Templates by BIGtheme NET
Home » Aguiar da Beira » Avisos e Liturgia do 28º Domingo Comum (Ano C)

Avisos e Liturgia do 28º Domingo Comum (Ano C)

a)      No Domingo passado, os discípulos fizeram um pedido a Jesus: “Aumenta a nossa fé”. Este pedido foi precedido por duas parábolas: a do administrador desonesto e a do pobre Lázaro e do rico avarento. Como resposta ao pedido dos discípulos, Jesus afirma que a fé não está relacionada com a quantidade material mas com a qualidade, ou seja, com a sua gratuidade e confiança que se manifesta no serviço e entrega aos irmãos. Neste domingo encontramos uma continuidade temática. Não temos uma parábola nem um diálogo com os discípulos, mas a narração de uma acção, de um milagre: a cura dos dez leprosos, indo Jesus a caminho de Jerusalém. Todos os leprosos ficaram curados. De seguida, puseram-se a caminho de Jerusalém ao encontro dos sacerdotes, mas só um, que era samaritano, voltou atrás para agradecer a Jesus a sua cura.

 

b)      Neste Domingo, ao tema da fé (explicada nos domingos anteriores) junta-se o tema da gratidão. Que diferença existe entre os nove leprosos que se apresentaram diante dos sacerdotes, cumprindo a ordem de Jesus, com o outro que regressou para agradecer? Não há dúvida que todos foram curados e salvos. Mas só um coloca a sua esperança na confiança e na gratidão e não fica somente na legalização da sua situação (necessidade de se purificar no Templo). Os nove leprosos foram curados por necessidade, porque Deus não é insensível às nossas necessidades, mas o leproso samaritano, como diz Jesus, foi salvo pela sua fé. É esta fé que leva o leproso Naamã, general sírio, a banhar-se no rio Jordão, cumprindo, assim, uma ordem do profeta Eliseu para ficar curado e purificado da sua doença. Na Síria, ele tinha rios com água de qualidade superior, mas a sua fé não residia num rio mas na palavra do profeta, homem de Deus. Por isso, quando se vê curado, regressa a casa de Eliseu, não só para se mostrar curado mas também para reconhecer que não há outro Deus senão o de Israel que se manifesta através do profeta e da sua palavra. Eliseu não aceita qualquer presente de Naamã. Então, o general sírio pede-lhe um pouco de terra daquele país para adorar o Deus de Israel. Este sírio e o samaritano do evangelho descobriram de onde lhes veio a salvação e foram capazes de agradecer.

13-10-2019

c)       Os leprosos da Palavra de Deus deste Domingo representam-nos, porque quando na vida tudo nos corre bem, muitas vezes, esquecemos Deus. Convencemo-nos que tudo o que fazemos deve-se somente ao nosso esforço, ao nosso trabalho e às nossas capacidades. Mas, quando chegam as dificuldades, dizemos: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós”. Nos momentos de aflição, sabemos clamar ao único que nos pode atender e salvar. E tantas vezes, ultrapassadas as dificuldades, nos esquecemos de agradecer, como se tudo fosse somente fruto do nosso esforço. De facto, nas nossas celebrações eucarísticas, elevamos sempre a Deus as duas petições. No início, dizemos: “Senhor, tende piedade de nós”; e antes do Prefácio: “Dêmos graças ao Senhor, nosso Deus. É nosso dever, é nossa salvação”. De seguida, o texto do Prefácio acrescenta: “Senhor, Pai Santo…, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte”. Nunca esqueçamos que estes dois pedidos são sempre necessários. São o grito dos leprosos e o grito do samaritano que ficou curado.

 

d)      Seria bom recordar às pessoas que nas nossas celebrações “não estamos todos”. Não estão todos os cristãos da nossa cidade, vila ou aldeia. Somos uma pequena percentagem, somos os representantes de tantos irmãos que foram curados e salvos pelo Senhor, mas só nós regressámos para dar graças a Deus. Dêmos graças a Deus também por eles. Não pensemos que os nossos irmãos que não vêm às nossas celebrações são piores que nós; eles cumprem as suas obrigações, seguindo o ritmo, os usos e costumes da sociedade moderna, como acontecia com tantos no tempo de Jesus que seguiam a cultura judaica. Deus também tem compaixão deles e é sensível às suas necessidades. A nós que aqui e agora Lhe agradecemos, Jesus diz-nos: “Levanta-te e segue o teu caminho; a tua fé te salvou”. Procuremos a salvação pelo caminho da gratidão, ou seja, pelo caminho da fé.

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano C - Tempo Comum - 28º Domingo - Boletim Dominical

Enviar Comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar