Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: reciclagem

Tag Archives: reciclagem

Eletrão-Cada família acumula em casa 11 equipamentos eléctricos que já não usa

Cada família acumula em casa, em média, 11 equipamentos eléctricos que já não usa, de acordo com um estudo recente da Organização das Nações Unidas. “Quem não tiver um telemóvel antigo guardado em casa que levante a mão”, desafiou o Director-Geral do Electrão – Recolha e Reutilização, Ricardo Furtado, num debate online dedicado aos resíduos eléctricos, organizado esta quinta-feira pela APEMETA – Associação Portuguesa de Empresas de Tecnologias Ambientais.

A acumulação que os cidadãos fazem dos pequenos electrodomésticos impede que os níveis de reciclagem destes equipamentos usados aumentem como se pretende. “Temos que contrariar essa tendência porque precisamos desses equipamentos para o cumprimento das metas. Não vale a pena definirmos metas de 65 por cento se as pessoas não entregam estes resíduos”, apontou o responsável que representa uma das três entidades gestoras de equipamentos eléctricos usados.

Outro aspecto relacionado com os cidadãos prende-se com a recolha. “Os pequenos electrodomésticos não podem continuar a ser colocados no lixo indiferenciado porque se perdem”, alerta garante Ricardo Furtado. O que também não deve continuar a acontecer é o abandono de grandes electrodomésticos à porta sabendo-se que estes equipamentos, pelo valor que possuem, são rapidamente desviados para o mercado paralelo pelos arrebanhadores antes que as autarquias e SGRU (Sistema de Gestão de Resíduos Urbanos) tenham tempo de recolhê-los. Esta situação impede de igual forma que estes aparelhos sejam reciclados.

EMPRESAS, MUNICÍPIOS, SGRU E TUTELA TÊM QUE SER ENVOLVIDOS

As empresas, tal como o cidadão, são uma parte importante da equação tendo em conta que geram inúmeros resíduos eléctricos por via das suas actividades. “Estes equipamentos acabam por ser mascarados como resíduos metálicos ou sucata. São geridos no setor informal e perdem-se irremediavelmente para a contabilização das metas”, denuncia. Para resolver o problema as empresas deveriam ficar obrigadas a entregar estes resíduos apenas às entidades gestoras ou aos operadores de gestão de resíduos com quem estas trabalham, o que vai ao encontro de uma alteração legislativa que o Governo quer fazer.

Ao nível dos SGRU também há muito trabalho a fazer. “Temos SGRU a apresentar 20 gramas de resíduos eléctricos recolhidos por habitante ano”, exemplifica. É igualmente urgente que os operadores licenciados cumpram as normas de certificação a que estão obrigados para o tratamento destes resíduos.

Os free riders, produtores que estão à margem do sistema, constituem um problema para o fluxo, tal como as vendas on line, sobretudo através de plataformas que não têm representação em Portugal. “Deveria existir uma responsabilização das plataformas para garantir que os produtos que são vendidos através delas são registados. Achamos também que precisamos de responsabilizar as entidades que asseguram as entregas. Têm que estar disponíveis para recolher que usados quando entregam um novo”. Para Ricardo Furtado este é um assunto novo que terá que ter integração a nível europeu e mundial.

Não menos importante é o papel do Estado que tem a obrigação de legislar corretamente. Só depois, defende Ricardo Furtado, deve ser clarificado o que se espera das entidades gestoras.

Ricardo Furtado sublinhou que as entidades gestoras não têm competência para fazer a recolha junto do cidadão. No entanto, a representante da APA que participou na conferência, Mafalda Mota, esclareceu que as entidades gestoras podem afinal recolher os equipamentos eléctricos diretamente ao cidadão já que essa tipologia de resíduos não é exclusiva dos municípios, ao contrário do que acontece, por exemplo, com as embalagens. O Electrão tem a ambição de consolidar uma vertente operacional que lhe permita não só fazer a recolha, como proceder à triagem e encaminhar esses resíduos para reciclagem.

Todas estas sugestões estão integradas na “Agenda para o cumprimento das metas de resíduos de equipamentos eléctricos” que o Electrão lançou no início do ano. “Não resolvemos nada atirando a responsabilidade total sobre as entidades gestoras. Temos as costas largas, mas o que sabemos que há muita responsabilidade dos vários intervenientes na cadeia que escapa ao controlo, à intervenção e mesmo à sugestão das entidades gestoras”, lamenta. Nos últimos anos o Electrão tem desenvolvido múltiplas campanhas com vista a contribuir para as metas nacionais.

 NEGOCIAÇÃO SECTORIAL PRECISA-SE PARA CUMPRIR AS METAS

O Director-Geral do Electrão – Associação de Resíduos, Pedro Nazareth, esclareceu, durante a conferência, que os grandes electrodomésticos, como frigoríficos ou máquinas de lavar, que constituem o grosso dos resíduos eléctricos, serão determinantes para que Portugal possa cumprir a meta de 65 por cento.

Muitos destes resíduos não são reciclados porque não se encontram. “Se não estão no campo, na praia, na montanha nem na cidade, se não estão no aterro, nem a ser valorizados energeticamente, onde estarão? O que acontece é que estes resíduos são misturados com sucata ferrosa e não ferrosa”, denuncia.

Pedro Nazareth lembra que é a única tecnologia disponível para “fazer desaparecer estes equipamentos” são tesouras de corte e fragmentadores, usados por muitos operadores licenciados que estão licenciados pelo Estado português.

Para resolver o problema o Director-Geral do Electrão sugere ao Governo que seja feita uma negociação com este sector que já desenvolvia a sua actividade antes da chegada das entidades gestoras, há 15 anos, e que olhou o seu aparecimento como uma invasão do seu território natural. “Este processo deve ser liderado pela tutela. Este setor das sucatas metálicas deve ser convidado a ter metas e a separar os resíduos eléctricos que entram nas suas instalações”, conclui em jeito de desafio.

Descontos na reciclagem de garrafas de plástico

Vão estar ao dispor da comunidade máquinas automáticas no sentido de recolher embalagens de plástico não reutilizáveis de bebidas, para já em 23 superfícies comerciais de grande porte de norte a sul do País.

Face a isso, todos agora podem guardar essas embalagens e ao depositá-las nessas máquinas, vão receber um talão de desconto por cada garrafa.

O valor do talão de desconto varia de acordo com a capacidade da embalagem devolvida: dois cêntimos, para embalagens até 0,5 litros; cinco cêntimos, para capacidade superior, até dois litros.

Esta é uma forma de sensibilizar as comunidades a reciclar cada vez mais, agora o plástico, uma vez que a partir de 2022, vai passar a ser possível também os materiais ferrosos, vidro e alumínio.

Este é um financiamento de 1 milhão e 665 mil euros do Fundo Ambiental da parte governativa do Ambiente e Ação Climática.

Electrão e a Samsung apoiam Instituições de Solidariedade Social

Campanha termina a 31 de dezembro

  Esta é uma Campanha nacional de reciclagem onde esta iniciativa angariou até ao momento cerca de 69 toneladas de resíduos termina no dia 31 de dezembro A campanha solidária de reciclagem promovida pelo Electrão – Associação de Gestão de Resíduos – e pela Samsung Eletrónica Portuguesa S.A., termina no próximo dia 31 de dezembro e tem como principal objetivo a recolha de equipamentos elétricos, pilhas e lâmpadas, para apoiar Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) em todo o país.A recolha de resíduos e a seleção das instituições beneficiadas é realizada pelos centros de assistência técnica autorizados da Samsung que, até ao momento, já angariaram cerca de 69 toneladas de resíduos, o que corresponde a 6900€.

No final da iniciativa, as toneladas de equipamentos recolhidas vão ser proporcionalmente convertidas em apoios financeiros para as referidas instituições.Na primeira edição, realizada em 2018, foram recolhidas mais de 48 toneladas de resíduos e, em conjunto com o Electrão, foi entregue um valor de 4.800€ à Casa da Encosta, Centro de Acolhimento Temporário de Crianças em Risco.

Centros de assistência técnica autorizados da Samsung participantes:

ASCs IPSS
AT informática (Perafita – Matosinhos) Acreditar – Núcleo Regional Norte
C&V (Ponte de Sor) CRIPS – Centro Recuperação infantil de Ponte de Sor
Hot Cold (Lisboa) Casa Mão Amiga
Refri (Bobadela – Lisboa) IPSS a Seleccionar
CTDI (Vialonga – Vila Franca de Xira) Operação nariz vermelho
 

CTL (Ilha da Terceira e Ilha de São Miguel – Açores)

–                    Lar D. Pedro V (para Praia da Vitória )

–                    Associação Atlântica de Apoio aos Doentes Machado-Joseph (para a ilha de São Miguel)

BCD (Ramada – Odivelas) “ATR” – Associação tira-me da rua
Electropixel (Ponta Delgada – Ilha de São Miguel) Lar Luís Soares de Sousa
Assistência 35 (Lisboa) Centro Paroquial Santíssimo Sacramento
Electro Balsemão (Setúbal) APPACDM Setúbal
STE (Coimbra) ANIP – Associação Nacional de Intervenção Precoce
Mavideo (São Mamede de Infesta – Matosinhos) Casa do Kastelo
TV Príncipe (Espinho – Aveiro) Centro Social Paroquial S. Tiago de Silvalde
Tamet (Matosinhos e Lisboa) Associação do Porto de Paralisia Cerebral
Lidernor (Porto) Operação Nariz Vermelho
Asteguima (Guimarães) Centro Juvenil S. José
RCDigitec (Guarda) Lugar dos Pequeninos – Porto da Carne
Beiratrónica (Mortágua) Escola de Cães-Guia de Mortágua
Álvaro Group (Entroncamento) Centro Social Paroquial do Entroncamento
Joel Tec (Barreiro – Setúbal) Animalife – Associação dos Amigos dos Animais da Moita
ECS (Alfornelos – Lisboa) AFID Diferença

Campanha de reciclagem mobiliza cerca de quatro centenas de escolas

Escola Electrão junta professores, alunos e comunidade

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos promove mais uma edição nacional da Escola Electrão, uma campanha de reciclagem de equipamentos elétricos, pilhas e baterias que envolve alunos, professores e comunidade em geral.

A edição deste ano tem como novidade a atribuição de pontos que serão convertidos em prémios que vão equipar as escolas com microscópios, impressoras, computadores e tablets.

O Quiz Electrão é outra grande novidade, permitindo envolver os alunos num debate sobre temas essenciais como reciclagem, valorização de resíduos, recursos naturais e prevenção de incêndios através de um passatempo digital, inovador e pedagógico.

Além do Quiz Electrão, será distribuído pelos estabelecimentos de ensino o livro “Electrão? Conheço bem, muito obrigado.”, destinado aos mais pequenos, que contribui para a educação ambiental. Este livro é composto por atividades e desafios para a comunidade escolar aprender a gerir os recursos naturais do planeta e ficar desperta para a questão da reciclagem.

Na última edição da Escola Electrão, foram recolhidos mais de 120 mil quilos de equipamentos elétricos, pilhas e baterias, e distribuídos mais de 10 mil euros pelas escolas. A campanha Escola Electrão decorre até 31 de maio de 2020.

Sobre o Electrão:

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos é a entidade gestora de resíduos líder na gestão dos equipamentos elétricos, pilhas e baterias usadas. A Rede Electrão tem cerca de 4 mil locais de recolha em todo o país. A 9 de agosto de 2017, foi-lhe atribuída a sua terceira licença de atividade para gestão de resíduos de embalagens, permitindo-lhe disponibilizar um serviço integrado na gestão de três fluxos de resíduos: equipamentos elétricos, pilhas e embalagens.

 

Jovens das férias desportivas sensibilizam as comunidades de Fornos de Algodres

Reciclar cada vez mais e melhor

O Município de Fornos de Algodres dinamizou uma ação de vertente ambiental no programa das Férias Desportivas, as atividades ambientais não foram esquecidas e por isso a convite do município a Resiestrela associou-se a esta iniciativa!

Segundo o Vereador Bruno Costa “Nesta 1.º fase os nossos Eco Jovens, esta semana, percorreram diferentes localidades do  Concelho de Fornos de Algodres. O objetivo é só um: sensibilizar a população para as boas práticas da reciclagem.”

Foi uma iniciativa com um enorme sucesso, pois esta equipa conseguiu transmitir a todos os moradores visitados, que é importante que separem todos os materiais passíveis de reciclagem !!

Pinhel participa no projeto Escola Prio Top Level

No âmbito do projeto Escola Prio Top Level, que visa promover a reciclagem de Óleos Alimentares Usados, foram já distribuídos perto de 500 kits aos alunos do 1º, 2º e 3º Ciclo de Pinhel.

Inicia desta forma a 1ª edição do Concurso Regional Escola Prio Top Level que abrange 23 escolas e vai decorrer até ao final do ano letivo 2017/2018 na região da Cova da Beira, em parceria com a RNAE e ENERAREA, duas entidades com empenho na realização de programas ambientais direcionados para a comunidade escolar.

Assim, este concurso pretende promover e incentivar a separação e reciclagem de óleos alimentares usados, bem como informar e sensibilizar a comunidade escolar, e não só, para a recolha seletiva deste resíduo.

Em contrapartida, a iniciativa irá premiar os estabelecimentos de ensino que recolham, por aluno, a maior quantidade de litros de óleos alimentares usados, prevenindo a sua descarga nos esgotos municipais.

Para tal, foram atribuídos três oleões às três escolas de Pinhel (1º Ciclo, 2º Ciclo, 3º Ciclo e Secundária), pedindo-se aos alunos que se empenhem nesta missão de recolher óleos alimentares usados provenientes do setor doméstico.

A distribuição dos kits individuais, compostos por um jogo alusivo à temática e um funil, decorreu durante o dia de hoje, sendo acompanhada por técnicos da Associação de Municípios da Cova da Beira e do Município de Pinhel, bem como pela Vereadora Irene Fonseca, responsável pelo pelouro do Ambiente e da Promoção da Educação Ambiental.

Dito isto, importa deixar o apelo à colaboração de todos no sentido de encaminharem os seus óleos alimentares usados para as escolas designadas, dentro de garrafas de plástico, pois a deposição deve ser feita exclusivamente em garrafas de plástico devidamente fechadas.

Lembramos que as escolas que recolherem mais óleo alimentar usado ganham prémios, além de ganharem uma maior e melhor consciência ambiental.

Por:MP

 

Concurso Escolar Regional designado “Escola PRIO TOP LEVEL” arranca nas escolas

Aproveitamento de óleos

O consórcio “PRIO TOP LEVEL”, constituído entre a PRIO e Hardlevel, em parceria com a RNAE – Associação das Agências de Energia e Ambiente (Rede Nacional) e a ENERAREA – Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior lançam esta semana o Concurso Escolar Regional designado “Escola PRIO TOP LEVEL” junto dos alunos das escolas do 1º, 2º e 3º ciclos da área geográfica da ENERAREA, que abrange 13 municípios pertencentes à AMCB – Associação de Municípios da Cova da Beira: Mêda, Figueira de Castelo Rodrigo, Trancoso, Pinhel, Almeida, Guarda, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Manteigas, Belmonte, Sabugal, Fundão, Penamacor.

O Concurso visa promover e incentivar a separação e reciclagem de óleos alimentares usados (OAU) e informar e sensibilizar a comunidade escolar, em geral, para a recolha seletiva deste resíduo produzido pelo setor doméstico. No final serão premiadas as escolas que entregarem a maior quantidade de óleo alimentar usado por aluno, eliminando, desta forma, a sua descarga nos esgotos municipais.

As escolas com interesse em participar no Concurso Escolar Regional “PRIO TOP LEVEL” devem aceder ao formulário de inscrição online, disponível em http://bit.ly/2yaL7AY. O período de inscrições termina a 7 de dezembro de 2017.

“Em todo o território português, a maioria do óleo alimentar usado vai parar aos esgotos em vez de ser devidamente colocado em oleões para posteriormente ser reciclado. Queremos reverter esta tendência e acreditamos que a sensibilização deverá começar pelos mais jovens, para depois também eles, ajudarem os pais a dar melhor uso ao óleo usado na cozinha”, referiu Nuno Correia, administrador da PRIO responsável pela PRIO TOP LEVEL.

O óleo alimentar usado pode ser reutilizado de diversas formas, onde se destaca a produção de Biodiesel, um combustível amigo do ambiente e a PRIO atualmente é a 3ª maior produtora a nível europeu.

O Concurso arranca no início do 2º período do ano letivo 2017/2018 e a organização irá aceitar 39 escolas do 1º, 2º e 3º ciclos, no máximo, a participar ativamente. Cada escola inscrita vai receber 1 oleão simples PRIO TOP LEVEL e serão realizadas ações de sensibilização em cada uma das escolas selecionadas, onde será entregue a cada aluno um Kit didático “PRIO TOP LEVEL”. Para complementar existirá um site alusivo à iniciativa que terá disponível um conjunto de informações sobre a temática e um jogo online que convida a comunidade escolar a participar e a envolver-se.

No final da competição, serão atribuídos prémios de Excelência aos 10 primeiros lugares do ranking, bem como menções honrosas e certificados de participação.

 

 

Quartel Electrão avança para a 3ªedição

14925230_1068522819911898_7441276600253497127_nA Amb3e lançou novo repto às corporações de todo o País para se juntarem a esta ação, e ajudarem a promover junto da comunidade, a reciclagem dos equipamentos elétricos e pilhas usadas.

Esta é a oportunidade de lhes retribuir o apoio que os Bombeiros dão. Todos os resíduos reunidos pelos Bombeiros serão convertidos numa contribuição financeira, proporcional às quantidades recolhidas numa lógica de €/tonelada.

Depois do sucesso da 2ª edição do Quartel Electrão, nova ação está em marcha.

Todas as corporações que participaram na anterior campanha estão automaticamente inscritas. as novas inscrições decorrem de 2 de novembro a 2 de dezembro de 2016, tendo depois início a partir de 15 de dezembro de 2016.

Prémios

1º prémio absoluto
Ambulância*

1º prémio Pilhas 
1.500 € EPI

1º prémio Lâmpadas
1.500 € EPI

Prémios per capita
8 cartões pré-pagos de combustível

Lista de vencedores da 2ªedição

Prémio Total: Ambulância de Transporte de doentes
AHBV Famalicenses, com 65 871 kg de resíduos

Prémio Pilhas: Equipamento de protecção individual no valor de 2.000 euros
AHBV Marco de Canaveses, com 1933 kg de pilhas

Prémio Lâmpadas: Equipamento de protecção individual no valor de 1.000 euros
AHBV Lordelo, com 1516 kg de lâmpadas

Prémios per capita: Cartões pré-pagos de combustível no valor de 1.000 euros.
1º AHBV Pampilhosa, com 4,64 kg/habitante
2º AHBV Pinhelenses, com 4,28 kg/habitante
3º AHBV Santa Comba Dão, com 3,26 kg/habitante
4º AHBV Fornos de Algodres, com 3,25 kg/habitante
5º AHBV Figueiró dos Vinhos, com 3,03 kg/habitante

 

Fornos de Algodres- Bombeiros passam a ser Local de Recolha da Rede Electrão

IMG_1307Na manhã desta sexta-feira, foi assinado um protocolo, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, no âmbito da Criação de um Local de Recolha da Rede Electrão, entre a Amb3E – Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos e a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres, nesta localidade.

Este protocolo visa a recolha de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos(REEE), resíduos de pilhas e acumuladores portáteis (RPA).

Perante este acordo, que visa cuidar do meio ambiente, onde os Bombeiros de Fornos de Algodres irão receber uma pequena compensação financeira pelos quilos recolhidos.

Na assinatura estiveram dois representantes da Amb3E, o Dr.Manuel Fonseca, Presidente do Município local e Fernando Rodrigues, Presidente da AHBVFA, perante uma plateia com a presença do Comandante José António e 2º Comandante Armando Costa, o Vereador Dr.Alexandre Lote, Presidente da Freguesia de Fornos de Algodres, António Gomes e vários elementos do Corpo Ativo dos Bombeiros.

Perante isto, a partir de agora a população desta localidade, tem ao dispor um serviço que vai permitir a reciclagem destes resíduos e claro que, para os entregar, basta contactar os soldados da paz desta localidade.

A Amb3E é uma associaçIMG_1296ão sem fins lucrativos com licenciamento para a organização e gestão do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (SIGREEE) e Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Pilhas e Acumuladores (SIGRPA).

Este é mais um projeto que os Bombeiros de Fornos de Algodres se vão debruçar, depois do sucesso alcançado no “Quartel electrão”, onde alcançaram o quarto lugar “per capita”, onde contribuíram com 3,25 kg/habitante, já anteriormente tinham tido sucesso no projeto de reciclagem de tampinhas plásticas, “Tampinha Amiga” e o projeto de reflorestação “Um Serviço uma Árvore Amiga”.

Por:Sofia Pacheco

 

 

 

 

Bombeiros de Fornos de Algodres avançam na criação de local de recolha da Rede Electrão

electrao_inserida1Vai ser assinado esta sexta -feira,17 de junho, na Câmara Municipal de Fornos de Algodres, um protocolo entre a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres e a Amb3E para a criação de local de recolha da Rede Electrão, nesta localidade, pela 11 horas.

Depois do sucesso da Campanha Quartel Electrão, dado que os Bombeiros de Fornos de Algodres alcançaram um lugar de destaque nesta campanha, fruto do muito trabalho de toda a corporação de Bombeiros pela recolha nessa campanha, é assim importante que surja um Ponto de Recolha, para continuar a receber resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) e resíduos de pilhas e acumuladores portáteis (RPA).

Recorde-se que já tinham participado em alguns projetos importantes, como o projeto de reciclagem de tampinhas plásticas, “Tampinha Amiga” e o projeto de reflorestação “Um Serviço uma Árvore Amiga”, face a isso , surgiu a possibilidade deste projeto que consiste na Criação de um Ponto de Recolha e a Direção dos Bombeiros local, presidida por Fernando Rodrigues , entendeu avançar, pois face à boa adesão da população nos projetos anteriores, esta é uma boa maneira de estimular a população para a reciclagem.

Reciclar protege a saúde, o ambiente e poupa recursos.

Por:MFA/AP

Ao continuar a utilizar o site, você concorda com a utilização de cookies. Mais Informação

As definições de cookies neste site são definidas como "permitir cookies" para lhe dar a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar suas configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, em seguida, você concorda com isso.

Fechar