Templates by BIGtheme NET
Home » Penalva do Castelo (page 44)

Penalva do Castelo

Festa do queijo em Penalva do Castelo

Foto:Mun. Penalva

  À medida que o ano avança também os certames alusivos ao queijo da serra vão acontecendo e o mês de Fevereiro vai ser forte nesse campo e vai daí Penalva do Castelo vai levar a efeito o certame já no próximo dia 1de fevereiro.
  Vai também contar com a presença do programa da TVI “Somos Portugal”.

Município de Penalva do Castelo incentiva à natalidade

Câmara Municipal Incentiva a Natalidade

No passado dia 26 de dezembro, a Câmara Municipal
recebeu, nos Paços do Concelho, os pais das primeiras quatro crianças a
beneficiarem do Programa Municipal de Incentivo à Natalidade.

O Presidente da Câmara Municipal e a Vereadora da Ação Social
procederam à entrega simbólica de um cheque, no valor de 500,00€, que
pretende ser um incentivo para o aumento da natalidade, para a fixação
da população e contribuir para a melhoria das condições de vida das
famílias residentes no concelho e combater a desertificação.

No
seu discurso, Francisco Carvalho, Presidente da Câmara Municipal,
reforçou a importância de promover mecanismos que fomentem políticas de
incentivo à família enquanto célula fundamental de socialização e espaço
privilegiado de realização pessoal.

O incentivo à natalidade
pode ser requerido no Setor de Ação Social, no prazo de 60 dias contados
após o nascimento da criança, desde que estejam reunidas as condições
de atribuição definidas no regulamento, que podem ser consultadas no site do município.
Fonte:Município de Penalva do Castelo

Queijo da serra com certificação

A adesão de produtores de queijo Serra da Estrela
ao processo de certificação que garante a qualidade do produto
produzido naquela região demarcada está aumentar, visando a consolidação
junto dos consumidores. “Temos 21 produtores a produzir o queijo com
certificação nos concelhos de Celorico da Beira, Fornos de Algodres,
Trancoso, Gouveia, Seia, Oliveira do Hospital, […]
A adesão de produtores de queijo Serra da Estrela ao processo de
certificação que garante a qualidade do produto produzido naquela região
demarcada está aumentar, visando a consolidação junto dos consumidores.

“Temos 21 produtores a produzir o queijo com certificação nos
concelhos de Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Trancoso, Gouveia,
Seia, Oliveira do Hospital, Nelas e Penalva do Castelo”, disse à agência
Lusa Célia Henriques, técnica da Estrelacoop – Cooperativa dos
Produtores de Queijo da Serra da Estrela, com sede em Celorico da Beira.

Segundo a responsável, ultimamente “tem aumentado a adesão dos
produtores à certificação” e, só no último ano, “aderiram quatro”.

A técnica da entidade gestora do processo de certificação observou
que o número de queijarias certificadas tem vindo a aumentar porque a
qualidade do produto fica assegurada junto do consumidor.

“O certificado fica mais caro para quem produz e também para o
consumidor, mas tenho sempre o escoamento garantido”, disse o produtor
Júlio Ambrósio, de Prados, Celorico da Beira.

A certificação tem mais encargos para o produtor, mas acaba por ser
“uma segurança para o comprador, porque sabe o que compra”, sublinhou.

Nem todos os produtores, porém, valorizam a certificação, por representar mais gastos.

“Neste momento não estou a certificar. Já certifiquei e poderei
voltar a certificar. Deixei de o fazer porque temos custos acrescidos
com a certificação e, depois, não é valorizado pelo mercado”, justificou
Élio Silva, de Seia.

Entretanto, apesar de haver menos rebanhos na região e de a produção
leiteira ser menor, a feitura de queijo não diminuiu, porque o leite de
ovelha está a ser canalizado para a produção artesanal, dado que as
fábricas estão a optar por comprá-lo em Espanha.

“A produção de queijo Serra da Estrela tem sido à volta de 120 mil unidades por ano”, adiantou Célia Henriques, da Estrelacoop.

Nos 18 concelhos que integram a região demarcada de produção existem
cerca de 80 mil ovelhas das raças Serra da Estrela ou churra bordaleira,
segundo dados da Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da
Estrela (ANCOSE), que tem 3.500 associados.

Algumas das queijarias tradicionais, que estão a utilizar a
denominação de origem “utilizam só o leite da sua exploração, mas outras
já recorrem a leite dos vizinhos que deixaram de fazer queijo”, indicou
Rui Dinis, secretário executivo da ANCOSE.

O pastor Norberto Pereira, 29 anos, de Vila Ruiva, Fornos de
Algodres, tem 88 ovelhas e sempre vendeu o leite para um produtor
artesanal, justificando a opção por “não ter condições para fazer o
queijo”.

A região demarcada de produção do queijo Serra da Estrela integra os
concelhos de Guarda, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Gouveia,
Manteigas, Seia, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo, Mangualde,
Covilhã, Carregal do Sal, Nelas, Trancoso, Aguiar da Beira, Arganil,
Tábua, Tondela e Viseu.

Fonte:  Lusa in Agroportal

Grande adesão no torneio da sueca dos BV Fornos de Algodres

Decorreu neste Domingo mais uma edição do torneio da sueca, desta vez na freguesia das Antas , Penalva do Castelo, cuja organização teve a cargo dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres, numa iniciativa para angariação de fundos, onde adesão foi bastante grande e além do mais o convivio entre todos os participantes um pouco de toda a região.(em atualização)
foto:BVFA

Variante de Penalva em discussão

PS quer saber se construção de variante
de Penalva do Castelo é uma prioridade

Os
deputados do PS pretendem saber se o Governo vai dar prioridade à
construção da variante de Penalva do Castelo “no contexto de
investimentos que têm vindo a ser anunciados em acessibilidades e
infra-estruturas”

Numa
pergunta enviada à presidente da Assembleia da República, que tem como
destinatário o ministro da Economia e do Emprego, o viseense Álvaro
Santos Pereira, os socialistas consideram que a construção de uma
variante à vila de Penalva do Castelo “é uma justa expectativa das
populações do concelho”.
fonte:Diario de viseu

Tolerancia de ponto em Viseu e Guarda, quem tem?

Distrito de Viseu:
Armamar (PSD) – Ainda não decidiu
Carregal do Sal (PSD) – Dá tolerância nas tardes de segunda e terça-feira
Castro Daire (PS) – Dá tolerância
Cinfães (PS) – Não dá tolerância
Lamego (PSD/CDS) – Dá tolerância na terça-feira à tarde
Mangualde (PS) – Não dá tolerância
Moimenta da Beira (PS) – Não dá tolerância

Mortágua (PS) – Dá tolerância na terça-feira
Nelas (PSD/CDS) – Dá tolerância na terça-feira
Oliveira de Frades (PSD) – Não dá tolerância
Penalva do Castelo (PSD/CDS) — Dá tolerância na terça-feira à tarde
Penedono (PSD) – Não dá tolerância
Resende (PS) – Dá tolerância
S. Pedro do Sul (PSD) – Ainda não está decidido
S. João da Pesqueira (PSD) – Dá tolerância
Santa Comba Dão (PSD) – Dá tolerância
Sátão (PSD) – Dá tolerância
Sernancelhe (PSD) – Não dá tolerância
Tabuaço (PS) – Dá tolerância
Tarouca (PS) – Não dá tolerância
Tondela (PSD) – Não dá tolerância
Vila Nova de Paiva (PS) – Dá tolerância
Viseu (PSD) – Não dá tolerância
Vouzela (PSD) – Ainda não está decidido
Distrito da Guarda:
Aguiar da Beira (PSD) – Não dá tolerância
Almeida (PSD) – Não dá tolerância
Celorico da Beira (PS) – Dá tolerância
Fornos de Algodres (PSD) – Dá tolerância
Figueira de Castelo Rodrigo (PSD) – Não dá tolerância
Gouveia (PSD) – Não dá tolerância
Guarda (PS) – Não dá tolerância
Manteigas (PS) – Dá tolerância
Mêda (PS) – Não dá tolerância
Pinhel (PSD) – Não dá tolerância
Sabugal (PSD) – Dá tolerância de ponto
Seia (PS) – Dá tolerância de ponto
Trancoso (PSD) – Dá tolerância de ponto
Vila Nova de Foz Côa (PSD) – Ainda não decidiu
fonte:JN

Confirmada morte de idosa no incêndio de Penalva do Castelo

Uma mulher de 79 anos morreu hoje, quinta-feira, carbonizada, na sequência de um incêndio que destruiu a habitação onde residia, no concelho de Penalva do Castelo, informou fonte dos bombeiros locais.De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários de Penalva do Castelo, Manuel Pereira, quando chegaram ao local, na povoação de Encoberta, encontraram uma habitação totalmente tomada pelas chamas.

“Foi-nos dito pela população que havia uma mulher no interior, tendo sido efectuado um ataque directo à habitação e indirecto às outras habitações. Passado uma hora o incêndio estava extinto”, explicou.
Como se tratava de uma habitação antiga com madeira, o comandante dos bombeiros explicou que a casa aluiu: “Caiu tudo para o rés do chão, onde encontrámos a vítima já carbonizada”.
Segundo uma vizinha e amiga, a idosa vivia sozinha há vários anos e era frequente deslocar-se à sua habitação para saber se precisava de alguma coisa.
Maria da Piedade foi a última a ver a idosa com vida, no dia em que regressou do Hospital de Viseu, onde esteve internada alguns dias. “Ontem à noite desliguei-lhe o cobertor eléctrico e o aquecedor antes de sair, mas se calhar teve frio e voltou a ligar alguma coisa”, lamentou.
Visivelmente abatido estava Armando Gonçalves, que ainda tentou socorrer a idosa. “Arrombei a porta, mas veio tanto fumo e uma explosão que já não podia fazer nada”, concluiu.
in JN

Penalva do Castelo , Autarquia cria área de acolhimento empresarial

A Câmara de Penalva do Castelo vai avançar em 2011 com a criação da área de acolhimento empresarial de Esmolfe-Sezures, com o objectivo de criar novos postos de trabalho no concelho. O presidente da Câmara, Leonídio Monteiro, disse à agência Lusa que este será o primeiro espaço do concelho onde se vão concentrar várias empresas, o que espera venha a ser “uma grande mais-valia em termos industriais e empresariais”. A área de acolhimento empresarial de Esmolfe-Sezures, um investimento total de cerca de um milhão de euros (comparticipado em 80 por cento por fundos comunitários), é considerada uma prioridade do executivo para 2011. “É uma obra fundamental para Penalva do Castelo e iremos avançar com ela em 2011”, contou, explicando que já foi adjudicada por 713 mil euros e aguarda o visto do Tribunal de Contas. Segundo Leonídio Monteiro, o executivo entende que “o possibilitar criar postos de trabalho irá fixar a população do concelho” e atrair pessoas de fora. “Algumas das empresas existentes poderão dimensionar-se melhor e criar novos postos de trabalho. Queremos também captar outras, um trabalho que vamos começar a fazer”, explicou, lembrando que “Penalva do Castelo está muito próximo da auto-estrada A25 e dos caminhos-de-ferro”, sendo, por isso, “uma zona apetecível” em termos de localização. O autarca referiu que será dada prioridade a empresas “que sejam produtivas e que criem emprego”, ao invés, por exemplo, de empresas de transporte, de forma a “ajudar também a revitalizar a vida económica” do concelho. “Não quer dizer que uma empresa de transporte não crie também meia dúzia de postos de trabalho, mas depois esgota-se um pouco nisso. Vamos dar prioridade a empresas que produzam qualquer coisa”, sublinhou. Leonídio Monteiro garantiu que os 20 lotes (com área média de 3500 metros quadrados) que serão disponibilizados terão “um preço meramente simbólico”, uma vez que a intenção da autarquia “é que haja postos de trabalho”.  A área de acolhimento empresarial de Esmolfe-Sezures terá 100 mil metros quadrados, estendendo-se por 1.100 metros paralelos à Estrada Municipal 570, numa zona onde já existem algumas empresas na área da exploração e transformação de granitos.

in diario viseu
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar