Templates by BIGtheme NET
Home » Celorico da Beira » Queijo da serra com certificação

Queijo da serra com certificação

A adesão de produtores de queijo Serra da Estrela
ao processo de certificação que garante a qualidade do produto
produzido naquela região demarcada está aumentar, visando a consolidação
junto dos consumidores. “Temos 21 produtores a produzir o queijo com
certificação nos concelhos de Celorico da Beira, Fornos de Algodres,
Trancoso, Gouveia, Seia, Oliveira do Hospital, […]
A adesão de produtores de queijo Serra da Estrela ao processo de
certificação que garante a qualidade do produto produzido naquela região
demarcada está aumentar, visando a consolidação junto dos consumidores.

“Temos 21 produtores a produzir o queijo com certificação nos
concelhos de Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Trancoso, Gouveia,
Seia, Oliveira do Hospital, Nelas e Penalva do Castelo”, disse à agência
Lusa Célia Henriques, técnica da Estrelacoop – Cooperativa dos
Produtores de Queijo da Serra da Estrela, com sede em Celorico da Beira.

Segundo a responsável, ultimamente “tem aumentado a adesão dos
produtores à certificação” e, só no último ano, “aderiram quatro”.

A técnica da entidade gestora do processo de certificação observou
que o número de queijarias certificadas tem vindo a aumentar porque a
qualidade do produto fica assegurada junto do consumidor.

“O certificado fica mais caro para quem produz e também para o
consumidor, mas tenho sempre o escoamento garantido”, disse o produtor
Júlio Ambrósio, de Prados, Celorico da Beira.

A certificação tem mais encargos para o produtor, mas acaba por ser
“uma segurança para o comprador, porque sabe o que compra”, sublinhou.

Nem todos os produtores, porém, valorizam a certificação, por representar mais gastos.

“Neste momento não estou a certificar. Já certifiquei e poderei
voltar a certificar. Deixei de o fazer porque temos custos acrescidos
com a certificação e, depois, não é valorizado pelo mercado”, justificou
Élio Silva, de Seia.

Entretanto, apesar de haver menos rebanhos na região e de a produção
leiteira ser menor, a feitura de queijo não diminuiu, porque o leite de
ovelha está a ser canalizado para a produção artesanal, dado que as
fábricas estão a optar por comprá-lo em Espanha.

“A produção de queijo Serra da Estrela tem sido à volta de 120 mil unidades por ano”, adiantou Célia Henriques, da Estrelacoop.

Nos 18 concelhos que integram a região demarcada de produção existem
cerca de 80 mil ovelhas das raças Serra da Estrela ou churra bordaleira,
segundo dados da Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da
Estrela (ANCOSE), que tem 3.500 associados.

Algumas das queijarias tradicionais, que estão a utilizar a
denominação de origem “utilizam só o leite da sua exploração, mas outras
já recorrem a leite dos vizinhos que deixaram de fazer queijo”, indicou
Rui Dinis, secretário executivo da ANCOSE.

O pastor Norberto Pereira, 29 anos, de Vila Ruiva, Fornos de
Algodres, tem 88 ovelhas e sempre vendeu o leite para um produtor
artesanal, justificando a opção por “não ter condições para fazer o
queijo”.

A região demarcada de produção do queijo Serra da Estrela integra os
concelhos de Guarda, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Gouveia,
Manteigas, Seia, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo, Mangualde,
Covilhã, Carregal do Sal, Nelas, Trancoso, Aguiar da Beira, Arganil,
Tábua, Tondela e Viseu.

Fonte:  Lusa in Agroportal

Enviar Comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar