Templates by BIGtheme NET
Home » Penalva do Castelo (page 20)

Penalva do Castelo

Dia Azul e Dia Mundial da Dança nas escolas

Vai ter lugar nesta sexta -feira, o Dia azul, nas diversas escolas do País, assim send29_04_mkwo, a comunidade escolar é convidada a trazer uma peça azul vestida e um autocolante para usar.

Vai ser um dia animado dado que se comemora do Dia Mundial da Dança, ora vai muita gente dançar, a surpresa  uma aula de Zumba, depois vai haver pinturas, fotos e outras atividades.

Um dia diferente, mais azul a comunidade escolar.

Por:António Pacheco/Sofia Pacheco

foto:AEFA

 

Discussão Pública das Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) em Nelas

Teve início esta quarta -fnelaseira, no Auditório do Edifício Multiusos de Nelas a primeira Discussão Pública das Áreas de Reabilitação Urbana (ARU),  na Vila de Nelas, inserida numa estratégia de regeneração urbana desta localidade, que seja capaz de gerar o necessário impulso para a revitalização do centro da Vila, devolvendo-lhe a sua natural função configurante das dinâmicas urbanas, e proporcionando condições promotoras de uma maior coesão urbana, quer na articulação urbana, quer na articulação entre o centro e as novas áreas de expansão, quer na futura ocupação dos espaços desqualificados.

Este projeto, que tem matérias relativas ao futuro comum em termos urbanísticos a executar em áreas geograficamente definidas para candidaturas a financiamentos comunitários ou a executar com orçamento da Câmara Municipal, tem como principais objetivos reposicionar o centro tradicional como espaço configurante e qualificado, consolidar a multifuncionalidade do centro tradicional, promover a valorização dos elementos singulares de Nelas, promover a inclusão de áreas socialmente vulneráveis e incrementar a mobilidade urbana.

Desta forma, o Presidente da Câmara Municipal de Nelas apresentou os objetivos de trabalho e estratégicos para tornar Nelas numa Vila mais urbana a todos os níveis, bem como a área geograficamente definida para esta localidade e os benefícios fiscais que podem ser atribuídos aos proprietários de casas devolutas ou em estado de degradação no sentido da sua recuperação.

No caso específico da Vila de Nelas, a ARU insere-se integralmente em perímetro urbano, abrangendo uma superfície de 123,76 hectares, integrando o principal património arquitetónico classificado e de interesse municipal existente nesta localidade, a globalidade do centro tradicional, as áreas de expansão da Vila (incluindo o largo da feira a oeste e a área de novos equipamentos a norte) e a envolvente da estação de caminho-de-ferro.

A sessão terminou com uma ativa participação dos presentes que deixaram algumas sugestões e contributos para levar a bom porto o projeto de reabilitação urbana para a Vila de Nelas.

A próxima discussão pública tem lugar na próxima sexta feira, dia 29 de abril, às 21h00, no Edifício da Escola Primária das Caldas da Felgueira.

Por:Mun.Nelas

Freguesia de Real acolheu novo livro sobre a localidade

livro   No passado domingo teve lugar a apresentação do livro sobre Real , numa sessão presidida pela Presidente da Assembleia de Freguesia, Marisa de Matos Oliveira, contou ainda com a presença de Liberto Pais de Carvalho, que doou todo o seu espólio fotográfico à Freguesia e foi o principal impulsionador deste projeto.
O Presidente da Junta, Pedro Pina Nóbrega, fez a apresentação do trabalho desenvolvido no primeiro ano do projeto e dos resultados já obtidos, bem como a apresentação do livro.
Os resultados já obtidos podem ser consultados no sítio do projeto na Internet, em www.real-pct.net/memoria, além do livro poderão ser consultadas diversas fotografias animadasIMG_8958 com o “Antes e o Agora” de diversos locais da freguesia e vistas panorâmicas. Durante o 1º Semestre outros resultados estarão disponíveis. O divulgação do projeto passará também pelo grupo no Facebook fomentando a interação, principalmente com os nossos emigrantes.IMG_8959
O livro é composto por 128 fotografias, divididas em duas partes principais “Os Lugares” e “As gentes, o convívio e os afazeres”. Cada parte tem um texto introdutório e as fotografias são acompanhadas de legendas, ajudando a perceber o contexto de cada uma. A verba obtida com a venda dos livros será para financiar este projeto. Graças aos mecenas Altri Florestal e SAEP, a cada agregado familiar residente permanentemente na freguesia é oferecido um livro.
A exposição encontra-se patente no edificio-sede da frIMG_8961eguesia, mas em breve estará disponível em 14 pontos da freguesia. O objetivo é que em cada local o visitante possa contemplar in loco o antes e o agora desse local.

O Projeto “O Futuro da Memória da Freguesia de Real” iniciou-se em Abril de 2014 com a sessão de apresentação à população. Partiu da doação do espólio fotográfico de Liberto Carvalho a que se seguiram outras pessoas da comunidade. tem como objetivo não só a preservação da memória da comunidade, mas também dar a conhecer essa mesma memória, nomeadamente às gerações mais novas.

Por:Freg Real

fotos:A.M.

Como aconteceu o 25 de abril 1974

A Revolução de 25 d25abril230412e Abril, também referida como Revolução dos Cravos, refere-se a um período da história de Portugal resultante de um movimento social, ocorrido a 25 de abril de 1974, que depôs o regime ditatorial do Estado Novo, vigente desde 1933, e iniciou um processo que viria a terminar com a implantação de um regime democrático e com a entrada em vigor da nova Constituição a 25 de abril de 1976, com uma forte orientação socialista na sua origem.

Esta ação foi liderada por um movimento militar, o Movimento das Forças Armadas (MFA), que era composto na sua maior parte por capitães que tinham participado na Guerra Colonial e que tiveram o apoio de oficiais milicianos. Este movimento surgiu por volta de 1973, baseando-se inicialmente em reivindicações corporativistas como a luta pelo prestígio das forças armadas, acabando por atingir o regime político em vigor. Com reduzido poderio militar e com uma adesão em massa da população ao movimento, a resistência do regime foi praticamente inexistente e infrutífera, registando-se apenas 4 civis mortos e 45 feridos em Lisboa pelas balas da DGS.

O movimento confiou a direção do País à Junta de Salvação Nacional, que assumiu os poderes dos órgãos do Estado. A 15 de maio de 1974, o General António de Spínola foi nomeado Presidente da República. O cargo de primeiro-ministro seria atribuído a Adelino da Palma Carlos. Seguiu-se um período de grande agitação social, política e militar conhecido como o PREC (Processo Revolucionário Em Curso), marcado por manifestações, ocupações, governos provisórios, nacionalizações e confrontos militares que, terminaram com o 25 de Novembro de 1975.

Estabilizada a conjuntura política, prosseguiram os trabalhos da Assembleia Constituinte para a nova constituição democrática, que entrou em vigor no dia 25 de Abril de 1976, o mesmo dia das primeiras eleições legislativas da nova República. Na sequência destes eventos foi instituído em Portugal um feriado nacional no dia 25 de abril, denominado como “Dia da Liberdade”.

O cravo vermelho tornou-se o símbolo da Revolução de Abril de 1974. Segundo se conta, foi Celeste Caeiro, que trabalhava num restaurante na Rua Braancamp de Lisboa, que iniciou a distribuição dos cravos vermelhos pelos populares que os ofereceram aos soldados. Estes colocaram-nos nos canos das espingardas. Por isso se chama ao 25 de Abril de 74 a “Revolução dos Cravos”

Por:Wikipédia

III edição do Percurso Pedestre Rota dos Ambientes Rurais

130px-PCT1A Câmara Municipal de Penalva do Castelo em parceria com a junta de freguesia de Castelo de Penalva, Associação Cultural Castro de Pena Alba, Grupo Desportivo Cultural Bela Vista e apoio dos Bombeiros Voluntários e Unidade de Cuidados à Comunidade de Pena D’Alva, vai promover no próximo dia 24 de abril (domingo) o Percurso Pedestre PR4-PCT Rota dos Ambientes Rurais (com momentos de animação /recriação histórica).

A Rota é um percurso circular com cerca de 12km, que circunda uma vasta área da freguesia de Castelo de Penalva, cuja sede, remotamente, foi berço do Município e um ponto estratégico para o domínio e manutenção da paz em toda a área do enclave Dão-Mondego.

O percurso, que em 2015 teve cerca de três centenas de participantes, tem início junto à Igreja Matriz /São Pedro e desenvolve-se em torno do rio Dão, com um aprazível ambiente rural circundante caraterizado por belas paisagens, grande diversidade de fauna e flora e diversos monumentos religiosos e histórico-culturais (capelas, alminhas, “ponte romana, castelo”…) que poderão ser apreciados pelo caminhante.

Ao longo do percurso, os participantes serão surpreendidos com alguns momentos de animação, nomeadamente: as Lavadeiras no rio Dão, a travessia das poldras, a fonte dos namorados, o resineiro, Alambique, entre outros.

O preço de inscrição é de 6,00 € e inclui o seguro, almoço e t-shirt, ou 3,00€ incluindo o seguro e o almoço. A participação livre não tem qualquer custo associado. O pagamento é efetuado no dia do percurso.

Além deste percurso pedestre, existem no concelho mais quatro percursos pedestres devidamente sinalizados cuja calendarização 2016 é a seguinte: PR2 PCT Caminho dos Galegos/Rota de Santiago, em Mareco (29 de maio); PR2 PCT Rota da Sr.ª da Ribeira, em Moinhos de Pepim (19 de junho); PR3 PCT Rota dos Cenários do Passado, em Esmolfe (24 de julho) e PR5 PCT Trilho do Ryal, em Real (7 de agosto).

Por:Mun.Penalva do Castelo

Reuniões descentralizadas do Município de Pinhel

pinheDando continuidade à descentralização das suas reuniões quinzenais, o Executivo da Câmara Municipal de Pinhel reuniu esta tarde na Freguesia de Vale do Côa.

Os trabalhos tiveram lugar na sede da Junta de Freguesia, na localidade de Azêvo, sendo de referir a presença do Presidente da Junta de Freguesia, bem como de alguns populares.
Entres os assuntos abordados, destaque para a aprovação de apoios financeiros para obras a realizar em diversas freguesias do concelho.
No caso concreto de Azêvo, uma das aldeias que integra a nova Freguesia do Vale do Côa (juntamente com Cidadelhe), foi lembrada a necessidade de uma capela mortuária, obra que poderá vir a ser associada à recuperação de uma antiga escola, motivo que levou o Executivo a deslocar-se ao local no final da reunião.

Por:Mun.Pinhel

António José Seguro apresenta livro em Gouveia

tozeseguroIntegrada no programa geral das comemorações do 1º de Maio, organizado por esta Freguesia, António José Seguro estará em Gouveia para apresentar o seu mais recente livro “A Reforma do Parlamento Português”.

Segundo a editora (Quetzal), “o livro de António José Seguro aborda, com minúcia de dados, um tema fundamental no funcionamento das democracias de hoje, e da portuguesa especialmente – o do controlo e responsabilização política do Governo perante o Parlamento, e o do poder relativo de que as maiorias e minorias (ou da maioria e da oposição) tem exercido nestas funções.”

Trata-se, assim, no presente quadro parlamentar, de uma temática mais atual do que nunca.

A apresentação tem lugar no dia 1 de Maio (Domingo), pelas 15.30h, na Biblioteca Municipal de Gouveia.

Por:JFG

Workshop/Oficina de Snoezelen dinamizado na Biblioteca Municipal de Penalva

1.1 Decorreu recentemente, na Biblioteca Municipal de Penalva do Castelo, um Workshop sobre a terapia Snoezelen, durante o qual foi possível conhecer esta inovadora forma de intervenção avançada, baseada na estimulação multissensorial, e as suas inúmeras aplicações.

Numa sessão iminentemente prática, dinamizado pela Enfª Carla Damil e pela Terapeuta Rita Abreu, todos os participantes tiveram oportunidade de conhecer as metodologias e técnicas de aplicação desta terapia, tendo sido possível experimentar os diversos equipamentos de estimulação sensorial utilizados numa “Sala Snoezelen”.

A “Sala de Snoezelen” é um espaço multissensorial que tem como objetivo a estimulação sensorial e/ou a diminuição dos níveis de ansiedade e de tensão. A terapia Snoezelen, realizada a partir de luz, sons, cores, texturas, aromas e estimulação tátil, é um tratamento complementar à intervenção clínica e à reabilitação, estando as “Salas Snoezelen”1.2 cada vez mais presentes em hospitais, lares e instituições sociais, sendo esta terapia também utilizada em ambiente educativo, no tratamento de patologias degenerativas do idoso, numa vertente preventiva e de alívio da dor.

Os participantes reconheceram a novidade e importância desta terapia multissensorial, que pode constituir um importante complemento às terapias tradicionais, nomeadamente as sensações de relaxamento, conforto, saúde e bem-estar que a mesma desperta em todos, e as suas inúmeras possibilidades na promoção de uma melhor qualidade de vida.

A realização deste workshop na Biblioteca Municipal contou igualmente com o apoio inestimável da empresa “Sem Barreiras”, que cedeu os equipamentos necessários para a recriação de uma sala e ambiente Snoezelen.

Por:Mun.PC

Penalva do Castelo lança projeto “A Igualdade Faz o Meu Género” no Ensino Pré-Escolar

cm-penalva-do-castelo A Câmara Municipal de Penalva do Castelo encontra-se a desenvolver desde 2011 o projeto “A Igualdade Faz o Meu Género”, integrado no Plano Municipal para a Igualdade.

Este projeto trabalha transversalmente a problemática da igualdade e procura refletir a importância do papel a desempenhar pelo poder local no empreendimento de ações que impulsionem a igualdade de género enquanto estratégia promotora da igual dignidade entre homens e mulheres, numa perspetiva de renovação e organização social.

Valorizando a importância de trabalhar as questões ligadas à igualdade de género desde a primeira infância, o Município arrancou com um projeto especificamente direcionado para os alunos do ensino Pré-Escolar do concelho, de modo a trabalhar precocemente a igualdade de oportunidades entre os homens e as mulheres.

Este projeto de caráter longitudinal está a ser implementado ao longo de 5 sessões em cada um dos estabelecimentos de ensino do Pré-Escolar, num total de 6h e 30 minutos e procura intervir no sentido de disponibilizar aos alunos um acompanhamento na maturação da sua estabilidade de género, livre de preconceitos e estereótipos limitativos socialmente enraizados.

Simultaneamente a estas sessões e, numa abordagem holística, já foi realizada uma de três sessões com as educadoras do ensino pré-escolar. Estas sessões obedecem a uma lógica reflexiva das suas práticas, instrumentos de trabalho, objetivos, critérios utilizados, juízos emitidos e influência do género nas suas práticas educativas para que o sistema formal de ensino do concelho seja promotor da igualdade de oportunidades entre rapazes e raparigas e contribua para o sucesso e liberdade de escolha no percurso escolar destas crianças.

Pretende-se que a implementação e desenvolvimento do projeto “A Igualdade faz o meu género” seja o locus da cidadania e que contribua para o desenvolvimento pessoal e social dos munícipes e, como tal, o Município aposta na transversalidade desta temática ao nível do ordenamento do território e educação das famílias.

Por:Mun.Penalva do Castelo

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar