Templates by BIGtheme NET
Home » Nelas (page 20)

Nelas

Lusovini recebeu visita do Sec. Estado José Luis Carneiro em Nelas

nelas 1O Secretário das Comunidades José Luís Carneiro visitou recentemente, o Concelho de Nelas e reuniu com os empresários e gestores da “Lusovini”, reunião essa que contou também com o Presidente e Vice- Presidente da Câmara de Nelas.

Na agenda especialmente o conhecimento do importante investimento efetuado pela empresa na vila e concelho de Nelas, onde tem a sua sede social, e daí partindo um pouco para tidos os pontos de venda no mundo, de Angola ao Brasil, dos Estados Unidos a Hong Kong, passando pelo mercado europeu.

A diáspora portuguesa foi encarada e debatida como uma excelente oportunidade para procura e penetração de novos mercados, tarefa que mereceu todo o apoio e disponibilidade do Sr. Secretário de Estado. Efetivamente em todos os países desenvolvidos, na hotelaria, na restauração, na construção civil e em outros setores económicos emigrantes portugueses são hoje empresários de referencia e excelente porta de entrada nos mercados desse países.

O apoio de qualidade á comunidade emigrante por parte da Câmara mereceu também os maiores elogios e incentivos por parte do governante.

Nelas vive também na diáspora portuguesa e nos seus mais diretos interlocutores.

Por:Mun.Nelas

Operação Cintos de Segurança pela GNR

mostrarImagem.ashxA Guarda Nacional Republicana (GNR) intensifica até ao próximo domingo (19 de março), a fiscalização do uso do cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças (SRC), direcionando as ações para as vias onde as infrações por falta de uso dos dispositivos de retenção são mais frequentes.

A utilização destes dispositivos reduz a ocorrência e/ou gravidade de lesões sofridas pelos ocupantes de uma viatura em caso de acidente de viação, pelo que a GNR tem dado particular atenção às ações de prevenção e fiscalização desta matéria.

Em 2017, foram registadas até à data cerca de 4 522 infrações, o que corresponde a uma diminuição de cerca de 10 % em relação ao período homólogo do ano passado (5 416 infrações), repartidas do seguinte modo por distritos:

Distrito Excessos

2016

Excessos

2017

Aveiro 699 376
Beja 114 121
Braga 598 415
Bragança 84 96
Castelo Branco 158 120
Coimbra 305 294
Évora 55 61
Faro 311 250
Guarda 124 72
Leiria 420 353
Lisboa 486 316
Portalegre 50 45
Porto 929 985
Santarém 303 319
Setúbal 319 269
Viana do Castelo 161 110
Vila Real 115 133
Viseu 185 187
TOTAL 5 416 4 522

Esta operação, levada a cabo por militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais, é realizada de igual modo em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL – www.tispol.org/), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é a representante nacional.

Por:GNR

Dia Internacional da Mulher em ambiente de festa

Dia da Mulher cópiaO Dia Internacional da Mulher é comemorado anualmente neste dia 8 de março.

Neste dia todas as mulheres se reúnem para celebrar a data importante.

A data surgiu pela primeira vez a 19 de março de 1911 na Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça.

Desde esse ano, o dia tem vindo a ser comemorado em vários países do mundo, de forma a reconhecer a importância e contributo da mulher na sociedade.

Outro dos objetivos por detrás da origem do Dia Internacional da Mulher é recordar as conquistas das mulheres e a luta contra o preconceito, seja racial, sexual, político, cultural, linguístico ou económico.

Em 1975, as Nações Unidas promoveram o Ano Internacional da Mulher e em 1977 proclamaram o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

No Dia Internacional da Mulher é comum serem enviadas às mulheres mensagens de apreço e de homenagem, e fazerem-se pequenas surpresas, como o envio de flores e bombons.

Por:Calendar

AF Viseu- Resultados da Divisão de honra-21ªronda

AF Viseu5No Distrito de Viseu, o Ferreira de Aves soma e segue ao vencer o Ol.Frades por duas bolas a uma.

Já o Resende venceu em casa o Paivense e mantém o segundo lugar, o Sampedrense também  venceu o Tarouquense pela mesma marca.

Já o Penalva do Castelo a bater o Mangualde por duas bolas a zero, e o Carregal dividiu os pontos em Lamelas.

JORNADA 21
1 Ferreira de Aves 47 21 14 5 2 38 15 +23 a
2 GD Resende 38 21 11 5 5 33 19 +14 a
3 7 Sampedrense 37 21 9 10 2 24 13 +11 a
4 7 Penalva Castelo 37 21 11 4 6 33 25 +8 a
5 8 Carregal do Sal 35 21 9 8 4 24 15 +9 a
6 Sátão 34 21 10 4 7 38 26 +12 a
7 GDC Roriz 31 21 7 10 4 36 28 +8 a
8 Silgueiros 30 21 8 6 7 26 24 +2 a
9 ACDR Lamelas 30 21 8 6 7 28 28 0 a
10 7 Castro Daire 27 21 7 6 8 26 26 0 a
11 8 Mangualde 26 21 7 5 9 21 23 -2 a
12 7 SC Lamego 26 21 7 5 9 27 29 -2 a
13 8 Sport Clube Paivense 26 21 6 8 7 14 15 -1 a
14 Oliv. Frades 17 21 5 2 14 16 32 -16 a
15 Tarouquense 16 21 4 4 13 21 37 -16 a
16 Canas Senhorim 2 21 0 2 19 13 63 -50 a

Mensagem de D.Ilídio Leandro para Quaresma/Páscoa

1d_ilidio_2Quaresma e Páscoa preenchem um tempo muito especial e muito propício a ser carregado de sentido e mistério que nos levam para além dos dias do tempo e das horas do calendário. O Papa Francisco oferece-nos – para preencher, colorir e valorizar o conteúdo deste tempo – o Evangelho do rico avarento e do pobre Lázaro. Parecendo que, no Tempo do Além, o rico se converte totalmente – dirige-se ao pai Abraão, pede ajuda ao desprezado Lázaro, quer que os seus irmãos se convertam – desperdiçou, com a inversão total de valores, o Tempo do Aquém. Avaliando o “tempo todo” do pobre Lázaro e o do rico, espanta o “eterno e infinito” desequilíbrio a desfavor do rico.

Partindo desta temporal avaliação – e contemplando o que se passa com os refugiados vindos para Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque, Egito, Itália, Grécia, Alemanha, Suécia, França, Inglaterra, Bulgária, Holanda, Áustria, Dinamarca, Hungria, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Portugal, Estados Unidos, Canadá (…) e os que permanecem em Síria, Afeganistão, Somália, Sudão, Sudão do Sul (…) – quem dera que esta abertura de portas proporcione equilíbrio na distribuição da riqueza e na partilha dos bens – criados e destinados a todas as pessoas que viveram, vivem e hão de viver – partilhando, de forma justa, proporcional e equilibrada, com todos os atuais usufrutuários, os bens que ninguém trouxe de lado nenhum, que todos encontram preparados para uso, sem abuso, e se deseja e espera que fiquem para quem vier depois dos atuais beneficiados!

A Mensagem para a Quaresma-Páscoa deste ano é exigente e será mesmo revolucionária se mudar critérios, se inverter posições de domínio e de posse abusiva e se fizer olhar a todas e a todos, mais e antes do que para os “seus bens”, para os seus irmãos. Isto, independentemente da raça, da cor da pele, da religião, do sexo ou da idade. Simplesmente por alguém ser pessoa tem direito: à vida, com família, com dignidade, com presente e com futuro, com respeito, com solidariedade e com amor, sabendo que o resto – muito importante, também – virá por acréscimo.

Para que todas e todos possam viver assim, existem Governos, existem Políticas, existem Escolas, existem Igrejas…. Só assim e para a realização plena de todas as pessoas se justificam estas Instituições na Sociedade – para servirem as pessoas, ajudando a que todas sejam felizes, cumprindo os fins da 1ª Quaresma-Páscoa que precisamos de relembrar, realizar e concretizar em toda a plenitude.

Ilídio Leandro, Bispo de Viseu

Quaresma 2017 na visão do Papa Francisco

papa_francisco_portugal_fraseO Papa Francisco apela na sua mensagem para a Quaresma de 2017, que se iniciou esta quarta-feira, à defesa da vida “frágil” e alerta para as consequências negativas de uma vida centrada no “dinheiro”.

“Cada vida que vem ao nosso encontro é um dom e merece acolhimento, respeito, amor. A Palavra de Deus ajuda-nos a abrir os olhos para acolher a vida e amá-la, sobretudo quando é frágil”, escreve, num texto intitulado ‘A Palavra é um dom. O outro é um dom’.

Francisco questiona em particular a utilização do dinheiro, contestando a “lógica egoísta” que não deixa espaço para o amor e dificulta a paz.

“Em vez de ser um instrumento ao nosso dispor para fazer o bem e exercer a solidariedade com os outros, o dinheiro pode subjugar-nos, a nós e ao mundo inteiro, numa lógica egoísta”, alerta.

Segundo o Papa, o “homem corrompido pelo amor das riquezas” não vê nada além de si próprio.

“Assim, o fruto do apego ao dinheiro é uma espécie de cegueira: o rico não vê o pobre esfomeado, chagado e prostrado na sua humilhação”, precisa.

A mensagem parte de uma passagem do Evangelho, sobre um homem rico e um pobre, chamado Lázaro, que lhe pede ajuda mas é ignorado.

“Lázaro ensina-nos que o outro é um dom. A justa relação com as pessoas consiste em reconhecer com gratidão o seu valor. O próprio pobre à porta do rico não é um empecilho importuno, mas um apelo a converter-se e a mudar de vida”, assinala Francisco.

O Papa deixa votos de que a Quaresma represente “um novo começo” e recomenda as práticas tradicionalmente ligadas a este tempo de preparação para a Páscoa, “o jejum, a oração e a esmola”, como forma de combater a “corrupção do pecado”.

A mensagem assinala a importância da “Palavra de Deus” como força de “suscitar a conversão” no coração de todos.

“Fechar o coração ao dom de Deus que fala tem como consequência fechar o coração ao dom do irmão”, observa Francisco.

O Papa pede que as comunidades católicas promovam a sua “renovação espiritual”, participando também nas Campanhas de Quaresma que muitos organismos eclesiais promovem.

“A Quaresma é um tempo propício para abrir a porta a cada necessitado e nele reconhecer o rosto de Cristo. Cada um de nós encontra-o no próprio caminho”, recorda.

A Quaresma, que começa com a celebração de Quarta-feira de Cinzas, é um período de 40 dias marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

Por:OC

Operação “Carnaval 2017” da GNR

mostrarImagem.ashxA Guarda Nacional Republicana (GNR) intensifica, a partir de hoje, dia 24 de fevereiro e até à próxima 3ª feira, dia 28, o patrulhamento e a fiscalização rodoviária, orientando as ações para as vias mais críticas, com especial incidência para as que convergem aos locais onde tradicionalmente ocorrem festividades carnavalescas.

Durante todo o período da operação, militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, irão levar a cabo diversas ações de fiscalização com o objetivo de prevenir a sinistralidade rodoviária, estando os miliares especialmente atentos às seguintes matérias:

·         Falta de habilitação legal para o exercício da condução;

·         Excesso de velocidade;

·         Condução sob a influência do álcool e de substâncias psicotrópicas;

·         Incorreta ou não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção para crianças;

·         Uso indevido do telemóvel durante a condução.

Durante a Operação “Carnaval 2016” (5 a 9 de fevereiro), registaram-se 871 acidentes, três mortos, 15 feridos graves e 273 feridos ligeiros.

Além desta ações realizadas no âmbito rodoviário, serão ainda mobilizados meios humanos e matérias no sentido de garantir a segurança dos locais associados às festividades do Carnaval, que decorrem por todo o país.

Por:GNR

Carnaval em Nelas 2017

IMG_6209Quatro bairros, quatro corsos, foliões, carros alegóricos originais, dois Carnavais singulares onde a música e animação prometem trazer ao Concelho dias de verdadeira folia e animação. Centenas de figurantes, milhares de visitantes, muita música, humor e animação caracterizam os Carnavais do Concelho de Nelas, que de 26 a 28 de Fevereiro 2017, prometem muita diversão. Com cariz diferente e protagonizados pelas Associações do Bairro da Igreja e Cimo do Povo, Paço e Rossio, consagra-se uma tradição de décadas em Nelas e secular em Canas de Senhorim.

As Associações Paço e Rossio, bairros rivais de Canas de Senhorim, mostram o seu empenho e enchem as ruas da Vila de cor e diversão no Domingo e Terça-feira de entrudo, dias vividos intensamente pelos foliões, que culminam com o despique nas quatro esquinas, onde cada bairro puxa pela sua música e canções. Do ambiente carnavalesco desta vila fazem parte também a “Segunda-feira das Velhas”, os bailes, os pisões, as paneladas e as batatadas. Assim nos dias 26 e 27, pelas 22h00, Paço e Rossio promovem no Mercado da Vila,  os tradicionais Bailes, domingo com o grupo HD MUSIK UZDAPES, e segunda o Baile de Máscaras com o grupo OXYGENIUS.

Na Vila de Nelas, a Associação do Bairro da Igreja e do Cimo do Povo são os protagonistas do Carnaval, que durante meses preparam em sigilo as fantasias dos figurantes e os carros alegóricos, que vão exibir nesses dias com bastante gosto e imaginação numa grande festa carnavalesca, que começa na Praça do Município e se estende às principais ruas da vila de Nelas, ao ritmo de música brasileira, e que culmina em ambiente de festa e alegria, com a troca das rainhas dos dois bairros, na terça-feira de Entrudo. Para dia 25, sábado, pelas 22h00, está agendado o BAILE DE CARNAVAL com prémio para a melhor máscara, no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Nelas com o grupo ALTA FREQUÊNCIA.

De salientar ainda, a Queima do Entrudo, na Quarta-Feira de Cinzas, realizada nas duas vilas do Concelho de Nelas, por cada uma das Associações envolvidas, coincidindo este ano as comemorações dos 38 anos da Associação do Paço de Canas de Senhorim.

O Carnaval do Concelho de Nelas constitui um dos principais cartazes turísticos da região, reforçado pela relevante riqueza patrimonial, paisagística, gastronómica e vínica, o termalismo e hospitalidade própria das gentes do Concelho de Nelas. A organização do Carnaval conta com o apoio da Câmara Municipal de Nelas, Juntas de Freguesia e Corporações dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim e Nelas.

Por:Mun.Nelas

Artigo de opinião–CUIDAR DE QUEM CUIDA

hp_20110209_PorqueEprecisoCuidarDeQuemCuidaNuma sociedade cada vez mais envelhecida, onde impera um aumento significativo das necessidades em saúde dos idosos, devido a doenças crónicas e incapacitantes, emerge como foco de atenção o cuidado informal à pessoa idosa, cuja responsabilidade cabe prioritariamente à família. No entanto, cuidar de quem cuida, além de uma responsabilidade, deve ser uma prioridade de todos nós, enquanto sociedade.

O acto de cuidar surge como um acto inerente à condição humana, na medida em que, ao longo da vida, vamos sendo alvo de cuidados ou prestadores dos mesmos.

MAS, DE QUE FALAMOS QUANDO FALAMOS DE CUIDADORES INFORMAIS?

Cuidadores informais, são pessoas que, sendo familiares ou pessoas próximas, se responsabilizam pela assistência da pessoa idosa no seu dia-a-dia, na promoção da sua qualidade de vida e garantindo que as suas necessidades diárias são satisfeitas. São pessoas que desempenham esta função numa base informal, sem formação profissional prévia ou qualquer vínculo contratual e sem qualquer tipo de remuneração.

O papel do cuidador informal passa por garantir que o idoso, no seu dia-a-dia, consegue alimentar-se de forma adequada, dormir e repousar, gerir adequadamente a sua medicação e vigiar os seus problemas de saúde, que consegue cuidar de si e do seu corpo de forma a manter um quotidiano digno e nas melhores condições possíveis. É, portanto, um papel complexo, não só pela exigência física e emocional que acarreta, mas também pelas alterações que introduz no seu próprio dia-a-dia.

Apesar da maioria das pessoas que desempenham esta função referirem que este é um papel que lhes proporciona um grande sentimento de prestabilidade e satisfação, principalmente quando sentem que o idoso está bem e igualmente satisfeito, é também uma missão de grande cansaço e desalento.

Cuidar de um idoso dependente é uma missão árdua que envolve compromisso e dedicação e, por isso mesmo, não podemos remetê-la para a invisibilidade da esfera privada, como uma função sem relevância social.

Muitas destas pessoas referem frequentemente problemas de falta de apoio e falta de tempo para si próprias. Os sentimentos de solidão, tristeza e depressão são comuns. Muitas têm que recorrer a terapêutica para controlar os sintomas de ansiedade ou para conseguir dormir, e descuidam o seu próprio auto-cuidado ou o cuidado dos seus dependentes (como os seus filhos, por exemplo), em detrimento do cuidado do outro.

OBSTÁCULOS COM QUE SE DEFRONTAM

A política pública de cuidados de saúde tem desenvolvido, ao longo dos tempos e de forma a acompanhar as necessidades expressas, variadas formas de apoio e cuidados aos idosos dependentes. Contudo, em alguns países, nomeadamente em Portugal, a família continua a ser a unidade básica na prestação de cuidados.

Apesar dos cuidados aos mais dependentes estarem largamente institucionalizados, as respostas sociais não são suficientes e, por isso, continua a apelar-se à responsabilidade das famílias pelos seus elementos mais vulneráveis.

A legislação nacional actual, no que concerne aos cuidados continuados, define que são destinatários das Unidade e Equipas da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) as pessoas em situação de dependência funcional, transitória decorrente do processo de convalescença ou outro; de dependência funcional prolongada; pessoas idosas em situação de fragilidade; incapacidade grave, com forte impacto psicossocial; doença severa, em fase avançada ou terminal. No entanto, as enormes insuficiências, sejam elas a falta de camas ou a falta de profissionais, deixam cerca de 90% da população com mais de 65 anos, com baixo acesso a cuidados continuados.

Portugal é, em simultâneo, o país onde existe uma das menores taxas de cobertura de cuidados formais e o país da Europa com maior taxa de cuidados domiciliários informais.

O Estado, não está, portanto, a conseguir garantir as respostas que deveria dar às famílias e às pessoas que por dependência funcional, fragilidade, ou incapacidade necessitam de continuidade de cuidados.

Tendo em conta este cenário, torna-se imperativo cuidar de quem cuida e valorizar o papel dos cuidadores e não ficarmos indiferentes a todo a complexidade inerente ao acto de cuidar.

É fundamental aumentar a consciencialização sobre o contributo significativo dos cuidadores informais para a sociedade, e em particular no contexto do sistema de saúde, serviço social e economia do país.

Garantir, que são dadas condições para que as famílias possam cuidar, em ambiente domiciliário, dos seus ascendentes e descendentes em situação de dependência, que possam gozar dos seus direitos e de apoios específicos que valorizem os cuidados que são prestados pelos mesmos e que, por último, os cuidadores informais não sejam prejudicados nem a nível profissional, nem a nível pessoal.

A importância da elaboração do Estatuto do Cuidador que lhe confira protecção e reconhecimento, torna-se premente, na medida em que se prevê no futuro, um aumento substancial do envelhecimento da população.

*O autor não escreve segundo o acordo ortográfico.

                                                                                                               Por:Rita Amaro, Psicóloga Clínica,C.P.:16527–ISCMFA

Foto:PV

Vítor de Sousa no Ciclo “Nelas por Vocação: 10 Conferências, 10 Convidados”

0nelVítor de Sousa é uma figura de referência da Cultura Portuguesa, ator, homem de letras e de palavras, habituámo-nos a vê-lo assumir várias personagens, vestindo-lhes a pele. Tendo começado a sua carreira na década de 60, Vítor de Sousa atravessou vários momentos históricos, várias modas e tendências, vários modos de ser ator. “Do pó de palco à vertigem da televisão, do cinema aos espetáculos ao vivo, tantos anos passados, como é que é que este ator com alma de poeta olha para a profissão? E para a cultura da era digital?”

 “DO TAL CANAL AO ESTADO ATUAL”, é o tema da próxima conferência integrada no Ciclo “Nelas por Vocação: 10 Conferências, 10 Convidados”, a decorrer no próximo dia 23 de Fevereiro 2017, na sede da Contracanto Associação Cultural na Lapa do Lobo e cujo convidado é Vítor de Sousa, uma figura de referência da cultura portuguesa, que teve sempre um pé no palco, outro na televisão, e a voz na poesia. Moderada por Pedro Vieira, apresentador do programa semanal O Último Apaga a Luz, na RTP, esta conferência promete a partilha de conhecimentos e experiências, numa história de vida dedicada às artes e à cultura portuguesa.

A noite conta ainda com a participação do mais recente projeto criativo “Coletivo Orelhas Moucas”, composto por Rui Fonte e Rui Pina, com o momento “Versos para Entrada e Canções a Condizer”, que introduz os convidados e o tema da conversa, num encontro brilhante entre poesia e música. Esta proposta criativa e bem-humorada acompanha sempre cada Conferência e resultará num concerto final com a soma dos 10 momentos musicais, para além de uma exposição fotográfica e um livro resumo.

Nomes como João Paulo Martins, Francisco José Viegas, António-Pedro Vasconcelos e Pedro Marques, Vítor Sobral já marcaram presença no Concelho de Nelas por Vocação ao conhecimento, ao pensamento critico, ao desenvolvimento de uma cultura cívica atual e inclusiva. “Nelas por Vocação: 10 Conferências, 10 Convidados” tem trazido ao espaço público concelhio, uma quinta-feira por mês, a discussão de grandes temas relacionados com a realidade, local e nacional, conduzida sempre por uma figura pública, abrangendo áreas desde a música à escultura; da literatura à pintura; da arquitetura à gastronomia; ou da investigação científica à religião.

Por:Mun.Nelas

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar