Templates by BIGtheme NET
Home » Penalva do Castelo (page 4)

Penalva do Castelo

Imensos visitantes para saborear o cabrito em Penalva

A Câmara Municipal de Penalva do Castelo promoveu, nos dias 10 e 11 de março, o Fim-de-Semana do Cabrito e a iniciativa “Sabores de Penalva”.

Muitos foram aqueles que se deslocaram a Penalva do Castelo para apreciar o prato principal – o Cabrito – nos estabelecimentos de restauração aderentes: O Templo, Familiar, O Carneiro, Pizzaria da Lameira, Snack-Bar 259, Parador Casa da Ínsua, O Telheiro e Casa de Petiscos Recordo.

Além do Cabrito, todos os participantes foram presenteados com uma prova de Queijo Serra da Estrela e uma Maçã Bravo de Esmolfe, resultante da iniciativa “Sabores de Penalva” – complemento da “Feira/Festa do Pastor e do Queijo” realizada no dia 3 e 4 de fevereiro.

Os participantes no fim-de-semana do Cabrito habilitaram-se ao sorteio de um almoço ou jantar para duas pessoas num dos restaurantes aderentes.

Com esta iniciativa gastronómica, a autarquia dinamizou mais um evento atrativo de visitantes a Penalva do Castelo, que para além dos sabores tradicionais, puderam apreciar as potencialidades dos produtos endógenos, conviver com a beleza do território e a arte de bem receber dos Penalvenses.

Por:MPC

Resultados da Divisão de Honra da AF Viseu-21ªronda

Lamego lidera isolado

Nova ronda da Divisão de Honra da AF Viseu, com o líder Lamego a vencer em casa frente ao Carregal do Sal, por três bolas a uma.

Surpresa foi a derrota da Sampedrense em casa frente ao Nespereira por duas bolas a zero.

O Penalva do Castelo a vencer em casa o Paivense pela margem mínima, a turma do Paivense e mantém acesa a luta pela subida.

Na cauda da tabela, o Mangualde continua com imensas dificuldades e foi derrotado novamente em casa pelo Silgueiros por uma bola a zero.

Jornada 21

SC Lamego -Carregal do Sal -3-1
Lamelas – Moimenta da Beira -2-0
P.Castelo- Paivense -1-0
Molelos – Resende -1-2
Sampedrense -Nespereira -0-2
Sátão – Castro Daire -0-0
Mangualde – Silgueiros -0-1
Vouzelenses –  Roriz-0-1

Classificação

1º SC Lamego—————– 47
2º Sampedrense ————–42
3º Penalva do Castelo ——–39
4º Sátão ———————– 37
5º Castro Daire —————35
6ºLamelas ———————33
7ºM. Beira ———————33
8ºPaivense ——————–31
9ºNespereira  —————–27
10º Silgueiros —————–26
11ºResende ——————–26
12ºC.. do Sal ——————-25
13ºRoriz ————————19
14º Molelos ——————–18
15 º Vouzelenses—————15
16º Mangualde —————–5

Proteção Civil emite alerta de mau tempo

No seguimento do contato com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado nesta terça-feira, 13 de Março, pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), prevê-se, para amanhã, 14MAR18, o agravamento das condições meteorológicas, com ocorrência de precipitação, intensificação do vento, queda de neve e agitação marítima (em toda a orla costeira):
  • quarta-feira (14MAR) prevê-se a ocorrência de precipitação, vento forte (ao longo do dia) e queda de neve a partir da cota dos 1800 metros, diminuindo (a partir da tarde) para a cota dos 1000 metros, nas regiões Centro e Norte.
  • A precipitação acumulada poderá atingir 30 mm entre as 00:00 e as 12:00 e 40 mm nas 12 horas seguintes, especialmente a Norte do Tejo.
  • O vento pode atingir rajadas máximas de 100 km/h, podendo ser pontualmente superior nas zonas mais expostas e/ou elevadas.
  • Amanhã (14MAR) espera-se agitação marítima forte, estando previsto que, a partir das 15:00, as ondas sejam de oeste/noroeste e atinjam uma altura de 4 a 5 metros (em toda a costa), situação que se poderá prolongar até à manhã do dia 16MAR (sexta-feira).
Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt
2. EFEITOS EXPECTÁVEIS
Face à situação descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
· Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
· Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, devido a acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
· Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas mais vulneráveis;
· Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
· Danos em estruturas montadas ou suspensas;
· Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais mais vulneráveis;
· Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
· Possíveis acidentes na orla costeira;
· Fenómenos geomorfológicos originados por instabilidade de vertentes devido à perda da consistência por saturação dos solos em água;
· Obstrução de vias de circulação por queda de árvores, deslizamento ou desabamento de terras, pedras ou outras estruturas;
3. MEDIDAS PREVENTIVAS
A ANPC recorda a necessidade de serem adotados comportamentos adequados, designadamente nas zonas mais vulneráveis, pelo que se divulgam as principais medidas de autoproteção para estas situações:
· Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirar inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criarem obstáculos ao livre escoamento das águas;
· Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
· Colocar correntes de neve nas viaturas sempre que se circular em áreas cobertas por neve e/ou gelo;
· Evitar atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas e/ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
· Garantir a adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
· Ter especial cuidado na circulação e permanência junto a áreas arborizadas, mantendo atenção à possibilidade de queda de ramos e árvores em virtude de vento forte;
· Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais;
· Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
· Evitar a circulação e permanência nas terras altas onde as rajadas de vento sejam fortes ou muito fortes;
· Manter-se atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
Por:ANPC

AF Viseu- Resultados e classificação da divisão de honra

Nova ronda da divisão de honra visiense com a turma do Lamego a vencer fora de portas o Resende por duas bolas a uma e lidera isolado.

Moimenta da Beira – Penalva Castelo -1-1
Paivense – Vouzelenses -5-1
Carregal do Sal – Lamelas-2-2

Resende – SC Lamego -0-2
Silgueiros -Sampedrense -0-0
Nespereira – Molelos -0-0
Castro Daire – Mangualde-2-0

Classificação após 20 jornadas

1 SC Lamego —–44
2 Sampedrense –42
3 Sátão                   36
4 Penalva Castelo 36
5 Castro Daire      34
6 M. da Beira       33
7 Paivense            31
8 Lamelas           30
9 C.. do Sal         25
10 Nespereira    24
11 Silgueiros      23
12 Resende        23
13 Molelos      18
14 GDC Roriz 16
15 Vouzelenses 15
16 Mangualde 5

Taça Sócios de Mérito da AF Viseu-1/8 final -Resultados

Algumas surpresas nesta eliminatória da Taça,

Penalva do Castelo- Moimenta da Beira- 0-1

Lamego- Ciências -4-1

Lamelas – Roriz – 1-1 GP 5-6

Nespereira- V. Chã de Sá- 3-0

Tarouca – Silgueiros- 1-2

Oliv.Frades- Carregal do Sal- 1-0

Castro Daire – Sampedrense- 0-3

Moimenta Dão- Vale Açores- 0-6

Turistas espanhóis são os que mais visitam Centro de Portugal

O interesse dos turistas estrangeiros em visitar o Centro de Portugal disparou em todos os mercados durante o ano de 2017. Essa é a conclusão que se retira da análise dos dados preliminares do INE (Instituto Nacional de Estatística), relativos à proveniência dos visitantes no ano passado, e que dão conta de 1,40 milhões hóspedes estrangeiros na região, correspondentes a 2,76 milhões de dormidas.

De acordo com os dados, que se reportam aos 10 países de onde tradicionalmente chegam mais turistas (e que deixam de fora o turismo de habitação, o turismo em espaço rural e o alojamento local), Espanha continua a ser o principal mercado emissor, o que naturalmente se explica pela proximidade e facilidade de acesso. Em 2017, o Centro de Portugal registou 656,6 milhares de dormidas provenientes do país vizinho, o que representa um aumento de 11,6% em relação a 2016. Em número de hóspedes, os espanhóis foram 322,5 mil, mais 14,9% que no ano anterior.

É entre os países mais distantes que, no entanto, se notam maiores acréscimos de visitantes para a região entre 2016 e 2017. Dos Estados Unidos, por exemplo, chegaram mais 69,1% de hóspedes (73,4 mil no total), responsáveis por mais 81,8% de dormidas (141,8 mil). Do Brasil, vieram mais 43,2% de hóspedes (133,2 mil) e mais 40,0% de dormidas (203,0 mil). Crescimentos também muito significativos são os registados nos mercados de Itália (mais 46,4% de hóspedes e 75,3% de dormidas), Irlanda (mais 72,0% de hóspedes e 98,0% de dormidas) ou Reino Unido (mais 24,6% de hóspedes e 28,8% de dormidas).

Nos restantes países analisados, nota-se também um crescimento muito acentuado de visitantes de Alemanha (mais 18,3% de hóspedes e 19,8% de dormidas). A fechar a lista estão Bélgica (mais 6,7% de hóspedes e 3,7% de dormidas), França (mais 5,9% de hóspedes e 7,0% de dormidas) e Holanda (mais 0,6% de hóspedes e 2,2% de dormidas).

Em número absoluto de visitantes, Espanha lidera esta lista de 10 países, com uma quota em 2017 de 11,6% – ou seja, mais de 11% dos turistas que visitaram o Centro de Portugal foram espanhóis. Seguem-se França (6,3%), Itália (3,9%), Brasil (3,6%), Alemanha (2,9%), EUA (2,5%), Reino Unido (2,0%), Holanda (1,0%), Bélgica (0,9%) e Irlanda (0,8%).

Merece igualmente destaque o forte crescimento de visitantes dos países que não integram esta lista de 10 mercados tradicionalmente analisados pelo INE. Na globalidade, os números de “outros estrangeiros” evoluíram 38,2% em hóspedes e 48,5% em dormidas. A quota de “outros estrangeiros” é já de 13,2%, isto é, superior à de espanhóis.

O mercado asiático, em particular, está a crescer de forma acentuada. Embora, neste caso, ainda só haja dados analisados até setembro, é evidente a importância. De janeiro a setembro de 2017, houve 47,9 mil dormidas de sul-coreanos no Centro de Portugal – mais do que alguns dos 10 países tradicionais! Japoneses foram 23,1 mil e chineses (mercado com potencial enorme de crescimento) 13,4 mil.

Uma última nota para referir que 2017 foi o ano em que o total de visitantes estrangeiros no Centro de Portugal mais se aproximou do número de visitantes nacionais: foram 1,4 milhões de hóspedes estrangeiros e 1,8 milhões de hóspedes portugueses.

Ano de 2017 foi o melhor de sempre para o Centro

Recorde-se que o ano de 2017 foi o melhor de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal. Os resultados preliminares do INE contabilizaram um crescimento consolidado da região em todos os indicadores analisados: dormidas, hóspedes e proveitos da atividade.

De acordo com os dados do INE, entre janeiro e dezembro de 2017, registaram-se 5.654.683 dormidas no Centro de Portugal, o que representa um crescimento de 14,52% em relação ao total de 2016, que tinha sido de 4.937.900. Refira-se ainda que o Centro de Portugal cresceu o dobro da média nacional, uma vez que as dormidas no país aumentaram em média 7,35%.

Turismo Centro de Portugal vai estar na BTL 18

O Turismo Centro de Portugal vai ter o seu stand do Turismo Centro Portugal – Destino Convidado BTL 2018, na FIL, em Lisboa, de 28 fevereiro a 4 de março.
Durante os cinco dias em que dura a mais importante feira de turismo do país, o Turismo do Centro será protagonista de várias iniciativas, que decorrerão no seu stand. Além dos momentos de animação e de divulgação, a cargo das comunidades intermunicipais, empresas e instituições da região, permitimo-nos destacar as apresentações de projetos estruturantes, como são o “Portugal Outdoor Alliance” (dia 28/02); a estratégia de promoção da Região de Turismo EUROACE (dia 1/03); o Festival Internacional de Filmes ART&TUR 2018 (dia 1/03); o projeto Lugares Património Mundial (dia 2/03); ou o projeto CREATOUR (dia 2/03), entre outros. Destacamos também a assinatura do protocolo de colaboração entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional e o Turismo Centro de Portugal, no dia 1/03.

Assumirão igualmente grande importância, noutros espaços, a assinatura do protocolo TCP/APAVT “Turismo Centro de Portugal – Destino convidado APAVT 2018”, no stand da APAVT (dia 28/02); uma receção a hosted buyers, no BTL Village (dia 28/02); a apresentação da edição da revista “Up”, da TAP, de homenagem a Aveiro, no stand da TAP (dia 1/03); ou a iniciativa Meet Up Coimbra, no BTL Village (dia 1/03).

Pode descarregar a programação final e completa do stand do Turismo do Centro, que ocupa uma área nobre da Bolsa de Turismo de Lisboa, neste link:

Programação (em formato pdf)

Por:TC

Turismo evoluiu favoravelmente no Centro de Portugal

O ano de 2017 foi o melhor de sempre para a atividade turística no Centro de Portugal. Os resultados preliminares, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), dão conta de um crescimento consolidado da região em todos os indicadores analisados; dormidas, hóspedes e proveitos da atividade.

De acordo com os dados do INE, entre janeiro e dezembro de 2017, registaram-se 5.654.683 dormidas no Centro de Portugal, o que representa um crescimento de 14,52% em relação ao total de 2016, que tinha sido de 4.937.900. Estes números, no entanto, pecam por defeito, uma vez que estes dados preliminares não incluem todos os alojamentos turísticos, deixando de fora o turismo de habitação, o turismo em espaço rural e o alojamento local – unidades que assumem um peso muito grande nas opções de quem visita esta região.

Para se perceber melhor o impacto destes alojamentos no Centro de Portugal, atente-se nas contas de 2016. Quando se juntaram as dormidas provenientes de turismo de habitação, turismo em espaço rural e alojamento local aos números do INE desse ano, obteve-se um total de cerca de 5,6 milhões. Desta forma, pode afirmar-se com segurança que, relativamente aos números de 2017, depois de somados os números dos alojamentos alternativos, o número de dormidas no Centro de Portugal terá ultrapassado largamente os 6 milhões.

Para se ter uma ideia mais clara do que representa este crescimento, veja-se os números do INE das dormidas no Centro de Portugal nos cinco anos anteriores: 2012 – 3,76 milhões; 2013 – 3,73 milhões; 2014 – 4,14 milhões; 2015 – 4,50 milhões; 2016 – 4,94 milhões.

Estes resultados enchem-nos de satisfação e de esperança num futuro dourado para o turismo no Centro de Portugal. Não é por acaso que esta região bateu todos os recordes de visitantes, dormidas e proveitos no ano em que mais foi atingida pela tragédia dos incêndios. Os empresários do turismo no Centro de Portugal são resilientes e, juntamente com as entidades públicas, têm conseguido dar a conhecer as potencialidades da região como destino, especialmente a nível internacional”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal e da Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal.

“Esta é uma região que reúne as condições ideais para ser um destino atrativo, devido à sua grande diversidade de recursos turísticos e possibilidades de visita. É um território singular, único e ao mesmo tempo diversificado, capaz de atrair o turista mais curioso e exigente. Os diferentes atores do território sabem-no melhor do que ninguém. A região tem vindo a aumentar e a requalificar a sua oferta de alojamento, a aposta na promoção tem sido ganha, e os resultados estão à vista”, acrescenta.

Centro de Portugal cresceu o dobro da média nacional

Refira-se ainda que, em 2017, as dormidas no país aumentaram em média 7,35%. Ou seja, metade do crescimento registado no Centro de Portugal. Além do Centro de Portugal (+14,52%), o incremento de dormidas no ano passado foi também muito expressivo nos Açores (+15,80%) e Alentejo (+11,72%) e menor nas restantes regiões: Lisboa (+8,68%), Porto e Norte (+7,95%), Algarve (+5,33%) e Madeira (+1,90%). Isto significa, sem qualquer dúvida, que os visitantes estão a procurar cada vez mais as regiões menos presentes nos roteiros tradicionais: Centro, Alentejo e Açores.

O mercado internacional continua a ser o grande impulsionador do crescimento turístico do Centro de Portugal. No ano de 2017, segundo os dados preliminares do INE, as dormidas de estrangeiros aumentaram 29,5%, para 2.756.042 (tinham sido 2.128.259 em 2016). Comparativamente, a média nacional de crescimento de dormidas de estrangeiros foi de 8,6% em 2016. Os maiores aumentos de dormidas de não residentes aconteceram no Centro (+29,5%), Alentejo (+15,9%) e Açores (+13,8%).

A procura do Centro de Portugal por parte de cidadãos nacionais também continua a aumentar de forma sustentada, embora a um ritmo substancialmente inferior. Em 2017, segundo estes dados, registaram-se na região 2.898.641 dormidas de visitantes nacionais, mais 3,2% que em 2016.

Os restantes indicadores registados pelo INE são também muito positivos para o Centro de Portugal. É o caso do total de hóspedes, que entre 2016 e 2017 subiu 13,2%, para 3.197.488.

O notável crescimento nas dormidas e nos hóspedes reflete-se, naturalmente, de forma muito positiva nas receitas. Em 2017, registou-se um substancial desenvolvimento dos proveitos totais da atividade turística no Centro de Portugal, em comparação com 2016: os proveitos globais dispararam 19,4% e ultrapassaram os 272 milhões de euros. Assim como no rendimento médio por quarto disponível, que subiu 20,3% entre 2016 e 2017. Dados extremamente promissores, em especial para os empresários que investem no turismo da região!

Centro de Portugal em destaque na BTL 18

O Centro de Portugal assume um lugar privilegiado na edição deste ano na Bolsa de Turismo de Lisboa – BTL’18, que se realiza na Feira Internacional de Lisboa, de 28 de fevereiro a 4 de março. A BTL distinguiu a região como Destino Nacional Convidado da mais importante feira de turismo do país, num sinal de apreço pela capacidade de renovação de um território tragicamente afetado no verão passado.

O privilégio de ser Destino Nacional Convidado concretiza-se num espaço de maior destaque para o Turismo Centro de Portugal (TCP) no espaço da BTL e num conjunto de iniciativas variadas, antes e durante a feira, destinadas a potenciar a notoriedade da região.

As principais novidades da presença do Centro de Portugal na BTL foram anunciadas hoje, dia 14, em conferência de imprensa que teve lugar no Museu da Cerveja, em Lisboa, e que teve como intervenientes Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal; Maria João Rocha de Matos, da Fundação AIP; e a Diretora da Bolsa de Turismo de Lisboa, Fátima Vila Maior.

“A distinção de o Centro de Portugal ser o Destino Nacional Convidado é um excelente desafio para a região mostrar-se naquilo que tem de melhor. A BTL continua a ser o nosso maior cartaz de apresentação da região”, elogiou Pedro Machado, na apresentação. “O Centro de Portugal já tinha sido o Destino Nacional Convidado em 2013. Como então, constitui uma oportunidade de ouro para podermos apresentar as ações prioritárias para 2018”, acrescentou.

Por parte da BTL, Fátima Vila Maior sublinhou a sua grande satisfação pelas “iniciativas dirigidas ao público” apresentadas na conferência de imprensa. “É sempre um prazer trabalhar com o Centro de Portugal”, rematou.

Um stand aumentado e renovado

O stand do Centro de Portugal vai ocupar a mesma posição central a que já habituou os visitantes, à entrada do Pavilhão 1 (o pavilhão principal), mesmo ao lado do Turismo de Portugal. No entanto, por ser o Destino Convidado, a área do stand cresceu, de 648 m2 para 702 m2: mais 54 m2 do que em 2017. Um crescimento do espaço de exposição que acontece sem acréscimo financeiro para o TCP. De salientar, que a participação na feira será este ano gratuita para as empresas diretamente afetadas pelos incêndios de 2017, no que constitui um inestimável e solidário incentivo.

No total, vão estar representadas 30 empresas e instituições do Centro de Portugal, além das oito Comunidades Intermunicipais (CIM) da região, a saber: Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Médio Tejo, Oeste, Região de Aveiro, Região de Coimbra, Região de Leiria e Viseu Dão Lafões.

O stand vai apelar às sensações dos visitantes, que poderão experimentar dois simuladores, um de surf e outro de bicicleta (neste, poderão percorrer virtualmente troços da ecopista do Dão), ou jogar minigolfe, entre outras atividades. Haverá também um espaço dedicado aos Lugares Património Mundial no Centro (Mosteiros de Alcobaça e Batalha, Convento de Cristo em Tomar e Universidade e Alta de Coimbra) e será dado particular destaque à apresentação dos Produtos Turísticos Integrados (PTI) das Comunidades Intermunicipais que integram a região Centro de Portugal. Estes PTI, de âmbito nacional ou internacional, assumem um forte carácter de inovação, que será evidenciado.

Continuando a apelar às sensações dos visitantes, ao longo dos cinco dias de feira haverá experiências e degustações enogastronómicas, em parceria com a Escola de Hotelaria de Coimbra e com a presença de chefes de cozinha da região. Como é evidente, não faltarão os momentos de animação cultural e eventos institucionais, a cargo das Comunidades Intermunicipais.

Haverá lugar a importantes apresentações no stand do TCP. Nomeadamente, da Estratégia de Promoção da Região de Turismo EUROACE (Alentejo, Centro Portugal e Extremadura Espanhola), às 13h00 de 1 de março; ou do Festival Internacional de Filmes ART&TUR 2018 (que este ano vai ser realizado no Centro de Portugal, em Leiria), às 16h00 de 1 de março.

Iniciativas mostram o melhor do Centro de Portugal

As iniciativas de promoção do Centro de Portugal, por parte da BTL, serão variadas e conjugam-se no pacote promocional Destino Convidado.

Desde logo, o logótipo do Turismo do Centro – Destino Nacional Convidado estará visível no website da BTL e será inserido nos materiais promocionais impressos (anúncios, mupis na cidade de Lisboa e guia do visitante), nos bilhetes e convites e na sinalética da feira.

O facto de ser Destino Nacional Convidado possibilitou ao Centro de Portugal ser destaque da revista Evasões na sua edição de 23 de fevereiro, em que será publicada uma extensa reportagem sobre a região.

O pacote promocional Destino Convidado prevê ainda a colocação de elementos promocionais identitários da Região Centro, em locais estratégicos de Lisboa. O destaque maior vai para o Campo Pequeno, onde será instalada uma tela de grandes dimensões (16×6 metros), alusiva à região, e uma réplica de um dinossauro, proveniente do Dino Parque da Lourinhã.

Serão também particularmente visíveis, em espaços nobres da capital, frases a apelar aos produtos-chave do Centro de Portugal: “Turismo do Centro tem Neve”, “Turismo do Centro tem Ondas”, “Turismo do Centro tem Fé”, “Turismo do Centro tem Património”, “Turismo do Centro tem Natureza”, “Turismo do Centro tem Gastronomia e Vinhos”, “Turismo do Centro tem Termas”, “Turismo do Centro tem Aldeias”.

Uma ação promocional de rua, no dia 23 de fevereiro, no Cais do Sodré, com distribuição de bilhetes de entrada para a feira, flyers promocionais e outro merchandising, e a emissão de spots no Canal Lisboa, a partir do mesmo dia, são outras das iniciativas.

Paralelamente ao pacote promocional da BTL, e por iniciativa do TCP, a presença na feira ocupará espaços publicitários em dois dos sites e duas das revistas com mais audiência no país, entre outras ações de marketing digital.

A acrescentar a tudo isto, o TCP participará em múltiplas ações durante a feira. Logo no dia 28 de fevereiro, pelas 18h30, será assinado no stand da APAVT – Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo o protocolo “Turismo Centro de Portugal – Destino Convidado APAVT 2018”. Graças a esta distinção, o TCP terá também um espaço no stand da APAVT. Em data ainda a definir, será também assinado um Protocolo com IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, que estabelece formas de colaboração entre as duas entidades, tendo como objetivos promover o desenvolvimento de melhores condições de empregabilidade e fomentar a formação na área do Turismo.

Quarta-feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma.

A Quaresma representa os 40 dias que Jesus esteve no deserto, suportando todas as aflições e tentações. Neste sentido, a data representa o início de 40 dias de reflexões e arrependimentos, como forma de relembrar o sofrimento que Jesus passou na Terra. Todos os anos, a quaresma tem início na Quarta-feira de Cinzas, sempre um dia após o Carnaval.

Esse período se apresenta como símbolo de transformação e passagem, solenizando, dessa forma, a vulnerabilidade da vida e a suscetibilidade à morte. Os cristãos prezam muito por esta data, e seguem à risca todos os rituais da Quarta-feira de Cinzas.

O sufixo do nome, “cinzas”, tem origem unicamente religiosa. Como neste dia é comemorada a clássica missa das cinzas, o primeiro dia da quaresma recebeu este nome. Na missa das cinzas, são queimados os galhos louvados do Domingo de ramos, do ano passado. O ritual funciona da seguinte maneira: as cinzas são misturadas a água benta – essa mistura, posteriormente, será utilizada para sinalizar uma cruz na testa de cada fiel pelo padre, dizendo a seguinte frase: “Lembra-te que és pó e que ao pós voltarás”. Essa marca, deixada pelo padre no fronte dos cristãos, é mantida até o pôr do sol do mesmo dia. Somente após o cair da noite que se pode lavar esta marca.

O ritual realizado nas missas das cinzas remetem às antigas tradições do Oriente Médio, onde as pessoas costumavam jogar cinzas por cima de suas próprias cabeças, como sinal de arrependimento de seus pecados em face de Deus (fato contado várias vezes na Bíblia). O Catolicismo Romano difunde, ainda nesta data, as penitências de jejum e abstinência.

Portanto, na Quarta-feira de Cinzas, sob orientação da Igreja Católica, os fiéis fazem jejum ou não comem carne. Há vários anos existe esta tradição, que tem como intuito relembrar os cristãos devotos o sacrifício de Jesus. A ideia é de que, como Jesus sacrificou-se por todos na cruz, os crentes deveriam também realizar um sacrifício, como a privação de algo que gostam ou carne.

por:DF

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar