Templates by BIGtheme NET
Home » Economia » Fornos de Algodres foi pioneiro no projeto de empreendedorismo

Fornos de Algodres foi pioneiro no projeto de empreendedorismo

         Sabugal e outros seguiram as pisadas

Nos últimos tempos, o Empreendedorismo tem sido o tema de muitas conversas por todo Portugal, e na região do interior do País também não foi exceçãIMG_4313o.

Fornos de Algodres foi o pioneiro deste trabalho, com o intuito de dar mais vida a muitos jovens recém-licenciados que querem fixar-se na sua terra natal.

Foi então desenvolvido um programa de “ Empreendedorismo Estratégico e Desenvolvimento Regional”, onde todos os empreendedores foram adquirindo novos conhecimentos e desenvolvendo as suas capacidades para colocar o seu projeto em funcionamento.

De seguida, face à qualidade do projeto, o Município do Sabugal veio a seguir os passos e colocou o projeto em marcha.

Todos os projetos apresentados foram passando as diversas fases até à elaboração do plano de negócios.

Assim sendo, no passado dia 3 de junho, inserido nos 110 anos do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, este dia foi reservado ao empreendedorismo, com um evento de Networking “ISCSP- Empreendedorismo”, levado a cabo pela ELINOV- Escola de Liderança e Inovação desta instituição.

Ao qual Fornos de Algodres e Sabugal estiveram presentes a apresentar os seus casos de sucesso deste projeto.

Destacou-se a presença do Presidente do Instituto, Professor Catedrático Doutor Manuel Meirinho, Dr. António Saraiva, Presidente da Confederação Empresarial de Portugal e Professora Doutora Patrícia Jardim da Palma, Coordenadora da ELINOV e ISCSP_Empreendedorismo, entre outras figuras do painel económico de Portugal.

Perante uma sala com lotação esgotada, muitos foram os preletores que deixaram uma palavra de incentivo a todos empreendedores presentes, mas também mostrar que este pode ser um dos caminhos de grande sucesso no futuro, para todos os alunos do instituto presentes.

Ao longo da tarde, os casos de sucesso dos Municípios de Fornos de Algodres e do Sabugal foram novamente relembrados, assim como vários projetos de empreendedorismo foram apresentados pelos alunos do ISCSP-Lisboa.IMG_4446

De salientar a presença do Presidente do Município de Pedrogão Grande, com o intuito de colocar também em marcha este projeto na sua localidade.

Em jeito de balanço, fomos conversar com diversos intervenientes neste projeto, iniciando a conversa com o Professor Catedrático Doutor Manuel Meirinho, Presidente do Instituto e  a Professora Doutora Patrícia Jardim da  Palma:

Que balanço faz da sessão de empreendedorismo que teve lugar no passado dia 3 de junho no ISCSP -Lisboa?

O Evento do dia 3 de junho visou 2 objetivos: Em primeiro lugar, dar a conhecer à comunidade os programas de empreendedorismo que o ISCSP, através da Escola de Liderança e Inovação, ajudou a concretizar em Fornos de Algodres e Sabugal. Nestes dois municípios, o programa “Empreendedorismo Estratégico e Desenvolvimento Regional” já terminou, mas estamos, de momento, a assistir ao desenvolvimento dos novos negócios, que foram lançados durante o programa. E é para nós uma gratificação imensa!

Estas experiências bem-sucedidas começaram a criar as condições para levar o empreendedorismo mais–além. Foi com esta finalidade, que o ISCSP, pela mão do seu Presidente, Professor Catedrático Doutor Manuel Meirinho, lançou a sua nova Unidade de Missão – o ISCSP_Empreendedorismo – que foi apresentada publicamente neste Evento do dia 3 de junho. De grosso modo, o ISCSP_Empreendedorismo visa constituir uma plataforma de transferência de conhecimento das ciências sociais e políticas, para resolver problemas reais da sociedade. Por outras palavras, pretendemos canalizar todo o conhecimento e experiência científica e académica que desenvolvemos – enquanto instituição de ensino superior que somos – para gerar produtos e serviços concretos, que vão ao encontro das necessidades reais da sociedade. Desta forma, procuramos estreitar o fosso entre a academia e a prática – tal como tem vindo a ser defendido por várias instâncias, como a Comissão Europeia ou a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, que estimula a que as universidades se abram “cada vez mais” à comunidade e contribuam para a melhorar a vida em sociedade.

Com este intuito, procurámos refletir esta “ponte” academia-prática neste Evento de dia 3 de junho, em que contámos com um painel de personalidades muito variadas da sociedade Portuguesa – para além dos Presidentes do ISCSP e das duas Câmaras Municipais citadas – tivemos como oradores o Presidente da CIP, um empresário de sucesso nacional, um representante da Portugal Ventures, Pitch de empreendedores, entre outros.

O balanço deste Evento não poderia ser mais positivo! Claro que o êxito desta nova Unidade de Missão ISCSP_Empreendedorismo dependerá do sucesso dos seus projetos!

IMG_4420

Este projeto realizado com o Município de Fornos de Algodres foi um sucesso e foi pontapé de saída para outros municípios entrarem?

Sem dúvida que sim! É um orgulho imenso ver os negócios nascentes a crescerem e a prosperarem! Pelos empreendedores, mas também pelo município, que alcança mais- valias sociais e económicas. De momento, estamos a preparar a implementação deste programa de fomento do empreendedorismo em mais dois municípios. Um deles, que podemos já divulgar, será Pedrógão Grande, localizado no distrito de Leiria, que também reúne um conjunto de recursos endógenos e capital humanos muito interessantes.

Dos projetos apresentados por Fornos de Algodres, acha que alguns deles a breve prazo estarão a funcionar?

Já temos alguns a funcionar, sim. A título de exemplo, temos a “Quinta do Mondego – Queijaria Artesanal”, que está a desenvolver queijo de cabra; ou a Associação Desportiva de Fornos de Algodres (que após recuperação da situação moribunda com que se deparava) que já se encontra a operar de forma autónoma (tendo constituído novas turmas de desporto, como, por ex., de futebol ou natação) e a gerar receitas! E, naturalmente, não podemos deixar de citar o caso do Magazine Serrano, que está a fazer um percurso ascendente, em termos de parcerias e lucros! O projeto de maior envergadura é a “Aldeia da Memória”, que procura constituir uma aldeia para o tratamento de pessoas idosas com demência. Dado o investimento requerido, este encontra-se ainda em fase de “projeto”, estando, contudo a ser apoiado pela Câmara Municipal, no que toca à captação de verbas. IMG_4437

A nova unidade de missão criada no ISCSP –Lisboa vai ser uma forma de alargar horizonte além fronteiras?

Na sequência da realização de projetos bem-sucedidos na área do empreendedorismo, procuramos, com o ISCSP_Empreendedorismo alargar horizontes e levar o empreendedorismo e o ISCSP mais longe. Concretamente, e tal como referido na questão 1, pretendemos lançar o ISCSP – enquanto Instituição Superior de Ciências Sociais e Políticas – como Escola de Referência na transferência do conhecimento nestas áreas das ciências sociais e políticas para a sociedade – apresentando soluções concretas para problemas reais da sociedade! De forma simples, com o ISCSP_Empreendedorismo aspiramos afirmar o ISCSP como uma instituição modelo na vertente Aplicada – e assim estabelecer a tão desejada ponte entre a Universidade e a Sociedade!

O ISCSP_Empreendedorismo revela-se fundamental no plano das ciências sociais e políticas, uma vez que muito do investimento em matéria de empreendedorismo tende a ser direcionado para as ciências mais duras (muitas vezes designado como empreendedorismo de base tecnológica). No entanto, é importante não esquecer que, tal como as estatísticas na Europa e nos E.U.A. demonstram, o empreendedorismo de base tecnológica requer um investimento muito avultado (em tecnologia material), o qual muito fica sem retorno – casos como a “Google” ou o “facebook” são “meia dúzia” entre inúmeros projetos financiados. No campo das ciências sociais e políticas, é certo que estes negócios de elevado-valor acrescentado são mais escassos, mas o investimento requerido também é significativamente menor, pelo que o número de casos de sucesso é bastante razoável!

Nos últimos tempos, o empreendedorismo tem sido muito procurado pelos jovens, novos ventos podem surgir?

O empreendedorismo é considerado por muitos (a começar pela própria Comunidade Europeia) como o motor por excelência do desenvolvimento económico e social! E nesse sentido, tendo em conta esta geração de jovens altamente qualificados que Portugal está a formar, sem dúvida que estamos perante uma oportunidade única de desenvolvimento estratégico do nosso país, gerando negócios capazes de fazer a diferença e gerar mais-valias para todos! É nesse sentido que emerge o ISCSP_Empreendedorismo! Pretendemos ajudar os nossos Alunos, Alumni, Docentes, Investigadores e Não-Docentes a empreender, gerando mais-valias para todos!

Falando em termos concretos, definimos a área de atuação do ISCSP_Empreendedorismo em três grandes vertentes: (1) o empreendedorismo autónomo – apoiando a criação de novos negócios; (2) o intra-empreendedorismo – apoiando a proposta de novas soluções em organizações do primeiro, segundo ou terceiro setor; e (3) o desenvolvimento de uma atitude empreendedora das pessoas – porque o que pretendemos é transformar as pessoas em agentes ativos e construtivos nas suas organizações, comunidades, regiões e países do espaço lusófono.

Pretendemos com o ISCSP_Empreendedorismo tornar o ISCSP uma Instituição de Referência, credível, aplicada e eficaz na proposta de soluções capazes de contribuir, “um pouco mais”, para o desenvolvimento económico e social do nosso país!

Por parte de Fornos de Algodres, conversámos com o Presidente do Município, Dr Manuel Fonseca:

Que balanço faz deste dia de empreendedorismo, no ISCSP, com Fornos e Sabugal bem representados e Pedrógão Grande e outros municípios a querer abraçar este desafio?

Foi muito positivo, e para os céticos de Fornos que relativamente ao projeto de empreendedorismo tiveram as suas reservas, embora tenha sido aprovado por unanimidade em reunião de câmara, não me arrependo daquilo que fiz, pelo facto de alguns jovens do concelho tivessem tido a oportunidade de ter acesso a instrumentos, a formação, que lhes permite potenciar os negócios que neste momento já têm, mas ao mesmo tempo, criar o seu próprio negócio, ou posto de trabalho, é isso que é importante.

Se no final deste projeto, se com tais 30 mil euros disponibilizados, conseguirmos criar um posto de trabalho é importante porque sem isso nada se teria feito, isto foi o epílogo daquilo que foi feito durante o ano passado, foi um reconhecimento pelo Presidente do ISCSP-Lisboa, Doutor Manuel Meirinho, mas pelo facto de estarem presentes figuras importantes deste País, o Dr António Saraiva, Presidente da CIP, como vocês que estando presentes puderam constatar.

Foi o reconhecimento do trabalho que foi feito, e neste projeto que fomos pioneiros, são estes projetos que fazem com que os jovens mais resistentes que querem viver em Fornos, venham a poder criar o seu trabalho e desenvolver o seu negócio aqui em Fornos de Algodres.

Foi com muito agrado, que estive presente no ISCSP-Lisboa, e conseguimos dar voz às pessoas de Fornos e mostrar que aqui existe gente com ideias que quer continuar a fazer trabalho em Fornos de Algodres.

 Este mais um dia com um momento de sucesso para Fornos de Algodres?

É verdade, este mais um momento de sucesso, contrariamente ao que algumas pessoas vão dizendo, agora naturalmente, quando chegar ao final deste mandato, e não foi isso que prometi, não vão ver grandes rotundas, grandIMG_4466es estradas ou grandes imóveis que não tenham ninguém, agora para este tipo de projetos, como este de empreendedorismo, estarei sempre disponível e a câmara também, apesar das dificuldades financeiras que toda a gente conhece.

Para mim foi com um enorme orgulho que estive no ISCSP-Lisboa, foi também um reconhecimento do trabalho feito essencialmente pelos jovens que apostaram neste curso, quero realçar os jovens foram de modo próprio sem terem qualquer tipo de bolsa, e conseguiram frequentar o curso, foi muito importante, porque os jovens acreditaram e felizmente muitos deles já conseguem fazer algum trabalho em Fornos de Algodres.

 Fornos de Algodres foi pioneiro nesta iniciativa das universidades se descentralizarem ao interior e nesse sentido outros municípios lhe vão seguindo os passos?

Fornos de Algodres foi pioneiro, apesar de naquela altura existirem algumas vozes críticas, mas já existem outras Câmaras que querem apostar neste tipo de parcerias, com as universidades e nesse sentidos fomos os primeiros, que antes eram os jovens a ter de procurar as universidades, neste caso, conseguimos que fosse a universidade (ISCSP-Lisboa) a vir até Fornos de Algodres, para dar formação aos nossos jovens.

Antes os jovens iam para as universidades e quando finalizavam os seus cursos, como neste País é complicado arranjar emprego, muitos deles rumaram ao estrangeiro, mas se as Universidades se deslocarem às localidades e darem formação aos jovens existentes, pode contribuir para a fixação desses jovens, para que possam continuar a exercer uma atividade e fazer a sua vida nos territórios de baixa densidade.

Demos o pontapé de saída, neste campo e para além (ISCSP-Lisboa), já fiz o mesmo desafio ao IPGuarda, no sentido de se descentralizarem, como exemplo, a UTAD tem um projeto de aproveitar as escolas do 1ºciclo, para aí realizar, cursos e seminários direcionados aos jovens e restantes destas localidades, esta é uma boa forma de as universidades contribuírem para a riqueza no interior do País.

 Outras parcerias com outras universidades se poderão seguir?

Sim, tenho falado com a UTAD, no sentido de na área da agricultura, e neste ataque que tivemos recentemente da gralha (vespa) nos castanheiros, esta universidade está a liderar um projeto para dizimar esta doença nos soutos, como foi feito na região de Maceira.

Esta ligação com as universidades é muito importante, agora temos é que investir nas pessoas que querem viver em Fornos de Algodres.

De seguida, conversamos com a Vice – Presidente do Município de Fornos de Algodres, Dra. Rita Silva:

 Que balanço faz da sessão de empreendedorismo que teve lugar no passado dia 3 de junho em Lisboa?

O balanço é bastante positivo como foi possível verificar in loco. Fornos de Algodres partilhou os resultados obtidos, desta experiência pioneira resultado da parceria entre a Câmara Municipal de Fornos de Algodres e o ISCSP – Universidade de Lisboa. Desta parceria resultaram um conjunto de projetos como o Magazine Serrano, a Queijaria Artesanal já em fase de arranque, o projeto Aldeia da Memória, que é um projeto âncora para a Câmara de Fornos de Algodres e o projeto de intraempreendedorismo social desenvolvido pela Associação Desportiva de Fornos de Algodres.

O facto de divulgar Fornos de Algodres e os projetos desenvolvidos no âmbito do programa de empreendedorismo estratégico junto de pessoas como António Saraiva da Confederação Empresarial de Portugal, Pedro Janela, CEO do Wy Group e Teresa Fernandes do Board Member da Portugal Ventures, é para o executivo camarário motivo de orgulho e de dar a conhecer Fornos de Algodres pelos melhores e não pelos piores motivos como é subeijamente conhecido .IMG_4258

Fornos de Algodres como pioneiro nesta fase, é agora um modelo para outros municípios que querem agarrar este projeto?

Fornos de Algodres foi o percursor deste curso avançado em empreendedorismo, sendo que depois de nós já arrancou Sabugal, que nesse mesmo dia apresentou também alguns do casos de sucesso que o curso alavancou. Sei que existem um conjunto de municípios nacionais e de outros países lusófonos interessados e que pretendem implementar este modelo de educação em empreendedorismo que começou em Fornos de Algodres, o que nos deixa com um orgulho acrescido de termos sido os primeiros a implementar um programa que valoriza pessoas e as dota de conhecimentos empreendedores. Além do know-how adquirido, qualquer investimento em Fornos e nas pessoas de Fornos é sem dúvida o investimento que a Câmara considera o Investimento dos investimentos.

Não queria deixar de salientar que a Câmara procurou com este projeto realçar o  papel das pessoas enquanto participantes ativos no desenvolvimento e na implementação de projetos em prol desse mesmo desenvolvimento, ao invés de beneficiários passivos. No país nós somos percursores de um modelo de educação em empreendedorismo inovador que reúne todas as competências associadas ao perfil empreendedor, nomeadamente competências de gestão, comportamentais e de motivação. Sermos os pioneiros é uma marca que vai ficar para sempre. O nome de Fornos de Algodres ficará para sempre associado ao empreendedorismo de base local em Portugal.

A nível dos projetos de Fornos de Algodres, neste dia alguns foram considerados de sucesso, isto quer dizer que serão colocados em prática em breve prazo?

Projetos como o Magazine Serrano, a Queijaria Artesanal, o projeto de intraempreendedorismo social da Associação Desportiva de Fornos de Algodres já se encontram em fase de arranque e Aldeia da Memória que é um projeto âncora para a Câmara de Fornos de Algodres, aguarda por fundos comunitários, uma vez que o investimento é muito elevado.

A Câmara Municipal para perceber o que entendem os empreendedores “nascentes” foi ao seu encontro e procurou ex-post perceber o que são os projetos e a importância deste curso avançado em empreendedorismo no seu desenvolvimento e vou deixar aqui as suas opiniões sobre esta ação de empreendedorismo, uma vez que são eles os atores principais deste projeto e que melhor podem descrever o estado dos seus projetos, bem como a importância de que se revestiu o programa de empreendedorismo para si enquanto representantes de um negócio nascente:

Neste momento … estamos numa fase de experimentação, ou seja numa fase inicial e de implementação e a ver o que será necessário e a ver o que é possível e o que não é possível

O Programa de Empreendedorismo foi muito importante visto que foi lá que desenvolvemos a nossa ideia e também nos foi muito importante visto que nos ajudaram a esquematizar e a pôr no papel tudo o que nós pretendíamos (Bruno Costa, Presidente da Associação Desportiva de Fornos de Algodres).

“ Nós não estamos formalmente constituídos, uma vez que um projeto desta dimensão, a previsão de custos para nós a implementarmos é bastante elevada e nós enquanto promotores, atualmente não temos forma de suportar esses custos. Mas é de destacar sem dúvida a grande abertura que o Município tem tido para ser parceiro da nossa ideia e apoiar a implementação do projeto.

O curso de empreendedorismo foi, … o impulsionador da ideia. Mas aquele click surgiu precisamente quando fomos questionados no decorrer já do curso.(Diana Martins e Patrícia Almeida – Representantes da Aldeia da Memória).

Neste momento, está já a funcionar em pleno o site magazineserrano.pt onde de uma forma mais aprofundada já estou a difundir Fornos de Algodres e os diversos concelhos limítrofes com grande divulgação….Para chegar até aqui muito contribuiu a passagem pelo Curso Avançado em Empreendedorismo realizado aqui em Fornos de Algodres.“ (Sofia Pacheco, Magazine Serrano).

Neste momento estou na fase de implementação … ”. “O Curso de empreendedorismo contribuiu sinceramente por aquilo que eu achava que ia contribuir menos, que era por aquela parte da motivação … aquelas ferramentas que utilizámos no curso, foi mais um … empurrão de começar mesmo a fazer”(Queijaria Artesanal – Ana Patrícia Martins)

IMG_4523

A parceria com o Instituto tem – se revelado positiva. Novos projetos podem avançar em parceria quer com o ISCSP ou outras instituições de ensino?

Como já foi dito, esta parceria tem-se revelado profícua. Parcerias entre a autarquia e instituições do ensino superior é algo que a Câmara quer continuar a manter. Nós temos de andar de mãos dadas com os centros de saber. A estratégia Europa 2020 estabelece como prioridade desenvolver uma economia baseada no conhecimento e na inovação, pelo que a criação de incentivos, a cooperação entre autarquias e universidades, a capacidade em mobilizar recursos, desenvolver investigação a fim de desenvolver mecanismos de apoio ao desenvolvimento local e regional deverá estar sempre presente na governação local. Sozinhos e sem conhecimentos nunca poderemos ir longe.

Por parte das gentes do Sabugal conseguimos conversar com Cristina Manso, uma das empreendedoras de sucesso neste projeto:

Como surgiu a oportunidade de apresentares a ideia?

A ideia da produção artesanal de sabão/sabonetes surgiu há alguns anos, quando o meu marido começou a ter uns problemas de pele. Lembrei-me que a minha avó e também as vizinhas faziam sabão com borras de azeite, usávamo-lo para lavar roupa, casa e também para a higiene diária.

Quando fui selecionada para frequentar o Curso Avançado de Empreendedorismo- Sabugal, promovido pela Câmara Municipal do Sabugal, achei que seria uma grande oportunidade e desde então tenho trabalhado nesse projeto. Que espero que se torne realidade, daqui a algum tempo.

Qual a sua ideia de negócio, apresentada?

Produção artesanal de sabão/sabonetes.IMG_4524

Em que ponto está o negócio neste momento?

Neste momento estou a selecionar os fornecedores de matérias-primas, o que não é fácil!

 A nível das conferências em Lisboa como correu?

Penso que correram bem. Gosto de falar sobre o meu projeto, fico bastante emocionada!

Quando era mais jovem queria ter 3 filhos, tenho 2 filhos, este projeto quando se realizar, será como se fosse o meu terceiro filho!

 Que apoios acha que pode alcançar para a concretização do negócio?

Frequentar o Curso Avançado de Empreendedorismo promovido pela Câmara Municipal do Sabugal, foi o primeiro grande passo, para a minha ideia passar de “ideia” para o papel.

Muito obrigada à Câmara Municipal do Sabugal.

Por fim, terminamos o painel de conversas, com o Dr. Valdemar Alves, Presidente do Município de Pedrógão Grande:

Que balanço faz desta Sessão de empreendedorismo, agora em Lisboa?

Foi muito bom, e também depois de saber do êxito que foi em Fornos de Algodres e no Sabugal, e depois destes exemplos dados, demonstrados e confirmados, Portugal precisa de apostar no empreendedorismo e nos nossos jovens.

 Perante uma plateia jovem, é sinal que estão dispostos a avançar?

Sim, os jovens estão à espera que se apliquem este métodos, de grandes lançamentos, de grandes empresários, para dar alento aos jovens que andam muito em baixo, com a situação do País, porque o País anda doente financeiramente e precisamos de dar vitalidade para empurrar os nossos jovens para o futuro.

IMG_4502

Os jovens portugueses no seu entender precisam de motivação?

É verdade, o País está doente e os nossos políticos muito contribuíram, mas é preciso coragem e estou convencido que a vamos ter, porque finalmente os políticos estão modificar atitudes e este governo criou uma unidade

 

de missão para o interior, que deveria ser de territórios de baixa densidade, isto revela a preocupação dos políticos com a situação do País e dos nossos jovens.

 

Reportagem elaborada por Sofia Pacheco/António Pacheco

Enviar Comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar