Templates by BIGtheme NET
Início » Author Archives: cprimavera

Author Archives: cprimavera

Rodrigo Correia com exibição interessante nas “Camélias”

O piloto de Reigoso, Oliveira de Frades, prosseguiu o processo de evolução nos ralis na prova desenhada pelo Clube de Motorismo de Setúbal, terminando no 5.º lugar do Kia Rally Cup, promovido pela CRM Motorsport e 22.º no Rali das Camélias, num universo de 64 equipas.

A vontade intrínseca de aprender o mundo dos ralis não deixou de existir, mas a pandemia tornou-a mais difícil. Um impacto que Rodrigo Correia, o mais novo piloto de sempre a participar numa prova de ralis, sublinhou estar «confiante em progredir» numa modalidade iniciada o ano passado, logo após ter conquistado o título de campeão nacional de Iniciados de Ralicross.

«O Rali das Camélias foi uma excelente prova para conservar a carga de interpretação como devo abordar algumas situações em que estive envolvido ao longo das seis provas especiais de classificação da competição do Clube de Motorismo de Setúbal. Esta competição teve um pouco de tudo, desde troços escorregadios, rápidos e muito técnicos, bem como alguma lentidão em algumas zonas de Sintra», referiu Rodrigo Correia.

Navegado pelo experiente piloto Miguel Paião mas que, neste processo, tem por missão coadjuvar o jovem piloto de 17 anos de idade a evoluir aos comandos de um Kia Picanto GT, o piloto beirão continua a amontoar quilómetros no seu desenvolvimento: «Sinceramente Gostei do Rali das Camélias mas, melhor que o resultado, foi a positiva fase de aprendizagem a que estive sujeito. O Kia Picanto GT esteve simplesmente impecável e, apesar de um ou outro contratempo, conseguimos alcançar os objetivos», revelou o jovem piloto.

Rodrigo Correia, que não evitou um pião na segunda especial de classificação, registou o 22.º lugar da geral – num universo de 64 viaturas à partida, terminaram 40 – e, ao cabo de seis troços, terminou no 5.º lugar do Kia Rally Cup.

«Não tivemos a mesma confiança desde que não evitei um pião mas, como já tive a oportunidade de referir, continuámos a nossa aprendizagem contra bons pilotos. Como não poderia deixar se ser, saímos desta prova motivados para o próximo compromisso», sustentou o jovem piloto de Reigoso.

Mercedes-Benz e Clube Escape Livre apresentam 1ª volta elétrica a Portugal

 

A Mercedes-Benz e o Clube Escape Livre vão realizar em maio a 1ª Volta Elétrica a Portugal e que tem a chancela e registo oficial da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting – FPAK.

Ao volante do novo EQA da Mercedes-EQ, o mais recente elétrico da marca alemã, vários jornalistas vão percorrer Portugal de lés-a-lés, conduzindo por algumas das estradas mais belas do país, com paisagens magníficas e lugares cheios de história. Pelo caminho, algumas paragens para recarregar baterias, mas, sobretudo, viver algumas das melhores experiências pelos caminhos de norte a sul de Portugal.

Pela primeira vez, uma Volta a Portugal em automóvel será 100% amiga do ambiente. Milhares de quilómetros percorridos, sem emissões, em perfeita harmonia com a natureza, que se apresentam como mais um sinal de um futuro cada vez mais sustentável, continuando a seguir a linha traçada pela Mercedes-EQ rumo à descarbonização e à eletrificação do automóvel.

Luís Coelho, do Clube Escape Livre explica: “Em 1998 o Clube Escape Livre estabeleceu a primeira marca para uma Volta a Portugal com um carro a gasóleo e, simultaneamente, bateu o recorde absoluto existente. Ambos continuam na sua posse. Em 2021, vamos fazer nova Volta a Portugal, desta feita de uma forma absolutamente sustentável em parceria com a Mercedes-EQ e ao volante do novo EQA.

Esta 1ª Volta Elétrica a Portugal assinala também a chegada ao nosso país do EQA, a mais recente produção da Mercedes-EQ, um elétrico com autonomia superior a 400km, que nesta travessia do país, por autoestradas, planícies e estradas desafiantes de montanha, permitirá testar também a atual rede nacional de postos de carregamento.

 

Rallye das Camélias-Gil Antunes e Diogo Correia chegaram ao pódio

Prova extra campeonato, o mítico Rallye das Camélias decorreu no passado fim de semana na região de Mafra e Sintra, com organização a cargo do Clube de Motorismo de Setúbal.

Presente com duas duplas a equipa de Alcanede teve resultados distintos na prova.

Gil Antunes e Diogo Correia regressaram aos pisos de asfalto com o seu Dacia Sandero R4 e brilharam, atingindo o 3º lugar final, numa prova ganha pelo Skoda Fabia R5 de Rui Madeira e Nuno R. da Silva.

Fernando Teotónio e Luís Morgadinho regressaram ao Mitsubishi Lancer Evo IX mas não foram felizes na prova. A dupla vinda do Fundão não teve a sorte do seu lado e devido a um problema elétrico no seu Mitsubishi Lancer, não atingiram o final do 1º troço, sendo obrigados a desistir no início da prova.

“O Gil Antunes e o Diogo Correia fizeram uma excelente prova e estão de parabéns pelo 3º lugar final. Estamos tristes pelo desfecho do Fernando Teotónio e do Luís Morgadinho, mas os ralis são assim. Estamos já pensar no próximo desafio, o Rali da Bairrada”, afirmaram Paulo e Ricardo Domingos, responsáveis pela equipa de Alcanede.

O Rali da Bairrada é a primeira prova do Campeonato Portugal Clássicos de Ralis e do Campeonato Centro de Ralis, organizado pelo Clube Automóvel do Centro a prova, disputada em pisos de asfalto, irá ter 137,95 km de extensão, sendo 59,96 km ao cronómetro.

Fotos: Zoom Motorsport

Nova loja on line “Sabor a Pinhel” está chegar

Sabores de Pinhel à distância de um click

A procura pelos produtos endógenos e tradicionais tem vindo a aumentar e que nem sempre é fácil os produtores locais darem resposta a pedidos de encomendas feitos a partir de outros pontos do país, o Município de Pinhel entendeu por bem avançar com a criação da loja on line “Sabor a Pinhel” (www.saborapinhel.pt)

Com a Loja de Produtos Endógenos a funcionar no Posto de Turismo deste 2015, o Município de Pinhel decidiu agora alargar a oferta àqueles que não estando em Pinhel, ou não se deslocando a Pinhel, poderão a partir de agora receber em sua casa, com toda a comodidade e segurança, os produtos de excelência oriundos de Pinhel.

O destaque vai naturalmente para os Vinhos, estando disponíveis os vinhos da Adega Cooperativa e de todos os produtores / engarrafadores do concelho que marcam presença na loja física, e agora também na loja digital. Ao todo, cerca de 40 referências entre brancos, tintos e espumantes.

Além dos Vinhos, o Azeite e o Mel produzidos em Pinhel também fazem parte do leque de produtos disponíveis, assim como as Cavacas e outros produtos locais como sejam doces, compotas, chutneys, sal aromatizado e até óleos essenciais (produtos biológicos produzidos no concelho).

A completar a oferta, artigos de merchandising para uma lembrança alusiva a Pinhel (pins, canecas ou t-shirts, por exemplo) e, finalmente, os produtos de autor (artesanato e outros).

A nova loja on line “Sabor a Pinhel” vai ser apresentada ao público no dia 20 de maio, às 21.30h, no recinto da Feira do Livro de Pinhel que decorre no Parque Municipal da Trincheira. Parceira do Município de Pinhel no desenvolvimento deste projeto, a ADSI – Agência para o Desenvolvimento da
Sociedade de Informação e do Conhecimento também estará presente nesta apresentação.

A partir do dia seguinte, dia 21 de maio, entrará em funcionamento a loja on line “Sabor a Pinhel”, acessível em www.saborapinhel.pt.
De uma forma intuitiva, os utilizadores terão acesso à listagem e descrição dos produtos disponíveis, bem como às condições de pagamento e de receção das encomendas.

Assim, a partir de agora, todos poderão ter acesso aos sabores de Pinhel, à distância de um click.

4 anos de Conferências da Estrela

Tal como já temos partilhado neste espaço, uma das principais missões, mas também um dos mais importantes desafios, é o envolvimento das comunidades no processo de desenvolvimento territorial alavancado pela estratégia decorrente da classificação da Estrela pela UNESCO. Nesta perspetiva, muito antes da tão desejada classificação, o Estrela Geopark iniciou um ciclo de tertúlias, que se viriam a designar de Conferências da Estrela. Estas, resultaram da preocupação em debater, explorar ou refletir sobre questões ou oportunidades transversais aos 9 municípios e a todo o território do Estrela Geopark. Assim, desde 2017 temos vindo a identificar temas centrais, com os quais envolvemos dezenas de personalidades que têm contribuído para uma maior consciência do património da Estrela e do seu valor.

Com o lema “Nove Municípios, Nove Conferências”, entre janeiro e setembro de 2017, decorreu o 1º ciclo, abordando questões desde a Geodiversidade, o Despovoamento, a Cultura ou a Biodiversidade, contando com mais de 30 oradores, de diferentes áreas e quadrantes, que trouxeram à Estrela novos olhares e um pensamento atual sobre estas questões. Este ciclo constituiu uma verdadeira contagem decrescente para a entrega do Dossiê de Candidatura, que viria a ser concretizada em novembro desse ano. Esta coincidência temporal permitiu também que estas conferências fossem veículos para divulgar o conceito de Geopark Mundial da UNESCO e a pertinência da sua criação no território da Serra da Estrela.

Pelo exposto, esta iniciativa viria a demonstrar ser uma oportunidade para envolver as comunidades, e aproximar cada um de nós dos problemas, desafios e oportunidades que o Séc. XXI coloca a este território.

Entre 2018 e 2019 voltámos a percorrer os nove municípios, discutindo tantas outras temáticas, e contando com a participação de centenas de habitantes deste Geopark. Nas 18 Conferências, discutimos e Educação, a Ciência, o Turismo, a Comunicação, e os Recursos endógenos. Trabalhámos a Água, os Recursos Termais, as Tradições e, como não podia deixar de ser, a Geologia, o substrato que nos sustenta e que deu origem a este Geopark.

Em 2020, demos inicio ao 3º ciclo, altura em que somos confrontados com a Pandemia da Covid_19. Tivemos de repensar, reinventar, mas não parámos! Deixámos de percorrer o território e marcámos presença digitalmente. Desta feita, contámos com a participação de diferentes oradores que nos trouxeram novas experiências, desde o Embaixador de Portugal na UNESCO, passando pela Secretária de Estado do Turismo, ou o Investigador Filipe Duarte Santos.

Este ano, 2021, o 4º ciclo, ainda que online, continua a chegar a cada vez mais pessoas, porque cada vez mais, interessa promover o conhecimento, a interpretação, a valorização e a pertença deste território. Dedicado ao tema “Património, Tradições e Modos de Vida”, este ciclo pretende recentrar a discussão no principal ativo deste território, as pessoas e a sua identidade.

De facto, esta é uma das mais relevantes iniciativas do Estrela Geopark, que as promove há quase 5 anos, totalizando 30 conferências, onde a participação de cada um de nós na sua construção foi o lema que se tornou realidade, nunca sendo demais sublinhar que, “um Geopark é feito de e para as suas comunidades, onde todos são parte ativa na sua construção”.

Nos próximos meses e anos, estas conferências vão continuar a reinventar-se, para constituírem uma verdadeira porta de entrada para este território de Ciência Cultura e Educação.

Artigo da equipa técnica do Geopark.

Centro de Estudos Ibéricos celebra aniversário de nascimento de Eduardo Lourenço

O Centro de Estudos Ibéricos, associação transfronteiriça sediada na Guarda que resultou da parceria entre a Câmara Municipal da Guarda, as Universidades de Coimbra e de Salamanca e o Instituto Politécnico da Guarda, vai assinalar simbolicamente o aniversário do seu mentor no próximo dia 21 de maio com as seguintes iniciativas:

11h00 – Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020, ao Prof. Ángel Marcos de Dios, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda (sessão presencial e online)

15h00 – Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”, com apresentação e moderação de Guilherme d´ Oliveira Martins e intervenções de Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa), Francisco Noa (Moçambique) e Nuno Grande (Universidade de Coimbra) (online)

17h00 – Inauguração do Memorial Eduardo Lourenço, na sede do Centro de Estudos Ibéricos, na Guarda – Apresentação da Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e da Medalha Comemorativa dos 20 anos do CEI (sessão presencial e online)

Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020 ao Prof. Ángel Marcos de Dios, Professor Catedrático jubilado da Universidade de Salamanca.

O Prémio Eduardo Lourenço visa galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas.

Na 16ª edição, o júri reconheceu o mérito académico e científico de Ángel Marcos de Dios na área da Língua e Literatura portuguesas e a sua longa e profícua dedicação ao desenvolvimento e aprofundamento das relações culturais e académicas entre Portugal e Espanha. O Catedrático da Universidade de Salamanca junta-se a um vasto leque de premiados, onde se inclui Maria Helena da Rocha Pereira, Professora da Universidade de Coimbra (2005), Maria João Pires, Pianista (2007), César António Molina, Escritor (2010), Mia Couto, Escritor (2011), Agustina Bessa- Luís, escritora (2015), Luis Sepúlveda, escritor (2016), Fernando Paulouro das Neves (2017), jornalista e escritor e Carlos Reis, professor e investigador (2019), entre outros.

Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”

Honrar o legado de Eduardo Lourenço também passa por manter o Conhecimento, a Cultura e a Cooperação como coordenadas estratégicas duma missão nele inspirada.

O Projeto “Leituras de Eduardo Lourenço” assume a obra do Ensaísta como elemento congregador e pretende, além de gerar um movimento cultural de discussão e (re)leitura critica do seu legado, promover a reflexão dum pensamento vasto e labiríntico através de múltiplas iniciativas, onde se inclui um Ciclo de Seminários que decorrerão durante 2021 e 2022.

O projeto é coordenado por António Pedro Pita (Universidade de Coimbra), Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi (Cátedra Eduardo Lourenço, Universidade de Bolonha) e Rui Jacinto (Centro de Estudos Ibéricos e CEGOT-Universidade de Coimbra).

Apresentação e Moderação:

Guilherme d´ Oliveira Martins – Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian e Presidente do Centro Nacional de Cultura

Intervenções: Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa) Francisco Noa (Moçambique); Nuno Grande (Universidade de Coimbra)

Informações e inscrições: https://www.cei.pt/webinar-leituras-de-eduardo-lourenco/

(cartaz em anexo)

Memorial Eduardo Lourenço

A ideia seminal lançada pelo Professor Eduardo Lourenço (1923-2000) num célebre discurso que proferiu em 27 de novembro de 1999, por altura das Comemorações do Oitavo Centenário da Cidade da Guarda, que intitulou “Oito séculos de altiva solidão”, esteve na génese do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) e da relação tutelar que acabaria por manter com o Centro criado sob a sua inspiração.

No ano em que se comemoram 20 anos da assinatura do protocolo fundador do CEI entre os Reitores da Universidade de Coimbra, da Universidade de Salamanca e a Presidente da Câmara Municipal da Guarda (27.11.2000), como da formalização da respetiva escritura pública (18.05.2001), o Centro de Estudos Ibéricos presta uma singela e sentida homenagem ao seu mentor, patrono e Diretor Honorífico com a inauguração de um espaço Memorial na sua  sede  onde estão expostos alguns Prémios, Diplomas e Condecorações que o Professor Eduardo Lourenço legou à Guarda.

Para assinalar a data, será apresentada a Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e a medalha comemorativa dos vinte anos do CEI, ambas da autoria de João Pedro Cochofel.

Pinhel – Abeirar- Passeio Interpretativo inspirado pela água e pela literatura

Teve lugar em terras pinhelenses , a caminhada promovida pela Biblioteca Municipal de Pinhel no âmbito do projeto “Abeirar” abriu portas à retoma de atividades ao ar livre promovidas pela autarquia pinhelense, inspirada na temática da água e na obra do autor pinhelense Pereira da Graça,
Em fase de desconfinamento progressivo, um momento muito interessante, esta caminhada organizada e devidamente documentada, não fosse a presença de Gastão Antunes, professor de Biologia e Geologia do Agrupamento de Escolas de Pinhel, e Thierry Aubry, arqueólogo e geólogo da Fundação Côa Parque, que foram partilhando os seus conhecimentos nas respetivas áreas, ao longo de um percurso inspirador, quer em termos de formações geológicas e de biodiversidade, como no que diz respeito ao estudo da presença humana por terras do Vale do Côa.
Mais uma iniciativa, organizada localmente pelo Município de Pinhel, com a participação da Biblioteca e da Seção de Desporto, contou ainda com as parcerias da Rede Intermunicipal das Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, da Plataforma de Ciência Aberta associada ao Município de Figueira de Castelo Rodrigo, do Estrela Geopark Mundial da UNESCO e da Universidade da Beira Interior.
Num convite à descoberta e exploração dos recursos do território, o percurso levou os participantes numa agradável caminhada desde o Bogalhal Velho até à beira do rio Côa, pautada por momentos de leitura, a cargo do Movimento Poético de Pinhel, de algumas passagens de obras da autoria de José Pereira da Graça, que também marcou presença na iniciativa.

“𝘖𝘴 𝘤𝘢𝘷𝘢𝘭𝘰𝘴, 𝘮𝘦𝘴𝘮𝘰 𝘤𝘰𝘮 𝘰𝘴 𝘧𝘳𝘦𝘪𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘭𝘰𝘤𝘢𝘥𝘰𝘴, 𝘣𝘦𝘣𝘪𝘢𝘮 á𝘨𝘶𝘢 𝘤𝘰𝘳𝘳𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘯𝘰𝘴 𝘳𝘪𝘣𝘦𝘪𝘳𝘰𝘴 𝘲𝘶𝘦 𝘥𝘦𝘴𝘤𝘪𝘢𝘮, 𝘵𝘢𝘨𝘢𝘳𝘦𝘭𝘢𝘴 𝘦 𝘴𝘢𝘭𝘱𝘪𝘤𝘢𝘯𝘵𝘦𝘴, 𝘥𝘰𝘴 𝘤ô𝘮𝘰𝘳𝘰𝘴 𝘳𝘦𝘷𝘦𝘴𝘵𝘪𝘥𝘰𝘴 𝘥𝘦 𝘦𝘳𝘷𝘢 𝘮𝘰𝘭𝘩𝘢𝘥𝘢 𝘢 𝘣𝘳𝘪𝘭𝘩𝘢𝘳 𝘢𝘰 𝘴𝘰𝘭. 𝘕𝘰𝘴 𝘭𝘦𝘪𝘵𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦ç𝘢𝘷𝘢 𝘢 𝘥𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘵𝘢𝘳 𝘢 𝘧𝘳𝘦𝘴𝘤𝘶𝘳𝘢 𝘢𝘱𝘦𝘵𝘪𝘵𝘰𝘴𝘢 𝘥𝘢𝘴 𝘮𝘦𝘳𝘶𝘨𝘦𝘴 𝘦 𝘰𝘴 𝘢𝘻𝘦𝘥õ𝘦𝘴 𝘤𝘳𝘦𝘴𝘤𝘪𝘢𝘮 𝘯𝘢𝘴 𝘧𝘪𝘴𝘴𝘶𝘳𝘢𝘴 𝘥𝘢𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘦𝘥𝘦𝘴 𝘮𝘶𝘴𝘨𝘰𝘴𝘢𝘴. 𝘖𝘴 𝘤𝘢𝘳𝘷𝘢𝘭𝘩𝘢𝘪𝘴 𝘫á 𝘵𝘪𝘯𝘩𝘢𝘮 𝘢𝘤𝘢𝘣𝘢𝘥𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘯𝘰𝘷𝘢𝘳 𝘢 𝘧𝘰𝘭𝘩𝘢. 𝘈𝘴 𝘧𝘭𝘰𝘳𝘻𝘪𝘵𝘢𝘴 𝘳𝘢𝘴𝘵𝘦𝘪𝘳𝘢𝘴 𝘦 𝘱𝘳𝘦𝘤𝘰𝘤𝘦𝘴 𝘪𝘢𝘮 𝘴𝘶𝘨𝘦𝘳𝘪𝘯𝘥𝘰 𝘢 𝘱𝘰𝘭𝘪𝘤𝘳𝘰𝘮𝘪𝘢 𝘱𝘳𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘢 𝘦𝘮𝘦𝘳𝘨𝘪𝘳 𝘦 𝘢 𝘨𝘦𝘯𝘦𝘳𝘢𝘭𝘪𝘻𝘢𝘳-𝘴𝘦. 𝘖 𝘤𝘶𝘤𝘰 𝘦 𝘢 𝘱𝘰𝘶𝘱𝘢, 𝘤𝘰𝘮 𝘢𝘴 𝘤𝘢𝘳𝘢𝘤𝘵𝘦𝘳í𝘴𝘵𝘪𝘤𝘢𝘴 𝘱𝘦𝘯𝘢𝘴 𝘯𝘰 𝘢𝘭𝘵𝘰 𝘥𝘰 𝘤𝘰𝘤𝘶𝘳𝘶𝘵𝘰, 𝘫á 𝘯ã𝘰 𝘩𝘢𝘷𝘪𝘢𝘮 𝘥𝘦 𝘥𝘦𝘮𝘰𝘳𝘢𝘳 𝘮𝘶𝘪𝘵𝘰 𝘢 𝘷𝘰𝘭𝘵𝘢𝘳 𝘥𝘰𝘴 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘭𝘰𝘤𝘢𝘪𝘴 𝘥𝘦 𝘮𝘪𝘨𝘳𝘢çã𝘰.

in O Falcão d’El Rei, de José Pereira da Graça
Foto: MP

Alto Mondego- Rede Cultural apresentado dia 22 em Nelas

 Iniciativa “Alto”, coordenada artisticamente pela Contracanto Associação Cultural, no âmbito do projeto do Alto Mondego’ rede cultural, enquanto proposta de programação cultural em rede no território composto pelos Municípios de Gouveia, Nelas, Fornos de Algodres e Mangualde, que tinha sido adiada em 2020 devido à pandemia Covid-19, será retomada no próximo ano, em 2022.
O Alto Mondego’ rede cultural é um projeto cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.
que vai ser apresentado no próximo sábado, durante a manhã no auditório Multiusos de Nelas.