Templates by BIGtheme NET
Início » Aveiro

Aveiro

DS TRAVEL nova marca na área do Turismo e Viagens

O GRUPO DECISÕES E SOLUÇÕES, a maior rede de Consultoria Imobiliária, de Intermediação de Crédito e de Mediação de Seguros a operar em Portugal e, líder de mercado nas áreas em que atua, acaba de lançar uma nova marca dedicada ao setor das viagens e turismo, a DS TRAVEL.

 Nas agências de viagens DS TRAVEL, os seus clientes vão poder usufruir de um serviço personalizado e especializado na organização de viagens, para particulares e empresas, adaptado aos seus reais objetivos e exigências. Será também prestado um serviço de intermediação de crédito, proporcionando assim a cada cliente um serviço completo e com Soluções 360° na área das viagens e turismo. 

 De acordo com Paulo Abrantes, Diretor Geral da DS TRAVEL e do GRUPO DECISÕES E SOLUÇÕES: “Desde a fundação do Grupo DECISÕES E SOLUÇÕES, há quase 19 anos, até aos dias de hoje, sempre tivemos a preocupação de lançar projetos com dois grandes objetivos, terem um serviço de grande importância para a população e darem trabalho a muitas pessoas. Assim sendo, este novo projeto, a DS TRAVEL, terá também como pilares fundamentais esses dois grandes objetivos: ter um serviço de aconselhamento de grande importância para a população na área das viagens e turismo, adaptado às possibilidades, sonhos e objetivos de cada cliente e dar trabalho e oportunidades profissionais a centenas de pessoas a nível nacional. Temos a ambição de abrir 100 agências DS TRAVEL no nosso país nos próximos anos, e de iniciarmos depois o seu processo de internacionalização, bem como, darmos a oportunidade a mais de 1.000 pessoas a nível nacional de fazerem parte deste projeto, integrando as várias agências que iremos abrir nos próximos anos”.

 Como Diretor Coordenador Nacional da marca, a DS TRAVEL contará com Nuno Oliveira, que possui uma vasta experiência na área do turismo e organização de viagens. Segundo o Diretor Coordenador Nacional, “na DS TRAVEL sabemos que cada cliente é único e pretendemos por isso, disponibilizar um serviço de proximidade, mais personalizado e especializado, oferecendo não só viagens tradicionais a nível nacional e internacional, como experiências turísticas mais tailor-made”. 

 A DS TRAVEL pretende abrir 100 agências por todo território nacional nos próximos três anos. Para isso, encontra-se já num processo de seleção de candidatos e empreendedores, sendo esta uma oportunidade única para todos aqueles que queiram criar o seu próprio negócio, numa área rentável e de futuro, em parceria com um Grupo consolidado no mercado. 

 Nuno Oliveira adianta ainda que, “a DS TRAVEL procura pessoas com perfil empreendedor, dinâmicas, que tenham um gosto especial pelo mundo das Viagens e Turismo e que pretendam integrar uma rede que faz parte de um grupo de sucesso. Pretendemos dar a oportunidade a muitos daqueles que sempre sonharam em ter o seu próprio negócio, de realizarem esse seu sonho na área das viagens e turismo, uma área rentável e de futuro.”

 O modelo de negócio da DS TRAVEL será semelhante ao franchising e o direito de entrada será de apenas 5.000€, usufruindo cada empreendedor de um modelo de negócio devidamente montado e estruturado, bem como de uma forte estrutura de apoio, constituída por uma coordenação   nacional, coordenações regionais, formadores nas diferentes áreas, departamentos de marketing, comunicação, informático, jurídico e administrativo.

 GRUPO DECISÕES E SOLUÇÕES conta atualmente com mais de 360 agências, 3.100 colaboradores e 450 mil clientes a nível nacional. Compreende na sua estrutura as marcas: DECISÕES E SOLUÇÕES, DS SEGUROS, DS INTERMEDIÁRIOS DE CRÉDITO, DS IMOBILIÁRIA, DS INVESTIMENTO, DS PRIVATE, DS AUTO e agora a DS TRAVEL. 

Guia de Restaurantes Seleção Gastronomia e Vinhos 2022’ com mais 39 novos estabelecimentos

O ‘Guia de Restaurantes Seleção Gastronomia e Vinhos 2022 da região de Coimbra’ passa agora a integrar um total de 116 estabelecimentos qualificados, com a adesão de 39 novos restaurantes. A cerimónia de apresentação da mais recente edição do Guia realizou-se na sexta-feira, dia 5 de agosto, na Mealhada, com a presença de Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, numa iniciativa conjunta da CIM Região de Coimbra, AHRESP e Turismo de Portugal.

Jorge Loureiro, vice-presidente da AHRESP, sublinhou a importância deste projeto para a associação: “O Seleção Gastronomia e Vinhos pretende criar uma rede nacional de restaurantes que adote o receituário tradicional português, que utilizem preferencialmente produtos portugueses e regionais, cumpram as melhores práticas e ofereçam qualidade de serviço irrepreensível”.

A implementação do Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos constitui um instrumento determinante na orientação e defesa das expetativas dos consumidores, nomeadamente de todos os turistas, mas também suporta a promoção dos próprios estabelecimentos, ao representar um indicador público, independente, de que os referidos estabelecimentos reúnem condições especiais que os distinguem no conjunto do setor.

Até ao final do ano, pretende-se que este programa inclua cerca de 400 restaurantes, estando já a ser desenvolvido pela AHRESP um outro projeto desta vez destinado aos vinhos – o programa BEST WINE SELECTION. O objetivo é dignificar e promover os vinhos portugueses, em particular a oferta vinícola da região.

Este ano 76% dos consumidores prefere passar as férias em Portugal

As férias grandes são um dos momentos mais esperados pelos portugueses e que implicam várias decisões de consumo, sejam relativamente ao destino de descanso, compras, atividades de lazer. Neste sentido, a Escolha do Consumidor realizou um estudo online, que teve como base a opinião dos consumidores para perceber as suas preferências relativamente às suas férias de verão.

Segundo os dados obtidos, 79% dos consumidores passa férias com a família, 16% com os amigos e apenas 5% dos inquiridos respondeu que gosta de passar férias sozinho. Para a marcação das mesmas, 48% pede ajuda à família e amigos, 46% gosta de ser o próprio a marcar e 7% respondeu que procura uma agência de viagens para facilitar este processo.

Questionados sobre qual o tipo de destino de férias de eleição 51% dos portugueses prefere a praia, 44% prefere tanto praia, como campo ou cidade, a restante percentagem dos inquiridos gosta de fazer viagens mais turísticas permitindo conhecer outras cidades. No entanto, conclui-se que este ano, 76% dos consumidores vai passar as férias em território nacional e apenas 24% irá para fora do país.

Inúmeros fatores podem estar associados a esta realidade, seja por preferirem passar o verão em Portugal – considerado o paraíso da Europa, ou por ainda terem algum receio do risco de contágio do vírus da Covid-19 ou simplesmente porque preferem não gastar tanto dinheiro numa viagem. Dos dados relativamente ao valor que vão disponibilizar para estas férias 41% disponibiliza entre 500 a 1000 euros para gastar em férias, 41% apenas até 500 euros, e cerca de 11% dos inquiridos gasta entre 1000 a 2000 euros.

Caso o cenário fosse diferente e tivessem possibilidade de não terem qualquer limite de tempo ou orçamento, os consumidores gostariam de: dar a volta ao mundo ou ir às Maldivas, Tailândia, Indonésia, Grécia, entre outros.

 

Câmaras de videovigilância portáteis nas aeronaves

A Secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, assinou o despacho que autoriza a utilização de câmaras de videovigilância portáteis, instaladas em sistemas de aeronaves não tripuladas, para proteção florestal e deteção de incêndios rurais.

Até 31 de outubro de 2022, está autorizada a utilização de 9 câmaras portáteis de videovigilância em aeronaves não tripuladas, nas áreas florestais de maior risco, em zonas sombra e em áreas com maior histórico de ocorrência de incêndios florestais, designadamente em zonas desabitadas, de grande fragilidade e densidade florestal.

Estes locais são definidos com a aplicação dos seguintes critérios:

– histórico das ignições entre 2016-2021;

– causalidade das ignições registadas em 2021;

– manchas contínuas de vegetação combustível superiores a 500ha;

– perigosidade de manchas;

– Índice Meteorológico de Incêndio diário.

O pedido de utilização das câmaras portáteis de videovigilância foi objeto de pareceres da Comissão Nacional de Proteção de Dados e da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, tendo ambas declarado nada haver a opor à utilização do sistema de videovigilância, com suporte em sistemas de aeronaves não tripuladas, para esta finalidade.

Dando cumprimento às recomendações da CNPD e da ANEPC, o sistema de videovigilância a implementar deve observar as seguintes condições:

– Não é permitida a captação e gravação de som;

– A utilização das câmaras de videovigilância deve ser objeto de aviso prévio, com especificação da zona abrangida e sua finalidade, pelos meios habituais de divulgação;

– Os meios aéreos não tripulados devem ser operados a uma altitude média de 100 metros do solo;

– Os sistemas devem cessar a missão de vigilância assim que sejam acionados meios de resposta em caso de deteção de incêndio;

– Deve ser assegurado que a captação de imagens salvaguarde a reserva da vida íntima e privada;

– Deve ser garantido um fluxo de comunicação com os Comandos Distritais de Operações de Socorro da área onde decorre a utilização dos sistemas;

– Todas as operações e anomalias detetadas deverão ser objeto de registo, o qual deve ser preservado por um período mínimo de dois anos.

Projeto Reservas da Biosfera lança ferramenta para envolvimento cidadão

Sabe quais são os benefícios que retirámos da natureza que nos rodeia? Hoje, dia Nacional da Conservação da Natureza, o projeto Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes e Cátedra UNESCO em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável, lança uma ferramenta participativa e versátil para que todos possam contribuir no conhecimento da natureza e dos serviços dos ecossistemas nacionais.

Da água aos alimentos, do clima às atividades recreativas na natureza, os serviços dos ecossistemas contribuem ativamente para o nosso dia-a-dia e bem-estar. A plataforma, lançada esta quinta-feira, dia 28 de julho, convida à partilha das nossas perceções e a uma reflexão sobre como conservar os nossos territórios – nomeadamente, as Reservas da Biosfera nacionais.

Dinamizada pelo Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra, com a colaboração da Universidade de Bergen da Noruega, parceiros ativos do projeto Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes, a ferramenta  espera alcançar o maior número de pessoas possível com o objetivo de perceber a identificação e mapeamento que elas fazem dos serviços dos ecossistemas das Reservas da Biosfera portuguesas.

A conservação do património natural e cultural das Reservas da Biosfera é vital para a sustentabilidade dos territórios e das suas comunidades. Estes autênticos laboratórios vivos de biodiversidade e desenvolvimento sustentável posicionam o nosso país na vasta rede de Reservas da Biosfera da UNESCO, espalhada por todo o mundo. Porque conservar a natureza é uma missão global e coletiva, o projeto lança o desafio para que todos contribuam com o seu conhecimento, através do acesso à plataforma.

Poderá participar através deste link.

As Reservas da Biosfera são territórios designados pela UNESCO pelo seu património natural e cultural, e têm um papel relevante na conservação da biodiversidade, em harmonia com o desenvolvimento sustentável. Em Portugal, existem 12 Reservas da Biosfera da UNESCO: 6 no continente (Boquilobo, Gerês-Xurés, Tejo internacional, Meseta Ibérica, Castro Verde e Berlengas), 4 no arquipélago dos Açores (Corvo, Graciosa, Flores e Fajãs de São Jorge) e 2 no arquipélago da Madeira (Santana e Ilha de Porto Santo).

Luís Marques passa a liderar a direção do MBA Executivo da Católica Porto Business School (CPBS

Luís Marques assume a direção do MBA Executivo da Católica Porto Business School (CPBS), onde se destaca o seu Clube de Empresas, sucedendo a Ana Côrte-Real.

 Doutorado em Gestão, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Luís Marques é Professor Auxiliar Convidado da Católica Porto Business School, desde 2011, e Administrador na Rangel Logistics Solutions, desde 2014. Luís Marques tem uma ampla experiência na área dos negócios, estando empenhado em contribuir com o seu know-how para o aumento do impacto da formação da Católica Porto Business School.

“Um importante investimento pessoal, profissional e financeiro,” é desta forma que Luís Marques vê um MBA. Neste sentido, ao assumir a direção do MBA Executivo da Católica Porto Business School reitera a grande responsabilidade de “poder contribuir decisivamente para o crescimento integral dos participantes, algo que só se consegue com projetos que os façam sair da sua zona de conforto e dando-lhes exposição a diferentes realidades empresariais e de mercado, a nível nacional e internacional.”

“Na Católica Porto Business School proporcionamos, desde o primeiro dia, um acompanhamento tutorial aos participantes, complementando o projeto coletivo de aprendizagem com um projeto pessoal e customizado às características e necessidades de cada aluno,” refere Luís Marques, acrescentando “o MBA está assente num modelo teórico-prático, onde as empresas também estão envolvidas nesta formação, permitindo aos alunos realizarem os seus casos de estudo, proporem decisões de gestão ou, simplesmente, ouvirem histórias de sucessos e insucessos,” conclui Luís Marques.

De referir que o Clube de Empresas do MBA Executivo da Católica Porto Business School foi recentemente destacado numa Conferência Internacional organizada pela Fundação Europeia para o Desenvolvimento da Gestão. Do Clube fazem parte: Grupo Alves Bandeira, Amyris, Amorim, Attentive.Us, Brasmar, Colep Consumer Products, Colep Packaging, EDP, El Corte Inglés, Hyline, Kirchhoff Automotive, MDS Group, Nors, Porsche, Ramirez, Schmitt + Sohn Elevadores, Sogrape, Sonae, Super Bock Group, Rangel Logistics Solutions, The Yeatman Hotel e Valis Capital Partners.

Recorde-se que Luís Marques desempenhou funções como Administrador da APA – Administração do Porto de Aveiro (2005 a 2014) onde também exerceu o cargo de Diretor Administrativo e Financeiro (2000 a 2005), foi colaborador da PwC (1995 a 1999) e da CFA, SROC (1994 a 1995). Além disso, foi Assistente Convidado de Finanças do ISCAUA (2008 a 2011) e Professor Adjunto Convidado de Estratégia no IPAM (2004 a 2010).

Balanço da operação RoadPol

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre o dia 18 e o dia 24 de julho, realizou uma operação de fiscalização seletiva de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, orientando as ações de fiscalização para as vias mais críticas à sua responsabilidade e onde se verifique um maior volume de tráfego deste tipo de veículos, em todo o território nacional continental.

Desta forma, os militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT) que diariamente estiveram empenhados no patrulhamento rodoviário fiscalizaram  veículos de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, registandoum total de 1 720 contraordenações, destacando-se:

·         639 relacionadas com a utilização de tacógrafos e incumprimento dos tempos de condução e repouso;

·         224 por excesso de peso;

·         215 por excesso de velocidade.

 

No final de 2021, a GNR tornou-se membro da RoadPol, passando a integrar no seu planeamento operacional, as operações planeadas pela referida organização. No âmbito do planeamento anual efetuado pela RoadPol e peloEuro Contrôle Route (ECR), a GNR realiza uma operação de fiscalização direcionada para veículos pesados com o objetivo de melhorar a segurança rodoviária, a sustentabilidade, a concorrência e as condições de trabalho em transporte rodoviário, através do cumprimento dos regulamentos existentes.

O Euro Contrôle Route (ECR) é um grupo Europeu de Inspeção de Transportes, que tem por objetivo melhorar a segurança rodoviária e a sustentabilidade, a concorrência leal e as condições de trabalho no transporte rodoviário. Por sua vez, a RoadPol é uma organização que foi estabelecida pelas polícias de trânsito da Europa, com a finalidade de melhorar a segurança rodoviária e o cumprimento das normas rodoviárias.

Turismo do Centro de Portugal reuniu em Assembleia Geral

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal (TCP) reuniu-se hoje em Assembleia Geral (AG) ordinária, que teve como pontos principais a apresentação do Plano de Atividades e do Orçamento de 2023, entre outros assuntos.

A reunião decorreu no Teatro-Cine de Pombal, tendo os participantes aprovado por unanimidade e/ou maioria todos os pontos da ordem de trabalhos. A Assembleia Geral foi dirigida por Leopoldo Rodrigues, presidente do município de Castelo Branco, e secretariada por Francisco Veiga, vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Depois de Pedro Pimpão, presidente da Câmara Municipal de Pombal, ter dado as boas-vindas aos participantes, Pedro Machado, presidente da TCP, informou os parceiros presentes que a Turismo Centro de Portugal é o destino nacional convidado da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa 2023, uma distinção que disse ser “um ponto alto” na estratégia da entidade. Pedro Machado sublinhou também as ambições para o ano de 2023, nomeadamente conseguir que a região cresça na procura turística acima dos resultados de 2019, ano referência até agora, e que reforce a sua presença nos 28 mercados internacionais emissores de visitantes.

Seguiu-se a apresentação das linhas gerais do Programa Regional de Ecoturismo da Região Centro de Portugal. Este é um projeto liderado pelo TCP e que se encontra na fase de recrutamento dos vários intervenientes. O programa pretende sistematizar os casos de sucesso e boas práticas na estruturação de programas ecoturísticos, assim como identificar os principais ativos turísticos a este nível.

Nos momentos seguintes da ordem de trabalhos, a AG apreciou e aprovou a Revisão Orçamental n.º 2/2022 e o Plano de Atividades de 2023, bem como o Orçamento e o Mapa de Pessoal do próximo ano.

A terminar, foi também aprovada a adesão da TCP à “Cortiçada Art Fest – Laboratório para a Gestão Integrada de Arte na Paisagem”, associação de direito privado sem fins lucrativos, cujo trabalho em prol da arte nos territórios da região foi enaltecido por Carlos Miranda, presidente da Câmara Municipal da Sertã.