Templates by BIGtheme NET
Início » Covid-19

Covid-19

Linhagem BA.5 da variante Ómicron cresce em Portugal

A nova linhagem BA.5 da variante Ómicron tem vindo a crescer dia a dia em Portugal, estando previsto chegar aos 80% no dia 22 de maio.

Com o aliviar das medidas o índice de transmissão aumentou e vamos aguardar o que poderá surgir nas próximas semanas.

Dose de reforço para Covid-19 no final de agosto para pessoas com mais de 80 anos

O Ministério da Saúde liderado por Marta Temido adiantou que : As pessoas com mais de 80 anos vão receber a dose de reforço da vacina contra a Covid-19, a partir do final de agosto ou início de setembro.

Durante uma visita ao Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, para presidir à inauguração das instalações remodeladas da unidade de cuidados intensivos, a Ministra disse que a questão «que se coloca neste momento é saber qual o melhor momento para avançarmos com a quarta dose ou dose de reforço»:

«Face às características deste vírus, e estando a situação epidemiológica relativamente controlada, o que parece fazer mais sentido é que esse momento aconteça apenas antes do início do outono/inverno. Portanto, em final de agosto/início de setembro», afirmou  a ministra.

Marta Temido disse ainda que a administração da dose de reforço às pessoas com mais de 80 anos está «em linha com a posição da Agência Europeia do Medicamento», acrescentando que, «em função da situação de imunocomprometimento ou fragilidade imunitária», a quarta dose «já está a ser passada com prescrição médica» e que Portugal está preparado para continuar o processo.

por:GP

Covid-19- Destacado serviço dos bombeiros pelo Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, destacou o serviço prestado pelos bombeiros em dois anos de pandemia de Covid-19, acrescentando que «mesmo em plena pandemia, os bombeiros não deixaram nunca de responder a todas as demais ocorrências, garantindo em particular duas épocas muito difíceis de combate a incêndios florestais, dando um contributo crítico para os resultados alcançados».

Foi em Tomar, na cerimónia comemorativa do 100.º aniversário do Corpo de Bombeiros Municipais, onde enumerou os apoios do Governo ao setor da Proteção Civil desde 2020, acrescentando que, «porventura, a resposta conseguida não terá resolvido todos os problemas», mas que «as medidas tomadas permitiram apoiar e mitigar, limitar o impacto e reforçar a operacionalidade».

Financiamento e combustíveis

Ao nível do financiamento permanente, o Ministro relembrou que Orçamento do Estado para 2020 previu um investimento de 28 milhões de euros em operacionalidade, «representando um aumento de 4% face a 2019». Ainda no mesmo ano, «o orçamento suplementar criou um plano de apoio de emergência com o financiamento das associações humanitárias num montante superior a 7 milhões de euros, que beneficiou as 409 associações que os solicitaram». «Já no Orçamento do Estado para 2021, este financiamento voltou a aumentar, desta vez mais 2% face a 2020», explicou.

O Ministro afirmou ainda que «na proposta de Orçamento para 2022, inicialmente reprovada», está prevista a recuperação do orçamento de referência, em quase 30 milhões de euros, representando um aumento de 3,7% face a 2021.

José Luís Carneiro referiu também que a diretiva financeira – um instrumento fundamental de apoio aos corpos de bombeiros em 2020 – contemplou um aumento no valor de montante diários a abonar ao pessoal, de 50 para 54 euros, o que corresponde a um aumento de 8% em relação a 2019, e um aumento de 10% no valor das comparticipações com as despesas de alimentação.

Perante o aumento dos combustíveis, o Ministro relembrou que «o Governo decidiu transferir, através da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, a quantia de 1.500 euros por cada entidade detentora a título de compensação transitória», para comparticipação com encargos com combustíveis em 2021, «num valor que representou mais de meio milhão de euros».

Reforço da rede de Equipas de Intervenção Permanente e PRR

O reforço da rede de Equipas de Intervenção Permanente foi outra das medidas destacadas pelo Ministro e que demonstra uma «aposta clara no reforço do modelo de resposta permanente, a riscos de proteção civil, tendo sido já possível alcançar as 662 equipas», 28 das quais na sub-região do Médio Tejo. Este aumento representa, conforme refere, uma quadruplicação do número de EIP que até 2006 se situava em 169.

No âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, o Ministro lembrou que o setor dos bombeiros foi contemplado com uma verba de cerca de 20 milhões de euros, dos quais 12,6 milhões de euros destinam-se à aquisição de 41 veículos florestais. Segundo José Luís Carneiro esta será a maior distribuição desde 1980, um milhão de euros dos quais «para formar, através da Escola Nacional de Bombeiros, 3.300 agentes de Proteção Civil entre 2021 e 2023, sendo que os principais beneficiários são mesmo os bombeiros».

José Luís Carneiro afirmou também que «o mundo hoje apresenta uma realidade bem diferente, com desafios cada vez mais complexos e exigentes do ponto de vista do socorro», pelo que é «importante valorizar o sistema de bombeiros nacional, naquilo que ele tem de melhor, na sua génese e também na sua natureza de voluntariado», mas sem deixar de responder ao desafio da profissionalização.

«Temos em mãos um grande desafio. O desafio de preparar o setor dos bombeiros, para as exigências de um futuro incerto, mas no qual a segurança terá ainda um papel mais decisivo», concluiu.

fonte:GP

Presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo infetado com COVID-19

Carlos Condesso, Presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, testou positivo à COVID-19, apresentando alguns sintomas, mas que não inspiram cuidados especiais.

O autarca está, assim, a cumprir isolamento na sua residência, de acordo com as normas determinadas pela Direção-Geral da Saúde.

Todas as reuniões e atividades que estavam agendadas para os próximos dias foram devidamente canceladas, por força do confinamento obrigatório, que irá terminar na próxima quinta-feira, dia 3 de março.

O edil Figueirense, no entanto, irá acompanhar todos os assuntos importantes a partir de casa, em regime de teletrabalho, por forma a garantir o normal funcionamento da Câmara Municipal.

Covid-19- Restrições podem ser aliviadas

Segundo testemunho da ministra da Saúde, no final de mais uma reunião com os especialistas sobre a evolução da pandemia da Covid-19, que decorreu no Infarmed, em Lisboa, referiu que:«A pandemia entrou numa outra fase. Estamos já com um decrescimento do número de casos e com um risco efetivo de transmissão também abaixo de 1»

A Ministra afirmou que apesar de «estarmos ainda numa situação em que o número de casos está num patamar elevado e a mortalidade é superior ao limiar de referência para o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, conseguimos passar este inverno com uma situação controlada, que nos permite olhar com expectativa para o tempo que aí vem».

Marta Temido referiu que «Portugal passou esta 5.ª onda com muito menos restrições do que outros países e do que ondas anteriores», mas sublinhou a necessidade de «manter a vigilância e o acompanhamento atento», por força do eventual «aparecimento de uma nova variante» e porque «as questões relacionadas com a efetividade vacinal e com a imunidade têm de ser ainda acompanhadas».

A Ministra disse que o Governo considerará «a alteração da política de testagem, que deverá ser mais focada, a apresentação de certificados em determinados espaços, utilização ou não de máscara ao ar livre, onde não haja pessoas».

Estas decisões deverão ser tomadas pelo Conselho de Ministros.

Artigo:Ansiedade, solidão e stress que a pandemia despertou

Desde que a pandemia de covid-19 deflagrou, muitos têm sido os alertas diários sobre o seu impacto na saúde mental dos portugueses. Em particular, destaca-se o aumento dos casos de ansiedade, solidão e stress e as razões são fáceis de encontrar: vão desde o número de mortes diárias provocadas pela infeção até à crise socioeconómica, passando pelas repercussões que o isolamento provoca a nível relacional, emocional e até profissional.

Num documento produzido sobre o assunto a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) chamou a atenção para o assunto, sublinhando que “cerca de metade dos portugueses sentiu impactos psicológicos moderados ou graves e mais de 70% dos que estiveram em situação de isolamento apresentam sofrimento psicológico”. No mesmo relatório constata-se que “a prevalência dos sintomas de ansiedade, depressão e perturbação de stress pós-traumático aumentou consideravelmente”, sendo que também “as crianças e os adolescentes revelam estar mais preocupados, frustrados, ansiosos, agitados e tristes”.

Entre as justificações para este quadro preocupante, a OPP destaca questões como “o luto pela perda de pessoas que amamos, o desespero do desemprego e das perdas económicas, o isolamento físico de familiares e amigos, as exigências de dinâmicas familiares alteradas, a preocupação constante, o medo e a incerteza face ao futuro”, assim como “mudanças nos nossos hábitos diários que também podem configurar riscos para a nossa saúde psicológica e bem-estar, como a diminuição da qualidade do sono e da atividade física, o consumo excessivo de álcool ou a exposição mais prolongada a ecrãs ou à internet”.

Apesar de já ter passado algum tempo desde o início da crise e de até já terem sido desenvolvidas vacinas contra o SARS-CoV-2, a verdade é que “as consequências da covid-19 para a saúde psicológica e o bem-estar estão longe de terminar”, antecipam os autores do documento, que acreditam que “assistiremos ao seu expectável agravamento durante os próximos meses”. A OPP lembra que, “antes da pandemia, sabíamos que mais do que um em cada cinco portugueses tinha sofrido ou sofria de um problema de saúde psicológica”, considerando que “a pandemia veio expor e evidenciar uma necessidade já conhecida: a de cuidarmos de nós e da nossa saúde psicológica e a de serem disponibilizadas respostas acessíveis e contingentes aos problemas e dificuldades da população”.

Atenção aos sintomas

Tendo em conta a situação preocupante que se vive atualmente, importa, pois, que cada pessoa esteja atenta à sua saúde – não só física, mas também psicológica – e faça o que está ao seu alcance para prevenir a ansiedade, o stress e a solidão. Ainda que alguns sintomas sejam comuns e perfeitamente normais como reação a situações motivadoras de ansiedade e stress, como a que se vive atualmente, há, todavia, que procurar aconselhamento profissional no caso de estes sinais persistirem por mais de duas semanas. Eis alguns sintomas a que é preciso prestar atenção:

  • Ansiedade, irrequietude, medo;
  • Insónia ou outras alterações do sono;
  • Cansaço;
  • Pesadelos ou sonhos recorrentes;
  • Pensamentos intrusivos persistentes;
  • Alterações gastrintestinais;
  • Aceleração do batimento cardíaco;
  • Preocupação excessiva e recorrente sobre a pandemia;
  • Tristeza, choro fácil, falta de esperança;
  • Hipervigilância, reatividade;
  • Irritabilidade, zanga, ressentimento, conflitos com amigos e familiares;
  • Excesso de crítica, culpabilização dos outros;
  • Culpa, questionamento;
  • Isolamento social (além do imposto);
  • Aumento do consumo de álcool, medicamentos ou substâncias;
  • Recurso abusivo ao jogo ou apostas online como forma de escape;
  • Dificuldade na tomada de decisão;
  • Dificuldade em estabelecer prioridades;
  • Diminuição da capacidade de concentração
  • Diminuição da resposta imunitária.

fonte:Advancecare

Saúde Mental em debate na Universidade Católica no Porto

UNUS Católica – Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual das dioceses do Porto, Coimbra e Vila Real

Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real e Universidade Católica no Porto 

 Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual de três Dioceses com a Universidade Católica no Porto​. UNUS Católica no Porto é o nome do encontro anual que se realiza há 4 anos com a participação dos padres da Diocese do Porto, tendo-se estendido em 2021 aos padres da Diocese de Vila Real e em 2022 contará também com os padres da Diocese de Coimbra. O encontro realiza-se a 20 de janeiro e este ano tem como tema “Saúde Mental em tempos de pandemia”. 

Durante uma manhã, académicos e párocos irão debater temas como a “Prestação de cuidados a idosos: Avaliação de necessidades de saúde mental no contexto da pandemia por Covid-19”; a “Saúde Mental em Crianças e Jovens Portugueses em Acolhimento Residencial”; a Hospitalidade para todos, a “CUP: Clínica Universitária de Psicologia da Católica no Porto”. De realçar que a 10 de outubro de 2021 o Papa Francisco assinalou o “Dia Mundial da Saúde Mental” de forma a lembrar o sofrimento das famílias e de todas as pessoas que sofrem com este problema.

Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, explica que “o encontro pretende contribuir com o conhecimento e atividades das suas diferentes Faculdades para fortalecer a reflexão e partilha sobre temáticas atuais que poderão auxiliar à atividade pastoral desenvolvida pela Igreja”. É um Encontro que permitirá “a representação da unidade que a Universidade quer ter com a mesma Igreja que todos servimos. Todos somos UM(A),” conclui.

UNUS | Católica no Porto ao encontro dos Padres das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real realiza-se a 20 de janeiro, a partir das 10h30, em modelo híbrido. Na abertura estará Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, e o encerramento estará a cargo dos Bispos das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real.

Covid-19-Atendimento presencial com marcação prévia no Município da Guarda

Tendo em conta a evolução do estado da Pandemia por COVID19, o Município da Guarda informa que vai passar a proceder ao atendimento presencial aplicando a obrigatoriedade de marcação prévia. Os munícipes deverão assim proceder ao pré agendamento através de telefone, email ou utilizar os serviços online do Balcão Digital, na página de internet do município (https://so.mun-guarda.pt/servicosonline) . Relembramos também que é obrigatório o uso de máscara para o acesso ou permanência nos Serviços e que deverá manter o distanciamento social, seguindo escrupulosamente as indicações dos funcionários e a sinalética disponível no local.

Figueira C.Rodrigo-Centro de vacinação contra a Covid-19 teve a visita do Executivo Municipal

A funcionar nas Piscinas Municipais, o Centro de Vacinação em Figueira de Castelo Rodrigo recebeu a visita do Executivo Municipal  a fim de verificar as condições em que o mesmo funciona bem como todo o processo de vacinação.
Entre quinta-feira, sexta-feira e sábado serão vacinadas as crianças entre os 5 e os 11 anos de idade, os professores e os auxiliares do Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo.
Esta ação é levada a cabo pelo Centro de Saúde de Figueira de Castelo Rodrigo, em estreita parceria com a Câmara Municipal, Proteção Civil, GNR e Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Figueirenses.

Mangualde dispõe de dois centros de testagem à Covid-19

O Município de Mangualde, numa parceria com duas farmácias do concelho, promoveu a abertura de dois centros de testagem à COVID19 em formato “drive thru”,
Para o Presidente da Câmara de Mangualde, “a abertura destes dois centros de testagem vai ao encontro da evolução da situação epidemiológica no concelho de Mangualde e da região que continua a progredir desfavoravelmente. Esta é uma resposta urgente e necessária aos tempos que se avizinham”.
Um dos centros está em atividade no recinto da feira semanal e o outro junto à farmácia no Bairro da Gândara.
Os centros de testagem funcionam com os seguintes horários:
Recinto da feira semanal (Farmácia Feliz) – segunda a sábado 10h às 18h
nas quintas-feiras de feira quinzenal (segundas e quartas quintas de cada mês) a testagem será em modo pedonal
Bairro da Gândara (Farmácia Avenida) – segunda a sexta 9:30h / 12:30h e das 14:30h / 18:30h e aos sábados das 9:30h às 13h