Templates by BIGtheme NET
Início » Coimbra

Coimbra

Vai avançar a 3ªfase de desconfinamento

Em conferência , o Primeiro Ministro António Costa  referiu que “Estamos agora em condições de avançar para a terceira fase de desconfinamento”, estamos muito perto do ponto em que estávamos em março do ano passado”, ao nível da incidência e R(t). De acordo com o líder do executivo, temos hoje uma taxa de incidência de 140 infeções por 100 mil habitantes e um Rt de 0,81″.

Assim as medidas vão ser mais moderadas a partir de 1 de outubro, aliás, Portugal  passa a estar em Situação de Alerta;
-Abertura de bares e discotecas para pessoas com certificado digital ou teste negativo;
-Fim dos limites de horários;
-Restaurantes sem limite máximo de pessoas por grupo;
-Fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local;
-Fim do limite de lotação no comércio, casamentos e batizados e espetáculos culturais;
-Certificado digital ou teste negativo necessário para viagens marítimas e aéreas, em visitas a lares e estabelecimentos de saúde. O mesmo é verificado para acesso a grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos;
-Máscara continua a ser obrigatória em transportes públicos, lares, hospitais, salas de espetáculo e eventos, grandes superfícies e locais interiores de permanência prolongada;
-Máscaras deixam de ser obrigatórias nos recreios das escolas. A DGS irá também atualizar as normas sobre confinamento nos próximos dias;
-A máscara também deixa de ser obrigatória no comércio local;
-Eliminação da testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores;
-Fim da limitação à venda e consumo de álcool;
-Fim da necessidade de certificado ou teste nas aulas de grupo em ginásios.

Fonte:GP

Ciclo Webinares LadoaLado.Com a Comunidade

A Secção Regional do Centro (SRCentro) da Ordem dos Enfermeiros (OE) vai organizar um Ciclo de Webinares LadoaLado.Com a Comunidade, cuja primeira sessão decorre já no dia 25 de setembro, com o tema “Cuidado com a coluna”.

Cuidado com a coluna é a primeira sessão do Ciclo de Webinares LadoaLado.Com a Comunidade, iniciativa desenvolvida pela SRCentro para dar a conhecer os diversos projetos desenvolvidos pelas equipas de Enfermagem junto dos seus utentes/comunidades dentro da sua área de abrangência.

Este webinar, que se inicia às 18h no dia 25 de Setembro, irá apresentar o projeto Cuidado com a coluna, desenvolvido no âmbito do Programa de Promoção da Saúde Infantil e Prevenção da Doença e no Programa de Saúde Escolar, em conjunto com a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e Agrupamentos Escolas Coimbra Oeste.

A sessão online tem como objetivos promover a reflexão sobre os resultados do estudo; dinamizar o debate sobre esta temática entre e na comunidade, incluindo jovens, agentes parentais, professores, enfermeiros, entre outros e sensibilizar para os cuidados de prevenção e o impacto das limitações decorrentes das posturas
incorretas na posição sentada e transporte de peso excessivo na mochila.

Ana Paula Morais, Enfermeira Especialista em Enfermagem de Reabilitação e Presidente da Mesa da Assembleia Regional; e os médicos Inês Ferro e Filipe Carvalho, do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro, Rovisco Pais irão explicar esta atividade.

A moderação do painel estará a cargo de Carla Santos, Vogal do Conselho Diretivo Regional da SRCentro.

A atividade está aberta a enfermeiros e estudantes de enfermagem com interesse pelo assunto, atribuindo 0,35 Créditos de Desenvolvimento Profissional. A inscrição gratuita, mas obrigatória no Balcão Único .

Além disso, encarregados de educação e professores também se poderão inscrever através deste link:
https://forms.gle/vcD7VHJddxadQVsb9

Até ao final do ano serão promovidos mais eventos online dentro deste ciclo de webinares.

Novos dados sobre pegadas de dinossauros carnívoros do Jurássico no Cabo Mondego

Um estudo que acaba de ser publicado na revista científica Palaeoworld reporta a descoberta de novas pegadas de dinossauros carnívoros do Jurássico no Cabo Mondego e revela ambientes e modos de vida destes animais.

Nesta investigação, que envolveu cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil, da Universidade de Coimbra (UC) e do Instituto Politécnico de Tomar (IPT), foram encontradas dezenas de pegadas.

Há mais de um século, na Figueira da Foz, «foram descobertas as primeiras pegadas de dinossauros em Portugal. Assim, o nosso país entrou na rota dos estudiosos dos dinossauros. Através de novos estudos pormenorizados das rochas sedimentares com cerca de 156 milhões de anos, que ocorrem no Cabo Mondego, descobriu-se um registo que amplia o conhecimento acerca destes répteis do Mesozoico», explicam os autores do artigo científico, Ismar de Sousa Carvalho (UFRJ), Pedro Proença Cunha (UC) e Silvério Figueiredo (IPT).

O estudo agora publicado na revista Palaeoworld, prosseguem, apresenta a «caracterização dos aspetos morfológicos das pegadas e a sua relação com as superfícies arenosas por onde caminhavam. Os resultados obtidos evidenciam condições de humidade variadas associadas à génese das pegadas e uma grande diversidade de dinossauros».

Além disto, salientam os cientistas, «reconheceu-se que no decorrer do intervalo de 160 a 156 milhões de anos atrás existiu uma modificação nos grupos de dinossauros produtores de pegadas: predomínio inicial por herbívoros e carnívoros de grande porte e, ulteriormente, predomínio dos carnívoros de menor tamanho».

Com estas descobertas ampliou-se o número de camadas com pegadas de dinossauro caracterizadas no Monumento Natural do Cabo Mondego, transformando-o «num dos mais importantes marcos do registo fóssil ibérico, valorizando ainda mais o Geoparque do Atlântico», concluem.

O artigo científico, intitulado “Dinoturbation in Upper Jurassic siliciclastic levels at Cabo Mondego (Lusitanian Basin, Portugal): evidences in a fluvial-dominated deltaic succession”, está disponível em: https://doi.org/10.1016/j.palwor.2021.09.001.

Cristina Pinto – Assessoria de Imprensa – Universidade de Coimbra – Comunicação de Ciênciano âmbito do programa “Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa”, promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa.

Off Road Bridgestone / First Stop no Centro de Portugal

Decorre no fim-de-semana de 15 a 17 de outubro, um passeio todo terreno aberto a viaturas 4×4 de todas as marcas, centralizado no Duecitânia Design Hotel em Penela e que percorre ainda os concelhos da Lousã,
Soure e Montemor-o-Velho, com o Clube Escape Livre a organizar.
A Vila de Penela com o seu imponente Castelo e um Hotel de inspiração romana acolhe os participantes para a edição de 2021 do Off Road Bridgestone / First Stop.
Após o jantar de boas-vindas, na sexta-feira dia 15, uma pequena etapa noturna leva os participantes para uma visita ao interior do Castelo de Penela.
A etapa de sábado de manhã percorre caminhos e trilhos, alguns de maior dificuldade, ao longo dos concelhos de Penela e Lousã, com paragem em São João do Deserto e na praia fluvial da Louçainha.
Após o almoço no Louzan Terrace é altura de subir ao Trevim no alto da serra da Lousã, conhecer os neveiros de Santo Antonio e desfrutar do baloiço instalado com magnífica vista.
No regresso a Penela, passagem na loja do Senhor Falcão e no alto do Calvário em Miranda do Corvo.
As misteriosas Buracas do Casmilo podem ser observadas e visitadas na etapa de domingo que tem também paragem com visita guiada no Museu do Rabaçal e nos castelos de Soure e Montemor-o-Velho, antecedendo o almoço de entrega de lembranças na Quinta do Mourão em Tentúgal.
O Presidente do Clube Escape Livre, Luís Celinio, salienta que “embora ainda com regras a cumprir, estamos convictos que este será já um passeio onde podemos apreciar o convívio e a descoberta de paisagens, monumentos e museus da região centro”.
As inscrições têm o valor de 595€ e podem ser feitas em www.escapelivre.com

IPO de Coimbra – Auto de Consignação Empreitada de Requalificação do Edifício da Cirurgia e Imagiologia

  • O IPO de Coimbra procedeu à assinatura do auto de consignação da Empreitada de O IPO de Coimbra procedeu, hoje, à assinatura do auto de consignação da Empreitada de Requalificação do Edifício da Cirurgia e Imagiologia.
  • A empreitada foi adjudicada à empresa Embeiral – Engenharia e Construção S.A, com um valor de adjudicação de 22.699.530,83 € (acrescido de IVA à taxa legal em vigor), após concurso público e será iniciada no presente mês de setembro;
  • A fiscalização da obra ficará a cargo da empresa VHM (Vítor Hugo – Coordenação e Gestão de Projetos);
  • É uma obra que marcará de forma inexorável o IPO de Coimbra, a Cidade e a Região, uma vez que contribuirá para uma melhoria significativa no cuidar do doente oncológico;
  • Esta obra implicará alterações no campus hospitalar e área envolvente, necessárias à sua execução, garantindo a atividade do IPO de Coimbra e a segurança de doentes e profissionais.

Lâmpadas vão ter nova etiqueta energética

Com a evolução dos tempos, a poupança energética é uma das prioridades da sociedade, face a isso, as lâmpadas vão passar a ter um anova etiqueta energética, idêntica à inserida no eletrodomésticos.

Passam a ser classificadas numa escala de A a G, abandonando as classes  “+” e ainda o código QR, para melhor esclarecimento do consumidor.

Prolongamento da Declaração da Situação de Alerta contra incêndios

Face à previsão de continuação das condições meteorológicas que se traduzem num significativo risco de incêndio rural, os Ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Ambiente e da Ação Climática e da Agricultura determinaram esta quarta-feira o prolongamento da Declaração da Situação de Alerta em 14 distritos do Continente.

Esta Declaração da Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 e as 23h59 do dia 19 de agosto, prolongando a Declaração da Situação de Alerta que fora determinada para o período entre as 00h00 de 17 de agosto e as 23h59 de hoje, 18 de agosto.

Os distritos abrangidos são: Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil e que decorre da necessidade de adotar medidas preventivas e especiais de reação face ao risco de incêndio previsto pelo IPMA em muitos concelhos do continente nos próximos dias, serão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

1) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

4) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC.

A proibição não abrange:

1) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

A Declaração da Situação de Alerta implica, entre outros aspetos:

A) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso;

B) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através da respetiva tutela;

C) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais;

D) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela;

E) A realização pela GNR de ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização aérea através de meios das Forças Armadas, nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, para o DECIR, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo;

F) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P., nas forças de segurança e na ANEPC.

A par da emissão de avisos à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural, as Forças Armadas – através do Ministério da Defesa Nacional – devem disponibilizar os meios aéreos para, em caso de necessidade, estarem operacionais nos locais a determinar pela ANEPC.

“Três Regiões, Dois Países, Um Destino Turístico”, aposta turística

Recentemente, o Turismo Centro de Portugal participou em duas reuniões de trabalho com entidades espanholas, ambas com o objetivo de avançar com projetos em comum a nível da promoção turística.

A primeira reunião aconteceu  em Zamora, e sentou à mesa, além do Turismo Centro de Portugal, o Turismo do Porto e Norte de Portugal e o Turismo da Junta de Castela e Leão. O encontro teve o objetivo de avançar com as ações previstas entre os três territórios, inseridas no projeto transfronteiriço “Três Regiões, Dois Países, Um Destino Turístico”.

Este foi o segundo encontro no âmbito do projeto, depois de uma sessão inaugural, no Porto. A próxima sessão acontecerá no Centro de Portugal.

A reunião contou com a participação de Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal, Luís Pedro Martins, Presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, Estrella Torrecilla, Diretora Geral de Turismo da Junta de Castela e Leão, e Maria de Lurdes Vale, Diretora da Oficina de Turismo de Portugal em Espanha.

Os temas em cima da mesa tiveram como pano de fundo uma estratégia comum que aproxime as três regiões turísticas. Ficou determinado, por exemplo, que vão ser dados passos concretos para a promoção conjunta, nomeadamente através de mapas territoriais que congreguem os três territórios e mostrem os principais conteúdos turísticos, como os vinhos, as catedrais, os lugares Património da Humanidade, os espaços naturais protegidos, as rotas pedestres e de cicloturismo, entre outros.

Ficou igualmente decidido o registo da marca e da imagem “Três Regiões, Dois Países, Um Destino Turístico”, assim como a construção de um microsite com informação e as ações do projeto, a ser inserido nos sites das três entidades.

Propostas para um receituário da Raia fronteiriça, ações conjuntas no âmbito do turismo desportivo e a criação de um cluster enoturístico foram outros assuntos abordados na reunião.

Rotas Napoleónicas por Espanha e Portugal juntou entidades em Astorga

Noutra iniciativa transfronteiriça, o Turismo Centro de Portugal participou no quinto Comité de Direção do projeto Interreg NAPOCTEP – Rotas Napoleónicas por Espanha e Portugal. O encontro, que durou dois dias, decorreu na cidade espanhola de Astorga.

As Rotas Napoleónicas são um produto turístico que leva os visitantes a percorrer os percursos realizados pelos soldados de Napoleão durante as Invasões Francesas. O projeto NAPOCTEP junta as regiões do Centro de Portugal e de Castela e Leão e é liderado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra. O objetivo é transformar o património da época das invasões francesas – assente nas Rotas Napoleónicas – num produto turístico de qualidade e sustentável, capaz de criar riqueza e emprego em zonas espanholas e do Centro de Portugal.

Na reunião foram apresentadas as diversas Rotas Napoleónicas já identificadas nas duas regiões, assim como o plano de marketing associado a este produto. Foram igualmente assinados os acordos de colaboração com agentes públicos e privados espanhóis, de forma a garantir oferta turística qualificada para os interessados em percorrer as Rotas.

Os vários parceiros deste projeto estão a desenvolver, com a Federação Europeia das Cidades Napoleónicas, um programa de animação comemorativo do centenário da morte de Napoleão Bonaparte, que decorre ao longo do ano de 2021.

Termas Centro concluem instalação da rede de geocaching na região

O consórcio Termas Centro concluiu a instalação de 50 geocaches no território das estâncias termais que compõem a rede. Um total de 50 geocaches foram “escondidas” em toda a região por uma equipa do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Coimbra, coordenada pelo Doutor Paulo Carvalho, Diretor do Mestrado em Turismo, Território e Patrimónios.

geocaching é uma atividade recreativa ao ar livre, feita em família ou individualmente, que atrai cada vez mais entusiastas. O objetivo é encontrar objetos georreferenciados (geocaches), escondidos em locais públicos, numa estimulante “caça ao tesouro”.

Para localizarem os “tesouros” escondidos nas estâncias termais da região, os participantes devem aceder ao perfil TermasCentro, no site www.geocaching.com, onde podem verificar as coordenadas das geocaches disponíveis, assim como pistas para as encontrarem. Depois, só precisam de utilizar um dispositivo com GPS, como um simples telemóvel. No final, podem registar e partilhar as suas experiências com a comunidade geocacher e nas redes sociais.

A equipa responsável pela iniciativa – com o Doutor Paulo Carvalho (Professor Associado do Departamento de Geografia e Turismo da Universidade de Coimbra; Investigador do CEGOT/Universidades de Coimbra e Porto) e o Mestre Luiz Alves (Doutorando em Turismo, Património e Território da Universidade de Coimbra;  Investigador do CEGOT/Universidades de Coimbra e Porto) – começou por fazer o levantamento da oferta de geocaching nos territórios termais, seguindo-se o trabalho de campo de reconhecimento e georreferenciação dos pontos de interesse para a localização das geocaches. O passo seguinte foi a elaboração de conteúdos para cada uma delas e a criação dos suportes digitais nas páginas da plataforma geocaching.com, nomeadamente textos, fotografias e grafismos, em português e inglês. Finalmente, as geocaches foram instaladas no território.

Com esta rede de geocaching Termas Centro, queremos atrair um novo segmento de visitantes às estâncias termais da região Centro. Normalmente, as termas estão inseridas em territórios magníficos, que merecem visitas prolongadas e que reúnem as características ideais para atividades como o geocaching ou as caminhadas. Desta forma, as termas cumprem a sua função natural de promover a saúde e bem-estar, ao mesmo tempo que dão a conhecer o património natural e cultural envolvente”, destaca Adriano Barreto Ramos, coordenador da rede Termas Centro.

Ciclo “Viva Termas Centro” conjuga descobertas com experiências

A criação da rede de geocaching está inserida no ciclo de animação em rede “Viva Termas Centro”, promovido pela rede Termas Centro nas suas 20 estâncias termais.

O ciclo desenvolve-se a partir de três eixos, que levam os participantes a descobrir a rede cultural que envolve as Termas, a explorar o seu território e património e a desfrutar de novas experiências. A iniciativa de geocaching está integrada no eixo “Explore – O Nosso Território e Património”, que assume dois propósitos: a sensibilização para o conhecimento dos recursos aquíferos e espaços termais que compõem a rede e dos recursos naturais e paisagísticos da sua envolvente. Pretende‐se que os turistas que procuram a região descubram as termas e que, em paralelo, os aquistas que vão às termas descubram a região.

IPO de Coimbra recebeu a Medalha da Cidade – Grau Ouro

Recentemente, o Instituto Português de Oncologia de Coimbra Francisco Gentil, E.P.E. foi agraciado com a distinção honorífica do Município de Coimbra, recebendo a Medalha da Cidade – Grau Ouro.

A atribuição desta medalha, é para a Instituição, um motivo de enorme orgulho dado que é, antes de mais, o reconhecimento do esforço feito pelos seus profissionais e da sua capacidade de adaptação e entrega.

Esta distinção é, ainda, particularmente gratificante, após um ano fortemente marcado pela pandemia, um ano de resiliência para todos, em que o IPO teve de se transformar rapidamente, procurando assegurar uma boa gestão da capacidade assistencial e simultaneamente tendo de reforçar a sua missão como Instituto de referência da doença oncológica na Região Centro, nomeadamente na resposta conferida a outros hospitais.

Perseguindo a melhoria contínua dos cuidados prestados, o IPO de Coimbra tem procurado afirmar-se como uma Instituição de referência nos cuidados de saúde ao doente oncológico, prestando cuidados de qualidade, acessíveis e em tempo oportuno, sendo a humanização uma premissa fundamental que norteia toda a sua atividade.

Nesta foto temos da esquerda para a direita: Enfermeiro Diretor, João Moreira, Diretora Clinica, Ana Pais, Presidente da CMC, Manuel Machado, Presidente do Conselho de Administração (CA) do IPO de Coimbra, Margarida Ornelas, Vereadora da CMC Regina Bento e Vogal Executivo do CA do IPO de Coimbra, Luís Filipe.

Os resultados alcançados só têm sido possíveis graças à enorme dedicação dos seus profissionais.

O IPO Coimbra tem em curso um exigente plano de investimentos, com mais de 37 milhões de euros de investimento recentemente adjudicado, dos quais se destacam a construção, ocorrida em 2020, do novo Bloco Operatório Periférico; a instalação de 2 novos aceleradores lineares; a concretização do Programa de Eficiência Energética e o início para breve da Empreitada de Requalificação do Edifício de Cirurgia/Imagiologia.

São investimentos que reforçam o IPO de Coimbra na sua capacidade de atuar no Concelho, no Distrito e na Região Centro.

A entrega desta distinção decorreu no âmbito da sessão solene do Dia da Cidade de Coimbra,  que se assinalou em honra da sua padroeira, Isabel de Aragão, a Rainha Santa. A atribuição desta medalha representa um assinalável marco nestes já longos anos de história do IPO de Coimbra.