Templates by BIGtheme NET
Início » Artigos de Opinião

Artigos de Opinião

Artigo de Opinião de Paula Miranda: “Este mês…”

Este mês …

“Há algum tempo, num campo de uma aldeia, no meio da natureza, haviam várias árvores de fruto e muitos dentes de leão.

Um dia, um pássaro muito colorido, viu que uma dessas árvores estava com poucos ramos, muito seca e triste.

Então perguntou:

– O que precisas para voltares a crescer?

A árvore respondeu:

– Preciso do meu melhor alimento, de voltar a acreditar em mim e fazer crescer os meus sonhos.

Então o pássaro voou, voou, voou e começou a juntar outros pássaros. Depois de se agruparem, pediu:

– Vamos todos juntos até aquele pomar, ajudar a amiga árvore ter força e alimentar-se dos seus sonhos para crescer linda e viçosa.

Assim, se todos batermos as nossas asas com muita força, vamos fazer com que estes dentes de leão se soltem e alimentem as raízes da amiga árvore, para assim ela crescer forte e saudável!

Com a ajuda de todos os pássaros, a árvore acreditou que era possível, cresceu feliz, os seus ramos multiplicaram-se e passou a alimentar outros seres.”

  • Qual é o alimento que está a faltar à tua árvore?
  • Quem te pode ajudar para que a tua árvore cresça saudável?
  • Faz sentido não alimentares a tua árvore?

Marca a tua Sessão de Transformação

Investe em TI

Afinal és a pessoa mais importante da tua vida

Com Amor e Gratidão

 

Paula Miranda

treecoach9@gmail.com

Artigo de Opinião (Sara Morais) – A Dificuldade de concentração e a Hipnose Clínica

Este ano fomos convidados a reformular os nossos comportamentos, a domar as nossas paixões, a suspender sonhos e experiências, mas sobretudo aprendemos a redirecionar o nosso comportamento e pensamento em prol da Humanidade.

Agora, de regresso à vida académica e à nova normalidade, a dificuldade na concentração volta à ribalta das preocupações mais prementes no desempenho escolar, bem como na qualidade de vida de muitos adultos e crianças.

A concentração destaca-se pela capacidade de organização e estruturação do pensamento que permite direcionar atenção para a realização de uma determinada tarefa.  No dia a dia, existe uma sobrecarga de estímulos sensoriais que ousam captar atenção e que surgem, normalmente, como fatores de distração. No entanto, o bom funcionamento do córtex pré-frontal, área do cérebro responsável pela organização, atenção e controle dos impulsos e manifestação das emoções, permite a reorganização e a estruturação do pensamento, neutralizando os elementos de dissociação do pensamento.

Todavia, a diminuição da concentração está, normalmente, associada ao transtorno de ansiedade generalizada – TAG- ou ao transtorno do Déficit de Atenção, denominado por TDA. O transtorno de ansiedade generalizada é facilmente reconhecido pela constante irritabilidade, alterações do padrão do sono, tensão muscular e apatia. Enquanto, os sintomas de alerta para TDA são mais complexos no processo de identificação, uma vez que a mesma compreende impulsividade comportamental, hiperatividade e dificuldade em expressar emoções, que são casualmente desvalorizados no seio da nossa sociedade moderna.

Estas disfunções causam dificuldades no desempenho das várias tarefas do quotidiano o que acaba por provocar condicionamentos na vida diária, e como resultado promove o isolamento, a tristeza, a baixa autoestima e a frustração.

A Hipnose Clínica, enquanto ferramenta terapêutica complementar, tem um papel fundamental na recuperação da qualidade de vida, para além de suavizar a sintomatologia associada. A alteração do estado vígil, para um outro estado de consciência, permite não só aquietar a mente e o corpo, como reorientar o pensamento para uma determinada tarefa. Neste seguimento, as representações externas e cinestésicas deixam de dominar o foco de atenção, passando a um segundo plano da própria consciência. Em adição, o próprio estado de transe hipnótico potência a libertação de forma natural; sem recurso a medicação, os neurotransmissores como a dopamina, que ajudam a restabelecer a concentração, o humor e as emoções de forma equilibrada e natural.

Assim, a Hipnose Clínica devolve a qualidade de vida ao paciente, estimulando a concentração e reduzindo ou até mesmo eliminando os sintomas e causas associadas à dificuldade de concentração, e favorece o autoconhecimento e o autocontrolo sobre si mesmo, enquanto ferramenta de desenvolvimento pessoal.

 

 

                Sara Morais

Hipnoterapeuta

Artigo de Opinião (Ana Carolina)- Mitos associados à Terapia da Fala impedem intervenções precoces

Atualmente o Terapeuta da Fala é associado a crianças e a problemas de dicção ou gaguez, contudo são várias as áreas de atuação assim como as faixas etárias da intervenção.

O Terapeuta da Fala é um profissional de saúde com competências para intervir desde o nascimento. Intervém em recém-nascidos, na área da alimentação e no desenvolvimento de competências comunicativas, junto dos pais e equipa multidisciplinar nas Unidades de Cuidados Neonatais. Também efetua uma intervenção junto de crianças em idade pré-escolar, centrando-se na prevenção, diagnostico e intervenção na promoção das competências linguísticas, vocais e de comunicação assim como na intervenção das suas perturbações. Em crianças e jovens em idade escolar a intervenção centra-se nas perturbações da leitura e da escrita, patologia vocal, na potencialização da comunicação e na gaguez. Sendo que nos dois últimos grupos etários é essencial desenvolver todo o trabalho junto dos educadores, professores e família.

Na idade adulta, o campo  de atuação é maioritariamente em perturbações da linguagem adquiridas, após acidente vascular cerebral (AVC), demências, tumores, Parkinson ou traumatismo crânio encefálico (TCE), patologias vocais e da deglutição (dificuldade a beber e/ou engolir líquidos), sendo que mais uma vez o trabalho em equipa multidisciplinar é essencial.

Existem algumas ideias preconcebidas que levam a que o diagnóstico seja feito tardiamente e que inviabilize o sucesso da intervenção. Ou seja, a intervenção precoce ajuda a prevenir problemas que podem comprometer uma aprendizagem saudável, um normal desenvolvimento, uma comunicação eficaz assim como a qualidade de vida da pessoa. É importante que as pessoas estejam atentas a vários sinais de alerta, para que seja possível, ao Terapeuta da Fala, avaliar e diagnosticar precocemente possíveis patologias e intervir adequadamente.

Ao contrário do que muitas vezes é mencionado, podemos recorrer a um Terapeuta da Fala mesmo quando ainda as crianças não sabem falar. Se, por exemplo, a criança tem dificuldades em mastigar ou fazer uma boa sucção devemos pedir uma avaliação por um Terapeuta da Fala ou se trocar sons ao falar ou se apontar para fazer pedidos, junto da família ou dos seus pares na escola, não se deve rotular como “preguiçosa” e uma avaliação atempada é essencial.

Há ainda a ideia de que antes dos 5 anos não vale a pena pedir uma avaliação contudo, se esta ideia não é aceitável aos 3 anos, está completamente errada aos 5 anos. Se a criança não se faz entender com os seus pares ou se os pais não percebem o que ela diz com 3 anos é um sinal de alerta importante, assim como ter dificuldade em ter interesse pelos sons do ambiente, por exemplo.

Nem todas as crianças usufruem de intervenção direta precisamente porque há conhecimentos técnicos que nos permitem realizar uma prevenção primária e secundária para cada caso. Muitas vezes não irá ser trabalhada logo a fala, mas sim um conjunto de competências essenciais ao desenvolvimento da comunicação e da linguagem, que irão preparar a criança para produzir sons e usar as palavras. Pedir ajuda quando uma gaguez que já dura há mais de um ano também não é aconselhado. Uma rouquidão que dura há mais de 15 dias não é normal, e aqui também devemos pedir uma avaliação por um Otorrinolaringologista.

Como se verificou, a idade não é o fator determinante para procurar ou não a opinião de um Terapeuta da Fala, mas sim as dificuldades que a criança ou o adulto poderá apresentar.

Ana Carolina Melo Marques C-046322175

Terapeuta da Fala na APSCDFA, na Clínica Nossa Srª da Graça e na CliViseu

 

Artigo de Opinião: Coaching de Paula Miranda

É com um enorme sentimento de gratidão e privilégio que aceitei este convite do Magazine Serrano.

Aqui vou poder partilhar, desenvolver e acrescentar a todos os que nos leem a melhor e mais importante ferramenta do nosso desenvolvimento – Tomada de Consciência.

NÓS SOMOS CRIADORES

ACREDITA EM TI

Este é o slogan que acompanha o Tree Coach!

Sou a Paula, tenho 42 anos e uma paixão pelo desenvolvimento pessoal, pelo estudo conjunto da parte mental e emocional do ser humano, do empoderamento e crescimento de todos, pois todos temos a possibilidade de ser mais e melhores a cada dia, só precisamos muitas vezes é de ter um GPS disponível.

O Coaching pode ser o GPS que te falta.

Nesta primeira publicação, a minha intenção é trazer Clareza do que é isto de ser coach de que tanto se fala hoje em dia.

  • O Coach proporciona ao coachee (cliente), através de um processo de coaching, maior controle sobre a sua própria vida, garantindo o desenvolvimento de habilidades e concretização de objetivos em qualquer área.
  • O Caminho entre o ponto A (onde nos encontramos) e o ponto B (para onde queremos ir), pode muitas vezes ter altos e baixos, curvas e contra curvas, situações desconhecidas, com o GPS certo, todos conseguimos chegar ao destino a que nos propomos.
  • Trabalhamos:
    • superação de limitações e obstáculos
    • ressignificação de acontecimentos
    • criação de novos hábitos / rotinas
    • comunicação
    • reprogramamos pensamentos, palavras e ações… e muito mais

 

  • Através de um processo de coaching podemos encontrar o equilíbrio entre o nosso estado emocional e racional, bem como o equilíbrio entre as áreas pessoais e profissionais.

A intenção de um coach é proporcionar ao cliente, autoconhecimento, autoconfiança, autossatisfação, auto valorização e autoestima para que se possa sentir verdadeiramente pleno.

Resumindo o Coaching é uma Viagem Mágica ao seu interior.

Como funciona? Processos de 12 sessões personalizadas para cada cliente, onde são utilizadas pelo coach perguntas poderosas que levam o cliente às respostas que tem dentro de si. É através das várias ferramentas efetivas, que o coach leva o cliente a um profundo empoderamento.

A frequência das sessões será definida de acordo com e necessidade do cliente.

 

A SALVAGUARDAR:

  • Coachee é o único RESPONSÁVEL pela sua transformação e deverá estar COMPROMETIDO a 100% em alcançar o objetivo.

Afinal, quem é a pessoa responsável pela realização dos teus sonhos?

Resumindo o Coaching é:

A Arte de ajudar o coachee a descobrir onde está, qual o local onde quer estar, e o caminho a percorrer para lá chegar!

Reais Benefícios:

  • Revisão do próprio projeto de vida pessoal e da carreira profissional
  • Conhecimento sobre novas maneiras e formas de agir
  • Coragem para descobrir e viver a sua missão de vida
  • Desenvolvimento de novas habilidades
  • Redução do stress
  • Mudança de pensamentos sabotadores e limitantes
  • Melhora nas relações interpessoais e profissionais
  • Descobertas de talentos
  • Gestão do tempo
  • Inteligência Emocional
  • Melhor qualidade de vida

 

No Tree Coach, estamos comprometidos com os nossos clientes desde a primeira abordagem.

Aqui, não há lugar a julgamentos.

A confidencialidade do processo individual está salvaguardada pelo código de ética profissional.

Se quiserem vivenciar a experiência de uma sessão, só precisam de uma coisa – MARCAR.

A Sessão de Transformação ou Sessão de Reconhecimento de 30 minutos, é Gratuita.

Com Amor e Gratidão

Paula Miranda

 

 

Artigo de Opinião- O REGRESSO À ESCOLA E A HIPNOSE CLÍNICA

Setembro é o mês do ano caracterizado pela mudança e pelos recomeços. E este ano não é excepção! Milhares de escolas, de norte a sul do país, voltam a ganhar vida. Alunos, pais, professores e pessoal técnico escolar são levados a recomeçar uma nova fase, rompendo com as  suas rotinas profiláticas, e a consequente suspensão de sonhos e concretizações.

Um retorno dicotómico, entre o desejo e o receio. O anseio e a vontade do regresso à normalidade, que outrora conhecíamos, ao contacto social, às aprendizagens e ao ritmo frenético que tanto a nossa sociedade moderna nos acostumou. Dentro desta bifurcação emocional, brotam novas medidas, regras e comportamentos, aos quais exigem uma capacidade de resposta e adaptação apressada. Surge, assim, uma nova forma de ser e de estar, que acumula em nossas vidas novos desafios e, naturalmente, favorece o aparecimento de novos valores e padrões emocionais.

As preocupações emergentes relativamente ao possível contágio da covid-19; o desconhecimento sobre as novas regras, as normas de afastamento social; promovem a intensificação dos transtornos de ansiedade, medos e fobias. Concludentemente, surgem um conjunto de problemas comportamentais e dificuldades no desempenho escolar e, no sono.

Grande parte dos transtornos e dificuldades mencionados podem ser ultrapassados com o recurso à Hipnose Clínica. Esta ferramenta terapêutica permite não só o relaxamento mental e físico, como proporciona através da alteração do estado de consciência o acesso ao subconsciente, e por conseguinte facilita uma nova configuração nas linhas de orientação comportamental e emocional dominando , assim, as resistências da mente consciente.

 

Do novo recomeço, uma nova forma de ser e estar, uma nova janela para História da Humanidade.

 

 

 

Sara Morais – Hipnoterapeuta

Artigo de Opinião: Terapia da Fala vs Utilização da Internet

Atualmente o mundo virtual está cada vez mais enraizado na nossa sociedade. Toda esta alteração comportamental massificou as novas formas de comunicar. A voz  e a imagem virtual fazem parte de uma realidade onde o ser humano deixou de se deslocar para “estar presente”. Quando comunicamos temos de ter alguns cuidados, tem de existir rigor, e é aqui que a Terapia da Fala assume um papel importante.

A Terapia da Fala é uma profissão ligada à área da saúde que abrange a prevenção, avaliação e intervenção de todas as situações de patologia da comunicação humana – fala, voz e linguagem oral e escrita, qualquer que seja a sua origem, na criança, no adolescente, no adulto ou no idoso.

Considerando o vasto leque de patologias onde o terapeuta da fala pode intervir, a internet é muitas vezes um recurso para se encontrar material e até adquirir novos conhecimentos. Quando a intervenção é a nível vocal, a internet é bastante útil e principalmente quando pensamos em profissionais da voz.

A voz é uma caraterística humana intimamente relacionada com a necessidade do homem se agrupar e comunicar. É produzida devido à vibração das pregas vocais, sendo modificada pela boca, lábios e a língua. A voz está associada à fala, podendo variar quanto ao volume, tom, inflexões, ressonância e muitas outras caraterísticas. Para avaliar corretamente uma pessoa, o terapeuta faz inicialmente uma análise percetiva – interpretação subjetiva da amostra de voz, de acordo com os vários parâmetros da qualidade vocal. Quando é necessária uma avaliação mais rigorosa, recorre-se à análise acústica – permite quantificar os parâmetros acústicos que compõem o sinal sonoro.

A análise acústica é feita, entre outros métodos, através de programas que permitem a gravação, a edição e a análise dos sinais acústicos (ex: AudacityPRAAT AnalyserSFS (Speech System File), entre outros).

Na intervenção direta, o terapeuta realiza algumas sessões de aconselhamento e técnica vocal para modificar hábitos errados, assim como a aquisição de novos hábitos de saúde vocal. Ficam alguns exemplos de como pode manter uma boa saúde vocal:

 

  • Hidratar bem o organismo – beber 1,5l a 2l de água por dia;
  • Evitar ambientes com ar condicionado – seca as mucosas;
  • Não gritar, principalmente sem suporte respiratório;
  • Não tossir ou pigarrear excessivamente;
  • Não fumar e evitar o álcool – irrita as mucosas do trato vocal;
  • Evitar uma alimentação com excesso de condimentos – provoca azia e refluxo de secreções gástricas.

 

 

Ana Carolina Melo Marques C-046322175

Terapeuta da Fala na APSCDFA, na Clínica Nossa Srª da Graça e na CliViseu

 

Artigo de Opinião- ALERGIA OCULAR CONJUNTIVITE ALÉRGICA

Nada mais irritante que sentir os olhos chorosos, vermelhos, sensíveis à luz, com comichão e tão irritados que quase não se conseguem abrir.

As causas desencadeantes podem ser:

  • Alergénios exteriores como o pólen das flores ou árvores;
  • Alergénicos interiores como o pó ou pêlo de animais;
  • Irritantes como o fumo de tabaco, perfumes ou contaminação;

O que fazer se tenho alergia ocular?

Evitar expor-se aos desencadeantes da alergia seria o ideal mas nem sempre possível. Então, deverá proteger-se de forma que os agentes alergénicos cheguem menos aos seus olhos e nada melhor que usar óculos ou óculos de sol curvos. Lave também, constantemente as mãos, evitando tocar nos olhos.

Como controlar os sintomas com medicamentos sem receita médica?

Lágrimas artificiais;

Gotas oculares descongestionantes (não usar mais de uma semana, caso contrário pode piorar);

Anti-histamínicos orais (não mais de uma semana, secam os olhos e podem piorar os sintomas);

Portanto o mais indicado e recomendado é consultar um alergologista que lhe vai dar o melhor tratamento:

Colírio (descongestionante, anti-histamínico, estabilizador de mastócitos, corticosteróide, NSAID);

Vacinas contra alergias (imunoterapia);

Anti-histamínicos orais (note que podem secar os seus olhos e agravar os seus sintomas);

 

Queratoconjuntivite vernal

É a alergia mais comum e a que mais sintomas dá. Embora possa ocorrer todo o ano os sintomas agravam-se na primavera/verão. A ocorrência desta conjuntivite é maior em rapazes e homens jovens.

Como sintomas, temos a comichão, sensibilidade à luz, olhos chorosos e muco espesso.

A queretoconjuntivite vernal deve ser tratada, caso contrário, pode levar a problemas visuais.

Queratoconjuntivite atópica

Este tipo de conjuntivite afeta principalmente a idosos, mais frequente em homem e com antecedentes com dermatite alérgica.

A queratoconjuntivite atópica, se não é tratada, pode levar à cicatrização corneal e à consequente perda irreversível da visão.

Conjuntivite alérgica por lentes de contacto

Deve-se principalmente pela má limpeza das lentes de contacto, a sujidade que se vai depositando na lente pode provocar reações alérgicas causando em muitos casos inadaptação às lentes de contacto. Os líquidos de limpeza e maquilhagem são também fatores desencadeantes.

Conjuntivite papilar gigante

Esta conjuntivite é a forma mais grave associada ao uso de lentes de contacto. O sinal mais típico são as papilas ou papos que se formam no interior da pálpebra superior (principalmente). Os sintomas incluem:

Comichão

Olho vermelho

Visão desfocada

Sensação de corpo estranho

Muco espesso

Olhos chorosos

Má tolerância às lentes de contacto

Conclusão

As lágrimas artificiais podem lavar temporalmente os alergénicos dos olhos, humedecem e hidratam. Dão sensação de frescura, aliviam os sintomas e podem-se usar as vezes que necessitar.

Os descongestionantes são bons para aliviar os olhos vermelhos mas são vasoconstritores (diminui o calibre dos vasos sanguíneos superficiais) diminuindo a quantidade de oxigénio ao olho. Não se devem usar se tem outras patologias oculares e em algumas sistémicas.

 

Anti-histamínicos orais: Eficazes no alívio da comichão mas podem causar olho seco e piorar os sintomas de alergia ocular.

Em nenhum caso deve ir à farmácia e pedir “gotas” para aliviar a alergia, à exceção de lágrimas artificiais. Deve em primeiro lugar consultar o médico alergologista para receitar o tratamento e futuramente o médico Oftalmologista se os sintomas de alergia ocular não desaparecem.

 

Dra. Sofia Cunha – Optometrista

Óptica Aifos, Cavadoude – Guarda

www.lentesdecontactoagranel.com

https://www.facebook.com/lcgranel.cosmeticaocular/

Artigo de Opinião- A INSÓNIA E A HIPNOSE CLÍNICA

O tempo decorria silencioso e com um pouco de vaidade em nosso redor, transmitindo-nos de forma involuntária a polaridade, do dia pela
inerente agitação e da noite pela sua natural acalmia.
O compasso do seu tique… taque traça com a amplitude e delimitação das rotinas relevando o sono como uma necessidade basilar da renovação e da reorganização emocional da mente. E, se outrora adormecíamos com a magia do João Pestana, que, devagarinho, tímido e assustadiço, nos fechava as pestanas sem demoras nem delongas, os tempos de hoje já ditam outra nova envolvência histórica.
A nova realidade não começa no cliché “era uma vez”, mas pelo ousado e diligente 1 carneirinho…3 carneirinhos…34 carneirinhos…194 carneirinhos…684 carneirinhos…e, quando despertamos a consciência, somos obsequiados e invadidos pelos pensamentos e sentimentos do
medo; incerteza e ansiedade mascaram então o adormecimento das improbabilidades e desafios constantes e desmedidos.
A constante dificuldade em adormecer, mantendo e aumentando o estado de super insónia baralha a perceção e influência do relógio biológico condicionando o equilíbrio mental enquanto estimula a irritabilidade e a ansiedade; a sonolência diurna aumenta a tensão exasperando as cefaleias, à medida que vão reduzindo a concentração e a memória.
Todavia, a nova normalidade realça a Hipnose Clínica como tratamento chave para solução dos distúrbios do sono, de forma natural e sem efeitos secundários.
A terapêutica acede ao subconsciente onde se desenvolve o sono e é possível encontrar ou experiências causadoras da perturbação.
Dessa forma, é possível e necessário reorganizar a mente para lidar com os recalcamentos de forma saudável, ajustando os padrões normativos do sono.
Cai a noite e, pé ante pé, chega, sorrateiramente o João Pestana.


Sara Morais
Hipnoterapeuta

Artigo de Opinião- Motricidade Orofacial – Uma área de intervenção desconhecida por muitos

A Motricidade Orofacial é uma das áreas de intervenção da Terapia da Fala, responsável pelo estudo, avaliação, diagnóstico, reabilitação e/ou aperfeiçoamento das alterações ao nível do sistema miofuncional oral e cervical, assim como das funções a este associadas, como a sucção, a mastigação, a deglutição, a respiração e a fala, desde o nascimento e ao longo de toda a vida.

Desde o desenvolvimento embrionário, observa-se o crescimento craniofacial que, em muito, irá influenciar as funções motoras orais, juntamente com os músculos e a sua maturação. Ao longo dos primeiros meses de vida, estas funções vão evoluindo e se maturando, iniciando com reflexos fortes, com a sucção, coordenação sucção/respiração/deglutição, passando pela dissociação de movimentos de lábios, língua e mandíbula, pela alimentação de colher, uso de copo e, posteriormente, a mastigação e movimentos cada vez mais precisos.

A fala diz respeito ao ato motor que é capaz de transmitir sons, palavras e frases. Sendo assim, podemos observar que esta função é diferente de linguagem, porém, não independente, uma vez que a criança para falar, deverá já possuir boas bases linguísticas. O desenvolvimento da fala exige condições estruturais, a nível da laringe, dos lábios, língua e palato, assim como condições sensoriais, ou seja, a criança deverá ser capaz de ver e escutar os sons da fala de forma a que esta os aprenda e os produza corretamente. Ao longo da aprendizagem de todos os sons do Português, com ordem de aquisição específica, a criança vai adquirido competências para juntá-los, formando sílabas, palavras e, por fim, frases. Importa referir que, por volta dos 2 anos, a criança já deve ser compreendida pelos seus familiares e, com cerca de 3/4 anos por estranhos, já aos 6, anteriormente ao ingresso para o 1º ciclo, idealmente a criança já deve ser capaz de produzir todos os sons corretamente. Todavia, cada criança tem o seu desenvolvimento e é importante respeitá-lo.

Alterações ao nível das funções motoras orais (sucção, mastigação, respiração e deglutição) poderão acarretar variações de fala, uma vez que acarretarão alterações no desenvolvimento da musculatura orofacial e cervical, influenciando todas as funções anteriormente referidas. No entanto, importa referir que funções, como a alimentação, mesmo que possam influenciar esta aquisição, têm uma aquisição distinta e, não podemos afirmar que, uma perturbação da alimentação, por exemplo, originará um problema de fala. As alterações de fala também poderão ser provocadas por alterações estruturais ou/e por maus hábitos recorrentes (uso de chupeta, respiração oral, “chuchar no dedo”, roer as unhas, etc.).

Cabe a nós, adultos, estimular a aquisição e desenvolvimento das funções motoras orais e, posteriormente, a fala. Para tal deixamos, de seguida, algumas dicas para esta estimulação:

– Incentivar a produção de sons (do carro, dos animais, do avião, da buzina, etc.);

– Fazer, em modo de brincadeira, movimentos de língua e de lábios;

– Fazer repetições de sílabas (“papapa”, “tatata”, “cacaca”);

– Exagerar na articulação dos sons e incentivar a criança a olhar para si enquanto o faz, de forma a que consiga perceber a forma de produzir o som;

– Utilizar a divisão silábica de forma a corrigir a produção incorreta de palavras.

Cada criança segue o seu ritmo de desenvolvimento, porém, quando surgir dúvidas no que diz respeito às funções referidas, torna-se fulcral procurar um profissional capacitado para o orientar e aconselhar e, neste caso, recorra a um Terapeuta da Fala.

 

Ana Carolina Melo Marques C-046322175

Terapeuta da Fala na APSCDFA, na Clínica Nossa Srª da Graça e na CliViseu

 

Artigo de Opinião– Benefícios da cirurgia às cataratas. Cuidar da visão dos nossos velhinhos.

 

Numerosos estudos vieram a confirmar que a cirurgia às cataratas não só traz uma melhoria significativa na visão como também melhora a função mental. As pessoas que têm cataratas também podem sofrer de um importante deterioro cognitivo.

Existem estudos que evidenciam que a uma má visão associa-se a uma menor capacidade cognitiva e quem foi operado de cataratas apresentou um deterioro mental mais lento.

Não se sabe ao certo porque é que os problemas visuais afetam no deterioro cognitivo. Pensa-se que os problemas derivados da má visão, como o isolamento, tristeza, depressão e falta de exercício físico possam contribuir para o deterioro cognitivo.

Não há dúvida que a cirurgia às cataratas vai dar às pessoas melhor visão aumentando a qualidade de vida, independência e vai manter a pessoa ativa e mais feliz. Uma pessoa com problemas de visão tem medo de caminhar ou passear e impede-lhe de manter-se ativa. O isolamento, a tristeza e a vergonha são os principais motivos pelas depressões profundas dos nossos idosos.

 

Importância da visão dos nossos velhinhos

Proporcionar a melhor visão possível às pessoas idosas só traz benefícios, por isso é de profunda tristeza quando associam a má visão de um idoso à idade e que é pouco relevante a sua visão se mentalmente está debilitado ou incapacitado. Doentes com demência ou com Alzheimer são postos de parte ou desprezados no que respeita ao seguimento das consultas visuais. É de extrema importância que estas pessoas vivam com dignidade e mesmo que elas não colaborem numa consulta visual, existem métodos objetivos para saber qual a dificuldade visual e, posteriormente, prescrever a melhor solução ótica, seja por óculos ou por ajudas de baixa visão. Às vezes, simplesmente mudar a graduação dos óculos representa uma enorme diferença na vida de uma pessoa com dificuldades visuais. Quase 40% das pessoas com mais de 78 anos usam prescrição que já não lhe serve.  Se a cirurgia à catarata é necessária, devemos pensar que é um procedimento ambulatório e seguro. Pode melhorar em muito a vida das pessoas e fazer com que elas colaborem nas atividades diárias.

 

 

Melhorar a visão tem também outros motivos:

  • Reduzir as quedas e as cirurgias daí derivadas;
  • Quem sofre de cataratas tem quatro vezes mais dificuldade em conduzir; Melhorar a visão do condutor é primordial para diminuir os acidentes de trânsito.
  • Melhora a visão noturna;
  • Melhora a qualidade de vida.
  • Estimula a leitura, manualidade, jogos de mesa e interação nas tarefas de casa.

 

Se tem ou algum familiar apresenta cataratas deve aconselhar-se com o seu Oftalmologista na possibilidade da cirurgia.

Deve realizar consultas anuais com o seu Optometrista e se tem algum familiar acamado, em lares ou que tem impossibilidade de dirigir-se a um consultório, existem profissionais que realizam consultas ao domicílio.

 

Dra. Sofia Cunha

Ótica Aifos

Optometrista e Contactologista

Realiza e leva a ótica ao domicílio

 

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar