Templates by BIGtheme NET
Início » Ambiente

Ambiente

Aguiar da Beira vai reciclar no Planalto Beirão

Teve lugar em Aguiar da Beira, a oficialização do ato , no Auditório Municipal, isto é, Aguiar da Beira vai reciclar com o Planalto Beirão.
Para facilitar a reciclagem, o Planalto Beirão vai oferecer miniecopontos domésticos que passarão a fazer parte do seu dia a dia e a tornar a separação de resíduos de papel/cartão, plástico/metal e vidro ainda mais simples. Sempre que depositar os resíduos separados no ecoponto, estará a preservar recursos naturais e a contribuir para um Planalto Beirão mais sustentável e solidário pois, por cada tonelada de resíduos separada, será atribuído um valor financeiro que reverterá a favor de uma Instituição de Solidariedade Social.
Foto: MAB

Museu Nacional Ferroviário assinala o 6º Aniversário

Em tempo de pandemia, o Museu Nacional Ferroviário, continua a adaptar as suas atividades a
esta nova realidade, promovendo eventos em modo virtual, mas apelando também à visita aos nossos espaços na sua maioria amplos e ao ar livre, tendo sempre em consideração as orientações emanadas pelo Governo e pela DGS.

No dia 18 maio o Museu assinala o 6º Aniversário celebrando-se igualmente o Dia Internacional dos Museus, iniciativa promovida pelo ICOM – International Council of Museums e, em Portugal, pela Direção-Geral do Património Cultural, este ano sob o tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, tendo como objetivo criar, imaginar e partilhar novas práticas de criação e soluções inovadoras para os desafios sociais, económicos e ambientais do presente e do futuro.

É neste contexto e garantindo sempre a sua segurança que no dia 18, inauguramos novos espaços, entre os quais abertura de duas salas expositivas, a Sala dos Compressores e a Sala dos Simuladores, bem como a nova Loja do Museu, um espaço onde poderá adquirir livros ou merchandising alusivo ao Museu. Nesta data será também disponibilizada online a integração do Museu Nacional Ferroviário no Google Arts & Culture, com cerca de 75 peças e uma exposição alusiva à Rotunda de Locomotivas.

As duas novas áreas expositivas são um incremento à exposição permanente do Museu, sendo a Sala dos Compressores a continuação do espaço alusivo às Oficinas da Figueira da Foz, no qual estarão expostas máquinas que integraram o espaço oficinal da CP na Figueira da Foz. A Sala dos Simuladores é espaço que integrará dois simuladores de condução virtual, em que o visitante poderá familiarizar-se com os sistemas de controlo e segurança mais básicos e essenciais da condução de uma locomotiva elétrica. O sistema foi desenhado propositadamente para não ter um grau de complexidade demasiado elevado, apenas o suficiente para permitir uma experiência desafiante e agradável a quem pegar nos controlos, tendo como cenário de condução o troço da linha do Norte compreendido entre Entroncamento e Pombal.

No dia 19, entre as 10h00 e as 12h00 teremos online um webinar sobre o “Futuro dos Museus : recuperar e reimaginar”, sublinhando a importância do digital para a relação dos museus com os seus públicos em tempo de pandemia. Também as questões da acessibilidade e equidade no acesso aos conteúdos, fazem igualmente parte dos desafios neste novo paradigma, a capacitação dos museus e a comunicação com os públicos, enquanto resposta aos desafios sociais e económicos sublinhados pela pandemia, temas que serão abordados neste webinar, que terá como apresentador Manuel de Novaes Cabral (FMNF), como moderadora Maria Vlachou (Acesso Cultura) e como oradores: João Neto (APOM/Museu da Farmácia), Ana Marti (REMED), Sónia Lobato (UDIPSS),Carlos Costa (Universidade de Aveiro) e M. José Teixeira (FMNF).
Este webinar realizar-se-á através da plataforma Zoom, em direto na página de Facebook do Museu (https://www.facebook.com/Museu.Nacional.Ferroviario ), sendo possível qualquer pessoa participar necessitando apenas de se inscrever através do email museu@fmnf.pt .
No dia 18 de maio o Museu Nacional Ferroviário está aberto das 10h00 às 18h00 com entradas
gratuitas.

Estação de Biodiversidade da Ribeira da Muxagata vai ser inaugurada a 22 de maio

Vai ter lugar a inauguração a 22 de maio, da Estação de Biodiversidade da Ribeira da Muxagata. Em breve vao abrir inscrições para todos os que queiram participar, mas infelizmente, o número de participantes terá de ser bastante limitado, dadas as condições actuais. Mas  vai lá ficar para usufruto de todos e melhores dias virão , assim como novas oportunidades para uma visita.

Novos trilhos em Vila-Chã Aldeia Trail de Portugal

Aos poucos os trilhos vão surgindo na zona de Vila Chã, desta vez, mais um dos trilhos e segmentos mais “apetitosos” de Vila Chã, independentemente do tempo que passar e das adversidades existentes, com o nome “Kamikaze”.

Aqui fica o desafio deste clube aos visitantes para ficarem a conhecer este e outros trilhos nesta localidade.

GNR Gouveia – Operação de fiscalização em canil com 92 cães

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação de Crimes e Contraordenações Ambientais (NICCOA) e do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Gouveia, ontem, dia 6 de maio, realizou uma operação de fiscalização num canil onde se encontravam 92 cães sem condições higieno-sanitárias e de habitabilidade, no concelho de Gouveia.
No âmbito de uma investigação que incidiu sobre alegados crimes de maus-tratos a animais de companhia, os militares da Guarda deram cumprimento a um de mandado de busca, tendo sido detetados 92 cães em instalações em condições de salubridade e sem capacidade para albergar esta quantidade de animais. Os animais ficaram à guarda da Autoridade Veterinária Municipal para avaliação do seu estado de saúde.
Dos 92 canídeos, 22 foram encaminhados para a Associação Midas e dois de raça potencialmente perigosa foram encaminhados para o Canil Municipal de Seia.
A ação contou com o reforço do Núcleo de Apoio Técnico (NAT) e com o apoio da Autoridade Sanitária Veterinária de Gouveia e da Direção-Geral da Alimentação e Veterinária (DGAV).

Penalva do Castelo- Recolhidos cerca de 16 mil kgs de resíduos têxteis

Em 2019 e 2020 foram recolhidos 15 731kg de resíduos têxteis no concelho de Penalva do Castelo, provenientes dos contentores fornecidos pela empresa H Sarah Trading, Lda, operador de gestão de resíduos com o qual o município tem parceria desde 2013.

Decorrente do referido protocolo foram colocados 14 equipamentos, distribuídos por todas as freguesias do concelho, para recolha de roupa, calçado e brinquedos que, dependendo do estado de conservação, poderão ser reutilizados, reciclados ou destruídos.

No biénio em análise, do total recolhido, 12 525Kg foram reutilizados, 1 385Kg foram reciclados e 1 821kg tiveram como destino a destruição. Esta recolha permitiu que fossem desviados de aterro 13,91 toneladas de têxteis e as emissões de CO2 reduzidas em mais de 56 toneladas.

A parceria estabelecida permite também colmatar as necessidades de bens que vão sendo identificadas na Loja Social, contribuindo, dessa forma, para a redução e reutilização de materiais.

Bandeira Eco-Escola hasteada no Agrupamento de Escolas de Pinhel

Teve lugar o hastear da bandeira Eco-Escola,  no Agrupamento de Escolas de Pinhel, tendo sido convidado para o efeito, Rui Ventura, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel (entidade parceira do projeto), com a presença do órgão de gestão , professores deste agrupamento  e alunos.

Por sua vez, o autarca , Rui Ventura realçou a importância destas atividades para alcançar o objetivo da mudança de mentalidades, sendo esta a melhor forma de o conseguir, através da palavra e do exemplo dos mais novos. De referir que no âmbito deste projeto, a Escola do 3º Ciclo e Secundária de Pinhel tem desenvolvido diversas atividades relacionadas com o uso racional de energia e com a reciclagem, entre outras temáticas ambientais.

De realçar, ainda, a recente participação no projeto “O Mar começa Aqui”, cujos trabalhos irão em breve surpreender a cidade…

As professoras responsáveis pelo projeto estavam satisfeitas e fizeram saber que no ano letivo em curso “cimentámos práticas, lançámo-nos em novos desafios, conseguimos despertar novos interesses, conseguimos envolver mais alunos e mais professores, juntámos esforços e conseguimos melhores resultados, mesmo com todos os desafios trazidos pela pandemia. Neste momento, já todos sabem o que é o Eco-Escolas, que ele existe e que veio para ficar”.

Parceiro neste projeto, o Município de Pinhel felicita o Agrupamento de Escolas e a toda a comunidade escolar envolvida neste desafio.

Centro Cyclin´Portugal da Guarda vai ser uma realidade

Vai ser implementado  o Centro Cyclin´Portugal da Guarda, numa iniciativa do Município da Guarda , em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo. Este projeto visa a criação de uma rede de percursos cicláveis que congregue o ciclismo, inicialmente com a implementação de percursos na vertente de BTTXC divididos pelos quatro níveis de dificuldade e percursos de estrada num total de 400 quilómetros, considerando os pontos de interesse turístico e o património natural do Município da Guarda.

Um dos objetivos do projeto é promover o território, unindo sinergias entre o movimento associativo, os promotores turísticos e os grupos dinamizadores do ciclismo local.

O Centro Cyclin´Portugal da Guarda é também um investimento que contribuirá decisivamente para a dinamização do chamado Turismo de Natureza, e que surge num contexto de incentivo à prática desportiva numa modalidade em grande ascensão, produzindo um impacto muito positivo ao nível da saúde e qualidade de vida dos cidadãos.

Apicultura- Conversa com produtor Pedro Arrais

A apicultura tem vindo a aumentar um pouco por toda a parte e Fornos de Algodres não é exceção, face a isso fomos conversar com  Pedro Arrais, da localidade da Matança, que nos deixou um pouco como realiza o seu trabalho e como ganhou paixão pela arte.

Magazine Serrano(MS)-Como surgiu o gosto pela apicultura?

Pedro Arrais(P.A.) – Quando era pequeno ia com o meu pai à quinta do meu avô paterno, que tinha algumas colmeias e também produzia mel, e sempre senti uma admiração e interesse pelas abelhas que ele tinha e pelo trabalho que o via fazer com elas. Um dia, já mais tarde, o meu avô ofereceu-me uma colmeia já mais velhota, onde apanhei o meu primeiro enxame e desde aí nunca mais parei.

MS-Quantas colmeias tem nesta altura? Como se faz o processo, as fases até recolher o mel?

P.A.-Neste momento tenho cerca de 150 colmeias, o que já me ocupa muito tempo do meu dia. A campanha do mel, ou seja, o ano apícula, começa quando acaba outra, isto é um ciclo contínuo, sem paragens. Inicialmente temos de fazer tratamentos por causa da Varroa, um ácaro que prejudica as abelhas. Logo no início do outono temos de cuidar das colmeias e das abelhas, alimentando-as, verificar os níveis de infestação da Varroa e perceber se as colmeias estão fortes de população e alimentação para passar o inverno. No final do inverno fazemos novo tratamento da Varroa e fazemos alimentação líquida às abelhas para estimular a Rainha a colocar mais ovos, para as colmeias estarem mais fortes e terem um bom arranque na primavera, época em que fazemos os desdobramentos, introduzimos as meias alças onde as abelhas colocam o mel, fortalecemos colmeias mais fracas com quadros de criação das mais fortes, trocamos quadros velhos e bloqueados por quadros novos e tentamos impedir enxameação. No verão, normalmente entre o mês de julho e agosto, é colhido o mel e inicia-se nova campanha.

MS- A vespa asiática é um dos obstáculos para a sua produção. Tem métodos de combate?

P.A. – A Vespa já se faz sentir na nossa zona desde 2018, uma praga que enfraquece e chega a matar muitos enxames. Juntando com a Varroa, por vezes torna-se difícil termos abelhas. Atualmente, tento combater as Vespas com armadilhas apropriadas, com um atrativo, onde elas vão ficar presas. Temos tido alguma ajuda do Município, no fornecimento destas armadilhas e do respetivo atrativo e na destruição de ninhos de Vespas Asiáticas.

MS- Quantos quilos produz e como faz o escoamento no mercado? Estar na plataforma “O Bom Sabor da Serra” é importante?

P.A. – Produzo por volta de 1 tonelada, dependendo dos anos. Este ano espero que seja uma boa colheita, pois também aumentei o efetivo de colmeias com essa finalidade, mas não só, para satisfazer todos os pedidos que me têm sido feitos. O escoamento do nosso mel, na maioria ainda se faz através de consumidores privados, que compram ao frasco consoante necessitam, no entanto este ano já fornecemos alguns supermercados ou lojas de produtos típicos. Os nossos produtos, que não é apenas o mel, mas também pólen e extrato de própolis, estão presentes na plataforma “O Bom Sabor da Serra” para venda, que este ano também nos permitiu que os nossos produtos chegassem mais longe, tornando-os mais conhecidos.

MS – Que apoios e incentivo tem um jovem apicultor, para continuar este trabalho?

P.A.- Existem alguns projetos financiados que podem ajudar jovens agricultores a iniciarem a sua vida apícula, embora eu ainda não tenha recorrido a nenhum. Para mim, por enquanto, a apicultura ainda não é o meu único e principal trabalho, tenho vindo a aumentar todos os anos o meu efetivo, mas ainda sem projetos definidos para se tornar a minha principal atividade profissional.

MS- Que mensagem deixa a toda a comunidade nesta fase do ano?

P.A. – Todos nós estamos a passar por uma fase atípica e difícil, que nos tem vindo a prejudicar a vários níveis, o que nos leva a querer investir mais nos poucos negócios que não foram tão afetados pelo COVID-19, como é o caso da Apicultura, em que muitas pessoas procuraram o mel, o pólen ou o extrato de própolis como reforçadores do Sistema Imunitário. Assim, a mensagem que poderei deixar nesta fase, é muito simples, que não desistam e que procurem oportunidades de adaptação aos momentos difíceis que vivemos.