Templates by BIGtheme NET
Home » Economia

Economia

Municípios de Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão e Viseu assinam protocolo sobre água na região

Na sequência da grave carência de água na região de Viseu no final do ano de 2017 e dos esforços que se seguiram por parte do Governo e de todos os Autarcas para encontrar uma solução para aumentar a capacidade de armazenamento de água e resiliência do sistema, foi celebrado um protocolo celebrado em 13 de Julho de 2019 relativo à constituição de uma empresa plurimunicipal de captação, tratamento de água para consumo humano, adução, reserva e fornecimento aos Municípios de Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão e Viseu, assinado na Câmara Municipal de Viseu pelos Presidentes destes Municípios, José Borges da Silva, João Azevedo (substituído como Presidente da Câmara de Mangualde desde as últimas eleições legislativas por Elisio Oliveira, que desde aí tem acompanhado o processo), Francisco Carvalho, Paulo Santos e Almeida Henriques, na presença do Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde e do Ministro do Ambiente João Matos Fernandes, empresa plurimunicipal cujo projecto de acordo nas suas linhas essenciais foi hoje apresentada junto à Barragem de Fagilde, com os seus projectos de Estatutos de Sociedade, Contrato de Gestão Delegada e Estudo de Viabilidade Económica e Financeira.

A empresa terá um capital social de 4,5 milhões de euros, sendo 500.000 euros a realizar em numerário e o restante a realizar com entrada de activos que cada um dos municípios já detém na estrutura de exploração de água actualmente existente, sendo que o capital social, distribuído em função da população e do usufruto da água da futura estrutura, ficará assim distribuído: Viseu – 66,43%, Mangualde 14,24%, Nelas – 9,81%, Sátão – 6,58% e Penalva do Castelo – 2,94%, sendo que Viseu, Mangualde e Nelas serão fornecidos em exclusivo pela empresa intermunicipal e o Sátão o será apenas em 70% e Penalva do Castelo em apenas 30%. As deliberações em Assembleia Geral serão tomadas sempre por uma maioria cumulativa de pelo menos 80% dos votos representativa no mínimo de 3 municípios.

A empresa plurimunicipal tem como objectivo a realização de investimentos que aumentem a capacidade de armazenamento e resiliência de água em toda a região de Viseu, abrangendo todos os municípios referidos, prevendo investimentos em todos eles, investimentos esses que a empresa plurimunicipal candidatará a fundos comunitários e que passarão nomeadamente por aumento da capacidade da ETA de Fagilde, de reservatários no Concelho de Viseu, dos reservatários de Tabosa e da Serra de Santo António que abastecem Mangualde e Nelas, a construção de reservatórios em Mangualde e aumento da capacidade de armazenamento também no Sátão e em Penalva do Castelo, substituição de condutas de fibrocimento nas adutoras aos reservatórios de Nelas, que como se sabe estão sujeitos a múltiplas rupturas, a substituição de adutoras entre o cruzamento dos Cantoneiros e reservatório de Nelas e entre a EN234 e o reservatório da Quinta da Cerca, bem como a beneficiação dos reservatórios de Nelas, Algeraz e Quinta da Cerca. Tudo investimentos nos municípios na ordem dos 35 milhões de euros no período de 2020/2027, a que deve acrescer o investimento na construção de uma nova barragem de Fagilde, no valor estimado de 10 milhões de euros, barragem essa propriedade da APA – Agência Portuguesa do Ambiente e que, por ela ou pelo Estado Central, deverá ser financiada integralmente.

A estrutura de gestão da empresa é constituída por um Conselho de Administração, sendo também celebrado entre os municípios e a sociedade plurimunicipal um Contrato de Gestão Delegada, estando prevista na gestão da empresa um Conselho Delegante em que estarão representados os 5 municípios, valendo nas decisões, que devem ser tomadas por 4 dos 5 municípios, um município um voto.

A empresa plurimunicipal hoje apresentada limitar-se-á a fornecer a cada uma das câmaras a água nos seus reservatórios principais, no caso de Nelas no reservatório de Nelas, no reservatório de Algeraz, no reservatório da Quinta da Cerca e na ligação da Zona Industrial 1 de Nelas, ficando estes pontos de entrega de água e reservatórios da responsabilidade da empresa plurimunicipal. A distribuição da água aos munícipes, às empresas, ao comércio e aos demais consumidores a partir daí, continuará a ser da Câmara de Nelas, incluindo a respectiva facturação e recebimento do preço da mesma água.

No estudo apresentado está garantido que a tarifa aplicada uniformemente aos 5 municípios, enquanto utilizadores do sistema em 2021, a preços desse ano é de 46,5 cêntimos por m3, sendo que actualmente esse é já o preço por m3 da água que a Câmara de Nelas paga ao Município de Mangualde, estando estimado que, com os investimentos acima referidos, o preço da água poderá ser em 2022 de 47 cêntimos, em 2023 de 49 cêntimos, em 2024 de 51 cêntimos e em 2025 de 52 cêntimos, ou seja, segundo o estudo apresentado, mesmo com todos os investimentos realizados, a tarifa da água da nova empresa rondará sempre o valor médio de 51 cêntimos.

Os projectos apresentados da empresa intermunicipal de Contrato de Sociedade, de Contrato de Gestão Delegada e Estudo de Viabilidade Económica e Financeira vão agora ser presentes a reunião de Câmara dos Municípios, para apreciação e votação com vista à sua remessa à ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, e após o seu parecer, voltarão os mesmos para aprovação em reunião de Câmara e Assembleia Municipal e remessa para visto do Tribunal de Contas, para efeito de constituição definitiva da sociedade e sua entrada em funcionamento.

Por:MN

Celorico da Beira, Covilhã, Guarda e Mangualde beneficiam do investimento da Altice

10 distritos, 20 municípios e 3.700 quilómetros

Altice Portugal assinala regresso ao território com investimento de 10 milhões de euros no Norte, Centro e Sul de Portugal
Foi ontem dado o pontapé de saída de mais uma deslocação da Comissão Executiva da Altice Portugal a várias regiões do País, que assinala o regresso ao território com um investimento superior a 10 milhões de euros e um programa inédito: 10 distritos, 20 municípios e 3.700 quilómetros.
Proximidade, Investimento, Inovação, Qualidade de Serviço e Responsabilidade Social são os pilares que dão mote ao regresso das deslocações da Comissão Executiva da Altice Portugal a várias regiões de norte a sul de Portugal, com o anúncio de investimentos em projetos no âmbito do reforço de cobertura de redes, apoio tecnológico a instituições de saúde, parcerias com a Academia, através do quartel-general de inovação, a Altice Labs, assim como a democratização do acesso à cultura, através das cabines de leitura da Fundação Altice, respeitando sempre todas as nomas de segurança e saúde pública hoje exigidas pela Direção Geral de Saúde.
Para Alexandre Fonseca, Presidente Executivo da Altice Portugal, «A Proximidade é já um pilar indissociável do nosso ADN e queremos que constitua um exemplo para todos. Esta deslocação, e em particular todo o investimento a ela associado – mais de 10 milhões de euros – mostra que continuamos a apostar no País e a assumirmo-nos enquanto motor de desenvolvimento económico e social, para lá de todas as fronteiras e densidades populacionais. Estamos cá, estivemos sempre cá e vamos continuar».
Investimento e Qualidade de Serviço
Este regresso ao território marca uma nova vaga de investimento no País, em especial no que respeita ao reforço da expansão de fibra ótica de última geração, um projeto que a Altice Portugal tem levado a cabo em prol de um País mais equilibrado no acesso às oportunidades, não olhando à dimensão dos territórios.
Num investimento privado, autónomo e totalmente voluntário, uma dezena de municípios vão beneficiar do reforço das suas redes de fibra ótica e, em alguns casos, de rede móvel, em coberturas que em muitos casos superam os 90%. Abrantes, Cantanhede, Celorico da Beira, Constância, Covilhã, Figueira da Foz, Guarda, Mangualde, Pombal, Santa Maria da Feira são os municípios visados nesta nova vaga de investimento da Altice Portugal.
Hoje, são já mais de 5.1 milhões de lares e empresas abrangidos pela infraestruturação de fibra ótica, num projeto que levará esta tecnologia às 5.3 milhões de casas e empresas portuguesas, tornando Portugal num dos primeiros países europeus com cobertura integral de fibra ótica. Este projeto está ainda em linha com o pilar da Qualidade de Serviço, que visa uma melhoria contínua da experiência dos nossos clientes em todo o País.
                                                            Inovação
O eixo da Inovação materializa-se na inauguração de mais um espaço colaborativo da Altice Labs, o laboratório AlticeLabs@ISEC, e ainda na celebração de um protocolo com a Universidade de Coimbra, para o desenvolvimento de projetos no âmbito de I&D. Estes espaços constituem uma nova plataforma colaborativa e um reforço da parceria entre a Altice Labs e a Academia, como já vem sendo tradição.
Abrem-se assim as portas de um novo Centro de Investigação, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico no Instituto de Engenharia de Coimbra, o AlticeLabs@ISEC, que marca o arranque de um projeto de cooperação entre as duas entidades com vista ao desenvolvimento de sistemas e soluções em cloud.
Num projeto que constitui um investimento de 120 mil euros, a Altice Labs une-se também ao Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra com vista à realização de ações de colaboração científica, tecnológica e de inovação, designadamente em Big Data & Analytics, Data Science e Artificial Intelligence and Cognitive Systems.
                                            Responsabilidade Social
No âmbito do seu pilar de Responsabilidade Social e dando resposta às atuais circunstâncias impostas pela COVID-19, a Altice Portugal apresenta um programa que dará primazia a projetos de promoção de condições para melhor prestação de cuidados de saúde.
Assim, a Empresa une-se uma vez mais ao seu parceiro Huawei Portugal para colocar à disposição de 7 hospitais portugueses de norte a sul um conjunto de sistemas de videoconferência e tablets. A disponibilização destes equipamentos visa assegurar a tecnologia para potenciar a colaboração entre várias unidades de saúde portuguesas, nomeadamente no que concerne ao estudo de casos clínicos.
Ainda no que respeita ao eixo de Responsabilidade Social, também as típicas cabines de leitura ganham mais um município na sua já extensa lista por todo o País. Oliveira de Azeméis recebe agora uma das já mais de 30 microbibliotecas reabilitadas pela Fundação Altice, que materializam hoje um espaço comunitário de democratização do acesso à Educação e à Cultura. Sob o mote “Levar, doar, ler, devolver”, as antigas cabines telefónicas ganham assim uma nova importância, ao serviço da comunidade.
                                                               Proximidade
A Proximidade tem sido um pilar-mestre naquilo que é a estratégia da Altice Portugal, assumindo-se como mote para estas deslocações da Comissão Executiva pelo território nacional. Neste regresso ao terreno, a Altice Portugal deixa uma vez mais a sua marca nas várias regiões que a acolhem, e de que fazem parte 10 distritos e 20 municípios.
Em menos de 48 horas a Comissão Executiva percorrerá cerca de 3700 quilómetros de norte a sul do País, visitando autarcas, clientes e parceiros, em mais uma das já incontáveis incursões ao território. Para trás ficam mais de 20 mil quilómetros percorridos ao lado das populações de todos os distritos e regiões autónomas portuguesas, com vista a dotar estes territórios de mais e melhores acessos, combatendo as dicotomias territoriais, gerando emprego e dinamizando as economias locais.

GNR alerta para novo regime contraordenacional

A Guarda Nacional Republica alerta os cidadãos para o novo regime contraordenacional associado à declaração das situações de calamidade, contingência e alerta, a vigorar desde as 00h00 de hoje, 1 de julho, até às 23h59 do próximo dia 14 de julho.

Com a declaração de três tipos de situação diferentes em Portugal Continental, no âmbito da pandemia COVID-19, diferentes normas se aplicam, em razão da localização geográfica. Assim, com exceção da Área Metropolitana de Lisboa, que se encontra em situação de contingência e dispõe ainda de 19 freguesias em situação de calamidade, todo o restante território nacional continental se encontra em situação de alerta.

Nesse sentido, a GNR, estando atenta ao cumprimento de todas as normas que decorrem deste regime, recorda que, entre outros, é proibido, em todo território nacional continental, constituindo contraordenação:

  • O consumo de bebidas alcoólicas em espaços ao ar livre de acesso ao público e vias públicas, exceto nos espaços exteriores dos estabelecimentos de restauração e bebidas devidamente licenciados para o efeito;
  • A realização de celebrações e de outros eventos que impliquem uma aglomeração de pessoas em número superior a 20, 10 ou 5, consoante esteja em situação de alerta, contingência ou calamidade, respetivamente.

A violação destas regras está sujeita a uma coima que varia entre os 100 e os 500 euros, no caso de pessoas singulares, e entre os 1.000 e os 5.000 euros, no caso de pessoas coletivas.

Reitera-se ainda o aconselhamento da não concentração de pessoas na via pública, em número superior ao permitido, correspondendo o não acatamento de uma ordem legítima de militar da Guarda a uma ordem de dispersão, à prática do crime de desobediência.

JLS – Transportes Internacionais S.A. investe em Mangualde

Na sequência de ações de dinamização empresarial, a JLS – Transportes Internacionais S.A., empresa de referência na região de Viseu, adquiriu cerca de 80.000 m2 em Mangualde, na estrada Mangualde – Nelas, em frente à empresa de granitos Ibergran, visando investimentos futuros. A JLS tem cerca de 350 trabalhadores, 300 camiões, várias estruturas de apoio logístico em Portugal e no estrangeiro e um nível de faturação de 26 milhões de euros.

“É de registar a colaboração dos diversos proprietários dos terrenos que viabilizaram esta operação”, explicou o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde. Elísio Oliveira salienta ainda que: “Mangualde reforça-se assim como potência na área dos serviços de transportes TIR e no acolhimento e desenvolvimento de serviços de apoio a este setor. Este sector de atividade é uma fileira com grandes potencialidades de absorver serviços de maior valor acrescentado”. O autarca sublinha ainda que “estamos muito gratos à empresa JLS, na pessoa do seu fundador e Presidente do Concelho de Administração, José Lopes de Sousa, bem como aos proprietários dos terrenos que viabilizaram esta operação.”

Tir2Rent investe em Celorico da Beira

Foi assinada a escritura de compra e venda de um lote de terreno do Parque Empresarial A25, que ficou na posse de uma empresa local, a Tir2Rent, pertencente ao grupo Bernardo Marques pelo valor de cerca de 56 mil euros.

O ato contou com a presença de Bernardo Marques, CEO da empresa adquirente do terreno e de Carlos Ascensão, Presidente da Câmara  de Celorico da Beira.

Desde 2013, ano em que foi criado o Parque Empresarial A25, este é o primeiro lote a ser vendido para a instalação de uma infraestrutura no setor da logística e transporte. O lote com mais de 5 hectares irá criar 20 postos de trabalho contribuindo para a dinamização da economia local.

Após a escritura, a empresa tem nove meses para iniciar o projeto de edificação das infraestruturas e posteriormente dois anos para concluir as construções.

Segundo o Município Celoricense refere que tem a expetativa que o Parque Empresarial A25 sirva sobretudo para fomentar indústrias de média/grande dimensão capazes de alavancar a economia do concelho de Celorico da Beira e, neste sentido, estes investimentos são vitais.

A venda deste primeiro lote reforça a capacidade industrial do Parque Empresarial A25 cumprindo o objetivo da autarquia de atrair novos investidores.

O Parque Industrial A25 situa-se junto à A25, constituído por 11 lotes de terreno e que se destina à instalação de pequenas e médias empresas industriais, unidades de artesanato, oficinas e armazéns que pelas suas características se encontrem desinseridos do contexto rural e urbano.

Rodrigo Correia em “campanha” no Rali de Castelo Branco

Apelando por um rally mais sustentável, que passa por reduzir, reutilizar e reciclar, o jovem piloto de 16 anos manifestou que “os melhores adeptos estão nos desportos motorizados”, apelando que viajem até à cidade albicastrense regendo-se pelas regras de distanciamento por causa da Covid-19…

Navegado por Miguel Paião, o jovem Rodrigo Correia “alistou-se” no Rali de Castelo Branco, prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis, e já “acelera” nas redes sociais com a missão de sensibilizar o público nos afazeres a ter em linha de conta antes, durante e após a prova da Escuderia Castelo Branco.

O mais jovem piloto português de ralis de sempre, com apenas 16 anos de idade, está envolvido, de “pedra e cal”, numa campanha de prevenção da Covid-19, fomentando a ajuda às organizações e à Escuderia Castelo Branco em particular, por ser o próximo compromisso, evidenciando o exemplo para que tudo fique bem.

A vida social é indispensável ao desenvolvimento do ser humano, mas é igualmente importante que, face ao panorama em que estamos a viver, sejam protegidas as regras de distanciamento por causa da Covid-19. O indivíduo isolado vê-se melhor, por isso a distância de segurança é fundamental para o bom funcionamento do Rali de Castelo Branco.

As armas de combate ao novo coronavírus passam por cuidados redobrados de higiene, seguindo as indicações da Direcção Geral de Saúde, a fim de não contribuírem para a regressão da pandemia da Covid-19, bastando para isso cumprir as regras impostas.

No Rali de Castelo Branco, o processo de individualização não é contrário ao de socialização, mas é de capital importância que os aficionados dos ralis e público em geral devem estar sensibilizadas para o cumprimento das regras de etiqueta respiratória, da lavagem correcta das mãos, assim como das outras medidas de higienização e controlo ambiental, mantendo uma distância física mínima antes, durante e depois das provas especiais de classificação.

Balanço da operação Lugares Património Mundial do Centro

Operação Lugares Património Mundial do Centro faz balanço positivo e tem o objetivo de continuar

O claustro real do Mosteiro da Batalha recebeu hoje uma conferência de imprensa para apresentação dos principais resultados da operação Lugares Património Mundial do Centro. A operação promove de forma conjunta, desde 2017, os quatro elementos patrimoniais da região Centro de Portugal inscritos na lista do Património Mundial da UNESCO: Mosteiro da Batalha, Mosteiro de Alcobaça, Convento de Cristo em Tomar e Universidade de Coimbra, Alta e Sofia.

Ao mesmo tempo, a conferência de imprensa, intitulada “Lugares Património Mundial do Centro: Chegou o tempo do regresso”, serviu para apelar ao regresso dos visitantes aos monumentos e lugares classificados, após o difícil período que recentemente atravessámos.

A iniciativa contou com intervenções de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, em representação do consórcio que levou a efeito a operação; Joaquim Ruivo, diretor do Mosteiro da Batalha, em representação da Direção-Geral do Património Cultural; e Paulo Baptista Santos, presidente da Câmara Municipal da Batalha.

Igualmente presentes estiveram representantes das várias autarquias e entidades envolvidas, casos da diretora regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes; da presidente da Câmara Municipal de Tomar, Anabela Freitas; da vereadora da Câmara Municipal de Coimbra, Carina Gomes; da vereadora da Câmara Municipal de Alcobaça, Inês Silva; e de diretores do Turismo Centro de Portugal.

A operação Lugares Património Mundial do Centro desenvolveu-se a partir de 2017 e assentou em quatro eixos fundamentais, cuja execução foi apresentada hoje: um programa de qualificação da hospitalidade turística, um programa educativo em rede, um programa cultural em rede e um programa de comunicação em rede.

Um dos produtos que resultam da operação Lugares Património Mundial do Centro vai estar disponível no próximo sábado – o guia “Lugares Património Mundial – Centro de Portugal”, que será distribuído com um jornal nacional. Com tiragem de 80 mil exemplares, esta publicação conta a História dos quatro lugares classificados e mostra o melhor que há para conhecer nos lugares e nas zonas envolventes, incluindo sugestões de roteiros variados. Também hoje foi apresentado o Guia Digital “Visitante + Seguro Lugares Património Mundial do Centro”. Disponível em www.patrimoniomundialdocentro.pt, este guia reforça a importância de voltar e regressar aos lugares e monumentos patrimoniais, demonstrando ao visitante que o pode fazer de forma segura, apresentando dicas, recomendações e sugestões para uma viagem e visita mais responsável e segura.

Entre os resultados da operação apresentados, destacou-se o aumento do número de visitantes aos quatro lugares, que em conjunto somaram 1,5 milhões de visitas em 2019: 416,7 mil no Mosteiro da Batalha, 365,4 mil no Convento de Cristo, 220 mil no Mosteiro de Alcobaça e 482,9 mil (dados de 2018) na Universidade de Coimbra, Alta e Sofia, a que se somaram 149,6 mil no Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, que integra a classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia desde 2019.

Na apresentação, Joaquim Ruivo sublinhou o facto de a pandemia de covid-19 poder ter como uma das consequências “descentralizar os circuitos turísticos, aliviar os que estão sobrecarregados, levar visitantes aos circuitos menos conhecidos e reforçar o turismo nacional”. “Tudo isto são oportunidades que podem surgir com esta crise. Mantendo as distâncias podemos ser cada vez mais unidos”, reiterou.

Pedro Machado, a quem coube a apresentação dos resultados, destacou a aposta que o Turismo Centro de Portugal e outras regiões do país estão a fazer no reforço dos visitantes nacionais, nesta primeira fase de desconfinamento. “Desafiamos os portugueses a conhecerem melhor Portugal. Visitem Portugal! Tirem partido daquilo que os estrangeiros dizem há três anos: que Portugal é o melhor destino turístico do mundo. Se somos o melhor destino, vamos usufruir dele e tirar partido desta nova realidade. Os portugueses têm ao dispor experiências maravilhosas e inolvidáveis dentro do seu próprio país e, em particular, no Centro de Portugal, incluindo os nossos lugares Património Mundial”, frisou.

A partir de julho, o desafio é extensível aos turistas de fora do país. “Queremos inspirar os visitantes a escolherem o Centro de Portugal assim que poderem viajar, e sobretudo a escolherem um dos produtos premium da região, que é precisamente o Património e Cultura. Queremos que estes 1,5 milhões de visitantes, que escolheram estes lugares em 2019, voltem a colocar o Centro de Portugal nas suas preferências. A região está disponível e apta a recebê-los”, sustentou.

Em relação à operação Lugares Património Mundial do Centro, Pedro Machado realçou que “foi possível realizar um investimento virtuoso, que teve retorno para aqueles que participaram no consórcio”. “Acreditamos que o trabalho destes anos é um extraordinário exercício para o presente e para o futuro e queremos renovar este compromisso com os parceiros para os anos vindouros. O turismo, a cultura e o património constituem um triângulo virtuoso”, disse ainda.

A finalizar a conferência de imprensa, Paulo Baptista Santos, na qualidade de anfitrião, enalteceu o facto de que “esta relação entre a cultura e o turismo, quando bem combinada e feita com qualidade, potencia uma sinergia muito importante para a economia local e para os valores culturais que defendemos”. Recordando que “no país quem faz cultura são os municípios”, o autarca continuou, dizendo que “este projeto em rede demonstra que é possível fazer um trabalho continuado, sistematizado, de qualidade e que acrescenta valor no território e na economia. O incremento da notoriedade dos nossos patrimónios deveu-se muito a esta parceria”. “Há um grande consenso em continuarmos este projeto nos próximos anos”, concluiu.

Candidatura ao Fundo Ambiental Aprovada: Aquisição de Veículo Elétrico para Fornos de Algodres

Foi recentemente aprovada, pelo Fundo Ambiental, a candidatura para a aquisição de uma viatura elétrica para Câmara Municipal de Fornos de Algodres

A candidatura com um apoio de 50% no valor da aquisição do veículo elétrico ligeiro, pretende promover a descarbonização e a melhoria do desempenho ambiental do Parque de Veículos da Câmara Municipal de Fornos de Algodres.

Portugal assumiu o compromisso de atingir a neutralidade carbónica até 2050, tendo estabelecido metas de redução das emissões de gases com efeito de estufa (GEE) para 2020 e 2030 e identificado, no contexto do Sistema Nacional de Políticas e Medidas (SPeM), políticas e medidas capazes de assegurar o cumprimento das citadas metas, tendo em vista a descarbonização da economia, concretizando o Programa Nacional para as Alterações Climáticas PNAC 2020/2030.

Esta candidatura tem como principal objetivo a continuação das políticas ambientais na área ambiental que estão a ser desenvolvidas pela Câmara Municipal de Fornos de Algodres no Concelho.

A principal finalidade da candidatura aprovada pelo Fundo Ambiental será de apoiar políticas ambientais para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável, contribuindo para o cumprimento dos objetivos nacionais e internacionais, designadamente os relativos às alterações climáticas.

A aquisição desta viatura elétrica – que será submetida brevemente a concurso público – , inserida no Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública, pressupõe a substituição de um veiculo com mais de 10 (dez) anos do Parque de Veículos da Câmara Municipal.

 

Carlos Condesso apresentou elementos para a liderança da Distrital do PSD

Teve lugar a apresentação de todos os candidatos à Distrital do PSD da Guarda.
O caminho que nos une é o PSD, e, acima de tudo, o que nos mobiliza são os cidadãos do nosso distrito. São eles o fim último da nossa ação política.
Unidos para Vencer,  este é o lema da candidatura de Carlos Condesso.

7º aniversário da Cápsula do Tempo

Ana Mendes Godinho convidada

A Cápsula do Tempo Guarda 2050 assinala, a 1 de julho, o seu sétimo aniversário. Ana Mendes Godinho, Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, é este ano a convidada de honra num programa a decorrer ao ar livre, ajustado às imposições ligadas com a Covid-19.

“A pandemia no Interior – desafios e oportunidades” será o tema deste ano e a abordar por Ana Mendes Godinho. Todo o programa decorre, nesta edição de aniversário, junto à Torre de Menagem e Cápsula do Tempo, e tem início às 17h30, com o cinzelar simbólico da pedra do ano 2020, também pela ministra, e com a plantação da árvore na Encosta do Tempo.

O tema de interesse bem atual, e que marca de forma indelével 2020, será abordado pelas 18h00, junto à Cápsula do Tempo. A sessão de aniversário termina com o lançamento de mais uma criativa chávena de coleção alusiva à Cápsula, da autoria do arquiteto António Saraiva, este ano com referência ao Anjo da Guarda.

O programa é aberto ao público e, como habitualmente, pretende envolver a comunidade na reflexão e no debate, com um tema pertinente da atualidade. A organização – Clube Escape Livre, Instituto Politécnico da Guarda e Rádio Altitude – com a parceria da Câmara Municipal da Guarda e Junta de Freguesia da Guarda – assegura lugares sentados com o devido distanciamento recomendado pela DGS.

Para Luís Celínio, presidente do Clube Escape Livre, “O aniversário da Cápsula do Tempo, a 1 de julho, conta este ano, com contornos especiais devido às restrições da pandemia, mas de alguma forma tinha que ser assinalada, pelo que neste processo foi imprescindível a colaboração de todos os parceiros da Cápsula do Tempo para encontrar uma solução adequada para o programa. Entendemos que a presença da ministra Ana Mendes Godinho, com toda a clareza, proatividade e frontalidade que a caracterizam, é uma grande mais valia neste sétimo aniversário e acreditamos que não vai deixar ninguém indiferente.”

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar