Templates by BIGtheme NET
Home » Distrito da Guarda (page 114)

Distrito da Guarda

Jovem Eros Quiaios eleito Vice-Presidente da Direção da ANJAS

erosRealizou-se na cidade de Peniche, no âmbito do Fórum das Organizações Autónomas da Juventude Socialista (JS), a Assembleia Geral que elegeu os Órgãos Sociais da Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas (ANJAS) para o biénio 2017/2018.

Eros Quiaios, natural do concelho de Trancoso, foi eleito Vice-Presidente da Direção da ANJAS, tornando-se assim, o primeiro representante na história do distrito da Guarda a integrar o órgão executivo máximo desta organização. O jovem trancosense, antigo Presidente da JS Trancoso, atual Comissario Nacional da JS e Representante da JS na Comissão Política Distrital do PS Guarda, desempenhará um papel fulcral na preparação do projeto autárquico nacional da JS. Do distrito da Guarda, foram ainda eleitos para o Conselho Geral desta organização, a Sara Videira (Pinhel) e o Luís Condesso (Figueira de Castelo Rodrigo).

Numa primeira reação após a eleição, Eros Quiaios afirma:

“Chegou o momento dos jovens portugueses participarem ativamente na definição e construção das suas freguesias e municípios. Desta forma, as nossas prioridades vão ser: a efetiva implementação da ANJAS em todo o território nacional, a consolidação do papel dos jovens na política local e a promoção do seu âmbito de atuação transversal e multidisciplinar. Pretendo fazer tudo para corresponder às expectativas e à confiança em mim depositadas, nunca esquecendo as minhas origens, Trancoso e o meu querido distrito da Guarda, dos quais muito me orgulho e para os que como até agora, sempre estarei disponível.”

Destaca-se ainda desta eleição o facto dos 55 dirigentes que foram ontem a votos terem sido eleitos na mesma proporção, mulheres e homens – feito inédito na história dos Órgãos Nacionais da JS – facto que pretende servir como exemplo para os vários quadrantes da sociedade.

 

Luis Soares, novo Presidente da ANJAS, diz mais :

“Quando assumi este projeto de dimensão nacional encarei, como prioridade pessoal na constituição da equipa a acompanhar-me durante os próximos dois anos, que mulheres e homens estivessem no mesmo número. A igualdade de género é uma questão de princípio e tem sido uma causa que vem ao longo dos tempos a ser travada pelas mulheres, mas que é, e deve ser, uma causa de todos nós. Mulheres e homens têm de estar unidos na transformação da nossa sociedade, tornando-a tão justa e igualitária quanto ambicionamos.”

A Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas, organização autónoma integrada na Juventude Socialista, responsável pelo projeto autárquico desta estrutura, para além de ter feito história com a eleição paritária dos Órgãos Sociais, foi mais longe e conseguiu fazer representar todo o território continental e respetivas regiões autónomas nos seus órgãos, constituindo assim uma equipa verdadeiramente abrangente e representativa das preocupações e anseios de todos os portugueses.

O líder dos jovens autarcas socialistas, no seguimento do feito inédito conseguido, refere:

“Sendo nós uma organização que tem como objetivo corresponder aos anseios e preocupações das populações, quer nas suas freguesias ou municípios, não há outra forma de o fazer senão conhecendo de perto as suas realidades e necessidades. Por isso e para isso, tivemos a preocupação de garantir a plena representatividade do território nacional, dando assim mais um passo através dos ideais que nos movem.”

 

Luis Soares, foi eleito Presidente da Direção da ANJAS, acumulando esse cargo com o de Presidente da Federação Distrital de Viseu da JS, Representante da JS na Comissão Política Nacional do PS e membro do Secretariado Nacional da JS. Marcelo Guerreiro, o único jovem autarca socialista que exerce funções como Presidente de Câmara Municipal, neste caso de Ourique, é o novo Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Joana Bento, jovem candidata à Presidência da Câmara Municipal do Fundão, foi eleita Presidente do Conselho Fiscal. Para além destes órgãos, existe ainda o Conselho Geral da ANJAS, composto por quarenta membros.

No que concerne aos novos dirigentes da organização, Luis Soares garante:

“Termos jovens como o Marcelo Guerreiro e a Joana Bento, que desempenham ou pretendem desempenhar funções de liderança num município, engrandece e valoriza a nossa estrutura. É uma verdadeira honra contar com eles, um enquanto Presidente da Mesa da Assembleia Geral e outro como Presidente do Conselho Fiscal da ANJAS. São uns dos melhores exemplos de jovens autarcas que temos, onde nas dificuldades, encontram oportunidades para transformar as suas regiões e a melhoria das condições de vida das suas populações.”

Em conjunto com a eleição dos seus novos órgãos sociais foi apresentado, discutido e aprovado o plano estratégico da organização que pretende capacitar, formar, valorizar e apoiar os jovens socialistas que integram ou pretendem integrar listas nas próximas eleições autárquicas. Importa referir que para estas eleições o PS recomendou uma quota de, no mínimo, 20% dos membros das listas serem jovens com menos de 35 anos.

A propósito desta recomendação, o Presidente da ANJAS, comenta:

“Não nos contentemos com esta recomendação, sejamos mais ambiciosos, porque a mesma, não reflete em nada a geração a que pertencemos, visto ser a mais qualificada de sempre do nosso país. A realização de grandes projetos, por vezes, só está à distância de uma oportunidade. Logo é essa a oportunidade e confiança que queremos que nos seja dada, envolvendo-nos no projeto autárquico como sinal de reconhecimento do trabalho diário que, enquanto a maior juventude partidária do nosso país, desenvolvemos em prol das nossas populações.”

Em jeito de conclusão, o líder nacional dos jovens autarcas socialistas afirma:

“Conto com as ideias e a participação de todos para que, no próximo dia 1 de outubro de 2017, celebremos não só uma grande vitória autárquica do Partido Socialista, mas sobretudo, uma grande vitória de todos os jovens portugueses.”

Exposição “Breve história do parlamentarismo em Portugal”

17796554_708754095971536_851612392223123446_nFoi inaugurada nesta terça-feira, a exposição “Breve história do parlamentarismo em Portugal”.

Esta exposição trata-se de uma mostra itinerante, organizada pela Assembleia da República, que conta a história do parlamentarismo português e dos espaços que o parlamento ocupa desde 1834.
É composta por 25 painéis que retratam as evoluções políticas, desde o liberalismo até à actualidade. Recua ainda à origem do Palácio de São Bento, que começou como um Mosteiro, em 1598, até à transformação em Palácio das Cortes, em 1833.
Descreve também as adaptações e acrescentos ao actual edifício, e dedica especial atenção à história do Parlamento, a partir de 1976, com a referência aos partidos políticos representados, mostrando ainda o modo de funcionamento deste órgão de soberania nacional.

A exposição ‘Breve história do parlamentarismo português’ pode ser visitada no Centro Cultural de Trancoso entre 4 e 28 de Abril, de segunda-feira a sexta-feira, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

Por:Mun.Trancoso

Mangualde requalifica algumas artérias

mmlogoComeçaram as obras para pavimentação da estrada entre o cruzamento de Cubos e Bogalhais, na União de Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta. Esta empreitada está inserida no conjunto de investimentos que se estão a suceder que fazem parte do Plano de Investimentos do Município. No valor de 7 milhões de euros, estas intervenções assegurarão, na sua maioria, uma melhoria/requalificação da rede viária municipal em várias estradas municipais do concelho e na rede de infraestruturas.

 

PAVIMENTAÇÃO DA ESTRADA ENTRE O CRUZAMENTO DE CUBOS E BOGALHAIS

Para João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde «as obras de beneficiação do pavimento da estrada em quase 2km, vão permitir a melhoria na mobilidade e um aumento significativo de conforto e segurança para as pessoas que diariamente transitam nesta estrada, melhorando também a rede viária da zona urbana da cidade.»

O autarca sublinha ainda que «o Plano de Investimentos segue em linha com a estratégia que tinha sido definida. Saímos do ajustamento financeiro no final de 2016 e conseguimos dar o salto qualitativo e de excelência para o investimento público. Um investimento sem paralelo na história do município e que durante 2017 não ficará por aqui. Há já um conjunto de intervenções na fase final de contratação pública e que passarão rapidamente para o terreno.»

UMA DEZENA DE GRANDES INTERVENÇÕES EM MARCHA NO CONCELHO DE MANGUALDE

São já uma dezena de grandes intervenções em marcha no concelho de Mangualde. As intervenções a decorrer na sua maioria visam a melhoria da rede viária do concelho, mas há também intervenções para melhorar infraestruturas, zonas industriais e regeneração urbana.

Por:Mun.Mangualde

Ação de Reflorestação – Dia Mundial da Árvore em Fornos de Algodres

IMG_7497-1030x687O Município de Fornos de Algodres em parceria com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres, Cooperativa de Agricultores Foral, Junta de Freguesia de Maceira e União de Freguesias de Sobral Pichorro e Fuinhas, promoveu nos dias 26 de março e 2 de abril, ações de reflorestação nas supracitadas freguesias.

Estas ações de sensibilização, realizadas no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Árvore, foram concretizadas em algumas das freguesias mais afetadas pelo grande incêndio que decorreu no nosso concelho no último Verão.

Por:Mun.FA

Campanha do Laço Azul em Aguiar da Beira

17757536_1358479310879670_4827468782280047365_nA Câmara Municipal de Aguiar da Beira e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Aguiar da Beira associam-se, durante todo o mês de abril, ao Mês de Prevenção dos Maus Tratos na Infância e Juventude.
A campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) iniciou-se em 1989, na Virgínia, E.U.A. quando uma avó, Bonnie Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro despertar a atenção das pessoas. Perante a curiosidade de muitos, Bonnie Finney contou que sua neta foi vítima de violência. “E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos.

O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos”. Um pouco por todo o mundo, designou-se o mês de abril, como o mês dedicado à Prevenção dos Maus Tratos Infligidos a Crianças e Jovens.

Por:Mun.AB

Inês Sabrosa , animou a noite em Nelas

0nelas.A Escritora foi a convidada especial de mais uma Conferência “Nelas Por Vocação- 10 Conferências, 10 Convidados”, realizada ontem na Biblioteca Municipal António Lobo Antunes. “Escrever como quem respira” foi o mote para uma conversa singular com quem faz da escrita o seu modo de vida, o seu modo de existir.

Encontrou-se na Biblioteca Municipal o cenário ideal para receber uma escritora tão conceituada, numa conferência descontraída e muito participada, tendo sido a escrita, a inspiração, a paixão com que se escreve o tema central de mais noite cultural que já vem habituando. O público sempre participativo aflorou o mote da conferência “escrever como quem respira” intervindo com questões sobre a carreira da escritora mas também com referências a obras da autora que também podem ser lidas e requisitadas na Biblioteca Municipal António Lobo Antunes (também ele escritor de renome, que tem raízes familiares em Nelas).

Escritora premiada, cronista, jornalista, Inês Pedrosa foi diretora da Casa Fernando Pessoa em Lisboa e mantém presença no programa A Páginas Tantas da Antena 1. É uma das figuras da literatura portuguesa contemporânea que mais sucesso faz no Brasil e está traduzida em vários países como França e Itália. Já publicou mais de 20 títulos, entre romances, contos e não-ficção. Escreveu para teatro e atualmente é uma das comentadoras do programa de debate político O Último Apaga a Luz na RTP3. No mês em que se assinala o Dia Internacional da Mulher, Nelas recebe um dos rostos mais emblemáticos da luta narrativa pela igualdade de género. Palavra a Palavra.

 A moderação desta 6ª Conferência foi conduzida por Hélder Gomes, jornalista freelancer e programador do festival internacional de cinema IndieLisboa, com licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa. Trabalhou na Rádio das Nações Unidas, em Nova Iorque, entre 2007 e 2008, na Euronews, em Lyon, e na programação de música e rádios, em Lisboa, antes de integrar, em 2010, a equipa fundadora do Canal Q. Está a concluir a sua tese de mestrado em Estudos Internacionais, no ISCTE.

A noite contou ainda com a participação do “Coletivo Orelhas Moucas”, que de forma descontraída e criativa contextualizam o momento com “Versos para Entrada e Canções a Condizer”, introduzindo os convidados e o tema da conversa, num encontro brilhante entre poesia e música.

“Nelas por Vocação: 10 Conferências, 10 Convidados” continua a trazer para o espaço público concelhio, uma quinta-feira por mês, a discussão de grandes temas relacionados com a realidade, local e nacional, conduzida sempre por um convidado público, que vai da música à escultura; da literatura à pintura; da arquitetura à gastronomia; da investigação científica à religião.

Individualidades como, João Paulo Martins, Francisco José Viegas, António-Pedro Vasconcelos e Pedro Marques, Vitor Sobral e Vítor de Sousa já vieram ao Concelho de Nelas por Vocação ao conhecimento, ao pensamento critico, ao desenvolvimento de uma cultura cívica atual e inclusiva.

Por:Mun.Nelas

Perfil da candidata do PSD, Joaquina Domingues

17742522_866121493528704_1237303198_nDepois de ter sido apresentada, neste domingo, Joaquina Domingues como candidata, nas próximas Autárquicas, à Camara Municipal de Fornos de Algodres, deixamos aqui o seu perfil.

Maria Joaquina Santos Fernandes Domingues, 54 anos, é natural e residente em Fornos de Algodres.
Concluiu a Licenciatura em Matemática (ramo educacional) pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, em 1987.
Desde esse ano desenvolve a atividade de professora do 3.º ciclo e Secundário, tendo começado a lecionar na Escola Secundária José Falcão em Coimbra, passando depois por Celorico da Beira, Canas de Senhorim, Trancoso até, finalmente em 1991, se fixar em Fornos de Algodres no atual Agrupamento de Escolas concelhio.
Ao longo da sua carreira profissional, desempenhou diversos cargos de gestão intermédia, dos quais se destacam o de diretora de turma, de delegada de disciplina de matemática, de assessora pedagógica, de coordenadora dos diretores de turma, de coordenadora do secretariado de exames, de coordenadora do PAM e de presidente da Assembleia de Escolas de Fornos de Algodres. Atualmente é também presidente do Conselho Geral do Agrupamento de Fornos de Algodres.
A par da sua atividade profissional, desenvolve projeto PRODER, na área empresarial /agrícola, área à qual, pelas suas origens, sempre estive ligada.
É uma pessoa dinâmica, batalhadora, tendo vencido as agruras da vida, com o seu trabalho, dedicação e empenho em todas tarefas em que se envolve.

Avisos e reflexão do 5ºdomingo da Quaresma- Aguiar da Beira

z-igreja ABNeste 5º Domingo da Quaresma, a liturgia garante-nos que o
desígnio de Deus é a comunicação de uma vida que ultrapassa
definitivamente a vida biológica: é a vida definitiva que supera a morte. Na primeira leitura, Jahwéh oferece ao seu Povo exilado, desesperado e sem futuro (condenado à morte) uma vida nova. Essa vida vem pelo Espírito, que irá recriar o coração do Povo e inseri-lo numa dinâmica de obediência a Deus e de amor aos irmãos. A segunda leitura lembra aos cristãos que, no dia do seu Batismo, optaram por Cristo e pela vida nova que Ele veio oferecer.    Convida-os, portanto, a ser coerentes com essa escolha, a fazerem as obras de Deus e a viverem “segundo o Espírito”.
O Evangelho garante-nos que Jesus veio realizar o desígnio de Deus e dar aos homens a vida definitiva. Ser “amigo” de Jesus e aderir à sua proposta (fazendo da vida uma entrega obediente ao Pai e um dom aos irmãos) é entrar na vida definitiva. Os crentes que vivem desse jeito experimentam a morte física; mas não estão mortos: vivem para sempre em Deus.
A questão principal do Evangelho deste domingo – e que é uma questão determinante para a nossa existência de crentes – é a afirmação de que não há morte para os “amigos” de Jesus – isto é, para aqueles que acolhem a sua proposta e que aceitam fazer da sua vida uma entrega ao Pai e um dom aos irmãos. Os “amigos” de
Jesus experimentam a morte física; mas essa morte não é destruição e aniquilação: é, apenas, a passagem para a vida definitiva. Mesmo que estejam privados da vida biológica, não estão mortos: encontraram a vida plena, junto de Deus. A história de Lázaro pretende representar essa realidade.
No dia do nosso Baptismo, escolhemos essa vida plena e definitiva que Jesus oferece aos seus e que lhes garante a eternidade. A nossa vida tem sido coerente com essa opção? A nossa existência tem sido uma existência egoísta e fechada, que termina na morte, ou tem sido uma existência de amor, de partilha, de dom da vida, que aponta para a realização plena do homem e para a vida eterna?
Ao longo da nossa existência nesta terra, convivemos com situações em que somos tocados pela morte física daqueles a quem amamos… É natural que fiquemos tristes pela sua partida e por eles deixarem de estar fisicamente presentes a nosso lado. A nossa fé convida-nos, no entanto, a ter a certeza de que os “amigos” não são aniquilados: apenas encontraram essa vida definitiva, longe da debilidade e da finitude humanas.
Diante da certeza que a fé nos dá, somos convidados a viver a vida sem medo. O medo da morte como aniquilamento total torna o homem cauteloso e impotente face à opressão e ao poder dos opressores; mas libertando-nos do medo da morte, Jesus torna-nos livres e capacita-nos para gastar a vida ao serviço dos irmãos, lutando generosamente contra tudo aquilo que oprime e que rouba ao homem a vida plena.

02-04-2017

Por:Párocos das Paróquias de Aguiar da Beira

Rancho Folclórico de Figueiró da Granja em exposição no CIHAFA

1620744_735287966511911_1190539013_nO CIHAFA (Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica de Fornos de Algodres), inicia um novo ciclo de exposições intituladas Uma ideia é um feito de associação” dirigida às associações do concelho, de 03 a 30 de abril de 2017 estará patente uma Exposição do Rancho Folclórico de Figueiró da Granja, que poderá ser visitada todos os dias (exceto feriados) entre as 10h00 – 13h00 e as 14h00 – 17h00.

 “O associativismo coopera para a união de pessoas”.

“Em termos gerais, a prática associativa consiste na organização voluntária de pessoas, sem fins lucrativas, com o objetivo de satisfazer as necessidades coletivas ou alcançar os objetivos comuns.”

O Rancho Folclórico de Figueiró da Granja, foi fundado em maio de 1980, na Freguesia de Figueiró da Granja, depois de alguns anos de muita atividade, devido á saída de alguns pares, o grupo passou por algumas dificuldades de organização, decidiu acabar a sua atividade, mais tarde, retomou a sua atividade a 19 de dezembro de 2011. Foi apresentado pela primeira vez numa Ceia de Natal na freguesia de onde o próprio rancho é oriundo e de onde são todos os seus elementos.

Tem participado em vários Festivais Nacionais de Folclore e em atuações para turistas.

As recolhas de traje, canto e dança têm sido uma preocupação deste rancho, tendo sido feito um estudo dos trajes mais usados na tradição deste povo. Os trajes são cópias dos usados pelos antepassados na zona da Beira Alta, nos finais do século XIX e princípios do século XX, apresentando em cada espetáculo trajes domingueiros, trajes de festa, trajes de trabalho maioritariamente agrícola como se pode ver na ceifeira, moleira, pastor, entre outros.

Nas atuações, tentamos representar as atividades da região na caracterização dos nossos elementos e na compilação e seleção dos nossos cantos e danças. Com estas recolhas pode-se provar que o Folclore da Beira Alta, onde Figueiró da Granja se integra, é bastante rico e variado, devido à sua situação geográfica, entre o lendário Rio Mondego e a imponente Serra da Estrela.

Nas danças e nos cantares, na sua grande maioria estão bem patentes a alegria, a harmonia e beleza das danças e dos cantares desta zona, revelando toda a força e genica do povo Beirão.

Por:CIHAFA

ARC Sport conquista novo triunfo

17554291_1369524163086690_3453429746709216999_nA ARC Sport esteve à beira de conquistar uma dobradinha na edição deste ano do Azores Airlines Rallye. Bruno Magalhães em Skoda Fabia R5 e Ricardo Moura em Ford Fiesta R5 disputaram quase até final a vitória na prova açoriana na abertura do Campeonato da Europa de Ralis de 2017.

Uma excelente gestão de corrida contribuiu para o sucesso de Bruno Magalhães que alcançou assim a sua 3ª vitória nos Açores. O navegador Hugo Magalhães conquistou a 2ª vitória na prova açoriana. Um resultado nos Açores que esteve quase a ser perfeito, mas que não deixou de ser vitorioso para a equipa de Aguiar da Beira.

Há muito que não se via Bruno Magalhães tão entusiasmado. O piloto conseguiu uma excelente adaptação ao novo Skoda Fabia R5, sublinhando também o excelente trabalho da ARC Sport.

“Foi um resultado excelente, claramente acima do planeado. O carro tem um grande potencial, o que me deu uma grande motivação e vontade de lutar por um resultado positivo. Num rali como este era muito fácil cometer um erro, o que nos obrigou a fazer uma boa gestão de corrida. Sabia que tinha melhores pneus para as segundas passagens do último dia de prova, o que se revelou vital, pois continuei a ganhar troços. Quero realçar o excelente trabalho realizado pela ARC Sport que nos ajudou bastante. Um excelente carro e uma equipa fantástica. Este é de facto um momento histórico para mim. Em relação ao futuro, não tenho nada previsto. Gastei todas as fichas neste rali”, gracejou Bruno Magalhães.

Joaquim Alves, navegado por Luís Ramalho, regressaram aos Açores ao volante do Ford Fiesta R5. Depois de um resultado menos conseguido na edição do ano passado, a dupla mostrou este ano uma evolução bastante positiva até perto do final da prova. Joaquim Alves chegou a passar pelo 11º lugar, mas um toque na derradeira passagem pela especial da Tronqueira acabou por estragar o resultado final, que poderia ter sido muito positivo.

“Foi uma pena o azar no último troço. Viemos com o carro a arrastar-se até final, acabando por sofrer uma penalização que acaba por estragar a classificação. Este ano a nossa prestação foi claramente superior à do ano passado, até pelos registos averbados em alguns dos troços. Este é um rali muito competitivo e bem organizado como sempre. O nosso próximo desafio será bem mais perto de casa, no Rali de Espinho”, disse Joaquim Alves.

Aloísio Monteiro, acompanhado pelo açoriano Sancho Eiró, mudou o “set up” do seu Renault Clio R3 T para pisos de terra, para estar presente nos Açores e tentar pontuar para as duas rodas motrizes no Campeonato Nacional de Ralis. No final da primeira passagem pela Tronqueira, o abandono surpreendeu a equipa.

“Após ter alcançado resultados positivos até ao final do segundo dia de prova nas duas rodas motrizes, a dureza da prova obrigou-nos a abandonar já perto do final. O radiador do Renault furou durante a especial da Tronqueira, o que demonstrou alguma fragilidade do carro em pisos de terra. Ao fim de duas provas sem pontuar para o campeonato, vamos agora centrar as nossas atenções apenas no Troféu Ibérico Renault Clio R3 T”, afirmou Aloísio Monteiro.

A ARC Sport alcançou a 2ª vitória consecutiva nos Açores. Em 2016 triunfou com Ricardo Moura e António Costa, este ano com Bruno Magalhães e Hugo Magalhães, na estreia de um totalmente novo Skoda Fabia R5, um carro que se mostrou perfeitamente adaptado às duras exigências dos troços de terra da ilha de São Miguel. Mas nem só com sucessos se escreve a história de uma equipa. O azar de Ricardo Moura que desistiu a três troços do final da prova, com problemas no motor do Ford Fiesta R5, numa altura em que lutava com Bruno Magalhães pela vitória, impediu uma dobradinha da equipa e arrefeceu o espírito de vitória que se viveu na estrutura da equipa de Aguiar da Beira. No final, Augusto Ramiro completamente tranquilo em relação ao trabalho realizado nos Açores, dividia sentimentos em relação aos resultados alcançados.

“Trabalhámos arduamente para que tudo corresse da melhor maneira a para que todos os pilotos alcançassem os seus objetivos. Ideal seria mesmo que todos encontrassem as suas vitórias, porque é para isso que sempre trabalhamos com todo o entusiasmo e elevado grau de profissionalismo. Quero sublinhar o empenho de todos os elementos da nossa equipa e agradecer o apoio de todos os açorianos que, ano após ano, nos têm demonstrado todo o apoio e carinho” afirmou Augusto Ramiro.

Por:ARC Sport

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar