Templates by BIGtheme NET
Início » Aguiar da Beira

Aguiar da Beira

Covid-19- Aguiar da Beira passa a ter 14 casos confirmados

Depois de terem sido conhecidos mais resultados de testes, o Município de Aguiar da Beira deu a conhecer a todos que estão confirmados 14 casos de covid-19, no concelho.

Desta forma , todo o cuidado é pouco e todos devem estar atentos às medidas exigidas pela DGS.

Avisos e Liturgia do 25º Domingo do Tempo Comum do Ano A

O autor da carta aos Hebreus afirma que a Palavra de Deus é viva, eficaz e mais afiada que uma espada de dois gumes, ou seja, é capaz de cortar, de separar aquelas realidades que pertencem ao domínio de Deus das que são fruto do sentir e agir humanos. Para o discípulo, a Palavra de Deus converte-se no principal critério de discernimento. É importante aprender a distinguir os planos de Deus dos nossos. É isto que nos é proposto neste domingo. Por muito que queiramos não é fácil harmonizar os nossos planos com os de Deus, sem haver o risco da vontade de Deus ser falseada e deturpada. Uma vez discernidos, os planos de Deus podem ser acolhidos como nossos.

É vontade de Deus Pai que todos os seus filhos estejam junto Dele, disfrutando da sua companhia. Ele nunca faz acepção de pessoas e quer salvar todos. “Com efeito, manifestou-se a graça de Deus, portadora de salvação para todos os homens” (Tit 2,11). Jesus apresenta-nos este projecto de salvação universal de Deus com uma comparação. O seu Reino é como uma vinha, na qual todos somos chamados a trabalhar. O dono da vinha saiu à praça pública em diversos momentos do dia e convidou a trabalhar na sua propriedade todos quanto encontrou. Se estivéssemos no lugar deste empresário, teríamos feito uma selecção do pessoal, contratando os mais fortes, os que nos foram recomendados ou aqueles que nos pediram. Mas Deus não faz isto. Não são os operários que se aproximam do proprietário a pedir trabalho. É o dono que sai e vai chamando os que vai encontrando. Trabalhar na vinha do Senhor não é, em primeiro lugar, fruto do nosso desejo e das nossas capacidades. É consequência de uma escolha e de um chamamento de Deus que temos de acolher com alegria e gratidão. São todos convocados e o salário ajustado com os da primeira hora é um denário. Este salário que Deus nos oferece é a sua própria presença ao nosso lado. Oferece-se como salário, porque sabe que nós seremos plenamente felizes com a sua companhia. Mas quando nos afastamos dele ficamos fracos. Esta experiência fez S. Paulo. Ele descobriu que só com o Senhor a vida tem sentido: “Para mim, viver é Cristo”.

20-09-2020

Os nossos pensamentos e os nossos caminhos não são como os de Deus. Nós pensamos que aqueles que renderam bem no seu trabalho têm de ser recompensados e receber mais do que os seus colegas. Achamos que isto é justo e nisto somos como os que foram contratados no início do dia. Deus tem um modo de pensar e de agir caracterizado pela misericórdia. Quanto à nossa maneira de pensar, poder-se-ia fazer as seguintes perguntas: Por que é que se paga menos aos que são mais fracos? Não têm todos uma família para sustentar? Os operários da última hora terão o suficiente para levar algo para jantar com a sua família? Deus pensa sempre a partir dos últimos, dos pobres, dos que têm menos oportunidades. Por isso paga a todos por igual, porque Ele é o salário. Perante esta atitude do dono da vinha, os primeiros operários contratados protestaram. Tiveram inveja do patrão e dos colegas de trabalho. Recordam-nos o filho mais velho da parábola do Filho Pródigo. Não conseguiram reconhecer a imensa alegria que é trabalhar na vinha do Senhor, gozando da sua companhia; por isso, não se sentiram recompensados. São muitos os cristãos a quem a rotina não lhes deixa perceber a felicidade de estar junto de Deus. Todos somos irmãos chamados por Deus a trabalhar na sua vinha e nenhum tem o direito a cobrar nem mais nem menos do que aquilo que Deus nos quer dar, que é Ele próprio.

 

«Ide vós também para a minha vinha»

 

Meus bem-amados, perseverai nas boas obras que começastes. Há homens infelizes que servem um rei terreno correndo risco de vida e passando por enormes dificuldades em troca de um benefício que rapidamente desaparece; como não haveis vós de querer servir o Rei do Céu para obter a felicidade do Reino? Uma vez que, pela fé, o Senhor já vos chamou à sua vinha, ou seja, à unidade da Santa Igreja, vivei e comportai-vos de tal maneira que, graças à generosidade de Deus, possais receber a moeda de prata, isto é, a felicidade do Reino dos Céus.

Que ninguém desespere por causa da grandeza dos seus pecados, dizendo: «Numerosos são os pecados nos quais perseverei até à velhice e à velhice extrema; não poderei já obter perdão, sobretudo porque foram os pecados que me deixaram, não fui eu que os rejeitei.» Que essa pessoa não desespere de todo da misericórdia divina, porque uns são chamados à vinha do Senhor à primeira hora, outros à terceira, outros à sexta, outros à nona e outros à décima primeira – ou seja, uns são conduzidos ao serviço de Deus na infância, outros na adolescência, outros na juventude, outros na velhice e outros na velhice extrema.

Que ninguém desespere, pois, se quer converter-se a Deus, seja qual for a sua idade. Trabalhai fielmente na vinha da Igreja, para receberdes o salário da felicidade eterna e reinardes com Cristo por todos os séculos dos séculos. (Autor anónimo do século IX, na actual Itália, Homilia para a Septuagésima, 4-7)

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano A - Tempo Comum - 25º Domingo - Boletim Dominical II

Avisos e Liturgia do 24º domingo do Tempo Comum- Ano A

 

Pedro é um discípulo curioso que procura aprofundar a mensagem de Jesus. Através das suas incompreensões, das suas perguntas e da sua ousadia, o Mestre explica com mais clareza os mistérios do Reino. Neste Domingo, encontramos este discípulo inquieto pelas vezes que tem de perdoar. Talvez tivesse alguém que o ofendesse continuamente e que tivesse de perdoar para além do número que pede a lei judaica. Coloca esta questão a Jesus e, como sempre, este ultrapassa com a sua resposta as expectativas de Pedro.

O rei da parábola evangélica sentiu compaixão daquele servo que lhe devia uma fortuna, deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida. O perdão é uma das manifestações mais radicais e puras do amor e de Deus, que é amor. O refrão do salmo responsorial introduz-nos na essência de Deus, “que é clemente e compassivo, paciente e cheio de bondade”. Quando alguém faz a experiência do pecado, Deus deseja a sua conversão e propõe-lhe caminhos para reorientar novamente a vida. O salmo 81 mostra-nos o desgosto de Deus perante o pecado do seu povo: “Mas o meu povo não quis ouvir-me; Israel não quis obedecer”; e, ao mesmo tempo, expressa o desejo do seu regresso: “Se o meu povo me tivesse escutado! Se Israel tivesse seguido os meus caminhos!”. Santa Teresa de Jesus diz-nos como antes da sua conversão Deus a avisava na oração e através de algumas pessoas para que deixasse o pecado e voltasse para Ele (cf. Livro da Vida, 7,8-9). Podemos, então, entender que quando um pecador se converte, a inquietação do coração do Pai transforma-se em alegria.

O perdão de Deus é-nos oferecido de uma forma total e gratuita. Perdoa a dívida ao servo e dá-lhe liberdade sem nenhuma condição. Este modo de perdoar de Deus está no centro da mensagem de Jesus. Oferece sempre aos pecadores a graça libertadora da sua misericórdia sem qualquer cláusula. Assim aconteceu com Levi, com a mulher pecadora, com Zaqueu…e com o servo do evangelho deste domingo. Quando bebemos no manancial da misericórdia de Deus, a nossa vida fica curada. Quando se é perdoado por Deus, descobre-se com humildade a nossa debilidade de espírito e vive-se agradecido Àquele que nos dá a fortaleza. Santa Teresa de Jesus narra em muitas ocasiões o excesso de amor de Deus que viveu na sua vida ao acolher o Seu perdão: “Olhem o que Ele fez comigo; cansei-me mais depressa de O ofender que sua Majestade de perdoar-me. Nunca se cansa de dar nem se podem esgotar as suas misericórdias” (Livro da Vida 19,15).

13-09-2020

Quem já experimentou o perdão de Deus, sente vontade em viver perdoando em todas as ocasiões em que é ofendido. Por isso, Jesus diz a Pedro que tem de perdoar “setenta vezes sete”, ou seja, sempre. O perdão é uma atitude que define a vida do cristão. Não há ofensa tão grande que não possa ser perdoada com a ajuda daquele que perdoou na hora da morte aos que o tinham condenado injustamente. Jesus alerta-nos para uma irregularidade que pode acontecer na nossa vida. O servo da parábola, depois de ter sido perdoado pelo rei, não foi capaz de perdoar a um dos seus companheiros que lhe devia somente cem denários. E nós? Depois de fazermos a experiência do perdão do Pai, somos capazes de perdoar aos que nos ofendem? Talvez celebremos com frequência o perdão do Pai, mas sem o valorizar. Será que também pensamos que merecemos o perdão, tendo em conta as nossas boas obras? “O senhor, indignado, entregou-o aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia”. Jesus avisa-nos que o perdão que Deus nos dá reclama forçosamente o nosso perdão ao irmão: “Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração”.

 

Deus à procura do homem perdido

 

Como a fraqueza dos homens não é capaz de manter um rumo firme neste mundo escorregadio, o bom médico mostra-nos o remédio para os nossos desvios, e o juiz misericordioso não nos recusa a esperança do perdão. Compreende-se assim que São Lucas tenha apresentado em sequência as três parábolas da ovelha perdida, da dracma perdida e do filho que estava morto e regressou à vida; fê-lo para que este triplo remédio nos comprometa a cuidarmos das nossas feridas.

Alegremo-nos, pois, pelo facto de a ovelha que se tinha perdido em Adão ser reerguida em Cristo. Os ombros de Cristo são os braços da cruz; foi lá que depus os meus pecados, nesse madeiro encontrei repouso. Aquela ovelha é única na sua natureza, mas não nas suas pessoas, porque todos nós formamos um só corpo, mas somos muitos membros. Por isso está escrito: «Vós sois o corpo de Cristo e membros dos seus membros» (1Cor 2,27). Pois «o Filho do homem veio salvar o que estava perdido» (Lc 19,10), quer dizer, todos os homens, uma vez que «todos morrem em Adão, tal como todos voltam à vida em Cristo» (1Cor 15,22).

Também não é indiferente que a mulher se alegre por ter encontrado a moeda: é que nessa moeda figura a imagem de um príncipe. De igual modo, a imagem do Rei é o bem da Igreja. Nós somos ovelhas; peçamos, pois, ao Senhor que nos conduza à água do descanso (Sl 22,2). Nós somos ovelhas; peçamos para ser conduzidas às pastagens. Nós somos a moeda; mantenhamos o nosso valor. Nós somos filhos; corramos para o Pai. (Santo Ambrósio, c. 340-397, bispo de Milão, doutor da Igreja, Sobre o evangelho de S. Lucas, 7, 207)

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano A - Tempo Comum - 24º Domingo - Boletim Dominical II

AF Guarda- Arranque do distrital adiado para 11 de outubro

Depois de ter sido apontada a data de 4 de outubro, o arranque do Distrital de seniores da AF Guarda, mas face às circunstâncias do dia a dia, foi adiado o arranque para dia 11 de outubro, com o sorteio a ser previsto a sua realização, no próximo dia 19, onde terá lugar , uma reunião preparatória com todos os clubes seguido do sorteio, a ter início às 16h00 no Auditório do Paço da Cultura na Guarda.

Quanto ao formato do campeonato vai decorrer com 3 séries, em regime de proximidade, proposta aprovada pelos clubes em Assembleia Geral.

Série A- Mêda, Aguiar da Beira, VF Naves, Foz Côa, Trancoso, Pinhelenses, Freixo Numão

Série B- Sabugal, Soito, E.Almeida, V.Formoso, Casal Cinza, Guarda FC, Guarda D e NDS

Série C- Gouveia, AD Fornos de Algodres, Manteigas, Os Vilanovenses, Celoricenses, S.Romão,Paços da Serra e Nespereira

 

AF Guarda criou Gabinete COVID

A direção da Associação de Futebol da Guarda ciente dos constrangimentos inerentes à situação pandémica que o País atravessa ,deliberou oficializar o Gabinete COVID, composto por quatro colaboradores, pretendendo que se tornem especialistas no tema. Isto é compromisso com os nossos clubes, bem cientes do slogan com que nos candidatámos, uma AFG ao serviço dos CLUBES!
Queremos apoiar os clubes, fazendo de plataforma entre as várias entidades apoiando, esclarecendo e tentando resolver todas as questões que se relacionem com esta temática, e que têm sido muitas.
Os n/dirigentes estão a passar tempos muito difíceis, por isso temos a obrigação de os ajudar/apoiar nestas novas questões, porque defendemos que o futebol amador é a base da pirâmide do futebol. São estes dirigentes, que quase sempre “probono”, se dedicam de alma e coração a uma causa comum, substituindo-se ao Estado, arcando com todas as responsabilidades para formar/educar os jovens da sua localidade, através da prática desportiva. Os n/dirigentes são uns heróis!!! Com serenidade e esperança, acreditamos no Futuro.
O gabinete estará disponível pelo email e pelos contactos da AFG e será composto por quatro pessoas, Paulo Menano, Artur Lobão, Leandro Gonçalves e Carlos Cruz, que prestarão os esclarecimentos necessários e farão a ponte entre os clubes e as entidades oficiais, como os delegados de saúde com o propósito de esclarecermos/clarificarmos a legislação em vigor, nomeadamente a Resolução do Conselho de Ministros de 30/7 e as Orientações 30 e 36 da Direção Geral de Saúde e o Regulamento da FPF adaptado a nossa distrital.
Deixamos os contatos que poderão utilizar em caso de necessidade.
Paulo Menano: paulo.menano@afguarda.pt 918690689
Artur Lobão: gabtecnico@afguarda.pt
Leandro Gonçalves: secretaria@afguarda.pt 969 771 946
Carlos Cruz

She’s Mercedes Off Road Experience vai para a estrada

As condutoras Mercedes-Benz também gostam de se aventurar no fora de estrada! O She’s Mercedes Off Road Experience, uma organização da Mercedes-Benz Portugal com o Clube Escape Livre, agendado para 26 de setembro, dá resposta a esse desafio e avança na sua quarta edição para proporcionar merecidos momentos de lazer e encontro entre mulheres de garra. Um importante regresso à normalidade que pretende também divulgar o território e ajudar a economia local nazarena.

A aventura das senhoras será feita no cumprimento de todas as regras de segurança sanitária e orientações da Direção Geral da Saúde, cumprindo-se ainda o protocolo do selo Clean & Safe, de que o Clube Escape Livre é detentor. Se o passeio permite, por um lado, o desfrute seguro em viagem e nas experiências de todo terreno, por outro lado a organização aposta na divisão de grupos de dez pessoas, nos momentos de visita e encontros, para permitir o distanciamento, para além de que estes, bem como as refeições, decorrem ao ar livre. A lotação máxima do passeio será de 40 participantes. As inscrições para o She’s Mercedes Off Road Experience estão abertas.

O programa de 26 de setembro, sábado, tem como ponto de encontro o Porto de Abrigo – Mercedes-Benz EQ Lounge, na vila nazarena, onde decorre o secretariado e um brunch de boas vindas, feito com produtos locais. A primeira etapa todo terreno promete ser uma aula prática ao ar livre sobre condução em areia, percorrendo-se algumas belas paisagens.

Antes e depois do almoço volante, que prima por ingredientes frescos e sabores locais, a caravana divide-se para uma divertida experiência por mar, cheia de adrenalina, com a velocidade dos barcos SPRUM. O regresso ao todo terreno faz-se ao final da tarde, privilegiando a passagem por pinhais e parque eólico.

De regresso à Nazaré, o sunset, onde não faltam cocktails e petiscos saudáveis, pode muito bem ser um momento chave para a troca de contactos das condutoras. É também ocasião para dois dedos de conversa com um surfista de ondas gigantes, que se formam na Praia do Norte, entre outubro e março. O encerramento com troca de lembranças deste passeio está marcado para as 19h15.

Depois de já ter dado a conhecer a Companhia das Lezírias, os trilhos entre Torres Vedras e Mafra e as paisagens entre Sesimbra e Setúbal, no quarto ano a Mercedes-Benz escolhe a Nazaré para um encontro divertido, facilitador dos contactos e amizades entre as condutoras Mercedes-Benz com modelos 4MATIC.

O valor da inscrição só para sábado é de 85€ para condutora e cada acompanhante feminina, 120€ para acompanhantes masculinos e 35€ para crianças entre os 4 e os 12 anos. As equipas que assim o desejarem, podem ainda jantar e ficar alojadas no Hotel Miramar Sul, logo na noite de sexta-feira para sábado, pelo valor de 55€ ou 75€ (quarto individual ou duplo), uma oportunidade de descansar, experimentar o spa e acordar já na Nazaré, com uma vista extraordinária.

Informações e inscrições em www.escapelivre.com |271 205 285 | 967 899 449 | escapelivre@escapelivre.com, site www.mercedes-benz.pt e concessionários Mercedes-Benz.

O She´s Mercedes Off Road Experience conta com o patrocínio da Bridgestone e Roamer e o apoio institucional dos municípios da Guarda e Nazaré.

FPF- Taça de Portugal-Aguiar da Beira-Vila Cortez e SC Mêda viaja a Gondomar

O alinhamento de jogos da 1.ª ronda da Taça de Portugal Placard já é conhecido. O sorteio,que decorreu à porta fechada, realizou-se esta quinta-feira, na Cidade do Futebol.

Nesta eliminatória participam 131 emblemas: 88 equipas do Campeonato de Portugal (das 96 formações retira-se o CF Os Armacenenses – que desistiu do CP depois de estar inscrito -, o Pedras Salgadas e as equipas B) e as restantes 43 pertencem aos campeonatos distritais.

O destaque vai para o clássico distrital entre Aguiar da Beira-Vila Cortez e o SC Mêda a deslocar-se ao Gondomar.

1.ª eliminatória

Série A:

Berço – Vilaverdense
Amares (D) – Vianense
Bragança – Os Limianos (D)
Caçadores Taipas  (D) – Fafe SAD
Maria Fonte – Montalegre
Cerveira – Brito
Águia Vimioso- Mirandela

Série B:

Felgueiras 1932 – Aves, SAD
São Martinho – Pevidém
Porto Cruz (D) – Camacha
União Madeira SAD – Tirsense
Pedras Rubras – Amarante
Vila Real – Mondinense
Trofense SDUQ – Vila Meã (D)

Série C:

Coimbrões – Valadares Gaia
Gondomar  – Mêda (D)
Santa Marta Penaguião (D) – Cinfães (D)
S. João Ver SAD – Lusitânia Lourosa
União Paredes – Castro Daire
Câmara Lobos – Leça
Canelas 2010 – Foz (D)

Série D:

Calvão (D) – Carapinheirense (D)
Lusitano Vildemoinhos – Águias Moradal (D)
Ferreira Aves (D) – Sanjoanense SAD
Beira Mar – Oliveira Hospital
Aguiar Beira (D) – Vila Cortez Mondego
Ançã (D) – Tocha (D)
Anadia – Condeixa

Série E:
Fátima SAD – Oleiros
Sertanense – Benfica Castelo Branco
Portalegrense 1925 (D) – Marinhense
Comércio e Industria Tomar – Portomosense (D)
Crato (D)  – União Leiria SAD
GRAP – Alqueidão Serra (D)
Alcains – Vitória Sernache

Série F:

Ericeirense (D) – Loures
Fazendense (D) – 1.º Dezembro
Pêro Pinheiro – Praiense SAD
Alverca SAD – Guadalupe (D)
Lourinhanense – União Santarém SAD
Sacavenense – Sintrense SAD
União Torreense SAD – União Almeirim SAD

Série G:

Fabril Barreiro – Rabo Peixe
Real SDUQ – Lusitânia Açores (D)
Ideal – Vale Formoso (D)
S. Roque (D) – Club Football Estrela SAD
Oriental Dragon – Fayal (D)
Barreirense (D) – Madalena (D)
Pinhalnovense SAD – Atlético (D)

Série H:

Olhanense SAD – Lusitano Ginásio SAD
Ferreiras (D) – Louletano
Moura – Culatrense (D)
Mineiro Aljustrelense – Praia Mil Fontes (D)
Lusitano Évora (D) – Moncarapachense
Vasco Gama (D) – Juventude Sport

 

Clubes Isentos: Esperança Lagos, Merelinense, Vitória Futebol SAD, Ovarense (D), Águeda, Caldas, Mortágua, Fontinhas, Vidago, Olímpico Montijo SAD, Amora SAD, Vilar Perdizes  (D), Monção (D), Estudantes Africanos Bragança (D), Rebordelo (D), Salgueiros SAD, União Idanhense (D), Grupo União Sport, Espinho, Sesimbra (D) e Oriental Lisboa SDUQ.

Alerta para risco de incêndios

A manutenção do risco de incêndio rural,conduz aos  Ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Ambiente e da Ação Climática e da Agricultura determinarem o prolongamento da Situação de Alerta em 14 distritos do Continente.

A Situação de Alerta,  prolonga-se agora até às 23h59 horas de sexta-feira, dia 11 de setembro.

Os distritos abrangidos são os de Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

A Declaração da Situação de Alerta decorreu da necessidade de adotar medidas preventivas e especiais de reação face ao risco de incêndio previsto pelo IPMA na maioria dos concelhos do continente nos próximos dias.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil, estão em vigor as seguintes medidas de caráter excecional:

1) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC;

4) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

5) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

A proibição não abrange:

1) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

A Declaração da Situação de Alerta implica, entre outros aspetos:

A) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso;

B) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através da respetiva tutela;

C) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais;

D) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela;

E) A realização pela GNR de ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização aérea através de meios da Força Aérea, nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, para o DECIR, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo.

F) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P., nas forças de segurança e na ANEPC.

A par da emissão de avisos à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural, a Força Aérea – através do Ministério da Defesa Nacional – tem disponibilizado os meios aéreos para, em caso de necessidade, estarem operacionais nos locais a determinar pela ANEPC.

Já está em funcionamento o Ecoponto do Largo da Carvalha em Aguiar da Beira

Já está disponível para utilização, segundo avançou o Município de Aguiar da Beira , o Ecoponto do Largo da Carvalha.

Deste modo, já pode fazer a sua reciclagem depositando  Vidros, Diversos tipos de Papel, Plásticos ou Resíduos indiferenciados.

Colocados em lugar estratégico da vila aguiarense.

Foto: Mun.Aguiar da Beira

Assinado Auto de consignação da obra de Requalificação do Dólmen I do Carapito – Reconstituir a Mamoa

Foi recentemente, assinado em Aguiar da Beira o auto de consignação da obra de Requalificação do Dólmen I do Carapito – Reconstituir a Mamoa.

Este foi um momento extremamente relevante não apenas para o concelho de Aguiar da Beira, mas para toda a região Centro de Portugal, pois com este ato dá-se início a uma obra aguardada há mais de 40 anos e que só o especial esforço do município permitiu que fosse concretizada a empreitada que agora irá ser iniciada.

O Dólmen I do Carapito está classificado como Monumento Nacional, sendo o maior da região Centro de Portugal e um dos dólmens mais conhecidos internacionalmente. Intervencionado primeiro em 1966 por Vera Leisner e Leonel Ribeiro e mais tarde, em 1989, por Domingos Cruz e Raquel Vilaça, foi um dos primeiros monumentos megalíticos portugueses profundamente estudado.

O projeto foi adjudicado e elaborado pela empresa Eon, Indústrias Criativas, e contou com a colaboração de vários especialistas nas áreas de arqueologia, conservação e restauro, engenharia e arquitetura.

O orçamento da obra ascende a 399 579,27 € sendo financiada no âmbito do Centro 2020. A qualificação do monumento contempla a recolocação da tampa e dos esteios tombado, assim como a reconstrução da mamoa que cobria originalmente o monumento; a intervenção inclui ainda a definição de uma área de estacionamentos e a valorização paisagística do conjunto.

A intervenção de valorização deste património megalítico, para além da valorização do monumento, define-se como exemplo singular, seja nos aspetos construtivos e estruturais que permitirão a sua reconstrução, seja em termos científicos e didáticos com a reconstituição da mamoa, cuja significativa dimensão implicará um elemento de especial impacto na paisagem.

A implicação deste dólmen numa pequena rota local que envolve a passagem por outros três dólmens com diferentes características e em diversos estados de conservação, e a sua inclusão na futura Rota do Megalitismo da Região Viseu Dão Lafões e Sever do Vouga concretizam a integração deste monumento nacional em diversas escalas de percursos devidamente definidos que caraterizam o património pré-histórico da região Centro.

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar