Templates by BIGtheme NET
Home » Tag Archives: mangualde (page 2)

Tag Archives: mangualde

Pastel de Feijão em destaque na rubrica”Mangualde, o nosso património”

                                                    População  mais próxima do Património local 

A campanha «Mangualde, o nosso património!» destaca este mês de junho o Pastel de Feijão. Promovida pela autarquia, esta campanha tem como objetivo aproximar a população do património mangualdense do mais belo que existe no concelhoCom esta campanha todos ficam mais próximos do vasto esplendor patrimonial do concelho. Nesse sentido, continua a ser colocada, nos meios digitais do município, a informação sobre o monumento/património apresentado.

 

PASTEL DE FEIJÃO  

De origem conventual e de receita religiosamente guardada no segredo dos deuses, os pastéis de feijão são confecionados e vendidos no Patronato de Mangualde, desde 1936. Os anos difíceis da década de 1930 levaram Monsenhor Manuel Monteiro a fundar uma casa que acolhesse, durante o dia, os filhos das empregadas, enquanto trabalhavam. A pastelaria do novel Patronato funcionava como fonte financeira para esta causa e outras obras sociais da paróquia de Mangualde.

Foi D. Maria Amélia Ortiz Ribeiro quem introduziu o pastel de feijão no cardápio da instituição. A produção diária é de cerca de 800 pasteis. Mais não se quer, garantindo-se, assim, a autenticidade e qualidade da antiga e tradicional doçaria beirã.

O saber-fazer das pasteleiras do Patronato conferem-lhe singularidade tal que o eleva no panorama do património gastronómico de Portugal, convertendo-se em embaixador de Mangualde nos quatro cantos do mundo.

A par de outras iguarias desta terra, o pastel de feijão do Patronato atrai muita gente àquela instituição, sendo hoje responsável por boa parte do turismo que aqui acontece.

40º 36.365’N; 7º 45.957’0

António Tavares, Gabinete de Gestão e Programação do Património Cultural da CMM

 Foram já vários os bens patrimoniais destacados por esta campanha nos últimos anos. A título de exemplo, já foram destacados os Refrigerantes Condestável de Abrunhosa do Mato, os Bordados de Tibaldinho, a Casa dos Condes de Mangualde, a Fonte de Ricardina, vestígios arqueológicos ao tempo do Império Romano em Pinheiro de Tavares, a Capela de São Domingos de Ançada, a Carvalha, a Capela de Santo António em Mesquitela, a Fundação de Nossa Senhora da Saúde de Cunha Alta, os símbolos maçónicos e o Solar de Santa Eufémia. Mais recentemente, estiveram em destaque o Santuário de Santa Luzia, em Freixiosa; a Casa de Darei, na aldeia de Darei, freguesia de Mangualde, a Igreja Matriz de Várzea de Tavares, a Calçada Romana de Mourilhe; a Igreja de São Pedro de Cunha Alta; e a Capela de São Sebastião, em Santiago de Cassurrães, a Alminha de Tabosa, a Capela de São Domingos de Vila Mendo, o Pontão da Amieira, em Quintela de Azurara, o Depósito da Cruz da Mata, a “Senhora da Graça, ou do Alqueve – Fortaleza de Deus?”, o Portal Quinhentista de Pinheiro de Tavares, as Estelas funerárias de Abrunhosa do Mato e o Chafariz da Cunha Baixa.

Freguesia de Tavares assinala o Dia Mundial da Criança

Não querendo deixar de homenagear as crianças, a União das Freguesias de Tavares, mantendo em simultâneo o respeito pelo Plano de contingência à Covid-19, vai entregar a todas as crianças dos 0 aos 3 anos ou que estejam matriculados em qualquer nível de ensino uma lembrança para assinalar o Dia Mundial da Criança.

Vai ser um dia animado, com animadores,modelagem de balões e muita música.

Feira quinzenal em Mangualde reabre a 28 de maio

A segunda fase de desconfinamento arrancou agora e desta feita, uma nova etapa, com  a abertura de novas atividades, nomeadamente as escolas, as creches, os cafés, os restaurantes, as lojas comerciais até 400m2, etc. Neste contexto de desconfinamento, e com a abertura progressiva das diferentes atividades, salvaguardando sempre como preocupação principal a segurança sanitária, reservou a Câmara Municipal de Mangualde para este período a abertura da Feira Quinzenal, também ela de forma progressiva.

 Assim, a Feira Quinzenal Municipal, que se realizava duas vezes por mês (às segundas e quartas, quintas-feiras de cada mês), vai reabrir a sua atividade no próximo dia 28 de maio, duma forma gradual, obedecendo às regras de proteção sanitária. A reabertura será, de momento, limitada a dois sectores: a venda de plantas e produtos hortícolas; e a venda de produtos alimentares. O horário de funcionamento será das 7h30 às 12h00.

No âmbito do Plano de Contingência de Calamidade que o país atravessa, a abertura ao público observará todas as normas da Direção Geral da Saúde (DGS), no cumprimento do distanciamento físico (2m), na etiqueta respiratória, no uso obrigatório de máscara e na higienização das mãos com gel desinfetante a disponibilizar pelo município à entrada e à saída do recinto da feira. As entradas e saídas serão coordenadas através de sinalização própria.

“Este regresso da nossa Feira Quinzenal é importante não só para os feirantes e os comerciantes, mas também para a população, para o seu bem-estar social e económico”, sublinhou Elísio Oliveira. “O alargamento progressivo da Feira a outros sectores será avaliado em função da evolução da pandemia no país e no nosso concelho”, conclui o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

CIDEM em Mangualde através do programa “adaptar”informa como fazer na aquisição de bens de desinfeção

Sistema de incentivos à segurança nas micro, pequenas e médias empresas, no contexto da doença COVID-19.

O decreto-Lei n.º 20-G/2020 de 14 de maio apresenta o Programa “Adaptar”, que surge no seguimento da estratégia de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença COVID-19, e o CIDEM – Centro de Inovação e Dinamização Empresarial de Mangualde está disponível para esclarecer as micro, pequenas e médias empresas, de todos os setores de atividade abrangidas por este pacote de medidas: o comércio tradicional, a restauração, e os serviços pessoais são as atividades mais abrangidas por este programa que irá recorrer a fundos europeus do Portugal2020.

Este sistema vai permitir minorar os custos acrescidos para o restabelecimento rápido das condições de funcionamento das empresas, sendo apoiados, nomeadamente, os custos de aquisição de equipamentos de proteção individual para trabalhadores e utentes, equipamentos de higienização, contratos de desinfeção e os custos com a reorganização dos locais de trabalho e alterações de layout dos estabelecimentos.

Assim, e para as microempresas, os incentivos contemplam 80% de subsídio a fundo perdido das despesas elegíveis, com um limite de 5.000€ e um mínimo de 500€. Para pequenas e médias empresas, os incentivos contemplam 50% de subsídio a fundo perdido das despesas elegíveis, com um limite de 40.000€ e um mínimo de 5.000€.

Monumentos e bens do património cultural bem sinalizados no concelho de Mangualde

Ficou concluída a colocação de sinalética de trânsito indicativa e de direcção de vários monumentos e bens do património cultural do concelho de Mangualde. Na cidade de Mangualde, o foco foi essencialmente a indicação das Ruínas Romanas da Quinta da Raposeira que, restauradas e conservadas, se tornam, agora, mais facilmente acessíveis aos turistas e população local em geral.

Pelo resto do território, a sinalização indica a direcção de vários monumentos, como o Dólmen de Cunha Baixa, a Orca dos Padrões, a Torre Medieval de Gandufe, entre outros.

A iniciativa, idealizada através do Gabinete de Arqueologia e Gestão do Património Cultural da Câmara Municipal de Mangualde, permite dar visibilidade e facilitar a visita ao rico património do concelho, fomentando a permanência de turistas que, deslocando-se pelo território, estimulam a economia local, promovendo desenvolvimento.

Três temáticas escolhidas para concurso “7 Maravilhas de Portugal”

Bordado de Tibaldinho, Feira dos Santos e Romaria à Senhora do Castelo são as temáticas agora aceites e nomeadas a concurso.

O tema do concurso “7 Maravilhas de Portugal” deste ano é a “Cultura Popular” e Mangualde quer ser uma dessas Maravilhas, concorrendo nas categorias de Artesanato com o Bordado Tibaldinho, em Festas e Feiras com a Feira dos Santos e em Procissões e Romarias com a Romaria à Senhora do Castelo. As três candidaturas foram agora aceites e estão por isso nomeadas para as “7 Maravilhas de Portugal”.

O Concurso “7 Maravilhas de Portugal” visa promover o património cultural e imaterial de Portugal. As votações serão realizadas em direto durante os 20 programas emitidos pela RTP 1, nos meses de julho e agosto.

O Bordado de Tibaldinho caracteriza-se por ser um harmonioso bordado a branco, sobre tecido igualmente branco, algodão, linho ou meio linho, executado artesanalmente com grande predominância de ilhós, o que lhe confere uma gramática decorativa e simbolismo único e singular, tornando-o inconfundível. Pelo seu valor patrimonial e simbólico considera-se um bordado genuíno e com identidade própria constituindo parte importante do património Cultural Imaterial do País. Este bordado é elaborado por mulheres predominantemente de Tibaldinho, freguesia de Alcafache, que foram preservando e transmitindo as técnicas e todo o saber-fazer de geração em geração, oralmente e mediante a prática, sempre fiéis à tradição.

Em termos da sua representatividade histórica, o Bordado de Tibaldinho constitui uma tradição de origem indeterminada, sendo que os exemplares mais antigos de que temos conhecimento têm entre 150 a 200 anos.

Hoje em dia existem cerca de meia centena de bordadeiras que mantêm viva a tradição, sendo que, para as mais novas o bordar é uma atividade supletiva e irregular.

A Feira dos Santos, também conhecida como Feira das Febras, de elevada importância económica para o concelho, conta já com mais de 300 anos de existência. São aos milhares as pessoas que anualmente visitam a Feira dos Santos. Vêm em busca dos sabores gastronómicos do território, da prova dos magníficos vinhos cultivados nas soalheiras encostas do Dão. Procuram o peculiar artesanato, como os Bordados de Tibaldinho, as cerâmicas, visitam as novidades tecnológicas patentes na maquinaria e alfaias agrícolas, compram os temporões frutos secos, deliciam-se com os torresmos de porco fritos na sertã.

Cosmopolita, a tradição é hoje revitalizada com eventos satélite com temáticas orientadas para os interesses, variados, de quem demanda a Feira: animação musical de rua, mostras de pintura, exposições e provas de vinho do Dão, palestras, workshops ou oficinas. Parte integrante do evento na “Feira dos Santos à Mesa”, os restaurantes aderentes proporcionam uma ementa regional dedicada à Feira. São dois dias em que cada uma das freguesias do concelho aproveita para mostrar as suas características identitárias, tornando-a num evento promotor da coesão territorial numa mostra do quotidiano, aliando a tradição à modernidade.

A Romaria de Nossa Senhora do Castelo, considerada uma das maiores celebrações marianas da região, começa na noite do dia 7 de setembro com a procissão das velas. O cortejo inicia no escadório setecentista, que conta com trezentos e sessenta e cinco degraus, junto à capelinha da Nossa Senhora da Conceição, terminando na Ermida de Nossa Senhora do Castelo, depois das paragens junto das restantes capelinhas existentes no seu percurso, dedicadas a Nossa Senhora da Encarnação, Nossa Senhora da Visitação e Nossa Senhora da Assunção. No dia 8, a par das procissões, os festejos são complementados por um programa artístico-cultural rico e variado dirigido às centenas de famílias que, espalhadas pelo monte, saboreiam as partilhadas merendas trazidas de casa, cumprindo uma tradição secular.  A Romaria à Ermida de Nossa Senhora do Castelo, caracterizada pela afluência de milhares de fiéis, tem origens nos tempos brumosos da Idade Média. No monte, outrora castro habitado por povos da Idade do Ferro, posteriormente romanizados, ergueu-se castelo caído em mãos islâmicas pelo alcaide de nome Zurara.

Loja Social de Mangualde reabre dia 19 de maio

 Considerando a estratégia para o levantamento das medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença COVID-19, decorrente do Conselho de Ministros, de 30 de abril de 2020, que estabelece uma estratégia de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia, a LOJA SOCIAL “MANGUALDE SOCIAL MAIS” irá retomar o atendimento presencial em conformidade com o Plano de Contingência da Câmara Municipal de Mangualde. A Loja Social reabrirá dia 19 de maio e fará o seu atendimento exclusivamente por marcação via telefone, através do número 969 029 132.

Assim, esta prática vai acontecer cumprindo-se a adaptação do local de atendimento para proteção das colaboradoras e dos beneficiários, seguindo as recomendações da Direção-geral da Saúde (DGS) e da Proteção Civil Municipal.

Regras de funcionamento

O distanciamento físico deve ser igual ou superior a 2 metros, a higienização das mãos e a etiqueta respiratória devem ser escrupulosamente respeitados, assim como o uso de máscara obrigatória e a higienização regular dos espaços e materiais. Só é admitida uma pessoa por agregado familiar, preferencialmente o titular do cartão de beneficiário/a.  Aplicando-se o Princípio da Precaução em Saúde Pública, é obrigatório o uso de máscara, não sendo admitidas quaisquer exceções.

Se é beneficiário/a da Loja Social de Mangualde, aguarde o contacto da Câmara Municipal e respeite escrupulosamente as normas que serão veiculadas.

Centro de Produção do Groupe PSA em Mangualde reinicia atividade

O Centro de Produção do Groupe PSA em Mangualde regressa  nesta quarta-feira, 6 de maio à atividade, com um pré-arranque, que iniciará a laboração às 14h00 e terminará às 22h00.

O objetivo de retomar a laboração de forma gradual e segura, amanhã terão início os trabalhos de preparação nas unidades de ferragem e pintura. A partir de 7 de maio, estarão em laboração todas as áreas de produção, inicialmente com um turno único.

Estando o foco, neste primeiro regresso à laboração, em fazer cumprir o Protocolo de Proteção e garantir a integração segura de todos os colaboradores nesta nova realidade.

Estelas funerárias de Abrunhosa do Mato inserido em “«MANGUALDE, O NOSSO PATRIMÓNIO!»

A campanha «Mangualde, o nosso património!», que voltou a ser quinzenal, destaca nesta primeira quinzena de maio as Estelas Funerárias de Abrunhosa do Mato. Promovida pela autarquia, esta campanha tem como objetivo aproximar a população do património mangualdense do mais belo que existe no concelho.

Inseridas num muro que delimita um caminho de uma propriedade agrícola, podemos admirar duas cabeceiras de sepultura, no Portinho, em Abrunhosa do Mato. As suas características não nos permitem colocá-las no universo das cabeceiras discóides da Idade Média. Pela decoração insculpida que exibem, serão cristãs e, muito provavelmente, da Época Moderna, algures entre os séculos XVI e XVIII. Não sabemos se estão no lugar original, nem tão pouco fizemos sondagens nas imediações que nos pudessem ajudar a contextualizá-las cronologicamente. A configuração de ambas é antropomórfica: representação estilizada dos defuntos. Interpretam uma intenção comemorativa e indicativa de inumação, perpetuando a vontade de alguém se manter na memória dos que ficavam e na de quem viria. Estas estelas funerárias de Abrunhosa do Mato têm dimensões distintas, permitindo avançar com a hipótese de que a maior se destinou a perpetuar a memória de um adulto, enquanto que a menor cumpriu esse papel para um jovem ou criança. Nada mais possuem que retire o anonimato aos inumados… Não se perdeu, ainda, a lenda, de que seria uma moça que, tendo ido ao moleiro moer o cereal, naquele local, terá sido atacada por lobos. A mãe, estranhando a demora da filha, ter-se-á posto a caminho, acabando, no mesmo local, por ter igual destino. Tais pedras serão, então, evocativas da memória de tão trágico acontecimento e, em última intenção, uma homenagem sentidamente feita às duas personagens…

Coordenadas geográficas: Latitude:  40º 33. 103’; Longitude: 7º 44. 819’

António Tavares, Gabinete de Gestão e Programação do Património Cultural da CMM

Foram já vários os bens patrimoniais destacados por esta campanha nos últimos anos. A título de exemplo, Já foram destacados os Refrigerantes Condestável de Abrunhosa do Mato, os Bordados de Tibaldinho, a Casa dos Condes de Mangualde, a Fonte de Ricardina, vestígios arqueológicos ao tempo do Império Romano em Pinheiro de Tavares, a Capela de São Domingos de Ançada, a Carvalha, a Capela de Santo António em Mesquitela, a Fundação de Nossa Senhora da Saúde de Cunha Alta, os símbolos maçónicos e o Solar de Santa Eufémia. Mais recentemente, estiveram em destaque o Santuário de Santa Luzia, em Freixiosa; a Casa de Darei, na aldeia de Darei, freguesia de Mangualde, a Igreja Matriz de Várzea de Tavares, a Calçada Romana de Mourilhe; a Igreja de São Pedro de Cunha Alta; e a Capela de São Sebastião, em Santiago de Cassurrães, a Alminha de Tabosa, a Capela de São Domingos de Vila Mendo, o Pontão da Amieira, em Quintela de Azurara, o Depósito da Cruz da Mata, a “Senhora da Graça, ou do Alqueve – Fortaleza de Deus?” e o Portal Quinhentista de Pinheiro de Tavares.

Equipamentos de Proteção individual doados pelo Município às IPSS de Mangualde

A Câmara Municipal de Mangualde fez uma nova doação de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, com objetivo de reforçar as condições de atuação e proteção dos profissionais e dos utentes destas instituições mais frágeis e vulneráveis da sociedade durante o combate a esta pandemia do COVID-19. Foram doadas três mil máscaras, três mil luvas, seis mil aventais descartáveis e 14 termómetros eletrónicos sem contacto.
Foram contempladas as seguintes instituições:
Lares: Santa Casa da Misericórdia, Complexo Paroquial, Lar de José de Santiago de Cassurrães, Lar da Freixiosa.
Centros de Dia com Apoio Domiciliário: Centro Social e Paroquial de Fornos de Maceira, Centro Social e Paroquial Alcafache, Centro Social e Paroquial Cunha Baixa, Centro Abrunhosa-Velha e Centro Social e Paroquial Chãs de Tavares.
Bombeiros V.Mangualde
As IPSS são das instituições que estão na linha da frente do apoio aos sectores mais vulneráveis da sociedade, em particular dos mais idosos. O uso de EPI é, por isso, fundamental para controlar a difusão da contaminação, é uma medida preventiva básica.
Desta forma, na página do Município, Elísio Oliveira refere:estas ações além de fornecerem os meios necessários à proteção das pessoas, e reforçarem as condições de combate à propagação do vírus, refletem a proximidade do município com estas instituições e o apoio às suas missões sociais e humanitárias”. O presidente sublinha ainda que esta “é também uma forma de agradecer o seu papel insubstituível e de encorajar e felicitar estas pessoas, os que dirigem e os que trabalham, neste contexto de pandemia e de exposição ao risco. Dar relevância a estas instituições e a estes profissionais é da mais elementar justiça.”

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar