Templates by BIGtheme NET
Início » Aguiar da Beira

Aguiar da Beira

AF Guarda — Campeonato Distrital 1ªDivisão 6ªjornada

Freixo Numão – Casal Cinza-1-0

AD Fornos de Algodres – SC Sabugal-3-1

SC Celoricense – UD Os Pinhelenses-2-1

Soito – Aguiar da Beira-0-2

Vila Cortez – VF Naves-2-1

GD Trancoso – Guarda DFC-0-0

Estrela Almeida – Foz Côa-1-5

 

Avisos e Liturgia do 30ºdomingo do Tempo Comum- ano B

a)         Nos últimos Domingos, fomos reflectindo sobre alguns requisitos dados por Jesus Cristo a quem O quiser seguir, ou seja, ser seu discípulo. Neste Domingo, encontramos a figura do cego Bartimeu que é um exemplo-tipo do verdadeiro discípulo. Ele está em boas condições para compreender tudo o que sucederá a Jesus em Jerusalém. Depois de uma purificação progressiva, está em condições de “ver” o mistério de Jesus como salvador e redentor que com a sua vida e a sua morte revela o Pai.

 

b)        Quais são as condições para ser um discípulo perfeito? Bartimeu pede esmola: é pobre, não se pode mexer, está sozinho à beira do caminho, é cego, vive nas trevas. No caminho, junto dele, passa Jesus e os seus discípulos e muita gente para Jerusalém a fim de celebrarem a Páscoa. Bartimeu é o exemplo do homem que necessita da salvação, tendo consciência das suas limitações; não é como um rico que pode usar das suas coisas e das pessoas em função dos seus interesses. Ele faz aquilo que aprendeu toda a vida: mendiga, pede que alguém lhe resolva a sua situação para poder continuar a viver. Quando Bartimeu se apercebe que Jesus se aproxima, começa a fazer a sua profissão de fé. Chama por Jesus com um dos títulos messiânicos: “Filho de David”. Para ele, Jesus não é uma pessoa qualquer, mas Aquele por quem todos ansiavam: o Messias, o Salvador. Ao entrar na cidade de Jerusalém, Jesus também será reconhecido como Filho de David. A este título, Bartimeu acrescenta: “tem piedade de mim”. A partir da fé, implora misericórdia. Como já tinha acontecido com as crianças, todos aqueles que rodeavam Jesus “repreendiam-no para que se calasse”, ou seja, todos estes ainda não tinham aberto os olhos da fé como Bartimeu estava a fazer naquele momento. Encorajado pela fé, “gritava cada vez mais” o seu pedido. A resposta de Bartimeu ao chamamento de Jesus é imediata: a resposta à vocação cristã tem de ser pronta. De seguida, tem uma atitude de discípulo, quando reconhece Jesus como mestre e lhe pede o que nenhum outro, poderoso ou rico, lhe podia dar: ver. Quando Jesus o cura, salienta que foi a sua fé que lhe abriu os olhos, o que lhe permitirá compreender o mistério pascal em Jerusalém e assim salvar-se. Mas, para isto é necessário que o discípulo siga Jesus até ao fim, como nos diz o evangelista S. Marcos: “Logo ele recuperou a vista e seguiu Jesus pelo caminho”.

 

c)         O episódio que é narrado no evangelho deste domingo é anunciado profeticamente na primeira leitura. O Senhor é o libertador de todos aqueles que se encontram em necessidade e que, por isso, são vulneráveis: o Senhor reúne cegos, coxos, mulheres que vão ser mães e que simbolizam a dor e a fecundidade, ou seja, são o símbolo do futuro e da esperança; todos estes caminham com dificuldade, mas pela acção do Senhor, todos podem avançar, como nos anuncia o Profeta Jeremias, “por um caminho plano em que não tropecem”. Tudo isto se concretiza em Jesus. Ele dirige-se para Jerusalém onde experimentará a dor e a morte, mas será o lugar onde se manifestará a redenção. Jesus fará, com a sua vida, a experiência do homem. Quem quiser seguir Jesus Cristo deve reconhecer a dor e a morte. Neste percurso para Jerusalém, Jesus para e interessa-se por uma situação de dor, ou seja, não é indiferente a quem tem necessidade e está vulnerável (“Chamai-o”, “Que queres que Eu te faça?”). Assim, ensina aos que O seguem que não se pode passar indiferente diante destas situações. Finalmente, mostra que a verdadeira libertação, aquela que dá sentido à vida, é a fé: “a tua fé te salvou”. Por isso, Jesus é o modelo para todos aqueles que têm a responsabilidade de conduzir as comunidades, para as pessoas que querem ser seus discípulos, os quais têm de saber orientar, dizer uma palavra de esperança e fazer sempre o gesto oportuno.

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

24-10-2021

7º Trail do Míscaro em Aguiar da Beira a 27 e 28 novembro

Estão abertas as inscrições para a 7ª edição do Trail do Míscaro, inserida no VIII Certame Gastronómico do Míscaro em Aguiar da Beira, distrito da Guarda. O evento desportivo, que promove as condições naturais micológicas, a natureza, o património, as tradições rurais e a solidariedade com a floresta, está de regresso e com as provas competitivas Ultra Trail Médio de 42 km, Trail Longo de 22 km e Trail Curto de 12 km e uma Caminhada também de 12 km.

Após um ano de interrupção devido à pandemia da Covid-19, a organização espera voltar a encher os trilhos do concelho e proporcionar uma experiência diversificada aos participantes.

“Esta é uma experiência desportiva, recreativa e solidária que gira à volta de um produto natural, com elevado valor gastronómico e abundante por essa altura no concelho, o ‘míscaro amarelo’. Durante os percursos da prova, os participantes terão a oportunidade de passar por terrenos onde rebenta este cogumelo selvagem e degustar a iguaria, bem como de outros produtos típicos, para além de poderem desfrutar das belas paisagens e tradições rurais e ainda das diversas atividades a acontecer no Certame Gastronómico do Míscaro, que se realiza nesse fim de semana de novembro. Uma boa ocasião para visitar Aguiar da Beira”.

Também, ao participar nesta corrida e caminhada estará a ser solidário com o meio ambiente, promovendo a sustentabilidade ambiental com a reflorestação e as condições para a germinação dos cogumelos silvestres. O Trail do Míscaro doará uma árvore por cada atleta para a florestação do concelho, tendo já contribuído, nos últimos três anos, para a plantação de sensivelmente mil árvores autóctones no território.

O Trail do Míscaro é “muito mais que uma corrida ou caminhada pela natureza, é uma forma de turismo ativo na natureza que atrai cada vez mais pessoas ao nosso concelho, dignificando e valorizando esta região e o interior do país”.

A presença no Trail do Míscaro 2021 poderá ser garantida até ao dia 22 de novembro, através da inscrição no site www.acorrer.pt. A inscrição, obrigatória, inclui t-shirt oficial, banho, seguro, abastecimentos, almoço, prémios e sorteio de produtos.

O Trail do Míscaro surgiu em 2014 com os objetivos de promover o “trail running” nos trilhos do Concelho de Aguiar da Beira, assim como a divulgação das condições favoráveis do município para a micologia, para a prática de desporto e turismo na natureza e para estilos de vida rurais, saudáveis e de bem-estar. O evento desportivo é uma organização do jornal +Aguiar da Beira, em parceria com a Câmara Municipal. A última edição, em 2019, recebeu 600 atletas.

Da página oficial do evento – www.facebook.com/traildomiscaro, ou do portal acorrer.pt, onde, para além da plataforma de inscrições, consta também o regulamento e todos os pormenores da prova.

Regulamento 7º Trail do Míscaro Aguiar da Beira 2021

Conselhos para a colheita de cogumelos silvestres

Reunidas as condições para a frutificação dos fungos, o Gabinete de Micologia do Município de Aguiar da Beira deixa alguns conselhos para a colheita de cogumelos silvestres:

 

1-A colheita deve ser feita sem prejudicar os locais onde aparecem os cogumelos.

2-Deve conhecer muito bem os cogumelos comestíveis e as espécies tóxicas semelhantes. Em caso de dúvida não colha!

3-Não misture cogumelos comestíveis com outros que não conheça na mesma cesta.

4-Não use sachos, enxadas, ancinhos ou outros utensílios que arrastem a caruma ou a folhada para encontrar os cogumelos. Use em alternativa um pau, uma navalha ou outro utensilio que não remova a camada superficial do solo.

5-Quando arrancar o cogumelo tape imediatamente o local. O terreno deve ficar igual ao que encontrou.

6-Não colha os cogumelos com o chapéu fechado para que liberte alguns esporos. Nesta fase a possibilidade de confusão também é maior.

7- Nunca use sacos de plástico, baldes, caldeiros ou outros recipientes idênticos. Deve usar cestas ou outros recipientes arejados que tenham aberturas laterais e por baixo.

8-Os cogumelos comestíveis que têm inicialmente forma de ovo, como a Amanita caesarea, só devem ser colhidos quando o chapéu estiver aberto, nunca em fase de ovo.

9-Não colha os cogumelos demasiado maduros, pois estão contaminados com outros fungos e bactérias que podem ser tóxicos. Deve deixá-los no local.

10-Não colha cogumelos em zonas contaminadas, bermas das estradas, terrenos onde foram aplicados pesticidas ou herbicidas, junto de lixeiras ou esgotos, etc.

11-Não destrua os cogumelos que não conhece, mesmo os venenosos. Deixe-os no local pois são importantes no ambiente.

12-Não coma o míscaro amarelo (Tricholoma equestre) em grandes quantidades e em dias seguidos.

13-Consuma os cogumelos de preferência num espaço de 24h após a colheita.

14-Deve devolver os desperdícios dos cogumelos a locais semelhantes onde foram encontrados ou limpá-los no momento da colheita.

Para qualquer esclarecimento adicional dirija-se ao Gabinete de Micologia da Câmara Municipal no das 9h às 12,30h e das 14h às 17,30h.

Avisos e Liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum- ano B

 

Os textos, propostos pela Liturgia da Igreja para este Domingo, convidam-nos a contemplar Jesus Cristo na sua entrega por amor. Por isso, na nossa oração deveríamos pedir força e coragem para seguir Jesus Cristo na sua entrega. A resposta de Jesus às pretensões de Tiago e de João, “Não sabeis o que pedis”, revela que eles têm de purificar as suas súplicas e dedicarem-se a compreender quem Ele é, alertando-os para a certeza de que o Pai já sabe aquilo que nos faz falta antes de lho pedirmos (cf. Mt 6,8.32). A Deus temos de lhe pedir coisas boas (cf. Mt 7,11), temos de lhe pedir o Espírito Santo (cf. Lc11,13), mas não o poder e a riqueza, como fazem Tiago e João. Que diferença entre o pedido destes irmãos e o pedido do cego Bartimeu que, perante a mesma pergunta de Jesus (“Que quereis que vos faça”), responde: “Mestre, que eu veja!” (Mc 10,51), como veremos no próximo Domingo! Os outros discípulos, como Tiago e João, também não tinha entendido o Mestre, mas “começaram a indignar-se contra eles”, porque se tinham antecipado nos seus desejos e ambições. Escutemos, pois, a advertência de Jesus e peçamos ao Pai o Espírito Santo, na certeza que Ele conhece suficientemente as nossas necessidades.

Jesus faz a seguinte pergunta a Tiago e João: “Podeis beber o cálice que eu vou beber?”. Beber o cálice de Jesus certifica-nos como seus discípulos. Seguir Jesus não é fácil, porque Ele próprio pediu ao Pai para não beber o cálice da cruz, mas obedeceu: “Mas não se faça o que Eu quero, e sim o que Tu queres” (Mc 14,36). Beber o cálice significa passar pelo sofrimento, e o sofrimento gera em nós medo. Na primeira leitura, de Isaías, escutamos um excerto do quarto cântico do Servo de Javé, onde se diz que toda a libertação supõe um sofrimento prévio: “O justo, meu servo, justificará a muitos e tomará sobre si as suas iniquidades”. Beber o cálice, o nosso cálice pessoal de cada dia, é a condição para nos convertermos em discípulos e para nos unirmos à missão salvífica de Jesus. São Paulo sente-se tão unido a Jesus Cristo que afirma claramente: “Agora, alegro-me nos sofrimentos que suporto por vós e completo na minha carne o que falta às tribulações de Cristo, pelo seu Corpo, que é a Igreja” (Col 1,24). Será que S. Paulo gosta de sofrer? Será que nós gostamos de sofrer? Será que os pais gostam de sofrer pelos filhos? Será que os professores gostam de sofrer por causa do mau aproveitamento dos seus alunos mais desleixados? Será que gostamos de sofrer o desemprego ou uma grave doença? Na primeira carta de Pedro é dito: “alegrai-vos, pois assim participais dos padecimentos de Cristo” (1Pe 4,13). Fica bem claro que o discípulo tem de aprender a seguir os passos do Mestre. Quando Pedro lhe pergunta pelo prémio, porque deixaram tudo para O seguir, Jesus promete-lhes cem vezes mais, mas com perseguições (cf. Mt 10,30).

Assim, nada de querer ser dos primeiros, como pretendiam Tiago e João. Se Jesus veio para servir, os seus discípulos também têm de servir. Jesus tinha uma grande experiência de vida e uma consciência política muito clara: “os chefes das nações exercem domínio sobre elas, e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder”. Palavras sempre actuais em todos os tempos, também agora! Ninguém se atreva a contradizer Jesus ou a dizer que Ele se mete na política! Está bem visível aos nossos olhos! Contudo, Jesus diz-nos: “Não deve ser assim entre vós”. Ele chama-nos para servir, como Ele o fez no lava-pés. Recordemos as suas palavras proferidas nesse momento: “dei-vos o exemplo para que, assim como Eu fiz, vós façais também” (Jo 13,15). Que alegria imitar Jesus, viver o serviço como “o Filho do homem”, que oferece a sua vida e se compadece das nossas fragilidades, como nos diz a carta aos Hebreus. Demos graças a Deus pelo seu amor, perdão, paciência e misericórdia.

17-10-2021

LEITURA ESPIRITUAL

Que necessidade havia de que o Filho de Deus sofresse por nós? Uma grande necessidade, que podemos resumir em dois pontos: necessidade de remediar os nossos pecados e necessidade de dar o exemplo para a nossa conduta. A Paixão de Cristo dá-nos um modelo válido para toda a vida. Se procuras um exemplo de caridade: «Ninguém tem mais amor do que quem dá a vida pelos seus amigos» (Jo 15,13). Se buscas paciência, é na cruz que a encontramos no grau máximo: Na cruz, Cristo sofreu grandes tormentos com paciência porque «ao ser insultado não ameaçava» (1Pd 2,23), «não abriu a boca, como um cordeiro que é levado ao matadouro» (Is 53,7). «Corramos com perseverança a prova que nos é proposta, tendo os olhos postos em Jesus, autor e consumador da fé. Ele, renunciando à alegria que lhe fora proposta, sofreu a cruz, desprezando a ignomínia» (Hb 12,1-2).

Se procuras um exemplo de humildade, olha para o Crucificado. Porque Deus quis ser julgado por Pôncio Pilatos e morrer. Se procuras um exemplo de obediência, basta que sigas Aquele que Se fez obediente ao Pai «até à morte» (Fl 2,8). «De fato, tal como pela desobediência de um só homem todos se tornaram pecadores, assim também pela obediência de um só todos se tornarão justos» (Rm 5,19). Se buscas um exemplo de desapego dos bens terrenos, simplesmente segue Aquele que é o «Rei dos reis e Senhor dos senhores», «em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento» (1Tm 6,15; Cl 2,3); Ele está nu na cruz, tornado motivo de escárnio, coberto de escarros, maltratado, coroado de espinhos e, por fim, dessedentado com fel vinagre. (São Tomás de Aquino, 1225-1274, teólogo dominicano, doutor da Igreja, Conferência sobre o Credo, 6).

 

http://www.liturgia.diocesedeviseu.pt/

Ano B - Tempo Comum - 29º Domingo - Boletim Dominical II

AF Guarda- Resultados do Campeonato Distrital 1ªDivisão -5ªjornada

Foz Côa – AD Fornos de Algodres-2-1

SC Sabugal – V. Cortez- 0-2

Guarda DFC – Soito- 2-0

VF Naves – Guarda FC-1-1

Casal Cinza – SC Celoricense- 0-3

Aguiar da Beira – Freixo Numão- 2-0

UD Os Pinhelenses – Estrela Almeida-1-1

Classificação:
1º-Guarda FC-13
2º-Guarda DFC-12
3º- GD Trancoso- 12
4º- Vila Cortez-12
5º-AD Fornos de Algodres-9
6º-Estrela Almeida-7
7º-SC Celoricense-6
8º-SC Sabugal-6
9º-Aguiar da Beira-6
10º-Foz Côa-6
11º- VF Naves-1
12º-UD Os Pinhelenses-1
13º-Soito-0
14º-Freixo Numão-0
15ºCasal Cinza-0

 

 

VIII edição do Certame Gastronómico do Míscaro em Aguiar da Beira

O Município de Aguiar da Beira vai realizar a VIII edição do Certame Gastronómico do Míscaro nos próximos dias 27 e 28 de novembro, no Pavilhão Gimnodesportivo de Aguiar da Beira.
Este evento pretende divulgar o potencial micológico e gastronómico do concelho, através da dinamização de um espaço gastronómico para degustação das diferentes iguarias confecionadas com cogumelos silvestres e produtos da época, através da participação de restaurantes aderentes do concelho, promoção e venda de produtos sazonais de qualidade e artesanato no mercadinho agrícola, no qual irão participar produtores do concelho representados pelas freguesias, Instituições de Solidariedade Social e artesãos, estando aberta a participação a produtores e artesãos de outros concelhos, privilegiando no entanto os produtos endógenos tais como os cogumelos, maçãs, queijos, ovos, castanhas, nozes, azeite, mel, compotas, licores e muito mais.
Nestes dois dias, o pavilhão gimnodesportivo vai ser palco de múltiplas atividades e muita animação.

Peditório anual da Liga Portuguesa Contra o Cancro de 29 de out./1nov

Inscreva-se como voluntário do Peditório e “jogue em equipa com o melhor do mundo”.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro vai levar a efeito de 29 de outubro a 1 de novembro, o peditório anual , face a isso, precisa de voluntários para colaborar. As inscrições estão abertas na sua região

O peditório de rua da Liga Portuguesa Contra o Cancro representa, não só, a principal fonte de financiamento da Instituição mas, sobretudo, o garante da sustentabilidade das atividades que promove no âmbito do apoio ao doente oncológico e cuidadores, promoção da saúde, prevenção do cancro e estímulo à formação e investigação em oncologia.

AF Guarda- Resultados do Campeonato Distrital da 1ªDivisão— 4ªjornada

 

AD Fornos de Algodres – UD Os Pinhelenses- 4-1

Soito – GD Trancoso- 0-2

Estrela Almeida – Casal Cinza- 6-1

Freixo Numão – Guarda DFC- 0-3

SC Celoricense – Aguiar da Beira-2-1

Guarda FC – SC Sabugal- 3-0

Vila Cortez – Foz Côa- 2-1

Classificação:

1º- Trancoso-12

2º-Guarda FC-12

3º- Guarda DFC-9

4º-Vila Cortez-9

5º-AD Fornos de Algodres-9

6º-SC Sabugal-6

7º-Estrela Almeida-6

8º-SC Celoricense-3

9º-Aguiar da Beira-3

10º-Foz Côa-3

11º-Soito-0

12º-VF Naves-0

13º-UD Os Pinhelenses-0

14º-Freixo Numão-0

15º-Casal Cinza-0