Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: loja social

Tag Archives: loja social

“Loja Social” de Mangualde a servir a comunidade há 8 anos

A“Loja Social” de Mangualde assinalou o seu 8.º aniversário, num momento simples e singelo, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira, da Vereadora da Ação Social, Maria José Coelho, e da equipa técnica da Ação Social do Município.

Elísio Oliveira salientou “o sucesso deste projeto que nasceu em 2012, com o intuito de ajudar os mais vulneráveis e que tem vindo a ganhar dimensão e a assumir novas competências, sempre num contexto de inovação”.  Destacou-se ainda “o envolvimento da comunidade e dos empresários em torno deste projeto. Concluiu, agradecendo a solidariedade de todos e o trabalho desinteressado dos voluntários.

A Loja Social tem vindo a registar uma forte dinâmica, assumindo especial relevância para a comunidade, na medida em que se traduz numa mais eficaz, eficiente e ética rentabilização dos recursos locais, dando resposta às necessidades mais prementes da comunidade, especialmente da mais vulnerável.  Atualmente, a loja social apoia mais de 430 pessoas.

GNR Guarda-Entregues 2900 peças de vestuário e calçado a instituições de solidariedade social

O Comando Territorial da Guarda entregou durante os dias 7 e 8 de maio, nas suas instalações, 2 900 peças de vestuário e calçado, perdidos a favor do Estado, às lojas sociais ou gabinetes de ação social dos 14 municípios do distrito da Guarda.

No decorrer da atividade operacional desenvolvida pelos militares da Guarda, foi apreendido diverso material contrafeito que, por decisão judicial, foi declarado perdido a favor do Estado. Na sequência desta decisão, desenvolveu-se uma iniciativa solidária para distribuir o vestuário e o calçado por diversas instituições de solidariedade social, uma ação que assume especial relevância, uma vez que na área de responsabilidade do Comando Territorial da Guarda se verifica o aumento das dificuldades junto da população mais desfavorecida, provocadas pela situação de pandemia que se vive.

Por:GNR Guarda

Loja Social “Dar para Ajudar” na Guarda

  ulsA Unidade Local de Saúde da Guarda associa-se este ano ao projeto da Loja Social “Dar para Ajudar” da Fundação João Bento Raimundo, disponibilizando durante a quadra natalícia o espaço aonde funcionava a antiga estação dos CTT do Sanatório.
Na Loja Social, que abriu ao público esta segunda-feira, recebem-se agasalhos, roupas de bebés e homem, cobertores, mantas e até mesmo peças de mobiliário e brinquedos. Todas as ofertas serão cuidadosamente preparadas para ofertar posteriormente a quem mais precisa. 

Por:ULSG

Mangualde Social+, Loja Social celebraram o 4ºaniversário

loja socialEm Mangualde foi assinalado o 4º Aniversário da Loja Social , uma singela celebração que decorreu nas instalações da Loja Social e contou a presença da Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Mangualde, Maria José Coelho.

 A Vereadora, que é igualmente Presidente do Conselho Local de Ação Social, realçou a mais-valia deste projeto, recordando que “surgiu em contexto de crise com o intuito de ajudar aqueles que se deparam com dificuldades socioeconómicas. É ainda importante vincar o trabalho em rede que sustenta a Loja Social e saudar o trabalho de todos os Parceiros, bem como a disponibilidade e o altruísmo de todos os voluntários.”

NÚMEROS RELEVANTES QUE EXPRESSAM A PARTILHA E A SOLIDARIEDADE

Maria José Coelho enaltecendo ainda “o espírito solidário da população que tem permitido dar resposta a muitas das situações de carência”, sublinhando os dados relativos ao ano de 2015 tendo-se efetuado 1016 atendimentos. A Loja Social de Mangualde efetuou, desde o início do ano de 2016 até 31 de julho, 651 atendimentos ao público. “Números relevantes”, referiu a Vereadora e “que expressam a partilha e solidariedade que abraçam este projeto”.

Por:Mun.Mangualde

Loja Social de Penalva do Castelo com novas instalações

Foram inauguradas, no passado dia 07 de junho, as novas instalações da Loja So0loja socialcial de Penalva do Castelo.

Com o objetivo de oferecer instalações adequadas aos beneficiários e ampliar a oferta de bens disponíveis.

Na cerimónia esteve presente o  Presidente da Câmara, Francisco Carvalho e a  Vereadora  da Ação Social, Lucília Santos, bem como um conjunto de parceiros de diversas entidades concelhias, tendo a mesma sido iniciada com a bênção do Padre José António Almeida.

Esta resposta social é uma estratégia para o desenvolvimento social local, impulsionada pela Rede Social concelhia enquanto complemento à intervenção social do Município e tem por objetivo combater a pobreza através da disponibilização de apoios que assegurem a satisfação das necessidades das famílias, estimulando a sua participação e privilegiando o trabalho em rede com os parceiros locais. Podem beneficiar desta resposta pessoas em situação de vulnerabilidade económica e social após o devido encaminhamento pelas diversas instituições/agentes locais do concelho.

A Loja Social funciona na Rua D. Manuel I, no edifício no ciclo antigo e o atendimento ao público é efetuado às 3ªs e 6ªs feiras, entre as 10:30h e as 11:30h, sendo o mesmo assegurado por duas voluntárias do Banco Local de Penalva do Castelo que, desde 2010, abraçaram com empenho e dedicação esta causa de solidariedade do concelho.

A doação de bens (têxteis, vestuário, calçado, brinquedos, mobiliário, entre outros) poderá ser feita por qualquer pessoa diretamente na Loja Social, dentro do seu horário de funcionamento ou, em alternativa, na Câmara Municipal de Penalva do Castelo.

 Por:Mun.PC

Entrega de calçado apreendido à Loja Social de Gouveia

Teve lugar no dia 29 de Setembro, no posto da Guarda Nacional
Republicana em Gouveia, a entrega oficial, por esta instituição, ao
Município de Gouveia de 966 pares de sapatos destinados à Loja Social.

Este calçado destina-se a ser entregue às famílias mais carenciadas do concelho.
O material agora entregue, resulta da apreensão feita pela GNR a uma
fábrica de calçado contrafeito situada no norte do país, num processo
que decorreu em 2003.
Esta entrega foi possível graças a uma decisão proferida pelo Tribunal de Gouveia por proposta do Destacamento Territorial de Gouveia da GNR.
O processo de entrega deste material, resultante da referida apreensão,
contou com a presença do Sr. Capitão Davide Baptista, Comandante do
Destacamento Territorial da GNR de Gouveia, do Sr. Presidente da Câmara,
Luís Tadeu Marques, do Vereador Jorge Ferreira e de outros elementos
daquele posto e do município.
É importante realçar o papel da GNR
em todo este procedimento, que irá permitir ajudar muitas famílias deste
concelho em situação de maior precariedade financeira.

Por:GNR Guarda

3ºAniversário da Loja Social em Mangualde

Celebrou-se esta terça-feira, 15 de setembro, o 3º aniversário da Loja Social “Mangualde
Social Mais”. Na celebração marcou presença o Presidente da Câmara
Municipal de Mangualde, João Azevedo. Com um balanço muito positivo, em
três anos ao dispor da comunidade mangualdense já foram apoiados 201
agregados familiares, correspondente a 673 beneficiários diretos.

Só no
ano de 2015 já foi prestado apoio a 119 agregados familiares, o que
corresponde a 400 beneficiários. Em média, mensalmente, são apoiados 73 agregados familiares.

A
Loja Social “Mangualde Social Mais” é um projeto que visa potenciar a
criação de respostas mais adequadas aos problemas sociais,
rentabilizando os recursos existentes, eliminando sobreposições de
intervenção e permitindo um melhor planeamento dos serviços e celeridade
dos mesmos. Tendo como principal finalidade contribuir para a promoção e
integração social do indivíduo, família e comunidade, estimulando a sua
participação ativa e privilegiando o trabalho em Rede com os parceiros
locais, a Loja Social, resposta social solidária, constitui-se como um
complemento à intervenção social do Município, consolidando o motor do
desenvolvimento económico e social na sociedade contemporânea para o
qual convergem os fatores determinantes da competitividade do concelho e
a capacidade de gerar um crescimento económico socialmente inclusivo,
gerador de sinergias proactivas e capazes de fomentar a solidariedade
entre pares.
A Loja Social de Mangualde tem como objetivos: promover
a melhoria das condições de vida através da atribuição de bens;
potenciar o envolvimento da sociedade civil, empresas e de todos os
cidadãos na recolha dos bens; e contribuir para a melhoria das condições
de vida do tecido populacional em situação de maior vulnerabilidade.
DISPONIBILIZA BENS ESSENCIAIS PARA O DIA A DIA DE UMA FAMÍLIA
Para a prossecução dos seus fins, a Loja Social dispõe dos seguintes bens: têxteis/vestuário
(atoalhados, cobertores, lençóis, edredões, colchas, roupas de bebé,
criança e adulto); acessórios/calçado (cintos, chapéus, colares,
pulseiras, sapatilhas, sapatos, botas, entre outros); equipamento
doméstico/eletrodomésticos (trens de cozinha, louça, varinha mágica,
ferro de engomar, entre outros); brinquedos/material didático; e
mobiliário.
Os
responsáveis pelo assegurar do funcionamento da Loja Social têm como
funções receber e fazer a triagem dos bens, engomar, dobrar e arrumar as
roupas, limpar e cuidar da higiene da Loja Social; registar o material
doado; atender os utentes da Loja, disponibilizando o material, de
acordo com a ficha de registo prévio de necessidades e proceder ao
registo do material facultado.

BENEFICIÁRIOS DA LOJA SOCIAL “MANGUALDE SOCIAL MAIS”
São
beneficiários da Loja Social os indivíduos que revelem vulnerabilidade
económica e social identificada por: Câmara Municipal de Mangualde;
Serviço Local da Segurança Social de Mangualde; Centro de Saúde de
Mangualde; Juntas de Freguesia do Concelho de Mangualde; Comissão de
Proteção de Crianças e Jovens de Mangualde; Instituições Particulares de
Solidariedade Social; Grupos Sócio – Caritativos; entre outros.
Os
beneficiários identificados pelas entidades supracitadas, podem
deslocar-se à Loja Social “Mangualde Social Mais”, mediante a entrega de
uma ficha de sinalização, criada pelo Gabinete de Ação Social da
Autarquia e enviada a todas as entidades mencionadas. Todas as saídas de
bens serão devidamente registadas.

poderão usufruir da Loja Social “Mangualde Social Mais” uma vez por
mês, salvo em situações de emergência devidamente justificadas por um
Técnico Superior de Serviço Social. E cada beneficiário poderá usufruir
mensalmente, no máximo de dois artigos do mesmo tipo, até um limite
máximo de cinco peças, independentemente da natureza das mesmas.
Por:Mun-Mangualde

 

Loja social em Fornos com papel importante

Para todos os que não sabem o que é, e como funciona a Loja social em Fornos de Algodres
A Loja Social é uma resposta social
solidária, de intervenção e emergência na área social, que procura
responder a necessidades essenciais e prioritárias das famílias mais
vulneráveis do concelho de Fornos de Algodres, através da recolha de
bens usados ou novos, doados por particulares ou empresas.

A Loja
Social surgiu no âmbito de uma parceria entre a Câmara Municipal de
Fornos de Algodres e a Equipa da Pastoral Social |Arciprestado de Fornos
de Algodres passando a funcionar, desde janeiro de 2015, como uma
estrutura de atendimento e acompanhamento social de proximidade,
facilitadora do acesso a bens primeira necessidade, englobando também
áreas para troca de bens e para exposição e divulgação de produtos
resultantes do trabalho de artesãos e pequenos produtores locais, de
acesso livre a toda a comunidade.

OBJETIVOS:
-Apresentar-se
como um recurso complementar às intervenções de caráter social dirigidas
a agregados carenciados do concelho de Fornos de Algodres

Promover a melhoria das condições de vida de pessoas em situação de
maior vulnerabilidade social, através da doação de bens de primeira
necessidade;
– Mobilizar a sociedade civil, empresas, instituições e
todos os cidadãos na recolha e reutilização de bens essenciais e na
rentabilização de recursos e promoção de práticas de sustentabilidade e
responsabilidade coletiva;
-Contribuir para o incremento do espírito de solidariedade civil e responsabilidade social;
-Incentivar e dinamizar o voluntariado local.
DESTINATÁRIOS:
São Beneficiários da Loja Social
-Indivíduos residentes no concelho de Fornos de Algodres cujos
rendimentos mensais sejam iguais ou inferiores ao salário mínimo
nacional, que não possam custear certos bens materiais com vista à
satisfação das suas necessidades básicas.
– Agregados familiares
residentes no concelho de Fornos de Algodres cujo rendimento médio
mensal, per capita, seja igual ou inferior a 80% do salário mínimo
nacional, que não possam custear certos bens materiais com vista à
satisfação das suas necessidades básicas.
São Clientes da Loja Social
-Indivíduos ou famílias que, embora não se enquadrando no ponto
anterior, queiram contribuir para a causa social, adquirindo ou trocando
na Loja Social os bens nela disponíveis, ou nela colocando os seus
produtos para a venda a preços acessíveis.
TIPO DE BENS E PRODUTOS:
A Loja Social poderá dispor de bens ou produtos doados por
particulares, empresas ou comerciantes, que se encontrem em boas
condições de higiene e/ou utilização, com a finalidade de serem
reutilizados, designadamente:
-Têxteis, vestuário (ex.: atoalhados, cobertores, lençóis edredões, roupas de bebé, criança e adulto);
-Acessórios, Calçado (ex.: cintos, chapéus, sapatilhas, sapatos, botas, entre outros);
-Equipamento doméstico e pequenos eletrodomésticos (ex.: louça de cozinha, ferros de engomar, torradeiras, varinha mágica);
-Brinquedos e material didático;
-Mobiliário(ex.: roupeiros, camas);
-Equipamentos básicos para restauro da casa (azulejos, tijolos, telhas, cimento, equipamento de WC, entre outros);
-Material Informático;
Dentro da Loja Social haverá também espaços para troca de livros, CDs
DVD, em segunda mão, e, para exposição e divulgação de produtos
resultantes do trabalho de artesãos e pequenos produtores locais.
CARTA DE COMPROMISSO:
A assinatura da Carta de Compromisso da Loja Social compromete as
instituições parceiras a participar na recolha e reutilização de bens
essenciais (roupa, calçado, entre outros), bem como na identificação e
encaminhamento de situações de carência para a Loja Social potenciando,
desta forma, os recursos existentes num esforço conjunto de erradicação
da pobreza e da exclusão social no Município.
LOCALIZAÇÃO DA LOJA SOCIAL:
Largo do Mercado Municipal (junto ao Monumento ao Pastor)
6370 – 142 Fornos de Algodres
HORÁRIO:
Segundas-feiras: 14h30-16h00
Quartas-feiras: 14h30-16h00
Eventuais alterações a este horário serão afixadas na porta da Loja Social.
MAIS INFORMAÇÕES:
Gabinete de Ação Social | Município de Fornos de Algodres
Estrada Nacional 16 | 6370-999 Fornos de Algodres
Tel.: 271 700 060
Fax.: 271 700 068
E-mail: accao.social@cm-fornosdealgodres.pt
Equipa da Pastoral Social de Fornos de Algodres
Centro Pastoral
Rua Carlos MM Queiroz Pereira
6370-113 Fornos de Algodres
Telem: 962351616
E-mail: arciprestadofornos@gmail.com
Por:Mun.Fornos de Algodres

Desempregados escolhem roupa para os filhos na loja social da Cáritas de Viseu

A loja social da Cáritas de Viseu tem roupa,
brinquedos e outros bens para a casa. É uma loja como outra qualquer, só
que ali troca-se e oferece-se, não há dinheiro à vista, e qualquer
pessoa é bem-vinda, uma vez que a loja está cheia de roupa. A Cáritas de
Viseu apela a que lhes forneçam expositores, para que possam mostrar
todo o vestuário e calçado que ali têm.

Desempregados de longa duração com origens em encerramentos de pequenas e médias empresas definem o cliente-tipo da loja social.
Eva
Pinto, de 51 anos, chega pouco antes do meio-dia à loja, praticamente
já vazia, pelo aproximar da hora de almoço, e escolhe roupa para o filho
que estuda no 12º ano. Eva está desempregada há anos demais. Vive do
rendimento social de inserção. “Trabalhei numa fabrica de calçado, em
Jugueiros. Fechou, deixaram de fabricar, entretanto  faleceram os donos e
os herdeiros não quiseram dedicar-se àquilo e venderam para lotes. Não
podia arranjar mais nada, tenho que viver de ajudas para mim e para o
meu filho”, relata à RR.

Desempregados também ajudam
A
voluntária Maria Eduarda, 59 anos, recebe quem chega. Também ela está
desempregada.”Trabalhava num escritório de contabilidade, que fechou
e, como estava em casa, vim ajudar aqui”, sorri.

“Recebo o subsidio de desemprego, mas não é muito. Vamos vivendo e ajudando”, diz com uma réstia de esperança.

Os pedidos de ajuda à Cáritas de Viseu não param de crescer. Em
Março, surgiram novos 80 casos de carência. Cerca de 800 pessoas foram o
universo de beneficiários. Destes, 157 não têm qualquer subsidio.

Na
primeira quinta-feira do mês de Junho, a Cáritas de Viseu, vai
organizar um peditório de bens alimentares, de modo a encher os sues
armazéns, vazios, de momento, ao contrário do que se vê na loja social,
que transborda de roupa e brinquedos.

Por Liliana Carona-RR

Loja Social de Fornos de Algodres completou o primeiro mês de vida

Um mês de missão social

   A Loja Social de Fornos de Algodres completou o primeiro mês de vida.
Surgindo, inicialmente, de uma parceria entre a Câmara Municipal e a Equipa da Pastoral Social, conta já com muitos outros parceiros e colaboradores.   Trata-se de um espaço de atendimento e acompanhamento social de proximidade, facilitador doacesso a bens de primeira necessidade, englobando também áreas para troca de bens e para exposição e divulgação de produtos resultantes do trabalho de artesãos e pequenos produtores locais, de acesso livre a toda a comunidade.

São potenciais beneficiários da Loja Social os residentes neste concelho, cujos rendimentos mensais sejam iguais ou inferiores ao salário mínimo nacional e agregados familiares cujo rendimento médio mensal, per capita, seja igual ou inferior a 80% do salário mínimo nacional.
São clientes da Loja Social indivíduos ou famílias que, embora não se enquadrando no ponto anterior, queiram contribuir para a causa social, adquirindo ou trocando na Loja Social os bens nela disponíveis, ou nela colocando os seus produtos para a venda a
preços acessíveis.
A Loja Social recebe e coloca à disposição os seguintes bens: têxteis/vestuário (atoalhados, cobertores, lençóis, edredões, colchas, roupas de bebé, criança e adulto); acessórios / calçado (cintos, chapéus, bijuterias, sapatilhas, sapatos, botas, entre outros); brinquedos / material didático; mobiliário; equipamentos domésticos / eletrodomésticos (trens de cozinha, louça, varinha mágica, ferro de engomar, entre outros); equipamentos básicos para restauro da casa (azulejos, tijolos, telhas, cimento, equipamento de WC, entre outros); material informático; divulgar e vender o trabalho de artesãos e de pequenos produtores locais junto da comunidade local; possibilitar a troca de livros, CDs, DVDs ou outros.
Situa-se no Largo do Mercado Municipal (junto ao Monumento ao Pastor). Tem o seguinte horário: segundas-feiras: 9h30-11h00 | 14h30-16h00; quartas-feiras: 9h30-11h00 |14h30-16h00; sábados: 14h30-16h00. Eventuais alterações a este horário serão afixadas na porta da Loja Social.
 Fonte:Padre Nuno Almeida

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar