Templates by BIGtheme NET
Início » Coimbra

Coimbra

Taça de Portugal- Guarda DFC isento, Vila Cortez vai fora e SC Meda em casa

Esta quinta-feira realizou-se o sorteio da 1.ª eliminatória da Taça de Portugal Placard, tendo lugar a 11 de setembro.

A Guarda DFC ficou isenta, já o Vila Cortez vai deslocar-se a Cantanhede para defrontar o Marialvas, por seu turno, o SC Meda recebe o Beira Mar.

Série D
SC Mêda x SC Beira-Mar
SC São João de Vêr x Mortágua FC
Os Marialvas x CCDR Vila Cortez do Mondego
Lusitano FC Vildemoinhos x AD Sanjoanense
FC Oliveira do Hospital x Lusitânia Lourosa FC

Série E
SC Pombal x União Tomar
AC Marinhense x UD Leiria
Sport Benfica CB x GD Águias do Moradal
CD Alcains x Sertanense FC
União Desportiva da Serra x ACD Pedrógão São Pedro

 

Quartos para arrendar: oferta desce 44% no último ano

A oferta de quartos para arrendar em casa partilhada desceu 44% nos últimos doze meses, segundo um estudo publicado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal.

Analisando a oferta de quartos por cidades, verifica-se que a descida do “stock” foi bastante acentuada, sendo na sua maioria superior aos 60%. Foi no Porto (-84%) onde mais se verificou essa redução, seguido por Lisboa (-77%), Leiria (-71%), Aveiro (-69%), Setúbal (-69%), Faro (-67%), Braga (-67%) e Coimbra (-39%). Das cidades analisadas, nenhuma apresentou subida da oferta no último ano.

A descida da oferta de quartos provocou um aumento nos preços em quase todas das cidades analisadas, com a exceção de Faro e Braga onde desceram 1,9% e 1%, respetivamente.

Foi no Porto onde os preços mais subiram, sendo 20% mais caros do que há um ano. Segue-se Aveiro (19,8%), Lisboa (18,1%), Leiria (12,2%), Coimbra (8,2%) e Setúbal (4,7%).

Lisboa continua a ser a cidade com os quartos mais caros em Portugal, onde os preços rondam em média os 420 euros mensais, seguida pelo Porto (350 euros por mês), Aveiro (300 euros por mês), Setúbal (300 euros por mês) e Faro (300 euros por mês). Por outro lado, das cidades analisadas, as mais económicas para arrendar um quarto são Coimbra (220 euros por mês), Leiria (230 euros por mês) e Braga (260 euros por mês).

O perfil de quem partilha casa

Pessoas com 33 anos, que vivem no centro de grandes cidades e não fumam (apesar de tolerantes com quem fuma), marcam o perfil de quem partilha casa em Portugal.

A idade média dos habitantes de uma casa partilhada varia em função da zona geográfica, sendo Faro a cidade com a média mais alta, rondando os 38 anos. Segue-se Setúbal, com uma média de idades de 36 anos e Coimbra onde a média é de 34 anos. Em Aveiro e Leiria, a média é de 32 anos em ambas as cidades, seguidas por Braga (30 anos), Lisboa (29 anos) e Porto (29 anos).

Arrendar quarto não é só para estudantes

Os dados publicados neste relatório revelam que o arrendamento de quartos não é uma opção habitacional apenas para estudantes, convertendo-se também na opção eleita por jovens nos seus primeiros anos no mercado de trabalho e em alguns casos até mais tarde. A atual realidade do mercado de arrendamento português nas grandes cidades faz com que seja complexo para muitas pessoas solteiras ou separadas suportar o custo de uma casa, tornado o arrendamento de um quarto a opção mais vantajosa. Por outro lado, partilhar casa continua a ser um estímulo para muitos jovens com vontade de serem independentes e de sairem da casa dos pais, uma tendência que deverá aumentar nos próximos anos.

O idealista tornou-se numa referência para todos aqueles que procuram partilhar casa, tanto pela facilidade de utilização como qualidade da informação. A opção disponibilizada pelo idealista de procurar um companheiro de casa para iniciar com ele o processo de pesquisa de um alojamento, tem um grande sucesso entre os utilizadores portugueses e estrangeiros que se deslocam ao nosso país e que pretendem encontram um quarto desde os seus locais de origem. Uma das grandes vantagens são as diferentes opções linguísticas disponíveis no idealista: além do português está acessível o inglês, alemão, francês, russo, espanhol, italiano, sueco, holandês, finlandês, polaco, romeno, dinamarquês, chinês e grego.

 Metodologia

Para a realização deste estudo foram considerados apenas as cidades com uma base estável no idealista durante o período analisado e com um número mínimo de 40 anúncios.

Por:Idealista

GNR-Operação “ROADPOL – SPEED” na estrada

A Guarda Nacional Republicana (GNR), realiza entre os dias 8 e 14 de agosto realiza uma operação de fiscalização rodoviária direcionada para controlo de velocidade, em todo o território nacional continental, orientando as ações de fiscalização para as vias mais críticas à sua responsabilidade e onde se verifique uma maior sinistralidade e infração aos limites de velocidade. Com esta ação, pretende-se também sensibilizar a sociedade, para a importância da adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores, tendo em vista a promoção da segurança rodoviária e a salvaguarda de vidas humanas.

A RoadPol é uma organização que foi estabelecida pelas polícias de trânsito da Europa, com a finalidade de melhorar a segurança rodoviária e a aplicação da lei nas estradas. Estas operações, de âmbito europeu, têm como principal finalidade a criação de um ambiente rodoviário mais seguro através de uma intervenção simultânea sobre as principais causas de acidentes, procurando desta forma influenciar positivamente os condutores, levando-os a adotarem comportamentos que privilegiem uma condução segura em detrimento de comportamentos de risco, como o excesso de velocidade.

Em 2021 a GNR registou um total de 69.186 acidentes de viação, sendo que destes, pelo menos, 3.564 acidentes tiveram como a sua principal causa a velocidade excessiva ou o excesso de velocidade. Relativamente à fiscalização da velocidade foram no ano transato registadas 142.721 infrações.

Casas de luxo: As 10 ruas mais caras de Portugal

Comprar casa na rua mais cara de Portugal custa, em média, 4.440.00 euros. Este é, pelo menos, o valor pedido pelos proprietários da exclusiva Rua Alto do Duque, localizada em Belém, em Lisboa. O top dez do ranking das ruas mais caras para comprar casa é dominado por imóveis que se encontram no distrito de Lisboa, segundo um estudo realizado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal.

A completar o pódio deste ranking de luxo encontram-se a Avenida Brasil, em Cascais, com um preço médio de 3.107.143 euros, e a Avenida Almirante Gago Coutinho, na zona de Alvalade, em Lisboa (3.037.778 euros).

A quarta morada com os preços mais exclusivos para comprar uma casa está situada na Avenida de Grândola, na exclusiva Península de Troia, no distrito de Setúbal (3.029.500 euros). Seguem-se na tabela a Avenida General Carmona, localizada no Estoril (2.990.000 euros) e a Rua das Glicínias, em Cascais, onde o preço médio da habitação de luxo ronda os 2.825.000 euros.

Na sétima posição encontra-se a Avenida 24 de Julho, localizada na freguesia de Misericórdia, em Lisboa, que conta com casas a um preço médio de 2.702.928 euros. A lista das dez ruas mais caras fica completa com a Avenida Marginal, no Estoril (2.596.727 euros), a Avenida da República, em Cascais (2.589.375 euros), e a Rua Birre, também em Cascais (2.444.286 euros).

 

Localização Freguesia Distrito Preço médio (€)
Rua do Alto do Duque Belém Lisboa 4.440.000 €
Avenida Brasil Cascais Lisboa 3.107.143 €
Avenida Almirante Gago Coutinho Alvalade Lisboa 3.037.778 €
Avenida de Grândola Carvalhal Setúbal 3.029.500 €
Avenida General Carmona Estoril Lisboa 2.990.000 €
Rua Glicinias Cascais Lisboa 2.825.000 €
Avenida 24 Julho Misericórdia Lisboa 2.702.928 €
Avenida Marginal Estoril Lisboa 2.596.727 €
Avenida da República Cascais Lisboa 2.589.375 €
10º Rua Birre Cascais Lisboa 2.444.286 €

Guia de Restaurantes Seleção Gastronomia e Vinhos 2022’ com mais 39 novos estabelecimentos

O ‘Guia de Restaurantes Seleção Gastronomia e Vinhos 2022 da região de Coimbra’ passa agora a integrar um total de 116 estabelecimentos qualificados, com a adesão de 39 novos restaurantes. A cerimónia de apresentação da mais recente edição do Guia realizou-se na sexta-feira, dia 5 de agosto, na Mealhada, com a presença de Rita Marques, Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, numa iniciativa conjunta da CIM Região de Coimbra, AHRESP e Turismo de Portugal.

Jorge Loureiro, vice-presidente da AHRESP, sublinhou a importância deste projeto para a associação: “O Seleção Gastronomia e Vinhos pretende criar uma rede nacional de restaurantes que adote o receituário tradicional português, que utilizem preferencialmente produtos portugueses e regionais, cumpram as melhores práticas e ofereçam qualidade de serviço irrepreensível”.

A implementação do Programa SELEÇÃO Gastronomia e Vinhos constitui um instrumento determinante na orientação e defesa das expetativas dos consumidores, nomeadamente de todos os turistas, mas também suporta a promoção dos próprios estabelecimentos, ao representar um indicador público, independente, de que os referidos estabelecimentos reúnem condições especiais que os distinguem no conjunto do setor.

Até ao final do ano, pretende-se que este programa inclua cerca de 400 restaurantes, estando já a ser desenvolvido pela AHRESP um outro projeto desta vez destinado aos vinhos – o programa BEST WINE SELECTION. O objetivo é dignificar e promover os vinhos portugueses, em particular a oferta vinícola da região.

Idealista-Estudo-Apartamento com piscina em Portugal é mais caro

Comprar um apartamento com piscina em Portugal é, em média, 63,4% mais caro do que comprar sem esta comodidade, segundo um estudo publicado pelo idealista. Apenas 9,3% dos apartamentos que se anunciam na plataforma imobiliária em Portugal dispõe de piscina como extra.

Lisboa é a cidade onde a diferença de preço entre comprar um apartamento com ou sem piscina é maior, custando mais 79,1% os que dispõem de piscina. Seguem-se as diferenças de preço de Aveiro (63% mais caras), Castelo Branco (58,8%), Beja (52,6%), Viana do Castelo (44,4%), Porto (32,7%). Por menos de 30% de diferença de preço, encontra-se o Funchal (25%), Faro (23,8%), Coimbra (21,1%), Évora (20,6%) e Braga (14,5%).

É no Funchal onde mais existem apartamentos à venda com piscina (33,3%). Seguem-se Faro (9,6%), Lisboa (8,5%), Porto (3%), Évora (2,9%), Beja (1,6%) e Braga (1,6%). Por menos de 1% de oferta de apartamentos com piscina à venda, encontram-se as cidades de Castelo Branco (0,5%), Coimbra (0,4%), Aveiro (0,4%) e Viana do Castelo (0,2%).

 

Metodologia

Para a elaboração deste estudo, o idealista analisou o preço absoluto dos apartamentos à venda em Portugal, excluindo as moradias. Para o estudo, foram apenas analisadas as capitais de distrito onde a amostra fosse representativa.

Rendas sobem mais de 60% nos distritos de Faro, Castelo Branco e Guarda, face ao período homólogo

No geral, as rendas estão 30% mais caras em julho, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Arrendamento mantém-se estável face ao mês anterior, mas encarece cerca de 300€ em relação aos preços médios de renda anunciados em julho de 2021.

Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

  • O valor dos imóveis para arrendar sobe ligeiramente +2,17% em julho, em relação ao mês anterior, passando de 1.289€ para 1.317€. Em julho do ano anterior, a renda média fixava-se em 1.012€, o que representa um aumento de +30,14% (cerca de 300 euros mais cara).

Distritos em destaque:

  • O distrito com o maior aumento do valor médio de renda em julho, face a junho, foi Vila Real (+18,7%), subindo de 369€ para 438€. A renda média também aumentou de forma mais significativa em Castelo Branco (+8,73%), onde subiu de 630€ para 685€.
  • Por outro lado, os distritos que registaram maior quebra da renda média, face ao mês anterior, foram Beja (-18,83%), que desce de 887€ para 720€, Évora (-15,38%), que desce de 910€ para 770€, e Bragança (-13,37%), passando de 591€ para 512€.
  • Em comparação com o período homólogo de 2021, a renda aumenta sobretudo em Faro (+68,63%), onde sobe de 851€ para 1.435€, Castelo Branco (+66,26%), onde sobe de 412€ para 685€, e na Guarda (+65,12%), onde sobe de 430€ para 710€.
  • O distrito com maior quebra do preço de renda face ao período homólogo é Vila Real (-15,93%), descendo de 521€ para 438€.
  • Portalegre (361€) e Vila Real (438€) foram os distritos mais baratos para arrendar em julho. Lisboa (1.618€), Faro (1.435€) e Porto (1.235€) mantêm-se os mais caros.

VENDA

  • O preço médio de venda anunciado aumentou ligeiramente (+2%) em julho, face a junho, passando de 393.542€ para 401.312€. Em comparação com o período homólogo de 2021, que registava um valor médio de venda de 371.880€, há um aumento de 7,9%, correspondente a 29 mil euros de encarecimento.

Distritos em destaque:

  • Évora é o distrito que regista o maior aumento do preço médio de venda face ao mês anterior (+13,5%), passando de 226.965€ para 257.679€.
  • No geral, todos os restantes distritos relevam estabilidade no preço médio de venda, em julho. As quebras, ainda que de forma ligeira, ocorreram em Coimbra (-0,7%) e na Guarda (-0,6%), onde os preços agora se fixam em 197.721€ e 107.018€, respetivamente.
  • A Região Autónoma da Madeira registou o maior aumento do preço de venda em julho, comparativamente ao mês homólogo de 2021 (+23%), passando de 364.603€ para 448.592€. Setúbal (+22%), Faro (+17,2%) e Braga (+15%) também registam aumentos relevantes.
  • Évora é o distrito com a maior quebra do preço médio de venda face ao mesmo mês de 2021 (-9,8%), descendo de 285.811€ para 257.679€. Seguem-se Portalegre (-5,5%) e Guarda (-5,4%) como os distritos com maior quebra do preço de venda no mesmo período.
  • Guarda (107.018€) e Portalegre (118.620€) foram os distritos mais baratos para comprar casa em julho. Os mais caros mantêm-se Lisboa (640.639€) e Faro (560.658€).

 

Balanço da operação RoadPol

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre o dia 18 e o dia 24 de julho, realizou uma operação de fiscalização seletiva de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, orientando as ações de fiscalização para as vias mais críticas à sua responsabilidade e onde se verifique um maior volume de tráfego deste tipo de veículos, em todo o território nacional continental.

Desta forma, os militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT) que diariamente estiveram empenhados no patrulhamento rodoviário fiscalizaram  veículos de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, registandoum total de 1 720 contraordenações, destacando-se:

·         639 relacionadas com a utilização de tacógrafos e incumprimento dos tempos de condução e repouso;

·         224 por excesso de peso;

·         215 por excesso de velocidade.

 

No final de 2021, a GNR tornou-se membro da RoadPol, passando a integrar no seu planeamento operacional, as operações planeadas pela referida organização. No âmbito do planeamento anual efetuado pela RoadPol e peloEuro Contrôle Route (ECR), a GNR realiza uma operação de fiscalização direcionada para veículos pesados com o objetivo de melhorar a segurança rodoviária, a sustentabilidade, a concorrência e as condições de trabalho em transporte rodoviário, através do cumprimento dos regulamentos existentes.

O Euro Contrôle Route (ECR) é um grupo Europeu de Inspeção de Transportes, que tem por objetivo melhorar a segurança rodoviária e a sustentabilidade, a concorrência leal e as condições de trabalho no transporte rodoviário. Por sua vez, a RoadPol é uma organização que foi estabelecida pelas polícias de trânsito da Europa, com a finalidade de melhorar a segurança rodoviária e o cumprimento das normas rodoviárias.

Turismo do Centro de Portugal reuniu em Assembleia Geral

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal (TCP) reuniu-se hoje em Assembleia Geral (AG) ordinária, que teve como pontos principais a apresentação do Plano de Atividades e do Orçamento de 2023, entre outros assuntos.

A reunião decorreu no Teatro-Cine de Pombal, tendo os participantes aprovado por unanimidade e/ou maioria todos os pontos da ordem de trabalhos. A Assembleia Geral foi dirigida por Leopoldo Rodrigues, presidente do município de Castelo Branco, e secretariada por Francisco Veiga, vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Depois de Pedro Pimpão, presidente da Câmara Municipal de Pombal, ter dado as boas-vindas aos participantes, Pedro Machado, presidente da TCP, informou os parceiros presentes que a Turismo Centro de Portugal é o destino nacional convidado da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa 2023, uma distinção que disse ser “um ponto alto” na estratégia da entidade. Pedro Machado sublinhou também as ambições para o ano de 2023, nomeadamente conseguir que a região cresça na procura turística acima dos resultados de 2019, ano referência até agora, e que reforce a sua presença nos 28 mercados internacionais emissores de visitantes.

Seguiu-se a apresentação das linhas gerais do Programa Regional de Ecoturismo da Região Centro de Portugal. Este é um projeto liderado pelo TCP e que se encontra na fase de recrutamento dos vários intervenientes. O programa pretende sistematizar os casos de sucesso e boas práticas na estruturação de programas ecoturísticos, assim como identificar os principais ativos turísticos a este nível.

Nos momentos seguintes da ordem de trabalhos, a AG apreciou e aprovou a Revisão Orçamental n.º 2/2022 e o Plano de Atividades de 2023, bem como o Orçamento e o Mapa de Pessoal do próximo ano.

A terminar, foi também aprovada a adesão da TCP à “Cortiçada Art Fest – Laboratório para a Gestão Integrada de Arte na Paisagem”, associação de direito privado sem fins lucrativos, cujo trabalho em prol da arte nos territórios da região foi enaltecido por Carlos Miranda, presidente da Câmara Municipal da Sertã.