Início » Coimbra

Coimbra

Filme do Centro de Portugal conquista lugar no pódio do circuito mundial de festivais de filmes turísticos

O filme promocional “Aqui Entre Nós”, da Turismo Centro de Portugal, encerrou de forma muito positiva a participação no circuito internacional de festivais internacionais de cinema de turismo. O filme da região Centro de Portugal recebeu o troféu correspondente ao terceiro lugar na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, depois de somados todos os pontos recebidos nos festivais ao longo do ano. O resultado final foi conhecido em Valência, Espanha, durante a gala World Tourism Film Awards, que encerrou o circuito de 2022.

A gala do CIFFT – Comité Internacional de Festivais de Filmes de Turismo reúne os filmes mais premiados ao longo do ano e anuncia o ranking final. O filme do Centro de Portugal foi o terceiro mais bem classificado entre aqueles que concorreram na categoria “Destinos Turísticos – Regiões”, ficando apenas atrás de filmes da Andaluzia (Espanha) e do Peloponeso (Grécia).

Pedro Machado, Jorge Loureiro e Adriana Rodrigues, da Turismo Centro de Portugal, receberam a distinção das mãos de Alexander Kammel, presidente do CIFFT. “É uma grande honra para nós que o filme ‘Aqui entre Nós’ tenha merecido a distinção como um dos melhores a nível mundial, numa categoria que distingue as regiões enquanto destinos turísticos. A região magnífica que é o Centro de Portugal não merece menos”, sublinha Pedro Machado.

O circuito internacional do CIFFT engloba 10 festivais em outros tantos países. O filme “Aqui Entre Nós” foi premiado no Festival Internacional de Filmes de Turismo de África, na África do Sul, no Festival TourFilm de Zagreb, na Croácia, no ART&TUR – Festival Internacional de Cinema de Turismo, em Ourém, Portugal, e no Amorgos Tourism Film Festival, na Grécia.

Produzido para a Turismo Centro de Portugal pela Ideias Com Pernas – Creative Films, partindo de um conceito desenvolvido pela agência criativa Bang Bang Creative Shots, o filme “Aqui Entre Nós” inseriu-se numa campanha lançada pelo TCP em 2021, que teve como como grande objetivo dar a conhecer aos portugueses a essência do Centro de Portugal e solidificar a região como o primeiro destino de férias dos portugueses.

Pode ver o filme, com a duração de 2 minutos e 6 segundos, nesta ligação: https://youtu.be/wGRltp7tKkQ.

Feira do Mel e da Castanha da Lousã afirma-se como a melhor do País

O regresso da Feira do Mel e da Castanha da Lousã correspondeu às expectativas da organização e participantes e voltou a afirmar-se como a melhor do País.

Durante 3 dias, de 18 a 20 de novembro, o recinto da Feira – que englobava o Parque Municipal de Exposições e duas tendas anexas – esteve sempre repleto de visitantes, de norte a sul do País, e que procuravam o Mel DOP Serra da Lousã, a castanha, os produtos endógenos, a gastronomia local, mas também a diversão, garantida por um programa de animação de qualidade e para todas as idades.

Para o Presidente da Câmara Municipal, Luís Antunes “esta edição da Feira marca o regresso de um evento marcante do calendário regional e nacional, foi um grande desafio e é com satisfação que registamos – quer pela presença massiva de público, quer pela avaliação recolhida junto dos participantes – que a Feira cumpriu todos os seus objetivos”.

Luís Antunes afirmou ainda que “o sucesso da aposta no regresso da melhor Feira do Mel e da Castanha do País comprova a capacidade da Lousã para a organização de grandes eventos, sendo que avançamos já para um novo desafio, a realização do Mercado de Natal, a 10 e 11 de dezembro, que contará com artesanato, produtos endógenos, doçaria e muita animação de Natal”.

O Mercado de Natal realizar-se-á no Parque Municipal de Exposições.

 

 

 

 

Rita Marques visitou projetos turísticos em Góis, Piódão e Belmonte

A Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, visitou ontem os municípios de Góis, Arganil e Belmonte, no Centro de Portugal, onde ficou a conhecer alguns projetos realizados no âmbito do programa Valorizar – Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior. A visita foi acompanhada por uma equipa do Turismo Centro de Portugal, liderada pelo seu presidente, Pedro Machado.

O dia começou com uma sessão nos Paços do Concelho de Góis, onde Rui Sampaio, presidente do município, deu a conhecer alguns dos projetos em curso ou previstos para o território. Seguiu-se uma visita ao Parque de Lazer do Baião, local onde será implantado o Centro de BTT / Centro Cyclin’Portugal de Góis.

A Aldeia Histórica do Piódão, no concelho de Arganil, foi o segundo destino da deslocação. Aqui, a Secretária de Estado presidiu à inauguração da requalificação do Largo Cónego Manuel Fernandes Nogueira e da reabilitação do edifício do Posto de Turismo. Os trabalhos de requalificação do Largo Cónego Manuel Fernandes Nogueira transformaram a principal porta de entrada da aldeia num espaço mais ordenado e acessível, tendo sido vedado estacionamento automóvel. A cerimónia contou com intervenções do presidente da Câmara Municipal de Arganil, Luís Paulo Costa, e do presidente da Junta de Freguesia de Piódão, José Lopes, além de Pedro Machado e Rita Marques.

A terminar o dia, a comitiva deslocou-se a Belmonte, onde foi recebida pelo presidente da Câmara, António Dias Rocha, e onde apadrinhou a inauguração oficial do Welcome Center do município, situado no edifício dos antigos Paços do Concelho, no Largo do Pelourinho. Neste novo espaço, muito funcional, foi também inaugurada a exposição fotográfica “9 OLHARES”, organizada pela Associação Estrela Geopark e que mostra diferentes perspetivas do território da Serra da Estrela.

Em jeito de balanço, Pedro Machado considerou esta visita “particularmente útil, uma vez que serviu para dar a conhecer valências turísticas dos territórios do interior, essenciais para continuarmos a estruturar novos produtos turísticos”. “É de realçar o papel fundamental que os municípios têm neste processo, nomeadamente na recuperação do património e do espaço público, em conjunto com as entidades públicas e privadas”, acrescentou.

GNR-Balanço – Operação “ECR Truck & Bus”

 

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre o dia 14 a 20 de novembro, realizou uma operação de fiscalização seletiva de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, orientando as ações de fiscalização para as vias mais críticas à sua responsabilidade e onde se verifique um maior volume de tráfego deste tipo de veículos, em todo o território nacional continental.

Desta forma, os militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT) que diariamente estiveram empenhados no patrulhamento rodoviário fiscalizaram um total de 308 veículos de transportes rodoviários de mercadorias e de passageiros, registando um total de 255 contraordenações, destacando-se:

·         70 relacionadas com a utilização de tacógrafos, incumprimento dos tempos de condução e repouso e fraudes ou manipulações;

·         24 referentes a carga e características técnicas dos veículos;

·         18 referentes a infrações relativas aos documentos do condutor, do veículo e do transportador;

·         Nove por excesso de velocidade;

·         Dois por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

No final de 2021, a GNR tornou-se membro da RoadPol, passando a integrar no seu planeamento operacional, as operações planeadas pela referida organização. No âmbito do planeamento anual efetuado pela RoadPol e pelo Euro Contrôle Route (ECR), a GNR realiza uma operação de fiscalização direcionada para veículos pesados com o objetivo de melhorar a segurança rodoviária, a sustentabilidade, a concorrência e as condições de trabalho em transporte rodoviário, através do cumprimento dos regulamentos existentes.

O Euro Contrôle Route (ECR) é um grupo Europeu de Inspeção de Transportes, que tem por objetivo melhorar a segurança rodoviária e a sustentabilidade, a concorrência leal e as condições de trabalho no transporte rodoviário. Por sua vez, a RoadPol é uma organização que foi estabelecida pelas polícias de trânsito da Europa, com a finalidade de melhorar a segurança rodoviária e o cumprimento das normas rodoviárias.

Ecocentro Municipal da Lousã já encaminhou mais de 210 toneladas de resíduos

O Ecocentro Municipal da Lousã recebeu e encaminhou, até ao momento, mais de 210 toneladas de resíduos diversos, como resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE), “monos/monstros”, madeiras, resíduos de construção e demolição, papel, cartão, ferro, têxteis entre outros.

Este equipamento, instalado na Zona Empresarial do Alto do Padrão, é um local onde os munícipes podem depositar gratuitamente os resíduos que, pelas características e/ou dimensões, não podem ser depositados nos contentores de lixo ou ecopontos disponíveis na via pública.

Durante o primeiro semestre de funcionamento, foram rececionados, triados e encaminhados 64 toneladas de monstros, sendo de destacar o complemento efetuado entre este equipamento e o serviço gratuito de recolha destes resíduos disponibilizado pela Autarquia.

De destacar que, especificamente neste tipo de resíduos e devido ao trabalho de triagem que o ecocentro possibilita, regista-se uma diminuição média de cerca de 70% de monstros depositados em aterro quando comparado com o ano de 2021.

Do Ecocentro foram, também, encaminhados para reciclagem 22 toneladas de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE). Esta fileira tem especial relevância pelo potencial médio de reciclagem de mais de 80%, os REEE representam uma fonte extraordinária de recursos, contendo não apenas plásticos e metais ferrosos, mas, também, outro tipo de metais.

Registou-se, ainda, o depósito e encaminhamento de 58 toneladas de madeira, que foram encaminhados para transformação em aglomerado, e foi possível o encaminhamento adequado de 52 toneladas de resíduos de construção e demolição.

Foram ainda encaminhados cerca de 20 toneladas de têxteis, plástico, metal, papel, cartão, óleos e monstros metálicos (vulgo sucatas).

A partir de dia 22 de novembro e durante o inverno, o Ecocentro Municipal da Lousã, funcionará de terça a sexta feira, das 09h30 às 12h30 e das 14h às 18h e aos sábados das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30.

CIM Região de Coimbra e CIM Viseu Dão Lafões exigem respostas para o IP3

Em reunião estiveram os presidentes das Câmaras Municipais de Coimbra, Mortágua, Penacova, Viseu, Santa Comba Dão e Tondela e das Comunidades Intermunicipais da Região de Coimbra e de Viseu Dão Lafões  em Penacova, com o objetivo de avaliar o projeto de requalificação/duplicação do IP3.

Ao longo da reunião, os autarcas mostraram a sua profunda preocupação pelos atrasos verificados na requalificação/duplicação do IP3 e consequentes impactos deste atraso na economia e na competitividade da Região e do País.

Foi, ainda, reforçada a urgência do início dos trabalhos do lote 1, respeitante ao troço entre o Norte de Santa Comba Dão e Viseu.

Não impactando com os processos em curso, nomeadamente do lote 1, os presidentes exigem que o Governo estude e implemente a solução integrada em perfil 2×2 ao longo de todo o percurso, nomeadamente entre Santa Comba Dão Norte e Coimbra, propondo-se que o Governo recorra à modalidade de conceção/construção que permita acelerar o calendário das obras.

Os autarcas solicitaram, ainda, uma reunião com o Governo, para que seja divulgado o cronograma de execução das obras do IP3.

Contributo das regiões para o crescimento do Turismo em Portugal

Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destacou , em Fátima, o importante papel das regiões na procura de soluções para os grandes desafios colocados à atividade turística. As declarações foram feitas na sessão de abertura do 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, um evento que decorre durante três dias no Centro Pastoral Paulo VI, promovido pela AHP – Associação da Hotelaria de Portugal e que tem o apoio da Turismo Centro de Portugal.

“As regiões desempenham um trabalho importantíssimo na estruturação de novos produtos turísticos, que aumentam a diversidade da ‘oferta Portugal’. Em 2006, lançámos 10 produtos estratégicos; hoje, Portugal posiciona-se internacionalmente com 22 produtos turísticos. Produtos como o enoturismo, o turismo religioso, o ecoturismo, a arte, o património e tantos outros fazem de Portugal não só o melhor destino europeu, como tem sido reconhecido, mas representam uma atratividade para a qual continuaremos a trabalhar”, sublinhou Pedro Machado. “Eventualmente, precisamos de reforçar o volume de investimento da nossa promoção, sobretudo internacional, e precisamos de reforçar também e cuidar do nosso mercado interno, absolutamente estruturante no caso da região Centro de Portugal”, acrescentou.

Outras respostas para os desafios atuais passam, segundo Pedro Machado, por “restaurar a confiança dos viajantes, em particular dos internacionais”, “apoiar a consolidação das empresas”, apostar “nas bases de um turismo cada vez mais sustentável” e adequar a atividade turística “ao inverno demográfico que está a acontecer no mundo e à agenda das alterações climáticas, fazendo com que o turismo nas regiões e no nosso país continue a ser cada vez mais atrativo e competitivo”. “São estes grandes desafios que este Congresso também tem pela frente. Importa que saiam daqui grandes conclusões, que reforcem a posição de Portugal na Europa e no Mundo”, concluiu Pedro Machado.

Também na sessão de abertura, o ministro da Economia, António Costa Silva, anunciou um programa no valor de 50 milhões de euros para ajudar as empresas do turismo a reabilitarem ativos imobiliários. “Este anúncio vai sair hoje e será bastante importante para as empresas”, disse.

António Costa Silva realçou ainda que o próximo ano será marcado pela “resiliência da economia portuguesa, em particular do turismo”. “Tenho esperança de que 2023 seja um ano ainda de resiliência da economia portuguesa, em particular do turismo. Com abrandamento, mas continuaremos a crescer. Apesar da guerra na Ucrânia, da subida das matérias-primas e da Europa enfrentar a pior crise energética da sua história, a previsão para a economia portuguesa é a de crescer 6,5% este ano”, afirmou.

A sessão de abertura do congresso contou ainda com intervenções de Bernardo Trindade, Presidente da AHP, Luís Miguel Albuquerque, Presidente da Câmara Municipal de Ourém, o padre Carlos Cabecinhas, Reitor do Santuário de Fátima, e Francisco Calheiros, Presidente da Confederação do Turismo de Portugal.

O Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo reúne, este ano, 44 oradores e moderadores, nacionais e internacionais, e centenas de participantes para partilhar e debater ideias, tendências, estratégias e experiências, com um programa feito por profissionais para profissionais do setor.

Entre os muitos painéis de discussão, merecem destaque os temas “Gerir em Tempos de Mudança”, “A Era da Incerteza”, “Investir em Tempos de Mudança”, “Recrutar e Reter Talento: Missão (Im)Possível?”, “New Money” e “Teremos Ainda Tempo Para A Sustentabilidade?”.

Dia Europeu da Proteção das Crianças contra a Exploração e o Abuso Sexual vai ser assinalado em Gouveia

Vai ser assinalado no dia 18 de novembro, o Dia Europeu da Proteção das Crianças contra a Exploração e o Abuso Sexual. O tema central da edição de 2022 é “Fazer bem: assegurar uma justiça amiga da criança através de estruturas Barnahus na Europa”.

Em 2015, na sequência da Campanha ONE in FIVE, o Conselho de Ministros do Conselho da Europa decidiu estabelecer o Dia Europeu para a Proteção de Crianças Contra a Exploração Sexual e o Abuso Sexual, assinalado anualmente a 18 de novembro, com o objetivo geral de prevenir a exploração e o abuso sexuais de crianças, através da ação em três frentes principais: a responsabilização criminal e penal dos perpetradores; a proteção das vítimas; e a sensibilização dos pro – fissionais e do público em geral para a necessidade de discutir abertamente a proteção das crianças contra estes crimes, a par de formas práticas de trabalhar que concorram simultaneamente para prevenir e eliminar a estigmatização das vítimas, bem como a eliminação da prática dos crimes em questão

Um outro objetivo da celebração deste Dia Europeu é a promoção da ratificação e implementação da Convenção de Lanzarote, um instrumento legal que vincula os Estados Parte à obrigação de criminalizar todas as formas de abuso sexual de crianças, explicitando formas de o combater.

A Comissão Nacional de Promoção de Direitos e Proteção das Crianças e Jovens de Gouveia e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Gouveia voltam a associar-se a esta iniciativa, no sentido de contribuir para uma maior sensibilização e consciencialização coletiva, para que cada um de nós possa ser um agente de prevenção e proteção das crianças e jovens, contra este grave tipo de crime.

 

“Um mar de oportunidades” assinala Dia Nacional do Mar

No âmbito da comemoração do Dia Nacional do Mar, o Laboratório MAREFOZ, da Unidade Regional do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) irá realizar amanhã, dia 16 de novembro, na Figueira da Foz, “Um Mar de Oportunidades”.

Dia do MAR

Este evento, organizado em parceria com a Câmara Municipal da Figueira da Foz e
a Junta de Freguesia de Buarcos e São Julião, pretende mostrar que a Figueira
entre o rio e o mar, dispondo de um porto comercial e um porto de pesca, deve olhar
para o mar como uma oportunidade para o seu crescimento e desenvolvimento
futuro, apostando na sustentabilidade, inovação e valorização dos seus recursos.
Com este “Mar de Oportunidades” as entidades organizadoras acreditam que se
deve estar de olhos postos no futuro, perceber as novas oportunidades de mercado
ou como valorizar as antigas, bem como inovar de forma sustentável e criar novos
mercados ligados ao mar.
As comemorações têm início às 10h e decorrem pelo dia fora. A Praia de Buarcos –
Frente Muralhas é o local onde se inicia o evento com a 1.ª Campanha de
amostragem internacional de identificação de organismos que viajam pelo oceano
em objetos flutuantes.
O programa inclui ainda um colóquio no Centro de Artes e Espetáculos (CAE) da
cidade, onde serão debatidos temas como “Turismo Sustentável – Inovação;
Novas Oportunidades”, “Pesca Artesanal e do cerco – Que futuro? Como valorizar?”,

“Inovação e valorização dos produtos do mar” e por fim, “Transporte Marítimo –
segurança; inovação”.

Destaque ainda para “Do mar…”, uma exposição, tão improvável quando
necessária, que reúne o passado, o presente e o futuro do mar.

Associação transfronteiriça defende certificação do Caminho da Geira

Uma assembleia de peregrinos portugueses e galegos reunida em Caldelas, no Concelho de Amares, acaba de nomear um grupo de trabalho com o objetivo de constituir a Associação Transfronteiriça do Caminho da Geira e dos Arrieiros (ATCGA).
O grupo de trabalho, constituído pelo presidente União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Manuel Almeida, e pelos peregrinos António Devesa, Luís Miguel Sampaio e Vítor Cunha, tem como missão contactar os municípios portugueses por onde passa este itinerário jacobeu, “com a intenção de perceber o seu interesse e motivá-los a envolverem-se no projeto”.
“Em face dos resultados obtidos, que esperamos possam corresponder às nossas melhores expetativas, será criada a comissão instaladora da ATCGA”, explica o moderador da assembleia de peregrinos, Carlos Ferreira, adiantando que a associação “poderá integrar pessoas coletivas ou individuais, como peregrinos, municípios ou coletividades, sejam portugueses ou galegos”.
“A ATCGA terá como objetivos representar e defender os interesses dos peregrinos e do Caminho, mas sem descorar os relacionados com a cultura, património, economia, ambiente, tradições e outros valores das povoações por onde passa”, refere Carlos Ferreira.
Para melhor responder a estes desafios, as pessoas envolvidas na iniciativa “entendem que é muito importante a certificação deste itinerário pelas autoridades governamentais portuguesas e galegas, das áreas da Cultura e do Turismo, à semelhança do que já fez o Arcebispado de Santiago, e vão empenhar-se nesse sentido”, destaca o moderador da assembleia de peregrinos.
No entanto, o trabalho da ATCGA não está “exclusivamente dependente da homologação pelas autoridades civis e deverá manter-se para além disso, embora se reconheça que é um dos aspetos fundamentais”.
Além dos membros do grupo de trabalho e, naturalmente, do moderador, participaram na assembleia, que decorreu no sábado, dia 12, no Auditório da Vila de Caldelas, o vereador do Município de Amares com o pelouro do Turismo, Delfim Rodrigues, e os peregrinos Abdón Fernández (Plataforma Berán no Caminho/ACJMR), Carlos de Barreira (Associação Codeseda Viva), Manuel Rocha (Confrade Maior da Archicofadía Universal del Apostol Santiago), Leonel Pereira e Paulo Silva.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros começa na Sé de Braga e passa pelos municípios de Amares, Terras do Bouro, Castro Laboreiro e Melgaço, entrando em território galego pela Portela Homem. Nos últimos cinco anos foi percorrido por mais de três mil peregrinos, um terço dos quais no corrente ano; sobretudo de Portugal e Espanha, mas também de Itália, Inglaterra, Alemanha, Croácia, Ucrânia, Rússia, Polónia, Brasil, EUA, Austrália ou Países Baixos.

Este itinerário foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga, reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido pela associação de municípios transfronteiriços Eixo Atlântico em 2020 e é um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu 2021/22.

O percurso tem 240 quilómetros e destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana, a via do género mais bem conservada do mundo, e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés.

Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de Compostela.