Templates by BIGtheme NET
Home » Distrito de Viseu (page 10)

Distrito de Viseu

Liturgia–6ºdomingo do tempo comum

No domingo passado, São Marcos, no texto do evangelho, dizia-nos que Jesus curava os doentes e os possessos, ao cair da tarde, depois do sol-posto, em Cafarnaum. Hoje, encontra-se com um outro doente que é desprezado pelas pessoas: um leproso, que tinha de viver sozinho e afastado de todos, porque a lepra era uma doença contagiosa e era considerada uma consequência do pecado. Por isso, o leproso não podia estar no meio do povo de Israel, considerado o povo puro. Assim, cumpria as normas que são proclamadas na primeira leitura.
O leproso é o modelo de uma pessoa que necessita de salvação, que necessita de Deus, mas também é, ao mesmo tempo, o modelo de alguém que acredita com confiança. Surpreende o atrevimento deste homem, talvez fruto do seu desespero e da sua fé. Esquecendo-se de todas as normas, aproximou-se de Jesus. E os discípulos? De certeza que ficaram aflitos e que tudo fizeram para retirar este homem da presença de Jesus. As suas primeiras palavras, dirigidas a Jesus, foram: “Se quiseres, podes curar-me”. Uma oração muito simples e confiante, de uma grande beleza interior espiritual pronunciada por uma pessoa exteriormente deformada pela lepra. Que lição para todos nós, que tantas vezes só damos importância às pessoas por causa do seu aspeto exterior!
Jesus é o modelo supremo de obediência a Deus, mas é também o modelo supremo de liberdade. Ele é o Deus-Connosco, o Emanuel. Se o leproso, levado pela fé, quebrou a norma de proibição de se aproximar dos que estavam de boa saúde, Jesus, por amor, quebrou outra: o de tocar num doente, mais ainda, num leproso. Jesus e o leproso quebraram a lei divina gravada em tábuas de pedra para fazer aparecer a nova lei gravada no coração: o amor divino libertador.
À excomunhão dada pelas pessoas ao leproso, Jesus opõe-se com a comunhão; à rejeição das pessoas, Jesus responde com a proximidade de Deus. Todo aquele que é vítima do mal irá ser salvo, ser livre e não condenado. Jesus é um “Deus-Connosco”, que purifica a humanidade. Respondeu ao pedido do leproso da seguinte forma: “Quero: fica limpo”. Jesus liberta-nos de todos os males e deixa bem clara esta mensagem: Deus não condena ninguém, mas cura-nos das nossas lepras; não quer submissão ou dependência; por isso, se afirma no texto do evangelho: “no mesmo instante o deixou a lepra e ficou limpo”. O leproso curado converte-se num mensageiro do Evangelho: “começou a apregoar e a divulgara o que acontecera”. Aquele que era desprezado pela sua comunidade social e religiosa é agora um mensageiro da alegria do Evangelho.
Por causa da cura deste leproso, há uma mudança significativa: agora, o leproso pode regressar à sua família e relacionar-se com todos; todavia, Jesus deixou de poder entrar abertamente na cidade e andava pelos lugares desertos. Como esta realidade orienta imediatamente o nosso pensamento para o Calvário. Jesus foi crucificado fora de Jerusalém. Será humilhado e desprezado, será cravado na cruz entre dois ladrões. Fazendo-se excluído com os excluídos destruirá a máxima exclusão que é a morte. Por Ele, com Ele e Nele, a história da humanidade muda de rumo: através da Páscoa, da vitória da vida sobre a morte, Jesus cura toda a humanidade.
Na segunda leitura, S. Paulo afirma: “fazei tudo para glória de Deus”. Este é o lema da nossa vida. A “glória de Deus” é Jesus. A glória do cristão, a glória da Igreja, é imitar Jesus. Cumprir a vontade de Deus é acolher e não desprezar as pessoas, para que possam ser mensageiras da alegria e da liberdade de Jesus.
Perante as nossas lepras, ou seja, as nossas fraquezas, os nossos pecados, tenhamos a coragem de nos aproximar de Jesus. Digamos a Jesus: Cura-me, limpa-me. Deixemos que o Senhor nos estenda a mão, sintamos o toque de Jesus. Ele também nos responderá: “Quero: fica limpo”. Perdoados, purificados, renovados, sejamos mensageiros da alegria do Evangelho de Nosso Senhor.

GNR Guarda realiza ações de sensibilização sobre a defesa da floresta contra incêndios

DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

MANUTENÇÃO DAS FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL

A obrigatoriedade de manutenção das faixas de gestão de combustíveis constitui uma das medidas preventivas previstas no Decreto Lei nº 124/2006, de 28 de junho com redação atual, com o objetivo de reduzir o número de incêndios rurais.

A prática mais comum da gestão de combustíveis consiste na limpeza dos terrenos, através do corte e remoção da biomassa vegetal neles existentes. Uma correta e oportuna gestão de combustíveis constitui um elemento essencial para a minimização do risco de incêndio.

A prevenção aos incêndios rurais deve ser praticada de forma atempada e inteligente.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) tem vindo a exercer um enorme esforço na realização de ações de sensibilização junto da população, com o intuito de promover e fomentar boas práticas agrícolas e acima de tudo transmitir uma mensagem de dever cívico na prevenção generalizada aos incêndios rurais, partindo da premissa que a floresta é de todos e que a todos cabe preservar e proteger.

Na sequência das ações realizadas pela GNR, constatou-se que muitos terrenos continuam a carecer de limpeza, de forma a salvaguardar a manutenção das faixas de gestão de combustíveis e assim contribuir para a redução do elevado número de incêndios rurais.

O Comando Territorial da Guarda irá realizar ações de sensibilização, durante o mês de fevereiro, nos seguintes dias e locais:

·         Para a população em geral

o   09, 10 e 11 de fevereiro, na Feira de tradições de Pinhel;

o   10 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia do Minhocal – Celorico da Beira;

o   11 de fevereiro, pelas 11H30, nas instalações da Junta de Freguesia de Vale de Amoreira – Manteigas;

o   14 de fevereiro, pelas 14H00, nas instalações da Junta de Freguesia de Teixeira de Cima – Seia e, pelas 15H30, nas instalações da Associação de Teixeira de Baixo – Seia;

o   16 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia Foios e, pelas 17H00, nas instalações da Junta de Freguesia de Vale de Espinho – Sabugal;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, na Junta de Freguesia da Miuzela e, pelas 11H00, na Junta de Freguesia da Amoreira – Almeida;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Miuzela – Guarda;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Amoreira – Almeida;

o   22 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia Rebolosa – Sabugal, pelas 17H00 nas instalações da União de Freguesias de Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas – Sabugal;

o   22 de fevereiro, pelas 17H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Ruvina – Sabugal;

o   25 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Faia – Guarda.

 

·         Para agricultores

o   16 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Acriguarda – Guarda;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações do Município do Sabugal;

o   22 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações do Município de Figueira de Castelo Rodrigo.

 

·         Para Presidentes de Junta, produtores florestais, apicultores, bombeiros e funcionários do Município

o   15 de fevereiro, pelas 19H00, no Auditório do Pavilhão Multiusos do Município de Trancoso;

o   21 de fevereiro, pelas 18H00, no Auditório do Centro Cultural em Vila Nova de Foz Côa;

o   23 de fevereiro, pelas 19H00, no Auditório do Município de Pinhel;

o   27 de fevereiro, pelas 19H30, no Auditório da Casa da Cultura na Mêda.

 

A falta de manutenção das faixas de gestão de combustíveis (limpeza dos terrenos) constitui infração do foro contraordenacional e os seus responsáveis incorrem em coimas de 280 € a 10 mil €, no caso de pessoa singular, e de 1.600 € a 120 mil €, para pessoas coletivas.

Mosteiro/Penaverde recebe 5ªedição da Feira do Pastor e do Queijo

4 de março, concelho de Aguiar da Beira

Vai ter lugar , no domingo, 4 de março, em Mosteiro – Penaverde, a quinta edição da Feira do Pastor e do Queijo , com um vasto programa para atrair largas centenas de visitantes.

O dia abre com a exposição e concurso de gado ovino e caprino,segue-se  mostra e prova de queijo, já com a presença das entidades oficiais, a finalizar a manhã nada melhor que um almoço regional, pelo meio vai haver muita animação com o espetáculo com o grupo “Clave de Sol” e mais à tarde o artista Ruizinho de Penacova, anima todos os presentes.

Uma boa forma de homenagear os Pastores, queijeiras e o produto mais importante o famoso queijo.

Turismo Centro de Portugal e a Nissan Portugal estabelecem parceria

O Turismo Centro de Portugal e a Nissan Portugal assinaram hoje, quarta-feira, uma inédita parceria que tem como âmbito um programa de reflorestação de uma área destruída pelos incêndios de 2017. O programa, designado LEAF4Trees, partiu de uma proposta do Turismo Centro de Portugal e foi acolhida com grande entusiasmo pela marca japonesa. Os resultados serão visíveis nos próximos meses.

A região Centro de Portugal foi atingida no seu coração pelos trágicos incêndios do ano passado. Mas a resiliência e a determinação das suas populações está a permitir que já se consiga olhar em frente. Para ajudar a que esse futuro seja promissor, o Turismo Centro de Portugal, região que mais cresce turisticamente no país, tem em curso uma série de iniciativas e medidas, tendentes a ajudar as zonas mais afetadas a recuperarem o mais depressa possível. Uma dessas iniciativas foi lançar um desafio à Nissan Portugal, pioneira na mobilidade elétrica, no sentido de ambas as entidades juntarem esforços numa ambiciosa ação de reflorestação. Nasceu assim o programa LEAF4Trees, anunciado e assinado, hoje, no decorrer da 2.ª edição do Fórum Nissan da Mobilidade Inteligente.

Como funciona o LEAF4Trees

O programa LEAF4Trees pressupõe a plantação de árvores no Centro de Portugal, em função dos quilómetros percorridos pelos proprietários nacionais dos modelos 100% elétricos Nissan LEAF e e-NV200, entre abril de 2017 e junho deste ano.

Os veículos tradicionais, de combustão, lançam para a atmosfera dióxido de carbono que tem de ser compensado pela produção de oxigénio das árvores. Mas, por não emitirem gases de escape, os veículos Nissan 100% elétricos que circulam, atualmente, em Portugal, evitam emissões anuais de dióxido de carbono equivalentes ao que teria de ser compensado por cerca de 150 mil árvores. Com o LEAF4Trees, a Nissan Portugal assume o compromisso de duplicar esse efeito. Como? Plantando no Centro de Portugal o número total de árvores que os clientes Nissan de veículos elétricos “pouparam” desde abril de 2017 e evitarão até junho de 2018.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, sublinha que “desde a primeira hora que a Nissan Portugal apadrinhou a nossa ideia e desafio”. “O projeto LEAF4Trees pode servir de modelo como ação de reflorestação para o Centro do país, depois dos incêndios que, em 2017, atingiram a região. Para o Turismo Centro de Portugal, a ideia constitui motivo de justificado orgulho e claro que esse sentimento é extensível à parceria estabelecida com a Nissan, um dos maiores ‘players’ mundiais do sector automóvel. Para o Turismo Centro de Portugal, é uma honra a Nissan fazer parte deste projeto de turismo responsável. Não apenas pela ajuda e pelo exemplo que dá, mas também por ajudar a reforçar a notoriedade da região”, destaca. “O tema da sustentabilidade do turismo tem uma atualidade cada vez maior. Cada árvore que irá ser plantada representa mais do que um pedaço de vida que se coloca no Centro de Portugal. Ficamos gratos que a Nissan tenha esta preocupação do ponto de vista da sustentabilidade dos territórios”, acrescenta.

“Como líder mundial da Mobilidade Inteligente, a Nissan assume a responsabilidade de utilizar a sua experiência e conhecimentos em mobilidade elétrica e em automóveis com zero emissões, para elevar a um novo patamar a gestão da energia, tornando mais sustentável e mais emocionante a forma como nos movemos e como vivemos. Neste Ecossistema Elétrico Nissan pretendemos ser um elemento ativo na construção de um futuro socialmente, economicamente e ambientalmente melhor, razão que nos levou a desenvolver o programa LEAF4Trees”, salienta Antonio Melica, Diretor-geral da Nissan em Portugal.

O Turismo Centro de Portugal e a Nissan esperam que, nos próximos meses, se juntem ao programa LEAF4Trees mais entidades de relevo, potenciando assim o impacto ambiental desta iniciativa e incentivando a preservação e valorização da floresta nacional, um bem essencial para a sustentabilidade económica, social, ambiental e cultural de Portugal.

Carnaval anima Concelho de Nelas de 11 a 13 de fevereiro

 Quatro bairros, quatro corsos, centenas de foliões, carros alegóricos originais, dois Carnavais singulares onde a música e animação prometem trazer ao Concelho dias de verdadeira folia. Centenas de figurantes, milhares de visitantes, muita música, humor e animação caracterizam os Carnavais do Concelho de Nelas, que de 11 a 13 de Fevereiro 2018, prometem folia e diversão. Com cariz diferente e protagonizados pelas Associações do Bairro da Igreja e Cimo do Povo, Paço e Rossio, consagra-se uma tradição de décadas em Nelas e secular em Canas de Senhorim.

  As Associações Paço e Rossio, bairros rivais de Canas de Senhorim, mostram o seu empenho e enchem as ruas da Vila de cor e diversão no Domingo e Terça-feira de entrudo, dias vividos intensamente pelos foliões, que culminam com o despique nas quatro esquinas, onde os foliões de cada bairro puxam pela sua música e canções. Do ambiente carnavalesco desta vila fazem parte também a “Segunda-feira das Velhas”, os bailes, os pisões, as paneladas e as batatadas.

  Na Vila de Nelas, a Associação do Bairro da Igreja e do Cimo do Povo são os protagonistas do Carnaval, que durante meses preparam em sigilo as fantasias dos figurantes e os carros alegóricos, que vão exibir nesses dias com bastante gosto e imaginação numa grande festa carnavalesca, que começa na Praça do Município e se estende às principais ruas da vila de Nelas, ao ritmo de música brasileira, e que culmina em ambiente de festa e alegria, com a troca das rainhas dos dois bairros, na terça-feira de Entrudo. Para dia 11, pelas 22h00, está agendado o BAILE SOLIDÁRIO promovido pelas Associações do Bairro da Igreja e Cimo do Povo com a AS BAND, no respetivo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Nelas

  De salientar ainda, a Queima do Entrudo, na Quarta-Feira de Cinzas, realizada nas duas vilas do Concelho de Nelas, por cada uma das Associações envolvidas.

O Carnaval do Concelho de Nelas constitui um dos principais cartazes turísticos da região, reforçado pela relevante riqueza patrimonial, paisagística, gastronómica e vínica, o termalismo e hospitalidade própria das gentes do Concelho de Nelas. A organização do Carnaval conta com o apoio da Câmara Municipal de Nelas, Juntas de Freguesia e Corporações dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim e Nelas.

Duas centenas de participantes no Passeio BTT Rota do Queijo em Penalva do Castelo

Durante o certame de homenagem aos pastores e ao queijo da serra, teve lugar neste domingo, 4 de fevereiro, mais uma edição do  Passeio BTT Intitulado Rota do Queijo, com organização dos Bombeiros de Penalva do Castelo.

Apesar do frio que se fez sentir, neste dia, a adesão dos ciclistas e amigos do BTT, foi satisfatória, eram cerca de duas centenas, que percorreram os trilhos das terras de castendo ao longo da manhã.

No final todos os participantes estavam bastante satisfeitos tiveram o privilégio de deslumbrar bonitas paisagens , seguiu-se o almoço convivio entre todos onde trocaram ideias e experiências ao longo da prova, assim  de sobremesa lá estava presente o famoso Queijo da Serra a acompanhar com uns biscoitos tradicionais da região.

A receita angariada com este passeio reverte a favor dos BV Penalva do Castelo com o intuito de fazer face às despesas do seu quartel, em que no final os soldados da paz agradeceram a todos os presentes por participarem mais uma vez.

Fotos:BVPC

Operação Floresta Protegida – Ações de sensibilização

O Comando Territorial da Guarda, através dos seus núcleos de proteção ambiental, em colaboração com os municípios do Sabugal, Seia, Manteigas, Guarda e Almeida, no período de 2 a 4 de fevereiro, realizou várias ações de sensibilização no âmbito da Operação Floresta Protegida.

As ações envolveram cerca de 260 participantes e contaram com presença de presidentes de câmara, juntas de freguesia, elementos dos gabinetes técnicos florestais municipais e equipas de sapadores florestais.

Neste âmbito, militares do Núcleo de Proteção Ambiental de Vilar Formoso participaram na 10ª Feira de Caça, Pesca e Desenvolvimento Rural, em Vilar Formoso, no intuito de apresentar a atividade desenvolvida pelo Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente.

Por:GNR

Limpeza e ordenamento da floresta já é feita pela Freguesia de Germil

Face a toda esta legislação sobre a proteção das florestas, já se vai vendo trabalho a ser desenvolvido, no sentido de proporcionar uma melhor floresta para todos.

Desta forma, a Junta de Freguesia de Germil, no concelho de Penalva do Castelo está a levar a cabo a limpeza e ordenamento da floresta de que é proprietária. Trata-se de um trabalho que vai ser desenvolvido por etapas, considerando os recursos escassos da freguesia, que está a ser coordenado pelo Tesoureiro da Junta de Freguesia, Manuel António Lopes.

Por:FG

Livro “Mangualde desde o pós-Segunda Guerra Mundial (1953-2015). Estado Novo, Democracia e Integração Europeia”,apresentado

Foi lançado neste sábado, dia 3 de fevereiro, o livro “Mangualde desde o pós-Segunda Guerra Mundial (1953-2015). Estado Novo, Democracia e Integração Europeia”, uma obra de João Paulo Avelãs Nunes e Marcos Branco com coordenação de António Tavares. A sessão decorreu a meio da manhã, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mangualde, e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, dos autores João Paulo Avelãs Nunes e Marcos Branco e do coordenador António Tavares.

 A obra é uma monografia historiográfica que pretende contribuir para um melhor conhecimento e para uma compreensão acrescida da evolução de Mangualde – localidade, concelho e região – nas últimas décadas do século XX até aos nossos dias. Trata-se de uma proposta que visa reconstituir e interpretar a história recente de Mangualde que interesse a diversos públicos, mas sem ignorar as exigências da historiografia que predomina na atualidade nos países com regimes democráticos ou demoliberais abertos.

A obra é, por isso, um ensaio historiográfico acerca do tempo presente e é, também, uma forma de comemorar e celebrar Mangualde. É editada pela Câmara Municipal de Mangualde e pela ArqueoHoje.

Por:MM

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar