Templates by BIGtheme NET
Início » Aguiar da Beira

Aguiar da Beira

Avisos e Liturgia do Domingo II de Páscoa – ano B

a)Este domingo (a Oitava da Páscoa) acentua uma ideia que deverá estar presente na celebração eucarística: a ressurreição de Cristo afeta-nos sempre: “Oito dias depois”, o Senhor torna-se presente; aqueles que não estiveram antes podem fazer a mesma experiência que fizeram, oito dias antes, os que estavam reunidos. O “hoje” de Deus é sempre novo em cada dia. A celebração da ressurreição é nova em cada domingo. Assim, nesta celebração temos uma excelente ocasião para fazer uma catequese sobre o domingo. Oito dias depois do domingo da ressurreição, a comunidade reunida dos apóstolos e dos discípulos experimenta novamente a presença do Ressuscitado como tinha acontecido uma semana antes. Os nossos domingos vêm daqui. A partir de então, esta experiência faz-se em cada domingo. Cada domingo do ano é como aquele segundo domingo, no qual se faz a mesma experiência do primeiro: Jesus torna-se presente e fala-nos. Se fazemos esta catequese, não valerá a pena insistir muito na importância de “ir à missa”, mas ajudar a comunidade reunida (que é aquela que “vai à missa” aos domingos”), a valorizar e a viver mais profundamente esta experiência. Para tal, é necessário ter bem presente a realidade concreta das pessoas (o pastor bem as conhece) para lhes fazer notar o crescimento que advém da experiência da fé e da celebração desta fé em Jesus Cristo morto e ressuscitado.

 

b)A leitura dos Atos dos Apóstolos, juntamente com a experiência narrada pelo evangelista João, dá-nos um outro aspeto reflexivo deste domingo: os crentes têm um só coração e uma só alma. A Igreja que Deus nos dá na morte e ressurreição de Jesus Cristo é esta. Também hoje e aqui. É uma Igreja que ainda temos de descobrir, de acolher e de receber. É uma Igreja que permite experimentar o mesmo que Tomé e que, com ele, nos oferece a possibilidade de dizer: “Meu Senhor e meu Deus!”, ao reconhecer o Ressuscitado. A primeira leitura mostra-nos que a experiência pascal afeta a vida das pessoas: “tudo entre eles era comum”. A segunda leitura afirma-nos o mesmo por outras palavras: “quem ama Aquele que gerou ama também Aquele que nasceu d’Ele”. Confessar que se viu o Senhor está ligado a uma vida tocada por aquele que se viu, quando veio ao nosso encontro. Quando tal não acontece, quem sabe, a confissão da fé poderá estar a perder o seu conteúdo.

 

c)Para manter o clima jubiloso da grande festa da Páscoa e valorizar o domingo da oitava, não podemos esquecer alguns elementos: flores e cânticos, aleluia vibrante, o canto da glória, cor branca… Além disso, é muito importante a atitude daqueles que exercem os diversos ministérios na celebração. Todos terão de viver a alegria da Páscoa para a poder transmitir, não só com as suas intervenções, mas também com a sua presença, com a sua maneira de “estar”. Este conjunto de pessoas viva e exerça os seus ministérios com a consciência de que são uma equipa ao serviço da comunidade e não um conjunto de individualidades. Assim, as reuniões de preparação da liturgia tenham um conteúdo não só prático, mas que sejam uma ocasião para aprofundar o sentido que têm os serviços na Igreja e para conhecer a comunidade que servimos, ou seja, conhecer o contexto social da comunidade que se reúne para celebrar.

Elo de Comunhão

d)Entre as coisas a preparar está, evidentemente, a homilia. Quem faz a homilia parte da própria leitura da Palavra de Deus como também da realidade concreta da comunidade. Se é possível, é sempre gratificante uma reflexão com outras pessoas que podem contribuir, chamando a atenção para alguns aspetos da vida concreta e que podem ser iluminados com a Palavra da Vida. Hoje, por exemplo, a segunda leitura afirma: “Esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé”. Com a fé em Cristo Ressuscitado, viveremos com mais confiança. Pistas possíveis para a homilia deste domingo podem ser algumas das coisas acima referidas a propósito da celebração dominical, ou da Igreja, ou a importância do encontro comunitário em nome do Ressuscitado… ou também esta convicção da carta de S. João na segunda leitura.

SDPL Viseu

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/LITURGIAEVIDA/2011-2012.html

Ano B - Tempo Pascal - 2º Domingo - Boletim Dominical II

Autárquicas 21- PSD- Mª Joaquina Domingues candidata em Fornos de Algodres

Foram apresentados pelo secretário-geral do PSD , José Silvano, mais alguns candidatos às autárquicas 21, onde se destaca Maria Joaquina Domingues em Fornos de Algodres, recorde-se que já tinha sido candidata em 2017 e volta agora a merecer a confiança do partido para enfrentar Manuel Fonseca do PS.

Depois destacamos mais alguns candidatos desta região:

Aguiar da Beira- Fernando Andrade (ex presidente de câmara)

Mêda- João Mourato (ex presidente de câmara)

Mangualde – Joaquim Patrício

Nelas- Joaquim Amaral

Penalva do Castelo – Pedro Monteiro

Seia- Luís Caetano

 

 

 

 

Ministério da Saúde isenta Antigos Combatentes de taxas moderadoras

Foi recentemente aprovado pelo Ministério da Saúde, atribuir a isenção de taxas moderadoras a todos antigos combatentes, para tal basta a apresentação do cartão de cidadão ou cartão de utente.

Ainda permite garantir a isenção de pagamento de taxas moderadoras nas consultas, exames complementares de diagnóstico e nos serviços de urgência do SNS.

Esta é uma das medidas aprovadas recentemente com a atribuição do Estatuto do antigo combatente em Portugal.

Censos 21- Arranca hoje a 1ªfase

Inicia-se nesta segunda -feira, dia 5 de abril, a primeira fase dos Censos 2021 com a distribuição das cartas com a informação necessária para a resposta à maior operação estatística do país.
O Instituto Nacional de Estatística, IP (INE) inicia a distribuição das cartas para resposta aos Censos 2021 em todos os alojamentos do país. As cartas, que serão colocadas nas caixas de correio pelos recenseadores, contêm os códigos e toda a informação necessária para a resposta aos Censos através da Internet.

Os recenseadores do INE estão munidos com cartão de identificação e colete alusivo aos Censos 2021.
A fase de distribuição das cartas para resposta aos Censos terá a duração de duas semanas, estando a sua conclusão prevista para o dia 18 de abril.
A partir de 19 de abril tem início a fase de resposta aos Censos pela Internet, preferencialmente até dia 3 de maio (censos2021.ine.pt).
A resposta aos Censos 2021 pela Internet permite uma abordagem fácil, segura e rápida para os cidadãos. No atual contexto epidemiológico, este modo de recolha de dados reveste-se da maior relevância, tendo em conta que minimiza os contactos entre recenseadores e a população.
Para as situações em que a resposta pela Internet não seja possível, o INE disponibiliza outros modos de resposta, nomeadamente: telefone, para grupos da população com maior dificuldade na resposta pela Internet ou impedidos de contacto presencial; e-balcão nas Juntas de Freguesia, mediante as condições de acessibilidade locais e em função da respetiva situação de saúde pública; autopreenchimento dos questionários em papel, entregues pelos recenseadores, que cumprem um rigoroso Protoloco de Saúde Pública.

Salvaguardando as necessárias adaptações em função do ritmo das respostas e das características da área geográfica e da sua população, será na fase de conclusão dos Censos, a partir de 31 de maio, que a resposta resultará do contacto presencial dos recenseadores e apenas junto dos alojamentos que ainda não tenham respondido por outro modo.
A situação epidemiológica decorrente da COVID-19 resultou na elaboração de um Plano de Contingência de forma a garantir a realização da operação censitária com qualidade e protegendo a saúde de toda a população, recenseadores e demais envolvidos.
No âmbito do Plano de Contingência foi elaborado um rigoroso Protocolo de Saúde Pública para a preparação e execução dos Censos 2021, no âmbito da pandemia COVID-19, cujo objetivo principal é garantir que todas as atividades são realizadas de forma segura e cumprindo todas as normas sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde, de acordo com as diferentes condições do país ou de determinadas áreas
geográficas.
Para além da implementação do Protocolo de Saúde Pública foram incorporadas um conjunto de alterações aos Censos 2021, incluindo o reforço dos mecanismos de controlo do trabalho de campo e de validação da informação recolhida num contexto de crise pandémica, nomeadamente através da integração de informação administrativa.
As adaptações e os ajustamentos introduzidos às várias atividades dos Censos 2021 permitem garantir a realização da operação censitária com toda a segurança.

Avisos e Liturgia do Domingo de Páscoa- Ano B

  1. a)         Este é um Domingo muito importante. Todavia, é um dia em que não é fácil pôr todos os recursos habituais a funcionar. Nestes dias, muitas pessoas (também os leitores, cantores e organistas) saem das suas comunidades para descansar um pouco ou para estar com as suas famílias, etc. Aqueles que ficam na paróquia terão que fazer um esforço acrescido por causa das celebrações da Semana Santa. Mas, nada disto deverá ser um problema. Com a simplicidade, faz-se dignidade e solenidade, tendo a consciência de que a celebração é para receber o dom de Deus. Assim, poder-se-á fazer um acolhimento às pessoas que chegam para a celebração. Em muitos locais já é habitual, mas neste dia deveria ser feito com mais “carinho”: desejar “Páscoa Feliz” à porta da Igreja e, assim, ir criando um ambiente familiar que ajude a viver uma celebração que é a mais importante. Para ilustrar este acolhimento, poderá estar afixado um cartaz a felicitar todos nesta quadra pascal (poderá já estar na Vigília Pascal), sendo complemento da ornamentação interior em que as flores se devem destacar.

Elo de Comunhão 04-04-2021

  1. b)         Este Domingo terá que fazer parte da preparação do conjunto da Semana Santa. É normal que dediquemos mais esforços às celebrações que são “diferentes” das habituais, como a de sexta-feira e da Vigília, mas temos que evitar cair na tentação de pensar que o domingo, por a celebração ser uma missa “normal”, não será necessário prepará-la. Se a preparamos ao mesmo tempo que o Tríduo Pascal, saberemos previamente com quem contaremos, o que nos ajudará a ser realistas e a não ter que improvisar. Sobre a ornamentação e ambientação festivas, tudo estará já preparado para a Vigília: as flores junto ao altar, ao ambão, à pia baptismal. O círio pascal, colocado junto ao ambão, poderá ter também uma ornamentação floral. Os paramentos serão de cor branca. Os cânticos deverão ser adequados ao Tempo Pascal, tendo em conta as possibilidades e o esforço acrescido que os cantores fazem nestes dias. O rito de aspersão da água benta terá que ser preparado, pois ele nos recordará o baptismo que recebemos, através de um cântico que o acompanhe. O canto da Glória deveria ser muito solene. A profissão de fé baptismal aparecerá com grande destaque, conscientes de que renovamos aquela fé pela qual Deus transformou a nossa vida, convertendo-nos em homens e mulheres novas. A oração eucarística bem proclamada e, se possível, a comunhão sob as duas espécies aos fiéis, dando um grande acento a esta parte central da celebração.
  1. c)         Ao preparar a celebração deste dia, devemos escolher os textos da segunda leitura, porque para ela temos duas opções, e o texto do evangelho. Esta é outra razão que leva a ter que preparar com tempo esta celebração e a não cair na improvisação no ambão. Para a segunda leitura temos dois textos paulinos, um da Carta aos Colossenses e outro da 1ª Carta aos Coríntios. Nestas leituras Paulo fala-nos das consequências da ressurreição de Cristo: a nova vida já não é como dantes. Acerca do texto evangélico, temos diversas possibilidades. Há um evangelho de S. João proposto para a missa do dia, mas também se pode proclamar o da Vigília Pascal. Se se trata da missa vespertina do Domingo de Páscoa, existe ainda uma terceira opção que é o evangelho dos discípulos de Emaús. Qualquer que seja a opção a tomar, o texto escolhido tem de ser proclamado com alegria, porque é a boa nova da ressurreição de Jesus, que tudo transforma naqueles que acreditam Nele. Para a primeira leitura e salmo não é preciso fazer opções. É um texto dos Actos dos Apóstolos que iremos lendo durante o Tempo Pascal, no qual veremos como Pedro anuncia a Boa Nova, e o salmo 117, tão apropriado para este (e também para os outros) domingo, com o refrão: “Eis o dia que fez o Senhor; nele exultemos e nos alegremos”.

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano B - Tempo Pascal - Páscoa do Senhor - Boletim Dominical II

 

O que reabre já dia 5 de abril em Portugal

Foi assim aprovado em Conselho de Ministros realizado na passada quinta-feira o decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.
Prosseguindo a estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença Covid-19, e tendo em conta a avaliação dos critérios epidemiológicos de definição de controle da pandemia, foi decidida a reabertura, no próximo dia 5 de abril, das seguintes atividades:
  • 2.º e 3.º ciclo do ensino básico nos estabelecimentos de ensino públicos, particulares e cooperativos e do setor social e solidário;
  • centros de atividades de tempos livres e centros de estudo e similares, para os alunos que retomam agora as atividades educativas e letivas;
  • equipamentos sociais na área da deficiência;
  • centros de dia de apoio às pessoas idosas;
  • estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços em estabelecimentos abertos ao público, com menos de 200 m2 e porta para a rua;
  • museus, monumentos, palácios e sítios arqueológicos ou similares, nacionais, regionais e municipais, públicos ou privados, bem como de galerias de arte e salas de exposições. Estes equipamentos encerram às 22:30h durante os dias de semana e às 13:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • estabelecimentos de restauração para serviço em esplanadas, com um limite de quatro pessoas por grupo. Estes estabelecimentos devem encerrar às 22:30h durante os dias de semana e às 13:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • permite-se o funcionamento de feiras e mercados, para além das feiras e mercados de produtos alimentares, mediante autorização do presidente da câmara municipal territorialmente competente, de acordo com as regras fixadas;
  • atividade física e desportiva de baixo risco, bem como a prática de atividade física e desportiva em ginásios e academias, estando proibida a realização de aulas de grupo;
  • prática de atividade física ao ar livre, em grupos de até quatro pessoas;
  • no âmbito das instalações desportivas permite-se a abertura de determinados equipamentos: campos de tiro; courts de ténis, padel e similares; circuitos permanentes de motas, automóveis e similares; velódromos; hipódromos e pistas similares; ginásios e academias; pistas de atletismo e campos de golfe.

Distrital do PSD da Guarda já escolheu os 14 candidatos às Câmaras Municipais do distrito

Em comunicado, a Distrital do PSD da Guarda refere que já tem concluído, desde o passado dia 29 do presente
mês, o processo da escolha dos candidatos às 14 Câmaras Municipais do Distrito.
Apesar da pandemia, que dificultou a mobilidade devido ao confinamento, o processo
cumpriu com todas as orientações e prazos estipulados pela Direção Nacional do
Partido.
Todo o procedimento da escolha dos candidatos foi efetuado com a responsabilidade,
seriedade, rigor e a transparência interna que um processo como este deve ter, refere
Carlos Condesso, Presidente da Distrital.
Apesar de todos os candidatos já estarem aprovados pela Comissão Política Distrital,
faltam homologar e consecutivamente apresentar apenas quatro candidatos por parte
da Comissão Politica Nacional, o que acontecerá já nos próximos dias.
Os candidatos já aprovados, homologados e apresentados pelo Partido são: António
José Machado (Almeida), Carlos Ascensão (Celorico da Beira), Carlos Condesso
(Figueira de Castelo Rodrigo), Luís Tadeu (Gouveia), Carlos Chaves Monteiro (Guarda),
Nuno Soares (Manteigas), Rui Ventura (Pinhel), Vitor Proença (Sabugal), João Carvalho
(Trancoso) e João Paulo Sousa (Vila Nova de Foz Côa). Falta apenas tornar público os candidatos a Fornos de Algodres, Mêda, Seia e Aguiar da Beira.
A Distrital tem um objetivo bem traçado, que é ganhar o maior número de Câmaras e
eleger o maior número de Presidentes de Câmara, de Vereadores, de Presidentes de
Junta e de Membros de Assembleia Municipal.

Todas as estruturas do partido estão mobilizadas e determinadas em trabalhar
arduamente para recuperar câmaras que estão nas mãos do Partido Socialista, por
forma a devolver a esperança às populações.

AF Guarda-Distrital de Futsal Feminino arranca a 24 de abril

O futebol sénior está de volta, mas o futsal feminino também vai arrancar no dia 24 de abril, na AF Guarda com o Campeonato Distrital de Futsal Feminino .
O calendário da prova pode ser consultado no nosso site em: http://www.afguarda.pt/Competições/Calendarios.
Vão participar nesta prova, o Penaverdense, Vila Cortez, CF Sabugal e E.Almeida
Vamos ser se conseguem completar estas provas.

 

 

 

Aldeias de Montanha: Homenagem às queijeiras

As Queijeiras da Serra da Estrela são responsáveis por um dos produtos mais genuínos e tradicionais da região, o Queijo Serra da Estrela, um queijo reconhecido nacional e internacionalmente pela sua excelência. Chegou o momento de homenagear estas Mulheres, com a criação de uma capa exclusiva noutro dos materiais nobres do território, o burel. O lançamento e apresentação do Projeto será feito num evento em live streaming a partir de uma Aldeia de Montanha da Serra da Estrela via Redes Sociais das Aldeias de Montanha, sábado dia 27 de março, às 16.30h, e contará com a presença de todas as Mulheres que lideram este projeto.

Este projeto, promovido pela ADIRAM – Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha, tem o propósito muito claro de ser um fator transformador nas vidas das Queijeiras. Empoderar, dar presença e voz a mulheres que, como tantas outras, por vezes são as heroínas “invisíveis” da nossa sociedade e da nossa cultura. Este sábado, dia 27 de março, via redes sociais das Aldeias de Montanha será apresentada uma peça de design único em burel, de produção local, que irá celebrar o saber ancestral destas mulheres. Tradição e modernidade tomam assim forma numa capa cujos lucros das vendas revertem para a capacitação das Queijeiras, dotando-as de ferramentas para a gestão da sua vida pessoal e profissional. O projeto tem como objetivo impactar numa primeira fase, 40 Queijeiras dos 9 concelhos da Serra da Estrela, mas o intuito é escalar para um universo mais abrangente. Aderiram já ao Projeto 22 Queijeiras dos Concelhos de Seia, Oliveira do Hospital, Gouveia, Guarda, Celorico da Beira e Fornos de Algodres.

A simplicidade serve de mote para todo o conceito criativo, para o corte, os acabamentos e para o nome. Esta capa icónica e única na sua essência chama-se simplesmente “Queijeira” e foi criada pela designer Sandra Pinho da Fauna Creative Labs. A inspiração partiu da forma simples do queijo e é produzida na Burel Factory, em Manteigas, empresa liderada por uma mulher, Isabel Costa. A beleza natural do burel fica em evidência, em três versões diferentes: uma capa mais curta e prática, uma capa mais comprida que é um statement de estilo e uma Queijeirinha para as crianças.

storytelling é um componente muito forte desta capa, já que paralelamente foi criada uma narrativa que nos liga sempre ao propósito de enaltecer e capacitar estas Mulheres, construindo um universo onde o saber-fazer das Queijeiras e a nobreza das matérias-primas naturais tão identitárias do território da Serra da Estrela e das Aldeias de Montanha – do burel, das ovelhas, do leite, do cardo – estão em permanente destaque.

Da consciência à capacitação – um projeto de e para Mulheres!

Esta iniciativa pressupõe a realização de um curso de formação em soft skills e partilha de conhecimento para o empoderamento pessoal e profissional destas mulheres, através de uma parceria com a Rita Pelica Chief Energy Officer & Founder ONYOU , de forma a capacitar este grupo com uma série de ferramentas atuais, passando pela criação de modelos de negócio, construção de uma rede de networking, desenvolver uma personal brand ou trabalhar a comunicação dentro e fora das redes sociais – num módulo apresentado pela jornalista Fernanda Freitas.

Ainda no âmbito do projeto e numa colaboração com a jornalista Ana Rita Ramos, da Have a Nice Day, serão reunidas num livro as histórias, as tradições, os testemunhos e os saberes das Queijeiras. Pretende-se a valorização de uma arte, tão bem preservada ao longo dos séculos, mas também de valorização do capital humano. Quem são estas mulheres? Que ligação têm a esta arte ancestral? É o que propomos descobrir ao folhear as páginas de um livro que terá tanto de simples como de belo, e cuja apresentação terá lugar no início do outono.

A nível da comunicação o projeto conta com o apoio de mais uma mulher, a designer de comunicação Ana Melo, doutoranda da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa com uma investigação sobre o papel do design na valorização e reinvenção dos territórios do interior.

O website Queijeiras, que vai estar disponível a 27 de março, dará a conhecer todas as Queijeiras envolvidas no projeto e será um dos locais de venda da capa. A qual também estará disponível na loja online da Burel Factory e outros locais que, entretanto, venham a ser selecionados. Ainda neste portal constará o repositório e todo o storytelling do projeto, dando destaque aos parceiros e personalidades que o divulguem, notícias publicadas e resultados alcançados

Foto: créditos: ©KITATO

Estado de Emergência renovado até 15 de abril

Foi aprovada nova renovação do estado de emergência, até 15 de abril, através de uma proposta pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Aprovação com votos a favor de PS, PSD, CDS-PP e PAN e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, a abstenção do BE e votos contra de PCP, PEV, Chega e a deputada não inscrita Joacine  Moreira. Eduardo Cabrita referiu que não haverá viagens turísticas de fora do País na próxima semana.