Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: guarda

Tag Archives: guarda

Governo vai investir cerca de 12,5 milhões de euros no Centro de Saúde de Seia e Parque de Saúde daGuarda

A manhã desta segunda -feira foi especial para o Centro de Saúde de Seia e mais tarde no Hospital Sousa Martins Guarda, teve lugar a visita da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, onde participou numa reunião de trabalho com o Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) e o Presidente da Câmara da Guarda, que serviu para perceber “as várias necessidades” locais, para que dois projetos sejam candidatados ao Programa Operacional Regional do Centro, tendo em conta que verbas remanescentes foram alocadas à Saúde.
Deste modo, o  Governo pretende investir um total de 12,3 milhões de euros na melhoria das condições de edifícios do Hospital Sousa Martins e do Centro de Saúde de Seia, o anúncio foi feito  pela Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.
Segundo avançou a Ministra, no Parque da Saúde da Guarda, onde está instalado o Hospital Sousa Martins, estão previstos investimentos no valor global de 11 milhões de euros e, em Seia, na requalificação do Centro de Saúde, 1,3 milhões de euros.
fotos:ULS Guarda

BMEL com bela programação em 2021

A BMEL inicia o ano de 2021 com uma programação versátil, oferecendo aos seus utilizadores atividades que vão desde a apresentação de livros a workshops, ateliers, sessões de poesia, teatro e exposições. Continuando a ser residência artística com o projeto “Incentivart”, desafiando artistas e criadores locais a desenvolverem trabalhos no domínio da literatura, arte performativa e cénica, música e escultura.

Pretendendo enaltecer as memórias e tradições associadas ao Carnaval, a BMEL lança, até 8 de fevereiro, o desafio “Entrudos doutras eras”, com o propósito de recuperar as memórias de quem, na sua infância, ainda se recorda de como passava a época do Carnaval, através da escrita de um texto alusivo a esses tempos.

À semelhança de anos anteriores, a apresentação de novos títulos será uma máxima da programação do novo ano. Assim, serão apresentados em janeiro e fevereiro os seguintes livros: “Explosões Emocionais” de Augusto Barbosa, dia 9 de janeiro às 15h00, onde o autor recorda o seu bairro; as “Quase memórias de um lugar e de outras andanças”, de António de Castro Guerra, autor nascido em Valhelhas, concelho da Guarda, será apresentado dia 15 de janeiro às 18h00; “A menina Cabreira”, de Maria José Dinis – Presidente da ASTA (Associação Sócio Terapêutica de Almeida), dia 30 de janeiro pelas 15h00, que nos fala de “uma guardadora de cabras que, há muito tempo, habitou por terras da beira interior”. Por último, já em fevereiro, dia 20 às 16h00, é apresentada a obra “As estradas são para ir”, de Márcia, que, numa altura em que ficou sem poder cantar, devido a um problema numa corda vocal, encontrou, no meio do seu silêncio, um outro som precioso: a poesia.

O grande destaque desta agenda vai para Al Berto, um poeta irreverente que retomou a herança surrealista, fundindo o real com o imaginário. Galardoado com o Prémio Pen Club de Poesia em 1987, Al Berto é um autor que se distingue de qualquer outra experiência contemporânea, trazendo à memória as experiências poéticas do próprio sofrimento na sua violenta exaltação. Inicialmente seguindo uma estética da temática erótica, funde a prosa e a poesia, exprimindo intertextualidades, numa viagem purificadora e marginal. No âmbito do destaque, no dia 21 de janeiro, pelas 18h00, será exibido um filme sobre o poeta, realizado por Vicente Alves do Ó. A propósito da sua obra, a Associação Calafrio promove nos dias 23 e 30 de janeiro (14/19h00) o Workshop “Assobiando ao medo”, que culmina com uma sessão de leitura expressiva, dando voz e corpo aos textos da obra de Al Berto. Ainda a partir da sua poesia, os alunos de Literatura do Ensino Secundário da Escola Secundária Afonso de Albuquerque apresentam uma sessão de poesia, no dia 29 de janeiro ás 15h30. Já no dia 6 de fevereiro, pelas 17h00, a Associação Calafrio apresenta “Assobiando ao medo”, uma sessão de poesia, teatro e fotografia.

A BMEL continua a proporcionar bons momentos em família, através da atividade “Em família… Na biblioteca”. Desta vez, com o Atelier “Bugs in a blanket (Pulgas no cobertor)”, por Ana Mourato, dia 23 de janeiro, e com “A grande viagem do pequeno MI”, dia 6 de fevereiro (10h30) por Ana Raquel e Beatriz Marques Dias, num Laboratório/Performance de dança, música, literatura e ilustração.

Decorre ainda, no âmbito do projeto “A Terra da Escrita” e para alunos do 3º ciclo e secundário dos Agrupamentos de Escolas da Guarda, o encontro virtual com a autora Helga Moreira, nos dias 27 e 28 de janeiro (16h00).

Como já vem sendo hábito em anos anteriores, a BMEL é palco de mais um Concurso Nacional de Leitura – Fase Municipal, dia 9 de fevereiro, sendo esta fase organizada pela BMEL destinada aos alunos vencedores do momento anterior, a Fase Escolar. Apurará os concorrentes para a Fase Intermunicipal.

Prosseguindo com a colaboração de Agostinho Santos e Valter Hugo Mãe apresentamos, de 13 de fevereiro a 23 de maio, a exposição “Bruto”. Agostinho Santos regressa à BMEL, com uma exposição de livros de artista, de sua autoria, que conta com a curadoria de Valter Hugo Mãe, numa organização conjunta com o Museu da Guarda e o Teatro Municipal da Guarda. A inauguração da exposição será dia 13, às 17h00.

Por último, dia 27 de fevereiro às 16h00, Anabela Matias, apresenta o conto “Mãos que escrevem história”, inspirado na vasta e dispersa produção literária de Eduardo Lourenço. Sendo que, grande parte do espólio literário (livros, postais, pensamentos, cartas…), do patrono da BMEL, se encontra no acervo desta biblioteca, uma residência literária inserida no projeto INCENTIVART, tratará parte deste riquíssimo espólio literário, organizando-o por assuntos para o dar a conhecer ao público leitor, sob a forma de conto inédito.

Campanha “Outubro Rosa” na Guarda angariou mais de 16 mil euros

Em resposta ao repto solidário ficou acima de qualquer expectativa, com a realização de muitas dezenas de ações de sensibilização, o reforço de parcerias com entidades locais, e uma angariação de fundos que, no total, soma a verba de 16 336,10€, destinadas ao apoio ao doente oncológico e familiares.

A comunidade da Guarda foi ímpar na adesão a este projeto, organizado pelo Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, onde a prevenção e o diagnóstico precoce foram os motes de mobilização para a luta contra o cancro da mama.

Além da vertente de sensibilização pública, a campanha integrou diversas atividades de angariação de fundos a favor do doente oncológico e familiares. Juntaram-se a este desafio centenas de mulheres, famílias, entidades da sociedade civil e entidades diversas, tanto públicas (Câmara Municipal da Guarda, Juntas de Freguesia do concelho, escolas diversas) como privadas (comércio local, farmácias, IPSS, Associações). O envolvimento de todos resultou numa das mais participadas ações na comunidade na Guarda.

Num ano atípico como o que vivemos, as voluntárias do Movimento Vencer e Viver (MVV) da Liga Portuguesa Contra o Cancro na Guarda, reconhecem o espírito de união e solidariedade que a comunidade da Guarda mostrou ter nesta iniciativa, e que inspira a mudança.

Recorde-se que o cancro de mama é um problema de saúde pública, apesar de não ser dos mais letais, tem uma incidência elevada, sobretudo na mulher (apenas 1 em cada 100 cancros se desenvolvem no homem). Atualmente em Portugal, com uma população feminina de 5 milhões, surgem mais de 6000 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja, 11 novos casos por dia, morrendo por dia 4 mulheres com esta doença.

A LPCC e as voluntárias do MVV na Guarda agradecem a todos os que se juntaram a esta causa, apoiando todas as mulheres e famílias afetadas pela doença, e contribuindo para o progresso e a luta contra o cancro de mama.

“Caravana Literária homenageia Eduardo Lourenço

A Guarda2027 vai organizar a “Caravana Literária – Festa de Literatura e Pensamento da Beira Interior”. A primeira edição, programada para acontecer a partir de maio de 2021, homenageia Eduardo Lourenço. A Caravana Literária é um projeto itinerante dedicado à figura e obra de um autor consagrado ligado aos concelhos que integram a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura. Trata-se de uma festa de literatura e pensamento anual que tem como premissa associar geografias (espaço urbano e património natural), à produção literária e a outras áreas artísticas, de forma articulada e em torno de uma personalidade de dimensão nacional.

O anúncio da Caravana Literária aconteceu no decorrer da quarta e última sessão do ciclo “Conversas:Guarda2027, uma iniciativa que discutiu temas como a atividade artística em contexto rural, mobilidade e coesão social, empreendedorismo e tecnologias da cultura e património identitário da região.

“Eduardo Lourenço foi quem mais pensou sobre a vocação da Guarda, não só na Ibéria como no contexto europeu”, referiu na ocasião Vítor Amaral, vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda.

Este projeto está a ser concebido no âmbito da Guarda2027 pelo programador Jorge Maximino.

As conclusões das quatro sessões do ciclo “Conversas:Guarda2027″, realizadas no Fundão, Gouveia, Figueira de Castelo Rodrigo (em versão online) e na Guarda vão estar plasmadas no dossier de candidatura.

“Está na altura de sairmos das trincheiras e criar uma narrativa comum para a Beira Interior que se transforme numa candidatura forte a Capital Europeia da Cultura em 2027”, concluiu Vítor Amaral.

Distrital do PSD Guarda critica Deputados do PS de votarem contra redução das Portagens

Em comunicado a Distrital do PSD da Guarda, informa que na conferência de
imprensa, se falou sobre a aprovação da proposta que o PSD apresentou em sede do
Orçamento de Estado que vai permitir a redução da taxa das portagens em
50% para todos os veículos de combustão e em 75% para veículos
elétricos, nas ex-SCUTS, A23 e A25.
Para os social democratas do distrito da Guarda, esta redução de 50% é uma
justa compensação para estes territórios de baixa densidade, porque o
Governo beneficiou as grandes áreas metropolitanas com a redução dos
passes sociais, sem que beneficiasse, da mesma forma, estes territórios do
interior.
Pelas mãos do PSD, fez-se agora um pouco de justiça para com os cidadãos
do interior e para com as empresas aqui sediadas. O PSD passou das palavras
aos atos e num ato de coragem conseguiu aquilo que mais nenhum partido
tinha conseguido nos últimos 10 anos, desde que foram introduzidas as
portagens nas ex-SCUTS, referem os social democratas.
Para Carlos Condesso, Presidente da Distrital, “esta redução de 50% nas
portagens vem beneficiar milhares de cidadãos e contribui fortemente para
aliviar os custos de contexto para as empresas, que, a partir do próximo ano,
verão as suas despesas com a utilização destas estradas reduzir para metade.
Esta medida também vem ajudar, e muito, o turismo no interior e todo este
setor. Os valores que estão em vigor são altamente penalizadores e têm
trazido danos avultados à nossa região”, frisa.
Para o Presidente da Distrital, neste processo, esteve muito mal o Governo e,
mais ainda, os deputados eleitos pelo PS ao terem votado contra esta
proposta.

“Com esta posição e esta atitude não terão perdão por parte dos cidadãos do
distrito. Por cá iludem os cidadãos com juras de amor, por lá, pelo Parlamento,
onde é a sério, abandonam quem os elegeu”, refere.
Para Carlos Condesso, o que os deputados do PS do distrito fizeram “foi
um ato de traição para com os cidadãos do distrito e de todo o interior do
país. Deviam pedir desculpa e fazerem um ato de contrição por cederem
aos interesses do partido”, afirmou ainda o líder da Distrital da Guarda do
PSD.
A redução das portagens em 50% nas ex-SCUT, como a A23 e a A25, a
partir de janeiro “não é nenhum drama orçamental, mas um benefício
enorme para quem vive e trabalha no interior do país”, considera Carlos
Peixoto, deputado do PSD.
O eleito pelo círculo da Guarda referiu ainda que esta aprovação é “um
momento histórico” para o interior.
“Agora é possível reduzir as portagens, porque no ano passado o Governo
beneficiou as Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, com apoios para a
redução dos passes sociais. Este é um benefício de compensação para as
regiões do interior de forma a incentivar a mobilidade e o uso do transporte
individual porque aqui não há transportes públicos”, justificou Carlos Peixoto.
A Distrital do PSD refere também que a Ministra da Coesão Territorial ficou mal
neste processo, “pois o máximo que tinha conseguido relativamente às
portagens, foram umas migalhas. Foi poucochinho!” Aprovar um desconto de
25%, só a partir da 8.ª passagem, é atirar areia para os olhos dos portugueses.
“O facto de não ter ido mais longe, como a própria afirmou, só prova a falta de
peso político no Governo e que o seu ministério se verga aos interesses do
litoral e das grandes áreas urbanas”, concluem.

Guarda-821 anos-Inauguração do elevador panorâmico e Requalificação da Torre dos Ferreiros

A cidade mais alta comemora o seu Feriado Municipal e os 821 anos de atribuição do Foral pelo rei D. Sancho I à cidade, onde o dia algo cinzento iniciou com o hastear das bandeiras, seguida da sessão evocativa ao dia festivo, presidida pelo Presidente da Câmara, Carlos Chaves Monteiro.

Foi entregue uma medalha de Mérito Municipal  ao presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social, Lino Maia, uma  homenagem a todas as IPSS do concelho da Guarda.

Seguiu-se a inauguração do elevador panorâmico e Requalificação da Torre dos Ferreiros. 

Esta obra foi um  investimento na ordem dos 570 mil euros. O equipamento permite uma visão de 360º da Guarda e arredores. Esta intervenção está inserida no projeto de ‘Requalificação do eixo central da Guarda’ e tem como objetivo tornar a cidade mais atrativa para turistas e residentes dinamizando simultaneamente a economia local.

GNR- Foz Côa – Prisão preventiva por violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Vila Nova de Foz Côa, deteve em flagrante delito um homem de 71 anos por violência doméstica, em Vila Nova de Foz Côa.
Na sequência de uma denúncia, os militares da Guarda deslocaram-se ao local onde verificaram que a vítima, a ex-mulher de 62 anos, tinha sido injuriada e ameaçada de morte, enquanto o agressor forçava a entrada na sua habitação, com recurso a um paralelo da calçada e uma barra de ferro, tendo destruído parcialmente a porta de entrada.
O suspeito foi presente hoje, dia 20 de novembro, ao Tribunal Judicial de Foz Côa, ficando sujeito à medida de coação de prisão preventiva, para cumprimento no Estabelecimento Prisional da Guarda.

Novas medidas do Estado de Emergência até 8 de dezembro

Suspensão de aulas antes dos feriados 1 e 8 de dezembro

Assim , ao fim da tarde deste sábado, António Costa, apresentou as novas medidas para o novo Estado de Emergência, onde sobressai a saída de Fornos de Algodres da lista dos concelhos de risco , ainda a novidade da suspensão de aulas antes dos feriados 1 e 8 de dezembro.

Por sua vez, o Primeiro- ministro referiu ainda que, “não obstante continuarmos a crescer, há uma desaceleração”, o que não significa baixar os braços. “Temos ainda muito que nos esforçar”, refere, justificando o reforço das medidas.

Medidas Gerais:

  • Uso obrigatório da máscara no local de trabalho, exceto quando os postos de trabalho são isolados ou quando haja separação física entre diferentes postos. “Também no trabalho se transmite o vírus e também no trabalho a máscara protege da transmissão do vírus”, apontou António Costa;
  • Proibição de circulação entre concelhos:
    • entre as 23h de 27 de novembro e as 5h de 2 de dezembro
    • entre as 23h de 4 de dezembro e as 5h de 9 de dezembro;
  • Nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro estão suspensas as atividades letivas em todos os níveis de ensino. Nas mesmas datas há tolerância de ponto e o apelo a entidades privadas para dispensa de trabalhadores. Costa justificou estas medidas como forma de se ter “um mês de dezembro o mais tranquilo possível”;

– Mapa de Risco

  • Os concelhos serão divididos em diferentes níveis de risco de contágio. Neste momento existem 65 concelhos de risco moderado, 86 de risco elevado, 80 de risco muito elevado e 47 de risco extremamente elevado. As regras específicas para cada concelho podem ser vistas no site Estamos On;
  • Será “em função destes critérios de risco” que nos próximos meses serão “modeladas as medidas a adotar para que se ajustem o melhor possível à realidade efetiva em cada concelho”;
  • Casos em cada nível de risco, nos últimos 14 dias:
    • “Extremamente elevado”: mais de 960 casos de doença por 100 mil habitantes;
    • “Muito elevado”: mais de 480 novos casos por 100 mil habitantes;
    • “Elevado”: mais de 240 e até 480 casos por 100 mil habitantes;
    • “Moderado”: menos de 240 casos por 100 mil habitantes.
  • António Costa referiu que 17 concelhos saem da lista de risco elevado, informação posteriormente corrigida pelo Governo, referindo que são apenas 15 concelhos: Aljustrel, Alvaiázere, Beja, Borba, Carrazeda de Ansiães, Ferreira do Alentejo, Fornos de Algodres, Santa Comba Dão, São Brás de Alportel, Sousel, Tábua, Tavira, Vila Real de Santo António, Vila Velha de Ródão e Vila Flor;

 

  • Nos concelhos onde há mais de 240 casos por cem mil habitantes, o Governo refere que vai haver uma “ação de fiscalização do cumprimento do teletrabalho obrigatório”, devido aos incumprimentos que se têm verificado;
  • Na quinzena que engloba os dois feriados — 1 e 8 de dezembro — não vão ser verificadas medidas diferentes entre os concelhos com 48o casos por cada 100 mil habitantes e os que têm mais de 960. Desta forma, mantém-se as medidas atualmente em vigor e são acrescentadas outras três:
    • Entre as 13h e as 5h é proibido circular na via pública e os estabelecimentos comerciais têm de estar fechados;
    • Nas vésperas dos feriados, os estabelecimentos comerciais têm de encerrar a partir das 15 horas;
    • As medidas dos fins de semana estão em vigor nos feriados de 1 e 8 de dezembro.

 

  • António Costa referiu também medidas de apoio à economia:
    • Programa Apoiar.pt, no valor total de 1.55o milhões de euros — estão previstos empréstimos de 750 milhões de euros e 160 milhões de euros a fundo perdido;
    • Medidas de apoio à restauração;
    • Apoio à Retoma Progressiva, com acesso imediato;
    • Adiamento dos pagamentos à Segurança Social e IVA trimestral;
    • Redução de rendas comerciais, com contrapartidas para os senhorios.

Elevador Panorâmico da Torre dos Ferreiros vai ser inaugurado nos 821 anos da Guarda

A  Guarda celebra os 821 anos de atribuição do Foral pelo rei D. Sancho I à cidade mais alta, no próximo dia 27 de novembro de 2020.

Para celebrar a data, e face à situação pandémica que se vive, o Município da Guarda vai transmitir via facebook as principais iniciativas do Dia de Aniversário: o hastear da Bandeira, a Sessão Solene Comemorativa com a participação de Elisa Ferreira, comissária europeia da Coesão e Reformas, e onde serão homenageadas, com a atribuição da Medalha de Mérito, as IPSS do concelho da Guarda. Também online vai estar a transmissão da inauguração do Elevador Panorâmico e obras de requalificação da Torre dos Ferreiros e ainda a ligação da Iluminação de Natal, já ao final da tarde.

As comemorações têm início com a cerimónia do Hastear da Bandeira às 10h30, na Praça do Município. Segue-se, às 10hh45, a Sessão Solene Comemorativa do 821º Aniversário da Atribuição do Foral à Cidade da Guarda que contará com as intervenções da presidente da Assembleia Municipal, Cidália Valbom; da comissária europeia da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira e do presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro. Na sessão serão ainda homenageadas todas as IPSS do concelho da Guarda com a atribuição da Medalha de Mérito ao Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social, em representação de todas as instituições.

Às 12h00 são inauguradas as obras de requalificação da Torre dos Ferreiros que incluem um elevador panorâmico com miradouro sobre a cidade. Uma obra que está enquadrada no Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial, um projeto cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, no âmbito do Plano Operacional do Centro 2020.

As comemorações prosseguem durante a tarde em duas freguesias do concelho. Primeiro, às 15h00, em Vila Fernando onde será feita a bênção às obras de ampliação do Cemitério da localidade e às 16h00 em Videmonte, onde será inaugurado o Equipamento Público de Apoio ao Museu desta aldeia de montanha.

De regresso à mais alta, às 17h30, o presidente da Câmara da Guarda procederá à ligação da Iluminação de Natal 2020 na Praça Luís de Camões, bem no coração da Guarda.

O dia de aniversário termina, como já vem sendo hábito, com um concerto comemorativo no Teatro Municipal da Guarda, antecipado, dadas as contingências do Estado de Emergência, para as 18h00. Cuca Roseta é a artista convidada neste concerto de aniversário. A fadista irá apresentar o seu mais recente trabalho: Amália. Uma homenagem da fadista à maior voz e diva do Fado, Amália Rodrigues.

No programa comemorativo deste aniversário consta ainda no dia 25 de novembro, às 10h30, a realização do 2º Webinar Conversas na Rede: “Empreendedorismo – Oportunidades e Desafios para Territórios de Baixa Densidade” e, no dia 28 de novembro, a Apresentação do livro “O Bisavô” de Maria João Lopo de Carvalho, pelas 16h00, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço.

PROGRAMA COMEMORAÇÕES DO 821º ANIVERSÁRIO DA GUARDA

25 Novembro
10h30| Webinar Conversas na Rede:  “Empreendedorismo – Oportunidades e Desafios para Territórios de Baixa Densidade”

27 Novembro
10h30| Praça do Município
Hastear da Bandeira

10H45| Online no Facebook do Município
Sessão Solene on-line Comemorativa do 821º Aniversário da Atribuição do Foral à Cidade da Guarda

Homenagem a todas as IPSS do concelho da Guarda com a atribuição da Medalha de Mérito ao Presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social, em representação de todas as instituições.

Com intervenções:
Presidente da Assembleia Municipal, Cidália Valbom
Comissária Europeia da Coesão e Reformas, Elisa Ferreira
Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro

12h00| Torre dos Ferreiros
Inauguração do Elevador Panorâmico e Requalificação da Torre dos Ferreiros 

15h00|Vila Fernando
Bênção das obras de ampliação do Cemitério de Vila Fernando

16h00| Videmonte
Inauguração do Equipamento Publico de Apoio ao Museu de Videmonte

17H30| Praça Luis de Camões
Ligação da iluminação de Natal

18H00 | Grande Auditório do TMG
“Amália” por Cuca Roseta         

28 Novembro
16H00| Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço
Apresentação do livro “O Bisavô” de Maria João Lopo de Carvalho

PS apresenta propostas para Orçamento e Plano de Atividades da Freguesia da Guarda para 2021

Em comunicado, foram elaboradas considerações  pelo Grupo do Partido Socialista na Assembleia
de Freguesia da Guarda acerca dos dados preliminares do Orçamento da Freguesia da Guarda de 2021 e sobre as propostas apresentadas para o Plano de Atividades da Freguesia da Guarda de 2021.
No âmbito do estipulado pelo n.o 3, do artigo 5.o, da Lei n.o 24/98, de 26 de maio, que consagra
o Estatuto do Direito de Oposição, o Grupo do PS na Assembleia de Freguesia da Guarda (GPS
AFG) foi convidado a apresentar propostas à Junta de Freguesia da Guarda (JFG) para o
Orçamento e Plano de Atividades da Freguesia da Guarda, no ano de 2021.
Assim sendo, procurando salvaguardar o usufruto da oportunidade e do direito em questão, a
16 de novembro de 2020 o GPS AFG, através de missiva remetida pelo seu Coordenador, Fábio
Pinto, assinalou à JFG algumas considerações e propostas que considera que devem ser tidas
em conta na elaboração dos documentos, destacando que “o atual momento exige uma intervenção
atenta e cuidada, com respeito pelas condições excecionais que todos vivemos, assim como com a
necessária sensibilidade ao facto de que o próximo ano não deve merecer um plano de ação idêntico ao que tem sido assumido nos anos que o antecederam”.
Face ao momento atual, e perante esta previsão, o GPS AFG considera que “todo um plano de atividades e orçamento de uma Freguesia não pode, em absoluto, ser alheio a esta preocupação, devendo por isso evidenciar, de forma clara e direta, uma imperativa aproximação das suas prioridades para com as carências da comunidade a que se propõe servir, servindo, de forma soberana, a prioridade social e comunitária da nossa Freguesia”.

Posto isto, em análise aos dados informativos indicativos da perspetiva financeira para o ano de 2021 da Freguesia da Guarda, o GPS AFG considera que:
– Para além das despesas de funcionamento da Freguesia e das despesas com remunerações, considera o GPS AFG que não se podem “deixar de considerar que as despesas relativas ao “Encerramento das obras em curso” se recobrem de uma manifesta prioridade indevida, quando se procura antecipar o ano de 2021, que previsivelmente contará com conjeturas marcadamente difícil para todos, fruto da Pandemia por COVID-19, o que pressupõe a necessidade de alterar as habituais prioridades assumidas em outros anos, num claro e robusto reforço ao foco principal que os cidadãos e as suas necessidades devem representar no exercício da construção de um Orçamento e do Plano de Atividades da Freguesia”.
– O GPS AFG salientou que “do valor apresentado referente ao Protocolo do acordo de execução
estabelecido com a Câmara Municipal da Guarda, este renova uma clara desconsideração para com a
Freguesia da Guarda e o manifesto desinteresse que a Câmara Municipal da Guarda potencia e potenciou ao longo desta mandato para com a segunda maior autarquia do distrito da Guarda, quando assume apoios bastante mais substantivos para com outras Freguesias e atribui uma verba à Freguesia da Guarda que nem permite a finalização dos projetos que a Junta de Freguesia mantém por concluir”.
– Considera o GPS AFG que “face ao atual cenário de grande dificuldade, ao qual uma grande maioria dos guardenses não é alheio, não se reveste de forma prioritária a intervenção que a Junta de Freguesia alegadamente pretende desenvolver no que à reabilitação dos Fornos Comunitários diz respeito, mais ainda quando não se conhecem dados que atestem a pertinência desse investimento em paralelo com o desconhecimento sobre a taxa de utilização dos Fornos Comunitários já intervencionados”.

Assim, tendo em vista uma importante intervenção da Freguesia da Guarda junto dos guardenses no
próximo ano, como forma de apoio e de proximidade às suas reais necessidades:
– Considera o GPS AFG, que dentro do atual contexto pandémico e tendo em atenção a crescente
notabilização da utilização das ferramentas digitais para reuniões e trabalho, ou simplesmente como
forma de contato, deveria ser disponibilizado um espaço nas instalações da Freguesia da Guarda, a ser utilizado pelos cidadãos, com a possibilidade de realização de videochamadas e videoconferências.
– Mantendo presente as múltiplas preocupações evidenciadas pelas associações com quem o GPS AFG teve a oportunidade de contatar no âmbito da primeira edição do seu Roteiro das Forças Vivas, bem como atentando ao difícil momento por que muitas passam, quer seja pela impossibilidade de executar o plano de atividades previsto, pela dificuldade de tesouraria, ou simplesmente pela obrigação da suspensão da sua atividade em decurso das recomendações das autoridades de saúde, crê o GPS AFG que a Junta de Freguesia deveria promover um ciclo de iniciativas dedicado ao apoio aos agentes comunitários da Freguesia, tendo em vista a promoção pública da sua atividade, disponibilizando aos guardenses a possibilidade de conhecerem as associações e de usufruírem de momentos culturais, ou outros, à distância (mediante o apoio à transmissão digital pela Freguesia), ou de forma presencial, se as condições sanitárias assim o permitirem, sendo que a participação das associações seria complementada com um apoio financeiro extraordinário, atribuído pela Junta de Freguesia, como forma de promover a sua dinâmica e de se associar à sua importância impar, nos bons e menos bons momentos.
– Ainda tendo em conta o atual período pandémico, deverá ser garantida a possibilidade de contato à
distância entre os serviços da Junta de Freguesia e os cidadãos, devendo para isso ser assegurada a
prestação de todos os serviços burocráticos de forma não presencial (a não ser em casos excecionais),
através de metodologias simples e rápidas. Assim, reveste-se de maior importância, a disponibilização dos serviços da Junta de Freguesia em segurança a todos os cidadãos, pela via digital, bem como o pagamento dos mesmos por via multibanco.
– O GPS AFG propõe também a criação de uma plataforma digital para levantamento de necessidades de apoio a associações, instituições e cidadãos, num espaço digital onde possa ser remetido, de forma rápida e simples, à Junta de Freguesia, qualquer tipo de necessidade de apoio, competindo a esta o seu tratamento ou encaminhamento célere às entidades responsáveis.
– O GPS AFG propõe a criação, ativação permanente e promoção da respetiva disponibilização do
transporte solidário da Freguesia da Guarda, um serviço que procure garantir a mobilidade de cidadãos em situação de isolamento e com mobilidade reduzida, nas suas idas à farmácia, às consultas médicas, e a outros locais de necessidades básicas, conforme proposta do programa eleitoral da candidatura do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia da Guarda e, à semelhança do que acontece com a maioria das Freguesias do concelho da Guarda.
– É proposta a criação de um Conselho Consultivo da Freguesia, um órgão que se destina a congregar as associações, moradores dos bairros e demais Forças Vivas da Freguesia, com o objetivo de promover o diálogo, concertação e debate sobre os mais variados assuntos que digam respeito à gestão da Freguesia e à sua dinâmica, assim como de uma agenda digital da Freguesia, uma plataforma online colocada ao dispor das Forças Vivas da Guarda, para que nela incluíssem todas as suas iniciativas públicas, sendo as mesmas, posteriormente, objeto de promoção pela Freguesia da Guarda, junto dos guardenses.

Nesta  criação de um gabinete permanente de apoio ao cidadão, digital e telefónico, por forma
a prestar apoio social, psicológico entre outros, formado por trabalhadores da Junta de Freguesia e por profissionais credenciados e qualificados para o efeito.
– É proposta ainda a produção de um levantamento das necessidades de administração de vacinas na
Freguesia (gripe sazonal, COVID-19, outras), sendo que estas poderiam ser administradas por um ou mais enfermeiros, num espaço próprio da Freguesia, apoiando, através de uma possível parceria com os Centros de Saúde, uma missão que assume uma importância fundamental junto dos cidadãos, e
garantindo o cumprimento do plano de vacinação de uma forma mais célere e eficaz.
– Propõe-se a criação de um Banco digital de Tradições e da Cultura Popular da Guarda, em conjunto
com as Forças Vivas da Guarda, nomeadamente com o Centro Cultural da Guarda e com a Associação dos Jogos Tradicionais da Guarda, como forma de preservar e promover a identidade cultural guardense.
– Propõe a criação de uma plataforma de promoção do comércio local da Freguesia, com
acompanhamento as necessidades mais prementes do setor e a garantia de todo o apoio possível por
parte da autarquia da Freguesia, seja pela organização de iniciativas, acompanhamento da sua atividade ou criação de um programa dedicado a apoiar a economia local neste próximo ano que se prevê bastante exigente.
– Por último, o GPS AFG, mantendo em atenção todas as verbas previstas para o Orçamento da Freguesia e as atuais necessidades sociais prementes, propõe um aumento significativo das verbas alocadas à área social, com um vigoroso aumento no apoio prestado aos cidadãos em situação de maior vulnerabilidade.
Do resultado à análise aos dados transmitidos, O GPS AFG acredita que, pese embora careçam de um devido esclarecimento e profundidade de informação sobre os mesmos, à primeira vista “transparecem uma política idêntica aquela que a Junta de Freguesia da Guarda tem procurado desenvolver nos anos que nos antecederam, o que não se compagina com o atual período e com a atual realidade da nossa comunidade, que apenas pode exigir à sua Junta de Freguesia uma ação próxima e de acordo com as suas reais preocupações e necessidade”.
Por fim, a missiva assinala que “tempos extraordinários obrigam a execução de ações extraordinárias”, assegurando o GPS AFG que “a Junta de Freguesia poderá sempre contar com uma permanente participação, maior justiça na avaliação e total cooperação para garantir uma ação adequada às reais prioridades dos cidadãos da Guarda”.