminho Português de Santiago e que visa a certificação dos seus itinerários. Esta medida vem ao encontro do intenso trabalho desenvolvido nos últimos anos pela ERTCP, em conjunto com vários parceiros do território do Centro de Portugal, que se enquadra na perfeição no espírito e na letra do Decreto-Lei agora aprovado.

Com efeito, o trabalho de identificação e valorização dos itinerários do Caminho de Santiago no Centro de Portugal iniciou-se há mais de uma década. Mais concretamente, desde 2007 que na ERTCP se delineou a estratégia de estruturação desta via de peregrinação enquanto produto turístico de grande potencial.

Na região, estão identificados e sinalizados os Caminhos Central, Interior e Nascente e a ligação do Caminho Interior ao Caminho Central.

Em 2014 ficou concluída toda a sinalética do Caminho Central, que, iniciando-se em Lisboa, passa neste território por Vila Nova da Barquinha, Tomar, Ferreira do Zêzere, Alvaiázere, Rabaçal, Conímbriga, Coimbra, Mealhada, Águeda e Albergaria-a-Velha, em direção ao Porto e a Santiago de Compostela. Neste itinerário está já em pleno funcionamento uma importante rede de albergues e pontos de apoio ao peregrino.

O Caminho Nascente está igualmente completamente identificado e sinalizado no Centro de Portugal. O itinerário parte do Alentejo e atravessa o território do Centro de Portugal em Vila Velha de Ródão, Castelo Branco, Fundão, Ferro (Covilhã), Belmonte, Guarda, Celorico da Beira e Trancoso, onde se junta com o Caminho de Torres. Este, começando em Espanha, cruza Almeida, Pinhel e Trancoso, em direção a Lamego, Guimarães, Braga e Santiago.

O Caminho Nascente é de grande importância estratégica, uma vez que constitui um percurso alternativo à Via da Prata, tradicionalmente utilizado pelos peregrinos do Sul de Espanha e que passa por Sevilha, Cáceres e Salamanca. A Via da Prata está hoje saturada, pelo que cada vez mais peregrinos da Extremadura e de Castela e Leão preferem utilizar o Caminho Nascente.

Identificado está também o Caminho do Interior, que parte de Viseu e segue por Castro Daire, Lamego, Vila Real e Chaves, até desembocar na Via da Prata. Em 2015, foi protocolada entre a ERTCP e os municípios, em 2015, a ligação entre o Caminho do Interior e o Caminho Central, havendo inclusivamente uma candidatura ao programa Valorizar, promovida pela Associação Via Lusitana.

Paralelamente, foram e estão a ser desenvolvidas ferramentas de apoio ao peregrino, nomeadamente uma app, guias e mapas, que permitem a plena fruição do Caminho Português de Santiago na região, proporcionando informação geral e prática, bem como informação histórico-cultural.

A região Centro de Portugal tem apostado, de forma assertiva, na qualificação e valorização do Caminho Português de Santiago, em parceria com os Municípios, a Associação Via Lusitana e o Turismo de Portugal. Por isso, a ERTCP reúne todas as condições para avançar com a certificação dos seus itinerários, aguardando o desenvolvimento do processo de organização a nível nacional e disponibilizando-se até para, face aos passos importantes que já foram dados pelo Centro de Portugal nesta área, assumir um papel de região-piloto a nível nacional.

A ERTCP não pode deixar de se congratular com a aprovação do Decreto-Lei, que constitui uma excelente oportunidade para a região e para o país.

GNR-Atividade operacional semanal

       

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre os dias 1 e 7 de fevereiro, que visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras, registando-se os seguintes dados operacionais:

 

  1. Detenções: 517 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • 209 por condução sob o efeito do álcool;
  • 78 por condução sem habilitação legal;
  • 56 por tráfico de estupefacientes;
  • 15 por posse de arma proibida;
  • 17 por furto;
  • Quatro por pesca ilegal;
  • Dois por permanência ilegal em território nacional;
  • Um por roubo.

 

  1. Apreensões:
  • 28 271 doses de haxixe;
  • 839 doses de cocaína;
  • 378 doses de MDMA;
  • 68 doses de liamba;
  • 31 doses de heroína;
  • 61 selos de LSD;
  • 507 munições de diversos calibres;
  • 21 armas brancas;
  • 11 armas de fogo;
  • quatro veículos;
  • 101 quilos de bivalves;
  • 4002 artigos contrafeitos;
  • 4 256 euros em numerário.

 

  1. Trânsito:

Fiscalização: 12 050 infrações detetadas, destacando-se:

  • 3 388 excessos de velocidade;
  • 580 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 557 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;
  • 498 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 486 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 458 relacionadas com tacógrafos;
  • 420 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 253 por falta de seguro de responsabilidade civil
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar