Templates by BIGtheme NET
Início » Celorico da Beira

Celorico da Beira

Geminação entre CAC-Secção de Motociclismo (Coimbra) e o Motoclube Lendários dos Castelos (Celorico da Beira)).

Teve lugar junto ao monumento nacional em Celorico da Beira, a geminação entre o CAC-Secção de Motociclismo (Coimbra) com o Motoclube Lendários dos Castelos (Celorico da Beira).
Estes dois clubes estão ligados pela histórica Estrada da Beira EN17, que começa em Coimbra e acaba em Celorico da Beira.
Foram agora reforçados os laços de amizade e ficou a promessa de  brevemente rolar em conjunto pela Estrada da Beira/EN 17.

aBEIRAr foi apresentada num palco natural

Teve lugar no Covão D’Ametade , a apresentação pública de aBEIRAr : Parceria de Ciência Cidadã para a Valorização do Território, uma iniciativa da Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela (RIBBSE), apadrinhada pela CIMBSE e em parceria com o Geopark Estrela, UBI e Plataforma da Ciência Aberta do Município de Figueira Castelo Rodrigo.
Face a isso, a Mesa de oradores foi composta por :Presidente da Câmara de Manteigas, Esmeraldo Carvalhinho,  RIBBSE – Catarina Santos, Plataforma de Ciência Aberta de Figueira de Castelo Rodrigo – Maria Vicente, Estrela Geopark – Emanuel Castro, UBI – Vice – Reitor José Marques e o Presidente da CIMBSE, Dr. Luís Tadeu.
É uma parceria de ciência cidadã que tem como missão potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território.
Este evento vai decorrer de maio a outubro do ano em curso, irá realizar-se em todos os Municípios que compõem a RIBBSE e desenvolve-se sobre os temas: a Água, o Céu e a Rocha.

2ª edição do Projeto ATUA!- Preparar crianças e jovens para os novos desafios do século XXI

Desde o arranque da 2ª edição do Projeto ATUA!, promovido pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, que professores e alunos do 1º Ciclo e Ensino Secundário (Regular/Profissional) se destacam pela mobilização, resiliência e enorme vontade de concretizar ideias e objetivos de mais-valia para o território. Este projeto tem como principal objetivo inspirar comunidades educativas para a ação enquanto agentes de mudança do seu território, através de metodologias ativas que incentivam os alunos a desenvolverem competências empreendedoras tais como a autonomia, criatividade, responsabilidade, atitude e mentalidade empreendedoras, para que possam encontrar soluções para os mais diversos problemas da sua Região. Deste modo acreditamos contribuir para a criação de  profissionais com competências múltiplas, que tenham capacidade de aprender, de se adaptar a situações novas e de promover transformações. Esta iniciativa insere-se no Projeto de Combate ao Insucesso Escolar, financiado pela União Europeia ao abrigo do Centro 2020.

No dia 7 de abril, pelas 11h, o ATUA! irá apresentar a todos os participantes do Projeto e suas comunidades educativas, mais 2 excelentes empreendedores, através da página de Facebook do Projeto (https://www.facebook.com/atuacimbse). Rita Pelica, networker, CEO e fundadora da ONYOU, define-se como uma mente curiosa, empreendedora e viciada em aprender. Concebe projetos de educação e formação com foco nas soft skills e mentalidade empreendedora.  Por sua vez, Bruno Paulino, empreendedor de ideias sustentadas na farmacêutica e saúde, encontra-se a estudar Enfermagem e conta já no seu currículo com participações em Concursos de Ideias, destacando-se por ter vencido 3 vezes consecutivas Concursos Municipais de Ideias de Negócio, tendo conquistado também o pódio numa final de um Concurso Intermunicipal de Ideias de Negócio.

Certamente que o testemunho de ambos os convidados, apesar de percursos de vida completamente diferentes, será inspirador e de incentivo para que brevemente, os alunos participantes no Projeto ATUA! apresentem as suas  ideias e projetos únicos de valor acrescentado para o seu território.

A CIMBSE convida, uma vez mais, todos os interessados a assistir à 2ª Palestra motivacional do Projeto, a qual será transmitida em direto na página de Facebook do ATUA! (https://www.facebook.com/atuacimbse) na quarta-feira às 11h00.

Ministério da Saúde isenta Antigos Combatentes de taxas moderadoras

Foi recentemente aprovado pelo Ministério da Saúde, atribuir a isenção de taxas moderadoras a todos antigos combatentes, para tal basta a apresentação do cartão de cidadão ou cartão de utente.

Ainda permite garantir a isenção de pagamento de taxas moderadoras nas consultas, exames complementares de diagnóstico e nos serviços de urgência do SNS.

Esta é uma das medidas aprovadas recentemente com a atribuição do Estatuto do antigo combatente em Portugal.

Censos 21- Arranca hoje a 1ªfase

Inicia-se nesta segunda -feira, dia 5 de abril, a primeira fase dos Censos 2021 com a distribuição das cartas com a informação necessária para a resposta à maior operação estatística do país.
O Instituto Nacional de Estatística, IP (INE) inicia a distribuição das cartas para resposta aos Censos 2021 em todos os alojamentos do país. As cartas, que serão colocadas nas caixas de correio pelos recenseadores, contêm os códigos e toda a informação necessária para a resposta aos Censos através da Internet.

Os recenseadores do INE estão munidos com cartão de identificação e colete alusivo aos Censos 2021.
A fase de distribuição das cartas para resposta aos Censos terá a duração de duas semanas, estando a sua conclusão prevista para o dia 18 de abril.
A partir de 19 de abril tem início a fase de resposta aos Censos pela Internet, preferencialmente até dia 3 de maio (censos2021.ine.pt).
A resposta aos Censos 2021 pela Internet permite uma abordagem fácil, segura e rápida para os cidadãos. No atual contexto epidemiológico, este modo de recolha de dados reveste-se da maior relevância, tendo em conta que minimiza os contactos entre recenseadores e a população.
Para as situações em que a resposta pela Internet não seja possível, o INE disponibiliza outros modos de resposta, nomeadamente: telefone, para grupos da população com maior dificuldade na resposta pela Internet ou impedidos de contacto presencial; e-balcão nas Juntas de Freguesia, mediante as condições de acessibilidade locais e em função da respetiva situação de saúde pública; autopreenchimento dos questionários em papel, entregues pelos recenseadores, que cumprem um rigoroso Protoloco de Saúde Pública.

Salvaguardando as necessárias adaptações em função do ritmo das respostas e das características da área geográfica e da sua população, será na fase de conclusão dos Censos, a partir de 31 de maio, que a resposta resultará do contacto presencial dos recenseadores e apenas junto dos alojamentos que ainda não tenham respondido por outro modo.
A situação epidemiológica decorrente da COVID-19 resultou na elaboração de um Plano de Contingência de forma a garantir a realização da operação censitária com qualidade e protegendo a saúde de toda a população, recenseadores e demais envolvidos.
No âmbito do Plano de Contingência foi elaborado um rigoroso Protocolo de Saúde Pública para a preparação e execução dos Censos 2021, no âmbito da pandemia COVID-19, cujo objetivo principal é garantir que todas as atividades são realizadas de forma segura e cumprindo todas as normas sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde, de acordo com as diferentes condições do país ou de determinadas áreas
geográficas.
Para além da implementação do Protocolo de Saúde Pública foram incorporadas um conjunto de alterações aos Censos 2021, incluindo o reforço dos mecanismos de controlo do trabalho de campo e de validação da informação recolhida num contexto de crise pandémica, nomeadamente através da integração de informação administrativa.
As adaptações e os ajustamentos introduzidos às várias atividades dos Censos 2021 permitem garantir a realização da operação censitária com toda a segurança.

O que reabre já dia 5 de abril em Portugal

Foi assim aprovado em Conselho de Ministros realizado na passada quinta-feira o decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.
Prosseguindo a estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença Covid-19, e tendo em conta a avaliação dos critérios epidemiológicos de definição de controle da pandemia, foi decidida a reabertura, no próximo dia 5 de abril, das seguintes atividades:
  • 2.º e 3.º ciclo do ensino básico nos estabelecimentos de ensino públicos, particulares e cooperativos e do setor social e solidário;
  • centros de atividades de tempos livres e centros de estudo e similares, para os alunos que retomam agora as atividades educativas e letivas;
  • equipamentos sociais na área da deficiência;
  • centros de dia de apoio às pessoas idosas;
  • estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços em estabelecimentos abertos ao público, com menos de 200 m2 e porta para a rua;
  • museus, monumentos, palácios e sítios arqueológicos ou similares, nacionais, regionais e municipais, públicos ou privados, bem como de galerias de arte e salas de exposições. Estes equipamentos encerram às 22:30h durante os dias de semana e às 13:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • estabelecimentos de restauração para serviço em esplanadas, com um limite de quatro pessoas por grupo. Estes estabelecimentos devem encerrar às 22:30h durante os dias de semana e às 13:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • permite-se o funcionamento de feiras e mercados, para além das feiras e mercados de produtos alimentares, mediante autorização do presidente da câmara municipal territorialmente competente, de acordo com as regras fixadas;
  • atividade física e desportiva de baixo risco, bem como a prática de atividade física e desportiva em ginásios e academias, estando proibida a realização de aulas de grupo;
  • prática de atividade física ao ar livre, em grupos de até quatro pessoas;
  • no âmbito das instalações desportivas permite-se a abertura de determinados equipamentos: campos de tiro; courts de ténis, padel e similares; circuitos permanentes de motas, automóveis e similares; velódromos; hipódromos e pistas similares; ginásios e academias; pistas de atletismo e campos de golfe.

“Criar oportunidades para seguir em frente” Carlos Ascensão (Celorico da Beira)

Deixamos aqui para todos poderem relembrar a entrevista que realizamos ao Presidente Carlos Ascensão da Câmara Municipal de Celorico da Beira e está publicada na nossa edição papel de 28 de fevereiro de 2021.

Magazine Serrano- Esta é a época do queijo da serra e Celorico vai assinalar mais uma edição ainda que este ano online, mas serão 30 dias ao dispor da comunidade, uma boa aposta?

Carlos Ascensão- Sim, acreditamos que fizemos uma boa aposta. O Mundo mudou, mas nós mantemos a tradição e este ano tivemos de nos adaptar às circunstâncias difíceis causadas pela pandemia.

Assim, vai ter lugar de 28 de fevereiro a 28 de março de 2021 a 42.ª edição da Feira do Queijo de Celorico da Beira, num formato inteiramente digital. No atual contexto pandémico, o Município de Celorico da Beira leva a Feira do Queijo até sua casa, sabemos que não podem vir até Celorico da Beira por isso queremos chegar a sua casa com tudo o que a Feira do Queijo tem de genuíno: cultura, tradição, património, sabores e saberes da Serra da Estrela.

À distância de um clique ligue-se a nós durante 30 dias em:

www.cm-celoricodabeira.pt

www.facebook.com/municipiocelorico.dabeira

O evento arrancou neste dia 28 de fevereiro (domingo), diretamente de Queluz, com a participação no programa “Somos Portugal” da TVI”, onde levaremos até si o melhor queijo do mundo. E, também, nesta edição lançamos uma plataforma digital celoricocomgosto.pt, para venda de queijo online, não só durante o período da Feira, mas todo o ano.

 O queijo e mais tarde todos (!) os produtos podem ser comercializados através de uma plataforma que estará ao dispor da comunidade?

Sim.  A loja online – celoricocomgosto.pt – é uma plataforma digital para promoção, valorização, publicitação e venda, inicialmente, de Queijo Serra da Estrela, e num futuro próximo, de outros produtos endógenos produzidos no concelho de Celorico da Beira. O azeite, o requeijão, o mel, os frutos secos, a castanha, o borrego, os enchidos, são produtos endógenos que representam uma mais-valia para a economia local e para a nossa gastronomia tradicional, eles estão intrinsecamente ligados às atividades económicas locais e ao sustento de muitas famílias do concelho, merecem todo o nosso apoio na sua divulgação e valorização.

Neste contexto especial da 42.ª edição da Feira, para contornar as dificuldades impostas pela pandemia, a plataforma digital tem o propósito de levar diretamente da Capital do Queijo Serra da Estrela até à mesa dos consumidores, de forma simples, rápida e sem deslocações, o produto rei da festa – o queijo Serra da Estrela – bastando para o efeito, aceder a: celoricocomgosto.pt

Com a pandemia a entrar numa fase controlada, a vacinação a decorrer, em breve o turismo há de voltar a ter impacto positivo na economia?

Muito se fala do relançamento da economia. Duas notas sobre esta fase da vacinação e as medidas de apoio à economia local para combater os efeitos da pandemia.

No concelho de Celorico da Beira o posto de vacinação está a trabalhar com regularidade, num esforço conjunto, o centro de saúde local em articulação com SNS e a câmara municipal estão a desenvolver todos os esforços para convocar, transportar, acolher e aplicar a vacina às pessoas com + de 80 anos ou com patologias associadas, cumprindo o plano nacional de vacinação covid19. Dias melhores virão e estes dias já são um sinal de esperança.

É importante, também, dizer que a estratégia de lançamento da loja online, que referi anteriormente, surge na sequência da aprovação da nossa proposta levada a Câmara para constituir um fundo covid19 dotado de 100 mil euros para executar em 2021. No fundo, dando sequência aos apoios que vinham sendo aplicadas desde abril de 2020.

Esta plataforma venda online e a promoção da feira do queijo, no site, na TVI e nos meios de comunicação social, são respostas de sustentabilidade futura. Por essa razão no nosso programa da feira digital queremos continuar a divulgar o nosso território, durante 30 dias vamos mostrar essa dimensão de Celorico da Beira.

O nosso programa da feira digital, tal como fizemos nas feiras tradicionais anteriores, promove o turismo Serra da Estrela, divulga o que sabemos fazer com valor e que sabemos receber bem os turistas. São tantas as razões para se inspirarem em nós: a excelente gastronomia, os produtos endógenos de qualidade, estruturas hoteleiras, a boa acessibilidade, património cultural e uma natureza que inspira saúde, aventura e bem-estar. Sem dúvida que temos boas razões para promover a valorização turística e cultural.

Muitas medidas foram tomadas no sentido de travar a pandemia, mas a partir de agora muitas cautelas terão de existir?

No enquadramento da pandemia e dos seus impactos negativos na sociedade, o Município de Celorico da Beira está a fazer, há quase um ano, um esforço enorme para executar medidas de apoio às famílias, instituições sociais, educação, cuidados de saúde, pequeno comércio e economia local. Os celoricenses sabem dessa realidade. E sabem como chegámos até este porto de abrigo.

Como sabem, o Município que presido tem feito um enorme trabalho de correção das contas públicas, desde finais de 2017, e estamos prestes a deixar o endividamento excessivo. Foi assim que se constituiu este porto de abrigo, com rigor e trabalho diário, colocando a “Câmara nos carris”, devolvendo credibilidade externa ao município. Estamos em condições financeiras de poder ajudar a economia local, as famílias e os agentes económicos a desenvolver estratégias para proteger o emprego daqueles que dependem das atividades económicas essenciais do concelho.

Para dar resposta às dificuldades causadas pelos confinamentos que têm um impacto negativo na economia local,consideramos fundamental investir na promoção dos produtos endógenos, no turismo Serra da Estrela, na proteção do emprego, no comércio local e na proteção dos rendimentos das famílias.

Tenho dito desde o início desta crise sanitária que a prudência é essencial para resistir a esta longa maratona. O Município está avisado, estamos preparados para continuar apoiar as IPSS, parceiros sociais, GNR e Bombeiros, bem como alguns grupos profissionais mais expostos, suportando os custos inerentes a serviços de enfermagem especializados na testagem de despiste à covid19.  Adotaremos as medidas criteriosas necessárias em defesa do interesse público, da saúde pública, do acesso à educação e do desenvolvimento coeso de todos os celoricenses.

Agora Celorico vai presidir à Adruse nos próximos tempos, que pode falar-nos dessa situação, um novo desafio?

Aceitei com muito agrado o desafio da presidência do Conselho de Administração da ADRUSE.  As prioridades para o mandato são dar continuidade ao trabalho, já iniciado pelo anterior presidente, Manuel Fonseca, no sentido de equilibrar financeiramente a instituição, e, proceder a uma reorganização interna no âmbito dos recursos humanos.

Trabalharemos, também, para desenvolver novos projetos de investimento, na perspetiva das possibilidades que advirão do novo quadro comunitário, além de procurar criar articulações e sinergias novas com outros parceiros, dentro e para além do território da Serra da Estrela, nomeadamente com a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE).

O que serve de paradigma na Europa ao nível da coesão social, que implica solidariedade financeira entre os Estados, deve servir também como modelo cá dentro, para que o desenvolvimento coeso aconteça ao nível nacional e permita reduzir as desigualdades sociais e económicas que estigmatizam a região interior e as suas populações.

Na última década, o país está cada vez mais assimétrico e desnivelado, estamos perante um ciclo vicioso de empobrecimento, esquecimento e escoamento dos recursos humanos do interior do país. O importante é perceber que não é apenas o interior que empobrece, é o país inteiro que não se desenvolve e afasta-se do padrão europeu de vida e das expectativas geradas com a entrada na UE.

Este ciclo pode ser combatido com medidas políticas que permitam uma desigualdade justa, ajude-se mais quem, historicamente, menos tem sido ajudado e mais carências tem demonstrado. Está na hora de passar de uma retórica inconsequente, desacreditada, de que é preciso promover uma discriminação positiva nestes nossos territórios de baixa densidade, a uma praxis política que assente na honestidade e na realidade.

Que mensagem deixa a todos pastores, queijeiras, comunidade em geral?

 A função do Município é assegurar o equilíbrio do desenvolvimento económico, social e ambiental do seu território, portanto, os celoricenses sabem o que podem esperar de nós.

Estamos determinados a trabalhar todos os dias para resolver os problemas dos cidadãos, recuperar a credibilidade, cumprir os compromissos financeiros, escolher as iniciativas de futuro.

“Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança de vencer”.

Estou convicto que, com naturalidade, os resultados chegarão da gestão prudente que fazemos e conduzirão à correção da dívida pública lançando as bases do futuro que queremos que seja mais justo e feliz para todos os celoricenses.

É isso que estamos a fazer, é isso que vamos continuar a fazer, pois precisamos de tempo para fazer bem as coisas.

Dou como exemplo esta adaptação da Feira do Queijo ao digital, à loja online, das dificuldades podemos criar oportunidades para seguir em frente.

Dê a si próprio a oportunidade de sentir esperança, dias melhores virão para todos e do conforto de sua casa ligue-se a nós, viva a nossa tradição, inspire-se porque temos o melhor de nós para si!

 

aBEIRAr vai ser apresentado no Covão d´Ametade

Vai ter lugar a apresentação pública de aBEIRAr – parceria de ciência cidadã para a valorização do território, que decorrerá no Covão d’Ametade, no dia 8 de abril, quinta-feira, às 11h00.

aBEIRAr é uma parceria de ciência cidadã para a valorização do território que envolve a Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela da CIMBSE, a Plataforma de Ciência Aberta – Município de Figueira de Castelo Rodrigo, a Estrela Geopark Mundial da UNESCO e a Universidade da Beira Interior.
aBEIRAr surge como uma forma de potenciar o envolvimento e participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção do conhecimento do território.
A primeira iniciativa de aBEIRAr irá percorrer os 15 concelhos da CIMBSE, numa sequência de três ciclos, cada um dedicado a um tema central para o território – Água, Céu, Rocha – que acontecerão na Primavera, Verão e Outono, respetivamente.

Distrital do PSD da Guarda já escolheu os 14 candidatos às Câmaras Municipais do distrito

Em comunicado, a Distrital do PSD da Guarda refere que já tem concluído, desde o passado dia 29 do presente
mês, o processo da escolha dos candidatos às 14 Câmaras Municipais do Distrito.
Apesar da pandemia, que dificultou a mobilidade devido ao confinamento, o processo
cumpriu com todas as orientações e prazos estipulados pela Direção Nacional do
Partido.
Todo o procedimento da escolha dos candidatos foi efetuado com a responsabilidade,
seriedade, rigor e a transparência interna que um processo como este deve ter, refere
Carlos Condesso, Presidente da Distrital.
Apesar de todos os candidatos já estarem aprovados pela Comissão Política Distrital,
faltam homologar e consecutivamente apresentar apenas quatro candidatos por parte
da Comissão Politica Nacional, o que acontecerá já nos próximos dias.
Os candidatos já aprovados, homologados e apresentados pelo Partido são: António
José Machado (Almeida), Carlos Ascensão (Celorico da Beira), Carlos Condesso
(Figueira de Castelo Rodrigo), Luís Tadeu (Gouveia), Carlos Chaves Monteiro (Guarda),
Nuno Soares (Manteigas), Rui Ventura (Pinhel), Vitor Proença (Sabugal), João Carvalho
(Trancoso) e João Paulo Sousa (Vila Nova de Foz Côa). Falta apenas tornar público os candidatos a Fornos de Algodres, Mêda, Seia e Aguiar da Beira.
A Distrital tem um objetivo bem traçado, que é ganhar o maior número de Câmaras e
eleger o maior número de Presidentes de Câmara, de Vereadores, de Presidentes de
Junta e de Membros de Assembleia Municipal.

Todas as estruturas do partido estão mobilizadas e determinadas em trabalhar
arduamente para recuperar câmaras que estão nas mãos do Partido Socialista, por
forma a devolver a esperança às populações.

Lançamento da 1ªpedra para construção do Centro Intermunicipal de Recolha de Animais Errantes Celorico/Gouveia

O lançamento da 1ª pedra para a obra de construção do Centro Intermunicipal de Recolha de Animais Errantes, uma cooperação entre o Município de Celorico da Beira e o Município de Gouveia, teve lugar nesta quarta-feira.
Uma cerimónia que contou com a presença dos presidentes da Câmara Municipal de Celorico da Beira e de Gouveia, Carlos Ascensão e Luís Tadeu respetivamente, acompanhados por vários elementos do executivo municipal dos dois municípios, o gabinete veterinário municipal, o Comandante do Posto Territorial da GNR de Celorico da Beira, Márcio Come, a Diretora de Serviços de Alimentação e Veterinária da Região Centro (DGAV), Rosa Rodrigues entre outros.
O Centro de Recolha Oficial e Parque de Bem-estar Animal São Francisco de Assis, como vai ser assim denominado, está a ser construído num espaço desativado de uma antiga estação de tratamento de águas residuais de Celorico da Beira, tem cerca de 2.000 metros quadrados de área de construção e uma capacidade de acolhimento para 100 cães, contempla uma receção, uma sala de esterilização com recobro, consultório, um anfiteatro para ações de sensibilização ao visitante, arrumos e instalações sanitárias de apoio, 25 boxes de canil e gatil, uma boxe para animais de outras espécies, um expaço exterior de convívio, uma sala administrativa e instalação sanitária, uma sala de tosquia e banho exterior.
Vai ser um investimento de cerca de 200 mil euros na criação deste Centro Intermunicipal de Recolha de Animais Errantes que será comum aos dois concelhos e que vai permitir colmatar a problemática dos animais abandonados, vadios e errantes dos concelhos, acolhendo cães e gatos, sejam entregues por particulares ou recolhidos na via pública, por representarem perigo para as populações, serem objetos de maus tratos ou até serem passíveis de contraírem doenças, entre outras causas. Este equipamento tem a previsão de estar concluído num espaço de 8 meses.
fotos:MCB