Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: frio

Tag Archives: frio

Cuidados a ter com o Frio

Deve ser dada especial atenção às pessoas mais vulneráveis, nomeadamente às crianças e pessoas com mais de 65 anos, pois são grupos que não têm grande perceção das alterações de temperatura.

Devem em permanência nestes dias em que as temperaturas vão descer ser seguidas as recomendações para proteção dos efeitos negativos do frio:

No domicílio
● Mantenha a temperatura da sua casa entre os 18ºC e os 21ºC;
● Se não conseguir aquecer todas as divisões da casa, tente manter a sala de estar quente durante o dia e aqueça o quarto antes de se ir deitar;
● Se utilizar lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos a gás mantenha a correta ventilação das divisões de forma a evitar a acumulação de gases nocivos à saúde, evitando os acidentes por monóxido de carbono que podem ser causa de intoxicação ou morte;
● Não utilize fogão a gás, forno ou fogareiro a carvão para aquecimento da casa, nem utilize equipamentos de aquecimento de exterior em espaços interiores;
● Evite dormir/descansar muito perto dos equipamentos de aquecimento;
● Apague ou desligue os equipamentos de aquecimento antes de se deitar ou sair de casa, de forma a evitar fogos ou intoxicações;
● Promova uma boa circulação de ar, não fechando completamente os aposentos, mas evite as correntes de ar frio;
● Mantenha sob vigilância a utilização de botijas de água quente, para evitar o risco de queimadura.

Higiene pessoal e vestuário
● Mantenha a pele hidratada, principalmente mãos, pés, cara e lábios;
● Use várias camadas de roupa, em vez de uma única muito grossa, e não use roupas demasiado justas que dificultem a circulação sanguínea;
● Proteja as extremidades do corpo (com luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e use calçado adequado às condições climatéricas;

Alimentação
● Faça refeições mais frequentes encurtando as horas entre elas;
● Dê preferência a sopas e a bebidas quentes, como leite ou chá;
● Aumente o consumo de alimentos ricos em vitaminas, sais minerais e antioxidantes (ex. frutos e hortícolas) pois contribuem para minimizar o aparecimento de infeções;
● Evite bebidas alcoólicas visto que provocam vasodilatação com perda de calor e arrefecimento do corpo.

Atividades e Exercício físico no exterior
● Mantenha a prática de exercício físico habitual mas em situações de frio intenso evite fazer exercício físico de esforço ao ar livre;
● Se tiver de realizar trabalho com muito esforço, proteja-se com roupa adequada e vá doseando o esforço;
● Procure um local abrigado se a temperatura diminuir e houver muito vento;
● Evite caminhar sobre o gelo devido ao risco de lesões por queda;

Bebés ou recém-nascidos
● Não deve sair de casa com o bebé ou recém-nascido nos dias de frio intenso;
● No caso de ter de sair de casa agasalhe o bebé, principalmente a cabeça e as extremidades (mãos, orelhas e pés);
● Utilize várias camadas de roupa em vez de uma única peça grossa;
● Dê de beber regularmente ao bebé;
● Transporte o bebé num carrinho que lhe permita movimentar-se para se aquecer e verifique se está bem protegido do frio;
● Evite transportar as crianças em porta-bebés tipo mochila, que poderá comprimir as pernas e causar enregelamento.

Pessoas idosas
● Os idosos precisam do acompanhamento dos familiares ou prestadores de cuidados para que sejam tomadas as medidas adequadas em situações de frio descritas nas recomendações gerais, nomeadamente ao nível da alimentação, vestuário, cuidados com os equipamentos de aquecimento e precauções ao sair de casa;
● Os familiares, amigos e vizinhos têm um papel importante devendo manter um acompanhamento de proximidade, sempre que possível, de pessoas idosas sós/isoladas, fazendo um telefonema ou contactando pessoalmente, pelo menos uma vez por dia, para prestar ajuda e verificar o seu estado de saúde e conforto.

Os doentes cardíacos, vasculares, reumáticos, com diabetes e com insuficiência respiratória (incluindo asma e doença pulmonar crónica obstrutiva):
Devem certificar-se que têm sempre consigo os seus medicamentos habituais e ter em conta a redução de atividades físicas no exterior se revelarem sintomas.

Em caso de gripe tenha atenção:
▪ Evitar a proximidade de pessoas com sinais de doença (manter uma distância superior a 1 metro)
▪ Lavar frequentemente as mãos com água e sabão
▪ Quando espirrar ou tossir deve utilizar lenços de papel (inutilizando-os de seguida) ou tapar a boca e nariz com o antebraço.
▪ Evite tocar na boca, no nariz ou nos olhos, sem ter as mãos lavadas
▪ Se achar que está com sintomas de gripe, evite ir de imediato às urgências. Descanse, beba muitos líquidos, não se agasalhe demasiado; tome medicamentos para a febre e dores. Não tome antibióticos sem indicação médica. Se tiver uma doença crónica ou os sintomas se prolongarem sem melhoria ou se agravarem contacte o seu médico ou o seu Centro de Saúde.

Em caso de dúvidas ou necessidade ligar para SNS 24 (808 24 24 24)

Por:SNS

Proteção Civil alerta para o Frio e Vento Forte

17103_10153062148718183_7082118569019644813_nAVISO À POPULAÇÃO: FRIO E VENTO FORTE – MEDIDAS PREVENTIVAS

1. SITUAÇÃO

 

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje, dia 20 de novembro, no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), salienta-se para os próximos dias:

    • Acentuada descida das temperaturas, mas significativa amanhã (21/11) mantendo-se a tendência de descida para os dias seguintes, com máximas a rondar 6-9ºC nas regiões do interior e 10-15ºC nas regiões do litoral. As temperaturas mínimas a situarem-se abaixo dos 0ºC nas regiões do interior Norte.
  • Vento a soprar moderado a forte (<45 Km/h) do quadrante Norte com rajadas da ordem de 80 a 85 Km/h, respetivamente no litoral Oeste e nas terras altas, até meio da tarde de amanhã (21/11). A tendência será para diminuição da intensidade do vento no domingo (22/11).
  • Possibilidade de formação de gelo e/ou geada nos vales mais abrigados do interior.

 

As características de tempo frio, associadas ao vento que se fará sentir aumentarão a sensação de desconforto térmico na população.

 

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

 

 

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

 

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

 

  • Piso rodoviário escorregadio devido à formação de geada, em especial nas regiões do interior;
  • Intoxicações por inalação de gases, por inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras;
  • Incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou avarias em circuitos elétricos;
  • É necessário especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas e população sem-abrigo.

 

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

 

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

  • Especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex. braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte;
  • Que se assegure uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras;
  • Que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;
  • Que se tenha em atenção a condução em locais onde se forme gelo na estrada, adotando uma condução defensiva;
  • Especial atenção por parte das famílias e vizinhos, e das redes sociais de proximidade, com as situações de pessoas idosas e em condição de maior isolamento.

 

A Direcção-Geral da Saúde recomenda a adoção das seguintes medidas (www.dgs.pt):

 

  • Que se evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • O uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • A proteção das extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol);
  • A ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor;
  • Especial atenção com a proteção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior, e evitar esforços excessivos resultantes dessa atividade.

Proteção Civil alerta para mau tempo neste fim de semana

AVISO À POPULAÇÃO

proteção civil

PRECIPITAÇÃO E VENTO FORTE – MEDIDAS PREVENTIVAS

1. SITUAÇÃO

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje, dia 16 de outubro, no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), salienta-se para o período entre sábado (17 outubro1

5) e segunda-feira (19 outubro15):

  • Precipitação pontualmente intensa com acumulados que poderão chegar os 60mm/12h, incidindo inicialmente nas regiões Litoral Centro e Sul e gradualmente estendendo-se a todo o território;
  • Vento moderado a forte de quadrante Sul (30-50km/h) com rajadas que poderão chegar aos 70km/h, Nas terras altas soprará com intensidade a variar entre os 50-70km/h, possibilidade de ocorrência de rajadas que poderão atingir os 120km/h;

 

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

 

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

 

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

 

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

 

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Por:ANPC

Chegou o Outono

Numa manhã de sol chegou o outono a Portugal,
O outono é a estação do ano que sucede ao Verão e antecede o Inverno. É caracterizado por queda na temperatura, e pelo amarelar e início da queda das folhas das árvores, que indica a passagem de estações (excepto nas regiões próximas ao equador).

O Outono do hemisfério norte é chamado de “Outono boreal”, e o do hemisfério sul é chamado de “Outono austral”. O “Outono boreal” tem início, no hemisfério norte, a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. O “Outono austral” tem início, no hemisfério sul, a 20 de Março e termina a 20 ou 21 de Junho.

Por:Wikipédia

Proteção civil lança aviso sobre mau tempo que está a chegar

AVISO À POPULAÇÃO – PRECIPITAÇÃO, VENTO FORTE E AGITAÇÃO MARITIMA

1. SITUAÇÃO

foto:VV

No
seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera
(IPMA) realizado hoje, dia 14 de setembro, no Comando Nacional de
Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil
(ANPC), salienta-se para as próximas 72 horas um agravamento excecional
das condições meteorológicas nas regiões Norte e Centro:

  • Precipitação
    forte a partir da próxima madrugada e até à tarde de 16 de setembro,
    sendo muito forte no período 12H-24H de 15 de setembro, prevendo-se
    acumulados da ordem de 150 mm/24H e configurando valores que podem
    superar 40 mm/h ou 60 mm/6H;
  • Vento médio a soprar de sudoeste
    forte de forma persistente (até 100 km/H) nas terras altas do Norte e
    Centro, com rajadas que podem atingir 130 km/h. No litoral vento a
    soprar moderado a forte (até 45 km/h) com rajadas da ordem dos 90 km/h.
    Não são de excluir eventuais fenómenos extremos de vento,
  • Agitação marítima com ondas até 4m na costa ocidental a Norte do cabo Raso.

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou acumulação de neve ou gelo;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • Danos em estruturas junto à orla costeira;
  • Possíveis fenómenos de galgamento costeiro;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes pela perda da sua consistência.

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

A
ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado,
sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em
particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a
observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para
estas situações, nomeadamente:

  • Garantir a desobstrução dos
    sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros
    objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre
    escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a
    velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e
    formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas
    inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para
    buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter
    especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas
    arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e
    árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na
    circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente
    mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a
    circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades
    relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos
    náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de
    veículos na orla marítima,
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança
  •  

 Por ANPC

Temperaturas baixam no fim de semana

Uma queda acentuada das
temperaturas, céu nublado e aguaceiros são as previsões para os próximos
dias em Portugal continental, avança o Instituto Português do Mar e da
Atmosfera (IPMA).
A descida de temperatura será da ordem dos 10 a 12 graus entre
sexta-feira e domingo, dia em que as temperaturas máximas irão variar
entre 18 e 22 graus.

De acordo com as previsões do IPMA, as regiões do Vale do Tejo e
Alentejo vão estar um pouco mais quentes. A máxima poderá atingir os 25
graus.
A chuva deve começar a fazer a sua aparição a partir da tarde de
sábado. Primeiro no Minho e Douro Litoral, estendendo-se gradualmente a
todo o território no domingo, sendo fraca e pouco frequente no Baixo
Alentejo e Algarve.
Esta mudança do estado do tempo deve-se, segundo o Instituto
Português do Mar e da Atmosfera, à “aproximação e passagem de uma
superfície frontal fria pelo território do Continente” durante o
fim-de-semana.
Por:RR

Alerta amarelo em todo País,frio e neve

  Os 18
distritos do continente estão entre esta terça-feira e sexta-feira sob aviso
amarelo devido à previsão de chuva, vento, neve, agitação marítima e
temperaturas mínimas baixas,
informou o Instituto Português do Mar e da
Atmosfera (IPMA). De acordo com o IPMA, todos os distritos do continente vão
estar, entre as 15h00 desta terça-feira e as 06h00 de quarta-feira, sob aviso
amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de
vento forte com rajadas da ordem dos 70 quilómetros por hora, sendo de 90
quilómetros por hora nas terras altas. Sob aviso amarelo estão também os
distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa
devido à previsão de agitação marítima, prevendo-se ondas de noroeste com 4 a
4,5 metros, entre as 21:00 de hoje e as 09:00 de quarta-feira. O IPMA colocou
também os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Viseu,
Vila Real, Bragança, Guarda e Castelo Branco sob aviso amarelo devido à queda
de neve acima de 1000 a 1200 metros diminuindo gradualmente a quota para 400 a
600 metros entre as 15:00 de hoje e as 00:00 de quarta-feira. O instituto
colocou também os 18 distritos do continente sob aviso amarelo devido à
previsão de temperaturas mínimas baixas, entre as 21:00 de quarta-feira e as
05:00 de sexta-feira. O IPMA emite um aviso amarelo sempre que existe risco
para determinadas atividades dependentes do tempo. Fonte:CM


Chuva e tempo frio vão manter-se durante a semana

A chuva e o tempo frio vão manter-se no início da
semana, com neve nas terras altas até quinta-feira, prevendo-se uma
pequena descida das temperaturas mínimas e subida das máximas, disse o
meteorologista Bruno Café.

Segundo declarou à agência Lusa o
meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para
hoje está previsto um dia de céu “pouco nublado, tornando-se
gradualmente muito nublado a partir do meio da tarde nas regiões do
norte e centro, previsão de chuva apenas para o final do dia no Minho e
Douro litoral”.
Bruno Café adiantou que o vento soprará moderado a
forte, “com rajadas na ordem dos 100 km/hora no litoral, em especial a
sul do cabo Mondego e nas terras altas, até ao meio da manhã, e depois
tornar-se-á mais fraco”.
Para terça-feira, Bruno Café prevê um dia semelhante, com o céu geralmente muito nublado e com abertas a partir da tarde.
“Será
um dia de chuva que passará gradualmente a aguaceiros no final da
tarde, a precipitação será de neve acima dos 600/800 metros e o vento
começa fraco, mas torna-se mais forte no litoral oeste e terras altas,
com rajadas de 65 km/hora”, explicou.
Quanto às temperaturas, o meteorologista adiantou que se prevê uma pequena descida da temperatura mínima e subida das máximas.
Na
previsão para os dias seguintes, e até final da semana, “a tendência é
que a precipitação ocorra em regime de aguaceiros e em especial a norte
do sistema montanhoso Montejunto/Estrela”, com neve a cair até
quinta-feira, assistindo-se depois a uma pequena subida da temperatura.
fonte:TB

O frio chegou ao interior do País

Shutterstock Images - Licença Standard

Temperaturas mínimas vão descer 5 a 6 graus até sexta-feira

As temperaturas mínimas vão
descer gradualmente a partir de hoje 5 a 6 graus Celsius nas regiões do
norte e centro de Portugal continental devido à passagem de uma massa de
ar frio polar, disse a meteorologista Maria João Frada.

“Estamos sob a ação de uma
massa de ar nitidamente mais fria do que nos últimos dias. As
temperaturas mínimas já desceram um pouco,  vamos ter a instalação de uma massa de ar nitidamente
polar transportada na circulação de um anticiclone no Atlântico”,
adiantou à agência Lusa a meteorologista do Instituto Português do Mar e
da Atmosfera (IPMA).
De acordo com a meteorologista, a massa de ar frio vai provocar uma
descida das temperaturas nomeadamente das mínimas até sexta-feira, o dia
em que deverão estar mais baixas.
“Vai-nos trazer uma descida das temperaturas, nomeadamente da mínima.
Na sexta-feira vamos ter valores de temperatura mínima em especial nas
regiões do norte e centro na casa dos 0 graus Celsius ou de um, dois ou
três graus negativos”, adiantou.
Maria João Frada salientou que na região sul, as temperaturas mínimas vão ser positivas, devendo variar entre 01 e 05 graus.
No que diz respeito à região do Porto, a meteorologista adianta que
as temperaturas mínimas vão rondar os 3 graus e em Lisboa 5 ou 6 graus.
“Esta massa de ar polar vai também trazer formação de geada nas
regiões do interior norte e centro e neblinas ou nevoeiros e aguaceiros
fracos que serão de neve nas terras altas”, disse.
 
fonte:Beira.pt/imagem: Shutterstock Images – Licença Standard

Chuva e queda de neve nas terras altas no fim de semana

 

O
fim de semana vai ser marcado pela nebulosidade, chuva e queda de neve
nas terras altas, havendo também a possibilidade de a precipitação se
prolongar até quinta-feira, disse à agência Lusa a meteorologista Maria
João Frada.
De
acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da
Atmosfera (IPMA), para hoje e para o fim de semana está previsto céu
nublado, ocorrência de aguaceiros que podem ser fortes e possibilidade
de trovoadas e granizo, uma situação normal para a época do ano. “Uma
vez que as temperaturas estão relativamente baixas, sobretudo nas
regiões do interior, prevê-se para hoje queda de neve acima dos 800/1000
metros de altitude até ao início da manhã, com tendência depois para
subir até aos 1.400 metros e o vento vai soprar do quadrante sul”,
adiantou. Maria João Frada indicou também que no sábado ainda está
prevista “uma depressão dos níveis altos da atmosfera” e, por isso,
prevê-se céu muito nublado com boas abertas, aguaceiros mais prováveis a
partir da tarde e que serão de neve nas terras altas, acima dos 1.200 a
1.400 metros, vento fraco, neblina ou nevoeiro matinal e uma descida da
temperatura mínima. “No domingo, vamos ter a aproximação de um sistema
frontal e regressa a nebulosidade. O céu vai ficar carregado, muito
nublado ou encoberto, prevendo-se a ocorrência de chuva contínua”, disse
Maria João Frada, realçando que o fim de semana vai ser caracterizado
pela ocorrência de precipitação. No que diz respeito à próxima semana, a
meteorologista referiu que a probabilidade é de continuação da
precipitação. “Até quinta-feira há uma probabilidade de continuação de
precipitação. Temos novamente a passagem de ondulações frontais
associadas a depressões e o cenário vai ser basicamente de ocorrência de
precipitação, mantendo-se o tempo instável”, disse.
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar