Templates by BIGtheme NET
Home » Educação

Educação

Colocação de 25 caixas-ninho no Parque Polis na Guarda

Na próxima terça-feira, dia 26 de fevereiro, a partir das 14h, o Núcleo Regional da Guarda irá colocar no Parque Polis, na Guarda, 25 caixas-ninho com o objetivo de proporcionar uma zona de nidificação e de abrigo para as aves que as utilizam. A iniciativa contará com a presença de alunos da Escola Básica da Sequeira e da Escola Beatriz Ângelo. As caixas foram construídas por utentes do estabelecimento prisional da Guarda e a atividade contou também com o apoio da empresa Transdev.

Algumas dicas e curiosidades sobre as caixas-ninhos.

A importância das caixas-ninho é cada vez maior fundamentalmente por 2 razões. Por um lado é mais fácil estudar as aves  se conseguir determinar com precisão onde está localizado o respetivo ninho. Com uma caixa-ninho ocupada essa tarefa está resolvida sem que se corram riscos com a procura do ninho que deve ser sempre evitada. Qualquer perturbação pode provocar o abandono do ninho pelas aves. Por outro lado os buracos nas árvores, ou mesmo em construções humanas, são cada vez mais raros, porque as árvores mais velhas são cortadas e as construções modernas são demasiado herméticas para as aves.

Ao construirmos e colocarmos à disposição estes suportes para nidificação e abrigo, estamos portanto, a prestar uma grande ajuda às aves, que de outra forma, se vão afastando dos locais à medida que vão deixando de ter condições para se reproduzirem. Ora, como na sua esmagadora maioria, as espécies que utilizam caixas-ninho são consumidores secundários ou predadores, o seu desaparecimento provoca desequilíbrios ecológicos.

As caixas-ninho devem ser colocadas durante o inverno e deste modo as aves habituam-se à sua presença e algumas adotam-nas como abrigo. Deve-se procurar que a entrada não fique diretamente virada para o sol e por isso a caixa-ninho deve ser fixada com uma ligeira inclinação para a frente. Nunca devem ser utilizados pregos para a fixação das caixas nas árvores. E as cordas ou arames devem ficar separados do tronco por pequenas tábuas em forma de cunha, para que não se prejudique o crescimento das árvores.

Todos os anos, durante o outono, deve fazer-se a limpeza das caixas. Nessa altura é interessante fazer-se o registo dos materiais utilizados no ninho, como musgos, penas, pelos, etc.

Por:Quercus

Associação Lageosense de Solidariedade Social coordena CLDS 4G

O concelho de Celorico da Beira vai voltar a beneficiar do Programa de Contrato Local de Desenvolvimento Social, agora denominado de 4ª Geração (CLDS-4G), um instrumento de intervenção ao nível das problemáticas do desemprego, da pobreza, envelhecimento e exclusão social.
O montante de financiamento do CLDS 4G atribuído ao concelho de Celorico da Beira é de 486 mil euros e irá incidir sobre 4 eixos: emprego, formação e qualificação; intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza; promoção do envelhecimento ativo e apoio à população idosa; e auxílio e intervenção emergencial às populações inseridas nos territórios afetados pelos incêndios de outubro de 2017.
O CLDS 4 G terá a duração de 36 meses de intervenção e terá como entidade coordenadora a Associação Lageosense de Solidariedade Social

Recolha seletiva de têxteis em Fornos

 A Câmara Municipal de Fornos de Algodres, celebrou, em 14/11/2012, um protocolo de colaboração com a empresa H. Sarah Trading, Lda, com vista à recolha seletiva de roupa, calçado e brinquedos, em equipamentos apropriados, na zona territorial do concelho, para posterior tratamento e reencaminhamento para reutilização e/ou, reciclagem.

Com esta iniciativa quis a Câmara Municipal reforçar a política de reciclagem e, aumentar o sistema de recolha seletiva já existente desde 2004, processado pela empresa Águas do Zêzere e Côa, a partir de Ecopontos (vidro, papel/cartão, embalagens e pilhas).

A recolha seletiva de resíduos têxteis desenvolvida no âmbito deste protocolo com a empresa H. Sarah Trading, Lda, permitiu que, nos últimos quatro anos (2014 -2018) fossem desviados do aterro sanitário 25,6 toneladas deste tipo de resíduos dos quais, cerca de 70% foi reencaminhado para reutilização, 20% para reciclagem e, apenas, 10% para destruição.

Se é verdade que estes resultados são animadores representando um contributo importante para a redução do impacto negativo que os resíduos têxteis têm no ambiente, denotando uma maior consciencialização cívica, ecológica e social por parte dos munícipes, a verdade é que ainda há muito para fazer.

A educação ambiental é uma das apostas fortes do executivo da Câmara Municipal e, bem assim, a transição progressiva de uma economia linear para uma economia circular, em que, o valor dos produtos e materiais é mantido durante o maior tempo possível, enquanto, a produção dos resíduos e a utilização de recursos são reduzidos ao mínimo, mantendo-se na economia para serem reutilizados e voltarem a gerar valor. Só assim poderemos garantir o crescimento sustentável do território em que estamos inseridos.

Regulamento do Programa de Voluntariado Juvenil “Pinhel nas Tuas Mãos”aprovado

Teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho  uma reunião de trabalho , onde o Executivo da Câmara Municipal de Pinhel esteve reunido, na primeira reunião do mês de fevereiro.
Um dos assuntos em destaque foi a aprovação da proposta de regulamento do Programa de Voluntariado Juvenil “Pinhel nas Tuas Mãos”.
Trata-se de um programa que pretende contribuir para a integração dos jovens do concelho em programas de voluntariado a desenvolver na comunidade, no âmbito de projetos promovidos pela própria autarquia ou por outras entidades tais como Instituições Particulares de Solidariedade Social, associações juvenis ou coletividades com fins culturais.
No entender do Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, este programa vem colmatar uma lacuna tendo em conta a inexistência de programas de ocupação de tempos livres destinados aos jovens entre os 14 e os 30 anos.
De referir que a proposta de regulamento do Programa de Voluntariado Juvenil “Pinhel nas Tuas Mãos” vai ser publicada em Diário da República para apreciação pública, devendo posteriormente ser remetida à Assembleia Municipal de Pinhel, para análise e votação.

Por:MP

Federação Bombeiros do Distrito da Guarda vai ter nova sede na Guarda

Foi assinado um memorando de entendimento entre a Câmara Municipal da Guarda e a Federação Bombeiros do Distrito da Guarda que visa a cedência de instalações para a nova sede da Federação. O edifício em causa , acolheu esta  sessão de assinatura, está localizado em pleno centro histórico, na Rua D. Dinis, e após a realização de algumas obras será cedido àquela entidade por um período de 20 anos.

Aguiar da Beira recebe peça “O Presente de César “

flyer_presente_cesar_aguiar
Entre 01 de fevereiro e 07 de abril, O Presente de César – Quem vai para o Mar não volta à Terra, um projeto do Teatro Viriato/CAEV para a Rede Cultural Viseu Dão Lafões, será apresentado em nove municípios da região.

Reflexo de um percurso de 20 anos, a programação do Teatro Viriato para 2019 celebra o trabalho de cooperação cultural em rede através da estreia de “O Presente de César – Quem vai para o Mar não volta à Terra”. Uma encomenda e produção do Teatro Viriato/CAEV para a Rede Cultural Viseu Dão Lafões que conta com o texto original de Sandro William Junqueira e a encenação de Giacomo Scalisi. O espetáculo será apresentado, entre 01 de fevereiro e 07 de abril, em nove municípios da região: Penalva do Castelo, Aguiar da Beira, Castro Daire, Mangualde, Viseu, Nelas, Tondela, Sátão e Santa Comba Dão, num total de 27 sessões. A estreia desta peça de teatro culinário aconteceu já nos dias 01 a 03 de fevereiro,  no município de Penalva do Castelo, na Paradores/Casa da Ínsua.

O Presente de César – Quem vai Para o Mar Não Volta a Terra nasce da vontade do Teatro Viriato de voltar a criar um espetáculo intimamente ligado aos modos de vida e aos produtos endógenos da região Viseu Dão Lafões. Esta peça é uma reflexão sobre histórias de vida das gentes desta região, sobre os portugueses e sobre a sua relação com o mar. Conta histórias trágicas de famílias a quem o mar roubou gente, memórias e sonhos, em troca de um sustento, interpretadas por Graeme Pulleyn, Gabriel Gomes e Sofia Moura. “Queremos contar esta história, queremos mesmo contar esta história. Queremos mergulhar fundo nessa realidade tão distante de nós, realidade fantasma que paira no nevoeiro do nosso país, das nossas veias”, salienta o encenador Giacomo Scalisi.

A ação decorre em paralelo com o jantar que será servido à plateia, estando a criação gastronómica a cargo de Rosário Pinheiro. O bacalhau é, neste espetáculo, um prato que se come e o peixe que se pesca longe, a muito custo, sendo o elo de ligação entre a realidade e a ficção. A região Viseu Dão Lafões, o seu património, os seus produtos e as pessoas que a habitam têm um papel fundamental tanto na narrativa, como nos pratos que serão servidos. “Uma metáfora sobre Portugal, que tem lugar na região de Viseu Dão Lafões. É sobre a ideia permanente de que os portugueses têm de se lançar ao mar para conseguir ir mais além e conquistar melhores condições de vida. É sobre as dificuldades do interior, sobre a partida, sobre a perda. O bacalhau na sua relação com o mar estará sempre presente e junta-se às migas, ao mel, ao vinho, à maçã bravo de Esmolfe e à região”, sintetiza a diretora geral e de programação do Teatro Viriato, Paula Garcia.

Durante cerca de dois meses, a cada fim de semana, a peça circulará pelos diferentes concelhos. A reserva e aquisição de bilhetes deve ser feita junto a cada um dos municípios onde o espetáculo será apresentado, à exceção dos Municípios de Viseu e Tondela que disponibilizam as entradas na bilheteira do Teatro Viriato e da ACERT, respetivamente.

Além da valorização do trabalho de cooperação cultural em rede e do património da região através da apresentação do espetáculo em espaços de reconhecido valor histórico; do ponto de vista artístico, este projeto permite ao Teatro Viriato, no âmbito da sua programação, contrariar a dimensão efémera e imediata dos projetos artísticos que não circulam, nem são explorados na sua profundidade e potência. E, simultaneamente, cumprir com a sua missão de desconcentração da sua atividade para outros territórios e de criação de condições para o desenvolvimento do trabalho de artistas fixados na cidade, como o ator e encenador Graeme Pulleyn, Artista Associado do Teatro Viriato e coordenador do K CENA – Projeto Lusófono de Teatro Jovem; e ainda os atores Gabriel Gomes e Sofia Moura, que iniciaram o seu percurso nos projetos de teatro para jovens do Teatro Viriato e prosseguiram a sua formação académica, regressando agora e voltando a instalar-se na cidade.

O Presente de César – Quem vai para o Mar não volta à Terra é uma encomenda e produção do Teatro Viriato/CAEV para a Rede Cultural Viseu Dão Lafões. Resulta do que tem sido uma aposta permanente do Centro de Artes do Espetáculo de Viseu (CAEV), enquanto associação responsável pela gestão e programação do Teatro Viriato, de diversificação das fontes de financiamento do projeto artístico que tem desenvolvido. Ao longo da sua existência, com maior incidência nos últimos anos, o CAEV conseguiu – através de várias candidaturas – atrair um investimento extra ao financiamento regular do Município de Viseu e da Direção Geral das Artes no valor aproximado de 1 milhão e 300 mil euros.

ACERT, Binaural/Nodar, Cine Clube de Viseu, Teatro Regional da Serra de Montemuro e Teatro Viriato são as estruturas de programação e de criação artísticas que integram a Rede Cultural Viseu Dão Lafões que se destina à consolidação de uma programação cultural em rede para o respetivo território, abrangendo os 14 municípios parceiros da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões (CIM Viseu Dão Lafões). Um projeto financiado no âmbito de uma candidatura da CIM Viseu Dão Lafões ao concurso destinado a Programação Cultural em Rede, cofinanciado pelo Programa Operacional Regional – Centro 2020, com duração de três anos (2017-2019).

Datas e locais de apresentação:

Penalva do Castelo – Paradores/Casa da Ínsua

01, 02 e 03 de fevereiro

Aguiar da Beira – Quinta dos Vilhenas

08 e 09 de fevereiro

Castro Daire – local a confirmar

15, 16 e 17 de fevereiro

Mangualde – Solar do Almeidinha

22, 23 e 24 de fevereiro

Viseu – Solar do Vinho do Dão

1, 2 e 3 de março

Nelas – Mercado Municipal

15, 16 e 17 de março

Tondela – Solar de Vilar

22, 23 e 24 de março

Sátão – local a confirmar

29, 30 e 31 de março

Santa Comba Dão – Solar dos Costas

05, 06 e 07 de abril

PS GUARDA CONCORDA COM A SOLUÇÃO INTEGRADA PARA A POUSADA DA JUVENTUDE DA GUARDA

A Federação Distrital da Guarda do Partido Socialista em comunicado referiu que concorda com a solução integrada para a Pousada da Juventude da Guarda proposta recentemente pelo Presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG), Professor Joaquim Brigas: a conversão da Pousada da Juventude numa residência de estudantes do IPG, permanecendo, ao longo de todo o ano, quatro quartos reservados exclusivamente para o alojamento jovem.

Entre 2011 e 2015, o anterior Governo PSD/CDS, em estrita obediência ao devaneio ideológico de “ir além da Troika”, realizou um périplo de paralisações de obras, cortes e encerramentos por todo o País. A vez da Pousada da Juventude da Guarda chegou logo em 2012, tendo sido encerrada no início desse ano.

Entre 2013 e 2019, o Presidente da Câmara Municipal da Guarda nunca olhou para a reabertura da Pousada da Juventude como uma prioridade da sua ação política. Bem pelo contrário! Desde equacionar a possibilidade de a PSP se deslocalizar para o edifício da Pousada da Juventude, em 2014, ao impasse que se prolonga há cerca de dois anos na negociação do protocolo que previa a gestão ou cogestão da Pousada da Juventude por parte do Município, não faltam provas desse manifesto desinteresse!

Nas reuniões que a Federação realizou recentemente com o Presidente e o Vice-Presidente do IPG e o Presidente da Associação Académica da Guarda, ficou para nós evidente a necessidade da instituição de ensino superior da Guarda aumentar substancialmente e a curto prazo a sua oferta ao nível do alojamento estudantil. De resto, foi com enorme agrado que registámos os compromissos da atual Presidência do IPG de reintegrar os recursos humanos afetos à Pousada da Juventude e de disponibilizar, no período de férias letivas, todos os quartos da atual Pousada da Juventude e, ainda, os das residências de estudantes do IPG já existentes para o alojamento jovem.

A Federação Distrital do PS Guarda já comunicou a sua concordância com esta proposta ao Secretário de Estado da Juventude e do Desporto e ao Secretário de Estado do Ensino Superior, lembrando que a sua concretização permitirá à Guarda receber mais alunos do ensino superior em melhores condições e, simultaneamente, usufruir novamente de um espaço de alojamento jovem.

O IPG reúne um potencial enorme para se assumir como um parceiro privilegiado da esfera governativa no que respeita à fixação de pessoas, formação de quadros e desenvolvimento económico do Distrito da Guarda. No entanto, é necessário que todos os níveis da esfera governativa lhe reconheçam esse potencial e o envolvam de forma ativa na tão necessária revitalização do nosso território.

2019 “O Melhor Ano de Sempre”.

No dia 16 de fevereiro, na Biblioteca Municipal de Mangualde, serão dadas dicas de como fazer de 2019 “O Melhor Ano de Sempre”. Este será o tema da palestra dirigida pelo coach na Insideout Ricardo Peixe e pelo manager na NOS Nuno Jerónimo, a acontecer pelas 15h00.

A sessão, organizada pela Câmara Municipal de Mangualde, promete ser um momento de partilha de experiências e dicas: o objetivo é ensinar o público a transformar resoluções em realizações.

OS ORADORES

Ricardo Peixe, coach na Insideout

Licenciado em Gestão pela Faculdade de Economia do Porto, é um apaixonado por áreas como o Coaching, a Programação Neurolinguística (PNL), o Condicionamento Neuroassociativo, entre outras áreas que estudam a forma como comunicamos connosco próprios e como podemos influenciar os outros.

Desde 2007 já trabalhou com mais de 200 empresas, universidades e organizações, em sessões que totalizam mais de 40 000 participantes. É coach, Master em PNL, CEO da Insideout e especialista em Comunicação & Influência.

Nuno Jerónimo, manager na NOS

Um gerente experiente, com um histórico comprovado no setor de telecomunicações. Nuno Jerónimo é um profissional especializado em Negociação, Gestão de Marketing, Planeamento de Negócios, Vendas e Estratégia de Marketing.

 De entrada gratuita, a iniciativa tem um cunho solidário: a organização apela a que todos contribuam com donativos que reverterão para a GRUMAPA – Grupo Mangualdense de Apoio e Proteção de Animais, tais como ração ou qualquer tipo de alimentação, mantas ou brinquedos para animais.

 

 

 

Exposição – “Singular do Plural”em Celorico da Beira

De 31 de janeiro a 21 de fevereiro, vai estar patente no Centro Cultural de Celorico da Beira, uma exposição intitulada “Singular do Plural”, promovida pela EAPN Portugal – Rede Europeia Anti-Pobreza em colaboração com a Rede Social de Celorico da Beira e o NLI.

Inserida na campanha nacional “A discriminação é falta de educação”, a exposição “Singular do Plural”, da autoria de Maria José Vicente e Sérgio Aires e promovida pela EAPN Portugal, é composta por quarenta fotografias, que têm percorrido o país, de norte a sul. Em Celorico da Beira, a inauguração da exposição está agendada para dia 31 de janeiro, pelas 10H00, no Centro Cultural. Antes da cerimónia inaugural, a partir das 10H00, terá lugar a tertúlia “Singular do Plural: estórias das nossas vidas”, direcionada para a comunidade cigana.

Os mentores do projeto visam, essencialmente, sensibilizar a população para a problemática das comunidades ciganas, combater a discriminação e exclusão social, desconstruir estereótipos e alterar a imagem social (negativa) destas comunidades na sociedade. Promover o conhecimento sobre esta comunidade (plural), a sua cultura e tradições, influencia positivamente a imagem social destas pessoas, fomenta a inclusão social, a aceitação positiva e impulsionadora do enriquecimento social, económico e cultural e contribui para a construção de uma sociedade mais justa, inclusiva e solidária.

 

IPGuarda divulga estudo sobre futebol masculino

De acordo com um estudo efetuado por estudantes da licenciatura em Desporto do Instituto Politécnico da Guarda (IPG), a escolha de futebolistas para as seleções jovens portuguesas encontra-se fortemente influenciada pelo mês do seu nascimento.

Os resultados deste trabalho académico indicam uma forte tendência para os futebolistas nascidos no primeiro semestre do ano dominarem as convocatórias para as seleções jovens, especialmente entre os 15 e 19 anos. Por exemplo, na seleção de sub16 verifica-se que 88% dos atletas selecionados para os torneios oficiais que tiveram lugar durante 2018 nasceram num dos meses correspondentes ao primeiro semestre do ano, sendo que apenas 12% nasceram no segundo semestre.

Questionado se isto significa que os atletas nascidos no primeiro semestre são especialmente talentosos, Pedro Esteves (docente do IPG), coordenador deste projeto de investigação, referiu que “o efeito da idade relativa tem sido detetado em diversas modalidades e níveis competitivos sendo que a explicação para uma maior representatividade dos atletas nascidos nos primeiros meses do ano prende-se com a vantagem temporal associada a um maior desenvolvimento antropométrico (ex: altura, peso), físico (ex: força, velocidade), entre outros.”

Exemplificando, Pedro Esteves acrescentou que “um atleta nascido a 3 de janeiro face a um outro nascido a 20 de dezembro possui um avanço temporal de praticamente um ano. Este fenómeno é especialmente crítico durante a fase da adolescência onde os ritmos de desenvolvimento “corporal” são especialmente variáveis para atletas da mesma idade, que acabam por competir no mesmo escalão. Importa realçar que esta é uma vantagem temporária já que após a adolescência os níveis diferenciados de desenvolvimento tendem a ser esbatidos.”

Instado a pronunciar-se sobre as consequências práticas poderão advir deste efeito de idade relativa, o referido investigador assinalou que “em primeiro lugar, os atletas com avanço no processo de desenvolvimento podem estar a ser erroneamente identificados pelos treinadores como mais talentosos quando, na verdade, esta vantagem tende a ser temporária. Por outro lado, se estes atletas mais desenvolvidos forem consistentemente selecionados para as seleções pode-se criar um ciclo difícil de reverter dado que estes terão acesso a mais e melhores contextos de prática (ex: condições de treino, qualidade dos treinadores, experiências competitivas) que reforçam a sua vantagem face aos atletas com desenvolvimento mais “atrasado”. Isso não significa que os atletas nascidos no segundo semestre do ano fiquem irremediavelmente afastados das oportunidades de recrutamento; contudo, terão pela frente um grande desafio para superar os constrangimentos atrás mencionados. Importa assim questionar, quantos talentos poderão estar a passar entre os “dedos” dos agentes responsáveis pelo recrutamento”

Relativamente ao impacto deste estudo pode no processo de seleção de atletas com talento, Pedro Esteves disse que “os resultados por encontrados sugerem que o efeito de idade relativa nas seleções nacionais de futebol masculino parece diminuir a partir dos 19 anos, o que deverá merecer da parte dos investigadores, bem como dos responsáveis federativos, uma reflexão em tornos dos fatores que poderão contribuir para esta situação. Provavelmente, nestas idades, os atletas nascidos no segundo semestre do ano, pela combinação de características intrínsecas e de oportunidades de desenvolvimento externas conseguem superar a desvantagem acumulada e penetrar na rede de recrutamento”.

Este docente do Instituto Politécnico da Guarda acrescentou ainda que “de um ponto de vista prático existem diversas organizações desportivas a nível mundial que têm vindo a refletir sobre a temática da idade relativa e, neste sentido, criar medidas de compensação no sentido de minorar este efeito, como é o caso do bio-banding. Parece-nos assim importante, com este estudo, colocar na agenda mediática o tópico da idade relativa no sentido de estimular a discussão, a nível dos clubes e das seleções, sobre como potenciar o processo de identificação e seleção de talento no desporto, e no futebol em particular”.

O Presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas, comentou que este estudo “é mais uma prova, objetiva, da investigação que é feita no IPG, e neste caso vertente na área do desporto”.

Congratulando-se com a realização deste trabalho, Joaquim Brigas evidenciou o “prestígio do curso de Desporto do IPG, a qualidade do ensino ministrado e o alto nível do corpo docente”.

O estudo científico que suporta estes resultados será apresentado no congresso CIDESD2019, a 1 e 2 de fevereiro.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar