Templates by BIGtheme NET
Início » Covid-19

Covid-19

Covid-19- Centro de Vacinação em Nelas passa para o Cine Teatro municipal

O Centro de Vacinação contra a doença Covid-19 mudar-se-á para o Cineteatro Municipal de Nelas a partir da próxima quinta-feira, dia 8 de abril, saindo do Pavilhão Desportivo Municipal de Nelas, onde se tem mantido desde meados de fevereiro, por razões decorrentes quer do início das atividades escolares, quer da abertura progressiva à atividade desportiva que vai verificar-se em breve.

O novo espaço foi devidamente adaptado ao processo de vacinação que vai decorrer nos próximos meses, tendo sido visitado pelo Diretor Executivo do ACES Dão Lafões, Cabrita Grade, e pelo Presidente da Câmara, José Borges da Silva, confirmando que o mesmo reúne as melhores condições para esse efeito, quer em termos de acessibilidade e mobilidade, quer em termos energéticos, bem como pode propiciar ótimas condições aos munícipes e aos profissionais que ali vão passar a desenvolver a sua atividade.

Até ao momento foram já ministradas no Concelho de Nelas mais de 2300 vacinas, sendo mais de 500 já segundas doses, encontrando-se, pois, cerca de 18% da população vacinada ou já em processo de vacinação.

A Câmara Municipal, que continua a prestar todo o apoio logístico e de recursos humanos à operação de vacinação, continuará a disponibilizar transporte a todos os munícipes que, por qualquer razão, tenham dificuldade em se deslocar para efeito de serem vacinados, continuando a aconselhar que, por razões sanitárias, os munícipes devem, tanto quanto possível, deslocar-se em meios próprios, evitando ajuntamentos ou até a partilha de transporte com outras famílias.

Em matéria Covid-19, continua em funcionamento a Zona de Concentração de Apoio à População, instalada com cerca de 50 camas e os respetivos serviços associados na sede da Associação de Santo António/Bairro da Igreja, em Nelas, instalações que foram também disponibilizadas pela Direção daquela Associação para eventual Centro de Vacinação, situação que não veio a ocorrer por determinação das Autoridades de Saúde Pública em função das condições existentes no Cineteatro Municipal, ficando, no entanto, um agradecimento por tal disponibilização à Direção daquela Associação, agradecimento que se renova por haverem já permitido instalar um equipamento de apoio ao combate da calamidade que vimos vivendo.

“Ajudar a economia familiar”-Manuel Fonseca – Presidente da  Câmara Municipal de Fornos de Algodres

Em conversa com o Presidente do Município de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, sobre a atualidade, com destaque para o Queijo Serra da Estrela que é rei nesta época do ano.

“Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.”

[Magazine Serrano – MS] Neste tempo de pandemia, os eventos físicos/locais estão cancelados, mas a nova edição da Feira do Queijo Serra da Estrela aconteceu online em março?
[Presidente Manuel Fonseca- MF]  Gostaria de começar esta entrevista por agradecer o convite e, dar os parabéns pelo trabalho que estão a desenvolver no nosso Concelho, à semelhança da restante comunicação social local.
Sim é verdade. Infelizmente vamos ter mais um ano sem a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela. Vai faltar o calor humano, os grupos musicais, as tradições locais, a prova de Queijos, os abraços, os cheiros, as ovelhas, os cães Serra da Estrela … enfim, um conjunto de sensações que, por mais que os Municípios se reinventem, nada irá substituir a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela.
No entanto e à semelhança do que aconteceu no ano transato, realizamos a nossa Feira do Queijo Serra da Estrela no formato online, com maior ênfase no mês de março.
Estando já familiarizados com o modelo existente, quer os produtores, quer os nossos técnicos, tenho plena consciência que iremos, desta forma, ajudar os nossos produtores a escoar o produto. Recordo que a existência destes novos mecanismos de venda, devem ter um só objetivo: ajudar a economia familiar.

MS-Tempos complicados, mas ainda existem muitos pastores a resistir em Fornos de Algodres. Como tem acompanhado esta atividade no nosso concelho?
MF-Tenho acompanhado de muito perto a atividade e, obviamente, os nossos pastores.
Por exemplo, a plataforma “O Bom Sabor da Serra”, felizmente, deu um novo ânimo aos nossos pastores e à sua economia. Esta minha afirmação está assente em dois princípios relevantes: por um lado, pelas conversas que tenho tido com os nossos produtores e, por outro lado, com o aumento do número de produtores, desde 2018 até à presente data. Crescemos 250% em produtores certificados!
Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.
Gostaria de destacar o papel fundamental e importante que a ESTRELACOOP tem neste setor. São eles e os nossos técnicos da Câmara Municipal que orientam, ajudam e estruturam os nossos produtores.

MS- Com a pandemia, muitas foram as medidas para apoiar a economia local, estão em prática neste momento as da 2ª fase. Que resenha faz da situação atual neste concelho?
MF- Considerando a situação pandémica vivida no nosso Concelho em virtude do Covid-19 e aos seus impactos negativos na economia local, o Executivo Municipal de Fornos de Algodres aprovou, por unanimidade, em reunião de câmara ordinária de 12/02/2021 o ”Programa “Fornos – Por Todos Nós [2.ª Fase]”.
Este programa estruturado em 28 medidas de apoio, já em execução, e com um pacote financeiro estimado de 360 mil euros, tem por base o apoio às entidades do Concelho, às Juntas de Freguesia, à proteção dos rendimentos das famílias, à educação e ao setor da Solidariedade.
Agora é importante que todas as empresas submetam a candidatura. Simplificámos os procedimentos para uma celeridade de transferências de verbas. Se existirem dúvidas, liguem para a Câmara Municipal que os nossos técnicos iram ajudar de imediato.

MS- A nível ambiental, Fornos de Algodres tem conquistado imensos feitos a nível da água, reciclagem, fruto de um bom trabalho da autarquia, que novidades podemos ter no futuro?
MF- Portugal tem um grande objetivo que será atingir a neutralidade carbónica em 2050. Logo, para o nosso País atingir essa meta, é necessário que cada Município, independentemente da sua dimensão, trabalhe as políticas ambientais. Nós, aqui em Fornos de Algodres, temos tido um trabalho muito focado em diferentes temáticas do setor ambiental, como é reconhecido em diferentes fóruns.
Os resultados já publicados, evidenciam o caminho que estamos a trilhar. Por exemplo: no setor da água em 2020, face a 2017, conseguimos reduzir as perdas de água em 9,6%. Isto equivale a uma elevada poupança financeira para o Município. Aliás, considerando a gestão em baixa, o Município de Fornos de Algodres destacou-se de todos os Municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE), como o Município com perdas mais baixas. Este indicador da entidade reguladora do setor, na minha opinião, é um dos indicadores que revelam bem o caminho que estamos a trilhar.
Relativamente ao futuro, para além das temáticas que mencionou na sua questão, iremos focar-nos na temática dos biorresíduos – em articulação com o setor escolar – e na mobilidade sustentável.

MS-Este ano de 2021, vai ser ano de Eleições, mas também com novos projetos podem surgir e conclusão de outros já lançados?
MF-Relativamente às eleições teremos oportunidade, certamente, para abordar esse tema com maior detalhe.
No que diz respeito a obras para Fornos de Algodres queremos concluir a empreitada de “Requalificação da Escola de Figueiró da Granja”, uma aposta forte no setor na Educação e conforto para as nossas crianças, queremos ainda melhorar as condições do nosso Mercado Municipal, com “a requalificação do Mercado Municipal de Fornos de Algodres”, que se encontra em análise pelo Tribunal de Contas e, requalificar a Rua Dr. Fernando Menano que terá ligação ao Centro Escolar de Fornos de Algodres.
No setor económico queremos iniciar a construção da área de acolhimento empresarial de Juncais, uma obra extremamente estruturante para o nosso Concelho.
Como é habitual, iremos apoiar os Presidentes de Junta em necessidades levantadas por eles. Felizmente, existe uma grande articulação do executivo com os Presidentes de Junta, o que, é um sinal de união pelo bem-estar das nossas populações.

MS- Que mensagem deixa nesta fase do ano a todos os fornenses e comunidade em geral?
MF- Quero transmitir uma palavra amiga e cheia de solidariedade a todos os Fornenses, nesta fase menos positiva. Eu e a minha equipa estaremos sempre ao vosso lado pois, só unidos, faremos a verdadeira diferença.

Vacinação a professores e funcionários dos estabelecimentos de ensino de Fornos de Algodres

Teve lugar neste fim de semana, em Fornos de Algodres e um pouco por todo o País, a vacinação para o combate ao Covid-19, neste caso, aos professores e funcionários de estabelecimentos de ensino do pré-escolar e primeiro ciclo em Fornos de Algodres. Tudo decorreu na normalidade esta primeira toma das vacinas.

Foto: ULSG

Voluntários distribuíram kits de proteção em Nelas

Missão cumprida, foi  o sentimento sentido pelos mais de 100 voluntários que procederam em todo o Concelho à distribuição dos Kits de máscaras cedidas pela “Borgstena” com um frasco de álcool gel adquirido pela Câmara Municipal num saco oferta da “Plastidão”.

Um enorme bem-haja aos mais de 80 colaboradores da Câmara que nos dois dias ajudaram em mais esta nobre missão. Gratidão também para os membros e colaboradores das Juntas de Freguesia que deram amplo apoio.

 

Segunda fase de vacinação com novidades

A segunda fase, de vacinação vai apresentar algumas novidades como: a criação de postos de vacinação rápida ou massiva, o lançamento de uma nova página de Internet.

Por sua vez, as farmácias ficam reservadas para quando se detetarem limitações no sistema de administração de vacinas perante a maior disponibilidade esperada no segundo trimestre. “O processo de organização está bastante trabalhado e evoluído. Estou convencido de que nós, rapidamente, conseguimos pôr esses postos de vacinação rápida a trabalhar. Tem é de haver vacinas para os colocar a trabalhar. Não faz sentido abrir um posto que pode administrar 500 ou 600 vacinas num dia e depois ter 50 vacinas para administrar“, assim avançou Gouveia e Melo

AF Viseu- Interrupção de atividades até dia 1 de abril

Em comunicado, a Direção da AF Viseu informa que, dando prossecução às decisões e orientações resultantes do Decreto n.º 4-/2021, deliberou prorrogar a interrupção até dia 1 de abril de 2021, de todas as provas organizadas sob a jurisdição da AF Viseu.

Mais informa todos os clubes, que enquanto estiver em vigor o Decreto mencionado anteriormente, não são permitidas as atividades de treino e de competição a não ser aos clubes e atletas que se encontrem a disputar provas que sejam equiparadas a atividades profissionais de acordo com o mencionado no artigo 41º do decreto.

A Direção da AF Viseu refere que :continuará a monitorizar a situação, podendo rever as disposições presentes neste comunicado oficial, sempre em estrito respeito pelos decretos emanados pelo Governo Nacional e pelas orientações das autoridades de saúde competentes para esse efeito.

Programa Extraordinário de Apoio à Economia Local em Pinhel um apoio de 80 mil euros

O Programa Extraordinário de Apoio à Economia Local em Pinhel, contempla um apoio financeiro às empresas com sede no concelho de Pinhel que tiveram de encerrar devido à situação de confinamento.
Trata-se de um apoio no valor de 500 euros por empresa, para “reforço da tesouraria das empresas”, não acumulável com outros apoios para o mesmo efeito.
A dotação global do projeto está para já fixada em 80.000€, podendo ser reforçada caso o número de candidaturas assim o justifique.
O Programa de apoio terá a duração de quatro meses, com início a partir da publicação do regulamento no Diário da República, a 12 de março de 2021.
A partir desta data, as empresas do concelho poderão apresentar os seus pedidos de apoio mediante submissão de candidatura, em formulário próprio, disponível na página de Internet do Município de Pinhel, anexando toda a informação e documentação exigida para validar as condições de elegibilidade do apoio.

A informação está disponível em https://www.cm-pinhel.pt/programa-extraordinario-de-apoio-a-economia-local-peael/

Celorico da Beira apoia o comércio local com mais de 50 mil euros

No sentido de combater os efeitos negativos causados pela pandemia, e responder no imediato às dificuldades que o pequeno comércio local está a atravessar resultantes das sucessivas declarações de Estado de Emergência e consequentes confinamentos (agravados em meados de janeiro deste ano), a Câmara Municipal de Celorico da Beira entende que é importante avançar com a execução de um Fundo Municipal de Apoio à Economia Local e para o efeito está a estruturar um plano de intervenção.
O documento que brevemente será deliberado pelo Executivo Municipal em reunião, prevê critérios de elegibilidade para os apoios e irá alavancar-se a partir do Fundo covid-19 previsto em orçamento municipal para 2021 aprovado em Assembleia Municipal.
O Fundo Municipal de Apoio à Economia Local prevê um apoio financeiro ao pequeno comércio, com sede no concelho de Celorico da Beira, nomeadamente os que por imposição legal foram obrigados a encerrar a sua atividade em virtude dos sucessivos confinamentos.
Trata-se de um apoio de “reforço da tesouraria do pequeno comércio”, que terá em consideração outros apoios já em execução para o mesmo efeito. É público que há estabelecimentos comerciais que já são apoiados com isenções de taxas, isenção da fatura de água e saneamento e rendas, e esta nova medida pretende-se que seja criteriosa e justa.
A dotação global da medida proposta é de 50.000€, podendo ser reforçada caso as circunstâncias assim o justifiquem, face à evolução da pandemia.

Reabertura de forma faseada das escolas, comércios e restantes atividades

Teve lugar nesta quinta-feira o Conselho de Ministros que aprovou o decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.
Vão ser introduzidas as seguintes alterações face ao regime atual:
  • retoma, a partir de 15 de março, das atividades educativas e letivas em regime presencial nos estabelecimentos de ensino públicos, particulares e cooperativos e do setor social e solidário, de educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, bem como das creches, creches familiares e amas;
  • retoma, a partir de 15 de março, das atividades, em regime presencial, de apoio à família e de enriquecimento curricular, bem como atividades prestadas em centros de atividades de tempos livres e centros de estudo e similares, apenas para as crianças e os alunos que retomam as atividades educativas e letivas;
  • a partir de dia 15 de março, possibilidade de reinício da atividade dos estabelecimentos de bens não essenciais que pretendam manter a respetiva atividade exclusivamente para efeitos de entrega ao domicílio ou disponibilização dos bens à porta do estabelecimento, ao postigo ou através de serviço de recolha de produtos adquiridos previamente através de meios de comunicação à distância (click and collect);
  • a partir de dia 15 de março, determina-se que as atividades de comércio a retalho não alimentar e de prestação de serviços em estabelecimentos em funcionamento encerram às 21:00h durante os dias úteis e às 13:00h aos sábados, domingos e feriados e as atividades de comércio de retalho alimentar encerram às 21:00 h durante os dias úteis e às 19:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • o regime de horário das farmácias é aplicável a estabelecimentos de vendas de medicamentos não sujeitos a receita médica;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se, nos restaurantes e similares, a disponibilização de bebidas em take-away;
  • clarifica-se que a proibição de venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo supermercados e hipermercados e em take-away (a partir das 20:00 h) é aplicável até às 06:00 h;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se o funcionamento, mediante marcação prévia, dos salões de cabeleireiro, barbeiros, institutos de beleza e estabelecimentos similares;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se a abertura de estabelecimentos de comércio de livros e suportes musicais; comércio de automóveis e velocípedes; serviços de mediação imobiliária; parques, jardins, espaços verdes e espaços de lazer, assim como de bibliotecas e arquivos;
  • a partir de dia 15 de março, é levantada a proibição das deslocações para fora do território continental, efetuadas por qualquer via, designadamente rodoviária, ferroviária, aérea, fluvial ou marítima, por parte de cidadãos portugueses;
  • determina-se a proibição de circulação entre concelhos, a qual será aplicável no fim-de-semana de 20 e 21 de março, e diariamente a partir do dia 26 de março de 2021.
– Foi aprovada a resolução que estabelece uma estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença Covid-19 com quatro fases, com um período de 15 dias entre cada uma para que sejam avaliados os impactos das medidas na evolução da pandemia, bem como os níveis de incidência e crescimento.
Determina-se que o calendário previsto para as diferentes fases de desconfinamento pode ser alterado atendendo a determinados critérios epidemiológicos de definição de controle da pandemia e ainda considerando a existência de capacidade de resposta assistencial do Serviço Nacional de Saúde.
Estratégia de levantamento das medidas:
• Regras gerais
– teletrabalho sempre que possível
– horários de funcionamento dos estabelecimentos: 21h durante a semana; 13h aos fins-de-semana e feriados ou 19h para retalho alimentar
– proibição de circulação entre concelhos, a qual será aplicável diariamente entre 26/03 e 5/04 (Páscoa)
A partir de 15 março
– medidas definidas no decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República
A partir de 5 abril
– 2.º e 3.º ciclo do ensino básico (e ATLs para as mesmas idades)
– equipamentos sociais na área da deficiência
– museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares
– lojas até 200 m2 com porta para a rua
– feiras e mercados não alimentares (decisão municipal)
– esplanadas (max 4 pessoas)
– atividade física e treino de desportos individuais até 4 pessoas e ginásios sem aulas de grupo
A partir de 19 abril
– ensino secundário e superior (e ATLs para as mesmas idades)
– cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculo
– lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação
– todas as lojas e centros comerciais
– restaurantes, cafés e pastelarias (max 4 pessoas no interior ou 6 em esplanadas) até às 22h ou 13h ao fim-de-semana e feriados
– atividade física e treino de desportos individuais ao ar livre até 6 pessoas e ginásios sem aulas de grupo
– eventos exteriores com diminuição de lotação
– casamentos e batizados com 25% de lotação
• A partir de 3 maio
– restaurantes, cafés e pastelarias (max 6 pessoas no interior ou 10 em esplanadas) sem limite de horários
– atividade física e treino de desportos individuais e coletivos
– grandes eventos exteriores e eventos interiores com diminuição de lotação
– casamentos e batizados com 50% de lotação
– Foi aprovado o decreto-lei que estabelece medidas de apoio aos trabalhadores e empresas no âmbito da pandemia da doença Covid-19:
  • Reativação do apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente, empresário em nome individual ou membro de órgão estatutário dos setores do turismo, cultura, eventos e espetáculos, cuja atividade, não estando suspensa ou encerrada, está ainda assim em situação de comprovada paragem total da sua atividade ou da atividade do respetivo setor;
  • Alargamento do “lay-off simplificado” a empresas cuja atividade, não estando suspensa ou encerrada, foi significativamente afetada pela interrupção das cadeias de abastecimento globais, ou da suspensão ou cancelamento de encomendas, e ainda aos sócios-gerentes;
  • Prolongamento do apoio extraordinário à retoma progressiva até 30 de setembro de 2021, estabelecendo um regime especial de isenção e redução contributivas para empresas dos setores do turismo e da cultura;
  • Criação de um novo incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial, no montante de até duas Remunerações Mínimas Mensais Garantidas (RMMG), para trabalhadores que tenham sido abrangidos no primeiro trimestre de 2021 pelo “lay-off simplificado” ou pelo apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade.
  • Reforço do apoio às microempresas com quebras de faturação, com a possibilidade de pagamento de mais 1 RMMG no terceiro trimestre de 2021.