Templates by BIGtheme NET
Início » Culinária

Culinária

Estatuto de PME Líder 2020 atribuído à “Lacticôa”-Lacticínios do Côa, Lda

Recentemente, a empresa “Lacticôa ”-Lacticínios do Côa, Lda. , sediada no Concelho de Trancoso, foi lhe atribuído o Estatuto de PME Líder 2020 ,na sequência da qualidade do seu desempenho e perfil de risco.”
Mais um ano lhes, foi atribuído esta distinção e a empresa ficou mais uma vez satisfeita e esta distinção representa motivo de orgulho e prometem continuar o seu caminho sempre na obtenção do sucesso.

Informações e Esclarecimentos da AHRESP

Clarificação nos horários de funcionamento de cafés e pastelarias – Após grande insistência da AHRESP, o Governo veio emitir um Despacho interpretativo sobre os horários de funcionamento, determinando que os estabelecimentos similares aos estabelecimentos de restauração, como é o caso dos cafés e pastelarias, podem encerrar à 01,00 hora, não podendo no entanto aceitar novas admissões a partir das 00,00 horas. Esclarece-se ainda que a proibição de grupos de mais de 4 pessoas, até às 20,00 horas, nos estabelecimentos que se localizem num raio de 300 metros a partir de um estabelecimento de ensino, não se aplica aos espaços de restauração e bebidas integrados em empreendimentos turísticos, no caso de serviço a hóspedes ou clientes de outros serviços dos empreendimentos. Consulte o Site AHRESP.

 Venda de álcool nos estabelecimentos – Muitas têm sido as dúvidas levantadas sobre a venda e consumo de álcool nos estabelecimentos de Restauração e Similares. É nosso entendimento que a venda de bebidas alcoólicas no interior dos estabelecimentos é permitida, sem qualquer restrição horária. No serviço de take away  ou entregas ao domicílio, não é permitido o fornecimento de bebidas alcoólicas depois das 23,00 horas. Relativamente às esplanadas, é proibido o consumo de bebidas alcoólicas após as 20,00 horas, exceto se incluídas no serviço de refeições. Caso seja confrontado com diferente entendimento, nomeadamente por parte das forças de segurança, queiram contar os serviços da AHRESP para que seja questionada a respetiva tutela. Consulte o Site AHRESP.

 Novo Despacho interpretativo para eventos corporativos – O Governo emitiu um novo Despacho interpretativo por forma a adaptá-lo às regras da Resolução do Conselho de Ministros que está em vigor até ao próximo dia 30 de setembro. Assim, apesar dos eventos corporativos poderem ser realizados com um número de pessoas superior a 10, estabelece-se que, nas áreas de consumo de bebidas e alimentos integradas no âmbito desses eventos corporativos, aplicam-se as normas previstas para os estabelecimentos de restauração e similares, o que implica a aplicação da regra da ocupação máxima de 10 pessoas por mesa salvo se forem do mesmo agregado familiar. Consulte o Site AHRESP.

Alojamento para estudantes do ensino superior – A AHRESP assinou hoje um protocolo com a Direção Geral do Ensino Superior para que estudantes do ensino superior tenham acesso a alojamento. Na sequência deste protocolo, mais  4.500 novas camas serão disponibilizadas em todo o país através de pousadas da juventude e alojamentos turísticos. Este processo resultou de acordos estabelecidos com a Movijovem e várias estruturas associativas, com o objetivo de serem disponibilizados alojamentos para os estudantes até ao final do ano letivo de 2020/2021 em condições de conforto, qualidade e segurança. Consulte o Site AHRESP.

Segurança Social disponibiliza simulador relativo a cálculo de TSU a pagar durante apoio à retoma progressiva – O prazo de pagamento das contribuições de agosto termina hoje. O simulador que permite fazer o cálculo do crédito correspondente à isenção total e à dispensa parcial do pagamento das contribuições à Segurança Social, conforme aplicável, no âmbito do Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva, está disponível no portal da Segurança Social. Atendendo ao facto de que as Declarações de Remuneração foram declaradas à taxa normal, para calcular quais as contribuições que as empresas devem pagar deve ser deduzido ao valor normal de TSU o valor do crédito estimado correspondente à isenção ou dispensa parcial. Consulte o Site AHRESP.

 Pagamento de impostos por débito direto – A Autoridade Tributária disponibiliza a possibilidade de pagamento por débito direto dos seguintes impostos: IMI, IRS, IRC, IUC e IVA. Também as prestações relativas a planos prestacionais de coimas ou execuções fiscais podem ser pagas por esta via. A cobrança por débito direto é obrigatoriamente precedida de um aviso (exceto no caso do IVA), enviado por SMS ou e-mail, com o valor e data a partir do qual o imposto irá ser cobrado. Consulte o Site AHRESP.

 Programa de Revitalização de Empresas (PRE) disponível para negócios em dificuldade – A AHRESP lançou, em parceria com a MONERIS, uma ferramenta destinada a ajudar as empresas do setor do alojamento turístico e da restauração e bebidas que atravessem dificuldades financeiras e possam estar em risco de encerramento. O PRE faz um diagnóstico da situação económica da sua empresa e apresenta um plano de suporte à reorganização das empresas face às diversas mudanças, tais como: reformulação dos modelos de negócios, capitalização da empresa, novas formas de trabalho e novos modelos de comunicação. Consulte o Site AHRESP.

                                                           MEDIDAS AHRESP

 Salvar postos de trabalho – A AHRESP insiste na necessidade de ser prolongado o regime de lay-off Simplificado, à semelhança do que vem sendo implementado em outros países:

  • O Governo alemão decidiu manter um mecanismo de apoio equivalente ao Lay-off simplificado português até 31 de dezembro de 2021, num esforço para salvar postos de trabalho e prevenir o desemprego;
  • O Governo Francês anunciou recentemente o prolongamento do “chômage partiel longue durée”, o equivalente ao lay-off português até ao verão de 2021. Este mecanismo de apoio ao emprego garante aos trabalhadores 84% do seu salário líquido e permite reduzir os seus períodos normais de trabalho até 40%. Os empregadores são responsáveis por assegurar o pagamento de apenas 15% do salário dos trabalhadores, sendo o restante pagamento assegurado pelo Estado Francês.

Encerramentos por ajuntamento – A AHRESP tomou conhecimento do encerramento durante 14 dias, por parte das autoridades de saúde, de diversos estabelecimentos de restauração e similares em concelhos como a Amadora, que tiveram como justificação a existência de ajuntamentos. A AHRESP apela aos empresários para que informem os seus clientes sobre as regras que devem cumprir, de forma a evitar este tipo de situações nos seus estabelecimentos.

 

 

Beatas no chão passa a dar multa

Deste modo, agora deitar uma beata de cigarro para o chão dá lugar a uma multa, perante a Lei n.º 88/2019 de redução do impacto das pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros no meio ambiente aprova medidas para recolha e tratamento dos resíduos de tabaco e pune com coimas entre 25 e 250 euros quem atirar beatas para a via pública.

Desta forma, as pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco passam a ser equiparadas a resíduos sólidos urbanos e, por isso, fica proibido o seu “descarte em espaço público”.

A lei foi publicada a 3 de setembro de 2019, entrando em vigor no dia seguinte, mas previa um “período transitório de um ano a contar da data da entrada em vigor” para que as entidades pudessem fazer as adaptações necessárias.

AF Guarda leva a efeito cursos de arbitragem

Vão realizar-se sob a egide da AF Guarda, curso de arbitragem, para futsal e futebol, com o objetivo de continuar a rejuvenecer a arbitragem egitaniense. Tem de ter entre 14 e 39 anos e possuir a escola mínima obrigatória.

Inscrições disponiveis:
arbitragem@afguarda.pt
Na sede da AF Guarda
💻 www.facebook.com/arbitragemguarda

O curso tem inicio previsto para outubro de 2020.

Em Nelas, o“Mercadinho de Produtos Agrícolas” é um sucesso

Na sequência de mais um “Mercadinho de Produtos Agrícolas” realizado no passado domingo, dia 02 de agosto, no Mercado Municipal de Nelas, novamente com grande êxito, e que se voltará a realizar em todos os próximos domingos, no mesmo local, entre as 8:00 e as 12:00 horas, os Serviços Sociais da Câmara Municipal de Nelas deram continuidade esta semana à distribuição de fruta e produtos hortícolas pelas famílias mais carenciadas do Concelho de Nelas.

Desta vez foram beneficiadas mais 14 famílias carenciadas, referenciadas nos Serviços Sociais da Câmara Municipal (com o apoio das Juntas de Freguesia), abrangendo 46 pessoas no total, residentes nas Freguesias de Nelas, Canas de Senhorim e Lapa do Lobo, que receberam os 14 cabazes com diversificados produtos hortícolas e fruta.

Desde o começo desta iniciativa em 24 de maio do corrente ano, os Serviços Sociais da Câmara Municipal de Nelas já ajudaram, nestes moldes, 525 pessoas de 185 famílias.

Na próxima semana, prosseguirá a distribuição de mais produtos hortícolas e fruta por outras famílias referenciadas nos Serviços Sociais, de acordo também com as indicações fornecidas pelas Juntas de Freguesia, como se referiu.

Workshop: “Castanhas com Saber e Sabor…” em Trancoso

A Escola Profissional de Trancoso acolheu o Workshop “Castanhas com Saber e Sabor…” ,uma iniciativa contou com a participação de profissionais da gastronomia do concelho.
Este workshop teve como objetivo a introdução de hábitos alimentares saudáveis através da recuperação de receitas usadas em tempos passados. Para tal nada melhor que estes profissionais para introduzirem a castanha no quotidiano alimentar.
Assim, com estas novas técnicas vamos em breve novidades com novos pratos com castanha, na região de Bandarra.

PSD questiona sobre “vespa das galhas do castanheiro”

Em comunicado, o PSD questiona:apesar dos esforços de controlo da praga conhecida como “vespa das galhas do castanheiro”, a verdade é que não tem sido possível controlar esta praga no território nacional. Uma das soluções tem sido o recurso largada do inseto Torymus sinensis, que se tem mostrado a forma mais efetiva de combater a disseminação da doença.

Numa pergunta à ministra da Agricultura, os deputados alertam que “a produção de castanha nacional está ameaçada por uma praga conhecida como ‘vespa das galhas do castanheiro’, cujo agente patogénico é um inseto (Dryocosmus kuriphilus) que provoca um nível de destruição alarmante, onde em países como Itália ou França conduziu a uma quebra na produção na ordem dos 70 a 80%”.

Aliás, segundo o PSD, esta patologia “foi já considerada a mais prejudicial para os castanheiros, particularmente na região mediterrânica, devido à facilidade da propagação”.

Os deputados do PSD Adão Silva, Emília Cerqueira, Isabel Lopes e José Silvano entendem que só “a execução de um plano de ação eficaz que evite os prejuízos incalculáveis que afetam os produtores e toda a cadeia económica da castanha” poderá travar a expansão desta praga.

O PSD defende “o envolvimento dos agentes económicos apoiados pelo poder autárquico e pela administração na divulgação e acompanhamento das ações específicas do respetivo plano, bem como ações complementares no âmbito do PDR2020, como por exemplo as medidas de Prevenção contra agentes Bióticos e Abióticos, direcionadas no controlo do declínio de povoamentos de castanheiro afetados por Phytophthora spp., Cryphonectrica parasitica e Dryocosmus kuriphilus (com critérios específicos na seleção das candidaturas)”.

Portugal é um dos dez maiores produtores mundiais de castanha, sendo o terceiro maior produtor europeu.  A produção nacional concentra-se especialmente na região de Trás-os-Montes, tendo também algum significado a Beira Interior e o Alto Alentejo. A qualidade da castanha nacional, reconhecida nas Denominações de Origem Protegida (DOP), tem sido só por si um elemento de vantagem comparativa no mercado internacional.

 

O PSD pergunta:

  1. No âmbito da operação “Prevenção contra agentes Bióticos e Abióticos (8.1.3.)” do PDR 2020, quais os resultados do 4º anúncio que decorreu entre 10 de abril e 30 de setembro de 2019? Quantas são referentes aos municípios do distrito de Bragança? Para o 5º anúncio, cuja primeira fase decorre até ao final do mês de junho, quando se prevê a divulgação das candidaturas e respetivo apoio?
  2. Quantas candidaturas foram apresentadas no sentido de controlar o declínio de povoamentos de castanheiro afetados por Phytophthora spp., Cryphonectrica parasitica e Dryocosmus kuriphilus, ao abrigo da operação “Prevenção contra agentes Bióticos e Abióticos (8.1.3.)” do PDR 2020? Quantas estão por analisar? Quantas estão por liquidar os respetivos apoios? Quantas são referentes a municípios do distrito de Bragança?
  3. Qual a razão que tem motivado o Ministério da Agricultura a restringir as largadas da mosca parasita usada na luta biológica, em 2020?
  4. Qual o balanço da execução do plano de ação nacional para controlo do inseto Dryocosmus kuriphilus (vespa das gralhas do castanheiro)? Qual a estratégia futura para apoiar a fileira da castanha nos desafios ao nível da fitossanidade?

AHRESP publica Guia de Boas Práticas para apoiar a reabertura da Restauração e Bebidas

A AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal acaba de disponibilizar o Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas. O documento, disponível no website da Associação para todos os empresários com atividade de restauração e bebidas, resulta de um intenso trabalho entre o Ministério da Economia, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e a própria AHRESP.

Este Guia de Boas Práticas, validado no âmbito do Protocolo de Cooperação assinado esta terça-feira (12/05) entre a AHRESP e a DGS, na presença do Primeiro-Ministro António Costa, pretende ser um documento de apoio à operacionalização das recomendações de saúde, higiene e segurança da Direção-Geral da Saúde, no momento atual de combate ao contágio e propagação do coronavírus SARS-COV-2.

O documento inclui recomendações sobre o layout e capacidade dos estabelecimentos, fardamento e equipamentos de proteção individual, técnicas e materiais de limpeza, preparação e confeção de alimentos e ainda requisitos específicos para self-service, buffet, take away, delivery e drive-in, entre outros.

Para esclarecer as dúvidas e explicar a importância do Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas, a AHRESP organiza esta sexta-feira (15/05), entre as 10 e as 12 horas, um Webinar em direto na sua página do YouTube. A abertura do Webinar ficará a cargo do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

Complementarmente ao Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas, e como forma de reforçar o apoio à operacionalização da reabertura, a AHRESP lançará nos próximos dias, um conjunto de vídeos didáticos sobre as várias medidas que devem ser adotadas pelos estabelecimentos, assim como uma lista de Perguntas e Respostas Frequentes e documentos de apoio à capacitação dos colaboradores.

Canal YouTube AHRESP: www.youtube.com/AHRESP

Website AHRESP: www.ahresp.com

Acesso condicionado ao Mercado Municipal da Guarda

 Para evitar possíveis contágios de COVID-19 e para garantir as normas de segurança na frequência ao Mercado Municipal, a Câmara da Guarda procedeu a alterações na orgânica do Mercado para garantir o funcionamento do espaço em segurança. Assim, optou-se pela redução de tempos de espera dos clientes e pela diminuição do número de pessoas na envolvente do Mercado, evitando aglomerados de pessoas. 

Com o levantamento gradual das medidas de confinamento, o Mercado Municipal volta, aos poucos, ao seu normal funcionamento.

A  partir da manhã deste sábado, estão de regresso ao Mercado os vendedores de produtos do Vale do Mondego, cuja venda de produtos continuará a ser feita todas as quartas e sábados. 

A abertura do Mercado Municipal está, no entanto, condicionada ao cumprimento de todas as normas e recomendações veiculadas pela Direção Geral de Saúde. Tendo os comerciantes que seguir um conjunto de normas de funcionamento específicas, que visam garantir as condições de segurança e higiene no exercício da sua atividade.

As marcações no chão, em frente a cada local de venda, assegurarão a distância física entre clientes, vendedores e  produtos alimentares ou a redistribuição dos vendedores por várias zonas do Mercado, criando mais espaço entre os vendedores, são algumas das novas condições.

Está também prevista uma circulação diferente de clientes, uma vez que serão criadas duas entradas diferentes. A principal para o mercado no geral e uma outra na zona de cais (cargas e descargas) para o público que pretenda comprar hortícolas para plantação e aves de criação.

É ainda obrigatório o uso de máscara para entrar e circular no Mercado. O Município disponibiliza nas entradas do edifício solução alcoólica para desinfeção das mãos.

Haverá ainda condicionamento à entrada de pessoas no edifício, limitado a 30 clientes na zona de venda produtos alimentares e a 8 clientes na zona de venda de plantas hortícolas e aves de criação.

foto:DR

Queijo de cabra curado(Queijaria Artesanal Serras do Mondego) recebe medalha de Ouro a nível Nacional

Teve lugar um concurso a nível nacional em Santarém, onde o CNEMA-Centro de Exposições e Mercados Agrícolas e a Qualifica/oriGIn Portugal elegeram  os melhores produtos tradicionais em Portugal  e  promoveram os diversos produtos nos  concursos.

Deste modo, a Queijaria Artesanal Serras do Mondego de Ana Patrícia Martins da Matança, Fornos de Algodres, foi contemplada com a Medalha de Ouro, na categoria de queijos curados tradicionais.

Desta forma, o Queijo Picante da Beira Baixa produzido pela Queijaria Lourenço, de Vila Velha de Rodão, ganhou o prémio Melhor dos Melhores no 10º Concurso Nacional de Queijos Curados Tradicionais Portugueses que o CNEMA realizou em conjunto com a Qualifica/oriGIn Portugal .

Recorde-se que o objectivo principal do Concurso foi premiar, promover, valorizar e divulgar os genuínos Queijos Curados Tradicionais Portugueses, alguns deles já com Nomes Qualificados.

Assim no 10º Concurso Nacional de Queijos curados Tradicionais Portugueses  a Medalha de Ouro foi para o Queijo de cabra curado  das Serras do Mondego – Queijaria Artesanal de Ana Patrícia Perregil Martins.

Leite cru, sal e cardo. Sangue, suor e lágrimas assim se faz este produto agora galardoado a nível nacional.
Segundo a produtora Ana Patrícia Martins refere:“Ainda que indirectamente estes são, também, os ingredientes do nosso trabalho. O esforço e o empenho, a luta e as pequenas batalhas interiores, os sonhos e as metas traçadas são diariamente postos à prova, e nesta fase ainda mais. Mas, felizmente, são também recompensados. E que bem recompensados foram este ano! Não só pela medalha de ouro, mas, acima de tudo, pelos nossos clientes e amigos”. A produtora mostrou-se radiante dizendo:”Porque, não desfazendo o orgulho enorme que é receber uma medalha de ouro num concurso como este, são os pequenos elogios, os sorrisos, as partilhas, o apoio e os comentários daqueles com que nos relacionamos, próximos ou distantes, que fazem realmente valer a pena todo o trabalho que fazemos!
A eles o nosso obrigado. A eles dedicamos, também, este reconhecimento nacional. Por eles estamos aqui todos os dias, mesmo quando as forças já faltam. Sem eles não seríamos ouro, não seríamos bronze… não seríamos nós”.

 

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar