Templates by BIGtheme NET
Home » Vila Franca da Serra

Vila Franca da Serra

GNR- Atividade Operacional diária

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de ações policiais, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sexta-feira e as 08h00 de hoje, sábado. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

  1. Detenções: 36 detido sem flagrante delito, destacando-se:
  • 17 por condução sob o efeito do álcool;
  • Sete por condução sem habilitação legal;
  • Três por furto;
  • Três por resistência e coação;
  • Três por de tráfico de estupefacientes;
  • Um por posse de arma proibida;
  • Um por violência doméstica.

 

  1. Apreensões:
  • 2.580.000 doses de haxixe;
  • 2,4 doses de cannabis;
  • 0,6 doses de liamba;

 

  1. Trânsito:

Fiscalização603 infrações detetadas, destacando-se:

  • 278 por excesso de velocidade;
  • 41 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 34 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 24 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 17 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 15 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;
  • 11 por excesso de carga;
  • Seis relacionadas com tacógrafos.

Sinistralidade: 39 acidentes registados, destacando-se:

  • 1 morto;
  • 2 feridos graves;
  • 17 feridos leves.

 

PSD solicita ao Governo apoios extraordinários para os agricultores

Em comunicado, o PSD solicita apoios para os agricultores devido à queda de granizo resultante da trovoada forte nas regiões do Norte e Centro do país arruinaram as culturas anuais e permanentes nos sectores da fruticultura e viticultura e, nalguns casos, comprometeram a produção agrícola em 2020 e nos anos seguintes.

Nesse sentido, os deputados do PSD acabam de entregar no Parlamento um projeto de resolução que recomenda ao Governo que “disponibilize apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola”.

Na iniciativa, o PSD sublinha que “este fenómeno climatérico veio agravar ainda mais as produções de prunóideas (ameixeiras, cerejeiras, pessegueiros, damasqueiros) em 2020, que já registavam quebras de produção (toneladas) face a média dos anos anteriores, e na cereja foi superior a 70%”. No caso das pomóideas (culturas de pomos, como maçãs, peras e nêsperas) e da vinha “sofreram igualmente prejuízos ao nível do fruto, embora não maturado, comprometendo as suas produções agrícolas nos meses de verão, bem como as explorações de frutos de baga (mirtilo)”.

O PSD lembra que o temporal de domingo “destruiu ainda as hortícolas em explorações pequenas e familiares, representando um problema grave na economia local e um risco para o território, mais exposto ao abandono, à falta de coesão territorial e à perda de biodiversidade ambiental”.

Recorde-se que o ano de 2020 tem sido também caraterizado por um conjunto de novos desafios com implicações no sector do agroalimentar, como “as alterações profundas que a pandemia, causada pela covid-19, provocou ao nível da oferta e procura de certos alimentos, a par de novas e exigentes condicionantes no sistema produtivo e na incerteza quanto ao investimento futuro”.

“Perante a gravidade das situações causadas pela destruição climatérica e as consequências futuras na economia das regiões, o grupo parlamentar do PSD considera que o Governo deve acompanhar e avaliar os melhores instrumentos financeiros e administrativos disponíveis para intervir, no sentido de minorar os impactos sociais e económicos a nível territorial e nacional. O PSD, defensor de um sistema de seguros agrícolas adequados às inúmeras produções e tipo de explorações, considera que os fenómenos climatéricos como este devem motivar a política pública a reforçar os instrumentos nacionais e comunitários (ao nível do PDR 2020 e do futuro QCA) que promovam a adesão ao sistema de seguros agrícolas e fundos mutualistas, tornando-os mais universais e consequentemente mais atrativos para os agentes”, referem.

No projeto de resolução, o PSD defende, além do apuramento exaustivo dos prejuízos causados pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro, a possibilidade de o Governo “criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie”.

Os deputados social-democratas propõem ainda medidas de caráter “fiscal”, nomeadamente a isenção de contribuições para a Segurança Social “durante um determinado período de tempo” para estes agricultores e a captação de “instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente adequados à realidade nacional” no âmbito das negociações da Política Agrícola Comum (PAC).

O PSD recomenda:

  1. Proceda de forma célere a um levantamento exaustivo dos prejuízos causado pelo temporal de 31 de maio em regiões do Norte e Centro do país, nas diversas produções agrícolas;
  2. Avalie e estude a possibilidade de declarar a situação de calamidade pública para as principais regiões afetadas pela tempestade e consequentemente mobilize os instrumentos necessários;
  3. Disponibilize um apoio financeiro de emergência aos agricultores afetados por esta intempérie, de forma a minorar os prejuízos decorrentes da destruição na produção agrícola e a apoiar a reposição do potencial produtivo, através dos atuais programas comunitários em vigor (PDR 2020), nomeadamente nas medidas 6.2.1. e 6.2.2. (prevenção de calamidade e catástrofes naturais e reposição do potencial produtivo);
  4. Pondere a possibilidade de criar uma linha de crédito bonificada direcionada para os produtores das regiões mais afetadas pela intempérie que tenham de repor o potencial produtivo;
  5. Avalie a possibilidade de isentar os produtores agrícolas afetados na totalidade do seu rendimento agrícola por esta intempérie de contribuições para a Segurança Social durante um determinado período de tempo;
  6. Defenda no âmbito das negociações da PAC instrumentos de gestão de crise e de risco robustos financeiramente e adequados à realidade nacional.

“A Vida é Agora” filme do Turismo Centro Portugal reconhecido em Riga

O filme “A Vida é Agora”, inserido na campanha de promoção que o Turismo Centro de Portugal tem atualmente em curso, acabou de ser reconhecido como um dos melhores filmes a concurso no 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga”, que decorreu em Riga, capital da Letónia. O filme, produzido pela Slideshow para o Turismo Centro de Portugal, foi o grande vencedor na categoria “Destinos Turísticos – Região”.

O novo filme foi apresentado, em estreia, numa televisão portuguesa e nas plataformas de comunicação do Turismo Centro de Portugal.

A mensagem de “A Vida é Agora” é de esperança e de renascimento. O mundo despertou em 2020 para uma nova realidade, imposta pela pandemia Covid-19. O filme pretende, de forma leve, original e divertida, assinalar o ressurgir de uma nova etapa da humanidade. Com otimismo, com alegria, com vontade, mas sobretudo, em segurança.

É também uma homenagem a todos os que foram os verdadeiros heróis nesta pandemia, num elogio à resiliência dos profissionais de saúde e de todos os portugueses – os que continuaram a trabalhar e aos que ficaram em casa –, num esforço comum para que fosse possível superar esta crise sanitária de contornos mundiais.

Ao mesmo tempo, recorrendo a metáforas e a muito simbolismo, o filme promove alguns dos principais ativos turísticos do Centro de Portugal.

Este é um filme diferente. A estreia estava inicialmente prevista para a Bolsa de Turismo de Lisboa 2020, que não se realizou, mas a verdade é que a mensagem de esperança e de otimismo que está na base do filme ganhou um alcance totalmente novo com a crise que enfrentamos. É um filme que nos mostra que a vida continua, apesar de todas as dificuldades, pelo que está perfeitamente alinhado com os tempos que vivemos, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

“Estamos orgulhosos da mensagem do filme e muito satisfeitos com este prémio que conquistou em Riga. Temos a certeza de que será a primeira de muitas distinções”, acrescenta.

“A Vida é Agora” é um novo momento da campanha de esperança lançada pelo Turismo Centro de Portugal no início da fase aguda da pandemia. Uma campanha que já resultou nos filmes “Haverá Tempo”, “Juntos Construímos o Futuro” (este realizado com contributos de viajantes na região) e “Chegou o Tempo”, entre outras iniciativas, e que tem como objetivo posicionar o Centro de Portugal como um destino seguro, a visitar no próximo verão.

O 13.º Festival Internacional de Filmes de Turismo “TourFilm Riga” realizou-se este ano sem a participação física dos competidores, devido à situação internacional. Os vencedores, entre os 305 filmes a concurso, oriundos de 45 países, foram anunciados online, no site do certame.

Pode ver o filme “A Vida é Agora”, realizado por Simão Lopes e Tiago Cardoso, nesta ligação: https://youtu.be/j1J5Lif0Rmw.

Serra da Estrela, um destino em estado puro, visite-nos!!!!

Está em curso uma Campanha promocional turística dinamizada pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela , no sentido de atrair turistas a toda a comunidade. Este é o slogan que vai chegar a todos, por todo lado.

“Estamos prontos! Este Verão viaje para longe das filas, dos semáforos, das multidões. Este Verão aproveite o melhor que a natureza tem para lhe dar, sem ter que esperar pela sua vez. Com uma das zonas verdes mais vastas do país, a Serra da Estrela é um destino em estado puro, onde há lugar reservado para todos aqueles que nos queiram visitar”.

 Se estiver a organizar as suas férias ou fim de semana, planeie uma fuga da cidade, uma escapadinha romântica, uma viagem familiar à natureza, ou um encontro com a cultura, a Serra da Estrela é o lugar para se estar nesta época do ano.

Depois dos meses conturbados que se viveram, as férias precisam ser perfeitas. Chegou o tempo. Esta é a altura de descobrir a melhor e mais bonita paisagem portuguesa.

É na Serra da Estrela que pode encontrar a montanha mais alta de Portugal Continental. Marcada pela natureza, beleza paisagística, desníveis montanhosos, rotas, rios e vales glaciares, onde os 1993 metros de altitude nos colocam mais perto do céu, do paraíso possível na Terra.

E a serra não é só a serra. Nunca é. É a soma de todos os territórios que a rodeiam, sustentam e engrandecem, que permitem uma experiência inesquecível e completa, repleta de sensações e sabores, cultura e história, natureza e aventura, saúde e bem-estar no seu estado mais puro.

Aceda ao website: www.visiteserradaestrela.com, conheça os  roteiros e tenha acesso às promoções pois chegou o tempo de planear as suas férias cá dentro!

São muitos os motivos para visitar a Serra da Estrela: No  site pode escolher um dos Roteiros Sensações e Sabores, que o leva durante 3 dias pelos municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Celorico da Beira, Trancoso e Pinhel. Inicie a sua aventura, em Fornos de Algodres, a aprender a confecionar o pão de urtigas. Almoce em Folgosinho, onde pode degustar um magnífico cabrito assado no forno e contemplar a deslumbrante paisagem do vale médio do Mondego. No dia seguinte, explore a Aldeia Histórica de Linhares da Beira, com o seu esplendoroso castelo (monumento nacional), e passe pelo Solar do Queijo da Serra da Estrela para saborear o verdadeiro queijo. Termine o dia em Trancoso, a percorrer o Centro Histórico, que reúne um imponente conjunto de muralhas e um Castelo milenar. O terceiro dia é destinado a experienciar o magnífico vinho produzido pelas gentes de Pinhel.

Puro de Sensações e Sabores

A natureza, aliada ao melhor e mais puro que a terra nos dá, faz das Beiras e Serra da Estrela uma região que se distingue do país pela sua gastronomia. Que região se pode gabar de ter um pouco de tudo, com qualidade reconhecida? O pão e o azeite (no nosso site pode conhecer a Rota do Azeite – da azeitona ao líquido dourado que nos aquece a comida e o corpo) a amêndoa, a castanha, a cereja (o Verão é vermelho da cereja do Fundão), a maçã, o pêssego, o cabrito e o borrego assados, os enchidos, o queijo (chegou a hora de conhecer e provar os melhores DOP do mundo), o requeijão (que deve aliar a um bom doce de abóbora – um segredo que podemos deixar escapar) e os vinhos da Beira Interior, Dão e Douro.

Há uma iguaria para todos os gostos. E se quiser saber mais, existem diversos espaços museológicos e interpretativos, como é o caso do Museu do Pão, Queijo e Azeite, que permitem ir mais além na experiência de saborear.

 

Puro de Cultura e História

As históricas Aldeias de Portugal, Aldeias do Xisto, Aldeias de Montanha, Castelos, Espaços Museológicos e Culturais, Rede de Judiarias e Património material e imaterial de matriz cristã são parte de uma oferta rica em autenticidade, ruralidade, identidade e tradição.

Este Verão, pode aproveitar e fazer a Rota dos Castelos. Comece o itinerário pelas aldeias de Castelo Mendo e Castelo Bom, até parar na Aldeia Histórica de Almeida. Na saída, Castelo Rodrigo acompanha-o no seu caminho para visitar a aldeia cor de barro. Chega a Pinhel, perca-se ali, começando por Cidadelhe.

Não pode deixar de visitar a Sé Catedral da Guarda e a terra natal de Pedro Álvares Cabral. O navegador e explorador português que descobriu oficialmente o Brasil partiu verdadeiramente de Belmonte. A vila medieval, de herança judaica dos últimos judeus sefarditas em Portugal, está lá quase intacta para o receber.

Puro de Natureza e Aventura

Os recursos naturais e paisagísticos, como o Parque Natural da Serra da Estrela (onde tem 25 lagoas para uma paragem refrescante), a reserva Natural da Malcata, a paisagem protegida da Serra da Gardunha, o Parque Natural do Douro Internacional, o Parque Ecológico de Gouveia, um espaço interativo onde se sente a natureza, e onde se aprende a respeitar o ambiente.

Se procura algo mais relaxante, ou algo mais intenso, este é o sítio.

Por um lado, as experiências específicas de baixa intensidade física, que permitam contemplar, desfrutar e conhecer a natureza a as suas paisagens idílicas.

Por outro, é o destino certo para realizar atividade de desporto e aventura em contextos únicos de beleza natural e sustentabilidade. A diversidade e magnitude dos recursos naturais permitem à nossa região estar aqui nas quatro estações do ano à sua espera. São poucas as regiões que assim são! Aproveite. São muitos os roteiros que pode fazer.

Puro em Saúde e Bem Estar

As férias sempre serviram para recarregar baterias. A preocupação com a saúde e bem-estar tem vindo, no entanto, a aumentar. Adotar um estilo de vida saudável começa aqui.

Nas Beiras e Serra da Estrela encontra um vasto conjunto de SPAs – alguns deles ligados às estâncias Termais – de excelente qualidade, vocacionados para o relaxamento do corpo e da alma. O ambiente puro e de paz que aqui se vive, a tranquilidade sublime das nossas gentes e ambientes são o plano de fuga perfeito ao stress do quotidiano. Deixe-se encantar pelos SPAs do Fundão, Seia e Fornos de Algodres, as massagens e banhos quentes na Covilhã, as estâncias termais de Manteigas e Sabugal e os tratamentos relaxantes de Belmonte e Mêda.

Este território tem todas as condições para a prática do climatismo devido aos recursos naturais, a qualidade do ar e ambiente. A vida em estado puro proporcionando um microclima com propriedades curativas, benéficas e favoráveis à recuperação e melhoria de certas doenças e patologias.

Se é para descansar, considere um dos nossos Roteiro Saúde e Bem-estar nos concelhos da Covilhã, Manteigas e Fundão, durante 3 dias, disponível no site. Encontre o equilíbrio com uma experiência de yoga no Natura Glamping. Caminhe pelo Jardim Botânico de Montanha e revigore o corpo e espírito no SPA Termas de Manteigas.

Sentir e Viver a Serra da Estrela – um destino em estado puro – é trazido até si pela Comunidade Intermunicipal da Beiras e Serra da Estrela. Esta associação de âmbito territorial visa a realização de interesses comuns aos 15 municípios que nele estão integrados: Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Gouveia, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.

Ainda encontre promoções até 30% na reserva de alojamentos e restaurantes.

 

AHRESP publica Guia de Boas Práticas para apoiar a reabertura da Restauração e Bebidas

A AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal acaba de disponibilizar o Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas. O documento, disponível no website da Associação para todos os empresários com atividade de restauração e bebidas, resulta de um intenso trabalho entre o Ministério da Economia, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e a própria AHRESP.

Este Guia de Boas Práticas, validado no âmbito do Protocolo de Cooperação assinado esta terça-feira (12/05) entre a AHRESP e a DGS, na presença do Primeiro-Ministro António Costa, pretende ser um documento de apoio à operacionalização das recomendações de saúde, higiene e segurança da Direção-Geral da Saúde, no momento atual de combate ao contágio e propagação do coronavírus SARS-COV-2.

O documento inclui recomendações sobre o layout e capacidade dos estabelecimentos, fardamento e equipamentos de proteção individual, técnicas e materiais de limpeza, preparação e confeção de alimentos e ainda requisitos específicos para self-service, buffet, take away, delivery e drive-in, entre outros.

Para esclarecer as dúvidas e explicar a importância do Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas, a AHRESP organiza esta sexta-feira (15/05), entre as 10 e as 12 horas, um Webinar em direto na sua página do YouTube. A abertura do Webinar ficará a cargo do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

Complementarmente ao Guia de Boas Práticas para a Reabertura dos Estabelecimentos de Restauração e Bebidas, e como forma de reforçar o apoio à operacionalização da reabertura, a AHRESP lançará nos próximos dias, um conjunto de vídeos didáticos sobre as várias medidas que devem ser adotadas pelos estabelecimentos, assim como uma lista de Perguntas e Respostas Frequentes e documentos de apoio à capacitação dos colaboradores.

Canal YouTube AHRESP: www.youtube.com/AHRESP

Website AHRESP: www.ahresp.com

Diretiva Financeira para 2020 aprovada pelo Governo

DECIR, DICSE, DIOPS e ANEPC com valores definidos para 2020

Teve lugar nesta, quarta-feira, a aprovação pelo Governo da Diretiva Financeira para o ano de 2020.

A Diretiva Financeira regula a elegibilidade e comparticipação das despesas resultantes da intervenção dos corpos de bombeiros no âmbito dos três dispositivos permanentes da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC): Dispositivo Integrado de Operações de Proteção e Socorro (DIOPS), Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) e Dispositivo Conjunto de Proteção e Socorro na Serra da Estrela (DICSE).

O documento regista diversas alterações face ao de 2019, das quais se destaca o aumento do valor dos montantes diários a transferir para o pessoal dos corpos de bombeiros, de 50 para 54 euros. Este valor corresponde a um aumento de 8% em relação a 2019 e visa compensar a especial disponibilidade dos bombeiros e a fragilidade financeira em que se encontram, em contexto de combate à pandemia da COVID-19.

A Diretiva Financeira para este ano contempla ainda um aumento de 10% no valor da comparticipação com alimentação do pessoal dos corpos de bombeiros e passa a incluir essas despesas no período de ativação do DICSE.

No âmbito do Plano de Operações Nacional para o Coronavírus (COVID-19) – PONCoV, da ANEPC, foram incluídas na Diretiva Financeira as despesas que venham a resultar da ativação do dispositivo de reforço ao socorro e apoio sanitário. São também abrangidas as despesas realizadas nas Bases de Apoio Logístico de modo a garantir o cumprimento das normas estabelecidas para minorar o risco de contágio e de propagação da doença COVID-19.

O DECIR 2020 prevê uma mobilização de 11.827 operacionais no período de maior empenhamento, entre 1 de julho e 30 de setembro, dos quais 5.660 são bombeiros.

Em 2019, as despesas com pessoal dos corpos de bombeiros, no âmbito do DECIR, ascenderam a cerca de 26 milhões de euros, enquanto as despesas com alimentação totalizaram cerca de 800 mil euros. As despesas com reposições e reparações de veículos, bem como despesas com danos com equipamentos, ascenderam a um montante aproximado de 7,5 milhões de euros.

A Diretiva Financeira, que entra em vigor às 00h00 do dia 15 de maio, foi aprovada pela Secretária de Estado da Administração Interna, após audição da Liga dos Bombeiros Portugueses.

Bandas de música, cantores e grupo de música necessitam de apoio para manter atividade

Muito se fala em apoios aos mais diversos setores da comunidade, mas a parte cultural continua à espera de soluções, se não vejamos.

Anualmente , as bandas filarmónicas, cantores e grupos de música diversas encontram-se em crise profunda, dado que devido à pandemia Covid-19, a Conferência Episcopal cancelou atos religiosos, o Governo cancelou Festas e concertos populares, logo todas estas coletividades, têm prejuízos avultados, pelo cancelamento desses eventos.

Os Municípios anualmente vão apoiando, mas este ano, o Governo, através do Ministério da Cultura, canalizarem apoios financeiros para fazer face a estas dificuldades.

Por parte da Conferência Episcopal deveriam ser oferecidas as licenças das Dioceses para as atuações em atividades religiosas, pelos Municípios e Comissões de Festas procurarem assegurar as festividades de 2020 para 2021.

Assim vamos ver as medidas que possam ser tomadas com alguma urgência, sob pena de a vertente cultural ficar mais pobre.

GNR Guarda entrega 2900 peças de vestuário e calçado a instituições do distrito

 O Comando Territorial da Guarda vai entregar, durante os dias 7 e 8 de maio, nas suas instalações, 2 900 peças de vestuário e calçado, perdidos a favor do Estado, às lojas sociais ou gabinetes de ação social dos 14 municípios do distrito da Guarda.

No decorrer da atividade operacional desenvolvida pelos militares da Guarda, foi apreendido diverso material contrafeito que, por decisão judicial, foi declarado perdido a favor do Estado. Na sequência desta decisão, desenvolveu-se uma iniciativa solidária para distribuir o vestuário e o calçado por diversas instituições de solidariedade social, uma ação que assume especial relevância, uma vez que na área de responsabilidade do Comando Territorial da Guarda se verifica o aumento das dificuldades junto da população mais desfavorecida, provocadas pela situação de pandemia que se vive. Irão participar no evento as lojas sociais dos municípios do distrito.

Face às restrições impostas pela Situação de Calamidade e, para evitar um grande aglomerado de pessoas no mesmo espaço físico, o processo de distribuição será efetuado em dois dias e horários distintos.

 

Covid-19- Testes nas IPSS´s e Creches do concelho de Gouveia

Mais de 448 testes foram efetuados em todas as IPSS´s do concelho, agora o Município de Gouveia irá também assegurar a realização de testes em todas as creches.

Desta forma, o Município de Gouveia irá, em articulação com a Segurança Social, assegurar a realização de testes de despiste e diagnóstico ao COVID-19 a todos os funcionários e colaboradores das creches do concelho de Gouveia, assumindo 50% dos custos.

Em resultado das recentes medidas de desconfinamento do Governo, onde se inclui a reabertura das creches, agendada para dia 18 de maio (segunda-feira), o Município de Gouveia entendeu implementar, como medida preventiva, a realização de testes aos trabalhadores daquelas instituições.

Nesse sentido, encontram-se a ser testadas as seguintes instituições: Fundação A Nossa Casa (8 testes); Associação de Beneficência Cultural e Recreativa de Lagarinhos (3 testes); Associação de Beneficência Popular de Gouveia (11 testes); Casa do Povo de Vila Nova de Tazem (7 testes); Centro de Assistência, Cultura e Recreio de Paços da Serra (4 testes) e Fundação Laura dos Santos (7 testes).

Recordamos, para além disso, que a autarquia já tem vindo a assumir integralmente os custos da realização de testes a funcionários e profissionais das IPSS’s do concelho, sempre que cada equipa ou turno de colaboradores (a funcionar em espelho) entra ao serviço, tendo, até à data, realizado mais de 284 testes.

No Lar da Santa Casa da Misericórdia de Gouveia, único foco de infeção do concelho, para além dos funcionários da instituição, também os utentes foram testados em duas rondas de testes, tendo sido realizados 164 testes.

Esta medida surge como mais uma das iniciativas preventivas que a autarquia tem vindo a implementar para proteger a população, em especial os grupos mais vulneráveis, com o propósito de assegurar a contenção do contágio.

Salientamos, também, que o Município de Gouveia tem procurado acompanhar todas as instituições do concelho, sobretudo no que diz respeito às necessidades especiais que se têm vindo a verificar no atual contexto.

“Alimente quem o alimenta” – Plataforma on-line para a Agricultura de proximidade

O Ministério da Agricultura, em parceria com os seus organismos, com os Grupos de Ação Local e com os Municípios, lançou a plataforma “Alimente quem o alimenta”, gerida pela Rede Rural Nacional, a partir da qual:

– Qualquer produtor, de forma simples e rápida, poderá efetuar o seu registo para, posteriormente, anunciar os seus produtos e quais os cabazes disponíveis para encomenda/entrega (e condições associadas);

– Qualquer consumidor, com conforto e segurança, poderá pesquisar por concelho e por produtos (biológicos ou não), identificando os produtores da sua região e encomendando os seus produtos.

As plataformas de lojas on-line existentes podem também aderir a esta plataforma, para divulgar produtores em circuitos curtos, que têm cabazes que vendem na exploração, ou que entregam, ou vendem em mercados locais.

Atendendo ao impacto da pandemia da Covid-19, e aos comportamentos responsáveis daí resultantes, a plataforma “Alimente quem o alimenta” visa incentivar o consumo de produtos locais e o recurso aos mercados de proximidade (encurtar a distância entre produtor e consumidor), de forma a agilizar o escoamento dos produtos agroalimentares locais.

Para fazer a sua inscrição deve aceder ao link : https://www.alimentequemoalimenta.pt/.

Para eventuais esclarecimentos poderá contactar a ADRUSE através do email adruse@adruse.pt ou do número 238490180.

Fonte:Adruse

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar