Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: gnr

Tag Archives: gnr

GNR-Operação “TAXA ZERO” – Balanço

Durante o período de 5 a  13 de agosto, Guarda Nacional Republicana (GNR) realizou uma operação de fiscalização intensiva da condução sob efeito do álcool, que teve como objetivo promover comportamentos mais seguros por parte dos condutores e diminuir a sinistralidade rodoviária grave.

Esta época do ano caracteriza-se pelo aumento de eventos sociais, sejam festivais, convívios ou romarias, em que por norma existe um consumo excessivo de bebidas alcoólicas, associado ao aumento da circulação de viaturas em locais de Veraneio e de diversão noturna, o que potencia a ocorrência de acidentes, muitas vezes com consequências graves.

Durante o período da operação foram testados cerca de 32 mil condutores, tendo sido registados 671 excessos de álcool, dos quais 230 exerciam a condução com uma taxa crime igual ou superior a 1,2 gramas por litro (g/l), resultando na sua detenção, aos quais se acrescentam 163 detidos por falta de habilitação legal para conduzir.

Ainda no decorrer da operação foram detetadas mais de 14 mil contraordenações rodoviárias, das quais se destacam:

  • 3 548 por excesso de velocidade;
  • 578 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 453 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 390 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 310 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

A GNR, em 2018, detetou 9 647 crimes de condução sob a influência de álcool e registou 14 947 acidentes em que os condutores intervenientes apresentaram uma taxa de álcool no sangue superior a 0,50 g/l, e destes, 6 825 tinham uma taxa crime.

Perante estes números, a GNR continuará a intensificar ações de fiscalização no âmbito da condução sob a influência do álcool, no sentido de contribuir para a redução do número de acidentes rodoviários nas estradas.

GNR-Atividade diária

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Vila Nova de Foz Côa, ontem, dia 22 de julho, deteve um homem de 79 anos, pelo crime de incêndio florestal, em Vila Nova de Foz Côa.

Após o alerta de um incêndio florestal, os militares deslocaram-se de imediato ao local, acabando por deter um indivíduo que se encontrava a realizar uma queima de sobrantes, tendo o mesmo perdido o controlo do fogo, propagando-se a uma área de mato, consumindo 3,3 hectares.

O detido vai ser presente hoje, dia 23 de julho, ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Foz Côa para primeiro interrogatório judicial e para aplicação de medidas de coação.

 

 

Celorico da Beira – Dois detidos por posse ilegal de arma

 O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação Criminal da Guarda, ontem, dia 22 de julho, deteve dois homens de 40 e 32 anos, por posse ilegal de arma, no concelho de Celorico da Beira.

Na sequência de uma ação de fiscalização rodoviária, tendo em vista a deteção de armas e estupefacientes, os militares abordaram duas viaturas e verificaram que em ambas, junto ao banco do condutor, se encontravam dois bastões artesanais. De imediato, os suspeitos foram detidos e as armas apreendidas.

Os detidos foram constituídos arguidos e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Celorico da Beira.

GNR- Operação “Viajar Sem Pressa”

Até ao dia 19 de julho, a Guarda Nacional Republicana (GNR), na sua área de responsabilidade, realiza ações de sensibilização e de fiscalização rodoviária intensiva de controlo da velocidade, com o objetivo de promover uma cultura que resulte em comportamentos mais seguros por parte dos condutores e na diminuição da sinistralidade rodoviária grave.

O excesso de velocidade continua a constituir em Portugal uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave, seja pela diminuição do tempo de reação do condutor para fazer face a um imprevisto, ou pelo agravamento das suas consequências em resultado da maior violência do embate. Importa salientar que quando a velocidade duplica, a distância de travagem quadruplica, e em caso de acidente, a probabilidade de resultarem vítimas mortais ou feridos graves aumenta 8 a 16 vezes.

A GNR, relativamente à prevenção da sinistralidade rodoviária, no ano de 2018 e 1.º semestre de 2019, controlou a velocidade de cerca de 11 milhões de veículos, dos quais 232 532 circulavam em excesso.

Nesta operação serão empenhados militares dos Destacamentos de Trânsito dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, que estarão especialmente atentos à infração de excesso de velocidade, uma vez que este período de Verão carateriza-se, não só pela realização de grandes deslocações, seja por motivo de férias ou para o gozo de períodos de lazer mais curtos, como também pelo aumento do tráfego rodoviário e do cometimento de alguns excessos, nomeadamente de velocidade, potenciando a ocorrência de acidentes e o agravamento das suas consequências.

GNR tem Operação Baco em curso

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre os dias 12 a 24 de junho, intensifica a fiscalização da condução sob influência de álcool, com o objetivo de prevenir a sinistralidade rodoviária e aumentar o sentimento de segurança dos utentes da via.
As ações de fiscalização serão direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, estando empenhados militares dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT).
Durante a “Operação Baco 2018”, a GNR registou 1 194 excessos de álcool, dos quais 421 exerciam a condução com uma taxa crime igual ou superior a 1,2 gramas por litro (g/l), resultando na sua detenção.
Segundo o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, uma em cada três vítimas mortais em acidente de viação conduzia com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por Lei. Perante estes números, a GNR continuará a intensificar ações de fiscalização no âmbito da condução sob a influência do álcool, no sentido de reduzir o número de vítimas nas estradas.

GNR Guarda- Atividade semanal

O Comando Territorial da Guarda, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, no distrito da Guarda, de 3 a 9 de junho, que visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras, registando-se os seguintes dados operacionais:

 

1.           Detenções: 13 detidos em flagrante delito, dos quais se destacam:

·         Sete por tráfico de estupefacientes;

·         Três por condução sob o efeito do álcool.

 

2.           Apreensões:

·         110 doses de haxixe;

·         41 doses de MDMA;

·         Um aerossol.

 

3.           Trânsito:

Fiscalização: 109 infrações detetadas, dos quais se destacam:

·         87 por excesso de velocidade;

·         11 por condução com Taxa de Álcool no Sangue superior ao permitido por lei.

GNR- Operação Turismo Seguro

Até dia  14 de junho, em todo o Território Nacional, a Guarda Nacional Republicana promove um conjunto ações de sensibilização, dirigidas aos turistas, sobre procedimentos de segurança a adotar durante o seu período de descanso ou lazer.

Esta iniciativa tem um cariz marcadamente preventivo e, como tal, será intensificado o policiamento de proximidade nas zonas de maior densidade populacional, promovendo o contacto com os cidadãos, sensibilizando-os para adoção de comportamentos para prevenir os potenciais riscos e perigos da criminalidade associada ao turismo. Pretende-se, ainda, reforçar a corresponsabilização de todos os parceiros nacionais e locais ligados ao setor do turismo, na promoção da segurança e na proteção dos direitos de todos os turistas, transformando estes parceiros em Interlocutores Locais de Segurança, possibilitando, desta forma, uma integração mais efetiva da comunidade nas questões de segurança e da prevenção criminal.

Nas referidas ações de sensibilização, os militares irão transmitir os seguintes conselhos:

 Em passeio a pé:

– Não ostentar joias, relógios ou outros objetos de valor elevado;

– Nunca juntar os códigos e os cartões de crédito;

– Não ter todo o dinheiro, telemóvel e cartões num só sítio. Separar os locais onde os guarda;

– Usar roupa que tenha bolsos interiores com fecho, de forma a dificultar o furto por carteiristas;

– Usar as mochilas no peito;

– Evitar andar sozinho em zonas desertas e em horas de menor afluência de pessoas.

 Na residência de férias:

– Caso a habitação tenha cofre, guardar aí os objetos mais valiosos ou suscetíveis de furto;

– Ao sair da habitação, verificar se janelas e portas ficam bem fechadas/trancadas;

– Durante a noite, não dormir de janelas abertas;

– Nunca deixar objetos de grande valor à vista, sendo que este cuidado ainda é mais importante quando o quarto/habitação está acessível da rua ou está situada no rés-do-chão;

– Caso a residência seja alvo de furto, informar as autoridades assim que possível.

 Em passeio/visita de locais turísticos de automóvel:

– Nunca deixar objetos à vista no interior do automóvel;

– Ao abandonar o veículo, certificar-se que este ficou trancado e com os vidros fechados;

– Após estacionar, não tirar objetos do habitáculo para a mala do veiculo (deverá fazê-lo antecipadamente);

– Caso seja vítima de furto, informar imediatamente as autoridades.

 Na Praia:

– Levar o mínimo indispensável para a praia;

– Não ostentar objetos de valor;

– Evitar deixar os objetos pessoais visíveis quando for à água;

– Se possível, solicitar a um conhecido que vigie os seus pertences.

Operação “Smartphone, Smartdrive”em curso

Decorre até ao dia 12 de maio, uma operação com o Comando Territorial da Guarda, através do Destacamento de Trânsito, está a intensificar a fiscalização ao uso indevido do telemóvel durante a condução, nas vias onde se tem registado um maior índice de sinistralidade, de modo a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores.

A utilização incorreta e o manuseamento de telemóveis, tablets, ou dispositivos similares, para a realização de chamadas, envio de mensagens escritas ou consulta de redes sociais, durante a condução acarreta riscos associados, designadamente:  

·         Distração visual (tira os olhos da estrada);

·         Limitação motora (tira as mãos do volante);

·         Condicionamento cognitivo (distração na condução).

A condução distraída é um fator de risco que tem sido objeto de uma atenção crescente nas políticas de segurança rodoviária, de tal modo que a Comissão Europeia, no Plano de Ação para a próxima década (2020-2030) destacou a condução distraída como um dos principais comportamentos de risco para a segurança rodoviária, bem como a velocidade excessiva, a não utilização do cinto de segurança ou capacete e a condução sob efeito do álcool ou substâncias psicotrópicas.

Em 2018, a GNR da Guarda detetou mais de 192  condutores a fazer o uso indevido do telemóvel no exercício da condução, enquanto que nos primeiros quatro meses de 2019, foram detetados cerca de 92 condutores, sendo a dissuasão do cometimento deste tipo de infrações, uma das prioridades dos militares da GNR, no sentido de salvar vidas e de reduzir os riscos, fazendo face a este flagelo da sinistralidade rodoviária.

GNR -Operação “Via Livre” – Resultados

96 condutores detetados a não circular pela via mais à direita

Entre os dias 12 e 14 de abril, a Guarda Nacional Republicana (GNR), através de militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, realizou uma operação de fiscalização rodoviária em todo o Continente, no sentido de evitar a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda, sem que exista tráfego na via mais à direita das autoestradas e vias reservadas a automóveis e motociclos.

Tal conduta, provoca constrangimentos à segurança rodoviária e à fluidez do tráfego, o que muitas vezes motiva a ocorrência de comportamentos desviantes e o cometimento de outras infrações por parte dos restantes condutores, potenciando as ultrapassagens pela direita ou a redução brusca da velocidade, aumentando assim as possibilidades de ocorrência de acidentes.

Nas 48 horas que durou esta operação, a GNR fiscalizou mais de 11 mil veículos e detetou 3 653 contraordenações rodoviárias, das quais se destacam:

·         96 relacionadas com a posição da marcha (não circulação na via mais à direita);

·         1 638 por excesso de velocidade;

·         203 por falta de inspeção periódica obrigatória;

·         145 por anomalias nos sistemas de sinalização e iluminação;

·         136 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;

·         108 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;

·         101 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

Neste período foram detetados 222 condutores com excesso de álcool, dos quais 97 foram detidos por condução com uma taxa de álcool superior a 1.2g/l e 33 por falta de habilitação legal para conduzir.

No ambiente rodoviário, a GNR tem dedicado o seu esforço na consciencialização dos demais utentes da via para a não adoção de comportamentos de risco, que constituam uma ameaça para a segurança dos condutores, passageiros e peões, procurando assim reduzir os índices de sinistralidade.

GNR- Operação “Via Livre” Circulação rodoviária pela via mais à direita

Entre os dias 12 e 14 de abril, a Guarda Nacional Republicana (GNR), através de militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, irá realizar uma operação de fiscalização rodoviária em todo o Continente, no sentido de evitar a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda, sem que exista tráfego na via mais à direita das autoestradas e vias reservadas a automóveis e motociclos.

Tal conduta, provoca constrangimentos à segurança rodoviária e à fluidez do tráfego, o que muitas vezes motiva a ocorrência de comportamentos desviantes e o cometimento de outras infrações por parte dos restantes condutores, potenciando as ultrapassagens pela direita ou a redução brusca da velocidade, aumentando assim as possibilidades de ocorrência de acidentes.

No ambiente rodoviário, a GNR tem dedicado o seu esforço na consciencialização dos demais utentes da via para a não adoção de comportamentos de risco, que constituam uma ameaça para a segurança dos condutores, passageiros e peões, procurando assim reduzir os índices de sinistralidade.

Operação “Duas ou quatro rodas, há espaço para todos” – Resultados GNR

No período de 1 a 7 de abril, a Guarda Nacional Republicana, em conjunto com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e a Polícia de Segurança Pública, promoveu a operação “Duas ou quatro rodas, há espaço para todos”, que consistiu numa atitude proativa e dissuasora da sinistralidade rodoviária, através da intensificação das ações de sensibilização e fiscalização de trânsito, visando a coexistência e partilha da via, de forma segura e responsável, entre automóveis e motociclos.

Para além das campanhas televisivas e na imprensa, a GNR distribuiu cerca de 10 000 folhetos a condutores, alertando para o flagelo da sinistralidade rodoviária, apelando à consciencialização dos utilizadores da via, principalmente para os cuidados a ter no exercício da condução de veículos de duas ou quatro rodas.

Neste âmbito, a GNR, no último sábado, dia 6 de abril, na Escola da Guarda, em Queluz,  desenvolveu uma ação de sensibilização teórico-prática de técnicas de condução defensiva para motociclistas, ministrada por militares especialistas em segurança rodoviária e em condução defensiva de veículos motorizados de duas rodas, da Escola da Guarda e da Unidade Nacional de Trânsito. Esta ação teve uma componente teórica, que abrangeu temas como a posição de condução, segurança ativa e passiva, travagem de emergência e trajetórias de segurança, bem como uma componente para colocar em prática os ensinamentos de segurança rodoviária e de perícia de condução. Este tipo de ações contou, até ao momento, com a participação de cerca de 550 condutores de motociclos e ciclomotores, de todo o país, estando programada uma série de outras ações visando alcançar os mais de 1000 condutores inscritos.

Relativamente às ações de fiscalização realizadas durante o período em que decorreu a operação, a GNR fiscalizou mais de 36 mil veículos, levando à detenção de 268 condutores, destes, 155 por condução com uma taxa de álcool superior a 1.2g/l e 113 por falta de habilitação legal para conduzir, tendo ainda sido detetadas 11 555 contraordenações rodoviárias, das quais se destacam as seguintes:

·         2 116 por excesso de velocidade;

·         1 367 por desrespeito pela sinalização;

·         758 por falta de inspeção periódica obrigatória;

·         668 por anomalias nos sistemas de iluminação ou sinalização;

·         577 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;

·         301 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;

·         199 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;

·         144 por anomalias nos pneus;

·         97 por desrespeito pelas regras de prioridade;

·         92 por não utilização ou utilização incorreta de dispositivos de segurança;

·         40 por deficientes condições de segurança dos veículos;

·         36 por manobras perigosas ou irregulares;

·         28 por não utilização de capacete.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar