Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: incendios

Tag Archives: incendios

Portugal está em alerta vermelho contra incêndios até 8 de setembro

A Situação de Alerta Especial de Nível Vermelho, para o período compreendido entre as 00h00 do dia 4 de setembro e as 23h59 do dia 8 de setembro de 2019, que determina:

– Aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através das respetivas Tutelas;

– Aumento do nível de prontidão das equipas de resposta das entidades com especial dever de cooperação nas áreas das comunicações (operadoras de redes fixas e móveis) e energia (transporte e distribuição);

– Dispensa do serviço público dos trabalhadores da Administração Pública que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar (TEPH) e enfermeiros do INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P. e de forças de segurança;

– Dispensa do serviço dos trabalhadores do setor privado que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, nos distritos em que tenha sido Declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho pela ANEPC;

– Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos em que tenha sido Declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Vermelho pela ANEPC.

A declaração da presente situação de alerta obriga todos os cidadãos e demais entidades privadas, na área abrangida, a prestar às autoridades de proteção civil a colaboração pessoal que lhes for requerida, respeitando as ordens e orientações que lhes forem dirigidas e correspondendo às respetivas solicitações.

A recusa do cumprimento destas obrigações corresponde ao crime de desobediência, sancionável nos termos do n.º 4 do artigo 6.º da Lei de Bases da Proteção Civil.

Comissão Municipal de Defesa da Floresta define estratégias para este Verão

Teve lugar em Trancoso , a reunião da  Comissão Municipal de Defesa da Floresta local  para definir estratégias e medidas para o período critico de incêndios que se iniciou.
Uma ação promovida pela Câmara Municipal de Trancoso que contou com a presença de representantes da CCDRC, DRAPC, ANEPC, GNR do Destacamento Territorial de Pinhel, ICNF, Corporações de Bombeiros de Trancoso e de Vila Franca das Naves, Associações de Produtores Florestais Piscotávora e Alto da Broca, Infraestruturas de Portugal, Representante das Junta de Freguesia do Concelho, Técnicos do Município, Coordenador Municipal de Proteção Civil e do Executivo do Município de Trancoso.

Após enquadramento e discussão de medidas e estratégias da temática DFCI, os presentes deslocaram-se às instalações das Corporações de Bombeiros do Concelho, Força Especial de Proteção Civil, Postos de Vigia e a alguns dos troços de Faixas de Gestão de Combustível da rede viária municipal, executados no âmbito da defesa da floresta contra incêndios pelo Município de Trancoso.

Por:MT

GNR–Defesa da Floresta Contra Incêndios – 100 detidos e 852 identificados por incêndio florestal

A Guarda Nacional Republicana (GNR) assumiu como uma das suas prioridades para o presente ano, a prevenção dos incêndios florestais, tendo vindo a desenvolver um esforço significativo através da realização de ações de sensibilização e fiscalização.

Para este efeito, a GNR, através das suas valências de proteção da natureza e ambiente, territorial, investigação criminal, bem como do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), adotou um dispositivo de patrulhamento e vigilância reforçado, com especial incidência nas áreas dos interfaces urbanos florestais, dada a sua maior vulnerabilidade e perigosidade, face à ocorrência de incêndios florestais.

No período de 1 de janeiro a 23 de outubro e no âmbito da Defesa da Floresta Contra Incêndios, a GNR realizou cerca de 46 500 patrulhas, tendo registado os seguintes resultados:

·         100 detidos pelo crime de incêndio florestal;

·         852 identificados, suspeitos de terem praticado o crime de incêndio florestal;

·         5 946 crimes de incêndio florestal (menos 3 156 crimes do que em igual período de 2017);

·         12 335 ocorrências de incêndio florestal (menos 8 186 do que em igual período de 2017);

·         Mais de 8 mil autos de contraordenação.

Ontem, dia 22 de outubro, no concelho de Trancoso, foi detido um indivíduo de 67 anos, pelo crime de incêndio florestal, devido a uma queima de sobrantes, cujo fogo se descontrolou, acabando por arder uma área total de 4 000 m2 de mato e pinheiros

GNR deixa conselhos em caso de incêndios

A Guarda Nacional Republicana, perante as ocorrências de incêndios florestais que se têm verificado, com maior incidência na região algarvia, vem alertar e aconselhar a população em geral, para a necessidade de cumprir com as indicações e orientações das autoridades, principalmente nos procedimentos a adotar em caso de evacuação.

Em caso de evacuação preventiva, por indicação das autoridades, as pessoas devem cumprir  com as instruções dadas e não devem nunca voltar atrás, para uma área já evacuada. Devem manter a calma, auxiliar crianças, idosos ou familiares com limitações de mobilidade e levar os seus animais de companhia. Não devem perder tempo a recolher objetos desnecessários e, se possível, deixar acesas as luzes exteriores da habitação.

Relativamente à circulação rodoviária, importa respeitar e seguir as instruções da GNR e nunca adotar comportamentos de risco, como inverter o sentido de marcha nas autoestradas. As situações de emergência ocorrem inesperadamente, como a aproximação do fogo ou a perda de visibilidade devido ao fumo. Nessas situações, os condutores devem manter a calma, acionar as luzes de perigo e imobilizar os veículos a uma distância segura da fonte de perigo. Devem de imediato comunicar com as autoridades através do 112 e deixar a berma livre para que os veículos de emergência possam circular.

A GNR, para além de estar a combater diretamente os incêndios através das forças do GIPS, reforçou o patrulhamento nas zonas mais afetadas pelos incêndios, com a principal preocupação de garantir a segurança das pessoas.

Declaração da Situação de Alerta de 2 a 6 de agosto

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio florestal, o Governo, através do Ministro da Administração Interna assinou, esta quarta-feira, o Despacho que determina a Declaração da Situação de Alerta para o período compreendido entre os dias 2 e 6 de agosto, para a globalidade do território continental. Ler Mais »

Período crítico de incêndios de 1 de julho a 30 de setembro

O Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios define um período crítico de incêndios, que vigora de 1 de julho a 30 de setembro.

Durante esse período é proibido:

Em espaços rurais
– Realizar fogueiras para recreio, lazer ou confeção de alimentos;
– Utilizar equipamentos de queima e de combustão para a iluminação ou confeção de alimentos;
– Queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração;
– Circular com máquinas de combustão interna e externa, sem estarem equipadas com dispositivos de retenção de faíscas e de tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés;
– Circular com máquinas de combustão interna e externa sem estarem equipadas com um ou dois extintores de 6 kg, consoante a sua massa;

 Em quaisquer espaços
– Efetuar queimadas para renovação de pastagens, eliminação de restolho e sobrantes de exploração cortados, mas não amontoados;
– Lançar balões de mecha acesa ou quaisquer tipos de foguetes;
– Realizar ações de fumigação ou desinfestação em apiários sem a utilização de dispositivos de retenção de faúlhas;

No interior dos espaços florestais ou nas vias que os delimitam ou os atravessam
– Fumar ou fazer lume de qualquer tipo.

Para mais esclarecimentos contate:
Telefone: 238 490 210
Telemóvel: 962 032 999 / 968 578 987
Email: geral@cm-gouveia.pt / gtf@cm-gouveia.pt / protecaocivi@cm-gouveia.pt

GNR Guarda realiza ações de sensibilização sobre a defesa da floresta contra incêndios

DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

MANUTENÇÃO DAS FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL

A obrigatoriedade de manutenção das faixas de gestão de combustíveis constitui uma das medidas preventivas previstas no Decreto Lei nº 124/2006, de 28 de junho com redação atual, com o objetivo de reduzir o número de incêndios rurais.

A prática mais comum da gestão de combustíveis consiste na limpeza dos terrenos, através do corte e remoção da biomassa vegetal neles existentes. Uma correta e oportuna gestão de combustíveis constitui um elemento essencial para a minimização do risco de incêndio.

A prevenção aos incêndios rurais deve ser praticada de forma atempada e inteligente.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) tem vindo a exercer um enorme esforço na realização de ações de sensibilização junto da população, com o intuito de promover e fomentar boas práticas agrícolas e acima de tudo transmitir uma mensagem de dever cívico na prevenção generalizada aos incêndios rurais, partindo da premissa que a floresta é de todos e que a todos cabe preservar e proteger.

Na sequência das ações realizadas pela GNR, constatou-se que muitos terrenos continuam a carecer de limpeza, de forma a salvaguardar a manutenção das faixas de gestão de combustíveis e assim contribuir para a redução do elevado número de incêndios rurais.

O Comando Territorial da Guarda irá realizar ações de sensibilização, durante o mês de fevereiro, nos seguintes dias e locais:

·         Para a população em geral

o   09, 10 e 11 de fevereiro, na Feira de tradições de Pinhel;

o   10 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia do Minhocal – Celorico da Beira;

o   11 de fevereiro, pelas 11H30, nas instalações da Junta de Freguesia de Vale de Amoreira – Manteigas;

o   14 de fevereiro, pelas 14H00, nas instalações da Junta de Freguesia de Teixeira de Cima – Seia e, pelas 15H30, nas instalações da Associação de Teixeira de Baixo – Seia;

o   16 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia Foios e, pelas 17H00, nas instalações da Junta de Freguesia de Vale de Espinho – Sabugal;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, na Junta de Freguesia da Miuzela e, pelas 11H00, na Junta de Freguesia da Amoreira – Almeida;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Miuzela – Guarda;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Amoreira – Almeida;

o   22 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia Rebolosa – Sabugal, pelas 17H00 nas instalações da União de Freguesias de Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas – Sabugal;

o   22 de fevereiro, pelas 17H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Ruvina – Sabugal;

o   25 de fevereiro, pelas 15H00, nas instalações da Junta de Freguesia da Faia – Guarda.

 

·         Para agricultores

o   16 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações da Acriguarda – Guarda;

o   20 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações do Município do Sabugal;

o   22 de fevereiro, pelas 10H00, nas instalações do Município de Figueira de Castelo Rodrigo.

 

·         Para Presidentes de Junta, produtores florestais, apicultores, bombeiros e funcionários do Município

o   15 de fevereiro, pelas 19H00, no Auditório do Pavilhão Multiusos do Município de Trancoso;

o   21 de fevereiro, pelas 18H00, no Auditório do Centro Cultural em Vila Nova de Foz Côa;

o   23 de fevereiro, pelas 19H00, no Auditório do Município de Pinhel;

o   27 de fevereiro, pelas 19H30, no Auditório da Casa da Cultura na Mêda.

 

A falta de manutenção das faixas de gestão de combustíveis (limpeza dos terrenos) constitui infração do foro contraordenacional e os seus responsáveis incorrem em coimas de 280 € a 10 mil €, no caso de pessoa singular, e de 1.600 € a 120 mil €, para pessoas coletivas.

Proteja a sua casa dos incêndios rurais!

O detentor do terreno tem, até 15 de março de 2018, para fazer uma faixa de proteção, medida a partir da parede exterior do edifício, de:

– 50 metros em terrenos ocupados por floresta, matos ou pastagens naturais;

– Não inferior a 10 metros, definida em Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios, em terrenos do espaço rural com outras ocupações.

Importa reter que:

– As copas das árvores têm que distar entre si, no mínimo, 4 metros;
– As árvores têm que ser desramadas até 4 metros acima do solo. Para árvores com altura inferior a 8 metros, desrama-se apenas a metade inferior;
– As árvores e arbustos têm que estar a mais de 5 metros dos edifícios. Evitar a projeção das copas sobre os telhados;
– Não acumular lenha ou substâncias inflamáveis na faixa de proteção de 50 metros.

Por:GNR

Agricultores podem concorrer ao programa de apoio

Na sequência dos incêndios florestais, que assolaram o norte e centro do país nos dias 15 e 16 de outubro, o governo criou “medidas de urgência” para apoio aos agricultores afetados.
O concelho de Trancoso também foi considerado “área atingida por catástrofe natural”, devido ao incêndio que, a 16 de outubro, afetou as freguesias de Aldeia Nova, Castanheira, Reboleiro, Rio de Mel, União de Freguesias de Trancoso e Souto Maior e União de Freguesias de Torre do Terrenho, Sebadelhe da Serra e Terrenho.
Realizou-se a 16 do presente mês, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma sessão de esclarecimento sobre as medidas de apoio disponíveis, na presença de representantes do Município de Trancoso, DRAPC, ADIVAT Trancoso, Bandarra Cooperativa Agrícola de Trancoso CRL e respetivos presidentes de junta das freguesias afetadas.
Encontram-se disponíveis no site da Direção Regional da Agricultura e Pescas do Centro, duas medidas de apoio aos lesados:
http://www.drapc.min-agricultura.pt/…/declaracoes_incendios…
• Compensação de prejuízos aos pequenos agricultores e às explorações agrícolas
– Destina-se a compensar prejuízos elegíveis até 5000€
– Prazo de candidatura: até 30 de novembro.
– Candidatura simplificada no formulário existente no portal.

• Compensação de prejuízos às explorações agrícolas
– Destina-se a compensar prejuízos elegíveis de 5001 euros a 400.000.00 euros.
– Prazo de candidatura: até 15 de dezembro.
– Candidatura via PDR 2020.

Para esclarecimentos adicionais contactar respetiva junta de freguesia e/ou Município de Trancoso.
CM-Trancoso (Contacto Geral) – 271 829 120.

Cerca de 100 camiões levam água para Mangualde, Penalva , Viseu e Nelas

Neste sábado, João Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, esteve  em Mangualde. O Governo numa ação conjunta do Ministério da Defesa, do Ministério da Administração Interna, do Ministério do Ambiente e das Autarquias, leva a cabo uma ação de reforço do transporte de água, nesta que é a maior operação de sempre em Portugal de transporte de água.

 O Governo vai enviar mais 45 camiões-cisterna diariamente para descarregar água bruta na Albufeira de Fagilde, somando-se aos 51 já existentes, para enfrentar a seca que atinge quatro concelhos do distrito de Viseu – Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo e Viseu, anunciou ontem o ministro do Ambiente. Esta operação arrancou às 07:00 deste domingo

 “Esta ação vem demonstrar que estamos preparados para agir quando somos confrontados com situações de catástrofe como esta que está a acontecer na nossa região. Com este reforço de camiões diários estamos a dar uma resposta cabal às necessidades das pessoas, aos domicílios, ao tecido empresarial, à economia social, à saúde e a todos os agentes locais, para que esta região seja competitiva e tenha esperança para o futuro. “, sublinhou João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

 “A água vai ser tirada da Albufeira da Aguieira, que tem uma capacidade muito maior, e trazida diretamente para a Albufeira de Fagilde. Essa água é depois tratada na própria ETA de Fagilde e entra nos sistemas para poder abastecer estes quatro concelhos”, explicou ontem o Ministro do Ambiente. Referiu ainda que este transporte será assegurado por camiões-cisterna de corporações de bombeiros de oito distritos do país, que já partiram dos seus locais de origem carregados com água. Para tal, tinha sido anunciada uma verba de 250 mil euros, para que os quatro municípios pudessem fazer face às despesas relacionadas com o transporte de água. Posteriormente, o Governo disponibilizou mais 250 mil euros para apoiar uma iniciativa da Águas de Portugal, que veio reforçar o transporte diário, em camiões-cisterna.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar