Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: ipss

Tag Archives: ipss

Trancoso prolonga”INICIATIVA SOLIDÁRIA” até final de março de 2021

Face ao sucesso da iniciativa “Natal Solidário”, a Câmara Municipal de Trancoso liderada por Amilcar Salvador decidiu prorrogar a “INICIATIVA SOLIDÁRIA” para os próximos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021.

Assim, todos aqueles que, generosamente, pretendam continuar a fazer chegar produtos alimentares às IPSS’s e às famílias do concelho que necessitem, poderão fazê-lo de acordo a informação constante no flyer seguinte:

Município de Figueira de Castelo Rodrigo apoia comércio local e IPSS

Para fazer face ao agravamento da pandemia e ao impacto económico e social das medidas de restrição impostas pelo novo estado de emergência, o Município de Figueira de Castelo Rodrigo reforçou, esta segunda-feira, o incentivo ao comércio local e implementou medidas de apoio para Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

A autarquia vai atribuir um apoio financeiro mensal, equivalente ao valor do salário mínimo nacional, a empresas com atividade iniciada há mais de seis meses e prestadores de serviços há mais de um ano que, durante os meses de novembro e dezembro de 2020, comprovadamente, apresentem uma redução de, pelo menos, 50% no valor da faturação, face ao período homólogo do ano anterior. 

O Presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, Paulo Langrouva, explica que “o compromisso é continuar a estimular a economia local, através da injeção de recursos financeiros nos operadores económicos, de forma a mitigar os efeitos da pandemia no nosso tecido empresarial, à semelhança do que fizemos na primeira vaga da pandemia, quando apoiámos as empresas com mais de cem mil euros”.

As medidas foram aprovadas esta segunda-feira, em reunião de Câmara, onde ficou também decidido que a autarquia vai apoiar as Instituições Particulares de Solidariedade Social locais com: dois mil euros àquelas que têm valências de Lar, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário; mil euros àquelas que têm valências de Centro de Dia e/ou Serviço de Apoio Domiciliário; quatro mil euros à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Figueirenses.

Relativamente a estes apoios extraordinários, Paulo Langrouva refere que “o agravamento da situação epidemiológica no Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, designadamente numa Estrutura Residencial para Idosos, leva-nos a querer prevenir e a adotar medidas extensíveis a todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho, de modo a apoiar a aquisição de equipamentos de proteção individual, fundamentais à contenção da propagação do vírus”.

Câmara da Guarda vai distribuir 1500 testes às IPSS

Desde o início da atual pandemia que a Câmara da Guarda tem implementado diversas medidas de prevenção e proteção da epidemia SARS-CoV-2, dando cumprimento a todas as orientações das entidades competentes, nomeadamente a Direção Geral de Saúde.  Conscientes das dificuldades que este ano particularmente desafiante a nível coletivo nos coloca a todos, no âmbito dos planos de contingência COVID-19 adotados, a autarquia da Guarda quer continuar a estar na linha da frente na proteção dos mais vulneráveis, particularmente da população mais idosa. Por tudo isto, a Câmara vai distribuir 1500 testes a 44 instituições particulares de solidariedade social, Centros de Dia, Lares e organismos do concelho da Guarda que prestem serviços e cuidados individualizados e personalizados a pessoas que por motivos de doença, deficiência ou outro impedimento não possam assegurar, temporariamente ou permanentemente, a satisfação das necessidades básicas e /ou as atividades da vida diária.

O Município da Guarda pretende, com esta iniciativa, potenciar o rastreio das equipas de funcionários(as), nos próximos três meses, procurando assim mitigar a propagação do vírus nessas instituições e proteger a comunidade residente.

IPSS do Distrito da Guarda e de Viseu recebem donativo através da Campanha Electrão Empresas

A Campanha Electrão Empresas, uma iniciativa promovida pelo Electrão e pela Samsung Eletrónica Portuguesa ao longo de 2019, chegou agora ao fim.

A campanha permitiu angariar mais de 10.000€, doados a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

No distrito da Guarda, uma Instituição Particular de Solidariedade Social está contemplada neste donativo, recebendo parte do valor arrecadado na campanha.

O Centro técnico RCDigitec Unipessoal, Lda. participou nesta iniciativa do Electrão e da Samsung. Graças ao empenho na campanha conseguiu ajudar a instituição Lugar dos Pequeninos – Porto da Carne.

No distrito de Viseu, uma Instituição Particular de Solidariedade Social está contemplada neste donativo, recebendo parte do valor arrecadado na campanha.

O Centro técnico Beiratrónica, Lda. participou nesta iniciativa do Electrão e da Samsung. Graças ao empenho na campanha conseguiu ajudar a instituição Escola de Cães-Guia.

A Campanha Electrão Empresas correu o território nacional para recolher equipamentos eléctricos, pilhas e lâmpadas usados com o objectivo de os converter em apoios para causas sociais. Graças à participação de 21 centros de assistência técnica da Samsung foi possível recolher 106,678 toneladas destes resíduos que foram convertidos em 10.667,80€, entregues a 22 IPSS.

Num ano que se revelou difícil para Portugal e para o mundo, o Electrão e a Samsung reconhecem ainda mais a importância de apoiar e dar retorno à sociedade. Esta é uma preocupação que uniu as duas organizações que já em 2018 recolheram mais de 48 toneladas de equipamentos eléctricos, pilhas e lâmpadas usados e doaram 4.800€ à casa da Encosta, Centro de Acolhimento Temporário de Crianças em Risco, no concelho de Cascais.

Lista de Centros Técnicos e IPSS envolvidos:

Centros Técnicos IPSS
AT informática Acreditar – Núcleo Regional Norte
C&V CRIPS – Centro Recuperaçao infantil de Ponte de Sor
Hot Cold Casa Mão Amiga
Refri Elo Social – Associação de Integração e apoio ao Deficiente Mental Jovem e Adulto
CTDI Operação Nariz Vermelho
CTL – Lar D. Pedro V ( para Praia da Vitória )
– Associação Atlântica de Apoio aos Doentes Machado-Joseph ( para a ilha de São Miguel)
BCD “ATR” – Associação tira-me da rua
Electropixel Lar Luis Soares de Sousa
Assistência 35 Centro Paroquial Santíssimo Sacramento
Electro Balsemão APPACDM Setúbal
STE Associação Nacional de Intervenção Precoce
Mavideo Casa do Kastelo
TV Principe Centro Social Paroquial S. Tiago de Silvalde
Tamet Associação do Porto de Paralisia Cerebral
Lidernor Operação nariz vermelho
Asteguima Centro Juvenil S- José
RCDigitec Lugar dos Pequeninos – Porto da Carne
Beiratrónica Escola de Cães-Guia
Álvaro Group Centro Social Paroquial do Entroncamento
Joel Tec Animalife – Associação dos amigos dos animais da Moita
ECS AFID Diferença
Samsung Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos é a entidade responsável por três dos principais sistemas de recolha e reciclagem de resíduos: embalagens, pilhas e equipamentos eléctricos usados. Gere uma rede de recolha de equipamentos eléctricos e pilhas usadas com mais de 5.500 locais de recolha dispersos por todo o território nacional e é também responsável pela reciclagem de embalagens em todo o país. A sua principal missão é assegurar a reciclagem dos resíduos recolhidos, contribuindo para a minimização do impacto ambiental e para um reaproveitamento dos materiais que os constituem, como promotor da economia circular.  Desenvolve diversas campanhas de comunicação e sensibilização com o objectivo de promover uma maior consciencialização ambiental e uma mudança de comportamentos, e a separação para a reciclagem, das quais se destaca o Quartel Electrão, a Escola Electrão e o TransforMAR.

 A Samsung Electronics Co., Ltd. inspira o mundo e molda o futuro, através do desenvolvimento de tecnologias e ideias inovadoras. A empresa está a redefinir o universo das televisões, smartphones, equipamentos wearable, tablets, eletrodomésticos, sistemas de rede, memórias e soluções LED.

 

Marcelo Costa envia Carta aberta às autoridades públicas de saúde sobre IPSS

Chegou uma carta aberta dirigida às autoridades públicas de saúde, por Marcelo Costa, psicólogo numa IPSS, sobre as respostas sociais na área da Terceira Idade, dirigida à  Ministra da Saúde Dra. Marta Temido e à  Diretora-Geral da Saúde Dra. Graça Freitas.

“Falo-vos na qualidade de Psicólogo Clínico e Diretor Técnico de uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) com respostas sociais na área da terceira idade, nomeadamente Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI), Centro de Dia e Apoio Domiciliário.

Antes de mais, quero salientar a difícil tarefa que têm vindo a levar a cabo ao longo dos últimos meses. Combatemos um inimigo invisível que só agora tem mostrado alguns indicadores de abrandamento – em alguns países, é claro – o que faz com que esta seja uma fase de avanços e recuos, consoante a resposta que a sociedade e o próprio vírus for dando.

O trabalho que as Exmas. Senhoras têm vindo a desenvolver ao longo deste período tem sido francamente positivo, marcado naturalmente por alguns avanços e recuos em termos de regras, como referi no parágrafo acima, ainda para mais considerando que pela primeira vez em cerca de 100 anos estamos a passar por uma situação deste género.

Felizmente, o país atravessa, neste momento, uma fase progressiva ou gradual de desconfinamento, estando as pessoas a reaprender a viver.

Remetendo para o assunto que me motivou a escrever-vos estas linhas, procuro que voltemos a olhar para as IPSS, nomeadamente os lares de idosos, que durante alguns períodos da pandemia estiveram no centro das atenções e foram alvo de escrutínio publico.

As visitas por parte dos familiares e amigos dos utentes internos, nomeadamente na resposta social de ERPI, foram suspensas em março e, entretanto, já foram reabertas, obviamente com uma série de condicionantes e regras muito específicas. A minha questão é: e o Centro de Dia? Qual a previsão de abertura do mesmo?

Com as visitas abertas aos utentes, não considero fazer sentido continuar-se a adiar a reabertura dos Centros de Dia.

Uma das grandes vantagens desta resposta social é precisamente permitir aos utentes a socialização com o grupo de pares, ao mesmo tempo que sãos acompanhados por profissionais qualificados. Ao fim do dia retomam aos seus domicílios, idealmente para juntos dos familiares (regra geral é precisamente o oposto que acontece, pois, estas pessoas idosas frequentemente habitam sós).

Contudo, neste momento essas mesmas pessoas idosas estão a passar por sérias dificuldades, seja por falta de suporte familiar, seja pela incapacidade dos serviços se multiplicarem e fazerem face às novas exigências proporcionadas pelo novo coronavírus. Assisto, muitas vezes, com sentimento de impotência ao degradar físico e acima de tudo psicológico/cognitivo dos utentes que neste momento fazem uma espécie de confinamento obrigatório.

Assim, Dra. Marta Temido e Dra. Graça Freitas, venho por esta via solicitar, encarecidamente, a vossas excelências a abertura da resposta social de Centro de Dia”.

 

 

Santa Casa da Misericórdia de Santar vai ser apoiada pelo Município de Nelas

A Câmara de Nelas mantém apoio de 125 mil € à construção do Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Santar e faz depender o apoio de mais 125 mil € à celebração de protocolo com a Segurança Social, que permita o acesso ao lar, como nas outras IPSS’S, a pessoas de modesta condição económica e social ou baixos recursos, ou na ausência de protocolo, que pelo menos 25% dos lugares do lar sejam destinados a estas pessoas

Foi  aprovado, no dia 27 de maio, em reunião de Câmara uma proposta efectuada pelo Presidente da Câmara Municipal, que abaixo se transcreve integralmente, no sentido de se manter o apoio já pago em 31 de agosto de 2017 de 125.000€ à Santa Casa da Misericórdia de Santar, para melhoria das suas instalações de Centro de Dia e construção de um Lar de Idosos ou ERPI (Estrutura Residencial Para Idosos), e cumprindo a deliberação de Câmara tomada em março de 2017, no sentido de tal apoio poder ser alargado até 250.000€, fazer depender o pagamento de mais 125.000€ ao acesso ao Lar a pessoas de modesta condição económica e social ou baixos recursos, como acontecerá, caso venha a ser celebrado com a Segurança Social, protocolo de funcionamento como sucede com outras IPSS’s do Concelho de Nelas o que não aconteceu até ao momento, ou, que seja garantido que pelo menos 25% dos lugares do referido Lar estejam acessíveis a pessoas que normalmente podem aceder às IPSS’s, tendo sido esse, considerou a maioria da Câmara, a letra e o espírito, do protocolo celebrado em 2017 com a Misericórdia de Santar.

Covid-19- Rastreio nas IPSS do concelho de Pinhel com resultado negativo

Para um melhor desempenho de todos, foram efetuados 159 testes à Covid-19, a todos funcionários das IPSS com as valências de ERPI – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas ou Lares Residenciais, assim como a todos os funcionários da Creche, do Jardim de Infância, do Serviço de Apoio Domiciliário e da Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Pinhel.

De salientar que, a realização deste rastreio resultou de uma parceria entre o Município de Pinhel e a Segurança Social que suportaram financeiramente esta vasta operação .

Face a isso, o Município de Pinhel informou que, felizmente, todos os testes efetuados obtiveram resultado negativo.

Ainda assim todos os cuidados devem ser mantidos, por todos, na medida em que todos são agentes de saúde pública.

Equipamentos de Proteção individual doados pelo Município às IPSS de Mangualde

A Câmara Municipal de Mangualde fez uma nova doação de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, com objetivo de reforçar as condições de atuação e proteção dos profissionais e dos utentes destas instituições mais frágeis e vulneráveis da sociedade durante o combate a esta pandemia do COVID-19. Foram doadas três mil máscaras, três mil luvas, seis mil aventais descartáveis e 14 termómetros eletrónicos sem contacto.
Foram contempladas as seguintes instituições:
Lares: Santa Casa da Misericórdia, Complexo Paroquial, Lar de José de Santiago de Cassurrães, Lar da Freixiosa.
Centros de Dia com Apoio Domiciliário: Centro Social e Paroquial de Fornos de Maceira, Centro Social e Paroquial Alcafache, Centro Social e Paroquial Cunha Baixa, Centro Abrunhosa-Velha e Centro Social e Paroquial Chãs de Tavares.
Bombeiros V.Mangualde
As IPSS são das instituições que estão na linha da frente do apoio aos sectores mais vulneráveis da sociedade, em particular dos mais idosos. O uso de EPI é, por isso, fundamental para controlar a difusão da contaminação, é uma medida preventiva básica.
Desta forma, na página do Município, Elísio Oliveira refere:estas ações além de fornecerem os meios necessários à proteção das pessoas, e reforçarem as condições de combate à propagação do vírus, refletem a proximidade do município com estas instituições e o apoio às suas missões sociais e humanitárias”. O presidente sublinha ainda que esta “é também uma forma de agradecer o seu papel insubstituível e de encorajar e felicitar estas pessoas, os que dirigem e os que trabalham, neste contexto de pandemia e de exposição ao risco. Dar relevância a estas instituições e a estes profissionais é da mais elementar justiça.”

 

PSA Mangualde volta a apoiar projetos sociais da região

A Fundação do Groupe PSA premeia a Associação de Apoio Social e Desenvolvimento de Galisteu e Vide-Entre-Vinhas (concelho de Celorico da Beira – Guarda), apadrinhado pelo colaborador da PSA Mangualde, Hélder Martins.
Após ter sido um dos 15 finalistas dos Prémios da Fundação PSA 2017, com o projeto “Tele-Assistência Plus”, a associação recebeu ontem do diretor da PSA Mangualde, José Maria Castro Covelo, o prémio de 5000€ da Fundação.
A associação premiada desenvolve atividades de apoio social a pessoas idosas e isoladas numa região marcada pela elevada taxa de envelhecimento. O projeto consiste em apoiar estas pessoas através da prestação de um serviço de tele-assistência, ligado 24h por dia. Desta forma, permite que os mesmos se sintam acompanhados o que torna possível o retardamento da sua institucionalização.
Os Prémios da Fundação PSA, organizados de Setembro a Dezembro, recompensam projetos de mecenato apadrinhados por colaboradores do Grupo. Visando favorecer a mobilidade dos beneficiários, estes projetos pertencem aos três domínios de intervenção da Fundação: inserção, educação/cultura e necessidades especiais. Todos os colaboradores PSA que são padrinhos dos projetos estão diretamente implicados no meio associativo.
Em 2017, os prémios foram atribuídos a 15 associações finalistas em vários países: Portugal, França, Espanha, Brasil e Argentina. Desde 2012, a Fundação PSA já apoiou 8 associações em Portugal, das quais 5 apadrinhadas por colaboradores da PSA Mangualde.

Por:PSA

Conversa com Luís Miguel Ginja, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres

Irmandade da Santa Casa está mais
aberta aos fornenses

Fomos
conversar com Luís Miguel Ginja da Fonseca, Provedor da Santa Casa da
Misericórdia, na linha de fazer um balanço destes sete meses à frente dos
destinos da instituição.
Foi
nos dizendo que não é fácil para um jovem nos dias de hoje, ter sido candidato
à Irmandade da Santa Casa, dado que é uma instituição secular, que está à beira
de completar 350 anos.
A candidatura
surgiu num grupo de irmãos que entendeu que a Santa Casa e as suas valências
estavam muito fechadas à comunidade fornense, e assim este grupo de amigos e
irmãos entendeu que era hora de dar um novo impulso à instituição.
O meu
nome surge à posterior, fruto de um consenso desse grande grupo que entendeu
que era a pessoa com mais condições para abraçar este cargo, fui candidato e
fui eleito numa assembleia geral repleta de irmãos, com vontade de mudança, e por
uma Irmandade aberta.

Situação
económica frágil
Logo
que tomou posse, foi hora de se inteirar da situação, e aqui o Provedor referiu
“encontrei uma instituição com funcionários desmotivados, vários compromissos
que não deveriam ter sido assumidos pela anterior Mesa, aliás qualquer provedor
ao assumir algo deve ter respeito sobretudo pelos colaboradores e utentes das
instituições”, mas sobre estes e outros assuntos reservou-se um pouco, ficando
a promessa de um esclarecimento mais à frente dado que, nestes casos decorre um
processo de análise e conhecimento.
Foram
já feitas quatro assembleias gerais, referiu que a situação da instituição é
muito preocupante, fruto dos compromissos que o anterior  provedor assumiu dado que a mesa nunca lhe deu
quaisquer responsabilidades ou autorização para tal, o futuro o dirá, a
situação económica é muito frágil. Nós gerimos a Santa Casa por nós próprios,
com uma Mesa empenhada, assim como toda a equipa pronta a colaborar, o que fez
com que hoje as pessoas estejam mais motivadas e empenhadas, tem de ser uma
Irmandade aberta e deixou como exemplo: quando entrou a Unidade de Cuidados Continuados
tinha 2 pessoas de Fornos de Algodres hoje tem 12, revela que os fornenses não
conheciam a Santa Casa e podiam enviar os seus familiares para cá.
A UCC
(Unidade Cuidados Continuados) funciona a nível nacional, em rede, mas segundo
o provedor, não estava a ser dada a conhecer da melhor forma, ou seja as
unidades de saúde desconheciam esta instituição.
Atualmente,
a UCC (Unidade Cuidados Continuados), está mais aberta, com uma equipa técnica
muito bem constituída que evita as deslocações dos doentes com frequência, aos
hospitais, mas salientou que na rede nacional as pessoas de Fornos não têm
preferência, mas existindo na localidade é mais fácil e os resultados estão à
vista.
Ao
fim de sete meses, salientou: “muita coisa mudou e é notória a abertura à
população, agora precisamos de arranjar novas fontes de financiamento, criando
outras valências.”
A
candidatura ao Contrato Local de Ação Social (CLDS) 3G, é uma realidade, o que
virá trazer a Fornos mais alguma motivação e algum empreendimento na ação
social e outros, já há muito estava equacionada, querem ter um papel importante
e ativo na ação social, dado que, todas as associações têm de ter a
possibilidade de ter intervenção na comunidade, agora vamos aguardar, também
foram nestes dias assinados mais 5 acordos com a segurança social para o lar de
idosos desta instituição, e a parte eclesiástica também é muito importante, o
trabalho que tem sido feito.”
Uma
nova viatura para apoio
No
início de julho, uma nova viatura chegou a esta instituição e Luís Ginja
referiu que tal só foi possível, face:” à poupança que se tem feito desde a
entrada nesta casa, ou seja, todos os meses é um esforço enorme para honrar os
compromissos, e assim conseguimos esta viatura para dar um pouco de qualidade
de vida aos nossos utentes.”
O Lar
é mais uma valência da ISCMFA, agora está com mais e melhores condições, face a
algumas melhorias, ou seja, salientou que anteriormente estava separado, mas a
mesa entendeu que tal não era assim e hoje tem um equipa clínica competente e
atenta a tudo, está preenchido, com os acordos que referi anteriormente vamos
melhorar as condições dos utentes, dado que os utentes pagam aquilo que é
determinado pela tabela a nível nacional e não como a Mesa entende, o Lar é de Fornos,
aqui sim os fornenses têm prioridade sobre os outros de fora.
Grande
adesão dos Irmãos à instituição
Houve
um grande fluxo de irmãos que entraram nesta fase, aqui o provedor referiu: “entraram
alguns no período eleitoral, mas só após a tomada de posse e  devido à abertura que tem existido, o acesso e
interesse foi enorme,  porque os
fornenses são boa gente.”
A
entrada dos irmãos só acontecia com a unanimidade de todos os membros, mas
agora tudo se alterou, desde que os propostos tenham as qualidades necessárias,
e tenham a concordância de 4 dos 7 elementos da Mesa, são admitidos.
Hoje
são 189 irmãos, quando eram apenas 94 de quando tomei posse, um grande fluxo.
O
novo compromisso renovado está, já aprovado
Depois
de muito trabalho, o novo compromisso está pronto e aprovado, a lei de 14 de
novembro de 2014, assim o exigia e os irmãos tiveram acesso para o analisar e
discutir em assembleia geral, onde foram executadas imensas alterações,
documento que não sofria alterações desde 1999.
Salientando
alguns pontos como a admissão dos irmãos, as responsabilidades e obrigações  do provedor, alienar património e assinar
acordos com terceiros, entre outras coisas tem de ser sempre decidido em
assembleia geral.
É dos
poucos compromissos que foram já confirmados pelo Sr. Bispo de Viseu, salientou
que é um documento com muito valor, este compromisso é das coisas mais
importantes realizadas.
Atividades
realizadas
Nestes
sete meses foi desenvolvendo algumas atividades, mas reetirou que só é Provedor
porque um grupo de pessoas assim o entendeu,com o objetivo de fazer mais e
diferente do que a mesa anterior, agora é necessário que os nossos utentes
tenham qualidade de vida.
A caminhada,
a sardinhada, a participação na Feira do queijo, a viagem a Fátima dos utentes,
o ter um coro na Igreja que nos engrandece, e além do mais engrandece Fornos, a
bênção da viatura,o dar o nome de um antigo provedor o trazer a sua família à
irmandade, os quais mostraram o interesse de ser irmãos, tudo isso é muito
gratificante para nós, é esta abertura que os utentes e a Santa Casa precisam.
Igreja
da Misericórdia um símbolo do Património Nacional
Neste
ponto, Luís Ginja enalteceu o trabalho feito pela anterior Mesa, na renovação e
restauração do altar-mor, é um património de todos nós.
Atualmente
existe uma proposta para restaurar os altares que ladeam o altar- mor, mas
carecem de financiamento, que nesta fase não é possível.
Para
já, um projeto que temos em fase de andamento, é a criação de um museu da
Misericórdia, na parte superior da sacristia, é um projeto que não queremos
perder, aliás vamos tentar que ainda neste mandato seja
uma realidade, dado que a Misericórdia detém um património fabuloso, mas também não podemos esquecer a Capela
de N.S. das Dores onde em maio se pratica o terço diariamente.
Novos projetos poderão vir a ser uma
realidade, aliás acredita que podem ser realidade, através do Portugal 2020,
mas vamos aguardar por ver o desfecho.
350
Anos comemoram-se em 2016
Sobre
o 350º aniversário, o provedor salientou que vai ser uma comemoração muito
importante e além do mais, muitas outras instituições estão abertas a colaborar
neste evento, já existe um painel na Igreja da Misericórdia que evidencia esse
mesmo aniversário, lançou o repto para todos os que queiram adquirir a coleção
de seis selos alusivos a este evento, os mesmos já estão disponíveis.
Nesse
dia, vai estar a presidir as cerimónias o Sr. Bispo D. Ilídio, este aniversário
é especial para todos e claro terá lugar, na 5ªfeira do Jubileu, antes da
Páscoa, este evento dar grande evidência quer a Fornos, quer à própria
Irmandade, salientou-nos que já este ano ficou agradado com a alegria que os
Irmãos mais velhos mostravam por estar nestas comemorações.
Em
suma, depois de estes sete meses, mostra-se satisfeito e feliz pelo trabalho
efetuado e além do mais, agora Fornos tem uma Irmandade aberta a todos, mas
sabe que no futuro vão surgir obstáculos e dificuldades, mas está sempre
disposto, juntamente com os restantes corpos sociais para poder tornear tudo.
Neste
momento, a instituição tem 35 funcionários e alguns estágios profissionais,
grande parte da equipa vem do passado, mas agora sim! coesa e empenhada, com 20
utentes no lar e 19 na UCC.
Frisou
que, neste momento, a Irmandade da Santa Casa é a maior IPSS do concelho de
Fornos, porque tem 200 Irmãos, e não outras que evitam a entrada de associados.
Deixou
o repto que as valências atuais não são suficientes, é preciso ter mais
valências de determinadas índoles.
Deixou
a mensagem que a Santa Casa está aberta a dialogar e a trabalhar com todos os
fornenses no futuro.
Terminámos
esta breve conversa com uma visita às instalações, onde podemos constatar a
camaradagem e amizade entre colaboradores e utentes.
Por:António Pacheco