Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: Fornos de algodres

Tag Archives: Fornos de algodres

Fornos de Algodres e Mêda assinam protocolo “Saúde Oral Para Todos

Na manhã desta terça feira, foi assinado um protocolo de colaboração, em Lisboa, onde estiveram presentes, os Municípios de Fornos de Algodres e Mêda, representados pelos seus presidentes.

Este protocolo vem âmbito do alargamento do projeto dos médicos dentistas nos cuidados de saúde primários, para as famílias com maior vulnerabilidade social e financeira.

fotos:MFA

Seniores do Inatel 55+ visitaram Fornos de Algodres

Fornos de Algodres recebeu um grupo de pessoas ligadas ao projeto Inatel+55, que vieram em viagem até terras fornenses.

Assim, a pernoitarem no Palace Hotel &SPA, Termas de S.Miguel, nesta segunda -feira, visitaram o espaço da Biblioteca Municipal Maria Teresa Maia Gonzalez.

Tiveram  uma receção especial, com a atuação do Rancho Folclórico Sénior do Concelho de Fornos de Algodres, que animaram a comitiva.

Tempo ainda para ficarem a conhecer as maravilhas deste concelho, a nível de património e gastronómico.

Liturgia dominical e avisos das UPAB/UPFA

22º DOMINGO COMUM (ANO B)

Eis a questão: somos religiosos, homens e mulheres de fé, ou ritualistas? A nossa relação com Deus não consiste em coisas e gestos exteriores, como acreditavam os fariseus, os quais Cristo trata com tanta dureza no texto do evangelho. Através de práticas exteriores, os fariseus esqueceram-se da fidelidade ao Senhor e ficaram pelo ritualismo, ou seja, pelo cumprimento de acções e tradições.

02-09-2018

A verdadeira religião não é só dos lábios para fora. Jesus recorda a afirmação do profeta Isaías: “Este povo honra-Me com lábios, mas o seu coração está longe de Mim. É vão o culto que Me prestam, e as doutrinas que ensinam não passam de preceitos humanos”. Muitas vezes, substituímos a verdadeira religião por ritos, costumes, piedades e tradições: vamos à missa, baptizamos as nossas crianças, fazemos a festa da primeira comunhão dos filhos, casamos pela Igreja, pedimos um funeral cristão para os nossos familiares e ficamos por aqui. Somente isto não basta. Cristo não desprezou as normas de vida dos judeus. Ele disse que não tinha vindo para abolir a lei, mas para dar cumprimento e levá-la à perfeição. Jesus pede-nos que não nos conformemos com a aparência exterior. Ele condena o legalismo formalista, sem alma, sem sensibilidade, sem caridade, que escraviza mais do que liberta. O mais importante é a fé em Jesus, morto e ressuscitado, glorificado pelo Pai. A fé é a atitude transcendental do coração do homem, para quem Jesus é tudo, como a sua escala de valores e princípios e as suas esperanças eternas. A atitude transcendental é a obediência a Deus, ou seja, seguir os princípios de uma reta consciência e bem formada e o serviço desinteressado ao próximo. Assim, a fé é a atitude transcendental do coração como estilo de vida: sem esta fé, não faremos uma experiência de encontro com Deus na celebração dos sacramentos e de alguns exercícios de piedade. Resumindo, é vontade de Deus que cada um de nós seja homem e mulher que acredita e não somente que pratica. É necessário colocar alma, espírito, coração e vida na celebração e na vivência da nossa fé. Alguns exemplos para pensar: algumas festas de primeira comunhão são tão faustosas, sendo um escândalo económico, social e religioso; algumas celebrações de matrimónio são tão “sem sabor”; algumas procissões e peregrinações parecem mais uma feira. Será isto agradável a Deus? Perante estas situações, o que diria Jesus? Agora entendemos o facto de Jesus ter sido tão duro com os fariseus ritualistas que se preocupavam somente com as práticas exteriores e esqueciam-se da fé em Deus. Por isso, Jesus, entre o homem e o sábado, preferiu o homem. É de fixar as palavras de Jesus: “não há nada fora do homem que o torna impuro; porque do interior do homem é que saem as más intenções: imoralidades, roubos, assassínios, adultérios, cobiças, injustiças, fraudes, devassidão, inveja, difamação, orgulho, insensatez. Todos estes vícios saem do interior do homem e são eles que o tornam impuro”. É importante reflectir: como sou eu? Religioso ou ritualista? Crente ou só cumpridor? Cumpro a vontade de Deus e estou ao serviço do próximo? Fujamos do farisaísmo e do ritualismo sem fé e sem alma. Foram os “praticantes” que levaram Cristo à cruz e o crucificaram. A principal regra moral do cristão é discernir o que lhe diz a sua consciência e, em seguida, agir em conformidade, ser coerente, traduzir em actos o que lhe vai na alma e no coração.

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Manuel Fonseca reage ao possível fecho dos CTT

Todos os esforços feitos para manter os CTT em Fornos

Depois de algum impasse há largos anos, o CTT vai fechar a sua estação em Fornos, qual o ponto de situação?

Foi-nos comunicado não de forma formal, mas informal que os Correios iriam fechar neste mês de setembro a sua estação, logo colocaram a proposta de o serviço vir a ser prestado pela Junta de Freguesia ou por outra entidade, neste momento, estou a envidar todos os esforços no sentido de o processo ser invertido, já falei com o Ministro Pedro Marques, com o Presidente da ANMP, Manuel Machado, temos falado com muita gente e vamos estar a tentar contrariar essa situação, a CIMBSE já tomou a posição, agora é Fornos e Manteigas, amanhã são outros.

Eu não concordo que o Governo diga que, a culpa é do Governo anterior que não acautelou no contrato de concessão, o fecho destas repartições, não me conformo.

Continua na edição papel de 31 de agosto 2018

CDS questiona tutela sobre encerramento de balcões dos CTT em Manteigas e Fornos de Algodres

O deputado do CDS-PP João Rebelo questionou o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre o encerramento de balcões dos CTT em Manteigas e Fornos de Algodres, no distrito da Guarda.

João Rebelo questiona se o Governo teve conhecimento prévio da decisão de encerramento dos balcões dos CTT de Manteigas e Fornos de Algodres, e se sim, quando, quais os critérios apresentados pela empresa e que justifiquem a opção pelo encerramento destes dois balcões dos CTT no distrito da Guarda, que alternativas de serviço postal universal vão ser oferecidas às populações de Manteigas e Fornos de Algodres, na sua área de residência, e, ainda, se com a decisão de encerramento destes balcões dos CTT, continua assegurado o contrato de serviço postal universal existente os CTT e o Estado.

Nos últimos dias várias notícias deram conta do encerramento de balcões dos CTT no distrito da Guarda.

Entre os encerramentos anunciados, constam os balcões de Manteigas e Fornos de Algodres, anúncio que surpreendeu as populações.

É consensual a necessidade de lutar contra a desertificação das regiões de interior, mais despovoadas, em que a população idosa é maioritária, pessoas que vivem sozinhas e por isso com dificuldade de deslocação.

A concretizar-se, o encerramento dos balcões dos CTT de Manteigas e Fornos de Algodres irá colocar em causa, não só o serviço de proximidade às populações e às empresas, mas também o próprio serviço postal universal, de cujo acesso de proximidade as populações em causa ficarão privadas.

Acresce a tudo isto a falta de informação prévia da intenção de encerrar estes dois balcões.

CIMBSE emite posição no caso do encerramento dos CTT em Fornos e Manteigas

Posição da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela face à intenção de encerramento das estações dos CTT de Manteigas e Fornos de Algodres

A empresa CTT – Correios de Portugal, S.A., concessionária do serviço público postal, anunciou para breve o encerramento das suas lojas de Manteigas e Fornos de Algodres.

Ficarão assim, estes dois concelhos da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, privados de qualquer loja dos CTT e sem um efetivo serviço de proximidade que garanta aos seus cidadãos a possibilidade de usufruir de um serviço postal de qualidade conforme é estabelecido pela Lei e pelo instrumento da concessão.

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela não pode deixar de manifestar o seu repúdio público acerca desta intenção dos CTT, que se traduziria num desrespeito pelas obrigações que assumiu enquanto concessionária do serviço público postal, degradando ainda mais os níveis de prestação desse serviço e causando irreparáveis prejuízos às populações afetadas.

O serviço público e universal de correios é de importância vital para a qualidade de vida das populações, devendo contribuir para a coesão do território, para o combate ao isolamento e ao despovoamento.

Não se compreende que territórios de interior e de baixa densidade populacional possam ver de qualquer modo diminuída a sua, já débil, possibilidade de acesso a este serviço.

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela apela à ANACOM e ao Governo da República para que usem de todos os meios que impeçam o encerramento das lojas dos CTT de Manteigas e Fornos de Algodres o que se traduziria em mais um passo na degradação do serviço público postal e no incumprimento das obrigações de concessão por parte da concessionária.

Pelo  Presidente do Conselho Intermunicipal da CIMBSE–Carlos Filipe Camelo

3ºaniversário do Zumba em Fornos de Algodres

  O Zumba é já uma afirmação em Fornos de Algodres e no País, assim nesta quarta-feira, teve lugar mais uma aula, junto aos Paços de Concelho.

Com o passar dos anos esta modalidade tem vindo a crescer e ganhando novos praticantes, tendo atualmente uma média de 30 alunas por aula.

Desta forma, a modalidade celebrou 3 anos em ação, nesta localidade e vai daí, foi celebrado com um bolo e um lanche convívio e muita animação.

Luisinho regressa ao Ac. Viseu

Depois de ter sido dado como certo no Famalicão, mas por algumas razões, rescindiu e passou algumas semanas a trabalhar a forma, Luisinho regressa agora a Viseu, para ajudar o Académico a realizar uma boa temporada na II Liga.

É assim mais um reforço importante para o experiente técnico Manuel Cajuda.

Foto:AVFC

Encontro Anual de Antigos Seminaristas em Fornos de Algodres

Vai realizar-se  o Encontro Anual de Antigos Seminaristas, no sábado, dia 1 de Setembro, realiza-se no Seminário de Fornos de Algodres.  o O inicío está marcado para as 9h30, com acolhimento.

Às 10h30, terá lugar a Eucaristia, que será solenizada pelo Ad Libitum e pelo Coral Lopes Morago.
Por volta do meio dia, realiza-se a Assembleia-Geral, com eleição dos órgãos sociais para o mandato 2018-2021.
O almoço será às 13h00 horas, seguindo a habitual tarde de convívio, com Dão de Honra às 16h30.

Liturgia e avisos do 19ºdomingo TC

A liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum dá-nos conta, uma vez mais, da preocupação de Deus em oferecer aos homens o “pão” da vida plena e definitiva. Por outro lado, convida os homens a prescindirem do orgulho e da auto-suficiência e a acolherem, com reconhecimento e gratidão, os dons de Deus. A primeira leitura mostra como Deus Se preocupa em oferecer aos seus filhos o alimento que dá vida. Deus retempera as forças do profeta Elias e manifesta-se o Deus da bondade e do amor, cheio de solicitude para com os seus filhos, que anima os seus profetas e lhes dá a força para testemunhar, mesmo nos momentos de dificuldade e de desânimo. A cena apresenta-nos um Elias abatido, deprimido e solitário face à incompreensão e à perseguição de que é alvo. O profeta sente que falhou, que a sua missão está condenada ao fracasso e que a sua luta o conduziu a um beco sem saída; sente medo e está prestes a desistir de tudo…

No entanto, Deus não está longe e não abandona o seu profeta. A segunda leitura mostra-nos as consequências da adesão a Jesus, o “pão” da vida… Quando alguém acolhe Jesus torna-se um Homem Novo, que renuncia à vida velha do egoísmo e do pecado e que passa a viver na caridade, a exemplo de Cristo. Pelo Baptismo, cada cristão tornou-se morada do Espírito; e ao acolher o Espírito, recebeu um sinal ou selo que prova a sua pertença a Deus. Tem, portanto, de viver em consequência e de expressar, nas suas ações concretas, a vida nova do Espírito. Como exemplo concreto, os crentes têm diante dos olhos Cristo, o Filho bem-amado de Deus que, cumprindo os projectos do Pai, ofereceu a sua vida por amor aos homens. O Evangelho apresenta Jesus como o “pão” vivo que desceu do céu para dar a vida ao mundo. Para que esse “pão” sacie definitivamente a fome de vida que reside no coração de cada homem ou mulher, é preciso “acreditar”, isto é, aderir a Jesus, acolher as suas propostas, aceitar o seu projecto, segui-l’O no “sim” a Deus e no amor aos irmãos. Os interlocutores de Jesus não aceitam a sua pretensão de Se apresentar como “o pão que desceu do céu”. Eles conhecem a sua origem humana. Em consequência, eles não podem aceitar que Jesus Se arrogue a pretensão de trazer aos homens a vida de Deus. Em lugar de discutir a questão da sua origem divina, Jesus prefere denunciar aquilo que está por detrás da atitude negativa dos judeus face à proposta que lhes é feita: eles não têm o coração aberto aos dons de Deus e recusam-se a aceitar os desafios de Deus… O que é decisivo, neste processo, é o “acreditar”. Essa vida que Jesus está disposto a oferecer não é uma vida parcial, limitada e finita; mas é uma vida verdadeira e eterna. “Vida plena” não indica aqui, apenas, um “tempo” sem fim; mas indica, sobretudo, uma vida com uma qualidade única, com uma qualidade ilimitada, uma vida total, a vida do homem plenamente realizado.

Por:UPFA/AB

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar