Templates by BIGtheme NET
Início » Covilhã

Covilhã

Uma dezena de espetáculos da Rede de Artes Performativas

Rede de Artes Performativas desafia pessoas a saírem à rua e celebrarem cultura
10 espetáculos gratuitos a não perder na Beira Interior este verão

O desafio é simples: este verão, sair à rua e celebrar a vida e a arte com 10 espetáculos gratuitos. Trata-se da segunda edição da Rede de Artes Performativas, promovida pela ASTA nos concelhos de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Com a participação de companhias nacionais e internacionais esta iniciativa quer contribuir para criar uma forte dinâmica cultural no Interior do país, aproximando a cultura das pessoas e dando a conhecer o património histórico destes territórios a que os visita.

O festival arrancou em junho, mas há ainda muito para ver e sentir: 5 propostas culturais, num total de 10 espetáculos. Sempre ao ar livre, sempre gratuitos.

A próxima paragem será no Fundão que recebe no dia 5 agosto, no Largo do Calvário, às 22h30, o espetáculo “Por um Fio”, pelo grupo Erva Daninha. A 6 de agosto, o palco transfere-se para o Largo da Igreja que recebe, às 23h00, o espetáculo Raíz.

Manteigas recebe os espetáculos Por um Fio e Raíz, nos dias 12 e 13 de agosto, respetivamente. Ambos acontecem no Parque da Várzea, às 21h30.

Máquina de Encarnar, no dia 3 de setembro e Raíz no dia 4 de setembro, são as propostas culturais para Belmonte. As duas apresentações vão ocorrer no Castelo, a primeira às 21h30, e a segunda às 17h00.

Fornos de Algodres recebe o espetáculo Raíz no dia 16 de setembro, às 21h30, na Câmara Municipal e no dia seguinte, 17 de setembro, é apresentado Máquina de Encarnar, no Largo da Misericórdia, também, às 21h30.

O festival encerra em Seia, a 26 de setembro, com dois espetáculos: Erva Daninha apresenta E-NXada, às 14h30, na Escola Abranches Ferrão e La Gata Japonesa apresenta Los Viajes de Bowa, no Centro Escolar de São Romão.

Recorde-se que na segunda edição da Rede de Artes Performativas já passou pelos municípios da Covilhã e de Gouveia com os espetáculos Raíz e Fuera de Stock e Marilelas.

Recorde-se que, no total, o cartaz desta segunda edição contempla 14 espetáculos.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Campanha solidária “Separar para Ajudar”

Desde 2014, a recolha seletiva de embalagens duplicou no Planalto Beirão. Hoje em dia, em média, cada habitante dos 19 municípios da região do Planalto Beirão separa
duas vezes mais!

Os resultados são animadores e revelam que a população está a corresponder ao desafio lançado pela Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão.

Até 2025 temos de separar e reciclar 65% dos resíduos de embalagens produzidos,o que equivale a 87 kg/habitante, segundo valores de 2021. Temos de separar ainda
mais do que aquilo que já separamos.

Recorde-se que, desde 2017, a Associação de Municípios instalou mais 1.847 novos ecopontos, colocou mais 20 viaturas a fazer a recolha dos resíduos dos ecopontos e
está a executar um Plano de Sensibilização e Educação Ambiental, com o mote Ideia com Futuro – Reciclar no Planalto Beirão, junto da população em geral, da
comunidade escolar e dos operadores de comércio e serviços.

No sentido de aumentar a separação dos resíduos de embalagem, a AMRPB está a dinamizar o Plano de Sensibilização e Educação Ambiental, junto das escolas e
população em geral, com o objetivo de sensibilizar para a prevenção da produção de resíduos e mobilizar para a reutilização e separação dos resíduos para reciclagem.

‘Ideia com Futuro – Reciclar no Planalto Beirão’ dá o mote a este projeto, que visa incrementar a separação dos resíduos recicláveis de papel, cartão, plástico, metal e
vidro, garantindo que possam ser transformados em matéria-prima para novos produtos e, dessa forma, evitando que sejam desperdiçados em aterro. A separação dos resíduos recicláveis é fundamental para a preservação dos recursos naturais, para a proteção do meio ambiente e para a melhoria da qualidade de vida.

A Ideia com Futuro – Reciclar no Planalto Beirão pretende não só envolver a região do Planalto Beirão em atividades e iniciativas de cariz ambiental, fomentando a separação de resíduos recicláveis de embalagens e dotando a população das ferramentas necessárias a essa prática, mas pretende também combinar a esfera
ambiental com a esfera social.

A campanha solidária “Separar para Ajudar” consiste em converter cada tonelada de resíduos separada, que represente um aumento face ao ano de 2014, em apoios
sociais para instituições de solidariedade social da região do Planalto Beirão.

Este projeto, desenvolvido pela Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão, é cofinanciado pelo POSEUR, Portugal 2020 e União Europeia, através do
Fundo de Coesão.

Vila de Rei acolheu reunião da Anafre

Vila de Rei acolheu a primeira reunião presencial do Conselho Diretivo para o quadriénio 2022-2026. Com os Órgãos da delegação distrital ANAFRE de Castelo Branco, a seguir uma política de descentralização dos seus encontros pelos onze concelhos do distrito,
Para além da reunião do Conselho Diretivo realizou-se um encontro com os responsáveis do Município de Vila de Rei e ainda com os representantes das diferentes Freguesias do Concelho recolhendo as suas opiniões, preocupações, necessidades, conhecendo os exemplos de boas práticas e apresentando propostas de melhoria para uma melhor resposta das Freguesias às suas populações.
Nesta primeira reunião foram redefinidas as estratégias para o mandato de acordo com o programa sufragado pelas freguesias. Foi dada prioridade ao levantamento urgente das necessidades e dificuldades sentidas pelas freguesias do distrito assim como uma avaliação às necessidades formativas nas mais diversificadas áreas, atendimento, contratação pública, manobradores, competências e obrigações dos executivos e assembleias, entre muitos outros.
Com este levantamento exaustivo o Conselho Diretivo terá as informações necessárias para poder dar uma resposta mais eficaz às expetativas e necessidades das freguesias associadas potencializando igualmente a inscrição das não associadas.

AHRESP destaca posição de WTTC e ETC no pedido de ação urgente para resolver escassez de trabalhadores no turismo

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) e a Comissão Europeia de Viagens (ETC) alertam que a recuperação do setor de Viagens e Turismo pode ser colocada em sério risco se quase 1,2 milhões de postos de trabalho permanecerem vagos em toda a União Europeia (UE). Em 2020, o setor perdeu quase 1,7 milhões de postos de trabalho em toda a UE. Em 2021, quando começaram a ser aliviadas as restrições de viagens e a confiança dos consumidores melhorou, a contribuição direta do setor do turismo para a economia europeia recuperou 30,4% e 571 mil novos empregos foram criados. Este ano, o WTTC projeta que a recuperação do setor continuará a acelerar e quase atingirá os níveis pré-pandemia, com um aumento esperado de 32,9% na sua contribuição direta para a economia da UE.

Contudo, Julia Simpson, presidente e CEO do WTTC, reitera: “A Europa mostrou uma das recuperações mais fortes em 2021, acima da média global. No entanto, a atual escassez de mão de obra pode atrasar essa tendência e pressionar ainda mais um setor já em dificuldades”. Em consonância, Luís Araújo, presidente da ETC, afirma: “A Europa, como o destino turístico líder e mais competitivo do mundo, está empenhada em se tornar mais sustentável. Mas o objetivo da dupla transição (verde e digital) só será alcançado se conseguirmos atrair e reter talentos para o setor. Este é um dos maiores desafios para o setor e necessita de soluções coordenadas, multifacetadas e conjuntas (públicas e privadas).”

Assim, o WTTC e o ETC identificaram seis medidas que os governos e o setor privado podem implementar para resolver esse problema urgente:

•             facilitar a mobilidade de mão de obra dentro dos países e além-fronteiras, fortalecendo a colaboração em todos os níveis e fornecendo vistos e autorizações de trabalho;

•             permitir o trabalho flexível e remoto sempre que possível;

•             garantir a dignidade do trabalho, fornecer redes de proteção social e destacar oportunidades de crescimento na carreira;

•             capacitar e requalificar talentos e oferecer formação abrangente, para equipar a força de trabalho com novas e aprimoradas capacidades;

•             criar e promover educação e aprendizagem – com políticas eficazes e colaboração público-privada, que apoiem programas educacionais e formação baseada na aprendizagem;

•             adotar soluções tecnológicas e digitais inovadoras para melhoria das operações diárias, bem como mobilidade e segurança nas fronteiras para garantir viagens seguras e uma melhor experiência para o cliente.

Em Portugal, o problema da falta de pessoas disponíveis para trabalhar também se tem vindo a agravar. A AHRESP tem vindo a apresentar várias propostas ao Governo para colmatar este problema a nível nacional. Dados do INE revelaram que nos últimos dois anos se perderam mais de 76 mil postos de trabalho durante os últimos dois anos em Portugal – menos 16.100 trabalhadores no alojamento turístico e menos 60.200 na restauração e similares. É uma situação sem precedentes e que, tal como a AHRESP tem vindo a alertar, poderá comprometer a sustentabilidade das empresas e a qualidade do serviço. A AHRESP tem vindo a defender que a contratação de trabalhadores estrangeiros, nomeadamente provenientes dos PALOP, pode fazer parte da solução e ajudar a colmatar a falta de trabalhadores. Mas para que tal seja assim, devem existir programas de imigração organizada e com todas as condições de trabalho, quer ao nível da formação, da inserção profissional e familiar, quer ao nível da habitação.

Informação completa:

https://wttc.org/News-Article/According-to-WTTC-and-ETC-1-2-million-Travel-and-Tourism-jobs-across-the-EU-will-remain-unfilled-unless-urgent-action-is-taken

ANAM promove formação para valorização de eleitos locais

Numa organização conjunta do Centro de Valorização de Eleitos Locais (CVEL), da Associação Nacional de Assembleias Municipais (ANAM) , com a Associação de Estudos de Direito Regional e Local (ADREL)  e  com a VALORGLOCAL, esta é uma formação de capacitação dirigida aos autarcas das Assembleias Municipais que pretendem obter conhecimentos sobre a estrutura e funcionamento das Assembleias Municipais.

Estando prevista duas edições desta formação (19 e 20 de Julho e 27 e 28 de julho), o curso contempla dois momentos: o primeiro é dedicado às questões mais estruturais como o regimento, a Mesa da Assembleia Municipal e os grupos municipais. Já a segunda parte da formação incide na  preparação das sessões, assuntos orçamentais e financeiro e as dotações da assembleia municipal no orçamento municipal.

Para Albino Almeida, Presidente da ANAM, “as formações de capacitação dos eleitos locais, de forma estruturada e coerente, são essenciais para quem procura estar, cada vez mais, informado e dotado das ferramentas necessárias para assumir funções no âmbito do Poder Local. É fundamental que os eleitos locais estejam cada vez mais capacitados para as suas responsabilidades”.

Para Manuel Ferreira Ramos, jurista e coordenador do Centro de Valorização de Eleitos (CVEL) estas ações de formação têm sido reconhecidas pelos eleitos locais que as frequentam como importantes para a melhoria da qualidade da democracia local.

Criado com o objetivo de contribuir para um maior conhecimento e debate entre eleitos locais,  o CVEL tem vindo a desenvolver um esforço contínuo no sentido de aprimorar a atividade interna deste órgão autárquico, contribuindo, assim, para a sua valorização e dignificação. “A valorização do papel das Assembleias no processo político democrático local passa não só por uma melhor comunicação com os cidadãos, mas também pela melhoria do funcionamento interno das Assembleias,” acrescenta.

A inscrição no curso tem o valor de 10€ e confere a atribuição do “Guia Prático das Assembleias Municipais”, um documento que dá resposta a 115 perguntas com esclarecimentos e práticos, sobre as mais variadas questões relacionadas com este órgão deliberativo.

Taxa Zero ao Volante” em balanço

A Campanha de Segurança Rodoviária Taxa Zero ao Volante, da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu nos dias 5 a 11 de julho e teve como objetivo alertar os condutores dos veículos para os riscos da condução sob a influência do álcool.

Esta campanha contou, uma vez mais, com a participação do serviço da administração regional da Região Autónoma da Madeira em ações de sensibilização, completando o trabalho de fiscalização que tem sido realizado pelos comandos Regionais da PSP.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2022, a campanha foi divulgada nos meios digitais e através de cinco ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização realizadas pela GNR e pela PSP, nas localidades de Torres Vedras, Aveiro, Braga, Porto e Ceira. Idênticas ações ocorreram na Região Autónoma da Madeira. Ler Mais »

Novo calendário escolar para o ano letivo 2022/2023

Foi assim divulgado o novo calendário escolar referente ao ano letivo 2022/2023.

O Ministério da Educação informou que o calendário de funcionamento das atividades educativas e letivas dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário começa entre 13 e 16 de setembro e será prolongado até ao dia 16 de dezembro.

O segundo período decorrerá entre 3 de janeiro e 31 de março de 2023 e o último período prolongar-se-á de 17 de abril a 7 de junho para o 9.º ano, 11.º e 12.º anos de escolaridade; a 14 de junho de 2023 para o 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º ano de escolaridade e a 30 de junho de 2023 para as crianças inscritas na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico.

“De Sol a Sol”para sensibilizar as comunidades

A iniciativa “De Sol a Sol”, em parceria com a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC), tem como objetivo aumentar o conhecimento sobre os riscos que os trabalhadores que exercem as suas atividades ao ar livre correm e irá estar presente em vários pontos de norte a sul do país, nos meses de julho e agosto.

A sensibilização da população para os riscos do Sol e do Trabalho ao ar livre é importante ao permitir alertar para os riscos da exposição solar excessiva e cumulativa decorrente de atividades profissionais no exterior, bem como informar sobre medidas de prevenção.

O número de casos de cancro da pele está a aumentar a nível mundial e estima-se que em Portugal sejam diagnosticados anualmente mais de 12 mil novos casos, sendo que 11 mil são cancros de pele não melanoma[1].

As profissões que envolvem trabalho ao ar livre (como por ex. agricultura, pesca, construção civil, jardinagem, …)  estão associadas à exposição a doses elevadas de radiação UV durante muitas horas, por vezes nas horas de maior perigo2. Zonas como as orelhas, rosto e antebraços são especialmente afetadas e gestos simples como o uso de chapéu de abas largas e camisolas de manga comprida, aplicação de proteção solar nas partes do corpo expostas ao sol e evitar as horas de maior intensidade dos raios UV poderão ajudar a prevenir um problema oncológico grave e com elevadas consequências físicas e emocionais. Mudando comportamentos simples diários podemos prevenir a ocorrência de número significativo de cancros da pele.3

De acordo com João Maia e Silva, Presidente da APCC, “Queremos alertar para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. É fundamental que as pessoas com profissões onde ocorre uma maior exposição aos raios UV tenham cuidados redobrados em relação à sua pele pois a mesma memoriza as agressões pelo Sol ao longo da vida. O excesso de exposição ao Sol e sobretudo as vermelhidões ou queimaduras solares são fator de risco. Por outro lado, importa também destacar a importância do diagnóstico precoce para o tratamento dos Cancros da Pele, relembrando que a realização do autoexame, e a consulta de um médico dermatologista sempre que existam dúvidas sobre um sinal é importante para uma deteção atempada.”.

A realização do autoexame e a marcação rápida de uma consulta de Dermatologia são determinantes, uma vez que quando diagnosticados precocemente, a maioria dos cancros da pele é curável.

Situação de alerta em relação a altas temperaturas

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio rural, os Ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, da Saúde, do Ambiente e Ação Climática e da Agricultura e da Alimentação determinaram hoje a Declaração da Situação de Alerta em todo o território do Continente.

A Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 horas do dia 08 de julho e as 23h59 horas do dia 15 de julho.

A Declaração surge na sequência da elevação do Estado de Alerta Especial do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS), para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), em todos os distritos do território continental.

Esta Declaração decorre da necessidade de adotar medidas preventivas e especiais de reação face ao risco de incêndio Elevado, Muito Elevado e Máximo previsto pelo IPMA em todos os distritos do continente nos próximos dias.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil, serão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

1) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

4) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas;

A proibição não abrange:

1) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

A Declaração da Situação de Alerta implica:

A) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso;

B) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através da respetiva tutela;

C) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais;

D) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela;

E) O aumento do nível de prontidão das equipas de resposta das entidades com especial dever de cooperação nas áreas das comunicações (operadoras de redes fixas e móveis) e energia (transporte e distribuição);

F) A realização pela GNR de ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização aérea através de meios das Forças Armadas, nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, para o DECIR, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo.

G) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções nas Forças Armadas, Forças de Segurança e na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), bem como em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do INEM.

A par da emissão de avisos à população pela ANEPC sobre o perigo de incêndio rural, as Forças Armadas – através do Ministério da Defesa Nacional – disponibilizam os meios aéreos para, em caso de necessidade, operarem nos locais a determinar por aquela Autoridade.

Sorteios da Liga-Tondela , Ac Viseu e SC Covilhã arranca fora de portas

Teve lugar nesta terça-feira, o sorteio da Liga Portugal Bwin e Liga Portugal Sabseg

A primeira ronda da Liga Portugal Bwin, ficou assim determinada:

SC Braga-Sporting CP
CD Santa Clara-Casa Pia AC
GD Chaves-Vitória SC
GD Estoril Praia-FC Famalicão
Gil Vicente FC-FC Paços de Ferreira
Rio Ave FC-FC Vizela
SL Benfica-FC Arouca
Portimonense SC-Boavista FC
FC Porto-Marítimo da Madeira

 

A primeira ronda da Liga Portugal Sabseg foi assim sorteada:

Moreirense FC- UD Vilafranquense
SL Benfica B – Académico Viseu
SC Farense-SCU Torrrense
CD Trofense- B-SAD
FC Penafiel-Leixões SC
UD Oliveirense-CD Mafra
CD Feirense-Estrela da Amadora
FC Porto-SC Covilhã

Nacional- CD Tondela

As duas ligas profissionais terminam no dia 28 de maio de 2023.

fonte:FPF/Liga