Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: Fornos de algodres

Tag Archives: Fornos de algodres

Jorge Margarido apresenta novo livro , na Guarda

Uma nova obra vai ser apresentada de Jorge Margarido, professor a lecionar em Fornos de Algodres , vai apresentar este trabalho ” Seis vezes Alpha” ao público guardense, no próximo sábado, pelas 16.00 h, na Biblioteca Eduardo Lourenço, na cidade da Guarda.

Fornos Youth Cup 18 decorre nos dias 23 e 24 de junho

Em junho, Fornos de Algodres vai voltara receber o Torneio de futebol jovem Fornos Youth Cup, uma prova que é a imagem de marca desta região .

Nos dias 23 e 24, o Municipal da Serra da Esgalhada acolhe largas centenas de jovens atletas das mais diversas localidades de Portugal e Espanha.

Como padrinhos vão estar os jovens fornenses Candeias e Luisinho e Bosingwa  e Rui Miguel formados na ADFA e ainda Duarte Gomes e Manuel Cajuda.

Um fim de semana onde muitos pais e familiares dos atletas vêm a esta localidade, contribuindo um bom desenvolvimento para a economia local.

Por:António Pacheco

Escritora Maria Teresa Maia Gonzalez apresenta novo livro

Um novo livro a escritora Maria Teresa Maia Gonzalez, apresenta no final deste mês de maio.

Este livro completa a coleção «Amigos naturais», apresentando mais cinco pequenas histórias em que uma criança fala da sua relação de proximidade com um dos elementos da Natureza. Desta vez, o mar, os rios, as plantas, as constelações celestes e a paixão pela fotografia de investigação sobre a natureza. Histórias verdadeiramente apaixonantes! Com humor e muitos afetos – pois a narrativa desenrola-se sempre no contexto das relações familiares –, a criança leitora vai descobrindo-se a si mesma e ao mundo que a rodeia.

Vai ter a sua apresentação no próximo dia 31 de maio, às 16 horas, Feira do Livro de Lisboa.

CIHAFA apresenta a exposição “As plantas na primeira globalização”

Como habitualmente acontece mensalmente, o CIHAFA (Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica de Fornos de Algodres) apresenta um espaço reservado a exposições e desta forma, já esta patente a exposição “As plantas na primeira globalização”, face a uma iniciativa da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, estando inserida na XIII edição das Jornadas de Etnobotânica / X Fim-de-semana da Urtiga.
Baseada no livro «A Aventura das Plantas e os Descobrimentos Portugueses», de José Mendes Ferrão, esta Exposição aborda a troca de plantas entre continentes no período dos Descobrimentos, um dos capítulos menos estudados do ponto de vista agrícola, mas sem dúvida um dos que tiveram reflexos científicos, técnicos, económicos e sociais mais marcados e mais duradoiros.
Trata-se de uma exposição itinerante, propriedade do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC), da Universidade de Lisboa, que dá a conhecer os Portugueses como difusores de plantas e alimentos pelo mundo, divulgando o papel que Portugal e os Descobrimentos portugueses tiveram na alteração da forma de vida na Europa, no enriquecimento da vida Europeia e, também, na interação entre os diversos continentes. Alimentos como, a mandioca, o milho, a malagueta (traço indiscutível da cozinha indiana), hoje tão comuns nas várias gastronomias, são alguns exemplos de plantas introduzidas pelos Portugueses nos vários continentes levando à alteração de hábitos alimentares das populações.
Estes são apenas alguns dos exemplos de plantas e alimentos, em que as histórias cruzam continentes e populações, podendo ser observados nesta interessante exposição.

Por:CIHAFA

Pedro Gomes (Esgalhada Team) segundo na Beselga

Terceiro lugar a nível de equipas

Teve lugar, no passado domingo, mais uma edição do Trail Running I Trilhos do Ceireiro, com a turma do Esgalhada Team a alcançar o terceiro lugar no pódio, por equipas. A nível individual Pedro Gomes venceu tranquilamente.

Um bom leque de atletas nesta prova, com a turma fornense a destacar-se bastante.

Aqui fica a classificação:

Trail Longo
André Almeida – 16º geral / 6º escalão.

Trail Curto – 15km
Pedro Gomes – 2º geral / 2º escalão;
João Gomes – 23º geral / 13º escalão;
Marcos Lopes Paulo – 43º geral / 23º escalão;
Rui Freitas – 45º geral / 13º escalão;
Filipe Fernandes – 100º geral / 50º escalão;
Joana Ferreira – 114ª geral / 9ª escalão;
Cristina Santos – 189ª geral / 23ª escalão.

Em suma, uma equipa que com dificuldades trabalha sempre no máximo.

Por:AP/ET

Simulacro no âmbito do programa “Aldeia Segura” e “Pessoas Seguras na Matança

 Teve lugar no passado dia 10 de maio de 2018, um simulacro no âmbito do programa “Aldeia Segura” e “Pessoas Seguras”, na Freguesia de Matança, concelho de Fornos de Algodres.

Recordamos que o programa “Aldeia Segura” e “Pessoas Seguras”, resultou de um  protocolo assinado entre a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) e foi apresentado pelo Senhor Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, em Ansião (Leiria), no dia 4 de abril de 2018, e têm como objetivo o de prevenir e diminuir os efeitos dos incêndios que possam deflagrar.

No simulacro realizado na freguesia da Matança, que contou com a presença dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres, do Presidente do Município de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, como autoridade municipal máxima da proteção civil e ANPC.

Foram alcançados os objetivos  inicialmente estabelecidos,  a definição do local do “ponto de encontro”, do “local de refúgio” e dado a conhecer o “oficial de segurança da aldeia”, em caso de calamidade extrema.

Este programa contou com os esforços conjuntos da Junta de Freguesia da Matança, dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres e da Câmara Municipal de Fornos de Algodres.

Por:MFA Foto:FR

Workshop sobre o tema “apicultura e seus desafios” no CIHAFA

O CIHAFA (Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica de Fornos de Algodres), promove um Workshop sobre o tema “apicultura e seus desafios” dirigida a todos os apicultores do Concelho, dia 07 de Abril de 2018 pelas 14.00H promovido pelo austríaco Harald Hafner.

Harald Hafner é um apicultor austríaco há muito radicado em Mangualde, é um tipo de natureza tímida, mas quando fala em abelhas, a sua paixão pelo tema explode e ouvi-lo falar sobre a vida das abelhas, as fantásticas propriedades do mel, as plantas melíferas, e a apicultura natural é uma delícia. O seu respeito pelas abelhas, e a sua visão filosófica sobre a apicultura aproxima-o a um mestre oriental, sempre em busca da perfeição.

O mundo das abelhas é fascinante, antigamente todas as quinta tinham colmeias, de forma a usufruir de toda a sua riqueza apícola: polinização, mel, cera, pólen e própolis.

Hoje a maioria do mel vem de grandes apicultores comerciais e as abelhas encontram-se cada vez mais ameaçadas e em declínio. As abelhas são essenciais para a nossa sobrevivência no planeta, sendo nosso dever contribuir para que encontrem as melhores condições de vida possíveis. Por isso os apicultores têm um papel tão determinante na preservação dos ecossistemas e da biodiversidade.

Assim aqui ficam os horários:

14.00H – Inicio do Workshop sobre o tema “Apicultura e seus desafios”

16.30H – Degustação de mel

Boa adesão na ação de sensibilização das limpezas das florestas em Infias

Diariamente acontecem ações de sensibilização sobre a as limpezas dos terrenos e os deveres e regras que as comunidades devem seguir, assim acompanhamos a ação em Infias, concelho de Fornos de Algodres onde a comunidade compareceu em massa no sentido de esclarecer dúvidas sobre o tema.

No concelho de Fornos de Algodres todos as freguesias tem a oportunidade de esclarecer com a preleção do Técnico do Gabinete Florestal , Eng. Lopes e agentes da GNR.

Face a isso, deixamos algumas regras e conselhos a ter em conta:

•  Limpar o mato e cortar árvores numa faixa mínima de 50 metros à volta das edificações ou instalações (habitações, estaleiros, armazéns, oficinas, fábricas ou outros equipamentos) inseridas nos espaços rurais ou florestais.

•  Limpar o mato e cortar árvores 100 metros nos terrenos à volta das aldeias, parques de campismo, parques industriais, plataformas de logística e aterros sanitários;

• Limpar as copas das árvores 4 metros acima do solo e mantê-las afastadas pelo menos 4 metros umas das outras;

•  Cortar todas as árvores e arbustos a menos de 5 metros das casas e impedir que os ramos cresçam sobre o telhado.

A que zonas se aplica?

A zonas rurais e florestais, incluindo as confinantes com áreas urbanas. O objetivo é garantir sempre a existência de uma faixa de proteção de 100 metros em torno dos aglomerados populacionais. A gestão de combustível deve ser feita inclusivamente nas áreas de interface entre a floresta e as áreas urbanas, consideradas de elevado risco.

Devo cortar todas as árvores junto à casa?

Não precisa de cortar árvores que estejam podadas e localizadas a mais de cinco metros da casa.

E as árvores de fruto?

Este é um dos pontos que mais dúvidas suscita. O Governo esclarece a questão da seguinte forma: “As árvores de fruto não têm de ser cortadas, se estiverem inseridas numa área agrícola ou num jardim”.

O que está estipulado em relação aos pinheiro e eucaliptos?

Se estiverem a menos de cinco metros das casas têm de ser cortados. Se estiverem situados a pelo menos 50 metros das casas, as copas dos pinheiros ou dos eucaliptos devem estar afastadas 10 metros umas das outras. Caso contrário precisam de ser cortados.

E as árvores de espécies diferentes de pinheiros e eucaliptos?

Devem ser cortadas as árvores que estejam a menos de 5 metros das casas. Numa distância de 50 metros, a contar das casas, as copas das árvores devem estar afastadas 4 metros umas das outras. Se não cumprirem esta distância, têm de ser cortadas.

Como devo fazer a limpeza das copas?

Deve limpar as copas 4m acima do solo, independentemente da espécie. Se a árvore tiver menos de oito metros, basta limpar metade.

Pode-se cortar qualquer tipo de árvore?

Não. Além das árvores de interesse público, que têm de ser protegidas, outras espécies, entre as quais o sobreiro e a azinheira, são legalmente protegidas e só podem ser cortadas com autorização do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Quem tem de limpar os terrenos?

Os titulares das explorações, ou seja, proprietários ou arrendatários; o Estado, na qualidade de proprietário; e empresas responsáveis pelas redes rodoviária, ferroviária, elétrica, entre outras, como as gestoras de áreas industriais, parques de campismo, centros logísticos e outras infraestruturas. O proprietário pode optar por contratar uma empresa que o faça. Apesar de não ser necessária certificação específica para a realização de limpezas aos terrenos, é aconselhável optar por empresas que tenham técnicos habilitados e equipamento adequado.

E se os terrenos não estiverem limpos até ao fim do prazo?

Entre 15 e 31 de março, a GNR fará  um levantamento dos terrenos por limpar. Os responsáveis pelos terrenos que não tenham cumprido as regras vão ser identificados e multados. A partir de abril, a responsabilidade pela limpeza dos terrenos passa a ser das Câmaras Municipais. Até 31 de maio as autarquias farão a limpeza dos terrenos, mas os proprietários serão obrigados a permitir o acesso aos seus terrenos e a pagar à Câmara o valor gasto na operação.

De que forma estas medidas protegem os cidadãos?

A propagação de incêndios é mais difícil em terrenos que foram limpos. Isto significa que as habitações e toda a envolvente ficam mais seguras e protegidas. Simultaneamente, há uma melhoria dos acessos, para que os bombeiros cheguem mais depressa e em segurança ao local.

Mais alguns conselhos

Mantenha-se informado em relação ao risco de incêndio na sua área de residência, garanta que as mangueiras e o sistema de rega estão a funcionar, limpe os telhados e coloque rede de retenção de fagulhas na chaminé. Deve ainda manter afastados da casa pilhas de lenha, botijas de gás ou outras substâncias explosivas e sobrantes da exploração agrícola ou florestal.

A medida pretende prevenir os incêndios e preservar as florestas, mas também sensibilizar os cidadãos para o facto da vida das suas famílias e a segurança dos seus bens dependerem dos seus gestos. O que importa é contribuir ativamente para que Portugal não volte a viver o ‘inferno’ que viveu em junho e outubro de 2017. De resto, aconselhamos a que esclareça as suas dúvidas e obtenha mais informações ligando o 808 200 520 e através da consulta do DL n.º 124/2006.

Por:AP/CC

 

Workshop sobre “Mindfulness e gestão de emoções no contexto do desemprego”

Decorreu o Workshop sobre “Mindfulness e gestão de emoções no contexto do desemprego”, na manhã desta terça-feira nas instalações do Centro Cultural Dr. António Menano em Fornos de Algodres, uma palestra da organização do CLDS 3G e da responsabilidade da Psicóloga, natural do concelho fornense, Dr.ª Carla Andrade. Em duas horas foi possível verificar que o trabalho constante na atenção plena – o Mindfulness – pode ser uma ferramenta importante na obtenção dos objetivos, tais como o alcance de um emprego e na gestão das emoções daí subjacentes.

Por:CLDS

Espaços remodelados na Freguesia de Infias

A Freguesia de Infias vai remodelando espaços, a escola do jardim de infância foi um local que estava muito danificado e assim com o apoio do Município de Fornos de Algodres, onde os funcionários deram a mão de obra e a Junta de Freguesia os materiais e assim remodelaram o espaço onde teve lugar um lanche de Carnaval.

A rotunda do centro da localidade também foi remodelada e tem agora uma nova imagem.

foto:FI

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar